quarta-feira, julho 28, 2021

Saab RBS 70NG

Gastos militares mundiais caíram em 2013

Destaques

M109A5

ClippingOs gastos com defesa diminuíram em 2013, puxados para baixo pela redução dos orçamentos dos exércitos ocidentais, especialmente o americano, anunciou nesta segunda-feira o Sipri, centro de pesquisas sueco. Em 2012, as despesas caíram, pela primeira vez desde 1998, em 0,4%, mas o declínio acelerou chegando a 1,9%, de acordo com os cálculos do Instituto Internacional para a Paz de Estocolmo.

No entanto, “o aumento das despesas militares nos países emergentes e em desenvolvimento continua inabalável”, ressaltou em uma declaração o diretor de pesquisa sobre os orçamentos militares, Sam Perlo-Freeman. “Mesmo que, em alguns casos, seja a consequência natural do crescimento econômico ou uma resposta às necessidades de segurança reais, em outros casos, ela representa uma perda de receitas de recursos naturais, o fato de regimes autocráticos, ou (do) surgimento de corridas armamentistas regionais”, acrescentou.

O mundo gastou 1,747 trilhão de dólares com seus exércitos em 2013, revela a Sipri no relatório. A variação percentual dessas despesas leva em conta a inflação. Os Estados Unidos, país que tem o maior orçamento para a defesa, reduziram os gastos em 7,8% com o fim das operações no Iraque, a retirada antecipada do Afeganistão, e os cortes automáticos aprovados pelo Congresso em 2011. Os três seguintes (China, Rússia e Arábia Saudita) fizeram o caminho oposto junto a outros 23 países que mais que dobraram seu orçamento desde 2004. Pequim aumentou os gastos em 7,4% em 2013 e as disputas territoriais com a China levaram alguns de seus vizinhos aumentar as verbas para os militares.

“As preocupações do Japão quanto ao poderio militar crescente da China e a política nacionalista do governo japonês, fizeram com que Tóquio acabasse com o declínio dos gastos militares de longa data e passassem a um gradual aumento”, explica Perlo-Freeman.

Também na Ásia, o Afeganistão registrou o maior aumento, de 77%, tendo em vista a retirada da maioria das tropas estrangeiras do seu território no final de 2014. Na Europa, a França se destaca porque, “apesar de seu crescimento econômico baixo, manteve em grande parte os seus gastos militares durante a crise econômica global, com despesas em 2013 4% inferiores do que em 2008”, observa o Sipri. No Oriente Médio, os orçamentos aumentaram em 4% em 2013. Esta estimativa permanece questionável, já que não existem números disponíveis sobre os Emirados Árabes Unidos, Irã, Catar e Síria.

“E mesmo quando eles estão disponíveis, os dados podem não incluir todos os gastos militares”, de acordo com Perlo-Freeman.

A Arábia Saudita ultrapassou em 2013 a França (que caiu para 5º lugar) e o Reino Unido (6º). O Sipri explica este salto de 14% nos gastos pelas tensões com o Irã e o medo de revoltas populares. Na África, os gastos subiram 8,3%, impulsionados pelas receitas do petróleo em países como Argélia e Angola.

FONTE: Agência de Notícias AFP

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments

Últimas Notícias

Taiwan testará mísseis Patriot III nos EUA

TAIPEI (Taiwan News) - Os militares de Taiwan em breve testarão mísseis Patriot III no White Sands Missile Range...
- Advertisement -
- Advertisement -