Home Noticiário Internacional Por que a crise na Venezuela interessa tanto países como Rússia, China...

Por que a crise na Venezuela interessa tanto países como Rússia, China e Turquia?

3732
56

(Stefania Gozzer – BBC News Mundo, 24) A Venezuela de Nicolás Maduro (e antes disso, a de Hugo Chávez) é um assunto polêmico inevitável em debates eleitorais de nações tão diferentes quanto Espanha e Irã.

As notícias sobre a Venezuela ganham destaque em países muito além da América Latina. Seja no alfabeto latino, cirílico ou persa, o país sul-americano desperta interesse em todo o planeta – mesmo em Estados com os quais a Venezuela não tem laços históricos ou comerciais.

Provoca divisão, inclusive, entre parceiros políticos. Foi o que ocorreu com o Movimento 5 Estrelas e La Liga, que governam juntos a Itália, mas têm posições opostas em relação à legitimidade de Maduro como líder do Executivo – por isso, os grupos decidiram não reconhecer nem Maduro nem Juan Guaidó como presidentes da Venezuela.

Acima de tudo, a Venezuela mantém em compasso de espera as nações que não têm boas relações com os Estados Unidos.

Mas o que há de tão especial na Venezuela que atrai a atenção de tantos países?

China de olho nos seus investimentos

A razão da China para acompanhar de perto o que acontece na Venezuela tem 11 números.

O país asiático é o maior credor de Caracas. Enquanto o resto dos agentes econômicos duvidava cada vez mais da capacidade do país sul-americano de saldar suas dívidas, Pequim emprestou mais de US$ 50 bilhões para a Venezuela (alguns analistas estimam que o valor seja ainda maior, na ordem de US$ 67 bilhões).

Acredita-se que boa parte desse empréstimo já tenha sido paga pelo país sul-americano. Segundo Carlos de Sousa, especialista na América Latina da empresa de análise e previsão econômica Oxford Economics, ainda faltaria pagar pelo menos cerca de US$ 16 bilhões.

Foi justamente essa falta de transparência que fez com que a opinião pública chinesa ficasse desconfiada dos investimentos feitos na Venezuela.

Vincent Ni, analista da BBC para a China, explicou à BBC World que o governo “geralmente é muito aberto” em relação a seus investimentos no exterior. Então, o fato da China não “querer revelar quanto emprestou à Venezuela diz muito”.

Diante da censura a que está submetida a população chinesa, é preciso recorrer à internet para saber o que os chineses pensam sobre esse tema. “Basicamente, (os chineses) dizem que a China ainda é um país em desenvolvimento e que há muitas pessoas vivendo na pobreza. (Assim, como pode) estar dando tanto dinheiro a outros países?”, disse Ni. O especialista ressaltou, porém, que é difícil saber o quão representativos são comentários anônimos na internet com esse teor.

Mas a decisão chinesa de investir na Venezuela é estratégica. “(A China) sempre teve uma visão de longo prazo em relação à Venezuela: sendo este o país com as maiores reservas de petróleo do mundo, fazia sentido investir ali como uma forma de garantir uma fonte de petróleo, (produto) que é necessário para seu crescimento”, disse Carlos de Sousa, da Oxford Economics.

Russ Dallen, um dos sócios do banco de investimentos Caracas Capital Markets, disse ao canal americano CNBC que os chineses temiam que a oposição venezuelana não reconhecesse as dívidas contraídas pelo país durante os anos de Hugo Chávez – ou então que encontrariam “brechas legais” para não honrar com os pagamentos.

“Os chineses não sabem o que fazer. Os homens de Maduro não estão pagando… e a situação continua se deteriorando”, disse Dallen.

Porém, Guaidó já tentou dissipar as dúvidas e os receios chineses. “Nosso governo vai agir com respeito às leis e às obrigações internacionais (da Venezuela)”, disse Guaidó em entrevista ao jornal chinês South China Morning Post, no início de fevereiro. “Todos os acordos que foram assinados com a China de acordo com a lei serão respeitados.”

Pequim, por ora, já demostrou seu apoio a Maduro. Mas também admitiu ter falado com “todas as partes” do conflito. Mais do que fidelidade política, a prioridade chinesa é assegurar seus interesses econômicos.

“A China ainda não sabe que lado escolher”, disse Ni. “Durante a Primavera Árabe, (a China) apoiou (o falecido líder líbio) Khadafi até sua queda. Mas, quando ele caiu, (a China) mudou de lado e ninguém se importou”.

O Presidente da Rússia Vladimir Putin

A Rússia e os dois campos de batalha

A Venezuela tem forte presença na mídia russa e até no Parlamento do país.

Para a Rússia, a Venezuela representa um interesse geopolítico “muito importante” para “neutralizar os interesses” dos Estados Unidos em áreas tradicionalmente consideradas de influência russa, explicou Carlos de Sousa.

“(O envolvimento dos EUA no confronto com a Ucrânia) foi uma situação muito incômoda para a Rússia”. Então, o governo Putin está fazendo o mesmo na Venezuela: ‘bem, agora sou eu que te incomodo’. Então, (a questão venezuelana) não é algo essencial, mas é interessante para que a Rússia tenha alguma influência no ‘quintal’ dos EUA”, acrescentou o especialista.

Para os russos, a Venezuela não apenas representa um campo de batalha externo, mas também interno.

O editor do serviço russo da BBC, Famil Ismailov, afirmou em dezembro: “Geralmente, o povo russo está cansado de ajudar governos como o sírio e o venezuelano, em vez de ver esse dinheiro investido dentro do país. Mas o governo russo tem uma máquina de propaganda muito forte”.

O presidente Vladimir Putin apoia fortemente Maduro, e a imprensa russa oficial questiona o apoio popular à oposição venezuelana.

“Também há interesses econômicos muito importantes. A Rússia investiu cerca de US$ 10 bilhões (na Venezuela)”, apontou Sousa. Alguns analistas acreditam que o número pode ser ainda superior, de cerca de US$ 17 bilhões.

“Os russos viram (a situação da Venezuela) de forma oportunista. A recessão no país e a queda na produção de petróleo já haviam começado. Então, a Rússia viu uma oportunidade de comprar ativos da indústria petrolífera a preços muito baratos”, disse o analista da Oxford Economics.

Os deputados russos questionam frequentemente sobre o futuro do dinheiro emprestado para a Venezuela. Um dos motivos é que, na Rússia, muitos pensam que esse dinheiro não vai ser recuperado.

“Quando os russos investem em um país, fazem isso pela política, não por razões econômicas. Esse dinheiro (emprestado para a Venezuela) não vai voltar. É um pagamento feito à Venezuela pelo seu apoio à causa russa”, continuou Ismailov.

“É importante mostrar para o público interno que a Rússia desempenha um papel de superpotência e tem países amigos. (A ideia então é que) vale a pena pagar por isso”.

“A oposição venezuelana já indicou tanto para a Rússia quanto para a China que quer continuar a fazer negócios com esses países no futuro, quando estiver no governo”, afirma Sousa. “Obviamente, quando a oposição assumir o governo no futuro, se assim for, toda a dívida com a China e a Rússia terá de ser reestruturada… E, sobre isso, eu não tenho a menor dúvida: todos vão perder em alguma medida.”

Irã e a ‘venezualização’

Apesar de estarem separados por mais de 12 mil quilômetros, o Irã e a Venezuela mantêm uma relação que, segundo o ex-presidente venezuelano Hugo Chávez, é “sagrada”. O Irã tem sido um dos poucos países a demonstrar apoio a Maduro, chamando a autoproclamação de Guaidó de “tentativa de golpe”.

Chávez e o ex-presidente iraniano Mahmoud Ahmadinejad foram os responsáveis por fortalecer os laços entre os dois países. Desde então, ocorreram diversas visitas oficiais dos dois lados.

Mas a aliança entre a Venezuela e o Irã é de natureza diferente, como explica o editor da emissora persa da BBC, Ebrahim Khalili: “O governo apoia a Venezuela porque sua estratégia é ser contra tudo que os Estados Unidos são a favor. Fala abertamente que devemos estar perto dos inimigos dos nossos inimigos”.

Turquia em busca de ouro venezuelano

Maduro também é muito conhecido na Turquia. Em setembro do ano passado, por exemplo, um vídeo do venezuelano saindo de um restaurante de luxo em Istambul provocou controvérsia.

Era a quarta visita de Maduro à Turquia desde 2016, quando as relações entre as duas nações começaram a florescer. Naquele ano, o presidente turco Recep Tayyip Erdogan sofreu uma tentativa de golpe, e Maduro foi um dos primeiros líderes mundiais a apoiá-lo.

Não surpreende, então, que Erdogan tenha criticado os Estados Unidos por apoiarem Guaidó.

O parlamento turco tem, inclusive, um grupo dedicado à “amizade” turco-venezuelana. Segundo seu presidente, Kerem Ali Surekli, do partido de Erdogan, “ambos os países resistem a intervenções externas, rechaçam intervenções externas e bastam a si mesmos”.

Além dos paralelos políticos, há um fator econômico que leva os turcos a manterem os olhos na Venezuela. “A Turquia é um importante produtor de jóias e um dos maiores importadores de ouro do mundo”, explica Sousa. “E, no ano passado, se tornou um dos parceiros comerciais mais importantes da Venezuela, porque compra muito ouro do país sul-americano.”

Índia teme que o petróleo encareça

A situação venezuelana não ganha muito destaque na imprensa da Índia, mas o setor econômico do país não perde um detalhe sobre o que ocorre no país latino-americano. O motivo é que, já há uma década, a Índia é o segundo ou terceiro maior comprador de petróleo venezuelano.

“A Índia provavelmente pode se beneficiar de sanções (dos Estados Unidos à estatal do petróleo venzuelana PDVSA), porque é outro mercado para o qual a Venezuela poderia redirecionar algumas das suas exportações”, afirma Sousa.

“(A Venezuela) não faria isso (redirecionar suas exportações) com a China, já que, segundo acreditamos, está atrasando pagamentos de dívidas contraídas com o país asiático desde maio de 2018. Então, se a Venezuela exportar mais petróleo para a China, seria simplesmente uma amortização mais rápida da dívida que contraiu, em vez de obter uma receita maior de petróleo. Já a Índia pagaria em dinheiro”.

Mesmo assim, Sousa acredita que a Venezuela poderá redirecionar para a Índia apenas uma fração de todas as suas exportações para os Estados Unidos.

O ministro do Petróleo e chefe da PDVSA, Manuel Quevedo, viajou em março para a Índia, onde diz ter tido “um encontro muito produtivo”. “Vamos continuar a trabalhar através da troca de petróleo”, afirmou.

O conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, reagiu no Twitter com uma advertência: “Os países e empresas que apoiarem o roubo que Maduro faz dos recursos venezuelanos não serão esquecidos”.

Para o especialista em estudos energéticos e ambientais do Conselho Indiano sobre relações globais Gateway House, Amit Bhandari, a preocupação da Índia é que a queda da produção venezuelana produza um aumento nos preços do petróleo. O país é o terceiro maior importador de petróleo bruto do mundo, atrás de China e dos Estados Unidos.

“A maior preocupação da Índia é que importamos cerca de 85% de todo o petróleo que consumimos. Se a Venezuela, com sua significante oferta de petróleo, ficar fora do mercado, o preço vai subir para todos, sejam clientes da Venezuela ou não” , considera Bhandari.

Zimbábue, a ‘Venezuela da África’

O interesse que a Venezuela desperta em outros países nem sempre deriva de fatores econômicos ou geopolíticos. É o caso do Zimbábue, que não é um importante parceiro comercial do país latino.

“Ambos os países foram prósperos no passado e tinham líderes pitorescos que desafiavam o Ocidente: Hugo Chávez e Robert Mugabe”, explica Shingai Nyoka, correspondente da BBC no Zimbábue.

Em 2008, o Zimbábue teve a segunda maior hiperinflação já registrada no mundo: 79.600.000.000%, de acordo com a Tabela de Hiperinflação Global da Hanke-Krus. Hoje, sua moeda caiu em desuso e as transações são feitas com moedas estrangeiras, especialmente dólares e randes sul-africanos.

A imprensa do Zimbábue está acompanhando de perto o que ocorre na Venezuela. O motivo é que, apesar dos países estarem tão longe um do outro e serem tão diferentes, a população zimbabueana compara a situação da Venezuela com a sua própria há anos.

“Os dois países têm problemas econômicos e políticos que incluem hiperinflação, escassez de alimentos e governos em desacordo com o Ocidente. O presidente Maduro e o ex-presidente Mugabe culpavam o ‘imperialismo’ pelos seus infortúnios”, diz Nyoka.

“Alguns chamam o Zimbábue de ‘a Venezuela da África'”, completa.

Enquanto alguns pensam que a situação do Zimbábue deve servir de advertência para a Venezuela, mostrando o quão difícil pode ser “conservar um Estado falido”, outros pensam que Maduro “está sendo sabotado por países que querem o petróleo da Venezuela”.

“Eles acreditam que a crise econômica (da Venezuela) é produto de sanções e sabotagem – da mesma forma que acreditam que essas são as causas dos problemas econômicos do Zimbábue”, afirma Nyoka. “Acham que Maduro está pagando o preço por ter enfrentado o Ocidente.”

Subscribe
Notify of
guest
56 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

China e Rússia só no oportunismo geopolítico, tem essa de ajudinha de amigo não.
Geopolítica gente, briga de auau grande,mentes fantasticamente estrategistas neste jogo de War da vida real.
Novamente reafirmo o óbvio, “entre nações não há amizades, há interesses mútuos e nem sempre equilibrados no repartir dos ganhos.”

ODST
ODST
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Bela geopolítica da Rússia essa hein. Um país em desenvolvimento, sempre enfrentando sanções, com muitos problemas sociais e gastando dinheiro que não tem com ditaduras ao redor do mundo. Pelo jeito não aprenderam nada com a queda da União Soviética…..

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  ODST
1 ano atrás

Na realidade Putin é fruto da ex URSS e labuta por reavê-la novamente. Ele que não abre os olhos com a China.rs

Fabio Jeffet
Fabio Jeffet
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Se tem algo que Putin não deseja reaver é a URSS. Agora o Império Russo todos sabem que Putin é saudosista

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  ODST
1 ano atrás

Também não consigo entender esta postura russa de sede pelo poder global.
Hoje em dia, há um número considerável de países mais desenvolvidos e realmente poderosos, no âmbito econômico e cultural.
A Rússia sofre com tentativas de invasões, desde o ano de 1214. Antes do Brasil pensar em ser descoberto. Talvez por isso, a cada século a Rússia trava lutas pela sua própria existência.
Penso que nestes tempos modernos, com suas quase 8.000 ogivas nucleares, ela poderia buscar o foco na integração econômica, ao invés de ficar brincando de ideologia comunista. Os tempos são outros!

Ricardo
Ricardo
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

É muito simples. Desde o império russo a Rússia sempre foi tremendamente poderosa e sempre buscou seguir seu caminho. Para o bem e para o mal. É um povo que não suporta se dominado por qualquer outra nação. Bem diferente do brasileiro que nunca teve orgulho do Brasil e já se acostumou a ser dominado culturalmente. Primeiro pelos ingleses e depois pelos EUA. Ninguém aqui liga para isso o que é algo muito estranho para os russos. Putin é um nacionalista fervoro. Capaz de tudo por seu país, algo que para nós brasileiros é completamente estranho. Ocidente que se integração… Read more »

Maus
Maus
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

Putin é capaz de tudo para continuar no poder.

Conan
Conan
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

É um povo que não suporta ser dominado por qualquer outra nação……mas não se importa em ser dominado por tiranos, imperialistas, comunistas, tiranos, tiranetes e ate bêbados incompetentes. Nunca tiveram uma verdadeira democracia e quando parece que vão ter uma eles sabotam e gostam disso. Nós aqui no ocidente achamos tudo isso muito estranho haja visto que nunca se concentraram em desenvolver de verdade sua economia e durante sua historia só foram respeitados pelo seu poderio militar.

João Borges Queiroz Júnior
João Borges Queiroz Júnior
Reply to  ODST
1 ano atrás

Pelo seu critério, nem a China poderia fazê-lo, pois o IDH da China é menor que o da Rússia.

Jardel
Jardel
1 ano atrás

A Rússia investiu, a China Investiu…

E o Brasil, investiu quanto?

No final, tudo se resume a interesses financeiros mesmo.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Jardel
1 ano atrás

Acabei de ler isso em um outro website, e não resisti…
“O governo brasileiro é uma Arca de Noé, porém com a seleção dos piores e menos aptos.”
🐅😁

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Jardel
1 ano atrás

Investiu muito na era PT,mas sem interesse de ressarcimento algum ao que parece pois eramos irmãos (kkkkk estes petistas). Agora nos viramos pra ajudar a desfazer a c@g@da que fizeram na Venezuela com nosso dindin gastando mais dindin. Trágico!!!

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Sinceramente, enquanto o sistema político brasileiro atual continuar existindo, vamos caminhar a passos de bichos-preguiça (sem ofensas aos bichos-preguiça).

Precisa acabar com o atual STF, Câmara de Deputados e com o Senado, fazer um pente fino e cortar tudo pela metade ou mais, antes de restaurar…

Só no Brasil mesmo para alguém ficar milionário na política, em qualquer país sério, o que acontece aqui seria um escândalo, digno de crime contra à pátria.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Você foi exatamente no ponto meu caro!!!

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Só um adendo ao meu comentário anterior, acho que é do interesse de todos saber sobre o conteúdo desse vídeo, pois fala sobre privilégios das classes que eu citei.

https://www.youtube.com/watch?v=Gny_20KORlQ

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

O Brasil não investiu nada na Venezuela, jogou dinheiro lá a fundo perdido, e o perdeu, nunca mais será pago.

Victor F.
Victor F.
Reply to  Jardel
1 ano atrás

O que foi investido virou calote ou foi confiscado. E viva o socialismo bolivariano (só que nunca)…

Rafael
Rafael
1 ano atrás

Todos tem interesse na Venezuela!! os EUA não querem a liberdade de expressão!! eles querem o petróleo e estrategicamente fechar o flanco sul e isolar ainda mais Cuba!! China e Russia alem do petróleo também querem um porto seguro na região do Caribe!!
Como falaram nos comentários!! É um grande jogo de War, onde o bem estar da população não é a prioridade!!

Leonardo
Leonardo
Reply to  Rafael
1 ano atrás

Acho que o interesse americano é outro…. Flórida.
Explico.
A Flórida é um dos estados chaves nas eleições presidenciais americanas, o Trump precisa da Flórida para se reeleger.
E parte do eleitorado da Flórida é de Anticastristas, de exilados cubanos que odeiam Castro.
O Chávez foi um dos apoiadores chaves de Cuba e o Maduro ainda o é…
O Trump jogando duro contra o Maduro pretende ganhar esses votos Anticastristas.

GEN Escobar
GEN Escobar
1 ano atrás

O Maduro vai sair nas próximas semanas…com sangue ou sem sangue (prefiro sem, claro) mas irá! Não tem como se sustentar, está estrangulado financeiramente, cercado militarmente por todos os lados, a população está revoltada, o presidente tem apenas parte das FAs, fugas acontecem a todo o instante e isso não vai parar até ele fugir ou desertar para outro país (Cuba talvez) e seguir com a gritaria de lá! Infelizmente essa é a triste realidade e futuro de um país que já foi chamado de “Miami Sulamericana”!!

Jefferson B.
Jefferson B.
1 ano atrás

Eu sei responder: Rússia é uma falsa democracia (país com grande perseguição, sem liberdades, eleições fraudades etc…), a China é uma ditadura de fato, governado pelo Comitê central Comunista, a Turquia é governado (desde o auto-golpe) pelo Erdogan, o sujeito é um meio termo de ditadorzinho que persegue quem pensa diferente. Podemos citar Cuba também, a mais velha ditadura na América…curiosamente todos esses pa´sies são apoiados pela extrema-esquerda radical do Brasil. Basta ver os blogs sujos da esquerda atacando os militares brasileiros, atacando o nosso presidente dia e noite, criando 1 milhão de mentiras…vejas os blogs da extrema-esquerda: Brasil247, cartamaior,… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Jefferson B.
1 ano atrás

Quanta piração. Então o Queiroz, o Bebianno e o relatório do COAF são invenções da esquerda? Ah, tá….

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Se a máquina pública “trabalhasse” do modo que está trabalhando nesse momento, na época do Pêtê, não tinha ficado um no governo hahahahaha.

Ainda estamos vivendo um 3º turno de eleições… os p.a.r.a.s.i.t.a.s restantes são extremamente resistentes e não querem largar o o.s.s.o.

Porfim, a torneira de $.$.$ (paga pelos grandes grupos da mídia e partidos da oposição) logo secará e não vão ter mais motivação para continuar, os que não forem presos, certamente iram viver as custas de mindingância do “partido” até as próximas eleições.

Só lembrando o L*#@ t@ pre.so…

Sequim
Sequim
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

Você não respondeu minha pergunta : Queiroz (investigado pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro), Bebianno (cujo nome foi levantado pela primeira vez pelo jornal O Globo) e o relatório do Coaf (noticiado pelo Fantástico da Rede Globo) são invenções da esquerda? Ou você está sugerindo que o MP/RJ e as Organizações Globo são petistas?

mcremp
mcremp
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Se a Globo fosse um pouco imparcial, noticiaria que no relatório do COAF o Queiroz é o ante-penúltimo, e que o primeiro é de um deputado do PT com movimentações 40 vezes maiores.
Sim, o destaque exagerado para o caso Queiroz é obra da esquerda e da Globo (e da Folha, do Estadão e de boa parte da grande mídia).

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Existem muito, muitos esquerdistas infiltrados em todos setores do governo e do judiciário, as organizações Globo favorecem aqueles que pagam mais e como o atual governo decidiu cortar gastos desnecessários com imprensa, logo se tornou vítima do ódio não só deles, mas de quase toda mídia. É óbvio que existe um “seletismo” na COAF e no MP/RJ, pois onde esteve esses órgãos durante todo governo do PêTê, e onde estão as investigações dos outros deputados e assessores? Até onde eu saiba, o dono das maiores transações “atípicas” são do deputado petista, quanto é mesmo? Só 48 milhões… dinheiro de pinga… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Alex Nogueira
1 ano atrás

A maior oposição ao governo chama-se Flávio Bolsonaro. Com um integrante de governo desse naipe, pra que oposição?

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Eu particularmente não confio no Fl.ávi.o Bo.lso.na.ro, assim como não confio em qualquer político, não sei se ele errou ou não, mas sei que existem muitos esquemas ilícitos nos bastidores de qualquer governo, independente de partidos, sempre existem maçãs podres infiltradas. O sobrenome que o Flá.vio carrega, sem dúvidas é um grande alvo nas suas costas, dessa maneira, qualquer passo na direção errada vai ser exposto e servirá para massacrar a imagem do presidente. Eu tenho plena consciência de que votei no pai, não no filho, e não posso dizer que um é ruim, pelas atitudes do outro. Estou certo… Read more »

DanielJr
DanielJr
1 ano atrás

Acredito que pode ser para evitar a influência da Rússia no continente (a China também está se aproximando da Argentina, lentamente). Os EUA não querem bases de TU-160 por aqui além de eventuais outras coisas.
Não li muito sobre o rompimento do tratado sobre mísseis entre os Russos e Americanos, mas se os russos quiserem bancar uma outra crise de mísseis, a Venezuela seria o lugar ideal na região, apesar de que eu considere isso difícil de acontecer.

ALEX ROCHA
ALEX ROCHA
1 ano atrás

É bem complicada esta situação. Os EUA com certeza têm algum interesse na região, mas além disso tudo o que mais esta preocupando o Trump é o fato dos russos e chineses estarem interferindo dentro da sua área de atuação. Algum tempo atrás quando falavam que Obama foi um presidente muito fraco eu desacreditava, mas se pensarmos no momento atual observamos que se o EUA tivessem agido anteriormente isto tudo não estaria acontecendo. A AL esta mudando de rumo. Porém ao meu ver, este Maduro que por sinal querendo ele ou não irá cair é um louco psicopata e como… Read more »

Alex Nogueira
Alex Nogueira
Reply to  ALEX ROCHA
1 ano atrás

Chará, os EUA tem interesses no mundo todo… só o governo do Brasil que andava vendo pontos aleatórios (governos so.ci.a.lis.tas) e afins no mapa mesmo rsrsrs.

Quem sabe com a aproximação nosso governo aprende a enxergar além do nosso quintalzinho rsrsrs.

Lopes
Lopes
Reply to  ALEX ROCHA
1 ano atrás

Governo Obama quase acabou com os estados unidos nos bastidores geopoliticos, foi um desastre, mas a midia vendeu uma imagem de boa gente para este ex presidente, nada mais pode refutar isso que a derrota humilhante dos democratas na figura da enfadonha Hilary, EUA sendo grande como é, estava fazendo o papel ridiculo de pais pequeno. Sorte que temos meios hj em dia de desfazer essas farsas!

Leandro Costa
Leandro Costa
1 ano atrás

Poxa… citar Gleisi Hoffman? Só em ler o nome dessa pessoa já arruinou o meu dia. Tinha, felizmente, esquecido que ela existia.

Alex Nogueira
Alex Nogueira
1 ano atrás

Muita gente ainda não aprendeu, em se tratando de geopolítica o que existe é interesse, puro e simples interesse, tanto que a China como foi dito no texto, não vê problema algum em apoiar o Guaidó, caso o Maduro, que ela defende venha a cair, por isso o Brasil precisa ficar ligado, aproveitar os interesses mútuos com os EUA na geopolítica regional, para trazer produtos de alta tecnologia para o país, fazer convênios com grandes universidades, melhorar o sistema de intercâmbio de alunos bem ranqueados, fortalecer vínculos militares e abraçar a causa de limpar o continente desses ditadores que não… Read more »

Brunow Basillio
1 ano atrás

Que Maduro vai ficar ou sair não sei , mas que ele é o pior gorvenante que um país da AL podia ter disso eu tenho certeza , não sei quem o escolheu para assumir o lugar de Chaves, mas com certeza este queria acabar com a Venezuela e o Bolivarianismo de uma vez só… Cara incompetente, não tem capacidade nenhuma para governar um País, pega dezenas de bilhões e não consegue reestruturar a economia do país , cada dia que passa a produção de petróleo Venezuelana cai , suas refinarias já estão quase parando , não fez nenhuma reforma… Read more »

Marcello Magnelli
Marcello Magnelli
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

O Maduro foi escolhido pelo próprio Chavez.

PauloSollo
1 ano atrás

Excelentes esclarecimentos. Creio que China e Rússia já se convenceram de que Guaidó é a única possibilidade de receberem o que emprestaram, porém não terão o domínio sobre os recursos da Venezuela que teriam com o moribundo condenado. Erraram ao confiarem na incompetência administrativa dos bolivarianos. Inclusive todos os auto proclamados “revolucionários” pelo mundo afora sempre depois de tomarem o poder fracassaram retumbantemente levando seus países a miséria.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Vai repetindo essa baboseira até vc mesmo acreditar.

PauloSollo
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Não vou nem perder tempo lhe replicando porque sei que você também sabe que é verdade, mas suas birra já se tornou fossilizada…

tomcat4.0
tomcat4.0
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Vou te responder(toda vez que vier com ladainhas de MAV’s) simplismente assim;
“Deixem o MAV trabalhar !!!”

PauloSollo
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Os “revolucionários” só têm talento para destruir o que funcionava:
https://www.youtube.com/watch?v=z3L5t8MZxlU

Cidadão
Cidadão
1 ano atrás

Simples: gangsters se protegem e se ajudam na pilhagem e na ameaça à sociedade, no caso a mundial. O gangster comunista xi, o gangster KGB putin auxiliam o gangster bolivariano maduro a oprimir seu povo e ameaçar seus vizinhos , que se acovardam diante das metralhadoras dos gangsters.

Sequim
Sequim
Reply to  Cidadão
1 ano atrás

Esqueceu do gangster Dick Cheney, que inventou as armas de destruição em massa no Iraque para invadir aquele país e ROUBAR o petróleo deles. Digo sempre e repito: memória seletiva, moral seletiva.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Só tem petroleiras americanas no Iraque ? Não!

O Iraque é roubado por que ? Eles ganham uma bica com a venda do óleo.

Roubar é o que os teus amigos fizeram com a Petrobrás, tira o dinheiro sem deixar nada em troca.

A PDVSA hoje extrai menos de 1/3 do que extraia antes, até para isto os bolivarianos são incompetentes…

É melhor entregar nas mãos dos americanos, brasileiros, franceses, ingleses, etc que ao assumirem os nros de produção voltarão ao normal e o país a ganhar dinheiro.

Sequim
Sequim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Poderia esclarecer quem são esses “amigos? E aproveita para me dizer onde estão as armas de destruição em massa que o canalha do Dick Cheney disse que havia no Iraque e que custou a vida de centenas de milhares de iraquianos ( estimativa de fontes americanas) só para a Halliburton faturar contratos no Iraque. Me diga, com sinceridade: o Iraque está melhor em que depois da invasão de 2003?

mcremp
mcremp
Reply to  Sequim
1 ano atrás

E você poderia esclarecer como os EUA “roubaram o petróleo do Iraque”. Levaram de caminhão ou de trem?

Sequim
Sequim
Reply to  mcremp
1 ano atrás

Perfeitamente, meu caro. Clique no link abaixo e aprenda como se rouba o petróleo de um pais:
https://diplomatique.org.br/ecos-de-uma-guerra-por-petroleo/

Delfim
Delfim
1 ano atrás

O comunismo chinês é o confucionismo pintado de vermelho.
Confucionismo é a ideologia mais pragmática, burocrática e inescrupulosa que existe.

Samuca
Samuca
1 ano atrás

– Quanto a Rússia: ‘Um dia da caça, outro do caçador’, ou por outra, ‘Depende de qual lado do balcão vc está!’. Faz pensar que se os EUA não tivessem bancado o arauto do ‘bem’ – kkkkkk, no mundo de conceitos geopolíticos maniqueístas infundidos pela grande mídia de hoje, o tico e o teco de boa parte da ‘plateia’ só funcionam através da visão simplória do ‘bem’ vs o ‘mal’ ‘ensinado’ por Hollywood – na Crimeia, isto é, no quintal russo, os russos não estariam metendo o bedelho no quintal norte-americano, claramente aproveitando a chance pra dar o troco. –… Read more »

Fabio Jeffet
Fabio Jeffet
1 ano atrás

Já imaginaram se PT estivesse no poder? ETA dinheiro público aos montes indo de graça pra Venezuela

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 ano atrás

O Brasil é e sempre foi uma mãe, é refinaria para a Bolívia, Porto pra Cuba, é energia de graça pro Paraguai que vai me desculpar nao ajudou em nada com Itaipu, se não fosse pelo povo aguerrido até o Acre não seria mais nosso … a lista é imensa!

Cavalo-do-Cão
Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

“A China é um capitalismo de elite e um comunismo de povo.”

koppe

Dr. Mundico
Dr. Mundico
1 ano atrás

Nenhuma novidade na análise, apenas fiquei sabendo que na China agora existe “opinião pública”, o que não deixa de ser uma revelação. Finalmente viví para saber disso! China e Rússia apenas jogam o velho jogo de tensões entre nações, prontas a desgastar o adversário usando países pequenos com algum valor estratégico ou econômico. Onde houver tensão, sempre haverão conflitos prontos a serem “administrados” por essa tríade desgraçada, EUA, China e Rússia. Afinal, sempre viveram da exploração de países-satélites e demarcando zonas de influência geo-política. Cada qual exerce a sua forma um imperialismo próprio. Qualquer dúvida, existe uma vasta bibliografia sobre… Read more »

Formiga
Formiga
1 ano atrás

Só o Irã e Zimbabue que tem uma relação menos interesseira: China e EUA estão de olho no petróleo. Russia quer encher o saco dos EUA e de quebra pagou uma pechinhcha digna de agiota por ativos venezuelanos. A Turquia está interessada no ouro!!! No mundo não existem “santos” só interesses.

Formiga
Formiga
1 ano atrás

É petroleo… significa que vai ter o posto de gasolina ao lado. O Trump que cantou a bola.

PCST27
PCST27
1 ano atrás

Maduro tá podre