Home Conflitos em andamento Portugal integra força militar europeia que vai ajudar Mali a combater milícias

Portugal integra força militar europeia que vai ajudar Mali a combater milícias

3622
37

Portugal é um dos seis Estados europeus que participa com militares no conjunto de forças especiais que vão acompanhar os soldados do Mali no combate às várias milícias que operam neste país do Sahel, foi anunciado no dia 27 de março

O lançamento oficial da futura força-tarefa (‘task-force’, em inglês), designada ‘Takuba’ (designação de uma espada típica da região), foi feito por 11 Estados, mas só seis se comprometeram em participar com efetivos militares.

“Considerando que a situação de segurança no Mali e, de forma geral, no Sahel, continua a ser preocupante”, Alemanha, Bélgica, Dinamarca, Estónia, França, Noruega, Países Baixos, Portugal, República Checa, Reino Unido e Suécia declararam o seu “apoio político à criação de uma ‘task force’”.

A função apontada a esta força é a de assistir as Forças Armadas malianas na luta contra os grupos terroristas e apoiar os esforços desenvolvidos atualmente pela Operação Barkhane e a Força Conjunta do G5 Sahel, conforme comunicado distribuído.

Esta força, que deve contar com centenas de efetivos, começa a operar este verão sob comando francês, na região do Liptako, nos confins do Níger e do Mali, onde têm pontos de apoio milícias como a que se designa Estado Islâmico no Grande Saara.

“Com a ‘Takuba’, os europeus mostram a sua capacidade de se mobilizar em conjunto pela sua segurança”, reagiu na sexta-feira à noite a ministra das Forças Armadas francesa, Florence Parly, na rede social Twitter.

Não obstante, apesar de a declaração ser assinada por 11 Estados, apenas seis já se comprometeram em participar com efetivos militares.

Até agora, o projeto, lançado por iniciativa da França, teve a adesão de cinco Estados: Bélgica, Dinamarca, Estónia, Países Baixos e Portugal.

A Suécia espera uma autorização parlamentar para confirmar a participação, com uma força de reação rápida helitransportada integrada por 150 militares.

Solicitada, a Noruega anunciou na segunda-feira que renunciava a enviar soldados por falta de apoio político interno.

A Alemanha também declinou participar na força.

FONTE: Agência Lusa

Subscribe
Notify of
guest
37 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Peter nine nine
Peter nine nine
6 meses atrás

Constatar que Portugal já lá se encontra ah anos… Com aviões a apoiar a ONU por mais que uma vez e militares a prestar instrução. No entanto,esta missão parece abrir novas possibilidades de emprego.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
6 meses atrás

Por um lado Portugal vem diminuindo suas forças armadas, vendendo material como caças e tanques, mas por outro lado participando de missões para a ONU na África e ainda tem que participar da OTAN, os caras estão fazendo mágica!

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

Mesmo assim continuam com equipamentos ,muitos deles, no estado da arte. 😉

rui mendes
rui mendes
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

Os caças que vendeu estavam fora do activo e os tanques à venda são os obsoletos M60, Portugal continua com o mesmo numero de caças f16mlu, com o mesmo nº de tanques Leopard2 A6, que aliás não serão usados no Mali, os blindados que serão usados, devem ser os que já lá estão, o VCI Pandur, e o Humvee, que deve ser substituído pelos Vamtac S5.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Fabio Araujo
6 meses atrás

De facto, pessoalmente notei um maior empenho das Forças Armadas Portuguesas nas missões externas, mas facto é que ah muitos anos que assim o é. Portugal sempre esteve envolvido em missões ou da ONU, ou da NATO ou da UE. No entanto, diria que a publicidade dada ao trabalho das forças armadas em Portugal aumentou bastante e tal pode levar um indivíduo a acreditar que tal estratégia (valorizar a participação em missões externas) é recente, quando de facto não o é. No Afeganistão e Iraque, as diferentes forças portuguesas que por lá operaram também fizeram um trabalho extraordinário, digno de… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Peter nine nine
3 meses atrás

Concordo com o sr. Peter nine nine. Excelente comentário. As Forças Armadas Portuguesas recebem batismo de fogo muitas vezes em batalhas. Profissionalismo exemplar. Creio que o alistamento é voluntário só que os conscritos passam um dia recebendo aulas de como é a vida militar das forças portuguesa. Logo aqueles se inscrevem na Força ( evidente depois de conclusão dos exames serão aceitos). Não sei se está valendo isso ainda. No mais Grande abraço.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
6 meses atrás

Nestes territórios, ao que parece, as lutas e conflitos nunca param.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Tomcat4,2
6 meses atrás

Essa é a tendência do Islamismo, bobo é quem acredita no islã como algo pacífico só pq é uma religião!

Caio
Caio
6 meses atrás

Os fanáticos islâmicos espalham o terror dos confins da Ásia a África e sempre me pergunto como conseguem organização, armas , deslocamento etc…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Caio
6 meses atrás

Da mesma forma que o crime organizado no Brasil se sustenta, com apoio de políticos e empresários.

Tomcat4,2
Tomcat4,2
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Infelizmente tenho que concordar caro Maurício!!!

Agnelo
Agnelo
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

E o tráfico internacional de drogas

J R
J R
Reply to  Agnelo
6 meses atrás

Não só drogas, mas pedras preciosas, petróleo, e o pior deles, o tráfico humano.

paulop
paulop
6 meses atrás

No quinto parágrafo está escrito “Países Baios” donde seria “Países Baixos”?
De toda a forma, a França está arrastando seus irmãos europeus para esse buraco.
A única vantagem é manter a tropa adestrada e integrar procedimentos.
Abraço.

João Adaime
João Adaime
Reply to  paulop
6 meses atrás

Prezado paulop
Países Baixos é o novo nome da Holanda. Isto porque Holanda é apenas uma região dos Países Baixos e eles resolveram unificar a nomenclatura. Seria como se o Brasil se chamasse Amazonas, embora seja apenas uma fatia do nosso território.
Abraço

Amadeu Parrinha
Amadeu Parrinha
Reply to  João Adaime
3 meses atrás

João o nome da Holanda é Nederland a Holanda é o mesmo que Países Baixos, Holanda não é uma parte do país , mas sim o mesmo que Países Baixos

rui mendes
rui mendes
Reply to  paulop
6 meses atrás

Vários países da UE, estão no Mali e por todo o Sahel, com tropas especiais, incluindo França e Portugal, à vários anos.

Maurício.
Maurício.
6 meses atrás

Interessante o coturno do militar da foto, parece um tênis Bull Terrier.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

E sem meia! Hahahhaha

SPQR
SPQR
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Boa observação. rsrsrs Apenas de curiosidade, recentemente foram apresentados os novos uniformes do exército de Portugal. Talvez para esta missão eles já utilizem os novos.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  SPQR
6 meses atrás

SP, já estão no Iraque…

Felipe Morais
Felipe Morais
6 meses atrás

É incrível como a Alemanha não se compromete com nada em termos de política externa.
Um eterno governo austero que se sustenta internacionalmente somente por ser a maior economia da Europa.

Se, por ventura, tiverem um impacto em sua economia, como várias estão tendo com o vírus, passarão a ser irrelevantes.

Bardini
Bardini
Reply to  Felipe Morais
6 meses atrás

Acho que tu precisa pesquisar sobre o assunto… Comece pela MINUSMA.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Participação so em conflitos low end, e olhe lá, a maioria é só conselheiro e tropas para efetuarem treinamentos, no Mali que o bicho pega se recusam a mandar força de combate somente algumas poucas forças especiais, países menores estão mandando mais tropas ao combate. A Alemanha é um câncer, para voce ver, os países do leste europeu que são da UE e Otan estão simplesmente excluindo a Alemanha da iniciativa 3 mares e pedindo suporte aos EUA, RU e França, sendo que a Alemanha repetidas vezes ja demonstrou o maior interesse em participar, sabe o porque fazem isso ??… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Augusto L
6 meses atrás

“Participação so em conflitos low end, e olhe lá, a maioria é só conselheiro e tropas para efetuarem treinamentos” . No Afeganistão, era o país que mais tinha tropa lá, depois do USA. . “no Mali que o bicho pega se recusam a mandar força de combate somente algumas poucas forças especiais, países menores estão mandando mais tropas ao combate.” . No Mali, eles tem na faixa de 1 mil soldados. . “A Alemanha é um câncer, para voce ver, os países do leste europeu que são da UE e Otan estão simplesmente excluindo a Alemanha da iniciativa 3 mares… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
6 meses atrás

“No Afeganistão, era o país que mais tinha tropa lá, depois do USA“ – Era não é mais, depois de 2010 so mandaram os “consultores” de combate e inclusive não ficavam a cargo das áreas mais quentes que era os americanos ou britânicos que ficavam, ou em alguns casos os franceses. “No Mali, eles tem na faixa de 1 mil soldados“ – acho que você não entendeu quando disse que so mandam consultores e tropas para realizar treinamentos, ou fez de má fé, desses 1 mil apenas alguns bocados estão combatendo, algumas unidades SOF, tanto que não enviaram tropas para… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Comentário meu preso desde hoje a tarde

Alexandre
Alexandre
6 meses atrás

O que me deixa mais chocado é que Estados Unidos em matéria gastos com orçamento militar , e equipamentos nessa área , logística em abastecimento das tropas , mesmo em outro lado do planeta , ganham de goleada de qualquer país , mas a indústria dos caras não pode direcionar todos os esforços para produzir , equipamentos de saúde suficiente para suprir a demanda de sua população . ” ah era só uma gripezinha” ….

João Girardi
João Girardi
Reply to  Alexandre
6 meses atrás

Bom mesmo é o SUS, nós somos tão melhores que eles kakakakakaka

Augusto L
Augusto L
6 meses atrás

Muito bom, a Otan fica com os conflitos hing end e a UE com os assimétricos.

Portugal tem aumentado muito seu gasto militar, acho que já ate estão nos 2%.
Tem participado muito dos battlegroups da UE e da NRF da OTAN

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Augusto L
6 meses atrás

Augusto o orçamento militar português encontra se abaixo dos 2%. Talvez para 2030 se alcance tal investimento.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Peter nine nine
6 meses atrás

É perguntei pq não consegui achar, so achei que cresceu 23%, para 2019, não sei se é verídico.

MestreD'Avis
MestreD'Avis
Reply to  Augusto L
6 meses atrás

Augusto, não não é… Neste momento andará pelos 1,3% se tanto. Fora a diferença entre o orçamento e o que é realmente gasto que é sempre menos. Depois existem mil maneiras de o governo mostrar que o orçamento militar cresce. Por exemplo, os quartéis são propriedade do governo central e os militares pagam aluguer desses quartéis. Isso conta como orçamento militar. Percebe o quão idiota é isso?? Outro problema é semelhante ao do Brasil. Portugal tem no activo mais almirantes que navios na sua marinha fora os militares na reforma. Muito do orçamento vai para pessoal e não para equipamento.… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
6 meses atrás

Estes caras da foto não são do SAS da França ?

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
6 meses atrás

Sao franceses sim. Mas a SAS é britânica, não francesa.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Peter nine nine
6 meses atrás
Peter nine-nine
Peter nine-nine
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
5 meses atrás

Não tinha ideia que a França e Reino Unido partilhavam a mesma designação para uma unidade especial…