Home Blindados EUA autorizam a venda de 27 blindados ‘Stryker’ à Argentina

EUA autorizam a venda de 27 blindados ‘Stryker’ à Argentina

5416
133
M1126 Stryker

WASHINGTON — O Departamento de Estado determinou a aprovação de uma possível venda militar estrangeira ao governo da Argentina de vinte e sete (27) veículos transportadores de infantaria Stryker M1126 e equipamentos relacionados por um custo estimado de US$ 100 milhões.

A Agência de Cooperação em Segurança de Defesa entregou hoje (6 de julho) a certificação exigida, notificando o Congresso sobre essa possível venda.

O Governo da Argentina solicitou a compra de vinte e sete (27) veículos transportadores de infantaria Stryker M1126 e vinte e sete (27) metralhadoras M2 Flex .50 Cal.

Também estão incluídos os melhoradores de visão do motorista AN/VAS-5; Sistemas de intercomunicação para veículos AN/VIC-3; Sistema de rádio terrestre e aéreo de canal único AN/VRC-91E (SINCGARS); Itens básicos de emissão (BIi); Componentes de itens finais (COEI); Lista Autorizada Adicional (AAL); Ferramentas Especiais e Equipamentos de Teste (STTE); Lançadores de granadas de fumaça M6 e peças associadas; Outside Continental United States (OCONUS) De-processing Service; Treinamento fornecido pelo contratado pelo OCONUS; Representantes de Serviço de Campo (FSR); manuais técnicos; peças de reposição; Serviços de suporte técnico, técnico e de logística do governo dos EUA e contratados; e outros elementos relacionados ao suporte logístico e ao programa.

O custo total estimado do programa é de US$ 100 milhões.

Essa venda proposta apoiará as metas de política externa e os objetivos de segurança nacional dos Estados Unidos, melhorando a segurança de um grande aliado não pertencente à OTAN, que é um parceiro estratégico na América do Sul.

A venda proposta melhorará a capacidade da Argentina de enfrentar ameaças atuais e futuras, aumentando as capacidades operacionais e disponibilidade de força. A Argentina usará os veículos Stryker para conduzir operações de estabilidade em apoio à ajuda a desastres e obrigações internacionais de manutenção da paz. A Argentina não terá dificuldade em absorver esses veículos em suas forças armadas.

A venda proposta deste equipamento não alterará o balanço militar básico na região.

O contratante principal será a General Dynamics Land Systems, Anniston, AL. Não existem contratos de compensação conhecidos em relação a essa venda potencial.

A implementação dessa venda proposta exigirá a atribuição temporária de dois (2) representantes de empreiteiros dos EUA na Argentina para apoiar o programa.

Não haverá impacto adverso na prontidão de defesa dos EUA como resultado dessa venda proposta.

Este aviso de uma possível venda é exigido por lei e não significa que a venda foi concluída.

FONTE: Agência de Cooperação em Segurança da Defesa dos EUA

Subscribe
Notify of
guest
133 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Quem quer um calote?

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Amigo, se a Argentina der um calote nos EUA, você acha mesmo que ela não consegue esse dinheiro de uma outra forma e se brincar muito mais rápido do que o pagamento normal.

Adriano silva
Adriano silva
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Argentina tem Fama…. de comprar e não Pagar.

Karl Bonfim
Karl Bonfim
Reply to  Adriano silva
1 mês atrás

Se for assim, ainda bem que não compraram os gauranis!

Teropode
Reply to  Karl Bonfim
1 mês atrás

Eles querem um veículo de verdade e não um faz de conta , se forem para uma missão de paz na África ou Ásia eles não ficarão vulneráveis .

Tomcat4,2
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Ainda mais com o dólar valendo mais de 71 pesos argentinos.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

A Argentina teve dificuldades em pagar um lote de aviões de treinamento, mas mesmo com atraso, pagou. Se aquilo estivesse em aberto, esta venda não seria aprovada.

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Exatamente. Se estivesse com essa pendência não chegaria nem perto dessa compra

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Se quiserem comprar equipamentos para reequipar as FA’s deles que estão precisando não darão calote ou vão ter dificuldades nas próximas compras.

Teropode
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

A importância que a Argentina possuí para os EUA aqui na AS compensaria qualquer tipo de calote , principalmente deste valor , isso ai é esmola , mais doque isto os EUA destruíram e abandonaram no Iraque e no Afeganistão .

rdx
rdx
1 mês atrás

Eu queria ver a cara dos defensores do Leopard se a Argentina comprar um lote M1 Abrams.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

Eles não vão comprar.
O m1 Abrams literalmente atola nos locais aonde ele teria que operar na Argentina.

Porque você acha que eles escolheram desenvolver um tanque mais leve e com menos pressão sobre o solo que o Leopard 1.

rdx
rdx
Reply to  Wilson
1 mês atrás

Quem disse? Mais cedo ou mais tarde a Argentina vai comprar um tanque com canhão 120mm. Essa estória de solo fofo não cola. Com certeza existem solos piores no oriente médio e na Europa…Onde os tanques pesados com canhão 120 mm reinam.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

Pesquise sobre o TAP(Tanque Argentino Pesado), só para saber o chassi do Tam Palmaria era para ser usado no TAP também.

Sabia que o Tiger 1 tinha uma pressão sobre o solo semelhante a do M1 Abrams e que tinha muitos locais que ele não conseguia andar, para saber se o solo suportaria o peso 2 tripulantes saiam do Tiger, 1 deles subia nas costas do outro e esse pulava sobre um pé no solo, se afunda-se o solo não suportava o peso do Tiger.

rdx
rdx
Reply to  Wilson
1 mês atrás

E daí? A pressão do solo do pesado Leopard 2 é praticamente a mesma do Leopard 1.

Tutu
Reply to  rdx
1 mês atrás

O leopard 2 é mais pesado.

rdx
rdx
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Existe uma matéria (não lembro a fonte) que mostra que os Leopard 1 e 2 possuem praticamente a mesma pressão sob o solo. A galerinha do dislike precisa pesquisar mais.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

Para quem quiser saber:
Pressão sobre o Solo:
Leopard 1a5: 0,88 quilogramas por centímetro quadrado
Leopard 2: 0,83
M1a2 Abrams: 1,05
TAM: 0,79
Challenger 2: 1,00

Glasquis7
Reply to  Tutu
30 dias atrás

O Leo 2A é mais pesado mas a distribuição de peso é melhor que a do 1 A 5

rdx
rdx
Reply to  rdx
1 mês atrás

Eu citei o M1 mas pode ser qualquer tanque com canhão 120mm. Leopard 2, M1 Abrams e até mesmo o Merkava.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

E porque eles tem que abandonar toda uma família de blindados, modernizar o TAM no momento é muito melhor e é mais econômico.

E você está desconsiderando todos os custos relacionados a logística e infraestrutura, além disso os custos de operação desses veículos é muito alto para a atual situação da Argentina.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

E a do TAM é bem mais baixa.
Esse foi um dos fatores que levou o Exército Argentino a preferir pelo TAM em vez do Leopard 1 que foi avaliado antes.

Teropode
Reply to  rdx
1 mês atrás

A galera não pesquisa , amam surfar .

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  rdx
1 mês atrás

O calibre do canhão pouco influi no peso do veiculo. Você pode ter um canhão se 120 mm nom veiculo mais leve que os nossos leopard. O problema todo e a blindagem.

Ricardo Barbosa
Ricardo Barbosa
Reply to  Wilson
1 mês atrás

O solo da Argentina é todo de areia movediça?

Wilson
Wilson
Reply to  Ricardo Barbosa
1 mês atrás

Não, mas tem muito tipo de solo que não suporta veículos pesados.

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Wilson
1 mês atrás

Abrams é um tanque pesado e beberrão. O Brasil ou Argentina não devem comprar esse tipo de carro de combate. É como um trabalhador comprar uma Ferrari.

Teropode
Reply to  Wilson
1 mês atrás

Podem e devem zonear seu território para aplicação da cavalaria mecanizada , a região da Patagônia é riquíssima e a característica da região suporta bem um tanque com o dobro de peso do Abrans , aliás é o lugar apropriado para blindados .

Wilson
Wilson
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Cara um tanque com o dobro do peso do Abrams é quase um Maus!! Um tanque com mais de 100 toneladas é totalmente inviável e eu já ouvi um especialista afirmar (foi em uma live, não lembro ao certo se foi o próprio Paulo Bastos que disse isso)que o Abrams atola na Patagônia, se o Exército Argentino preferiu o TAM mais leve do que o Leopard 1 e o AMX 30 por causa do terreno, eles devem saber bem mais sobre o terreno deles.

Teropode
Reply to  Wilson
30 dias atrás

Foi pra dar ênfase , apenas .

Carvalho
Carvalho
Reply to  rdx
1 mês atrás

” implementação dessa venda proposta exigirá a atribuição temporária de dois (2) representantes de empreiteiros dos EUA na Argentina para apoiar o programa.”

Pra vc que acha que basta pegar as carcaças no deserto…

rdx
rdx
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

Então você não leu direito. Eu disse pegar carcaças e contratar uma empresa para modernizá-las. Volto a repetir…Os nossos Leopard 1 são inúteis contra os T-72 venezuelanos…assim como o TAM seria inútil contra um hipotético M1 Abrams do EB.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  rdx
1 mês atrás

Moço, tenho minhas dúvidas da efetividade de tanques no cenário amazônico. Não que eu seja entendido em tanques, mas parecem ser uma arma para campos mais abertos…

rdx
rdx
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
1 mês atrás

Pesquise sobre a geografia de Roraima.

Ted
Ted
Reply to  rdx
30 dias atrás

Questão de tempo ou melhor mudança de comando que 50% dos blindados vão sair da região sul, transferência para o centro oeste

Robson Heitor Piletti
Robson Heitor Piletti
Reply to  rdx
1 mês atrás

T-72 vs L1A5? Se algum dia tiverem que enviar algo para enfrentar os T-72, o primeiro disparo será de algo com asas ou rotores… e os Gripen que derrubem o que decolar vindo de lá…

Pedro Calmon
Pedro Calmon
Reply to  rdx
1 mês atrás

Considerando a dificuldade de se levar tanques para Roraima ( e a completa falta de interesse da Venezuela em Roraima), ter Leopard 1 ou M1A3 nao fariam a menor diferenca nesse caso.

Ted
Ted
Reply to  Pedro Calmon
30 dias atrás

Não existe dificuldades: missão dada é missão cumprida.

Ramon
Ramon
Reply to  rdx
1 mês atrás

Até hoje tem cara que sonha com esse M1 Abrams, cara uma coluna deles tem que levar uma plataforma de petróleo junto porque aquele motor dele é praticamente um ralo de combustível, se um dia aparecer um motor novo para ele talvez compense adotar ele, mas no momento é mais interessante acompanhar de perto o novo carro de combate leve que os americanos estão construindo.

rdx
rdx
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Bom mesmo é o Leopard 1, um projeto da década de 60 armado com canhão obsoleto, com blindagem fraca e sem peças de reposição no mercado.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

Canhão tão obsoleto que ainda fazem projetos de veículos usando ele.

rdx
rdx
Reply to  Wilson
1 mês atrás

Sei. Cite um MBT recente com canhão 105mm.

Wilson
Wilson
Reply to  rdx
1 mês atrás

Eu disso veículos, eu não especifiquei o tipo.
Pelo papel dos MBT em combate se presa pelo maior poder de choque e nisso o 120mm é superior, os veículos com canhões de 105mm hoje são para os tanques muito leves como o Harimau da Indonésia e veículos de apoio a infantaria sobre rodas como o conceito original do VBR Guarani que usaria um canhão de 105mm.
Existe espaço para canhões menores que o 120mm no mercado, tudo depende da função que o veículo terá.

Tomcat4,2
Reply to  rdx
1 mês atrás

Me entrometendo na discussão vou citar um projeto recente que compete no programa Mobile Protected Firepower do Exército dos EUA;
General Dynamics Griffin II, terá blindagem aprimorada e canhão de 105 mm está mais no conceito MMBT(carro de combate principal leve/médio).comment image

rdx
rdx
Reply to  Tomcat4,2
30 dias atrás

Light Tank

Tomcat4,2
Reply to  rdx
1 mês atrás

Tem o Type-15 chinês, tbm com, canhão 105mm e carregador automático.comment image

rdx
rdx
Reply to  Tomcat4,2
30 dias atrás

Medium Tank

Tomcat4,2
Reply to  rdx
1 mês atrás

Posso citar o Griffin II da General Dynamics que compete em um programa da US Army, o Type-15 da China que tem carregador automático pro seu canhão de 105mm entre outros mas, estes são MBT’s médios mais leves que os parrudões de 60 t pra cima e mais ágeis tbm(o que é o diferencial exigido em seus projetos,ter mais mobilidade ).

rdx
rdx
Reply to  Tomcat4,2
30 dias atrás

Não são MBT. Light Tank e Medium Tank, respectivamente.

Salim
Salim
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Ramon, a turbina do Abrams e multi combustível, pode usar álcool, óleo fritura, diesel qualquer tipo, gasolina, etc…o Brasil e auto suficiente em petróleo e exporta bastante e alccol ( infelizmente náo temos refinarias suficientes para nossa demanda interna )

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
1 mês atrás

Para mim a preocupação é a logística do mesmo, pode sair até mais caro adequar as instalações aonde ele seria guardado e os meios de transportar ele pelo território nacional.

Salim
Salim
Reply to  Wilson
1 mês atrás

Em Pais continental como nosso faz parte da doutrina de defesa a logística. Hoje temos carência de blindados usados, todo mundo usando ate o osso. O que tem ainda e o M1 com 120 mm e blindagem eficiente com FMs pgto perder vista. Um novo em torno USS 10 milhões . Se o M1 vir barato resolve a carência atual de mbt. Leo e m60 podem ser de potencializados para lança misseis superfície e cobertura área médio alcance. Logística tem que adequar para qualquer equipamento e nenhum tanque e econômico em consumo e manutenção, Na hora da guerra barato sai… Read more »

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
1 mês atrás

Vamos lá, Qual desses países teve uma logística melhor na WWII, Alemanha com vários modelos que tanques e veículos blindados cada um com a sua logística única ou EUA em que praticamente todos os meios blindados usavam o chassi do M4 e os que não usavam tinham peças compartilhadas? Eu diria que a resposta é óbvia, outro ponto de que adianta ter o equipamento se o mesmo não tem como ser usado em seu potencial máximo, seja por limitação do terreno, financeira ou doutrinária? Para o EB hoje a melhor solução não é o m1, é adquirir uma família de… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Wilson
1 mês atrás

LeO 1 e TAM náo tem condição combater mbt quarta geração, só mudar canhão náo resolve nem encher blindagem extra, vai sair caro e sem mobilidade. O que tem hj e M1, se perder os melhores que da pra conseguir via FMs náo teremos nada. O ideal seria novo, porem o valor e a logística são tao caros quanto. Veja um M1 talvez saia mais barato que guarani. Tem o merkava que ate pode levar oito soldados, porem sera muito mais caro. Na situação atual e o que tem viável e teríamos defesa atualizada. Também náo gosto desta solução porem… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Salim
1 mês atrás

M1 mais barato que Guarani… acorda pra realidade. Ressuscitar um M1A1 Abrams, revisar pra condição zero hora, com modernizações pontuais e comprar TODA a logística necessária e que TEM de ser adquirida para manter e operar (treinamento, ferramental, manuais, consumíveis, munições, veículos de suporte, simuladores e etc, etc, etc…) seria extremamente mais caro “que um Guarani”. Novamente: acorda. . Se fosse essa coisa linda e maravilhosa que muitos acreditam ser, o EB já teria realizado essa opção. . “Tem o merkava que ate pode levar oito soldados” . Onde é que cabe 8 soldados dentro de um Merkava??? . Aqui????w=768… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Caro Bardini, náo gosto M1, porem qual solução teríamos curto prazo!? Estamos ficando muito atrás e sem solução, deixaram tao largado que precisamos de algo curto prazo. Tem ate uma proposta sua de aumentar significativamente quantidade de misseis portáteis anti tanque e ante pessoal que sairia bem mais em conta e efetivo. Leo 1 náo tem mais como fazer frente nem com modernização, leo 2 com 120 mm todo mundo vai usar ate osso. Hoje nem cobertura aéreo temos , gripens nem homologados pra vôo estão ainda. Desculpe mais Merkava e um belo mbt e extremamente eficaz, agora esta espec… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Salim
1 mês atrás

Quanto ao custo entre Guarani e M1, limitando entre esta opção. M113 consegue acompanhar mt, porém Guarani não, Guarani usd 1 milhão sem armamento, mt canhão 120 mm , metralhadoras, blindagem , presença tática, etc… m bt capaz hj e muito mais urgente em virtude situação atual.

Ted
Ted
Reply to  Salim
30 dias atrás

Mísseis anti tanque já. Em grande quantidade.

Salim
Salim
Reply to  Ted
30 dias atrás

Concordo plenamente, com cobertura aérea eficaz , quantidade e tropa bem treinada mbt náo sai buraco.

Teropode
Reply to  Salim
30 dias atrás

Nossa cara , não tem como comparar alho de bugalhos .

Salim
Salim
Reply to  Teropode
30 dias atrás

Sim, náo estou comparando, estou justificando prioridade, levando em conta estas opções. MBT em quantidade tática e mais prioritário que Guarani.

Robson Heitor Piletti
Robson Heitor Piletti
Reply to  Ramon
1 mês atrás

A questão é encontrar uma coluna deles e ter que atirar com 105mm contra…

J L
J L
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Desculpe a intromissão no assunto, mas já foi dito pelo Paulo Bastos que o motor do Abrams é uma turbina de helicóptero, por isso bebe do jeito que é constantemente comentado.

Salim
Salim
Reply to  J L
30 dias atrás

MBT e caro e exige manutenção, segurança ponta e de valor elevado. Consumo combustível no M1 náo e o caro, pois pode usar qualquer combustível. A manutenção sim e alta. Usado e com valor suportável , também testado em guerra e o que tem, se náo pegar melhores vamos ficar a pe ( na realidade já estamos), dai só novo na casa USS 10 milhões. Se a decisão e manter capacidade de guerra com MBT e o que tem mercado. E igual porta aviões, da pra viver sem, porem sem cobertura aérea frota fica restrita proximidade costa. MBT e semelhante,… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  rdx
1 mês atrás

Se os defensores do Leopardo, comprarem o Leopardo 2 A5 ou A6, ficam muito mais bem servidos, e então o A7 era demais.

Salim
Salim
Reply to  rui mendes
1 mês atrás

Concordo mais ninguém quer vender, vão usar ate osso. EB saiu procurando porem sem sucesso ate momento. Mbts estão estagio equivalentes em tecnologia e ninguém esta comprando novos portanto o aparecimento de oportunidades náo existe curto e médio prazo.

Adriano
Adriano
Reply to  rdx
18 dias atrás

e a Argentina tem dinheiro pra comprar o M1Abrams

Jeferson
Jeferson
1 mês atrás

27 bem pouco, aqui pelo menos temos uns 400 Guaranis

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Jeferson
1 mês atrás

400 veículos de 4 mil necessários de suas mais variações possiveis.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Bom, pelo menos estão sendo fabricados né amigo.

Tomcat4,2
1 mês atrás

Na pindaíba que estão e a moeda deles trocentas vezes mais desvalorizada que o real(1 real vale mais de 13 pesos) , estes 100 mi de doletas vão custar quase um bilhão.
Peso argentino= 1
equivale a
Dólar americano=0,014
vai dar entre 71 e 72 pesos pra chegar a um dolar(aproximadamente 7,1 bilhões de pesos).

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
1 mês atrás

Eles vão chegar junto dos P-3 ??? Desculpa, mas a Argentina tem fama de “querer”, mas “comprar” de fato não compram nada.

Marcos
Marcos
Reply to  Roberto Bozzo
1 mês atrás

Já saiu nota no começo do ano, os 4 P-3 foram cancelados. O DSCA publica a autorização e o país escolhe se quer dar continuidade ou não.

A Argentina esta “rota” como diz os hermanos. Não tem plata

Teropode
Reply to  Marcos
30 dias atrás

Mas possuem militares corajosos e loucos, isso já é metade da solução .

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
1 mês atrás

Um offtopic… Alguém sabe se é real a compra pelo EB de “20 veículos de resgate táticos blindados 8×8 Oshkosh Defense M984 8×8, por meio do programa Foreign Military Sales (FMS), será concluída em 2021.” ? Copiei do site original.

Tomcat4,2
Reply to  Roberto Bozzo
1 mês atrás

É verídico sim, na verdade serão 30 (teve uma encomenda de 10 antes) foi noticiado ano passado é pro programa Guarani.

Tutu
1 mês atrás

Solicitaram em 2015….
Muita coisa mudou lá desde então.

Tutu
1 mês atrás

Os argentinos já compraram lá em 2010 dois blindados WMZ-551B1 que tiveram resultados horríveis, um deles chegou mesmo a não conseguir completar uma travessia anfíbia devido á falhas de estanquidade.

noringp-520.jpg
Tutu
1 mês atrás

Os argentinos analisaram como opções os seguintes veículos:

VBPT-MR Guaraní 6×6
GDLS Pandur II 8×8
VCBR-NORINCO VN-1
VCBR M1126 Stryker

Obs: Na época se falava em 100 unidades.

Jhon
Jhon
1 mês atrás

Cristina Kirchner vai colocar porcelanato nos pampas Argentinos para operações com MA1 Abrans.

Sagaz
Sagaz
1 mês atrás

Já teve a consulta ao SPC e Serasa?

mendonça
mendonça
1 mês atrás

tem um trecho do texto que cita a argentina como grande aliado fora da otan.
sei…qual é ogrande aliado deles…
me engana que eu gosto.

Lucas
Reply to  mendonça
1 mês atrás

Os EUA falam isso de quase todos os países de fora da otan kkkkk

antonio cunha
antonio cunha
Reply to  mendonça
1 mês atrás

Grande aliado dos contra OTAN: Rússia, Venezuela, Cuba, China e Irã.

Fred
Fred
1 mês atrás

Então os hermanos não gostam de guaraná e nem do Guarani…

Welington S.
Welington S.
Reply to  Fred
1 mês atrás

Se engana quem acha que os hermanos gosta do Brasil…

Mercenário
Mercenário
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Wellington,

Já falei diversas vezes a respeito.

Mas alguns que não convivem com eles insistem em achar que são “hermanos”.

Capela
Capela
Reply to  Mercenário
1 mês atrás

Mercenário e Welington se serve de consolo pense em um povo odiado principalmente pelos europeus que eles tentam tanto copiar, em minha viajem ano passado tive a oportunidade de conversar com vários europeus e amigos a imagem de argentino é execrável por lá, nem o papa escapa que segundo um guia italiano não fosse sua parcela italiana de origem o mesmo se autodenominaria DEUS II.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Welington S.
1 mês atrás

Não gostam mesmo, são poucos os que te tratam bem e com respeito, mas a maioria é rascista com os Brasileiros, é só ver os jogos de times Brasileiros lá, até mesmo em jogos online ele chamam a gente de macaco e tudo mais.

Rodrigo LD
Rodrigo LD
1 mês atrás

Agora quero ver os Hermanos tirando onda nas Operações Conjuntas. Andando de Stryker e com uniformes Multicam, além de material individual novo e atualizado. Não fosse a bandeira na gandola, diria que é o US Army! Abraço, camaradas.

Tutu
Reply to  Rodrigo LD
1 mês atrás

FAL….

Robson Heitor Piletti
Robson Heitor Piletti
Reply to  Rodrigo LD
1 mês atrás

Também quero ver… vão abastecer no posto Ipiranga e parcelas no cartão de crédito em 6x?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

100 milhões de dólares?
Considerando-se a atual economia argentina, e o descaso com que o próprio governo e povo tratam suas FA’s ( com um certo motivo, diga-se de passagem ), eu acreditaria nisso se esses veículos viessem como doação, via FMS, com os EUA pagando o custo do transporte.

Caio
Caio
1 mês atrás

“Balanço militar básico da região” balela para justificar a permanência da fraqueza.

Anderson
Anderson
1 mês atrás

Acredito que cooperação com a Argentina não é viável, eles poderiam comprar o guarani e o Brasil comprar alguma coisa deles e assim todos sairiam ganhando mais eles sempre preferem comprar de alguém que não seja do Brasil.

PauloR
PauloR
Reply to  Anderson
1 mês atrás

Graças a política externa brasileira, o mundo esta se afastando do Br e a Argentina não tem motivos para firmar parceria com um país hostil como o Br.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  PauloR
1 mês atrás

O mundo se afastou do Brasil kkkkkkkk tava no top 5 de investimento estrangeiro em 2019 em 2020 corria o risco de ficar no top 3

Salim
Salim
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O que temos de investimento e a venda de noossa infraestrutura pra cobrir rombo governo. Dinheiro para negocio novo náo existe. Como exemplo te investimento área militar comprando empresas já existente como SAAb comprando as empresas que teria repassar tecnologia bem como estaleiro vendido que seria responsável pela absorvicao tecnologia corvetas. Brasil com dólar acima 4 reais e uma pechincha, imagigina a mais de 5.

Tomcat4,2
Reply to  PauloR
1 mês atrás

Rapaz(PauloR), o bichinho da ideologia está te fazendo delirar e fechando seus olhos pra realidade.

Desce daí Zé, vc pode cair e se machucar e dar trabalho pro Samu!!!rs

A turma sabe de onde vem esta expressão .rs

Lu Feliphe
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Saquei a referência Tomcat kkkkkkk

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  PauloR
1 mês atrás

O mundo se afastou do Brasil kkkkkkk

Mais um iludido e assíduo telespectador da globonews

Desce daí Zé ………

Last edited 1 mês atrás by Entusiasta Militar
Roberto Messa C&A
Roberto Messa C&A
1 mês atrás

Ninguém tentou empurrar os guaranis excedentes do “equivoco” dos generais envolvidos?

Mesmo q demorassem a pagar, ia diminuir o preju

Salim
Salim
Reply to  Roberto Messa C&A
1 mês atrás

Guarani e. Inferior ao carro comprado por eles tanto e blindagem como em capacidade bélica e de carga.

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
1 mês atrás

Olha não achei aonde o Guarani seja inferior ao M1126 Stryker, ambos tem pesos semelhantes(na casa das 16 toneladas), tamanhos semelhantes(só a altura do Guarani que é um pouco menor) e transportam ambos 2 tripulantes e 9 soldados, a maior diferença entre os dois é que um é 6×6 e o outro é 8×8.

Calrson
Calrson
1 mês atrás

Argentina é capaz de pagar e comprar ainda mais Stryker e enquanto isso o Guarani 8X8 do Brasil não sai do papel, os helicópteros de ataque não tem verba, nosso MBT velho vai continuar, o avião de asa fixa no EB reclamaram sinceramente tá uma merda a defesa só tem verbas para aumenta salários e pensões até em meio de crise e pandemia, má administração do crl

Arthur
Reply to  Calrson
30 dias atrás

Sim, totalmente capaz…..

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Excelente aquisição , estou na torcida para que esse seja apenas o primeiro lote.

Cidadão
Cidadão
1 mês atrás

Balanço militar ? Só pode tá se referindo ao chile, né ?

Daniel Botura
Daniel Botura
1 mês atrás

Gente, básico, se os EUA não fornecerem a “CHINA” o fará, né…………………então, Made in USA

Luiz Alberto Mezzomo
1 mês atrás

Estranha decisão por parte do Departamento de Estado EUA.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Alberto Mezzomo
1 mês atrás

Quem precisa mesmo de MBT compra Abrams A1 sem discutir. Grécia, Egito, Taiwan, etc…E não esqueçam que o Abrams ganhou a competição contra o MBT a Diesel da GM, devido a facilidade de manutenção da turbina que tem apenas um rotor múltiplo. Toda a manutenção de primeiro escalão é feita pela própria tripulação.

Antônio Palhares
Antônio Palhares
1 mês atrás

Uma iniativa americana na tentativa de deslocar os chineses do pedaço. Pais amigo extra OTAN. Faz me rir.

Oganza
Oganza
1 mês atrás

É isso ou será a China quem venderá.
Ps.: será que os chinglings não irão lá fazer umas “medições”?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Oganza
30 dias atrás

Os argentinos são traumatizados com material chinês , além disso os pesqueiros chineses vivem fazendo incursões ilegais em águas argentinas.

Felipe Morais
Felipe Morais
30 dias atrás

100 milhões de dólares. Isso dá 527 milhões de reais e 7 bilhões de pesos argentinos. Isso daria pra comprar quantos guaranis? De acordo com uma notícia de dezembro de 2016, o EB fez uma encomenda na média de R$ 3,7 mi por carro, no total de 1.580 carros. Considerando o tempo que passou e a variação da moeda, considerando a quantidade menor dos argentinos e que não é uma encomenda do EB, vamos supor que o preço pra eles fosse R$ 7 mi por carro, quase o dobro. Daria pra comprar o triplo de carros. E isso considerando os… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  Felipe Morais
30 dias atrás

O exercito Argentino fez uma ótima aquisição. Dentre os IFV da atualidade o Striker é um dos mais destacados. Basta ver o fabricante, a G. Dinamics. Essa tem experiencia de combate e tradição no campo de blindados.

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Luiz Floriano Alves
30 dias atrás

os M1126 são APC equivalente aos Guaranis com REMAX…. lembrando que os Stryker são 8×8 porém não são anfíbios.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
Reply to  Felipe Morais
30 dias atrás

Uma negociação de armas não se resume apenas a essas questões. Envolve outras variáveis, que vão desde o financiamento (crédito) até prazos envolvidos. Ás vezes rola até uma troca comercial de produtos ou mesmo uma cessão de direitos a terceiros. Algo do tipo “eu lhe mando 27 blindados e você entrega X toneladas de carne no Japão”.
E como toda negociação entre nações, é uma porta que se abre para futuras aquisições.

Art
Art
Reply to  Felipe Morais
30 dias atrás

Guarani é 6X6, pouco espaço para sistemas, pouco peso, menor. Hoje a quantidade de sistemas embarcados é grande um 6×6 é prejudicado, por isso a OTAN partiu para o padrão 8×8. O Brasil fez sua escolha, lá atrás pensando em custos é claro (8×8, mais complexo, mais complexo, etc). Será que já não está na hora de passar para um Guarani II 8×8, igual ao Pandur II, ou construir sob licença um projeto já consagrado???

Last edited 30 dias atrás by Art
Wilson
Wilson
Reply to  Art
30 dias atrás

Compara as dimensões do guarani com o stryker oferecido e verá que o guarani só é uns 30 centímetros mais baixo de resto ambos tem dados muito semelhantes inclusive o peso.

Art
Art
Reply to  Wilson
29 dias atrás

Questões de espaço, construção, projeto, estabilidade. O Guarani não aguenta uma torre de canhão 35mm por exemplo.

Wilson
Wilson
Reply to  Art
29 dias atrás

Aonde você tirou isso?
Se o EB quiser(e tiver grana para isso) podem muito bem colocar uma torre com canhão de 90mm ou mesmo 105mm no guarani, como que o guarani não teria espaço se ele leva o mesmo número de soldados que o Stryker e tem praticamente as mesmas dimensões(tirando a altura), só porque ele é 6×6?

Salim
Salim
Reply to  Wilson
29 dias atrás

Acredito que canhão 105 mm inviável, 90 mm baixo calibre e recuo reduzido provavelmente da, porem com rendimento baixo e limitações severas parâmetros tiro em movimento, só serve pra desfile.

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
29 dias atrás

105mm com recuo reduzido é plenamente possível o LAV-600 ou V-600 mostra isso, um 6×6 com dimensões semelhantes as do guarani e no caso do 90mm para suporte de fogo ainda é muito bom e ainda nocauteia muito tank por ai.

Em ambos os casos tem que fazer adequações para suportar o peso adicional e o veículo perde a sua capacidade de transportar tropas.

Salim
Salim
Reply to  Wilson
29 dias atrás

Pode se fazer tudo, porém monetariamente vale a pena em relação a um projetado para isto, na prática terá efetividade alta. Confronto com MBT e feroz, quem atira antes com êxito inutiliza o outro. Um canhão de menor calibre, recuo, terá um alcance bem inferior além da potência do projétil inferior. Vários colegas deram informações valiosas sobre blindagem e capacidade destruição de canhões 105 e 120 mm. Contra carro blindado e ótimo, porém contra MBT não é efetivo.

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
28 dias atrás

Uma munição de 90mm HEAT destrói praticamente todos os tanques projetados até os anos 60 mesmo de frente e nos dias de hoje depende do tanque, alguns podem ser destruídos pela lateral mas todos são destruídos se acertar a traseira. Engajar ou não depende do comandante, se a situação for favorável nada impede que um carro com um canhão de 90mm cause um grande estrago, na WWII um m8 greyhound destruiu um Tiger 2 ao acertar um tiro do seu canhão de 37mm na traseira, o que detonou a munição do Tiger 2. Tudo depende da função que se espera… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Wilson
28 dias atrás

Exato, tudo depende da missão e adequação meio, porém MBT pesado com canhão 120mm tem alcance mortal em torno 4 km e 105 mm em torno 2 km. A chance êxito MBT com blindagem muito superior e canhão com alcance mortal bem maior resulta em probabilidade de êxito estupenda.

Wilson
Wilson
Reply to  Salim
28 dias atrás

Mesmo assim, somente em planícies abertas que alguém teria a probabilidade de acertar um MBT a 4 km e como os combates estão ocorrendo muito mais dentro de cidades o peso e tamanho dos MBTs atuais se tornam em uma desvantagem gigantesca frente a veículos muito mais ágeis e leves.

No campo de batalha vence o que souber tirar o maior proveito da situação, pois ninguém consegue controlar o desenrolar de uma batalha.

Dr. Mundico
Dr. Mundico
30 dias atrás

A minha maior preocupação é quando será o próximo default da Argentina.
Pelo que andei vendo, já faz parte do calendário nacional, um a cada 10 ou 15 anos….

Ted
Ted
Reply to  Dr. Mundico
30 dias atrás

Na verdade já aconteceu em março quando não pagaram os credores.

rdx
rdx
30 dias atrás

Pergunta para reflexão. Entre o Cascavel e o M1 Abrams, qual possui melhor mobilidade no solo dos pampas?

Dr. Mundico
Dr. Mundico
30 dias atrás

Ensinamento de um antigo mestre chinês de xadrez:
“ás vezes o melhor lance a fazer é não deixar seu adversário fazer um bom lance”.

Cristiano GR
Cristiano GR
30 dias atrás

Bah! Agora a rainha se apavorou.