Home Armas Nucleares EUA e Rússia rompem tratado histórico de desarmamento nuclear após troca de...

EUA e Rússia rompem tratado histórico de desarmamento nuclear após troca de acusações

2757
91

Os Estados Unidos e a Rússia encerraram nesta sexta-feira (2) o tratado de desarmamento nuclear INF, um dos principais acordos de armas entre Moscou e Washington. O fim do compromisso, assinado no final da Guerra Fria, reacende o medo de uma corrida armamentista entre as potências mundiais.

O Tratado de Armas Nucleares de Alcance Intermediário (INF, sigla em inglês), de 1987, limitava o uso de mísseis de alcance intermediário (500 a 5.500 km), tanto convencionais quanto nucleares. Meses atrás as duas partes indicaram sua intenção de se retirar do acordo, trocando acusações de quebra dos termos do pacto.

O secretário de Estado americano, Mike Pompeo, anunciou a retirada formal de Washington em um comunicado em um fórum regional em Bangcoc, minutos após a Rússia ter declarado o fim do tratado.

“A Rússia é a única responsável pelo fim do tratado”, disse Pompeo em um comunicado ao final de uma reunião de ministros das Relações Exteriores da Associação de Nações do Sudeste Asiático (ASEAN).

Pouco antes do anúncio de Pompeo, o ministro russo das Relações Exteriores disse em Moscou que o tratado havia terminado “por iniciativa dos Estados Unidos”. O vice-ministro russo das Relações Exteriores, Serguei Riabkov, também pediu aos Estados Unidos que implementem uma moratória sobre a implantação de mísseis nucleares de alcance intermediário depois de deixar o INF.

Washington acusou a Rússia durante anos de desenvolver um novo tipo de míssil, o 9M729, alegando que violava o tratado, uma posição apoiada pela Otan. O míssil em questão tem um alcance de cerca de 1.500 km, segundo a organização. Mas Moscou garante que só pode percorrer 480 km.

Em reação ao fim do tratado, a Aliança Atlântica expressou seu temor com o fim do cumprimento do compromisso pelas duas partes. “Nós não queremos uma nova corrida armamentista, mas vamos garantir que a nossa dissuasão seja crível” diante da implantação do novo sistema de mísseis russo, anunciou seu secretário-geral, Jens Stoltenberg.

Controle de armas nucleares

Assinado em 1987 pelo então presidente americano Ronald Reagan e pelo líder soviético Mikhail Gorbachev, o tratado INF foi considerado a pedra angular da arquitetura global do controle de armas.

No entanto, para o atual governo dos Estados Unidos, o pacto deu a outros países – principalmente à China – uma carta branca para desenvolver seus próprios mísseis de longo alcance. Washington acusou diversas vezes a Rússia de violações.

Pompeo assegurou nesta sexta-feira que os Estados Unidos “estão em busca de uma nova era de controle de armas que vá além dos tratados bilaterais do passado” e pediu que Pequim participe das discussões. “Os Estados Unidos conclamam a Rússia e a China a se unirem a nós nesta oportunidade para oferecer resultados reais de segurança a nossas nações e ao mundo inteiro”, disse ele.

O INF era considerado como um dos dois principais acordos de armas entre Moscou e Washington. O outro é o novo tratado Start, que mantém os arsenais nucleares dos dois países bem abaixo do pico da Guerra Fria. O pacto expira em 2021 e parece haver pouca vontade política por parte dos dois países em renová-lo.

A China também rejeitou os pedidos dos Estados Unidos para se juntar ao Start no futuro.

FONTE: RFI

91
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
71 Thread replies
2 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
42 Comment authors
Renato B.Rene ReisSpace jockeyAlexandreJoão Moro Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Quem gosta disso é quem vende as armas… Fora isso, é só prejuízo para ambos países essa briga besta! É um querendo ser mais forte que o outro, sabendo que o país mais forte que existe atualmente é o Brasil.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Essa é a consequência direta das irresponsabilidades do Sr. Trump.
Que aguente as consequências.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

E do Sr. Putin.

pedro
Visitante

kkkkkkkkkkkkkkkkkkk Essa foi boa! Brasil

JPC3
Visitante
JPC3

Só a Mc Carol, amiga da Manu, vale por vinte bombas de hidrogênio.

João Moro
Visitante
João Moro

Na primeira vez que eu li, nem percebi o comentário sobre o Brasil. Essa foi boa, DOUGLAS TARGINO. Espero que um dia, ainda vivo, possa ver meu país em um nível próximo a essas potências.

Renato B.
Visitante
Renato B.

O que ficou um pouco mais provável foi morrer por radiação.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Douglas… A Globo tá te perdendo como humorista…

diego 123
Visitante
diego 123

Neste caso a Comunidade Internacional deveria se posicionar e mostrar repúdio as autoridades americanas e russas contra essa irresponsabilidade que poderá trazer consequências funestas.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

A realidade é que a “comunidade mundial”, nesta situação, só pode ser um observador passivo.

Jacinto
Visitante
Jacinto

A minha impressão e que a comunidade internacional e so observador passivo em 100% dos casos. Ninguem vai prejudicar sua propria defesa por causa dela.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Os EUA não vão conseguir competir contra duas super-potências.

André Souza
Visitante
André Souza

Volta para o Xbox garoto.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Ninguém liga para Xbox.
Prefiro PS4.

Tutu
Visitante

Finalmente concordamos em algo, kkkk

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

kkkkkkkkkkk

KARLOS
Visitante
KARLOS

melhor um ATARI.

JPC3
Visitante
JPC3

O kings tenta transformar os problemas da Rússia em vitórias…

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Quais duas, sei da China, desconheço a outra!

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Desafie e terá um SARMAT para te lembrar.
E será seu último desafio.

JPC3
Visitante
JPC3

Não dá para entender esse tipo de argumento porque a Rússia seria destruída também. SARMAT não muda as regras do jogo por mais avançado que seja.

Bosco
Visitante
Bosco

JPC3, Eu não entendo a fascinação (fálica??) que algumas armas russas provocam em alguns mais exaltados. Será que Freud explica?? Mega torpedos tsunamicos, mega mísseis gigantescos, etc. Tudo é comprido e grosso. Cruz credo!! Eles acreditam nas próprias invencionices e são realimentados por sputinices espalhafatosas as mais diversas. O Sarmat é na verdade uma arma (quando entrar em operação sabe-se lá quando) ultrapassada do ponto de vista doutrinário. Mísseis lançados do solo são geralmente tidos como mísseis de primeiro ataque enquanto os mísseis laçados de submarinos são tidos como mísseis de resposta a um primeiro ataque. Os americanos têm cerca… Read more »

Maus
Visitante
Maus

Acha que no mundo atual a chance de uma guerra nuclear é nula?

Flanker
Visitante
Flanker

Cara, não perde teu tempo discutindo com robô!!

Flanker
Visitante
Flanker

Que meda!!!!!!
Enfia os Sarmat sabe bem onde……

colombelli
Visitante
colombelli

antônio entenda uma coisa, superpotência hoje tem duas, EUA e China, só. A Russia é a segunda ( ainda) e poder militar, mas isso não basta. Superpotência envolve maias coisas, e o erro do Putin é exatamente não perceber isso. A russia não é a URSS.
Ela consegue fazer aparece seu pode em caso de uso das armas, e nos sabemos que a disputa nunca é ou quase nunca é com armas. Esta a 70 anos disputando com os EUA e as armas até hoje não foram usadas. A guerra fria verdadeira foi em outros campo que hoje ela não escorra.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Você é outro “John Snow” que, como de costume, não sabe nada.
A principal diferença entre uma superpotência e uma potência simples, embora muito poderosa, é a presença de uma ideologia que pode ser usada internamente e, mais importante, exportada. Nem a Rússia, nem mesmo a China possuem nada, e se você olhar para os chineses, eles nem vão possuí-la. Historicamente, a China sempre foi enclausurada em si mesma. Você só precisa conhecer a história e é isso.

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Se considerarmos que uma superpotência é necessário a condição de uma ideologia que seja exportada, então a URSS nunca seria considerada uma superpotência. Veja bem, os únicos países em que a URSS exercia influência ideológica eram Cuba, Coréia do Norte e alguns países pobres africanos, o restante e considerando todo o Oriente Médio não estavam interessado em sua ideologia, mas sim nos seus milhares de CCs, viaturas blindadas, aviões de caça e mísseis antiaéreos, sistemas de artilharia e outros equipamentos, o que colocou aqueles países entre os mais militarizados do mundo. Porém ninguém em sã consciência diria que a URSS… Read more »

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Matheus Santiago

—–
É necessário distinguir entre os períodos de existência da URSS. No início, pré-guerra, pós-guerra, período tardio de declínio.
Os comunistas derrotaram na China. Na Europa Oriental, ao contrário da crença popular, havia também comunistas ou pessoas de esquerda. E na América Latina, foram necessários regimes de ditadura militar para deter os esquerdistas locais.
A China não tem nada parecido com o Comintern. A China é historicamente fechada dentro de si.

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Os comunistas da China não estavam mais sobre a influência de Stalin depois da morte do mesmo, e isso é bem documentado. Na Europa Oriental e Ocidental, os comunistas tiveram visões opostas sendo que um estava sob jugo soviético e outro sob jugo estadunidense, respectivamente. O que aconteceu é que os próprios comunistas da Europa Ocidental não queriam ficar sob o jugo soviético, e os que já estavam sob o jugo soviético tiveram que ser obrigados a se comportar da maneira como Moscou ordenasse, mesmo que alguns ali não seguisse todas as ordens como o próprio Tito. Na América Latina,… Read more »

Kommander
Visitante
Kommander

Verdade seja dita, a Russia ainda hoje é uma potência militar, mas potências militares e econômicas, atualmente só existem duas: EUA E CHINA.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Colombelli
A Rússia tem o suficiente para ela.
Em que pese seu enorme território, sua população é relativamente pequena.
Mas, em relação a poder militar não há como desafiá-la, visto sua capacidade de destruir o Mundo várias vezes.
Sem contar que possui recursos mais que suficientes para manter e até expandir esse poderio
Por isso, a classificação de superpotência e a certeza de que os EUA não poderão competir contra Rússia e China juntas..

Flanker
Visitante
Flanker

Em matéria de poder nuclear, os EUA, Rússia e China podem se destruir mutuamente ….. 1 destrói os outros 2 e é destruído……seja qual for a ordem dos eventos 3 das ações…..portanto, não tem essa sua ideia fixa de ver os EUA destruído. Se ele for, o que não é impossível, seus amados chinos e bebedores de vodka tb vão por inferno ….

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

se hj já compete e ainda tá vencendo, imagina se vier a ter preocupação dos tempos da guerra fria, e mais a Rússia não é lá essas coisas hj em dia, a China pose se chamar em breve de super potencia

Observador
Visitante
Observador

Duas Superpotências?!! Depois de muita análise, pesquisa na internet, consultas na área psiquiátricas e etc, eu cheguei a três possíveis cenários:
i) você não sabe contar até 3;
ii) você não sabe o que é uma super-potência; ou
iii) você é um grande comediante.

Rui chapéu
Visitante
Rui chapéu

Quem aqui já viu o vídeo do representante da ex-urss negando na ONU que eles tinham mísseis balísticos em Cuba?
Depois o representante americano mostrou fotos e acabou com a mentira deles.

Passa ditadura, os modos continuam os mesmos.

Não faça acordos com pessoas que não são confiáveis.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Quer se trate de uma busca por armas químicas sírias e uma ameaça de mísseis do Irã, para a Polônia.

Alexandre
Visitante
Alexandre

Misseis em Cuba = Misseis ena Turquia!
Medidas simétricas = vamos conversar!

Renato B.
Visitante
Renato B.

Acordos são feitos porque guerras fazem muito estrago, o resto é ingenuidade. Mentira por mentira as tais armas de destruição em massa do Iraque mostram que não tem santo nesse jogo.

Daglian
Visitante
Daglian

A Rússia há muito tempo já desrespeitava o acordo e, além disso, a China nunca esteve contemplada por ele, o que significa que ela desenvolveu agressivamente novas tecnologias de mísseis e de armas nucleares. Em outras palavras, o acordo simplesmente capava a capacidade balística americana enquanto russos ignoravam o acordo e os chineses não estavam contemplados. A melhor saída para os americanos é não seguir mais esse acordo, ou continuariam a serem feitos de trouxas. No entanto, a Rússia é um país em franca decadência. Eles não são o real problema. O real problema é a China, e esse é… Read more »

paulop
Visitante
paulop

Daglian: concordo sobre a Rússia, tá mal de vida mesmo, porém… o abandono desse tratado pelos EUA, mesmo que visando chamar a China pra um tratado futuro, abre portas para outros países buscarem desenvolver esse tipo de arma, nuclear ou convencional. A justificativa seria simples: se as grandes potências não precisam seguir regras, por que nós temos? O mundo não precisa de uma pulverização de mísseis de médio alcance. Logo, não estrangeiros se começarem a aparecer armas deste tipo em mãos não tão “adequadas” assim.
Abraço

André Souza
Visitante
André Souza

Paulop Boa noite amigo, gostaria de usar seu comentário para uma observação de um tipo de hipocrisia que ronda não só em comentários daqui da página mas também em alguns “Analistas Militares”, as pessoas gostam de negar que o EUA é um tipo de policia do mundo, por muitas vezes as pessoas julgam as atitudes do EUA como erradas por exemplo de patrulhar o mar do sul da china, ou fazer presença em mares do mediterrâneo mas quando vemos esse tipo de ação de romper um tratado nuclear, logo essas mesmas pessoas julgam que o ato do EUA de romper… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Paulop, Todos os países, com exceção da Rússia e dos EUA já desenvolvem “esse tipo de arma”. O tratado INF só incluía a Rússia e os EUA. Na verdade ele era um tratado essencialmente bobo. Ele foi feito visando os mísseis soviéticos SS-20 e os misseis americanos Pershing II e o GLCM Gryphon (Tomahawk nuclear lançado de terra) estacionados na Europa. Como não teria lógica proibir nominalmente esses mísseis (já que outros poderiam ser criados ou simplesmente poderiam mudar as denominações dos mísseis, para burlar o tratado) o jeito foi redigirem um tratado mais amplo, que proibia que EUA e… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Daglian,
Onde assino?

Munhoz
Visitante
Munhoz

O que ocorre neste caso é o seguinte: Quando esse tratado foi criado a URSS tinha uma frota naval considerável com misseis de cruzeiro, no atual momento a Russia não tem recursos para uma grande frota naval, então ela fica em desvantagem diante dos EUA que em tese poderiam cercá-la com sua grande frota e misseis Tomahawk por exemplo, para os EUA misseis em terra na Europa não muda muito, um Sub Ohio no mediterrâneo já tem uma grande carga de Tomahawk. Então é a tal historia, perdido por perdido ficamos com o perdido e meio ! Os russos vão… Read more »

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Com o fim do acordo sobre mísseis de alcance intermediário e curto, essas corvetas perdem relevância.

Munhoz
Visitante
Munhoz

Não acredito nisso, as corvetas ainda são um meio barato e com uma capacidade ofensiva boa, tanto para atacar a frota de navios da OTAN que estiverem próximo à costa russa , como para atacar alvos dentro do continente europeu, são móveis, difícil de rastrear e podem atacar alvos a uma distância de 2.500 km com o kalibr,

agora o que eu não sei é se seriam capazes de laçar mísseis balísticos, se iria ocorrer alguma oscilação no casco por exemplo?

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Bem, são essas corvetas e, especificamente, o MRK do projeto 21631 \ 22800, que geralmente não são projetados para combater navios. Eles foram criados como uma forma de paleta manobrável para mísseis de cruzeiro de longo alcance do complexo Caliber-NK. Não há mísseis balísticos nestes navios.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

A Guerra Fria voltou, e retrocedemos 40 anos.
Seos EUA e Rússia vão voltar a fazer esse tipo de míssil nuclear, o que impede que outros países não o façam também?

Marcos R.
Visitante
Marcos R.

Nada assim como não impedia antes, o acordo era bilateral.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Os outros já fazem, inclusive a China ainda vende esses tipos de mísseis para outros países como a Arábia saudita.

Bosco
Visitante
Bosco

Os russos sempre se lixaram para tratados com os americanos. O que forçou a redução do arsenal russo foi a quebradeira e não a honra. A cada ano os russos anunciavam novos mísseis com o destemor dos intocáveis e não tinham receio de dizer em claro e bom som que o alvo era os EUA. Precisou de um presidente como o Trump ter peito para dar um basta nessa farra comunista.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Resta encontrar violações das cláusulas do contrato.
Não há nada além de declarações americanas vazias e sem fundamento.

Bosco
Visitante
Bosco

Evgeniy, As estimativas de massa do míssil 9M729 é de 2,5 t e sua ogiva de 500 kg, numa relação de 5 pra 1. Dizer que um míssil desses, subsônico, propulsado por turbina, tem menos de 500 km de alcance máximo é menosprezar a inteligência alheia. Só por comparação, o Tomahawk pesa 1,5 t e tem ogiva de 450 kg e tem alance de 1800 km, com uma relaçã massa total/massa da ogiva muito inferior, de 3 para 1. Resta claro que os russos violaram o tratado INF. Não faço juízo de valor se estão certos ou errados, só digo… Read more »

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Para o adido militar ocidental, uma apresentação do foguete foi especialmente organizada. Eles a ignoraram, o que é uma evidência muito boa de que os americanos não aceitarão qualquer dvovdy, contra sua decisão de desistir do contrato. O problema não é realmente um foguete. E no final da hegemonia dos EUA. Essa é toda a resposta. Ele é muito simples. Os americanos até tiveram um recuo, a saber, atrair a China para esse acordo por meio do qual a China não tem nada a fazer. É claro que os chineses recusarão e, consequentemente, os Estados Unidos terão um motivo para… Read more »

Bosco
Visitante
Bosco

Evgeniy,
Os russos montaram uma apresentação do suposto míssil 9M729 mas sequer o tiraram do tubo selado.
Me desculpe mas os americanos não seriam convencidos mesmo que tivessem ido na apresentação.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Então, como os americanos descobriram que o míssil não está de acordo com o acordo, se eles nunca o viram e nem queriam vê-lo? Bosco, tudo é muito mais simples. Na própria Rússia, ficou claro há dez anos e, há cinco anos, estava claro que esse acordo não era um inquilino e provavelmente não seria até 2020. Então, o que o foguete é, ou se o foguete não está de acordo com as cláusulas do tratado, não há diferença. Se é tudo sobre este foguete, então esta questão pode ser resolvida em silêncio, no nível diplomático. Mas o problema não… Read more »

Kommander
Visitante
Kommander

Bosco, te admiro muito pelo seu vasto conhecimento técnico sobre equipamentos militares, mas se tratando de geopolítica você é um verdadeiro desastre, vê tudo com os olhos de um torcedor de futebol. Pra você é EUA acima de tudo e de todos, não sei como ainda não arrumou um namorado americando e se mudou para a terra da liberdade, já que ama tanto eles. Você não é patriota nem aqui, nem na China.

Bosco
Visitante
Bosco

Kommander
Patriota pra você é seguir a cartilha, demonizar os EUA , o Ocidente opressor e exaltar terroristas e comunistas de toda espécie, gritar “Lula livre” e usar Iphone, passar as férias em Orlando e ter apartamento na Champs Elysee?
É! Não sou patriota não.
Aliás, alguém já disse que o patriotismo é o último refúgio dos canalhas.

Kommander
Visitante
Kommander

Eu tô dizendo, esse cara tem algum parafuso a menos, só porque NÃO tenho rabo preso igual ele, já tá me chamando de comunista. Não tem outro argumento além desse? Mas vindo de você, não esperava nada além disso. Fica nervosinho quando alguém chama ele de fanboy.

Bosco
Visitante
Bosco

Kommande, Fica nervosa não! Você começou, agora aguenta. Eu tenho um lado e o lado que escolhi é ir contra o mainstream imposto culturalmente ao povo brasileiro por 30 anos de comunismo, instalado depois que os militares deixaram a corja voltar e pior, assumirem o poder. Você só segue a cartilha e quem segue a cartilha vermelha só tem um nome: comunistinha. O tipo de pessoa que acha que o Brasil negociar com os EUA é entreguismo, agora , ter 200 mil ONGs , grande parte, estrangeiras, financiadas pelo Estado pra implantar aqui a agenda globalista esquerdista é ser patriota.… Read more »

Kommander
Visitante
Kommander

Por que ainda invés de arranjar uma solução pro teu problema, tu vem apontar problema nos outros? Seu fanboysky lambe-botas. Pra que vou criticar o Kings? Já tem gente demais fazendo isso, nem me preocupo com ele porque não levo os comentários a sério, pra mim ele é um artista, verdadeiro humorista que não fala coisa com coisa. Só por ele ser assim, você tem que ser igual? Deixa de ser criança.

Bosco
Visitante
Bosco

Engraçado que o isentão do Kommander me critica por ser fanboy americano mas quanto ao Antoniokings , 100nick, e tantos outros
russófilos de carteirinha, ele vê com a maior naturalidade e não os acham merecedores de críticas.
Realmente eu preguei chiclete na cruz haja vista o tanto de “fãs” que tenho.

Rodrigo Martins Ferreira
Visitante
Rodrigo Martins Ferreira

Por isto que estes fóruns se tornaram chatos…

Fora a censura

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Não sei qual é a farra comunista que o Trump está dando um basta. Esses neocons tem certas taras por Trump que só Freud explica.

Munhoz
Visitante
Munhoz

Na minha opinião o que ocorre é um jogo de interesses ! a Russia não é mais comunista apesar de ainda manter um sistema de poder centralizado. Os EUA tem mais recursos, uma grande frota de subs e navios com misseis de cruzeiro, (ainda agora com o SM 6 que pode ter múltiplas funções) , tem a OTAN, estão construindo uma grande frota de caças stealth, possuem sistemas antimísseis tanto no continente europeu como em seus navios, os russos não tem recursos para construir navios, em matéria de caças eles vão demorar para ter um bom numero de stealth, a… Read more »

Alexandre
Visitante
Alexandre

Ver pessoas maniqueístas pautados por conceitos anacronicos me impõe uma pergunta- a história não serve pra nada? Sera que Sócrates estará fadado eternamente a derrota contra os sofistas? A Razão é uma ilha cercada por oceanos de irracionalidade?

Rene Dos Reis
Visitante
Rene Dos Reis

Japão , coreia do Sul e toda Otan europeia são os maiores perdedores.

Jacinto
Visitante
Jacinto

Japao e Coreia do Sul ja estavam expostos aos
problema representado pelos MRBM ja que a China tem centenas ou milhares deles. O mais prenudicado e a Europa mesmo. Mas os Europeus tem capacidade de responder a um ataque de MRBM por meio dus seus SLBMs.
Entao na prática não muda muito o risco.

Rene Reis
Visitante
Rene Reis

Perfeita sua observação, a galera aqui só encherga a Rússia e os eua sem focar nas implicações do termino deste tratado.

Kommander
Visitante
Kommander

Kkkkkkkkkkkkkkk Só venho rir dos comentários dos cara acusando a Rússia de tudo e colocando EUA como santinho sempre, nada fora do normal. Vão se tratar, vocês estão com cegueira ideológica, colocam a ideologia na frente da razão. Um monte de adultos que mais parecem bebezinhos chorões. Brasileiro é um povo sem honra, não tem identidade nenhuma.

Bosco
Visitante
Bosco

Kommander,
Você deve ser do tipo que acusa os EUA e Israel de tudo e coloca a Rússia, o Irã, a CN e a China como santinhos sempre, né?
Aí vc não vê cegueira ideológica nenhuma porque de acordo com seu tico e seu teco é o natural a se fazer e pensar e pra você é normal porque não contradiz o que o seu professor esquerdista enfiou na sua cabeça como sendo razoável e patrioticamente condizente e honrado.
Ou seja, vá catar coquinho…

Kommander
Visitante
Kommander

Tô exatamente cagando e andando pra EUA e Israel, já disse, diferente de você, eu não tenho rabo preso com ninguém e dou razão pra quem apresenta fatos e não vive de suposições que nem você sempre faz. Você acusa sem provas, e quando mostra uma fonte, essa fonte tem sempre a mesma ideologia que a sua, como vai me convencer que você tá certo, se você puxa a corda pro lado dos EUA mesmo quando eles estão errados? Acorda pra vida, sai dessa tua bolhazinha!

Bosco
Visitante
Bosco

Kommander,
Acho que essa sua fascinação por mim tá te fazendo mal. Tá me enganando com outro comentarista. Eu não tenho por hábito colocar links para referendar meus comentários de cunho ideológico. Raramente o faço. E em citando “a mesma ideologia que a sua” você automaticamente declara ter uma ideologia diferente da minha. Portanto, empatamos no quesito “ideologia” ficando claro que você padece da mesma “patologia” de que me acusa.

Junior
Visitante
Junior

Muitas discussões apaixonadas pró USA, Rússia e China.

A verdade é que não importa especulações, Rússia e USA possuem milhares de ogivas nucleares e o pior tem capacidade para lança-las .

Isso é um jogo de vaidades… ninguém é irresponsável hoje em lançar um ataque nuclear contra um inimigo que dispõe da mesma capacidade, seria um holocausto,e a destruição do planeta.

João Moro
Visitante
João Moro

Um ataque direto não há de acontecer, mas um sempre tenta minar as capacidades econômicas e diplomáticas do outro a fim de destruí-los por outros meios.

Matheus Santiago
Visitante
Matheus Santiago

Decisão acertada pela Rússia e EUA, o acordo era bilateral e não contemplava a China e as demais potências, o que era uma grande oportunidade para os não-signatários do tratado a desenvolverem armas nucleares sem a obrigação de obedecer contratos firmados pela superpotências, leia-se URSS e EUA. Os EUA agora podem encontrar soluções alternativas para o desenvolvimento de novas armas nucleares visando o principal rival estratégico atualmente, a China e com isso mudar a doutrina nuclear estadunidense. A Rússia por possuir uma capacidade econômica limitada e por conta das obrigações estabelecidas no contrato firmado pelas superpotências, era obrigado a aceitar… Read more »

Maus
Visitante
Maus

Com tanto ramake de filme dos anos 80 o pessoal agora quer começar a guerra fria de novo.

_RR_
Visitante
_RR_

Prezados… Que China e Rússia possam ter adversários em comum, isso é até lógico. Mas quem garante que uma aliança seria sincera…? Como depender ou garantir que, excluindo-se o fator nuclear, milhões de soldados chineses não marchariam contra as vastidões russas? A resposta lógica é óbvia: a existência dos próprios EUA… É uma ilusão acreditar que, com a ausência dos EUA, todos passariam a viver lindos e felizes em um mundo de igualdade, liberdade e fraternidade… China, EUA e Rússia formam um equilíbrio peculiar… Se a China faltar, os americanos estarão livres para fazerem o que bem quiserem, o que… Read more »

MGNVS
Visitante
MGNVS

_R R_ Otima analise. Sua argumentacao foi interessante. E o equilibrio que vc citou entre os 3 Grandes é realmente peculiar. Russia e China podem nao ser verdadeiros aliados, mas os EUA podem mudar essa situacao ao usarem a Otan para pressionar Moscow em suas fronteiras e tbm ao pressionar a China na questao de Taiwan. E mais, a Russia esta tentando trazer os antigos paises da ex-URSS na Asia Central para sua esfera geopolitica atraves de tratados economicos e tbm militares para junto com a China construirem uma politica de defesa em comum. Eles tbm estao negociando acordos em… Read more »

Space jockey
Visitante
Space jockey

Sim, eu ja havia lido algo de que a Rússia sempre teve medo das fronteiras com a China.

Ricardo
Visitante
Ricardo

A Rússia a mais de uma década se queixa que esse tratado não serve a ela e os EUA nos ultimos anos estavam insatisfeitos. Na visão dos russos a implantação de drones e sistemas de defesa balísticos na europa quebraram esse tratado e como não são tolos correram para desenvolver um novo míssil de médio alcance. Curiosamente, o hoje o enviado dos EUA na ásia disse que os EUA tem todo interesse de implantar esses mísseis, mas não tocaram no assunto europa. Claramente esses mísseis seriam indereçados a China. Na europa o único país que toparia colocar esses mísseis seria… Read more »

Observador
Visitante
Observador

Eu acho que os países do mundo, minimamente com potencial de desenvolver armas atômicas, deveriam em de forma conjunta mandar um recado à ambos, algo do tipo: ou vocês volta atrás, ou iniciaremos os esforços para também nos nuclearizarmos. Nesse grupo eu colocaria: Argentina, Africa do Sul, Alemanha, Austrália, Brasil, Espanha, Itália, Japão, Ucrânia, Suécia e outros mais.
Ok, eu sei que quase impossível de acontecer, mas, seria muuuuito legal.

filipe
Visitante
filipe

O problema desse INF é a China, nesse tipo de Armas a China esta bem a frente de todos eles, Russia e EUA tem os melhores ICBM e SLBM do mundo, mas a China desenvolveu misseis de alcance intermédios bem mais perigosos e letais, enquanto os dois gigantes ficaram 30 anos parados, a China fez o seu trabalho por causa de Taiwan, a China não têm interesses em atacar os EUA directamente, mas tendo IRBM mais precisos ,em 2007 desenvolveu o DF-26. Parece que a Russia e o EUA ficaram dormindo por 30 anos. E Agora com os Misseis Hipersonicos… Read more »

Cidadão
Visitante
Cidadão

O trabalho de contenção contra a china continua.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Caso a China não entre em um novo acordo, o que é quase 100% provável.
Os EUA e a Russia deveriam fazer um novo onde os EUA tolerariam um certo numero de mísseis intermediários posicionados em alcance de alvos europeus em troca a Russia daria mão livre para os EUA posicionarem seus mísseis intermediários na Ásia para conter a China.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Uma ideia duvidosa. Nem os russos nem os chineses precisam de algo do tipo. Washington e sua atual geração de diplomatas, dignos de outra candidatura, estão criando uma aliança político-militar russo-chinesa.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Não, quem está criando são os próprios russos e chineses que querem mudar o panorama político mundial.

Acharam que isso ia acontecer sozinho, na estupida ideia de que o ocidente estava fraco e decadente e agora na qual essa ideia se provou errada e há resistência e contra-movimentos aos seus movimentos, eles estão se alinhando-se.

Agem como se fossem os únicos que possam fazer movimentos geopolíticos e o outro lado não, como se devessem aceitar. Quanta besteira.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

A paisagem política do mundo está mudando constantemente, independentemente do capricho de alguém. Sempre foi assim desde o surgimento dos primeiros estados. Então é agora e será assim por muitos séculos.
Sim, o Ocidente está fraco agora. Decompõe-se, especialmente a Europa Ocidental.
Se os Estados Unidos eram mais espertos e não tão imprudentes, então retinham pelo menos parcialmente sua hegemonia. Mas com tal diplomacia, eles arruinarão sua própria hegemonia mais rapidamente por conta própria.

João Moro
Visitante
João Moro

Gostei muito de como foi redigida a notícia. Ela não é tendenciosa e informa os fatos para que o leitor tire suas conclusões. Parabéns ao site.

Cidadão
Visitante
Cidadão

Alguém duvida que teremos nova crise de misseis na América Latina? Ainda bem que somos aliados da OTAN!