Home Artilharia Antiaérea VÍDEO: Sistema de Defesa Antiaérea do Exército Brasileiro na CCT

VÍDEO: Sistema de Defesa Antiaérea do Exército Brasileiro na CCT

19446
74

Senadores da Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) debatem o Sistema de Defesa Antiaéreo brasileiro, com o chefe do Escritório de Projetos do Exército, general de divisão Ivan Ferreira Neiva Filho.

74
Deixe um comentário

avatar
30 Comment threads
44 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
44 Comment authors
Jose Luiz de GodoiToniSincero Brasileiro da SilvaSuper críticopaulof Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Leonardo
Visitante
Leonardo

Não venha com patriot quero Pantsir S1 é S400 uns 15 desses

FighterBR
Visitante
FighterBR

Sonhar mais que tá pouco.

Ironcop
Visitante

Você ouviu a elucidação do General Ivan ? A proposto é NÃO comprar um sistema pronto de prateleira, e sim desenvolver um em conjunto com outro país ou partir do desenvolvimento 100% nacional.

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

Israel, África do Sul (A-Darter) e Reino Unido (CAMM) podem ser bons parceiros para a empreitada.

Ernane
Visitante
Ernane

Não precisamos de parceiros e sim investimentos e incentivos à nossa indústria de defesa.
O que estão fazendo com a Odebrech, que tem um braço no setor de defesa, é coisa de país de 3° mundo!
Temos de ter tecnologia e segredos próprios; uma questão de dignidade e identidade nacional.
Pena que esse entendimento esteja ao alcance de poucos nacionalistas, principalmente no meio acadêmico e militar!
Essa cultura da subserviência, e copiar o que vem de fora, tem de acabar! Somos capazes!

Victor F.
Visitante
Victor F.

O que a Odebrecht fez no Brasil e em outros países de 3º mundo foi coisa de outro mundo.

Wagner
Visitante
Wagner

Mais ou menos Victor, você deve acreditar que todas as grandes corporações do primeiro mundo tenha uma honestidade impar. Aliás, falando em honestidade, o que falar da Suiça, pais de primeiro mundo que vive das desgraças do mundo. A Odebrecht fez, os donos deveriam pagar e não a empresa. Vai acabar a Odebrecht e você vai ver grandes construtoras de fora vindo aqui, levando nosso dinheiro e continuando com a corrupção, as empresas alemãs que faziam os trens de SP fizeram exatamente isso. Corrupção existe no mundo todo meu caro. O Brasil que não tem um serviço de inteligência suficiente… Read more »

André
Visitante
André

Provavelmente os administradores públicos brasileiros foram obrigados a pedir/aceitar propinas, não é? Essas grandes empresas/marcas não tem mesmo nenhuma reputação a zelar? A Odebrecht nasceu da corrupção! Não há de se ter orgulho!

paulof
Visitante
paulof

A questão de algumas empresa é que o negócio lucrativo era a propina, por isso se espalharam por tudo que é campo de atuação, mesmo com margens que se viram complicadas, além disso no caso das construtoras os investimentos estatais caem ano a ano.

edimur
Visitante
edimur

Odebrecht meu O…..

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

Puts…vai levar ums 2 décadas ou mais

teropode
Visitante

Quando estiver 85% concluído os cara aparecem e cancelam tudo , como fizeram com os produtos da Mectron.

FighterBR
Visitante
FighterBR

Falou o que a gente já sabe a muito tempo. Nada demais.

Ironcop
Visitante

Ora amigo, muitos jornalistas especializados obtiveram importantes informações que não eram de conhecimento do público civil até o momento. Assim, eu concluo que 1: Você é algum militar de carreira com grande participação nesses projetos citados ou 2: Você é o típico cidadão que finge saber de tudo, o chamado bola de cristal.

Marcos
Visitante
Marcos

Falou, falou e falou. Disse o que todos já sabemos. Vão continuar investindo em MANPADs e nas armas de tubo.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Se é para ficar no curto alcance, abandona as armas de tubo e investe em MANPADs más pelo menos padroniza. Escolhe um e só compra dele para baratear os custos.

Pedro Bó
Visitante
Pedro Bó

Contra drones, mísseis de cruzeiro e armas stand-off a artilharia de tubo ainda é eficaz.

JPC3
Visitante
JPC3

Artilharia de tubo contra drones e mísseis de cruzeiro?

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Más não as armas de tubo que temos, só se modernizar a um custo absurdo. O único que serve e o guepard. E contra drones os MAMPADs tambem servem.

JPC3
Visitante
JPC3

Isso só serve se o míssil de cruzeiro vier na direção direta da defesa e se o Drone tiver boa assinatura térmica.

Na prática a utilidade é baixa.

Bardini
Visitante
Bardini

“E contra drones os MAMPADs tambem servem.”
.
É fácil travar um míssil IR em um drone pequeno, que tem propulsão elétrica?
.
Só pra ter ideia, o RBS-70 que é Beam Rider, demandou a compra de um alvo com dimensões mínimas de 3 x 3 metros, para treinamentos. Nem o RBS-70 é feito pra bater coisa pequena.
.
https://www.brasilaircraft.com.br/produto/alvo-aereo-falco-170
.
Canhão ainda tem um papel importante a desempenhar. E isso vai ter de ser aliado a sistemas EW, como um Krasukha da vida.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Quando eles pararem de gastar 80% com pagamento pessoal, vai sobrar pra um não mas vários projetos e sem problema de corte.

Lucia Mariza Armoa Zacarias
Visitante

Cortes há em país de 13 milhões de pessoas desempregadas há 3 consecutivosanos

Norton Son
Visitante
Norton Son

Blz, vamos dar um “bodoque/funda/atiradeira” + um par de binóculos para cada uma delas começarem a fazer a defesa do país.
Uma excelente ideia, esta minha!!!

Ironcop
Visitante

Eis aqui a ignorância: Cobrar maior participação e elucidação dos fatos por parte das forças armadas nas instituições como o Congresso nacional… Mas quando um General de grande conhecimento dos projetos estratégicos do EB vai a uma comissão lê-se “Não disse nada demais, não agregou nada”.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Gastou muito tempo falando de forma técnica para uma plateia que ou não esta nem ai, ou não entende nada ou as duas coisas e por isso nem presta atenção. Tinha que ser mais objetivo e claro. A maioria ali só teve contato com policia e segurança e só entende se muito desse meio.

Meireles
Visitante
Meireles

Agora eles acabam com a Amazônia de vez, vão derrubar todas às árvores pra fazer estilingues e usar como defesa antiaérea!

Meireles
Visitante
Meireles

O Brasil com 17 mil quilômetros de fronteira, e eles apresentam um radar de 200 quilômetros de alcance que ainda é um projeto, precisamos de radares de longo alcance, mísseis antiaéreos de longo alcance.
Gostei só dá parte que ele falou do míssil que voa como o Tomahawk, só faltou falar que o Brasil terá uma versão do míssil com 2 mil quilômetros de alcance, o Brasil ainda está dando passos de tartaruga, será que estão esperando por uma invasão pra poder acordar?

Lucia Mariza Armoa Zacarias
Visitante

Esse país quebrado, pilhado pelos governos anteriores agora vem propagandista de terra arrasada,da destruição.

Bardini
Visitante
Bardini

O grade projeto que deveria ser tocado, é o de um míssil comum para as três forças. Um míssil que pudesse derivar um BVR de médio alcance para os caças, um míssil de defesa de médio alcance para a AAAe e um míssil de médio alcance para armar os Escoltas da MB.
.
Só assim pra ter escala.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Falou tudo amigo, más aqui não se consegue nem padronizar MANPADs comprados de prateleira nem no exercito dirá nas 3 forças.

Aldo Ghisolfi
Visitante

Amadorismo?

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Pois é, não consigo entender por que o EB usa o RBS e os fuzileiros o Mistral, era para todos usarem o RBS, o custo cairia consideravelmente.

Bardini
Visitante
Bardini

Tão procurando cabelo em ovo.
.
Tanto o CFN quanto o EB fazem um mix entre um sistema IR e um sistema Beam Rider. São complementares!
.
O CFN adota o mesmo míssil IR que pode ser empregado nos reparos dos navios, o Mistral e complementa isso com RBS-70.
.
O EB adota um MANPADS de ombro com orientação IR, o Igla-S e complementa isso com RBS-70.
.
Não tem absolutamente nada de errado nisso aí…

Bardini
Visitante
Bardini

“O CFN adota o mesmo míssil IR que pode ser empregado nos reparos dos navios, o Mistral e complementa isso com RBS-70.”
.
Ok, de cabeça achava que o CFN já tinha renovado a AAAe e estava também empregando RBS-70, mas acho que isso ainda não foi pra frente.
.
Enfim… O que importa é que não haveria problema em misturar RBS-70 com Mistral, assim como não existe problema em misturar com Igla-S…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

Bingo!

Mas isto diminuiria as comissões dos da reserva, então….

Paulotd
Visitante
Paulotd

Tem que comprar mais Rbs 70 NG, e um sistema de médio alcance como o pantsir

Bardini
Visitante
Bardini

Pantsir não é sistema de médio alcance nem na Rússia…

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Verdade, e alem disso ele foi projetado para proteção de colunas blindadas do ataque de apaches e A-10. Más como o cliente tem sempre razão, quer comprar, tome.

Bardini
Visitante
Bardini

Ele é projetado para defesa de ponto… É a última linha, que está defendendo um sistema mais capaz.
.
A-10 e Apache tem de encarar é o Tor-M2 no campo de batalha, fazendo a proteção das movimentações dos blindados.

Davi
Visitante
Davi

O marasmo para resolverem um PROBLEMA tão grande como a falta de defesa antiaérea de médio e longo alcance soa quase como uma pegadinha do Malandro.
Ô sofrência!

MFB
Visitante
MFB

Ainda bem que não existe uma grande ameaça. Estamos pelados.

Space jockey
Visitante
Space jockey

disse tudo

JPC3
Visitante
JPC3

Acho que é contrário, estamos pelados porque não existe grande ameça.

Quem poderia ameaçar alvos importantes no Brasil?

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

CAMM-ER e Rapidfire é o que o Brasil precisa.

ALEXANDRE
Visitante
ALEXANDRE

A avibras tinha um projeto,não tinha?

RENAN
Visitante
RENAN

O Brasil pode e deve desenvolver um míssel com anti aéreo com múltiplas soluções. Um míssel que evite ser enganado pelos os atuais sistemas de contra medida. Portanto este míssel tem que ter seu disparo por data link, mas caso não seja travado devido a interferência externa, em sua cabeça de busca deve ter a capacidade passiva, a capacidade ativa, a capacidade de Infravermelho e por último míssel por imagem ( que reconhece imagem de Chaff & Flare para iguinorar estas contra medidas). Um míssel que atinja até 30 km de alcance a mach 3 Este míssel pode ser a… Read more »

RENAN
Visitante
RENAN

Seria interessante que o sistema de mísseis seja com lançamento vertical assim já ficando padronizado para a marinha também

Lucia Mariza Armoa Zacarias
Visitante

“A força tem que estar pronta”

Space jockey
Visitante
Space jockey

Ahsuhsauhs, há anos eles dizem isso.

José Gomercino C Fernande souza
Visitante
José Gomercino C Fernande souza

Precisamos de um sistema antiaerio de médio e longo alcance os russos possui os melhores sistemas antiaerio

Fábio
Visitante
Fábio

Qua qua qua, como desenvolver sistemas de defesa se nossa ciência e tecnologia estão sendo esmagados por falta de investimentos desse desgoverno ridículo, não temos nem tecnologia pra derrotar o mosquito da dengue que dirá; nossas universidades federais faltam desde professores a papel higiênico, fruto dos ridículos cortes de verbas pra educação em geral, pra Guedes brasileiro bom e o brasileiro BURRO e empregado de preferência com salário mínimo.

Luís Henrique
Visitante
Luís Henrique

Quanta falta de conhecimento Fábio.
O Brasil está nessa situação horrível por causa dos governantes dos últimos 20 anos ou por causa do governante atual, que está no cargo há somente 9 meses?
A nossa falta de investimento ou de cientistas é devido aos cortes de verbas desse ano de 2019 ou aos cortes de verbas e roubalheira generalizada dos últimos 30 anos?
É só usar um pouco o cérebro que fica fácil responder.

ANDRE LUIZ SARDA
Visitante
ANDRE LUIZ SARDA

S400 e top pena que os EUA não vai gostar muito dessa compra por isso sei que vai ser patriota

Paulotd
Visitante
Paulotd

Todo o dinheiro é gasto com aposentadorias e pensões, sobra muito pouco pra tropa que tem de usar manpads e fuzil FAL enferrujado pra um país do nosso tamanho

sub urbano
Visitante
sub urbano

Não são páreo para os poderosos Flankers Su-30 Venezuelanos rs

Dujin
Visitante
Dujin

Quantos especialistas… 😒

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Sinceramente nem perdi o tempo de ver esse vídeo. Cansativo, muito lero lero e muita conversa fiada para inglês ver. Políticos de conversinha fiada e teatrinho fingindo que se interessam e militares esperando dinheiro para fazer o mínimo que já deveriam está fazendo. Quanto custa realizar estudos preliminares e de viabilidade de um produto ? O EB já deveria está realizando os estudos no IMI para quando houver verbas projetar e fabricar os protótipos. Mas esperam anos para receber dinheiro e começar a estudar o que já deveriam está estudando. Vide exemplo das CCT,s, a MB já deveria ter o… Read more »

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Não sei por que ainda não aproveitaram a parceria com a SAAB e adquiriram através de leasing o sistema de mísseis anti-aéreo BAMSE SRSAM.
Se não podemos ter o ótimo (Patriots), pelo menos teríamos o bom (BAMSE SRSAM).
Ficar só com MANPADS é fim de carreira.

Bardini
Visitante
Bardini

E quanto custaria isso?
.
Eu prefiro colocar grana diretamente na compra de mais sistemas RBS-70NG e seus mísseis para deixar a AAAe completa, do que ficar colocando grana em um BAMSE, que não agrega tanto, se comparado ao que se tem e as outras soluções do mercado.
.
ATGM e MANPADS são um ponto chave e é coisa barata de resolver. Se não resolver isso aí primeiro, é irrelevante falar em sistemas mais capazes e, praticamente não temos o primeiro e o segundo falta em muito, para deixar a AAAe completa.

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani

Correto,o pior Bardini é que a quase totalidade do sistema de defesa antiaérea não possui IFF e nem está conectado com o Sisdabra,e ainda vejo gente querendo S400 e Patriot. O que têm que ser feito,começando pela baixa altitude é simplesmente modernizar os GDF 001 e elevar ao padrão GDF 005,modernizar(e talvez comprar)radar diretor de tiro e rastreamento,como o saab 1x e ambiente giraffe,e adquirir mais RBS 70 NG, e integrar tudo isso em um IFF e no Sisdabra. Já em se tratando de médio alcance,sou meio cético,pois não consigo enxergar o EB,gastando U$$ 500mil a U$$1 milhão de dólares… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

O RBS-70 tem de operar com auxílio de um radar, que vai detectar as ameaças com certa antecedência, repassar informações se é caça, helicóptero, velocidade e direções e outras coisas. O Radar neste caso é o SABER M60. Este radar conta com um sistema IFF próprio. Só que quem faz a triagem da coisa toda é o pessoal que está operando o radar e repassando as informações. Não é algo “automatizado”, inserido no RBS-70. . O SABER M60 tem função complementar ao SISDABRA. . Quanto aos GF001, ainda são válidos, ainda mais se modernizados. . Por mim, já passou da… Read more »

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani
Gabriel BR
Visitante
Gabriel BR

Os caras não dão conta de comprar o Guarani e estão falando em desenvolver sistema antiaéreo autóctone. Moral da História, os milicos vão prestar o serviço porcamente por causa de UFAMISMO tosco…precisamos é acionar o MPF contra esses displicentes e bota-los num tribunal!

Vlademir Baltazar
Visitante
Vlademir Baltazar

Nós estamos enxugando gelo. Temos a parceria com a DENEL (Sul Africana), podemos pegar alguns projetos como R Darter; A Darter e até o Umkhonto. São misseis facilmente adaptáveis para o Brasil já que a Denel ja tem a parceria com a FAB. Esses misseis podem ser adaptados para longo alcance com tipo “booster” e depois segue com seu trajeto. Precisamos de um sistema pronto e depois criar um. Se dependermos de criar um primeiro será muito tarde.

Paulotd
Visitante
Paulotd

Melhor compra C/B com um ótimo parceiro são os Barak 8 israelenses montados na plataforma Astros, Brasil ia arrebentar, poderia combina-lo com os Saber 200

Míssil bruto, 100km de alcance, precisão, tinha que botar na fronteira com a Venezuela, e defendendo as usinas de Angra e Itaguaí no mínimo, e talvez uma bateria lá na fronteira com a Argentina.

A índia comprou um pacote com 40 lançadores com 8 mísseis cada por U$s 2,5bi, pq não podemos pegar pelo menos 10 lançadores por US$ 600mi? Israel é nosso parceiro agora.

Bamsee é uma merda

paulof
Visitante
paulof

barak 8 teria a vantagem que pode ser a compra da Colômbia, além de ser uma joint Israel e Índia, no mundo ideal seria uma união de 3 países que este governo tem afinidade mais a Índia, além de parecer ser um bom projeto.

Toni
Visitante
Toni

O Barak 8 realmente é mais fácil de ser adaptado no sistema Astros, seria praticamente (falando de uma maneira genérica) “Plug & Play”, a integração com o radar Saber M200 também não seria muito difícil, o Brasil tem tudo para produzir localmente um sistema antiaéreo de curto alcance baixa altura, utilizando os radares Saber M60 e os misseis MAA-1B Piranha, não desenvolveu um sistema desses até hoje simplesmente porque não quer, não há outra explicação, mas para o médio e longo alcance ainda precisamos de alguma ajuda externa…

Wellington Góes
Visitante
Wellington Góes

O próximo projeto de DAAe com mísseis será baseado no A-DARTER, a AVIBRAS parou, inclusive, de insistir com CAMM e por que? Porque agora ela é participe da industrialização do míssil “afro-brasileiro”. O resto é torcida contra.

GKM
Visitante
GKM

Eu esperando o general falar sobre defesa antiaérea de médio e longo alcance, com a proposta de um sistema antiareo baseado no Astros, mas não foi o que aconteceu. O tema era sobre defesa antiaérea, mas falou mais de outros projetos do que o que realmente era para falar e quando falou, disse pouco e não o precisava. Triste transparecer que nem mesmo os oficiais das nossas Forças armadas sabem do que precisamos. Pelo que parece, o golpe de estado republicano apoiado pelo exército Positivista não trouxe a razão e o progresso que esperavam…

Super crítico
Visitante
Super crítico

PessOal vamos deixar de inocência , isso pra eu não dizer outra coisa, o Brasil tem que prionizar a criação de um sistema de defesa anti aérea nacional pois em caso de guerra contra um país desenvolvedor ou o contra o lado Não teremos nem acesso a esses sistemas e nem a sua peças de reposição, pensar em investir em um importado é 100% BURRICE;!

Sincero Brasileiro da Silva
Visitante
Sincero Brasileiro da Silva

Isso ai abate no máximo teco teco!

Sincero Brasileiro da Silva
Visitante
Sincero Brasileiro da Silva

Eu teria vergonha de chamar isso de “defesa antiaérea”… Muito triste mesmo a situação de nossas forças armadas!

Jose Luiz de Godoi
Visitante
Jose Luiz de Godoi

Já temos o ASTROS como base para a plataforma, meio caminho andado.
É desenvolver os mísseis e demais componentes do sistema.