Home Exército Brasileiro Como será o Governo Bolsonaro para as Forças Armadas?

Como será o Governo Bolsonaro para as Forças Armadas?

15265
189
Leopard e M113 do EB
Leopard e M113 do EB

Sinalizações positivas, contradições e múltiplos desafios dominam nova área de Defesa

Por Roberto Lopes
Especial para o Forças Terrestres

“As Forças Armadas farão parte da política de governo; não serão deixadas em segundo plano como aconteceu no governo Fernando Henrique e no governo do Lula”.

Essa declaração – não provocada – do presidente eleito Jair Bolsonaro, durante uma entrevista coletiva em sua residência do Rio, na tarde da última quinta-feira (01.11), foi, até agora, a sinalização mais clara – e de mais alto nível – de que os militares brasileiros podem aguardar uma fase de prestígio renovado – leia-se, de maiores recursos.

Mas há controvérsias.

Quarenta e oito horas antes da coletiva, o vice-presidente eleito, general Hamilton Mourão, chegou à casa de Bolsonaro dizendo para os jornalistas que não haverá “dinheiro extra” para os militares.

O blog Forças Terrestres apurou que Mourão jogou essa ducha de água fria repetindo um mantra do economista Paulo Guedes, especialista escolhido por Bolsonaro para ser o xerife da área econômica no governo que emergiu das urnas. Como todos os seus pares, historicamente, Guedes, na seara das Forças Armadas, quer “cortar”, não quer “prestigiar”.

A diferença dele para os ministros da Fazenda que o antecederam, é que, agora, o economista-chefe terá um “patrão” militar (na verdade, dois, se considerarmos Mourão) que compreende, melhor do que qualquer chefe de governo dos últimos 35 anos, a importância de um país com as dimensões, riquezas e responsabilidades do Brasil, dispor de um aparato de Defesa minimamente preparado para responder a uma ameaça.

Embraer KC-390
Embraer KC-390

Embraer-Boeing – No pequeno conjunto de sinalizações positivas para os militares que viscejam nessa fase pós-vitória na eleição, é de se notar, também, o interesse manifesto do presidente eleito por aproximar seu futuro governo da tecnologia israelense.

Move Bolsonaro, a princípio, o desejo de trazer para o Brasil as técnicas desenvolvidas em Israel para o aproveitamento do potencial agrícola de regiões áridas. Mas há poucas dúvidas: daí ao chefe da Nação se interessar pela cooperação na área militar é só um pulinho.

E como alguns militares brasileiros lembraram ao Forças Terrestres, quando se fala em tecnologia militar de Israel, se está falando, implicitamente, em tecnologia militar americana.

Essa aproximação “por tabela” e a admiração confessa de Bolsonaro pelos Estados Unidos, deve dar rumos definitivos à Base Espacial de Alcântara, no Maranhão, e, possivelmente, à associação da Embraer com a Boeing – negociação que o Ministério da Defesa, em Brasília, percebe como de enorme potencial para as Forças Armadas mas, aparentemente, desinteressada de fortalecer a área militar brasileira.

De resto, é preciso dizer que há um rol enorme de dúvidas, incertezas e desafios na nova área de Defesa.

A começar de quem mandará em quem.

Parece certo que, eleito comandante-em-chefe das Forças Armadas aos 63 anos de idade, o capitão da reserva Bolsonaro terá o controle do setor militar, mas há dúvidas sobre a autonomia (e a vitalidade) do ministro escolhido para a Pasta da Defesa, general Augusto Heleno Ribeiro Pereira – de 71 anos completados nesta última segunda-feira, 29.

Especialmente em face da mania do seu colega mais moderno, general Hamilton Mourão, novo vice-presidente, de distribuir “pitacos” sobre quaisquer assuntos.

Heleno já terá problemas suficientes, para ainda ter que se preocupar com os incômodos produzidos pelos rompantes do vice.

Caça Gripen E
Caça Gripen E

MPA – Nesse capítulo dos desafios, o general precisará prover sustentação financeira (a) ao programa de submarinos da Marinha, (b) à construção de uma flotilha de escoltas (novos e de 2ª mão), (c) à importação de caças suecos Gripen, (d) à entrada em operação dos primeiros jatos de transporte KC-390, (e) à modernização da frota de turboélices Tucano do 1º Esquadrão de Instrução Aérea (Avançada) da Academia da Força Aérea, (f) à consolidação do projeto de Artilharia Astros 2020 e (g) à expansão do SISFRON (Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras) – onde ainda faltam muitos sensores, veículos dedicados e sistemas de comunicação sofisticados.

O Exército Brasileiro optou por ser uma Força leve e de alta mobilidade, que só fará a revitalização dos seus Regimentos de Cavalaria Blindada – por meio da compra de carros de combate alemães Leopard 2 A4 (ou A6) usados – no ano de 2027.

Uma Força leve e livre das conhecidas brigadas de Infantaria Motorizada (onde os infantes são transportados a bordo de caminhões), resquício de uma estrutura que remonta à sua organização pós-2ª Guerra Mundial.

Mas a Força Terrestre sofre de um mal invisível e cruel: a imprevisibilidade, que deixa os seus projetos sem prazo, e o seu funcionamento de eficiência incerta.

A criação da Aviação de Asa Fixa da Força Terrestre vem sendo estudada e providenciada há mais de dez anos, e agora está prevista para se tornar uma realidade no ano de 2021. O programa de obtenção de um blindado de combate sobre rodas (8×8) foi interrompido devido à falta de sustentação financeira. A implantação de uma unidade de helicópteros de ataque, que deveria acontecer até o fim de 2019, também depende de uma liberação de verbas que, hoje, não existem.

Há outras questões não resolvidas igualmente importantes, ainda que de menor apelo de publicidade na mídia dita “especializada”. Uma delas, o debate em torno do que já pode ser feito para garantir às Forças Armadas, no futuro (a partir da década de 2030), um mínimo de capacidade de Patrulha Marítima.

O Forças Terrestres apurou que a Embraer até aceita pensar no desenvolvimento de uma versão de reconhecimento marítimo para os seus jatos E-190 e KC-390, desde que a Força Aérea Brasileira (FAB) pague por esse trabalho, é claro.

Como nos próximos anos a FAB estará às voltas com a quitação dos 36 caças Gripen comprados ao grupo SAAB, o mais provável é que o Ministério da Defesa se veja forçado a abandonar o discurso nacionalista da construção da aeronave de patrulha no país, e opte por uma solução bem mais rápida e menos complicada: a aquisição do bimotor Airbus CN-235 MPA (Maritime Patrol Aircraft) – de 40 e poucos milhões de dólares a unidade –, já adotado por vários países.

Aldeia Paruaka – Parte das dificuldades que aguardam a energia e a capacidade de negociação do general Heleno está na Amazônia, região do país que, desde os anos de 1960, vem sendo comandada pelos principais chefes do Exército Brasileiro.

Heleno foi Comandante Militar da Amazônia na metade final da década de 2000; o atual comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas foi chefe das Forças Terrestres na área entre 2011 e 2014.

O advento do governo Bolsonaro e da gestão do general Heleno faz supor que a Força Terrestre terá uma oportunidade de perseguir antigos objetivos, como a incursão em áreas estratégicas de selva – iniciativa hoje vedada a contingentes militares, em função da política indigenista que predomina no país.

Um desses objetivos é a construção/implantação do chamado “linhão de Tucuruí”, unindo Boa Vista a Manaus.

Seu traçado, em paralelo com a BR-174 (que une as capiais amazonense e roraimense), tem previsão de se estender por 723 km – dos quais cerca de 123 km precisam atravessar a Terra Indígena Waimiri-Atroari, onde vivem cerca de 1.500 índios.

Sem o linhão, o estado de Roraima permanecerá fora do chamado Sistema Interligado Nacional (SIN), recebendo energia elétrica da Venezuela e, sempre que houver uma interrupção nesse fornecimento, de dispendiosas usinas termelétricas.

Há muitas outras questões, no contexto do relacionamento com os nativos da Amazônia, que demandam solução.

A 11 de outubro passado, uma solicitação protocolada na Justiça pelo Ministério Público Federal, pediu que o Exército seja impedido de instalar uma microcentral hidrelétrica na terra indígena do Parque do Tumucumaque, no Amapá.

A microcentral garantia o abastecimento de energia de que carece o pelotão de 45 militares situado na divisa do Brasil com o Suriname, bem dentro do Parque do Tumucumaque. Atualmente, os integrantes desse destacamento contam apenas com oito horas diárias de energia elétrica, obtida de geradores a diesel (combustível que chega até eles por via áerea).

A solução da microcentral foi imaginada sobre o funcionamento de uma usina de pequeno porte. Nesse caso, água de rio é captada e transferida a uma casa de máquinas, onde uma turbina-gerador transforma a energia hidráulica em elétrica.

Para o MPF, o projeto da microcentral poderia ser substituído por outras matrizes energéticas, como as energias solar e eólica.

Quatro anos atrás o MPF foi informado de que os militares, sem prévia consulta às comunidades indígenas, realizou “intervenções” nas vizinhanças da Aldeia Paruaka, localizada a 1.500 m do local escolhido para receber a microcentral – um local “sagrado” segundo organizações defensoras dos direitos indígenas.

Tais “intervenções” se traduziriam na abertura de ramal até o sítio da estação geradora de energia, na construção de canteiro de obra, no transporte e depósito de diversos materiais, no aterro da calha de um igarapé e no desvio desse curso d’água.

Mas em 2015, depois de serem contemplados com uma advertência do MPF, os militares paralisaram as obras.

Ano passado o MPF emitiu “recomendação” para que a Força Terrestre, além de providenciar um novo estudo técnico sobre a microcentral, avalie a utilização de fontes alternativas de energia, no caso, a captação de energia solar.

Na hipótese de o Exército adotar essa outra solução, o MPF também pede que seja realizada consulta prévia, livre e adequadamente informada aos indígenas.

O Exército, contudo, preferiu silenciar.

189 COMMENTS

    • Só faltou comentar que para que isso fosse feito o preço dos commodities estavam pelas nuvens.

      O outro fez, mais deixou para os demais pagarem assim que esse poderia fazer o mesmo e problema resolvido

    • Alex, espero que ele não faça mais negócios como o Prosub e o Gripen. O Brasil não aguentaria mais negociatas tão espúrias como estas.

    • Vc não conhece nada do que ocorre com as forças de segurança em termos de previdência (o qual sou formado e exerço profissão).

      A média de um militar das FFAAs por exemplo de trabalho semanal chega no início da carreira a até 72 horas semanais sem o pagamento de horas extras, adicional noturno, adicional de fim de semana e feriados.

      Só em se tratando disso, caso os militares venham a ser colocados no regime comum da Previdência o ROMBO será muito maior.

      Fora os militares especialistas em produtos químicos, bacteriológicos, mergulhadores, pessoal de manutenção, submarinistas, pilotos de caça e muitos outros que, caso a reforma seja feita incluindo os militares no mesmo regime previdenciário, estes terem incluídos em seus salários o adicional de periculosidade e adicional de insalubridade de função e aposentadoria mais precoce que o normal.

      Só para vc ter uma ideia, um motorista de caminhão civil se aposenta no regime de hoje com 25 anos de serviço. Esta categoria se aposenta entre 43 e 50 anos de idade.

      Então, devagar com o andor que a coisa não é do jeito que essa incompetente imprensa brasileira que mais desinforma do que informa publica e “especialistas” que sabem mais é criticar o setor militar e de segurança do que qualquer outra coisa.

      Se querem incluir os militares e outros de forças de segurança no mesmo regime, que eles tenham os mesmos direitos trabalhistas que seus congêneres civis.

      • Muitas carreiras civis também possuem situações parecidas como não pagamento de horas extras, adicional noturno, plantões e etc. E, mesmo assim, agora estão no regime geral.
        A falta dessas compensações não se traduz em aposentadoria integral. Só aqui no Brasil.
        Veja como são as aposentadorias nos EUA e Europa e trace um paralelo. Pelo que eu li, mantidas as c.n.t.p. nos EUA se aposentam com 60% do salário e na Inglaterra com 43%.

        • Errou de novo. Há leis que protegem essas profissões o que difere totalmente das Forças Armadas que não há NADA a respeito disso. Um militar que se aposenta aos 55 anos por exemplo trabalha em termos de de tempo de serviço pelo menos 20% a mais que o trabalhador civil e sem direito a nada.

          Lembrando que em tempos de manobras, treinando recrutas e tudo o mais onde passam semanas fora de casa e não recebem por isso.

          O que há é um verdadeiro preconceito canhestro e total desconhecimento da profissão.

          Vá se informar melhor antes de dizer asneiras.

          • Ótimo. Mas, isso não quer dizer que tem de ter aposentadoria integral. Esqueça isso! É insustentável. O sujeito se aposenta com 50 anos e recebe mais quarenta anos de aposentadoria integral e ainda deixa a pensão para a mulher que pode morrer com 100 anos. Chega!!!!!
            Se trabalhou 20% a mais, então coloca um teto 20% maior do que o do regime geral. E está bom demais.

      • Vocês tem direito à estabilidade, não podem ser demitidos em razão da concorrência do mercado, logo só o fato de estarem blindados do risco de desemprego já é melhor que qualquer outro benefício financeiro. Mas se dependesse de mim vocês não teriam nem esse benefício. Que falta faz um novo Collor, pois foi o único que colocou os funças na linha. Hoje a garotada só quer saber de concurso, claro ganha muito, trabalha pouco, não pode ser cobrado por produtividade e ainda tem uma penca de benefícios, e pior, às custas dos outros. Um dos maiores gastos do governo hoje é funcionalismo público. Quando eu vejo um jovem falar em concurso já sinto vontade de vomitar.

        Então se tiver reforma da previdência militar, por mais que seja diminuindo benefícios, eu vou aplaudir de pé, assim como se tiver reforma para o resto dos funças tbm.

        • Você deveria consultar melhor. Tenho irmão e conhecidos que são Servidores Públicos da União e eles trabalham e muito. Lá não tem este negócio de emendar feriado não e a cobrança é a mesma.

          Tirando a estabilidade que é relativa desde a CF 88, veja art. 37 e incisos, os benefícios são os mesmo e os vencimentos, pelos menos nas áreas técnicas são menores que no setor privado.

          Aliás, sou concurseiro ok?

          • Clap Clap Clap!!! – Perfeito!!!

            Quero ver “especialistas” de teclado, morando com familia em “vila militar” com luz apenas 8h p dia…

            Meu Pai era Dentista PQDt e em varias situacoes, os militares eram os unicos a usarem algo nos pes (coturnos) e obvio, nao estou falando de indigenas…

            Meu Pai chegava em casa, caia na cama e dormia de calça e coturno. Mas atendia a TODOS que podia! Pois era o UNICO dentista A MESES na regiao!

            Cada os “civis” voluntarios? Ninguem vai la nao?

            Antes de vir aq opinar… va fazer um trab voluntario na amazonia!!

        • Que benefícios? Vc não leu o que escrevi sobre várias especialidades que não são remunerados e no setor civil mesmo do serviço público são devidamente protegidos e remunerados? Vou postar aqui novamente:

          Resumo
          =>Os militares especialistas em produtos químicos, bacteriológicos, mergulhadores, pessoal de manutenção em navios, submarinistas, pilotos de caça e muitos outros que, caso a reforma seja feita incluindo os militares no mesmo regime previdenciário, estes devem ter incluídos em seus salários o adicional de periculosidade e adicional de insalubridade de função e aposentadoria mais precoce que o normal como o são na área civil como os caminhoneiros que se aposentam com 25 anos de serviço.

          Nem vou falar do regime de disciplina e hierarquia a que são submetidos durante toda a carreira onde qualquer desvio de caráter causa até mesmo rebaixamento de patente e expulsão do serviço público perdendo com perda até mesmo de aposentadoria. Isso existe por acaso em leis para civis?

          O fato é que há distorções que precisam serem corrigidas em TODO o serviço público.

          Engraçado que não vi ninguém aqui criticar funcionários civis que trabalham no congresso nacional onde um Técnico Gráfico chega a ganhar R$ 33 mil mensais só para citar um exemplo e não tem nem 20% da formação e estudos de um Almirante de Esquadra ganhando isso. É sobre isso as distorções.

          • Delfim, esse perdão de dívida deve ser sempre lembrado. Os banqueiros nesse país riem a toa. Para eles nunca há crise. Lucros recorde ano após ano… Empregam pouco, pagam mal à maioria dos bancários (com exceção da diretoria, é claro), não produzem nada e vivem sob proteção do estado com perdão de dívida, etc, etc…

        • Uai… Vamos conversar sobre a aposentadoria de um senador?

          De um Juiz? Bom… so sobre os juizes da um texto a parte ne? Ate o absurdo de se ele for pego em algo ilicito ele eh “afastado” com remuneracao integral!!! e nao exonerado! Sao Deuses ne?

          E os membros do MP?

          Governadores que com 2 mandatos tem aposentadoria! (absurdo!)

          Mas voce acha q a aposentadoria de quem trab 24h, 365 dias por ano, da sua vida inteira ao exercicio da profissao, meche com armamento e a vida de outros, deve ser “revisada” e eh um “fardo”??

          Quer que procure links tb sobre o que estou postando? Como vc fez?

          Se oriente!

          • Informe-se melhor. Juízes e Promotores que entram na carreira agora já estão contribuindo pelo teto do INSS. Só faltam agora militares e policiais militares, se não me engano.

        • Veja a listagem destas empresas , entenderás que a maioria fecharam por custos exorbitantes parta funcionamento no Brasil , depois , se todas pagassem hoje , seguraria o deficit por um e meio a dois anos no máximo , a seguir voltaria o deficit ainda maior , também os Estados praticamente todos estariam falidos , e tudo por conta do Serviço Público , Judiciário , Legislativo , etc , então todos deverão estar no mesmo Saco da Previdência Social , esta coisa de este ou aquele não recebe horas extras , FGTS , etc não comove ninguém , quando procuraram a carreira já conheciam as regras !

      • Lembrem-se de um detalhe….concurso..você está escolhendo e fazendo ele sabendo quais são as regras e o salário dele…o mesmo vale pro militar ou policial….o cidadão desejou ser…foi voluntário a ser militar…então sabia das regras sabia que não tem HE e etc…. então comparar concurso público e iniciativa privada deve-se lembrar disso….. são escolhas….se está ruim….troque de emprego….assim como no privado.

    • Antoniokings 5 de novembro de 2018 at 11:58

      Certamente vai tentar manter as regalias.
      Principalmente em uma eventual reforma da Previdência.

      O que você chama de “regalias”, eu chamo de direitos inerentes à carreira… quer criticar, beleza, mas começando com esse papinho de “regalias” não é a melhor forma… para seu conhecimento, o estudo que está no MD contempla aumento no tempo de serviço e instituição de contribuição mais… mas, como dizem por aí, é mais fácil dizer que a grama é sempre mais verde no vizinho…

      • Juízes e Promotores também dizem que são direitos.
        O fato é que em pouquíssimos países existe aposentadoria integral e isso é insustentável do ponto de vista atuarial.

  1. Olha, eu, enquanto cidadão, espero dele muitas coisas.
    Em relação as forças armadas, que pelo menos alguns projetos já em desenvolvimento sejam mantidos e outros iniciados.
    Precisamos de baterias de médio e longo alcance.
    Precisamos repensar imediatamente num novo MBT.
    Precisamos desenvolver outros modelos do blindado Guarani, até agora se baseou no transporte de tropas.
    Precisamos recuperar nossos meios navais. Nem vou citar, são todos.
    Precisamos de mais helicopteros Sikorsky UH-60 Black Hawk, no mínimo uns 60, necessitamos de helicopteros de grande porte, o CH-47 Chinook, seria o ideal, para iniciar umas 15 unidades.
    ……………
    ……………
    enfim, é um poço sem fim
    necessitamos de quase tudo.

  2. Não muda muito, para mudar teria de colocar os militares na reforma e o Mourão já disse que NÃO, como não tem dinheiro para tudo vai ficar como estar por enquanto.

  3. Estão colocando em Bolsonaro o mesmo otimismo na área da defesa que alguns aqui do forte colocavam em Mauricio Macri.
    No final das contas ele vai tentar colocar a casa em dia e querendo ou não o setor da defesa ficará em segundo plano, essa é minha opinião.

  4. Sinceramente, aumentar o recurso destinado a defesa não faria mal, porem oque realmente precisa ser feito é gastar esse recurso de maneira eficiente. Daria pra fazer muita coisa com o atual orçamento se tivéssemos um gasto eficiente.

  5. Acredito que investir na engenharia de construção do E.B trará bons resultados para o país….falta muita infra pra todos… tanto cívil quanto militar (principalmente na fronteira)

    Tem que priorizar as necessidades, não pode sair passando o cartão assim…que a fatura é cara

    • Se a terra é deles tem que pedir autorização deles. tenta instalar nos meus lotes sem a minha expressa autorização para ver o que eu faço com eles. Esse negócio de função social da propriedade é a maior idiotice que existe. Aliás é fascismo puro, o estado me obrigar à fazer o que não quero com a minha propriedade.

        • O lema do fascismo era “Tudo no Estado, nada contra o Estado, e nada fora do Estado.” Se eu não cumprir com a “função social da propriedade privada”, o estado pode tirá-la de mim. Ou seja, o estado é quem decide o que deve ser feito no seu pedaço de terra, não você, o dono. Se isso não for fascismo eu não sei o que é.

          • Só que você se esquece que quem deu estas terras para os índios e os permite abusar é o próprio Estado, então essas reservas não são propriedade privada dos índios, e sim terras dadas a eles de forma unilateral por governos com apoio de ONGs supostamente preocupadas com a cultura indígena.
            Então essa lógica de propriedade não se aplica, porque estas reservas não são como um terreno em uma cidade

      • “defensor da liberdade”(sic!) – (Socialista disfarçado!)

        Veja, o EB nao faz esse tipo de coisa… Nao tenho duvidas de que houve contato sim… o MPF vem sistematicamente (com seus novos membros formados em faculdades socialistas), procurando “meios” de minar qualquer iniciativa das FA.

        Vide como exemplo, uma acao do MPF em que eles foram “entrevistar” indigenas e explicaram que eles “tinham direito” a processar o Estado por abusos dos militares na “ditadura”… NA REPORTAGEM, percebe-se discaradamente que os indigenas “nem sabiam” do que se tratava e o MPF os estava “instruindo” sobre…

        MPF “recomendando” que houvesse “cotas” para negros nas FA e para deficientes tb(!)

        Mas voltando ao topico em questao: A comunidade indigena nao se beneficiaria dessa eletricidade?

        Nao precisam tb da protecao do EB ali ne?

        As favas!!!

        • “Membros do MP formados em faculdades socialistas” caramba, a criatividade desse povo é surpreendente. Se teve um mercado que cresceu nesse país foi o do nível superior privado, com gigantes como o Kroton, Anhanguera e o Laureate.

          Promotor do MPF é um concurso para lá de difícil, quem passou ralou e fez por merecer seu cargo e não tem doutrinação que facilite isso. Que meritocracia é esse em que o sujeito é reduzido à cotista? O Moro também é cotista? A equipe que investiga a Lava-Jato também é cotista? Porque os Ministério Público é o mesmo.

          O MP pode até ter sua quota de derrapadas, mas acusar os caras de comunas é querer abrir a porta para a corrupção de novo.

        • O problema é que a tal região atingida é um local sagrado que também serve como cemitério, ocorre que o EB pediu autorização ao cacique que achou dando, só que nem todo mundo da tribo aceitou.

        • Rodrigo, você é marxista por causa disso? Sérgio Moro graduou numa estadual e pós graduou numa federal ambas públicas, devo suspeitar que ele é doutrinado?

          Não era justamente disso que se acusa o PT? Considerar toda a decisão desagradável como ideológica?

          • É? Quem disse? De onde saiu isso?

            Repartição é um local cheio de conservadores. Se fosse seguir essa lógica quartel e delegacia seriam plantações de melancia

    • Para o bem ou para o mal, a posse das terras deles é garantida por lei. Da mesma forma que você não gostaria que uma estrada atravessasse o pomar do seu sítio, eles também não querem uma estrada atravessando a reserva deles. O que deve ser discutido é o tamanho e a localização dessas reservas.

      • Qualquer propriedade privada pode ser utilizada para a construção obras públicas, desde que se pague indenização.
        Por sinal a faixa de fronteira tem um regime constitucional diferenciado.
        Se não me engano, na constituição, as terras indígenas pertencem a união…

  6. Pessoal, nosso orçamento é maior que de países como Turquia e Canadá; tem algo muito errado com as finanças das forças armadas.

    • Muitos aqui opinaram sobre a previdência dos militares e coloca-los na reforma da previdência geral. Abaixo um pequeno explicativo a respeito do assunto.

      =>A média de um militar das FFAAs por exemplo de trabalho semanal chega no início da carreira a até 72 horas semanais sem o pagamento de horas extras, adicional noturno, adicional de fim de semana e feriados.

      Só em se tratando disso, caso os militares venham a ser colocados no regime comum da Previdência o ROMBO será muito maior. Explico.

      Os militares especialistas em produtos químicos, bacteriológicos, mergulhadores, pessoal de manutenção, submarinistas, pilotos de caça e muitos outros que, caso a reforma seja feita incluindo os militares no mesmo regime previdenciário, estes devem ter incluídos em seus salários o adicional de periculosidade e adicional de insalubridade de função e aposentadoria mais precoce que o normal.

      Só para terem uma ideia, um motorista de caminhão civil se aposenta no regime de hoje com 25 anos de serviço. Esta categoria se aposenta entre 43 e 50 anos de idade em sua maioria.

      Então, devagar com o andor que a coisa não é do jeito que essa incompetente imprensa brasileira que mais desinforma do que informa publica, e “especialistas” que sabem mais é criticar o setor militar e de segurança do que qualquer outra coisa.

      Se querem incluir os militares e outros das forças de segurança no mesmo regime, que eles tenham os mesmos direitos trabalhistas que seus congêneres civis.

    • Mateus,

      Comparar orçamentos de outros países com o nosso não faz sentido… Países diferentes e com prioridades diferentes, inseridos em cenários completamente distintos…

      Se se poderia repensar as dimensões das forças armadas e seu equipamento, e então readequar tudo ao orçamento, isso é uma coisa. Mas definitivamente não temos forças armadas “inchadas”, se analisarmos sua composição em relação as dimensões territoriais do País e densidade populacional.

      Francamente, até acredito que uma redução de pessoal seria praticável ( principalmente na Marinha ). Mas isso é coisa que terá efeito apenas em médio prazo. Logo, se essa for a linha adotada, o que resta é recrutar menos e pensar em equipamento que caiba no bolso.

  7. O país está falido, infelizmente.

    Antes de adequar o que é arrecadado em relação aos gastos, ao meu ver, é impossível pensar em investimentos, principalmente ao observar que há lei para gastos (x% para a saúde, y% para a educação, etc)

    O que penso que deve ser feito é aquilo que todas as empresas privadas sérias fizeram nesses últimos fatídicos anos, fazer mais com menos, enxugar pessoal, diminuir administrativo, pressionar para cada vez mais os projetos a serem executados com orçamentos menores, reavaliar os custos com gestão, investir no que traz retorno em redução de gastos, sistemas para otimizar e reduzir quadros, terceirizar o que for possível terceirizar, dividir grandes projetos em blocos para multifornecedores, etc

    Não dá para pensar na televisão 4K enquanto o telhado tá com lona!

  8. Prezados,

    Com o “caixa” que herdará, o máximo que o agora Presidente eleito poderá fazer será manter os atuais projetos. Simplesmente não haverá espaço para mais…

    PROSUB, implantação das viaturas ‘Guarani’ e a implantação dos caças Gripen NG serão as prioridades, no que tange a equipamento novo. Fora isso, será buscar retornar a operacionalidade o que estiver parado…

    De novidade mesmo, provavelmente apenas veremos ( dedos cruzados… ) a assinatura do contrato e início de construção dos vasos da classe ‘Tamandaré’…

  9. Manda uns bilhões de reais para o Marcos Pontes para desenvolver um foguete decente, o VLS é muito pequeno e estava fadado ao fracasso mesmo, e para a Embraer desenvolver um caça próprio que nem fizeram com o kc-390, para isso seria bom cancelar essa história de Gripen made in br…

    • Smoking,

      O Gripen NG já passou do ponto de não retorno… Também não dá mais tempo de esperar por outro processo e outra aeronave, e há menos tempo ainda para desenvolver uma nova aeronave ( o que é coisa para mais de década )… Agora, é Gripen NG ou ver F-5 desmontando no céu…

      No caso do VLS, no meu entender, aí entra o uso civil/comercial de Alcântara, proposto pelo futuro Min. Pontes. Quero dizer… Não creio haverem impedimentos para que os lucros dos lançamentos não sejam utilizados no desenvolvimento de um lançador.

  10. “Tem que priorizar as necessidades, não pode sair passando o cartão assim…que a fatura é cara”.

    O colega sintetizou tudo em poucas palavras. Indo lá nos EUA já daria dar uma gás nos próximos 20 anos trazendo bom material. E mantendo a prioridade hoje já estaria de bom tamanho.

    A realidade é maior que nossos sonhos.

  11. O Brasil tem outras prioridades, porém a defesa nacional é muito importante, o Bolsonaro em 2019 vai pegar um país quebrado, acho que o novo presidente vai manter os projetos na Marinha, Exército e Aeronáutica. Acho pouco provável um investimento grande nas forças armadas em 4 anos, o próprio Mourão disse que vai manter os projetos na defesa, agora o país tem prioridades na segurança, saúde, educação, trabalho, investimento em saneamento básico, várias obras que estão paradas no Brasil todo, ativar a nossa econômica e fazer a roda do crescimento girar.

  12. As “áreas áridas” de Israel não eram naturalmente áridas. Sempre foram verdes férteis até que, durante a dominação romana, as árvores foram derrubadas para fornecer madeira para a produção de máquinas de guerra.
    E de cruzes para suplício e morte de inúmeros judeus revoltosos, inclusive um que conhecemos bem, que era de família de carpinteiros. Como ser carpinteiro em um lugar sem madeira ?
    Bastou levar água de novo que verdejou.
    .
    Aliás, escuto esta estória de tecnologia hídrica israeli há uns 30, 40 anos, e ninguém ou nenhuma instituição brasileira se coçou para desenvolver algo semelhante ?
    Somos tão mentecaptos assim ?
    .
    Romanos já tinham aquedutos para levar água doce por centenas de quilômetros. E era gratuita.
    Não falta água doce para sair puxando quilômetros afora no BR.
    .
    E temos uma população concentrada no litoral. Nosso povo tem que ser distribuído.

    • Tivemos a transposição do São Francisco exatamente com esse objetivo e o povo está xingando até agora. Temos a região de Petrolina, que é líder em produção de frutas no meio de Pernambuco. Cristalina em GO tem a maior área irrigada da América Latina. Produção irrigada já é algo feito há décadas no Cerrado. A fronteira agrícola do Matopiba (MA, TO, PI, BA) não existiria se o brasileiro não soubesse de cultivo irrigado adaptado ao solo brasileiro.

      Concordo que sempre há algo mais para aprender, mas não entendi de onde saiu essa que os israelenses que vão salvar a plebe ignara brasileira e sem eles estamos condenados à destruição.

  13. Como o assunto aqui abrange a parte “aérea”, e como o doberman mordeu meu comentário lá no Aéreo, vou colocar aqui:

    “Pois a minha preocupação… é:

    – que o projeto Gripen talvez esteja atrasado;
    – que o caça efetivamente mostre, na vida real, que cumpriu e atendeu plenamente o que constava do papel;
    – que, tudo estando ok, não estará plenamente operacional pelo menos até 2024;
    – que nossos F-5M, principalmente os do lote ex agressor, logo começarão a dar baixa ou cair aos pedaços;
    – que dos 56 AMX originalmente adquiridos, hoje menos de 20 estejam combat ready;
    – que num cenário mais próximo do que se esperava, talvez a chapa esquente na vizinhança…

    Precisamos de um caça de verdade para ontem. Acredito (chute meu) que vem aí uma pequena quantidade de F-35, para ser nosso high (hi-lo). Poucas células, para um avião com hora vôo na casa dos US$ 70.000,00. Mas teriam que estar disponíveis agora. Ou, não sendo este o caminho escolhido, F-16 como tampão, by Trump ou by Judá”

    Sds

    • Gallina um F-35 seria “overkill” para a região a América do sul alguns F/A-18 Super Hornet ou F-15E (ou mais avançado) seriam mais que suficientes para enfrentar qualquer oponente na região. o próprio Gripen já é e na minha concepção a maneira mais econômica e eficiente seria aumentar as encomendas dele

    • O Gripen não está atrasado. O F-X-2 demorou, é verdade. Mas até que, uma vez lançado, andou rápido. O programa do Gripen NG está absolutamente no cronograma, pois foi definido em contrato que a primeira unidade deverá ser entregue à FAB 48 meses após a entrada em vigor do contrato, o que ocorreu no final de 2015. Portanto, 48 meses significa 2019. O pessoal está confundindo com a IOC (Initial Operational Capability), que acontecerá em 2021, quando a FAB terá 12 aviões entregues ao 1º GDA. Em 2022 serão entregues outros 9 aviões, com mais 8 em 2023 e os últimos 7 em 2024, quando também será atingida a Full Operational Capability.

    • Que gente mais amarga… Victor, Alexandre, em respeito aos que, como vcs, responderam com o cérebro e não com o fígado, faltou eu colocar algo: no meu entender, a hipótese F-35 pressupõe a desistência de algum partner no programa… Aí entraríamos nós. Apesar que, ter que encarar uma defesa aérea completa, em camadas, com avião convencional, seria complicado. O que se fala é que as defesas modernas são bastante resistentes a interferência. Não por coincidência os ataques de abril na Síria foram todos stand off…
      Agora, admito que o mais provável, dada a exiguidade de prazos, a situação da nossa frota e a calamitosa situação orçamentária, é mesmo se valer de um tampão, pagando em condições vantajosas no cartão de crédito do FMS. Para o Mansueto, o argumento já está pronto: a compra, além de facilitada via FMS, custaria uma fração de uma nova compra de Gripen, ainda que talvez não digam que o custo da hora vôo do Gripen provavelmente ficará bem menor do que a do F-16, por exemplo. Os Judeus estão vendendo os Barak, que faz um tempo foram atualizados para a versão 2020, bastante próximos dos Sufa. Mas teria que ver se Jacó vende fiado… rsrs

      Sds

      • Essa história de novo? Caça tampão? Esqueça isso. Não vamos comprar nada além do Gripen,investir tempo e dinheiro e depois comprar caças velhos! Idem para o F-35,não há hipótese alguma disso ocorrer,nem Super Hoenet. Essa conversinha de hi-lo(de novo?carai) não existe nos planejamentos da FAB. Nossa primeira linha será composta apenas de Gripen. Isto está bem claro.

  14. Será o melhor governo possível dentro das atuais limitações do país, podem ter certeza que vai sobrar muita grana que antes iria para propinas e lobby, para complementar o orçamento.

    • Se ele não arrebentar a economia nos próximos meses acabando com as exportações brasileiras para os países árabes e a China, já vou ficar satisfeito.
      Fora isso, é esperar arrasar com a vida dos trabalhadores, implantando a ideia de jerico da CTPS verde e amarela e fazendo a mais cruel reforma da previdência possível (menos para os militares, é claro).

  15. “…a aquisição do bimotor Airbus CN-235 MPA (Maritime Patrol Aircraft) – de 40 e poucos milhões de dólares a unidade…” – por esse preço de maneira nenhuma vc compra uma aeronave dessas equipada, sem falar que p/ num país c/ um imenso litoral como o nosso, ele não substituiria os P-3, seria um ótimo ganho em relação aos Bandeirulhas, mas c/ um custo muito maior.

  16. Se o governo Bolsonaro liquidar o deficit primario que ronda os R$ 140 Bi/ano, gerado por Dilma Roussef, terá feito um excelente trabalho. A partir daí dá para pensar em mais investimentos. que são necessários, nas FA.

    • É muito fácil acabar com esse déficit se a economia voltar a crescer.
      Sou contra o desgoverno anterior.
      Mas não concordo que o déficit tenha sido obra dele.
      A crise foi consequência do desgoverno mas já deveríamos ter superado a crise.

      • De boa, então você não entendeu o tamanho do buraco. A redução de PIB que houve no governo Dilma foi pior que a depressão de 1930 e só perde para os estragos do fim da ditadura nos anos 80 e demorou para se recuperar daquilo. Vamos precisar de uns bons anos de crescimento alto e sustentado para recuperar o que foi perdido. Mas se isso acontecer teremos inflação, uma economia aquecida demais também é um problema. Então não se apresse, ainda vai demorar para melhorar.

  17. Minhas prioridades, em termos de novos programas:
    .
    Aquisição gradual dos três KC-X2, com a IAI ao longo dos próximos 4 anos.
    .
    Criação de uma Joint Venture com empresas de Israel, para desenvolver um sistema de AAAe nacional, incluindo um míssil e sistemas padrão, para ser empregado nas três forças.
    .
    Terminar de uma vez o nosso DataLink…
    .
    Modernização das aeronaves da AFA e inicio de um programa para modernizar os Super Tucanos da FAB.
    .
    Compras de helicópteros de emprego geral para a MB iniciar a renovação de seus quadros.
    Novos BH para FAB e EB…
    .
    O foco principal das forças blindadas seria o programa Guarani, onde se tentaria recuperar os atrasos do programa desenvolvendo em paralelo se possível (por conta dos quadros técnicos), boa parte ou todas as versões que ainda faltam, em especial o VBR-MR 8X8. Se incluiria nesses esforços, a aquisição e nacionalização dos 4×4 blindados…
    .
    O CFN receberia um lote de um 4×4 blindado top de linha, para operações em TO quentes: https://hips.hearstapps.com/pop.h-cdn.co/assets/17/21/2560×1280/landscape-1495822778-jltv21.jpg?resize=4098:*
    .
    Sobre Lagarta, iniciariam-se duas frentes de estudo: Uma para verificar a viabilidade de um projeto para a extensão da vida útil dos Leopard 1A5, junto da KMW… Outra frente seria para trazer todo um novo Regimento de VBCCC de fora, para assegurar poder de choque e uma residual modernidade a Força. É um fôlego, para evitar a obsolência em bloco da força na metade da próxima década.
    .
    Iniciaria os estudos de viabilidade do desenvolvimento e produção de um VBCI Sobre Lagarta, que derivaria daí componentes para viabilizar o projeto de um novo VBCCC, na década de 30.
    .
    Terminaria de uma vez por todas o míssil AC que hoje está com a SIATT. Já iniciaria o programa de cópia da versão do Exocet mais importante para a MB: MAN AER.
    .
    Após o sucesso do projeto da série de morteiros, desenvolveríamos um lança granadas 40mm nacional e toda a linha de munições.
    .
    Marinha: Patrulhas… Patrulhas… Muitos Patrulhas. Mais Navios Patrulha. Um pouco mais de Navio Patrulha. Precisamos de mais Patrulhas. Fora isso, é comprar um bom NApLog e bancar as 4 Corvetas e não tem muito que fugir disso nos próximos 4 anos. Foco na Patrulha.
    .
    É o que me lembro de cabeça…
    .
    Quem sonha com F-35, novos caças que não sejam Gripen, Destroyer, ICBMs… Tá viajando.

    • Diria também pro EB literalmente passar a mão e trazer pra cá qualquer coisa dos estoques do Tio Sam via FMS. O que vier é lucro.

    • Bardini, sobre a questão dos veículos blindados sobre lagartas, vislumbro algumas dificuldades no futuro com a KMW.

      Nos últimos anos temos acompanhado fortes ingerências dos parlamentares alemães sobre as vendas de produtos militares. Você pode argumentar que somos uma democracia, uma economia de mercado, com fortes e históricos laços com a sociedade e indústria germânicas.

      No entanto, um ex-chanceler/Ministro da Defesa, iniciou uma campanha de difamação do processo eleitoral e do Estado brasileiro em terras europeias, de forma a gerar apoio a um candidato de seu partido. A iniciativa, não gerou os votos necessários. Porém, pode ter inoculado certos preconceitos em atores políticos importantes daquele continente, principalmente na Alemanha, onde a imprensa também contribuiu para vender esta mensagem.

      Isto posto, não considero esta empresa, atualmente, o melhor parceiro para um projeto de décadas.

      No mais, concordo completamente com as prioridades por ti elencadas.

      • No mesmo lugar que tu leu sobre estes malucos que querem azedar as relações entre nossos paises, coisa que não vai acontecer, você lê sobre a visita estratégoca que o embaixador alemão fez a Santa Maria…

    • “Aquisição gradual dos três KC-X2, com a IAI ao longo dos próximos 4 anos.”

      Bem lembrado, por falar nisso é lamentável que a modernização dos E-99 não contemple a implementação da capacidade de REVO, seria importante para a combinação E-99 e Gripen.

    • Um nove lote de Gripens, a aquisição dos Super Cobras via FMS, a MB conseguir comprar alguma escolta usada da Royal Navy e o EB conseguir comprar ou desenvolver um sistema AAA minimamente decente seria bônus, mas eu não conto com isso.

      • “Um nove lote de Gripens…”
        .
        Muito improvável sair um novo lote de caças até 2022… A economia vai ter que ter deslanchado e muito. Nem pagamos pelos 36 desse lote, só lançamos dívida.

  18. O Procurador da República Paulo Roberto Galvão em 2017.
    Que a corrupção no Brasil leva 200 bilhões de reais por ano. Se o novo governo for honesto e eficaz, como esperamos. Vai ter dinheiro.

    • Uma boa parte da corrupção se passa nos governos estaduais e municipais, onde o controle e acompanhamento dos projetos e gastos são pífios. Cinco mil municípios, cada um roubando um pouquinho…. imagina o montante.

      • Isso. Vote em Haddad e Manuela e ganhe uma Venezuela.
        Chapa do PT em 2022: Lula e Dilma.
        Ou Jean Willys e Maria do Rosário.
        Ou Lindberg Farias e Vanessa graziotin.

  19. Entrar aqui para ler certos comentários é bem desagradável.

    Não se sinta ofendido, mas escrever que estão: “Blindados pela estabilidade”, é algo difícil para quem é servidor público e todo o dia trabalha tanto como alguém que é da iniciativa privada, muitas vezes sem nenhuma condição de trabalho, em muitos casos ganhando menos que o seu par da iniciativa privada.

    Novamente, desculpe-me, mas “Defensor da Liberdade” o que você escreveu sobre a aposentadoria e a estabilidade dos militares, mostra também que você generaliza todos os servidores públicos civis e militares os colocando sob uma ótica negativa, desconhecendo como vivem muitos, bem como como é viver uma situação de estar sob um comando, seja militar ou policial.

    Olha entenda, hoje no Brasil existem vários tipos de servidores: A maioria ganha bem mal e passa um aperto danado para viver e servir a sociedade, dou exemplos: Uma técnica de enfermagem virando plantão em um pronto socorro lotado, insalubre e estressante; Um policial que não tem sossego nem na hora de folga pois é hoje a única carreira pública que se vacilar quando estiver dormindo pode morrer assassinado na própria cama, pois se um criminoso entrar na casa dele no meio da madrugada ele estará morto; Um agente penitenciário que passa a vida dentro de uma cadeia, imagine 30 anos dentro das celas e temendo as facções aqui fora. E nem vou falar dos militares que por exemplo tripulam a praça de máquinas de um navio, que tem que manusear explosivos em um paiol etc.

    Agora amigo você quer que estes servidores aposentem com 65 anos de idade. Espero que você nunca precise dos serviços destes servidores que você demonstrou ter digamos um certo desprezo. Espero que você em uma situação de risco de vida, não tenha que depender da destreza e agilidade de um policial operacional de 64 anos de idade ou de uma enfermeira sexagenária.

    Sinceramente põem a mão na consciência e não generalize tudo.

    • Sim e não ao mesmo tempo. Você dá exemplos de funcionários públicos que “dão a vida” e ganham pouco, e você se esqueceu de mencionar professores. Mas na carreira jurídica isto não é bem assim. Salário de juízes, promotores e procuradores (municipais,estaduais ou federais) é uma fortuna. Dezenas de auxílios. Dezenas de indenizações. Cargos administrativos do executivo também. Secretários que contratam secretários que contratam secretários, aspones. Cargos comissionados. Cargos políticos. Legislativo então, ora, nem se fala. Um parlamentar para fazer absolutamente nada ( seja nos municípios, seja no estado) dão uma despesa enorme aos cofres públicos. Enfim, se der uma enxugada onde tem que enxugar, vai. Se brecar a corrupção. Se parar de comprar votos de parlamentares, seja diretamente, seja com emendas parlamentares para fins não planejados ( e que nem sempre são efetivos) e der um pouco mais de eficiência, exigir eficiência, talvez nós tenhamos grandes obras com poucos recursos. Eu também já falei muito mal de funcionário público, mas depois que eu me lembrei de meus antigos professores, eu parei de protestar. Ao menos eles, merecem cada centavo que ganham.

      • Victor Moraes, eu sou estudante de Direito e estagiário em uma Procuradoria Regional da República, órgão de segunda instância do Ministério Público Federal, que não pretendo nomear por razões de segurança. Acho que seu comentário está eivado de desconhecimento. No gabinete onde eu trabalho, há eu, outra estagiária e a assessora do Procurador, além de um analista jurídico que ocasionalmente trabalha conosco. Além de termos que lidar com uma quantidade absurda e sobrehumana de trabalho (e olha que eu digo isso como estagiário, e nem sou o que mais trabalha. A assessora, que nos supervisiona, tem que levar trabalho para casa e já recebeu advertência da Seção de Controle de Pessoal por habitualmente ficar mais de 10 horas ininterruptas trabalhando, o que não é admitido), não é incomum que caia no nosso colo processos de alta ou altíssima complexidade. Por várias vezes eu saí da PRR tarde da noite pois o gabinete teve que passar horas e horas pesquisando e elaborando teorias novas para resolução de casos originais, ou atuando em casos com litisconsortes (isto é, pluralidade de membros no outro polo do processo). Por diversas vezes tivemos que corrigir erros de advogados pois, embora alguns sejam absolutamente brilhantes e redijam peças dignas de louvor, outros são tão ineptos que me impressiona que tenham sido aprovados no Exame da Ordem (e, veja só, são profissionais da iniciativa privada, que supostamente deveria superar o funcionalismo público em termos de produtividade e performance). Inclusive, já cansei de fazer o trabalho de advogado da parte em casos que vislumbrei que esta tinha direito, muito embora seu direito tenha sido ofuscado pela incompetência de seu patrono. Ou seja, fiz, além do meu trabalho, o trabalho de outro. E não me gabo por isso. Tudo isso que eu narrei é absolutamente normal dentro do órgão que eu integro. Tenho profundo orgulho de fazer parte dessa instituição, ainda que provisoriamente, pois sei que esses ”secretários dos secretários” aos quais você se refere com desdém são pessoas extremamente capacitadas e trabalhadoras (que, não raro, acabam passando nos concursos da Magistratura e do próprio MP). E sei também que, embora minha carga horária de estágio seja inferior quando comparada a de meus colegas de classe que estagiam em escritórios, todo santo dia eu estou lá, trabalhando, enquanto eles muitas vezes estudam nos escritórios, ociosos, pois não há clientes.

        Enfim, não tenho pretensão de esgotar o assunto nem de escrever uma ode aos órgãos públicos, pois muitos são de fato deficientes. Mas me deixa indignado ver cidadãos menosprezando uma instituição que, habitualmente, vai além de suas obrigações para defender e garantir o direito das pessoas. Ah, e com um detalhe: em troca disso, ganhamos apenas a sensação de dever cumprido, pois ao contrário da iniciativa privada, nós, ”secretários dos secretários”, não ganhamos adicional de produtividade ou nada do gênero, pelo contrário, amanhã não comparecerei ao estágio porque farei um curso de extensão na faculdade (algo que literalmente valorizará minha mão de obra) e terei que compensar nos dias seguintes, porque senão terei abatimento na minha bolsa.

        É basicamente isto. Reclame e critique se quiser, mas conte com o MP, pois se você precisar, os ”secretários dos secretários” estarão aqui, trabalhando além do horário para tentar proteger o seu direito.

    • Nossa, que caro custou mesmo hein! Nossas relações com o poderoso e fundamental aliado brasileiro, o Egito, serão prejudicadas? Tremei!

      Patético. Troco as relações brasileiras com TODOS os países árabes somente por uma relação próxima a Israel, tão somente pelos benefícios econômicos, tecnológicos e militares que teremos.

          • Escolheram comprar frangos do Brasil por alguma razão comercial que foi bom para eles. Então agora eles vão ficar dimáu e vão preferir ficar sem frangos ou comprar frangos mais caros com menores vantagens??

          • Quem está comprando compra o que quiser. Não temos nada haver com a briga deles, principalmente se for para perder dinheiro.

            Os EUA defendem a democracia, mas vê se eles vão promover a democracia lá no Reino dos Saud? Negócio é negócio.

            Os egípcios deram um recado, vejamos se o Brasil vai escutar.

          • Já que vcs estão tão preocupados com o ¨recado¨ do Egito e estão achando isso tão importante e intimidador não custa lembrar que o Egito é o segundo país que mais recebe ajuda dos EUA atrás apenas de Israel. Negócio é negócio, não!?

      • Nossa relação comercial com eles e o resto dos países árabes dá lucro. Para quê o Brasil vai assumir um prejuízo de bilhões só para agradar Trump e Netanyahu?

        Uma coisa que esse governo que ainda não entrou vai ter que aprender rápido é a pensar nas consequências antes de falar. Já arranjaram problemas para a indústria falando mal do Mercosul, agora com os exportadores do agronegócio. Vão ter que comprar uns carros de bombeiro para o Itamarati apagar tanto incêndio.

          • Quem é esse tal de PT? Aquele partido que está na oposição desde 2016 e ainda vai continuar por lá?

            Eu estou falando do próximo governo. Do que vai assumir de 2019 a 2022. O plano dele é esse? Trocar besteiras ideológicas antigas por besteiras ideológicas novas? Petismo de direita?

            Acredito que a função de governo é criar empregos e fazer os negócios funcionarem e não agradar ideologias de estimação à custa de mercados.

    • Caro foi ser chamado de “anão diplomático” devido a jacus que andaram pelo Itamaravilha soltando pérolas ideológicas por anos e envergonhando uma nação. Mas em breve vai ser chamado de Itamaraty novamente e ter gente que sabe o que faz lá.

  20. Na buena… não sou especialista, apenas leio com interesse os comentários, mas quando falam em comprar F-35, tenho vontade de dar uma gargalhada.
    Acorda meu povo… continuamos na pindaíba… se conseguirmos manter os projetos en andamento, ergam as mãos aos céus. Qq coisa diferente disto, só se a aproximação com os EUA render alguns equipamentos usados mas em bom estado a suaves prestações, via FMS.
    Neguinho tá parecendo adolescente com o cartão de crédito na mão… esquece que logo chega a conta.

  21. Pra mim;
    No caso dos alemães criarem caso, se larga mão da família Leopard e compra Abrams M1 via FMS e substitui gradativamente os MBT’s
    Produção de dezenas de navios patrulha Napa500
    Aquisição dos Cobras via FMS
    Projeto de defesa antes aérea junto a Israel
    Compra dos vetores do Kcx
    Continua o ProSub
    Continua FX2 com planejamento de novo lote de caças
    Continua e se constrói as CCT’s
    Continua projeto Guarani com a aquisição tbm dos blindados 4×4, se produz o 8×8 de reconhecimento com canhão de 105 ou 120mm além da versão do Guarani com a torre Torc 30 e uma versão com missil AC/terra ar tbm.
    Astros 2020 e uma versão para defesa ant aérea.
    Aquisição das OHP’s via FMS e devida modernização
    Projeto e construção de lanchas similares a CB-90 pra uso nos rios pelo EB

  22. Tem muita coisa rolando por aí, em termos de projeto e compras de oportunidades.Espero que não segurem o dinheiro,para gastar em outra área.

  23. Acabar com a bolsa ditadura , fiscalizar essas reservas indígenas , onde há muitas ONGs e chamar o MPF pra uma conversa séria.
    Essa transferência da embaixada brasileira para Jerusalém é furada.

  24. este é o Brasil que o PT nos legou onde os indígenas, meros usuários de terras da União, tem prjmazia dos seus caprichos cobre interesses de milhares de brasileiros e de uma região toda.

    Sobre os elementos que querem falar acerca da previdência dos militares, informem-se antes como funciona um quartel. Vou so dar um “bizú”. Expediente term hora pra começar mas nunca hora certa de terminar todo dia. Experimentem dar um a pesquisada no regime de trabalho que está no RJ hoje em dia.

    Pelos menos agora temos um presidente que não arria as calças pra Venezuela e que não acha que suas forças armadas seriam derrotadas pelo fantoche de Maduro.

    • Colombelli, acho que não temos como correr do aumento do tempo de serviço, de 30 para 35 anos, com consequente aumento da idade. É o que fizeram na Espanha. Não acho ruim nem inviável.
      Já varei a noite fazendo relatório pra enviar pra III FAE pela manhã. Cerveja e cigarro pra aguentar.

      • Rinaldo problema vai ser no EB, sargentos em fim de carreira vão ter que entulhar em algum lugar, pois não tem condições de o elemento correr com a piazada atras de blindado. Que se vá aos 35 anos e aumento, mas terão de ver lugar pra este povo.

        Eu teria uma sugestão: implementar o serviço alternativo efetivamente e por este pessoal pra comandar. Usar o serviço alternativo em obras publicas e serviços de natureza publica, propiciando profissionalização técnica para quem “serve”. Muito jovem sairia das mãos da bandidagem, aprenderia algo útil; o Estado teria uma mão de obra barata e a sociedade ganharia com obras sem rapinagem.

        • Um companheiro de turma (ex cmt do 1°/10° GAV) cursou ECEMAR na Espanha, em 2009. Estive lá nesse ano em duas oportunidades, em reunião do Projeto CL-X (C-105 Amazonas) na Airbus Military. Ele me disse que esse pessoal passava para as atividades administrativas. Mas lá tinha um problema: tomavam carona na promoção ao generalato, e ficavam enchendo o saco até a hora de ir pra reserva.

  25. Se quer investimento primeiro as forças armadas tem q deixar de ser uma previdência militar!! Dinheiro não falta mas utilizando 60%~70% dos recursos para pagar pessoal não tem verba que dê para investir!

  26. Olá. Eu espero do governo Bolsonaro, que cumpra o que prometeu para os militares. Fui militar por 9 anos, e um terceiro sargento recebia menos do que um cabo da brigada militar do RS, hoje continua a mesma coisa ou pior. Não tínhamos feriado, sol ou chuva não era impecilho , FGTS, 13° salário, aviso prévio, adicional noturno, auxilio desemprego, minha casa minha vida, todas esses benefícios que tem hoje e mesmo assim nunca reclamamos. Hoje nossas forças armadas devem ser bem equipadas, profissionalizadas e bem remuneradas.

  27. Se não há dinheiro para investir, já que o país está quebrado, se não pode e não deve se mexer na Previdência dos Militares por questões já apontadas pelos diversos foristas que escrevem aqui, só resta uma alternativa para desmontar a bomba relógio armada pela combinação de custo (crescente) de pessoal e obsolescência (também crescente) de meios que impedem nossas Forças de atuarem com a eficiência necessária: a redução e otimização de pessoal / tropas.

  28. Gallina 5 de novembro de 2018 at 14:44

    Como o assunto aqui abrange a parte “aérea”, e como o doberman mordeu meu comentário lá no Aéreo, vou colocar aqui:

    “Pois a minha preocupação… é:

    – que o projeto Gripen talvez esteja atrasado;

    Boa noite Galina. Você tocou em um ponto interessante, pois o projeto vai atrasar um ao pelo menos, se tudo der certo daqui para frente, faz parte do show.

    – que o caça efetivamente mostre, na vida real, que cumpriu e atendeu plenamente o que constava do papel;

    É a minha esperança também, mas não uma certeza, pelo menos por enquanto.

    – que, tudo estando ok, não estará plenamente operacional pelo menos até 2024;

    É bem provável que isto aconteça.

    – que nossos F-5M, principalmente os do lote ex agressor, logo começarão a dar baixa ou cair aos pedaços;

    Deve começar a dar baixa em 2019, não aconteceu antes porque células como o 56 foram postos na conserva, mas vão começar a dar baixa, pois a FAB não vai mais efetuar IRAN, então a medida que forem atingindo este nível de inspeção vão virar panela.

    – que dos 56 AMX originalmente adquiridos, hoje menos de 20 estejam combat ready;

    Muito otimismo seu aqui, divida por dois chegará no número de células operacionais.

    – que num cenário mais próximo do que se esperava, talvez a chapa esquente na vizinhança…

    Pouco provável, mas possível.

    Precisamos de um caça de verdade para ontem. Acredito (chute meu) que vem aí uma pequena quantidade de F-35, para ser nosso high (hi-lo). Poucas células, para um avião com hora voo na casa dos US$ 70.000,00. Mas teriam que estar disponíveis agora. Ou, não sendo este o caminho escolhido, F-16 como tampão, by Trump ou by Judá”

    Se houver uma nova opção, passará necessariamente pela mão da Boeing, apostaria minhas fichas no F 18.

    Sds

    G abraço

  29. Bardini 5 de novembro de 2018 at 15:49

    Minhas prioridades, em termos de novos programas:
    .
    Aquisição gradual dos três KC-X2, com a IAI ao longo dos próximos 4 anos.

    Dois vão sair, principalmente agora, com uma nova relação com o Estado de Israel.
    .
    Criação de uma Joint Venture com empresas de Israel, para desenvolver um sistema de AAAe nacional, incluindo um míssil e sistemas padrão, para ser empregado nas três forças.

    Não sei se vai rodar.
    .
    Terminar de uma vez o nosso DataLink…

    100%
    .
    Modernização das aeronaves da AFA e inicio de um programa para modernizar os Super Tucanos da FAB.

    Já definido, vai acontecer.
    .
    Compras de helicópteros de emprego geral para a MB iniciar a renovação de seus quadros.
    Novos BH para FAB e EB…

    Vai depender do que acontecer com o contrato das Kombis,na alça de mira. Pode te despedir dos Mi 35.
    .
    O foco principal das forças blindadas seria o programa Guarani, onde se tentaria recuperar os atrasos do programa desenvolvendo em paralelo se possível (por conta dos quadros técnicos), boa parte ou todas as versões que ainda faltam, em especial o VBR-MR 8X8. Se incluiria nesses esforços, a aquisição e nacionalização dos 4×4 blindados…

    Não sei, talvez falte $$$$ para tudo.
    .
    O CFN receberia um lote de um 4×4 blindado top de linha, para operações em TO quentes: https://hips.hearstapps.com/pop.h-cdn.co/assets/17/21/2560×1280/landscape-1495822778-jltv21.jpg?resize=4098:*

    Vão ganhar Humvees de graça modernizados
    .
    Sobre Lagarta, iniciariam-se duas frentes de estudo: Uma para verificar a viabilidade de um projeto para a extensão da vida útil dos Leopard 1A5, junto da KMW… Outra frente seria para trazer todo um novo Regimento de VBCCC de fora, para assegurar poder de choque e uma residual modernidade a Força. É um fôlego, para evitar a obsolência em bloco da força na metade da próxima década.

    Cara, não tem como estender a vida útil dos Leo 1A5, entrou na mesma diagonal do Búfalo na FAB.
    A segundo hipótese de um RCC com um veículo moderno ou modernizado como forma de ilha de modernizada só realizará com um a doação de M1A1 Mod “de grátis” via Visa Mastercard do tio Sam, pois não haverá $$$$ para pagar 7 ou 8 milhões de dólares por CC.
    .
    Iniciaria os estudos de viabilidade do desenvolvimento e produção de um VBCI Sobre Lagarta, que derivaria daí componentes para viabilizar o projeto de um novo VBCCC, na década de 30.

    Aposte em um vtr já existente, um projeto já existente adaptado a nossa realidade.
    .
    Terminaria de uma vez por todas o míssil AC que hoje está com a SIATT. Já iniciaria o programa de cópia da versão do Exocet mais importante para a MB: MAN AER.

    O AC eu não sei, agora o Exocet versão “Tabajara” vai sair, até porque a MB depois da Missilex descobriu o que nós, fabianos e ex já sabíamos a muito tempo:
    Em Franceses não se confia.
    .
    Após o sucesso do projeto da série de morteiros, desenvolveríamos um lança granadas 40mm nacional e toda a linha de munições.

    Não sei.
    .
    Marinha: Patrulhas… Patrulhas… Muitos Patrulhas. Mais Navios Patrulha. Um pouco mais de Navio Patrulha. Precisamos de mais Patrulhas. Fora isso, é comprar um bom NApLog e bancar as 4 Corvetas e não tem muito que fugir disso nos próximos 4 anos. Foco na Patrulha.

    Se, e tão somente se o novo Charlie Mike for o EZ, isto aí tem tudo para se concretizar. Eu não apostaria em mais Mururus.
    Adicione os dois caça minas Suecos.

    .
    É o que me lembro de cabeça…
    .
    Quem sonha com F-35, novos caças que não sejam Gripen, Destroyer, ICBMs… Tá viajando.
    Eu não seria tão tácito assim, especificamente ao que se refere ao Gripen.

  30. Na verdade, o desconhecimento de privações que nos militares sofremos dia te de toda vida servindo o país esses civis nem se quer de longe suportaria, compor exemplo e grata num navio de guerra e compor uma patrulha no Líbano e Turquia por 10 meses, longe da família fazendo em média 180 dias de mar sob uma intensa rotina a de trabalho que se executa em todo tempo que estamos no mar por 7 a 10 dias consecutivos trabalhando a toda hora do e madrugada ininterrupta são fatores que esses que se julgam injustiçado perante uma classe que eles por se proprio são incapazes de se submeter pois logo estaria na porta de seus sindicatos alegando trabalho escravo. Considerando que o militar ele e condicionado fisicamente para suportar toda essa desgastante e sacrificada rotina de trabalho considerando o eminente risco de vida sua atividade. E quanto assistimos militares de nações no primeiro mundo serem aplaudidos dentro de aeronaves de voo comercial quando são anunciados por seus comandantes e tripulação, assistimos aqui o desrespeito e a soberba de uma minoria covarde e oportunistas que só se preocupam em se dar bem sem compromisso com a nação e desconhecem o valor de soberania e patriotismo que encontramos nas grandes nações do mundo. Um país soberano e a garantia de uma sociedade livre e democratica que respeita um ordenamento jurídico perfeito de sua constituição. Somos escolhidos para.lutar por todos mesmo que custe a nossa própria vida que para uma pequena parte da sociedade desconhece o significado de ser patriota e respeitar e defender o Brasil até mesmo com sua própria vida. Assim fazemos nosso juramento. Disciplina, obediência e comportamento moral e ético são características e virtudes e orgulho do serviço militar. Por Favor se não respeita o próximo que sacrifica sua vida e sua família para cumprir com sua árdua missão de defender todos e até esses que não o respeitam, lamento dizer vc não sabe o fala muito menos conhece seu papel social dentro do mundo que foi sua própria escolha e não se frustre saiba sempre que precisar estaremos lá para servir lo e até mesmo salvar sua vida e de sua família pois sempre foi e sempre será o papel dos homens de coragem que ainda resisti a tudo para defender e proteger o nosso POVO onde exergamos o verdadeiro sentido de grandeza e patrimônio de nosso Brasil,

  31. Juarez, não me leve a mal mas agora eu fiquei curioso, você está sabendo de algo a respeito de algum possível novo caça para a FAB que não seja o Gripen, ou que seja complementar ao Gripen? Por favor não me deixe com esperanças KKK.
    Se você puder dizer o que aconteceu na Missilex a respeito dos franceses eu ficaria grato, confesso que fiquei bem curioso nessa parte, aconteceu algum problema com o Exocet no lançamento?

    • Bom dia Maurício.
      Eu não estou acrefitando a compra de nada, hoje, posso te dizer com certeza que o NG vai atrasar um ano, talvez mais.O F 5 vai aguentar!???Sem IRAN, não.
      Sobre a missilex, eu posso colocar aqui, mas seguramente vai ser apagado.
      Você e um cara inteligente. Junte as “peças”:
      A Marinha revalida e testa. MM 40 com orientação da MBDA e lança ele com cabeça de telemetria. Em seguida faz uma operação ao de lança dois MM 40 de dois navios destinos, de posições destinado contra o mesmo alvo. Ambos não Ati tem o alvo parado, sem defesas. Após isto nos começamos a ver notícia e mais notícia sobre um programa que estava a passo de tartaruga, o MAN. Está acelerada tem um motivo….
      Pense….

  32. Eu penso que devido à grave crise fiscal que o país se encontra, a nossa maior lacuna e necessidade mais urgente são as baterias antiaéreas de médio ou longo alcance, esse é sem duvidas nosso calcanhar de Aquiles, no mais, dando andamento aos gripens e ao prosub já está bom demais.

  33. 1- o Gripen NG não será atrasado pois foi financiado para ser pago até 2030 e com juros baixos. Além disso é um programa que traz compensações financeiras e tecnológicas, além do caça ter muitos componentes e estruturas que serão fabricados no país. Junto teremos lotes iniciais do misseis A-Darter , IRIS-T, e bombas guiadas a serem entregues em breve, compra já fechada.

    2 – O mesmo se aplica ao blindado Guarani que possui cerca de 300 unidades adquiridas e o lote de 2019 com cerca de 60 já está garantido. A dúvida é se um lote piloto da versão de 105mm poderá ser desenvolvido nos próximos anos.

    3- o projeto ASTROS 2020 falta pouco para ser concluído, tanto a entrega de veículos como o desenvolvimento do MTC-300 e do SS-40G deverão ser concluídos mesmo até 2020, sendo 100 mísseis a serem fabricados.

    4- os primeiros KC-390 dos 28 deverão chegar já no ano que vem, não vejo riscos.

    5- as 4 corvetas Tamandaré deverão ser fechadas a compra até o primeiro semestre do próximo ano, com um financiamento adequado, e a conclusão do MANSUP.

    De novo fica por isso. Contudo de usados creio que receberemos bons equipamentos vide os 100 M109A5/plus , 40 blindados remuniciadores, 46 M-113A2/comando, e 4 blindados de resgate que já fechamos via FMS. Deverão vir ainda os obuses M198 e M119, e creio nos 12 helicópteros de ataque Viper , além de até 120 Leopard 1A5 adicionais. Modernização dos 14 AMX e 7 A-4 previstos, e de todos M-113 do EB, talvez dos SK-105 dos fuzileiros também.

    Se fosse palpitar, acredito em 12 caças F-16C block 50/52 para Manaus a fim de marcar posição frente a Venezuela na região de forma dissuasoria e de lotes de Black Hawk para EB e FAB, uns 20 no total ao menos(parceria com Trump), e drones , inclusive para PM do Rio, e uma acelerada no Sisfrom. Mais mísseis IGLA e RBS-70.

      • Devido ao custo de manutenção e já termos a KMW em Santa Maria quase certo que serão mais Leopard 1A5 padronizando os MBT. Outra possibilidade é introduzir o Leopard 2 A4 em alguns regimentos e deslocar o 1A5 deles para os RCB no lugar do 1A1. Mas temos muito mais urgência em comprar as 4 Tamandaré e um lote de 4-5 fragatas usadas de meia vida lá fora.

  34. Bem como o futuro presidente disse sobre previdência será gradual. Os militares sempre ganharam mal. Cursos e mais cursos( temos médicos, advogados, professores… fora cursos de graduação e pós em áreas de engenharia. Na área operacional: selva, paraquedismo, mecânica, uma infinidade de cursos que o militar faz ao longo dos seus trinta ou mais anos. Um general ganhando menos do que um coronel da PM. caros colegas querem um bom trabalho em construir estradas pela metade do preço de uma empresa privada, chamem a engenharia militar( os militares não ganham horas extras nem adicional noturno)as transformações ocorrerão. Os novos oficiais e praças deverão ser na sua maioria temporários e isto senão me engano está previsto. fui militar e fiquei seis anos. devo muito ao EB. minhas horas fora de plantão era estudando e atualmente sou servidor público estadual e municipal. fiz concurso há trinta anos comecei com cinco salários e finalizo com dois em cada matrícula,. desconto 15 por cento, não tenho reajuste a não sei quantos anos e não terei pelos próximos 20. Reclamar? Sou servidor, meu trabalho é servir a sociedade da melhor maneira possível. ganhei dois infartos e continuo trabalhando e procuro um novo pois me foi ensinado a não ficar parado. tenho de fazer algum curso, porém requer dinheiro, mas farei. por favor caros colegas os senhores não sabem o que é ser militar ou funcionário civil que trabalha para o Executivo.de tempos em tempos ser remanejado de uma região para outra. viverem em PNR e muitos quando se aposentam se conseguem uma casa própria , um custo. Tudo conta no bolso e para que? para defender a nós que estamos em casa numa ótima discutindo se é válido ou não o sujeito se aposentar com dignidade. não me aposento por que não quero porque não posso mesmo com trinta anos de serviço e quer saber não desejo me aposentar pois enquanto puder servir as pessoas e vê-las realizadas profissionalmente não ficarei sossegado. é um prazer maravilhoso ver um aluno vencer. pensem antes de criticarem Há colegas que são militares que alfabetizam , instruem, assistem pessoas doentes, constroem casas, protegem nossas vidas nas cidades e principalmente nestes rincões que só o senhor Deus sabe onde ficam. abraços a todos.

    • Estimo que melhore. Infelizmente meu caro, há casos e casos de servidores públicos, o seu caso e o dos abastados que recebem fortunas, acumulando mais de uma renda. Professor normalmente fica mais tempo com os alunos que muitos pais, deveriam ser respeitados, honrados e remunerados dado a sua importância. abraços

  35. Havendo $$$, sem reinventar a roda, tocaria todos os projetos atuais em quantidade máxima. Ex. 108 F-39, 12 CCT, etc.
    Depois pensaria em coisas novas, como um novo MBT, defesa antiaérea, helis pesados, etc.
    Só reveria o Fz IA2, que tem sido questionado dentro e fora dss FAs e Polícias.

  36. Acredito que seria importante uma reestruturação das forças armadas para reduzir efetivo.
    É melhor forças menores com bons equipamentos do que enormes efetivos sem armamentos.
    Pelo tamanho do nosso país, deveríamos já ter, atualmente, no mínimo uns 30 caças de primeira linha como Rafale, F15 ou F 16 armados com radares e mísseis de primeira linha.
    Deveríamos ter no mínimo umas quatro fragatas e umas quatro corvetas de primeira linha.
    Deveríamos ter mísseis de defesa antiaérea de médio e longo alcance, inclusive contra mísseis balísticos.
    Quanto a questão da previdência, na minha opinião, deveria ser feita de forma a não prejudicar, de forma significativa, nenhuma categoria.
    Os servidores públicos já estão num regime de transição da aposentadoria integral para o regime geral. Toda transição gera um déficit enquanto está sendo implementada.
    Algumas sugestões, caso eu não esteja por fora, seriam:
    Implementar idade mínima para o regime geral caso ainda não exista. Pelo menos uns 54 anos para mulher e 58 para homens. Deveriam implementar um incentivo para quem pudesse e quisesse continuar trabalhando. Tipo parar de pagar contribuição e ainda receber 10% do valor do salário como complemento (o problema, é que diferente do servidor público, na iniciativa privada, o trabalhador pode se aposentar e continuar trabalhando e ter duas rendas. Portanto, esses benefícios não seriam tão atraentes).
    Atualmente, o tempo mínimo de contribuição é de 15 anos na iniciativa privada é de 15 anos. Temer quis passar para 25. Poderiam colocar em 18 anos.
    O servidor público, exceto para aqueles que estão em algum regime de transição, pagando pedágio, a idade mínima é de 55 e 60 anos, com 30 e 35 anos de serviço, respectivamente, para mulheres e homens.
    Já é uma idade mínima razoável.
    Se for para aumentar essa idade, eu aumentaria para 57 e 61, reduzindo a diferença entre homens e mulheres.
    Deixaria algumas categorias, como professores de ensino fundamental, policiais e militares, com uma idade ligeiramente mais baixa, tipo 53 e 57 para mulheres e homens.
    No caso dos militares, ao completar 50 anos, eu ofereceria duas opções: ir para o serviço administrativo ou cedido para outros órgãos, ou se licenciar caso consiga ter uma atividade na iniciativa privada (piloto de aeronaves, segurança privada, etc) e, quando completasse a idade mínima, poderia entrar para a reserva remunerada.
    Em qualquer caso, poderiam ser oferecidos benefícios a quem, caso já completado o tempo mínimo e a idade mínima, aceitasse postergar sua aposentadoria.
    Poderia ser não pagar a previdência ou receber algum bônus permanência. Tipo se pagar 10% a mais, o governo estará deixando de pagar 100% a um novo servidor.

    • Primeiro vamos reduzir os efetivos do funcionalismo público, os comi$$ionados, cargos de confiança etc. esses sim cuja produtividade pode ser medida é provada como ineficiente, idesnecessaria e super dimensionada, haja visto as filas no SUS, nos bancos publucos, nos serviços pré-datados em geral pelo Estado para a sociedade. Após se privatizarem TODOS. Os bancos públicos e autarquias e comi$$ionados poederemos estudar o caso das FFAA, as quais claramente tem efetivo incompatível com as riquezas brasileiras que defendem

      • Discordo. A Marinha mal tem navios e tem que efetivo?
        E o exército?
        Homens demais, armamentos de menos.
        De nada adianta efetivos sem bons equipamentos.
        Acredito que há muita burocracia.
        Militares demais, que demandam médicos demais, enfermeiros demais, pessoal administrativo demais.
        Se não me engano, a Austrália, com o mesmo território e numa região mais complicada tem efetivo bem menor.

  37. Se ele quitar em 4 anos o prosub. Iniciar o prosuper. Quitar os 3500 guaranis encomendados. Iniciar os 8×8. Quitar os Gripen. E encomendar o segundo lote de 36 Gripen. Lançar um foguete com tecnologia nacional com um astronauta dentro.
    Se ele fizer isto daqui a 4 anos então voto nele.
    Menos do que isso é o que todos fizeram.

  38. Estimo que melhore. Infelizmente meu caro, há casos e casos de servidores públicos, o seu caso e o dos abastados que recebem fortunas, acumulando mais de uma renda. Professor normalmente fica mais tempo com os alunos que muitos pais, deveriam ser respeitados, honrados e remunerados dado a sua importância. abraços

    • Isto , concordo, mas desde que sejam professores mesmo e não doutrinadores ideológicos e partidários, como a professora de matemática de meu filho que passa todos os primeiros horários falando das maravilhas do PT o que nestas eleições gerou tumulto devido a ter eleitores de Bolsonaro na sala.

    • Desde que façam por merecer a honra no bem ,e devidamente, cumprir sua missão a qual é louvável e deve ser devidamente valorizada e remunerada. Mas há muitos desqualificados oportunistas e seguidores de cartilhas sindicalistas no meio infelizmente e muitas vezes sem o mínimo necessário para a função.

  39. Bolsonaro deveria se aproximar da França e fazer a seguinte lista:

    220 – AMX-56 Leclerc
    44 – Dassault Rafale C
    12 – Dassault Rafale B
    30 – Helicóptero de Ataque Tiger
    6 – Fragatas Chevalier Paul ou Surcouf

    • Meu amigo, se o governo do Lulla, claramente francófilo, não chegou nem perto disto, agora é que não vem nada francês para cá mesmo. Aliás, tenho a impressão que vamos é nos afastar dos equipamentos franceses. Acredito que vamos nos equipar com os americanos e fazer o upgrade com os brimos.

    • 220?
      Com motorização alemã ou aquela “distrófica” a-la french?
      Vamos pedir re-ativar a fabrica ou Nexter terá um financiamento NOSSO para construir uma nova? De onde vão surgir essas 220 unidades? A que custo? Para que?
      Diagnose: Helmann’s total.Provavelmente de cerebro.

  40. Não podemos esquecer a Amazônia Azul a Marinha tem contingenciada os seus direitos aos royalties do petróleo que não foram utilizados pela Força desde 1996 e que ela tem direito.

  41. Desde 1985 quando o Sarney assumiu o governo os militares foram marginalizados em nome da democracia. O que vemos é esse amontoado de corruptos depredando a nação. E ainda falam que eram todos a favor da liberdade . Isto é uma vergonha.

  42. Juarez 5 de novembro de 2018 at 21:39

    Salve Juarez ! Que assim seja ! Não existem legacy Hornet disponíveis. Talvez num futuro próximo, os do Kuwait. Os Marines estavam procurado peças até em museu. Aí recentemente a Navy transferiu toda a frota para eles.
    E Super Hornet teria que ver se há algum esquadrão grounded. Hoje acho que não tem. Teríamos que comprar novos via FMS. O bom é que já existe uma encomenda, de 110 salvo engano, e eles poderiam nos dar a preferência.
    Agora, vamos falar a verdade… entre F-18 e F-15, a tentação de pegar o F-15 é grande. A Boeing está oferecendo a versão X, baseada na vendida ao Qatar, para substituir o C que ainda voa na USAF (principalmente na ANG). Parece que os Judeus comprarão um esquadrão. O x da questão, com o perdão do trocadilho, é o custo da hora vôo. A Boeing promete uma hora vôo mais em conta para o F-15X. Mas difícil que, mesmo assim, não seja pelo menos o dobro da do F-18, o qual foi pensado desde o início para ter custo de operação barato. Hoje parece que fica perto do custo do F-16, que é monoturbina.
    O fato é que na primeira declaração de D. Trump, o assunto defesa foi expressamente mencionado. Não é pouco. Boeing/Embraer, Alcântara… vem coisa grande por aí.

    Saludos !

  43. Senhores,
    Todos aqui sabem que se descortina no horizonte um quadro de fortes restrições orçamentárias.
    Onde, o governo eleito enfrentará uma oposição ferrenha, “como nunca antes na história desse pais.”
    Não espero muita coisa diante da nossa realidade.
    O que podemos esperar, é um esforço para se aumentar a cadência dos programas já existentes.

    Vou me ater a Força Terrestre.
    Para o EB, se conseguirmos em 04 anos no âmbito da BID com parcerias internacionais:

    * 600 VBTP SR 6×6, tendo em vista que a cadência de produção da IVECO pode atingir 200 viaturas por ano, mas que na verdade, foi programada para ter uma taxa de 100 unidades entregues ao EB anualmente. E hoje oscila entre 40 a 60 Guaranis, entregues anualmente a Força Terrestre.
    Dar início a construção de uma VBR SR 8X8 com canhão105mm ou 120mm.
    * Se concluirmos a aquisição das 186 VBMT-SR 4X4, onde a IVECO, após uma concorrência, se sagrou vencedora, em Abril de 2016 com o seu LMV. (Existe material melhor no mercado)
    O programa de obtenção está dividido em três lotes.
    O primeiro de 32 viaturas e os outros dois de 77 VBMT.
    Atualmente o programa se encontra parado, aguardando aportes financeiros para dar início as primeiras entregas.
    O EB está adquirindo “emergêncialmente”16 LMV de segunda mão dos estoques do exército italiano para serem empregados nas operações no RJ.
    * Se for adquirido um novo lote de MTR P 120mm M2, para mobiliar os pelotões de MTR P dos batalhões e regimentos. Que depois da baixa dos vetustos M30 e F1, estão operando em sua grande maioria com o MTR M 81mm.
    * Um lote adicional de MTR 81 e 60 mm.
    * A conclusão do míssil AC e aquisição de um novo lote do ALAC.
    * O desenvolvimento de uma versão AAe do ASTROS
    Aquisição de radares M60 e M200.
    * Aperfeiçoamento e aquisição de novos lotes do IA2.

    Como compras diretas, no mercado Internacional:

    * Um novo lote de CSR 84MM e de metralhadoras 12,7mm.
    * A implementação de um lança granadas de 40mm.
    * Novos lotes do RBS 70 e do Igla.
    * Um novo sistema de AAAe de média altura.
    * Aquisição de materiais de tubo para AAAe.
    * 72 peças do L118
    * Aquisição dos direitos de fabricação da FN minimi 5,56mm

    Não adianta bater o pezinho, fazer carinha de menino malcriado e começar a chorar, Merthiolate vai voltar a arder! O restante virá via FMS:

    * 120 M198 num primeiro lote, e posteriormente mais 60 peças. O calibre 155mm vai predominar no EB, e o M198 vai ser a nossa melhor alternativa.
    * 200 M577 nas versões originais ou convertidos em ambulância.
    * Mais 14 M88 adicionais, aos 10 que estamos adquirindo (04 que chegaram e 06 que estão a caminho).
    * um novo lote de 40 M992A2 totalizando 80 unidades se forem somadas as 40 viaturas recentemente adquiridas.
    * algumas centenas do HUMVEES.
    * 100 OSHKOSH MEET M 984
    * 380 VBCCC M1A1
    * 16 Chinook.
    * 16 Black Hawk
    * 16 AH-1W

    Um grande abraço a todos!

  44. Devido ao custo de manutenção e já termos a KMW em Santa Maria quase certo que serão mais Leopard 1A5 padronizando os MBT. Outra possibilidade é introduzir o Leopard 2 A4 em alguns regimentos e deslocar o 1A5 deles para os RCB no lugar do 1A1. Mas temos muito mais urgência em comprar as 4 Tamandaré e um lote de 4-5 fragatas usadas de meia vida lá fora.

  45. Bolsonaro não vai Fazer nada pelas FAs ou o Brasil, vai fazer como o Pres. da Argentina e enrolar botando a culpa nos governos Anteriores, depois de enrolar 4 anos o Bolsonaro vai pedir mais 4 pois depois de 13 anos de PT é difícil arrumar o Brasil, e vai ter iludido apoiando.

    • Discordo, até porquê para fazer alguma coisa pelas FFAA nao precisa de muito, basta não atrapalhar….desde a “redemocratização” mais sobretudo na era PT, sempre que precisou cortar alguma coisa, foi sempre iniciado pelas FFAA. Contudo as forças precisam também ajudar, inconcebível o que se gasta apenas com pessoal, capacitar mais com menos é preciso.

    • F-18,F-35, Chinook,Cobras,Blackhawk,submarinos,destróier,M-1Abrams…
      Esses caras sonham alto Walfrido. Mas já temos notícias vindas do polo norte,Papai Noel já está terceirizando e contratou uma empresa operadora de trenós para tentar agilizar a entrega de tantos equipamentos. Inclusive,consta que,se as entregas continuarem após maio/junho de 19,o Coelhinho da Páscoa vai se juntar ao esforço nas entregas ao Brasil!

  46. Interessante se conseguissem recursos para dar continuidade aos programas em curso, ajudaria bastante…do tio Sam, ainda vejo na aquisição de M1A1 Abrams usados e remotorizados via FMS uma boa alternativa aos cansados Leo 1A1/A5/M-60A3…Leo 1A5 adicionais no mercado está complicado e aguardar Leo 2A4s disponíveis vai demorar…

  47. Pessoal , não viagem na maionese. Não vai chover recursos no proximo governo, Devemos nos dar por contentes se se der continuidade ao que está em curso e se alguma coisa vier via FMS. Não adiante sonhar alto que ai vira devaneio como nos tempos do presidiário. Na AL podemos dizer que somos os que estão com maior quantidade de programas em curso.

    • Caro Colombelli,
      Gostei de algumas ponderações feitas neste tópico.
      Mas concordo plenamente com suas colocações.
      Se conseguirmos dar continuidade aos projetos em andamento ou em planejamento adiantado, já será uma grande conquista.
      Fora o FMS, onde a grande maioria dos equipamentos vem dos estoques americanos, e com um bom preço e parcelamento.
      Acrescento apenas algumas aquisições pontuais da baixos e médios custos, mas com alto valor bélico agregadas.
      Como exemplo:
      * CSR 84mm.
      * Metralhadoras .50 M3.
      * A implementação de um lança granadas de 40mm.
      * Novos lotes do RBS 70 e do Igla.
      * Um novo sistema de AAAe de média altura.
      * Aquisição de materiais de tubo para AAAe.
      * 72 peças do L118
      * Aquisição dos direitos de fabricação da FN minimi 5,56mm
      Com certeza o sistema AAAe de média altura seja o mais dispendioso, mas na minha opinião o “artilheiro” que vai assumir a presidência, vai resolver essa questão.
      Você não faz idéia de quanto eu sonho combina renovação da nossa artilharia!
      A você, discípulo de Sampaio, um forte abraço!

  48. “organizações defensoras dos direitos indígenas” leia-se agências de espionagem estrangeiras (principalmente americanas e europeias) travestidas de ONGs que prospectando recursos estratégicos (ouro, urânio, nióbio, etc) e biopirataria pra a indústria farmacêutica mundias. Não querem o progresso na região para seja mais fácil surrupia-la no futuro…O coronel Hélio Fregapanni escreve vários livros alertando sobre o assunto. Tá na hora de mostrar quem manda… abraço

  49. Não tem dinheiro para todas essas armas não. Se em 4 anos de Bolsonaro vierem:
    500 Guaranis,
    50% do efetivo com IA2,
    Fn minimi
    AA reforçada com mais 50 Rbs-70 e 50 Iglas
    20 Saber m-60 e 10 m-200
    1500 peças do alac
    Entregas do mss1. 2 para várias unidades
    Astros 2020 com mtc-300
    meia dúzia de Chinook via FMS
    Artilharia atualizada com m-198 howitzer
    Contratos das tamandares
    Gripen e kc-390
    Mansup operacional
    Entrega do Riachuelo e batismo do outro sub

    Já está ótimo

  50. Quando entra poder muda tudo tem muitas regras a seguir , ate aprovar receita compra matéria novo vai esta chegando final do mandatos o máximos vamos receber e Abram M1 super Cobrar 10 navios usados e F18 doado pelos Estados Unidos .dinheiro da receita só tem pagar salários pensões .prefeitos e govenadores bate porta dinheiro além greves protestos governo vai enfrenta também possível conflito Venezuela causar falência do governo em questão meses .promoter fácil ate libera recurso para quarteis vai demora muito .povo esta falido o Brasil esta falido como fala estamos iguais Venezuela tempos muitos produtos povo brasileiro não tem dinheiro e os venezuelano tem muito dinheiro não tem produtos comprar se vir material para defesa só doado mesmo

  51. Silvio, AA, será um item mais difícil dada a situação financeira. O que pode acontecer é a compra de um sistema usado de oportunidade.
    Sei que a SAAB andou “falando” sobre os Bamse, após sua substituição por lá.

    • Nobre Juarez,
      Como falei acima, o sistema AAAe será o mais dispendioso da minha listinha para o EB.
      E tenho a mesma opinião que você, AAAe será um dos mais difíceis, dada conjuntura financeira.
      Mas eu acredito que o próximo governo vai preencher essa lacuna, com alguma compra de oportunidade.
      Seu palpite sobre o Banse, me parece bem fundamentado.
      Embora eu pessoalmente tenha esperanças que Israel nos forneçam o Spyder com boas vantagens.

      Forte abraço!

  52. Sr Saldanha da Gama sinto-me congratulado. Gostaria de informar a certos comentaristas que atoda profissão existem os profissionais e os oportunistas. Sou o professor não um professor. faz muita diferença. Tenho minha visão política que é totalmente contra qualquer tipo de patrulhamento ideológico. Mantenho minha imparcialidade. Leciono não dou aulas pois aulas qualquer um pode dar. Lecionar fica para àqueles que querem formar alunos para serem cidadãos decentes e não meros robôs(força de trabalho barata e subserviente ao viés ideológico). professar conhecimento. Leitura e mais leituras, primeiras contas, uma Geografia que mostre o mundo através de mapas, uma história que inicie com História antiga e finalize com a contemporânea mais Biologia, Química, Física, educação Física . Se algum colega não professa corretamente sua profissão este não merece ser chamado de professor, da mesma forma que procuradores, militares, médicos, advogados e muitos que também são oportunistas e possuem visão distorcida da realidade. agora não posso jamais desrespeitar um profissional por ter uma clara visão à esquerda ou á direita. da mesma forma que desejo ser respeitado. Se a professora de matemática não trabalha a devida disciplina cabe à direção tomar providências. É fácil criticar no todo, generalizar( isto também já o fiz e me arrependo) Sou e continuarei sendo o Professor e não mais que um se formou para pregar besteiróis. Já notaram que adoro o site? Tudo que os senhores comentam serve de estudo, de pesquisa, de conhecimento. Abraços a todos. ao Sr. Saldanha reitero apreço. Por isso continuo atuando, leio…

  53. Renato não é defendendo Dilma ,mas vamos aõs fatos quando dilma saiu no ano o déficit foi de 70bilhões,no final do ano já no governo Temer foi de 110 Bilhões de dólares, aquela turma que ia consertar meirrelles e CIA,neste último ano será de 139 bilhões.O que eu quero dizer com isto é que a crise sim começou no governo dela mas com dois anos pro temer consertar ele aprofundou ela,isto de herança maldita não cola muito.Claro que teve cortes de verbas nas forças armadas começou com levi cortando tudo e engavetando projeto,e acabou com meirrelles.Num governo Bolsonaro Paulo guedes creio de a prioridade é diminuir o déficit,e dificilmente os Militares terão comprar de armamentos a não ser via FMS e deve acontecer.Não vejo que apessar de um candidato ser simpático a causar militares ,terá que encarrar os números da nossa economia.

  54. Paulotd isto que você quer já esta tratado é não é muita coisa não;fala em só 50 igla.30rbs.só a tipo de comparação a pobre e faminta Venezuela tem 5000 iglas.Falo a vc que Bolsonaro através do seu economista Paulo guedes que é um corta tudo vai concentrar em diminuir os gastos que temer vai entregar 139 bilhões de dólares.Só vejo chances no FMS através dos helicópteros cobras ,obuseiros m-109 sherpas, e aqueles projetos que já estão encaminhados,seria irresponsabilidade de um governo fazer grandes compra de material de guerra numa crise.Quando falei da Venezuela e que maduro compra bilhões de dólares de equipamentos é o povo na miséria,o líder da coreia também faz isto.Não podemos exigir do nosso presidente comprar muito material militar numa crise é no déficit que o Brasil se encontra,temos que nos conter e os oficiais generais tem que ter ciência disto é compreender que as vacas estão magras elas tem que engordar primeiro.

  55. O Momento não é do que deveríamos ter e sim de planejamento a médio 5 a 10 anos e a longo prazo 10 a 30 anos na Defesa com parcerias e desenvolvimento nacional o que for adquirido serve neste momento visto que ainda não temos problemas diplomáticos que sinalizem invasão armada a não ser de narcotraficantes em que as forças armadas e policiais podem solucionar como já fizeram outras vezes.

  56. Com a ida do Gen. Augusto Heleno para o GSI, tô sentindo que o Ministério da Defesa será ocupado por um Almirante, talvez o próprio atual Comandante da Marinha. Ou eu estou viajando na maionese?

      • Eu acredito que a modernização de processos e de estrutura quero MD precisa para realmente comandar as forças só virá quando um civil com disposição e conhecimento na área assumir o comando.

        Nomes das empresas, fundações e outras instituições que já atuam conjuntamente com a defesa tem conhecimento, e seria interessante até alguém pra enxugar é racionalizar os processos, para realmente o EMCFA atuar como órgão de planejamento e emprego das forças e as forças singulares como órgãos de preparo, para que um dia realmente atuem de forma conjunta.

  57. Os índios tb são brasileiros e merecem serem protegidos, exercito que eu saiba não faz garimpo, nem desmata, nem explora jazidas minerais, tem que por sim o EB na Amazônia toda e com conforto para a tropa e presença garantida sempre, chega de mimimi de canhoto…..nossas forças devem estar presentes aonde elas achem que devem estar, nada de instituições e ongs meter o bedelho onde não conhecem e chega de proteção canhota aos amigos do ex-rex.

  58. O que temos em curso

    No EB:
    -ALAC ( previsão de implementação, e carece umas 2500 unidades, factível)
    – modernização da artilharia de tubo (os M-198 e L118 ou M119, factível e encaminhada). Serão os 120 e talvez algo entre 24 e 36 unidades.
    – Sherpas (factivel e encaminhado)
    – ampliação da artilharia AA. A de curso alcance carece no mínimo de 70 lançadores RBS e 250 iglas. Tem metade disso. Mas é factivel. A de médio alcance não é prioridade e é um pouco cara.
    – Guarani: indo de vagar, bem aquém do previsto.
    -IA2: indo de vagar. É barato e factível ampliar.
    -Leo 1a5 suplementares para fechar os RCB: factivel. Precisa 108 carros.
    – Astros 2020: se aproximando do fim
    – Missil de cruziero, em bom andamento e factível.
    – Minimi: indo de vagar. Barato e factível.
    – Modernização dos helicopteros ja existentes: indo de vagar. Corre risco de atrasar
    – aquisição da Kombi: indo conforme previsto.

    Eu acresceria um lote do Carl Gustav. tem 120. Precisa ter ao menos 360. Barato e fácil. ótimo custo benefício. Outra prioridade seria melhoria do Pelotões de fronteira e instalação de outros 04, com especial enfase na amazonia oriental. O que poderiam ser boas surpresas? os cobras, alguns Chinooks e cancelar o Mss substituindo por algo como o Spike ou Kornet.

    Marinha:
    – Submarinos, indo dentro do esperado e factível continuar.
    – Corvetas, grande prioridade, em andamento razoável.
    – Caça minas: pelo jeito vai se alinhar e não será tão caro.
    – navio de patrulha: boas perspectivas com recursos recentemente aprovados e vinculados.
    – Mansup, aparentemente indo conforme esperado.
    – Kombis: indo conforme esperado.

    O que poderá surpreender? quem sabe aquisição de escoltas usadas.

    FAB:
    – KC 390: indo conforme esperado
    – Gripen: indo conforme esperado
    – Modernização do AMX: periclitante e demandando atenção
    – Kombis: indo conforme o esperado.
    O que eu acresceria barato e fácil? ampliação da AA de autodefesa com incorporação do RBS 70 padronizando com o EB. O que pode vir de surpresa? mais BH. O que seria interessante? mais dois hermes 450 e um 950.

    Acho que a maior deficiência está na modernização do AMX e no ritmo do guarani e do IA2. O resto vai andando mais ou menos, e como diz uma musica daqui “tando mais ou menos, ta louco de bom”. O importante é a continuidade

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here