sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab RBS 70NG

Exército israelense inicia operação terrestre em Gaza para evitar ataques palestinos

Destaques

aptopix_mideast_israe_r_2

ClippingO Exército de Israel iniciou nesta quinta-feira (17) uma operação terrestre em Gaza após dez dias de intensos bombardeios aéreos em resposta ao incessante lançamento de foguetes procedentes da Faixa de Gaza. A ordem foi dada pelo primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, que instruiu os militares a iniciar uma operação terrestre na Faixa de Gaza, segundo uma declaração oficial de seu escritório.

“O primeiro-ministro e o ministro da Defesa instruíram para começar hoje uma operação terrestre, a fim de destruir os túneis terroristas de Gaza contra Israel”, disse o comunicado.

FONTE: R7

- Advertisement -

32 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
32 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás
Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás

Super hiper, ultra, duca, de M-60 tunado!!!
Não confundir c/ os SABRA.
Espero que o EB NÃO veja essas fotos e NÃO tenha ideias de tunar nossos M-60 nesse padrão!!!

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Ficou dez. temos aqui ainda os M60 atirados no arque regional de manutenção e 28 carros em serviço na 4a brigada C Mec. Não temos uma verdadeira reserva blindada. Era hora de analisar uma modernização deste tipo para mantermos ao menos dois RCC em reserva, com 100 carros no total. Colocaria um em Rosário do Sul, no campo de instrução do Saicã e outro em Goias, em Formosa. Além de atuarem como reserva, estas unidades faria o papel de força opositora em manobras como há no NTC. Isso sem falar na premente necessidade de colocação de uma unidade CC em… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

E olhem q interessante… a parte traseira dessa torre, cheia de de misseis armazenados !!

Nesse blog a qual eu tirei a foto, estão chamando esse Magach de missle tank… interessante !

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

E olhem q interessante… a parte traseira dessa torre, cheia de de misseis armazenados !!

Nesse blog a qual eu tirei a foto, estão chamando esse Magach de missle tank… interessante !

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Caro Colombelli

perfeito seus comentários. Vc já havia mencionado no ano passado essa oportunidade, na época trocamos idéias sobre Roraima, Formosa-GO e os Leo 1a5, lembra-se ?

O up grade do Tio Davi ficou ótimo e acredito que nesta operação estejam sendo usados em parte como escoltas.

Reitero, comungo das suas crenças, muito boas.

Off topic

Viu amigo ?

Já sabem a cor do BURRO !

Agora é definir, agem ou não o fazem; se agir, como, de que forma ?

Voltemos ao PA para este tema.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Estimado Colombelli

“rsbacchi
21 de fevereiro de 2012 at 11:13 #

Os M60 restantes vão mobiliar um dos 5 Regimentos de Cavalaria Blindado.

Os outros 4 receberão os Lao 1A1BE restantes.

Bacchi”

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Caro

Alfredo Araujo
18 de julho de 2014 at 10:15 #

Valeu o link.

eparro
eparro
7 anos atrás

Ué e os Merkava IV?

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
7 anos atrás

Alfredo,
Pelo jeito equiparam alguns M-60 com mísseis NLOS. Muito interessante. Combinaram uma clássica arma de apoio direto com mísseis com capacidade NLOS (24 km de alcance).
É interessante, mas ao meu ver não tem nada a ver.

Sobre o Spike NLOS, vale salientar que é um legítimo míssil que opera no modo “fora da linha de visada”, diferente dos menores Spike LR e ER, que operam no modo LOS, mas dotados de recurso de abortar a missão, mudar de alvo, refinar o ponto de impacto, etc.

Mauricio R.
Mauricio R.
7 anos atrás
eparro
eparro
7 anos atrás

Mas os Mekava estão lá na faixa de Gaza? Que desenho de torre, não? É uma máquina de guerra, mas é um “bicho” elegante.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Carlos, hoje temos em linha em torno de 280 carros, mais 12 Leo 1A5 disponíveis. A real situação dos restantes M60 e Leo 1a1 provavelmente os retira da condição de reserva. Acho isso muito pouco. Dai que comungo da ideia de termos que formar uma reserva blindada com ao menos 100 carros, que mobiliam 3 RCC terceários ou 2 quaternários. Leo 1A5 so conseguiriamos hoje na Grécia ou Turquia. da ique vejo com bons olhos uma modernização do que ficou dos M60 e Leo 1a1, quiçá como formação de aprendizado para um projeto de um futuro CC nacional, pois a… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Prezado Colombelli “Leo 1A5 so conseguiriamos hoje na Grécia ou Turquia. da ique vejo com bons olhos uma modernização do que ficou dos M60 e Leo 1a1, quiçá como formação de aprendizado para um projeto de um futuro CC nacional, pois a sobrevida dos atuais carros é de no máximo 15 ou 20 anos.” “vejo com bons olhos uma modernização do que ficou dos M60 e Leo 1a1, quiçá como formação de aprendizado para um projeto de um futuro CC nacional,” M 60 em parceria com o Tio David e Leo em parceria com os alemães. Fecha perfeito com tuas… Read more »

eparro
eparro
7 anos atrás

Colombelli 19 de julho de 2014 at 17:59 #
Carlos Alberto Soares 20 de julho de 2014 at 10:38 #

Meus caros, mas aí não seria mais eficiente concentrar-se na modernização só dos Leopard 1a1 para 1a5, com vista talvez, aos Leopard 2a# (tipo Chile).
Com só um modelo de equipamento e ainda assim com boa formação de conceitos para um futuro carro de combate nacional?
Penso que os M60 para o “Tio David” fazem sentido pela quantidade, mas para nós, acredito que seria gastar dinheiro novo com coisa muito velha, melhor aplicá-lo e assimilação de conhecimento.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Eparro, a questão é que os 1A1 haverá pouca fonte de peças. O M-60 ainda é muito usado. So a Turquia ainda usa mais de 600 carros, fora o que deve haver em estoques nos EUA. É barato e no nosso cenário impõe respeito, mesmo sem modernização. Os Leo 2A4 acho que não será nossa opção. Daqui 15 anos quando o 1A5 der baixa, o 2A4 será velho. O nosso caminho seria ou pegar agora o 2A4 ou ja pensar em um novo carro nacional. A melhoria dos 1A1 e M-60, ambos ou so um, ja seria uma aprendizado inicial… Read more »

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

Pessoal… segundo off: topic…

Video com o batismo de fogo do sistema ativo de proteção dos Merkava…

https://www.youtube.com/watch?v=5M247fqnz2I

Bosco Jr
Bosco Jr(@joseboscojr)
7 anos atrás

Alfredo,
Interessante!
Pelo jeito a legião de pessimistas que cantavam em verso e prosa a extinção do MBT frente ao míssil e ao helicóptero de ataque terá que rever seus conceitos.
O veículo de combate teima em se reinventar.

eparro
eparro
7 anos atrás

Colombelli 20 de julho de 2014 at 17:12

Grazie Colombelli.

Você acredita que, fora do EB, tenhamos iniciativa e capacidade para desenvolver o tal carro de combate nacional, como houve outrora com a Engesa e a Bernardini?

Soldat
Soldat
7 anos atrás

Pelo que entendi no vídeo o missei foi interceptado antes de acerta Mkv?.

É realmente não como vencer uma guerra hoje em dia sem tecnologia!

Pobre Brasil…

Usa…Usa….

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
7 anos atrás

Soldat
21 de julho de 2014 at 8:48 #

Cara… vc só errou a torcida… rs
Isso ai é tecnologia israelense, não americana..

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

O sistema de defesa é ótimo, mas muito caro e so se justifica diante da realidade israelense, onde o opositor tema cesso a misseis de ultimo tipo. A questão nem é a extinção do carro, mas sim o custo benefício manifesto na seguinte pergunta. Quantidade ou qualidade? onde está o equilíbrio em cada cenário? No caso do Brasil, menor quantidade de melhores carros não tem sentido por conta das conhecidas contingências orçamentárias e potenciais adversários. Eparro, creio que hoje é inviável um projeto sem participação do EB. Ao EB não restará outro caminho, pois os modelos de carros usados disponíveis… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Caro Colombelli e demais colegas,

pena que o Pizarro ficou “meia boca’, e com Áustria de sócia heim ….

http://www.youtube.com/watch?v=L7Q_ldEUlzw

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Retrofit dos M 60/todos com os Israelenses no time, sugestão do Colombelli é uma atitude de médio prazo, execução rápida e num bom custo.

Sobrou LEO no mercado, ir pra cima em parceria com os Alemães, Retrofit com total participação deles, idem a afirmação acima com o Tio David.

Criar a partir dai, nossas bases para o nosso MBT, tudo isso já dissertado pelo Colombelli.

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Carlos, para esta função do carro do primeiro video em que vemos um VBCI eu te confesso que sou mais o BMP-3 russo. Armado com canhão 100mm, um canhão 30mm e duas metralhadoras, anfíbio e ainda leva 07 soldados. Armamento versátil e que cobre todo o espectro de opositores. Isso ai somado á capacidade anfíbia e de levar quase um GC é o santo graal em uma cabeça de ponte. 50 carros e mobiliaríamos 01 esquadrão de cada um dos 04 RCB, o outro sendo mobiliado com um MBT. O nosso MBT nacional será uma imposição dos fatos. Não haverá… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
7 anos atrás

Caro Colombelli

citei acima do vídeo:

“pena que o Pizarro ficou “meia boca’, e com Áustria de sócia heim …”

Abraços.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
7 anos atrás

Amigos, já que a conversa foi pro lado de um futuro MBT do EB, gostaria de saber a opinião sobre o sueco CV-90. Creio que na configuração com canhão de 105mm (que não chegou a ser comprada por nenhum pais, póis os clientes “preferiram” os calibres 30, 35 e 40 mm ), seria uma boa opção para o EB. http://www.army-guide.com/eng/product920.html Porém, não vislumbro o EB fazendo novas compras tão cedo. E caso faça, acho que serão Leopards usados (no ápice do otimismo, o 2). E por falar em blindados alemães, seria muito interessante trocar parte dos nossos M113 por Marder… Read more »

Colombelli
Colombelli
7 anos atrás

Rafael, um veiculo com canhão 105 e sem capacidade de transporte de tropas seria o mesmo que um MBT,porém sem a mesma proteção, ou seja, pra nós não valeria a pena, melhor seria pegar um MBT direto.

O EB terá de fazer compras forçadamente, pois há 03 esquadrões de cavalaria blindada sem carros e os usados nos respectivos regimentos irão durar poucos anos.

Duvido que seja adquirido o Leo 2., Provavelmente passariamos ao que resta dos Leo 1A5 junto a Turquia e Grécia.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
7 anos atrás

Colombelli,

Estava pensando na substituição do M-60. Um MBT menor e mais barato.

Para VBCI acho muito difícil não irmos apenas de Guarani, mesmo com as limitações das rodas.

Vi em outras bandas que o canhão de 105mm do Guarani está para ser decidido (o que aponta um caminho, já o tempo para chegar no destino são outros quinhentos).

É claro que eu preferiria um Marder usado ou um modelo novo para o transporte de tropas sobre lagartas, mas acho que não irá acontecer.

Últimas Notícias

Alltec apresenta suas inovações tecnológicas na 6ª Mostra BID Brasil

Alltec desenvolveu uma blindagem adicional do Guarani, veículo para transporte de tropas, do Exército Brasileiro A Alltec, empresa de Pesquisa...
- Advertisement -
- Advertisement -