Home Armas de Fogo Índia assinou contrato com a Kalashnikov para 750 mil fuzis automáticos AK-203

Índia assinou contrato com a Kalashnikov para 750 mil fuzis automáticos AK-203

7529
184
Kalashnikov  AK-203

Fuzis automáticos vão substituir os fuzis de assalto indianos INSAS. O processo de produção é projetado para 15 a 20 anos. Primeiro, o AK-203 equipará tropas regulares e, em seguida, policiais

Uma joint venture foi formada pela associação de indústria de defesa do estado indiano Ordnance Factory Board (OFB, participação de 50,5%) e a russa Rosoboronexport JSC e Kalashnikov Concern JSC (49,5%), e estabelecida na fábrica da empresa OFB em Corva por um longo tempo para a produção de munição, que ainda está em construção, mas não totalmente comissionada.

Segundo o diretor-geral da Rosoboronexport, Alexander Mikheev, citado pela agência TASS, já foi acordada a produção de 750 mil fuzis automáticos, com os quais será possível equipar o pessoal de todas as estruturas de poder da Índia. Ao mesmo tempo, Mikheev observou que, no futuro, é possível não apenas um aumento nos volumes, mas também um re-equipamento de produção para modelos aperfeiçoados.

Por sua vez, Dmitry Shugaev, diretor do Serviço Federal de Cooperação Técnico-Militar da Rússia (FSVTS), disse que o projeto envolve a localização gradual da produção, informou a agência de notícias RIA Novosti. “Graças às ações bem coordenadas de especialistas russos e indianos, conseguimos organizar na Índia a produção das mais novas armas automáticas da marca de armas leves mais famosa do mundo em um curto espaço de tempo”, observou ele.

A Índia enviou uma carta de boas-vindas em conexão com a abertura da fábrica pelo presidente russo Vladimir Putin. “O complexo industrial de defesa da Índia será capaz de atender de forma independente às necessidades das estruturas de poder do país para este tipo de armas pequenas – baseadas em avançadas tecnologias russas”, diz a mensagem do chefe do Estado russo.

De acordo com fontes indianas, juntamente com o início dos trabalhos desta joint venture, 50 mil máquinas serão importadas diretamente da Rússia. Ao mesmo tempo, a empresa de TV russa NTV anunciou em 3 de março, citando uma “fonte informada”, que a Índia já havia “recebido 50.000 fuzis de assalto AK-203 Kalashnikov da Rússia”. “Segundo a fonte, a transferência de um lote de armas pequenas está totalmente concluída.”

O projeto para organizar a produção na Índia de fuzis de assalto AK-203 é a parte principal do extenso programa de longo prazo do Exército Indiano para adquirir 768.000 fuzis automáticos de 7,62 mm para o reequipamento completo de peças lineares – devido à cessação da produção do rifle automático indiano INSAS que não conseguiu produzir. Como uma medida de emergência no âmbito deste programa, o Exército Indiano decidiu fazer uma compra “urgente” de 72.400 fuzis automáticos de fabricação americana SIG Sauer SIG716 com câmara para 7,62 x 51 mm. No entanto, para a compra das 695.600 armas restantes, o Ministério da Defesa da Índia considerou o tipo preferido AK-103 russo (mais tarde AK-203) de 7,62 x 39 mm.

COLABOROU: Rustam Bogaudinov

Subscribe
Notify of
guest
184 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rustam
Rustam
1 ano atrás

What a surprise – mega contract! Someone here said as reading the Bible that India left Russia and buys only in the USA and Europe! )))

———

Que surpresa – mega contrato! Alguém aqui disse ao ler a Bíblia que a Índia deixou a Rússia e só compra nos EUA e na Europa!

Bem-vindo ao mundo real, Neo)))

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Rustam
1 ano atrás

I chose the red pill…

Rustam
Rustam
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Kkkkkkkkk

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Rustam, they live in a fantasy world, but sooner or later reality comes face to face with them.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

But even then, they choose to ignore it. Just like Cypher in The Matrix, who said “Ignorance is bliss. LOL

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Rustam
1 ano atrás

By the way, I love your country and the Russian people. You are lucky to be born in such a beautiful country and I hope to be part of this family soon, I want to live and die in Russia.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Put up a kickstarter and I know a lot of people will be glad to see you go 😉

Maus
Maus
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Não reclame quando for preso quando pensar diferente do governo e nem quando surgir uma nova crise por conta da baixa no petróleo. É típico de países de terceiro mundo dependerem de produtos primários.

Andre Vedoze
Andre Vedoze
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Deus! Momento explícito de fofura no Forte! Quero viver e morrer na Russia…

paddy mayne
paddy mayne
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Você será muito bem vindo lá! Eles adoram marmita!

Sidney
Sidney
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk, cansei.

Mais um pouco porque nessa você se supera.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Eu achava que você era estudante do ensino médio, agora tenho certeza que largou para se dedicar unicamente a militância do PSTU.

Sugestão: Vai lá e se alista para lutar contra os Ucranianos em Donbass. Vai ter chance de usar os AK contra equipamento ocidental.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Hey Rustam, I hope you’re OK.

I think it was only logical for India to do so. Most of their equipment is from Russian origin anyway. They do have a lot of different sources for their gear, but I’d say it’s mostly from your neck of the woods and they’d be smart to keep the logistics going.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rustam
1 ano atrás

kkkkk
E os lendários fuzis russos (ou soviéticos) continuam fazendo história.

PauloSollo
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

É só o que conseguem vender, coisas menores. Enquanto isto a Índia compra dos EUA aviões, helicopteros, catapultas eletromagnéticas, etc.

Rustam
Rustam
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

750,000 automatons
1000 T-90 tanks
200 Mi-17V5 helicopters
280 – Su-30MKI
120 – Mig-29UPG/K-KUB
Aircraft carrier
12 fegatos 11356
5 divisions S-400

should I continue the list? ))) You look funny
———-

750.000 autômatos
1000 tanques T-90
200 helicópteros Mi-17V5
280 – Su-30MKI
120 – Mig-29UPG/K-KUB
Porta-aviões
12 fegatos 11356
5 divisões S-400

devo continuar a lista? ))) Você parece engraçado

amadeuparrinha@gmail.com
amadeuparrinha@gmail.com
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Segundo o Times of India essa fabrica vai produzir 750000 fuzis por ano

Clêuber
Clêuber
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Estude mais garoto….Seu conhecimento é tão ínfimo quanto o do Trump…S 400 de 5 bilhões e outros q o digam…

PauloSollo
Reply to  Rustam
1 ano atrás

A Índia sempre comprou de diversos fornecedores e está comprando dos EUA ítens incomparavelmente mais caros que fuzis, como helicópteros Apache, Seahawk, Chinook, aeronaves Hawkeye, EMALS, dentre outras coisas.

Welcome to the real world fanboysky )))

Brunow Basillio
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Só um Akula (que o Rustam nao citou ) vai custar U$ 3 bi para os Indianos , e ainda tu dizes que compram coisas dos EUA “incomparavelmente mais caras que Fuzis” ?

PauloSollo
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Akula? Onde? Que chá foi este que você tomou?

Rustam
Rustam
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Brunow Basillio
Só um Akula (que o Rustam nao citou ) vai custar U$ 3 bi para os Indianos , e ainda tu dizes que compram coisas dos EUA “incomparavelmente mais caras que Fuzis” ?
——–

Grande conhecimento! Eu admiro seu conhecimento!

Renato
Renato
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Tente comprar um submarino dos EUA…

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Acho que vc está um pouco desnorteado com o abate do F-16 pelo Mig-21 de fabricação russa.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Aquele do mundo de fantasia? Acho que vocês é que até agora não assimilaram a inferioridade dos caças russos ante aos aparelhos ocidentais. Sinto muito por vocês…rs!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Rustam é uma grande compra bom para a Rússia, os fuzis russos são sempre provados em combate.

Diogo de Araujo
Reply to  Rustam
1 ano atrás

and how about that partnership for making a stealth aircraft, how is it going? nothing right? the fact that they are buying some hand weapons doesn’t mean commerce between both is increasing…

tulio762
tulio762
1 ano atrás

E a joint venture da Taurus?

Luiz Henrique
Reply to  tulio762
1 ano atrás

até a Taurus vai pra uma Joint Venture?

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  tulio762
1 ano atrás

Não ouvi nada sobre joint venture, não. Mas por aqui a Taurus é muito estimada pelas armas leves baratas que produz. O outro dia por exemplo, estive examinando uma Taurus 92B, e pensei estar usando uma Beretta M-9, pois é um clone perfeito da mesma, e custa a metade do preço.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

É a pistola padrão do EB…. A Taurus comprou a fábrica da Beretta.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Flávio Henrique
1 ano atrás

Só um complemento Flávio Henrique, em julho de 1980, a Taurus comprou a subsidiária brasileira da Beretta, o resto da Beretta mundo afora não faz parte do negócio.
Escrevo isso para que alguem não pense que a Taurus comprou a Betetta toda.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Flávio Henrique
1 ano atrás

Realmente? Bacana, então.

tulio762
tulio762
Reply to  tulio762
1 ano atrás

Só complementando.
A Taurus anunciou o estudo de uma possível joint venture na Índia, segundo a Reuters.
https://br.reuters.com/article/idBRKCN1Q71UX-OBRBS

Brunow Basillio
1 ano atrás

Pelo jeito só não vai sair aquela fabrica na Venezuela mesmo… Mas a Venezuela sancionada e tendo um consumo interno muito baixo seria totalmente inviável uma fabrica da Kalashnikov naquele país; no Brasil seria mais viável , além de vender internamente poderia exportar para toda america latina e Africa…

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Olha o mercado americano ali do lado. O maior comprador de rifles baseados no AK do mundo são os civis americanos, instalar uma fábrica na Venezuela poderia ser uma maneira de driblar as sanções que proíbem a importação da Rússia, que foram impostas pelo presidente americano em decorrência da crise na Ucrânia.
Se a fábrica for “venezualana” poderão ter de volta esse mercado.

PauloSollo
Reply to  Melky Cavalcante
1 ano atrás

O AK já é produzido nos EUA desde 2015 pela empresa norte-americana Russian Weapon Company , que era ex-concessionária da Kalashnikov.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  PauloSollo
1 ano atrás

Paulo, toda a linha da AK ou refere se a tradicional 47?

PauloSollo
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

A AK- 47 e algumas variantes desta desenvolvidas nos EUA. No site Century Arms tem alguns modelos

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Fábrica da Kalashnikov no Brasil não teria tanto consumo interno. Até as que temos aqui tem baixo consumo interno. Não justificaria o investimento.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

Esse navio já zarpou faz tempo. Agora o Bolsonaro precisaria do aval de John Bolton, o qual responderia “De jeito nenhum”.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Bolsonaro nao precisaria do aval de John Bolton pra nada … você e que nao sabe do que ta falando

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Hehehe. Me engana, que eu gosto…🤗🤗🤗

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Bozonaro decide o quê mesmo pelo amor de Deus? Quem governa é Lorenzoni e os filhos, e com a articulação de Fernando Bezerra, um renanzista alvo da lava jato.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

A Índia acertou em cheio porque As armas russas continuam as melhores e esse fuzil de assalto AK-203 e mais um exemplo disso.

https://www.youtube.com/watch?v=F4ZSfBM-qeU&ab_channel=IndianDefenceUpdates

Recce
Recce
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Por qual motivo as armas de emprego individual russas são melhores?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Recce
1 ano atrás

São resistentes. Confiáveis. Operam em quaisquer condições sem deixar os operadores na mão. Não falham.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Recce
1 ano atrás

Recce eu não diria melhores, mas sem dúvida equivalentes, à sua maneira claro. São armas práticas e eficientes de relativo baixo custo. A original 47 por exemplo, perde para as ocidentais no tocante ao pobre isolamento do sistema, mais exposto a detritos, assim como uma rigidez excessiva e materiais e design limitado. Já as versões mais recentes teem muitos desses problemas resolvidos, as AK mas modernas são agora armas mais compactas e polivalentes, com melhor isolamento e novos materias, aptas para acompanhar e receber todas as modernices (kits de auxílio para o disparo, miras, lasers, etc) das armas actuais, mas… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

‘A original 47 por exemplo, perde para as ocidentais no tocante ao pobre isolamento do sistema, mais exposto a detritos’

A Ak-47 é reconhecidamente a arma mais robusta e resistente a qualquer elemento. Seja areia do Saara, à neve da Sibéria bem coo à umidade e lama das selvas tropicais.
Não por outro motivo, era comum ver soldados americanos trocando seus M-16s pelos Ak-47s capturados de algum inimigo.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

O cara usa drogas, não é possível… O US Army é tipo milicia então, o cara pode pegar o fuzil do arsenal e trocar por um Ak47 e tá tudo bem, nada acontece. Meeeeeeu pai Soldados americanos usavam/usam AK47 NOS TREINAMENTOS que davam/dão as Forças Militares e Policiais do Afeganistão e Iraque. Pelo simples fato que serão essas armas que eles usarão em suas unidades. Os tais “conselheiros militares” americanos aprenderam até disparar obuseiros e morteiros russos para poder ensinar as “nações amigas” a usar o armamento que já possuíam. Na época do Bush eles até tentaram implantar o M16… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Oráculo
1 ano atrás

Quando disse que era comum usar armas capturadas do inimigo, pressupõe-se que estava ocorrendo uma guerra (olha a interpretação de texto!).
Estava me referindo à Guerra do Vietnã.
É comum, em guerras, soldados usarem material capturado do inimigo. E isso é um costume antigo.
Existem, por exemplo, diversas fotos de soldados nazistas com as famosas Ppsh-41.
E isso se estende até em armas maiores como tanques.
Os alemães também usaram tanques Char-b franceses e T-34 russos capturados.

Recce
Recce
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

Antoniokings, vamos lá: O AK-47 praticamente é INEXISTENTE em combate, seu sucessor (o mais fabricado da plataforma, contando com seus derivados), o AKM, é onipresente. (Em diversas nomenclaturas, mas a mesma base). O AK original tinha um receptor de metal estampado, porém os soviéticos não tinham capacidades de produção adequadas, junto de um baixo controle de qualidade, fazendo com que as AK’s originais tivessem diversos problemas, com lotes nem mesmo conseguindo passar dos testes de fábrica. Então eles mudam pra um receptor de metal maquinado, onde um bloco de metal é “raspado” até se ter o receptor, não só é… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Recce
1 ano atrás

António e recce: De facto, na guerra do Vietname, americanos chegaram a trocar a sua arma pela AK47. Isto ocorreu em situações em que pela duração dos combates as unidades ficaram sem munição e portanto “reciclaram” as dos inimigos que estavam no chão mas também não só. No início da guerra os americanos operavam versões ainda inicias da M16, apresentavam algumas “falhas” que somavam a fraca doutrinação do exército nas novas armas, resultando numa opinião fraca por parte do soldado, habituado a anterior M14 de aspecto mais “sólido” mas bem menos eficiente que a nova arma que a substituía assim… Read more »

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
1 ano atrás

(…)As AK’s são sim boas armas com capacidades distintas e algumas eventualmente irreplicáveis, tal como as americanas baseadas na plataforma M16 (AR) e as europeias, com fabricantes reconhecidos e exemplares como a HK e FN, também contam com as suas próprias superioridades e qualidades distintas, algumas até exclusivas ou digamos, típicas, uma delas é o seu isolamento material, maior taxa de acerto e consequente estabilidade. O calibre 5.56NATO traz também as suas vantagens mas não é só maravilhas, também desvantagens, tanto que a própria NATO adota ambos os calibres, mais uma vez exemplificando a Scar com dois calibres distintos, uma… Read more »

Rustam
Rustam
Reply to  Recce
1 ano atrás

Yes ! AK47 is not in service with the Soviet and Russian army. In 1959, a new model of the machine gun, the AKM (“Modernized Kalashnikov Automatic”), was put into service.

And in 1974, the new AK-74 machines are the basis of the future hundredth and two hundredth series
———–
Sim! AK47 não está em serviço com o exército russo e russo. Em 1959, o AKM (“Modernized Kalashnikov Automatic”) foi colocado em serviço.

E em 1974, o AK-74

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Rustam
1 ano atrás

Esse pessoal entendeu e não queremos esse excesso de preciosismo.
Entende-se como toda a ‘linhagem’ da AK e não especificamente este ou aquele modelo.
Saudações.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
1 ano atrás

A Guarda Costeira da Indonésia selecionou armas russas para seus membros, me surpreendeu, pois eles fabricam armas Pindad, mas segundo a ICG as russas são melhores para enfrentar a maresia em uso constante no mar, são resistentes e mais fáceis de dar manutenção que as Pindad baseadas no Colt M16A2.
. https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRXp9Xlb34b2OXgOVfkCl9hs1a0nga83DIhtlDFWDXec9Xbt8Q_qvbgHFCs4A

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Esta é a Pindad SS2 baseada no Colt M16A2
.comment image

Visitante
Visitante
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Que coisinha feia esta Pindad.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Visitante
1 ano atrás

Service rebatizado de Pindamonhangaba…hehe

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Visitante
1 ano atrás

Visitante, é uma cópia exata da Colt M16A2, foi usado este modelo porque sua patente caducou e ela pode ser copiada livremente sem pagar licença.
. https://encrypted-tbn3.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQugjSdb-onx3OQQbpqACu5ydA9A6yLLdSFmMQh61XTbb0ds-oTog

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Visitante, eu postei a foto da Pindad SS2 versão curta, tem a versão longa em dois modelos.
. https://encrypted-tbn1.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcRaq19OQsWryhXcKIVjCKj1sRYRdrGZXOV6vjk_cYAwTpQ0_xkzTWOzJE_U

Delfim
Delfim
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Cópia exata ? Cadê o tubo de gás que sumiu por causa da coronha rebatível ?

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Caro Walfrido, exaaaaaata exata a cópia não é, pois a plataforma AR/M tem o Buffer tube no stock.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Mazzeo
1 ano atrás

Realmente, não é cópia exata, tem algumas variações.
.comment image

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Eu gostei … quero duas pra viagem kkk

Pena que não é possível comprar essas armas no Brasil, somente colecionador mas ficaria legal pendurada na parede

ScudB
ScudB
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Baseada no FN FNC (ou melhor : licenciada)..

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  ScudB
1 ano atrás
ScudB
ScudB
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Verdade..Nem olhei na imagem 🙂 ..

Delfim
Delfim
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Parece mas não é.

guest
guest
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

É baseada no FN FNC e não no M16A2

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  guest
1 ano atrás

O Pindad SS1 é baseado no FN FNC e o Pindad SS2 é baseado no Colt M16A2. Ainda tem o SS3.
. http://images4.fanpop.com/image/photos/21400000/ss-variant-indonesia-weapons-standart-nato-guns-21415507-604-453.jpg

ScudB
ScudB
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Hehe ..
Ele tb nao olhou a imagem do bichinho.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

E os russos dão o braço a torcer e fazem um AK “americanizado” como a anos já se faz nos EUA….

Pedro
Pedro
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Qdo os Ak começarem a apodrecer na primeira chuva, nas disparar se cair no chao, engasgar ou precisar de 5 minutos para um soldado regular desmonta-lo, e custar 5x mais caro, ai sim pode-se dizer que ele foi americanizado com sucesso!

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Simplesmente eles modernizaram o AK…

Coisa que os russos levaram décadas para admitir que precisava.

Agora se os acessórios americanos são tão ruins assim porque as Forças Especiais da Rússia usam EOTECH e Aimpoint ?

Nem para fazer miras eletrônicas direito a indústria russa serve.

Humberto
Humberto
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Tai uma ótima pergunta que os Russofilos (que ainda vivem na época da guerra fria), não conseguem responder (e ficam negativando). Os militares Russos (que conhecem melhor do riscado) usam de boa, e nem estão ai com as reclamações, pois é o c* deles que estão em risco.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Humberto
1 ano atrás

Estou esperando a explicação dos russófilos sobre o porque as forças especiais da Rússia usam EOTECHS, Aimpoints, Crye Precision, OpsCore, Glocks, etc…

se tudo do Ocidente é uma porcaria…

Ricardo
Ricardo
1 ano atrás

Alguém pode fazer algum comentário técnico da arma? Esquecendo as ideologias política, religiosas, continentais ou sei lá qual ideologia que for, alguém sabe de algum teste feito, parâmetros ou algo realmente útil para que possamos conhecer melhor a arma?
Arma não tem ideologia, russa, americana, europeia e etc.
Não importa da onde venha, funciona, tem qualidade e serve para o que foi feita?
Isso que devia importar de verdade

ScudB
ScudB
Reply to  Ricardo
1 ano atrás

Basicamente um velho e confiável AK-74M com 7,62mm (escolha ruim , deveriam ficar com 5,45 mesmo) , ergonómica atualizada e trilhos Picatinny por todo canto. Balística , ergonómica e manuseio um pouco inferiores se comparar com versão atual – AK-12/15. Não cheguei a desmontar nem segurar este dai , mas vejo muuita semelhança com AK-74M e AK-103. Com pouca pratica nem faz muita falta o modo de 2 disparos (ou 3 , dependendo da versão).
Resumindo, ótima arma. Mas , repito , fizeram escolha ruim de calibre.
IMHO…
Um grande abraço!

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Impressionante como os fuzis Kalashinikov fazem sucesso até os dias de hoje.
Simplicidade e robustez inigualáveis.
O Brasil deveria ter adquirido a variante de 5,56 mm.

Jovino
Jovino
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Sim, deveria ter empresas fabricando isto aqui: AK-105, assim como carabinas para o nosso mercado restrito (carabinas semi-automáticas na plataforma AR ou FAL, reduzidas para os calibres de pistola, mesmo .380ACP tem como) interno. Assim como a Imbel deveria disponibilizar um fuzil em .308Win. de repetição para o CAC na plataforma do FAL e não faz… (até aquele AGLC parou de fazer…). Ou seja, a Imbel não tem interesse nem gabarito e parece que vai continuar não tendo. Ter só a Taurus, é estrategicamente ruim para o país: limitação do portfólio, monopólio de preço, logística de produção e distribuição concentrada,… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Eu sinceramente acho um bom fuzil, o IA2 pelo que já vi no youtube aquece muito rápido, e logo dá falha, além de que não é ambidestro, coronha dele não é regulável, o fuzil se treme todo quando atira, parece um produto vagabundo, o EB devia ter comprado o direito de fabricação de algum fuzil, de preferência continuar com os Belga assim comprando o SCAR, ou quem sabe algum projeto da SIGSAUER, ou HK, esse AK também são bons.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

O IA2 suporta 180 tiros seguidos, o que dá 6 carregadores de 30 tiros em sequencia, e as unicas falhas de que tenho conhecimento ocorreram devido o uso de munição errada na arma (o .223 Remington se não me falha a memória), não é ambidestro porque o EB não quis e a coronha não ser regulável, bem criaram uma coronha regulável só que ela era mais fraca e cara do que a que esta sendo usada. Para mim as únicas falhas do IA2 é o número alto de partes (250 ao todo) e terem mantido a base do FAL (por… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

e o sistema de recuperação após falhas, que eu já vi, dar falha feia, já vi ele explodir, o EB tentu entregar uma arma de qualidade de nível igual aos internacionais mais entregou uma arma que é só o melhoramento do FAL, e olha que eu acho o FAL melhor que o IA2, mas o comprimento e peso dele não serve tão bem para o campo de batalha moderno.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Quando dizem FAL só penso em como a uma boa G3 (a sua principal concorrente da altura) de boa origem, é melhor.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Eu vi o vídeo da arma explodindo quando o site Plano Brasil colocou la e também que a Imbel pediu que a arma fosse enviada para eles para avaliação mas depois a Imbel publicou nota dizendo que a arma em questão não foi enviada para eles.
Pelo o que se discutiu na época a arma teria explodido por estar usando um modelo diferente de munição 5.56 mm da que tinha sido projetada.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

cara, mes desculpa, mas uma arma de guerra com calibre 5.56mm explodir só pq uma munição não estava do jeito que a arma gosta, só prova que essa fuzil não é bom, uma falha de ejeção, ou um tiro mais fraco é o esperado de munição vagabunda, mas explodir a arma, parece que não existe mais diferença entre Taurus e Imbel, as duas são uma porcaria.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

As causas da explosão daquela arma nunca foram esclarecidas pois como disse ela não foi enviada para a Imbel para avaliação.
Agora desmerecer todos os Fuzis IA2 só por que alguns apresentaram defeito, enquanto elogia armas estrangeiras que também apresentaram defeitos é muito contraditório.
(o FN SCAR, durante o teste de queda pelo exercito peruano apresentou rachaduras em sua coronha, tem video no Youtube mostrando isso.)

Inf
Inf
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

Fuzil nenhum do mundo que dispara munição 5,56mm não pode disparar .223. Isso é papo.

Na competição que um oficial da FAB participou lá na Rússia disparou munição .223 sem problemas e a IMBEL propagandeou o caso na época.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Inf
1 ano atrás

Isso foi muito debatido na época, apresentaram inclusive uma tabela e uma explicação sobre as diferenças das munições e principalmente de suas espoletas. (é ai que esta a chave da questão)

Inf
Inf
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

O problema é que isso é inédito. Nunca se ouviu falar de um fuzil 5,56mm que explodiu por disparar munição .223, que é mais “fraca” inclusive.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Inf
1 ano atrás

Eu teria que olhar o video de novo (faz tempo que eu não vejo ele), mas se minha memoria não falha, no parece que a arma já tinha algum defeito e antes de explodir ela não atirou e o policial ao puxar a alavanca para ejetar o cartucho o mesmo não foi ejetado e um segundo projetil tentou entrar na câmara o que resultou na detonação dos dois ao mesmo tempo. (o m16 teve este mesmo problema no início de sua carreira e o t4 da taurus tambem teve este defeito na apresentação.A explosão não é comum mas pode ocorrer… Read more »

Inf
Inf
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

Isso já é uma forma viável de ocorrer falha catastrófica. Mas explodir por disparar .223 que não é.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Inf
1 ano atrás

Eu revi o video e pelos comentários a armas explodiu por falta de manutenção o que fez a arma sofrer de Squib loading.

https://www.youtube.com/watch?v=aVXeNC15AlQ
neste video um ak explode na mão do atirador (entre esse ak e o ia2, eu prefiro o ia2, pelo menos não estoura por completo.) mesmo problema, falta de manutenção

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Wilson Look
1 ano atrás

É uma arma com muitos problemas, de ergonomia principalmente mas também de Controle de Qualidade na fabricação. O EB recebeu o que pediu, os requerimentos foram baixos. pro infante é uma arma razoavel, mas é muito ruim pro policiamento onde é muito utilizada hoje. Quanto a explodir ao usar .223 por conta de diferentes tolerâncias entre os cartuchos é colocar a culpa das falhas de fabricação na conta dos outros. O SCAR foi devolvido pelo MARSOC por conta de falhas, os AK até a introdução do AKM tiveram falhas, os M16 nem preciso comentar, mas todas essas armas evoluiram o… Read more »

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Aquela coronha retrátil é uma “homenagem” ao M-16. Será que tb é rebatível ?
.
A produção licenciada seria uma forma de contornar sanções do Trump ?
.
Chupa BR. Melhor copiar uma roda que funciona (um projeto consagrado como o AK, M-16, p.ex.) que tentar reinventar a roda e acabar com uma roda quadrada como o IA-2. Que pode até ser arredondada mas isso vai custar tempo e $$$.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Delfim
1 ano atrás

O fusil Taurus T4 (cópia do m16) mandou lembrança.
Prefiro o IA2 do que o T4.

Lucas Roberto
Lucas Roberto
Reply to  Delfim
1 ano atrás

O m-16 não tem coronha retrátil. quem tem é o m4

Delfim
Delfim
Reply to  Lucas Roberto
1 ano atrás

Luciano os M16A2 aqui no RJ possuem coronha retrátil.

Lucas Roberto
Lucas Roberto
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Mais concordo que uma plataforma AR ou AK são superiores em teoria al ia-2

ScudB
ScudB
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Amigo Delfim!
Rebatível sim :https://youtu.be/KcsrdBATbi4?t=48

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Complementando, tanto Índia como Arábia Saudita optaram pelo fuzil AK-103 no calibre 7,62 russo.
Esta doutrina de emprego de um calibre maior mostra-se totalmente diferente do 5,56mm da OTAN.
Alguém poderia enumerar as vantagens e desvantagens do 7,62mm?

Lucas Roberto
Lucas Roberto
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

cara esse assunto é muito longo e complexo. Os EUA adotaram o 5,56x45mm porque tem um mais velocidade no disparo e o soldado carrega mais munição que o 7,62x51mm da otan com o mesmo peso. Os russos usam o 7,62x39mm que é considerado um calibre intermediário, os motivos pra isso tem que analisar o porque os russos trocaram do 7.62x54mm do mosinagam da 2 guerra mundial pelo 7,62x39mm do Ak nos anos 50.

ScudB
ScudB
Reply to  Lucas Roberto
1 ano atrás

Os russos usam AK-12 (e variantes dos AK-74M) com 5,45×39 (índex – 7N10). E tem 7,62×54 no SVD , e vários (incluindo .308 e .338) no SVCh. Os 7,62×39 usam algumas unidades das forças especiais da PM e algumas unidades da Infantaria de Montanha. Somente…

Oráculo
Oráculo
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Muita gente fala, e não estou afirmando que essa é a verdade, que a OTAN optou pelo 5.56 pq ele não neutraliza o inimigo em 100% dos casos, mas muitas vezes deixa ele entre a vida e a morte. O que acaba prejudicando mais uma unidade inimiga, pois um soldado gravemente ferido se torna um transtorno para a tropa. Já ouvi isso de instrutor de tiro de PM. Por sua vez o 7.62 mata na hora. O soldado inimigo morre, a tropa perde um membro mas segue na luta, sem ter que se incomodar com ninguém gemendo e gritando de… Read more »

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Oráculo
1 ano atrás

Eu fui pressionar o “Read more” e acabei negativando o seu comentário pela proximidade, não era essa minha intenção.

colombelli
colombelli
Reply to  Oráculo
1 ano atrás

também ja ouvi muito isso, mas convenhamos, é muito relativo, pois tudo depende de onde pega. Teríamos de ver estatisticamente em conflitos com uso de 7,62 e depois do 5,56 pela mesma tropa como seria o resultado de feridos e mortos. Os ingleses e agora nós vivenciamos esta transição. Em síntese, o 7,62 ter mais energia não significará necessariamente mais morte que o 5.56. Dependerá do cenário, dos atiradores, dos alvos. Muitas variáveis.

Humberto
Humberto
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Complementado.
Os americanos impuseram o calibre 7,62 (que foi utilizado pelo M-14) e a Otan utilizou o calibre para o Fal (L1A1 Britânico), G3 entre outros. Na década de 60 os americanos trocaram novamente, mas para o 5,56 que é uma munição muito popular nos EUA.
Além da teoria que o projetil mata menos (pois um ferido necessita de no mínimo dois soldados para auxiliar na evacuação, existe o “trauma” dos companheiros em ver um dos seus gravemente ferido (chorando, gritando)), é possível carregar mais munição e isto tem lá a sua relevância.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Oráculo
1 ano atrás

Ouvi falar que o 5,56 perde a precisão na selva, basta algumas folhas!

colombelli
colombelli
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

se fosse com o 7,62×51 seria gritante a diferença de energia e de precisão ( apos os 400 metros). Mas entres estes dois acaba havendo uma pequena diferença de poder de parada em favor do russo. Nada significativo. Por outro lado, o 5,56 permite levar muito mais munição no mesmo peso. Hoje a tendência é privilegiar o volume à precisão e letalidade.

colombelli
colombelli
Reply to  colombelli
1 ano atrás

A proposito segue uma apreciação da carga de munição. com dois porta carregadores carregadores vai: 1) 4 carregadores 7,62×51, com 20 tiros. peso de 3 kg ( eu pesei. dá 25 g por cartucho e mais o carregador. total de cada 750 gr). Mais 20 na arma. total 100. 2) 4 carregadores do 7,62×39 com 30 tiros mais 30 na arma. Total 150 tiros. 3) 6 carregadores 5,56x 45 com 30 tiros e mais 30 na arma. Total 210. Com 4 porta carregadores, carga máxima que dá pra levar razoavelmente: 1) 8 carregadores 7,62×51 com 160 tiros ( 6 kg… Read more »

Delfim
Delfim
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Para uso policial o calibre 7,62×39 é melhor por ser menos transfixante. Se usados projéteis soft ou hollow-point o poder de parada é absoluto.
Já a plataforma AR é mais leve e ergonômica. Embora a plataforma AK seja mais robusta, tal qualidade é menos importante em uso policial, urbano.
O ideal para uso policial é o M-16 em calibre .300blackout, o estojo do 5,56×45 alargado no gargalo para usar projétil 7,62.

Oráculo
Oráculo
1 ano atrás

Nenhuma novidade.
Os Kalashnikov estão entre as melhores armas do mundo.

Ao lado dos M4, FN, HK…
Vai da vontade politica do cliente.
Com qualquer um deles nas mãos o soldado está muito bem armado.

Rustam
Rustam
Reply to  Oráculo
1 ano atrás

The special forces of the US Armed Forces intend to begin production of Russian weapons. This writes the National Interest.

The US Special Operations Command has offered grants to companies that can “uncover and improve the technology” of the large-caliber NSV “Utes” machine gun and the Kalashnikov machine gun. …

colombelli
colombelli
1 ano atrás

nada tenho contra armas russas. Gosto do conceito deles de simplicidade e volume. Não se trata do melhor fuzil do mundo, mas é confiável e robusto. Cumpre missão.

Quanto às criticas ao IA2, toda arma sofre problemas quando em desenvolvimento e ele ainda está tecnicamente em fase de testes e aprimoramento. Vamos com calma nos juizos. A meu ver igualmente não é o melhor mas cumpre função. Itens de baixa tecnologia e produção em massa é interessante ter produção nacional.

Inf
Inf
Reply to  colombelli
1 ano atrás

A história do IA-2 começou com o MD-1 e a posterior série (MD-2, MD-3 e MD-4).

Depois virou o MD-97.

Não sendo ainda considerado ideal modificaram este ultimo no que por fim gerou o IA2.

Dessa forma lá se vão mais de 30 anos de desenvolvimento.

Delfim
Delfim
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Colombelli, as Forças Policiais estão recebendo o IA-2 e a sensação é que estão sendo feitas de “cobaias”, o que tem sua lógica, pois as informações do uso em campo são importantes para correções e aperfeiçoamentos do fuzil. Mas não deixa de causar desconfiança e desconforto.
Lembrando que as limitações dos FAL só foram descobertas quando repassados às Polícias.
Pessoalmente, acho que o IA-2 deveria ser meio quilo mais leve e usar plásticos de melhor qualidade.

colombelli
colombelli
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Delfim, suponho que algumas coisas so mesmo o uso contínuo e algum desgaste revelam. Tua sebes bem disso e por experiência. É normal, portanto, que haja um período de experimentação na tropa, tão importante quanto os testes pretéritos, o qual, todavia, so deve ter vez quando a questão da segurança minima da arma esteja resolvida e equacionada. Eu falo por experiência, não tem teste melhor que uns dias na mão do EV ou do aluno ( alto teor corrosivo em ambos). Se aguentar quatro meses nas mãos deles e tirando guarda suporta qualquer coisa. pra mim o IA2 ainda é… Read more »

Papa Charlie
Papa Charlie
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Vamos lá, para uso policial a trava não é adequada, você precisa tirar a mão da empunhadura para aciona-lá. É extremamente robusto, mas é pesado e não é preciso, questão de doutrina. Quanto ao calibre, permite um alcance efetivi maior que o 5,56 mm.

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Caro Colombelli, concordo com a sua colocação quanto ao IA-2 ser uma arma em desenvolvimento, porem o EB “força” as policias a adquiri-lo já que a importação de produtos já testados e aprovados em outras forças é negada por haver “similar nacional” para privilegiar a END. O problema ai é que esses fuzis estão sendo usados 24/7 por policiais em serviço real, onde o espaço para desenvolvimento é pouco. onde a instrução de emprego e disparos para manter a proficiência após a habilitação não existem praticamente, onde a ergonomia conta muito, por conta da diversidade de tipos físicos existentes na… Read more »

colombelli
colombelli
Reply to  Mazzeo
1 ano atrás

Mazzeo, mas esta é justamente a finalidade de pô-lo em serviço, mas certamente que não deveria haver imposição ou forçamento de coisa nenhuma. Isso é um erro. A arma é para o EB a priori e no EB deveria ser testada. Se fosse o caso de polícias, jamais deveria haver “imposição” velada ou aberta e sim o oferecimento para teste antes de qualquer coisa. Esta END em muita advinda do famigerado governo anterior tem muitos equivocos. Esta voz de voces tem que ser levada ao comando, seja para melhorar o que dá, seja para dar um basta e dizer,olha pra… Read more »

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Caro Colombelli, o EB se equipará no futuro unicamente com a família IA-2, ou em algumas unidades específicas, voltadas à ações especiais em cenários extremos se buscará fuzis de assalto que sejam destaques no mercado internacional?

Pergunto isto tendo em mente sua dissertação em outra matéria sobre a estratégia defensiva de nosso Exército.

colombelli
colombelli
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Rafael, aqui a produção do “proprio fuzil” e de outros itens básicos sempre foi vista como uma questão estratégica. Isso está muito relacionado a nossa doutrina e a incapacidade de se manter forças significativas prontas para combate, de forma que trabalhamos com o conceito de reservas, sobretudo porque nossa grande população facilita isso. Numero é um fator dissuasivo muito importante. Na verdade hoje temos um conceito misto, onde procuramos manter uma força de pronto emprego ( PQDT, aeromovel, BFE), onde a fase da mobilização é dispensada e que está apta a efetuar em curto tempo a concentração estratégica e a… Read more »

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Colombelli, grato pela atenção e pelas informações lecionadas. O que me chama atenção é que se o EB vê como estratégica a produção de um fuzil de assalto nacional; em seus requerimentos não exigiu algo de qualidade inquestionável, sob alegação de custos; e se baseia no gigantismo territorial e populacional, a quantidade de FALs, PARAFALs e IA2 foram/serão adquiridos, me parecem aquém do necessário. Se me permite a vênia, o EB equipar sua elite com equipamentos estrangeiros; a MB e a FAB igualmente se fazendo de desentendidas quanto ao novo modelo da IMBEL; ao mesmo tempo que se organizam política… Read more »

colombelli
colombelli
Reply to  Rafael_PP
1 ano atrás

Rafael, alguns dados falam que teriamos algo em torno de 1.9 milhão de reservistas. Na verdade se for buscar, deve ter até mais, mas não adianta tentar armar uma quantidade insustentável de homens. Eu chuto que hoje devemos ter armas para em torno de 400.000 a 450.000 homens sem recorrermos aos fuzis que estão nas polícias. É um bom numero. E armar pressupõe ter condições também de ter estrutura de apoio (logistica, comunicações, artilharia e engenharia) e comando A produção de grande numero de armas para estocagem tem dois inconvenientes. Primeiro, o gasto para um evento pouco provável, que é… Read more »

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Foi feito um teste de aceitação, envolvendo outras marcas, e a arma não foi aprovada para o serviço policial porem, é o que o EB nos autoriza a comprar. O problema é que a voz da tropa de uma policia não chega aos ouvidos do EB, tampouco aos da IMBEL. O RJ consegue algumas coisas como a compra dos AR-10, a própria SENASP bancando os AR-10 para as unidades da Força Nacional e que vieram com os policiais para seus estados e etc são casos esparsos, São Paulo precisa de uma grande, realmente grande quantidade de fuzis, e ai a… Read more »

colombelli
colombelli
Reply to  Mazzeo
1 ano atrás

Mazzeo eu desconheço que o IA2 tenha sido reprovado pra serviço policial e em algum teste oficial ( porém não me pus a pesquisar), mas se foi, e se isso consta de documento oficial, e se gerados riscos para o usuário ou terceiros, cuida-se de um fato que, em tese, legitima até mesmo a atuação do MP na propositura de uma ACP ( ação civil publica) tal e qual ocorreu com a compra de capacetes que o EB ia fazer a custo de 44 milhões de reais e que está sustada por conta de uma liminar proferida em demanda onde… Read more »

Delfim
Delfim
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Aqui no RJ não ouvi queixas de membros da PMERJ, PRF ou FNac sobre falhas. Apenas desconfiança e alguns detalhes como já coloquei acima.
O que vi são alguns fuzis de cor verde, inicialmente destinados ao EB, que acabaram repassados à PMERJ, que será sua usuária no RJ, visto a PCERJ continuar de M-16.
Imagino que seja mais fácil para uma instituição militar, a PMERJ, fazer um feedback sobre o uso do IA-2 à IMBEL.

Talisson Goet
Talisson Goet
Reply to  colombelli
1 ano atrás

A DFA em Goiás parece estar disposta a importar (fabricar no BR, dizem eles) fuzis AR turcos naquela patente HK de auto-limpeza do êmbolo. Se realmente o fizerem, a um preço razoavel, venderão bastante para os Estados.
Segundo o Gosto de Armas, armas turcas tem qualidade semelhante às Taurus…. veremos

colombelli
colombelli
Reply to  Talisson Goet
1 ano atrás

tem o video do teste pela policia de Goias no youtube. Mas ai que entra a questão do uso. Em testes como este, armas novas se saem bem. Eu nunca tive problema com o 261100 em mais de 2800 tiros, mas não era um FAL que tirava serviço ou ia pra campo. Os da mesma idade que estavam na tropa raramente ejetava e tinham as cavilhas gastas de forma que praticamente vergavam no meio. A questão toda é como a arma estará na sua meia vida

Delfim
Delfim
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Aqui na DHBF tem FAL com inscrições em francês, ou seja, belga. Faça idéia de quanto tempo tem.
.
Não acredito que um M-4 aguente mais que 20 anos na mão de bisonhos, mas para as FAs estadunidenses isso não é problema, sempre são substituídos.
.
Equipamento de infantaria no EB, inclusive fuzis, não deveria ser encarado como algo de durabilidade indefinida, e sim como algo a ser periodicamente substituído.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Fase de testes com gente arriscando o pescoço utilizando ele ? Brincadeira…

Felipe Morais
Felipe Morais
1 ano atrás

Boa compra e ponto final.
Robusto e confiável.

Não debandem a discussão para essa idiotice de EUA X Rússia.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Felipe Morais
1 ano atrás

Olha o roto falando do remendado. Você aqui é um dos que mais debandam para a idiotice EUA X Rússia

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Não colega, creio que, em meio a toda discussão inútil e infantil que você inicia ou se mete, esteja se confundido.

Critico bastante a desinformação que você e outros aqui propagam, bem como a provocação que trazem em seus comentários. E, mais ainda, a ausência de controle dos moderadores sobre isso.

Infelizmente, acabaram, salvo raras exceções, com as discussões argumentativas que tínhamos aqui. Um ambiente de aprendizado se tornou um ambiente de futilidades.

Pavan
Pavan
1 ano atrás

O EB irá padronizar suas tropas com o IA2 ?? E a MB e a FAB vão utiliza Los ??

colombelli
colombelli
Reply to  Pavan
1 ano atrás

Sei te dizer que o CFN recebeu a arma pra testes. A FAB não sei. E não se viu nada sobre as outras forças adorarem a arma, pelo menos não que eu tenha sabido.

Marcos
Marcos
1 ano atrás

@OFF TOPIC

Apagão na Venezuela atinge 90% do país. Roraima sem energia.

O ditador afirma que houve sabotagem na Usina Hidrelétrica de Guri, principal fornecedora de energia para o país.

Cabe destacar que a usina estava sob a proteção das Forças Armadas.

Sidney
Sidney
1 ano atrás

OFF TOPIC: “A Venezuela está sem energia elétrica há mais de 15 horas. O apagão iniciou por volta das 17h (19h em Brasília) de quinta-feira (7), atingindo cerca de 90% do território nacional e prejudicando o acesso à internet, comunicações telefônicas, transporte e o funcionamento de hospitais.” “Maduro aproveitou a oportunidade para, mais uma vez, colocar a culpa pelos problemas da Venezuela na conta dos Estados Unidos. “A guerra elétrica anunciada e dirigida pelo imperialismo dos EUA contra nosso povo será derrotada. Nada e ninguém será capaz de derrotar o povo de Bolívar e Chávez. Máxima unidade dos patriotas!”, tuitou… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Sidney
1 ano atrás

Situação horrível dos Roraimenses, Roraima já devia estar integrada ao sistema Ncional de Distribuição de Energia, se não fosse por imensas reservas indígenas, e o fato deles e ongs ficarem impedindo a passagem da energia.

Acacor
Acacor
1 ano atrás

Para o contingente geral essa (AK) é a melhor arma devido à robustez e custo baixo. Para as forças especiais poderia-se adotar um modelo mais caro como por exemplo o HK. Essa deveria ser a política das forças armadas. Uma ótima opção dentro dos modelos desenvolvidos a partir do AK é o fuzil da Colômbia IWI ACE. Lembremos que o exército colombiano está constantemente operacional por conta da guerrilha e provou da importância e qualidade deste modelo. Certamente é uma arma superior ao IA-2 e tem um custo de aquisição e operacional mais baixo que este.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Acacor
1 ano atrás

Acacor, lembrando que a IWI ACE é a IWI Galil ACE israelense, um AK-47 com melhorias, a empresa colombiana Indumil comprou a licença dos israelenses para a produzir.
. https://www.indumil.gov.co/categoria-producto/productos-militares/armas-es-es-es/
Mais um país que preferiu usar um modelo testado e aprovado ao invés dos riscos de desenvolver um modelo novo como a Imbel.

Delfim
Delfim
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Tão aprovado que Israel não usa mais. Quer um Galil bom, faça o seu, como os sul-africanos fazem.

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  Delfim
1 ano atrás

O fato de não servir mais a Israel não significa que não serviria ao Brasil e poderia ser melhor do que desenvolver o IA-2.

Acacor
Acacor
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Israel não usa mais o Galil original porque é pesado e ultrapassado, como o FAL. Mas o ACE é uma evolução considerável dele. Por isso Israel adquire o ACE dos colombianos.

Acacor
Acacor
Reply to  Walfrido Strobel
1 ano atrás

Strobel, os colombianos têm uma versão diferente. Eles dizem que adquiriram a licença do Galil (que já é uma modernização do AK), mas que modernizaram o projeto, o tornando-o mais leve, mais ergonômico, com trilhos, etc. Patentearam essa nova versão como ACE, e inclusive vendem essa versão modernizada aos israelenses.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
1 ano atrás

Isso é que dá, os caras terem pegos, alguns StG44.

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
Reply to  Renato de Mello Machado
1 ano atrás

Você está meio certo, mas não foi apenas a captura das StG44 que levou a criação dos AKs, (há semelhanças da StG também no M16) foi a captura do próprio Hugo Schmeisser e sua equipe de engenheiros. Após Kalashnikov apresentada para o Exército vermelho o protótipo do seu rifle, foi sugerido fazer alumas mudanças no projeto, nisso entrou a equipe de Schmeisser.

Cavalo-do-Cão
Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

“Índia assinou contrato com a Kalashnikov para 750 mil fuzis automáticos AK-203 6 de março de 2019” Russian Road Rage : https://www.youtube.com/watch?v=IMjnQ1dvlJM Mas é isto que eu não entendo…são estas coisas que eu ainda não consigo entender…se é uma porcaria e o pós venda é tão ruim assim como apregoam tanto então porque que compram e ainda continuam comprando desta gente?!…porque ainda teimam em gastar milhões de dólares com estas tranqueiras feitas na Rússia se são imprestáveis e de qualidade inferior como tanto apregoam?!..porque ainda continuam como o segundo maior exportador mundial de armamentos?…rs… “Antoniokings São resistentes. Confiáveis. Operam em… Read more »

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

O pós venda não era uma característica soviética por questões óbvias. Relações de mercado não faziam parte da doutrina comunista. No comunismo, o lema era produzir quantidade em detrimento a tecnologia. Após a queda do comunismo, isso aos poucos está mudando. Hoje com a Rússia economicamente capitalista, houve uma melhora significativa na qualidade e principalmente no suporte técnico e pós venda de empresas como por exemplo, Kalashinikov e Sukhoi. Qualquer entendimento diferente disso é pura militância ideológica. A Rússia tem melhorado e muito seus equipamentos. A velocidade do desenvolvimento das suas indústrias, está dentro das suas capacidades financeiras e de… Read more »

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  Cavalo-do-Cão
1 ano atrás

Os equipamentos russos são ótimos!
A cada dia melhoram em qualidade e tecnologia.
Até mesmo os chineses já produzem produtos militares de boa qualidade.
Não caia na lorota do viés ideológico.
Os países não tão alinhados com o ocidente, ganham mercado e melhoram a cada dia.

art
art
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

são ótimos até necessitar de manutenção…o padrão Ocidental (mnt, diagonal de Mnt, homem hora etc) é que se segue no Brasil. Equipamentos Russos de alta complexidade são dor de cabeça para quem vive no padrão OTAN-OCIDENTE.

horatio nelson
horatio nelson
1 ano atrás

poxa vida se vangloriam pela venda da maior arma de destruição em massa da historia da humanidade as armas da famillia AK responsáveis pela morte de milhares de inoncentes…matou mais q qualquer outra coisa na história e exatamente pela fabricação e venda indiscriminada…é muito triste!

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

De todas as armas…a que mais mata é a IMPUNIDADE!….

colombelli
colombelli
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

Horatio, é pra isso que as armas servem, não é?. Todas sem exceção. Se não fosse o AK seria outra que teria este titulo. O problema não está nelas, mas no uso que os homens dão a elas.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  colombelli
1 ano atrás

uma arma americana made in usa não teria esse uso indiscriminado e irresponsável como armas da familia ak…nunca vi ar15 sendo distribuido para crianças em aldeias ou genocidas…lá se escolhe os lados…

elton
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

da uma pesquisada sobre a guerra civil em el salvador e nicaragua

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  elton
1 ano atrás

sei disso porém as armas foram entregues para depor governos criminosos q oprimiam os seus povos…como será feito na venezuela

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  elton
1 ano atrás

só um detalhe qualquer mentalidade socialista e aversa ao capitalismo e a liberdade é uma mentalidade criminosa e governos assim não devem existir

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

é o ponto onde queria chegar…a quantidade de aks na africa é tão grande que em alguns países como a liberia são trocados por galinhas…mas porque se chegou a este ponto ? ao meu ver foi uma politica de imposição do socialismo por parte da russia(cccp)…vemos q armas americanas tem um certo controle de vendas no primeiro momento como vc disse…ja na russia não vejo isso a corrupção lá é generalizada não duvido q se chegar com uns milhões a um general russo ele vende até a mãe…não se tem controle sob numeros de estoque…pode se maquear é tudo uma… Read more »

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

diferente dos estados unidos o país da liberdade

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  horatio nelson
1 ano atrás

é verdade concordo…parabéns pelo debate em alto nivel! boas respostas

Oiseau de Proie
Oiseau de Proie
1 ano atrás

“Índia assinou contrato com a Kalashnikov para 750 mil fuzis automáticos AK-203
6 de março de 2019”

E o Rustam fica feliiiizzzz :

https://www.youtube.com/watch?v=ejJIILrrb0E

E o Rustam só alegrrriiiaaa… 😛

JPC3
JPC3
Reply to  Oiseau de Proie
1 ano atrás

Certo o Rustam ficar feliz, é o país dele.

Estranho são as declarações de alguns brasileiros que parecem não ter pátria e amarem um país que nem conhecem.

Cavalo-do-Cão
Cavalo-do-Cão
Reply to  JPC3
1 ano atrás

O inimigo do meu inimigo é o meu amigo, Deagol….!!!….

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  JPC3
1 ano atrás

Concordo plenamente com você. É estranho declarações de alguns brasileiros que parecem não ter pátria, já que amam e defendem um país que conhecem bem, já que esse mesmo país é responsável por roubar os recursos do Brasil, impor sua cultura e ridicularizar a nossa, mas principalmente por nos escravizar por meio de um sistema financeiro internacional estrangulador.

Sidney
Sidney
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Teu professor de História aí no ensino médio tá fazendo uma excelente limpeza em sua mente.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
1 ano atrás

Bom dia. eles optaram pelo 7.62 ao invés do 5.56 seria apenas para manter a padronização ou é mais eficiente em combate?

colombelli
colombelli
Reply to  Luiz Antonio
1 ano atrás

depende o tipo de combate que voce espera. Mas no caso deles provavelmente tem a ver com a padronização. Devem ter estoques medonhos de munição neste calibre.

Bolovo
Bolovo
Reply to  Luiz Antonio
1 ano atrás

Manter a padronização não é porque o AK-203 vai substituir o INSAS que é no calibre 5,56mm OTAN.

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Beleza russa X beleza ocidental

Segue dois padrões de beleza para serem comparados. Um trata-se da típica mulher russa, Natalia Poklonskaya

[img]http://cdn1.img.br.sputniknews.com/images/223/33/2233390.jpg[/img]

Segue agora o padrão de beleza típico do Ocidente, Chonchita Wurst, vencedora do concurso de música Eurovisão.

[imgcomment image[/img]

Então, digam: quem vocês preferem.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Não saiu a imagem da Natalia, segue agora:
comment image

teropode
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Mas isso ai é a cara dos vermelhos brasileiros que defendem este tipo de kimerismo kkkkkkkk

Walfrido Strobel
Walfrido Strobel
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás
Fabrício Barros
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

O lugar é pra falar de temas militares ou para você mostrar o seu preconceito? O Eurovisão é concurso de música, não premia beleza ou um pretenso padrão de beleza como você, de forma equivocada e preconceituosa, tenta fazer crer. Conchita Wurst ganhou o de 2014 porque a sua música foi considerada boa. Ponto final.

Não vejo mulheres trans barbadas, tampouco drag queens como padrão de beleza do Ocidente. Se você vê como padrão, das duas, uma:

1. saia do armário e vá se arranjar uma barbada; ou
2. procure ajuda psiquiátrica.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Fabrício Barros
1 ano atrás

Fabrício, parabéns por ter se levantado contra a intervenção preconceituosa do sujeito! O que irrita ele é o fato do ocidente por sua tradição democrática sere mais tolerante à diversidade, o que permitiu à Conchita Wurst ganhar o Eurovision por seus dotes musicais, o que afinal é o que importa no concurso.

E como você bem colocou mulher “barbada” ou trans não é o padrão de beleza ocidental hoje pelo fato de hoje haver uma maior diversidade, basta ver a lindíssima Ashley Graham, uma das modelos mais bem pagas do mundo hoje e que é plus size.

Fabrício Barros
Reply to  HMS TIRELESS
1 ano atrás

Taí uma das raras vezes que concordamos, Incansável.

Fabrício Barros
1 ano atrás

Até onde sei, os fuzis da série AK-200 foram aprimorados nos modelos AK-12 (5,45x39mm) e AK-15 (7,62x39mm). A versão escolhida pelos indianos é esta última. Pela construção da fábrica, indianos poderão fabricar todos os derivados da família AK, como o RPK-16, entre outros.

ScudB
ScudB
Reply to  Fabrício Barros
1 ano atrás

Negativo.
AK-20X são aprimorados (cosmeticamente) Ak-10X e destinados para exportação e estruturas de “policiamento”. Os AK-12/15 são adotados pelo Exercito e representam o top de evolução do “conceito Kalashnikov” na atualidade. Junto com SVCh e RPK-400 (ou 16) , depois dos testes de aceitação pelo Exercito Russo.
Outro , tb negativo..
RPK-400/16 não vai ser produzida na Índia ate , pelo menos , os indianos mudar TUDINHO para calibre 5,45. Mais provável seria fabricação de PKM ou da versão atualizada da ultima – Pecheneg que usa 7,62x54R.
Um grande abraço!

Fabrício Barros
Reply to  ScudB
1 ano atrás

Algumas fontes que consultei dizem exatamente o que falei: http://www.sadefensejournal.com/wp/?p=1841

Demais, disse que os indianos ‘poderão’ construir, uma vez que terão a fábrica. Não que os construirá de fato.

Ademais, Wikipédia Anglófona redireciona AK-200 para a página AK-12, o que reforça o que eu disse.

ScudB
ScudB
Reply to  Fabrício Barros
1 ano atrás

Amigo Fabricio! Você esta baseando sua analise somente num artigo de 2013 onde não tem nenhum tipo de descritivo definitivo? E ate o autor deste artigo esta todo incerto e boiando nos modelos e avaliação dos termos? Sério isso? Te recomendo outro artigo onde pode tirar muitas duvidas e fazer realmente “analise” de arma : https://modernfirearms.net/en/assault-rifles/russia-assault-rifles/ak-12-ak-15-eng/ E se Você nunca segurou nenhum AK em próprios mãos posso garantir que AK-12/15 é bem diferente dos modelos anteriores : ambidestro , 3 modos de disparo , leve , com novos mecanismos com foco em estabilidade – ja viu isso em algum AK… Read more »

Nostra
Nostra
1 ano atrás

The article is factually wrong in many aspects . The AK-203 will only replace the older AK-47s now in use by the CAPFs ( central armed police forces ) and RR ( rashtriya rifles ). CAPFs strength – 1,403,700 personnel’s RR strength – 55 battalions RR is a specialised counter insurgency and counter terrorism paramilitary group where all its members are on deputation from the regular army and territorial army only. This was done to bypass constitutional restrictions. As being wrongly reported regular indian army will not induct the AK203 rifles which are of 7.62×39 calibre. The frontline regular Indian… Read more »

ALEXANDRE
ALEXANDRE
1 ano atrás

Imagina se pegassem nosso fuzil ia2 ia ser uma boa grana hein