Home Corpo de Fuzileiros Navais Novas viaturas para o Corpo de Fuzileiros Navais

Novas viaturas para o Corpo de Fuzileiros Navais

8141
214

A Marinha do Brasil (MB) formalizou, no dia 24 de novembro, a compra de 90 caminhões UNIMOG 5000, junto à empresa alemã Daimler Truck AG. Os veículos “no estado da arte” militar são apropriados a operações em qualquer terreno e indicados, especialmente, para as operações anfíbias realizadas por tropas do Corpo de Fuzileiros Navais (CFN). Os lotes anuais de viaturas pesadas UNIMOG 5000, incluindo veículos de transporte de tropas e material, cisternas de água e combustível, frigoríficas e basculantes, serão recebidos de 2021 a 2027.

Essa aquisição, que representará considerável ampliação do poder de combate do CFN, sucede-se a outro contrato recentemente celebrado entre a MB e o governo dos Estados Unidos, para a obtenção de um sistema composto por 12 Viaturas Blindadas Leves Sobre Rodas 4×4 “Joint Light Tactical Vehicle” (JLTV), com entregas previstas a partir de 2022.

A Viatura Blindada Leve JLTV é um projeto de última geração das Forças Armadas dos EUA, que incorpora elevados ganhos tecnológicos, em atendimento às demandas operativas da atualidade. A blindagem, aliada à mobilidade, ao poder de fogo e às potencialidades de comando e controle dessas viaturas, possibilitará a ampliação da capacidade dos Grupamentos Operativos de Fuzileiros Navais em conduzir Operações Anfíbias, Operações de Garantia da Lei e da Ordem, Missões de Paz e outras variadas ações dentro do amplo espectro das operações militares.

Os contratos preveem, ainda, o estabelecimento de estruturas de manutenção, com sobressalentes, equipamentos, ferramentas e cursos necessários. A obtenção dessas novas viaturas ocorre no âmbito do PROADSUMUS, o Subprograma de Meios de Fuzileiros Navais componente do Programa Estratégico da Marinha “Construção do Núcleo do Poder Naval”.

O Subprograma PROADSUMUS foi criado para consolidar e ampliar as capacidades operativas do CFN, garantindo-lhe atuar como a Força Naval de caráter anfíbio e expedicionário, por excelência, contribuindo para as demais tarefas do Poder Naval brasileiro. A obtenção desses meios de última geração, na fronteira da tecnologia militar, assegura um elevado grau de versatilidade e flexibilidade ao CFN, ampliando sua prontidão operacional e sua capacidade de projeção de poder em áreas de interesse estratégico nacional.

FONTE: Corpo de Fuzileiros Navais

Subscribe
Notify of
guest
214 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Quando eu vi, pensei que era para os EUA. Baita compra em?

Agressor's
Agressor's
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

E sai de baixo meu amigo, que é o nosso país rumo ao pugressu…

Luciano
Luciano
Reply to  Agressor's
1 mês atrás

Boa tarde, Agressor. Com estagflação isso vai ser bem complicado!

André Lourenço
Reply to  Luciano
1 mês atrás

Aquele LMV da IVECO não seria uma boa, fabricado aqui, o preço deve ser menor, em reais, ajudaria a criar empregos.

Esses veículos podem sofrer embargos dos EUA, o Biden já ameaçou o Brasil.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  DOUGLAS TARGINO
1 mês atrás

Eu Tb, até prestar atenção no início do texto ” A Marinha do Brasil (MB) formalizou, no dia 24 de novembro, a compra de 90 caminhões UNIMOG 5000 … “

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Alexandre Cardoso
1 mês atrás

Vi um vídeo em outro canal de mídia que fazia essa mesma enganação, mostrava Oshkosh, Humvees, M777 e um monte de equipamentos que o CFN NÃO ia comprar…KKKKKKKKKKK Era pegadinha do malandro!!!!!!!!!!

Last edited 1 mês atrás by Augusto Mota
Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Devagarzinho vamos recuperando as nossas foras armadas, tirando o atraso!

Agressor's
Agressor's
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Agora sim as coisas estão indo para frente pra todos nós…

Pedro
Pedro
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Muito bom. O dinheiro existe, é só pararem de investir nos próprios soldos(aumento em plena pandemia), caviar e claro para a manutenção da exclusão da reforma da previvência

Satyricon
Satyricon
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Gasta-se dinheiro com isso, enquanto os IKL estão encostados por falta de grana para seus PMG.
É a definição de “prioridades”
E logo, logo, chegam os Traders

Augusto Mota
Augusto Mota
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

A compra é somente de caminhões, meus amigos, fiquem atentos ou vão cair na pegadinha do malandro!!!!!!

Tutu
Reply to  Augusto Mota
1 mês atrás

A própria oshkosh já confirmou a venda, inclusive alguns dias atrás, consta que o próximo lote de JLTVs, 2738 unidades, na sua maioria destinadas para as forças armadas dos Estados Unidos, porém 59 serão para países terceiros, sendo esses países Lituânia, Macedônia e Brasil.

Tomcat4,2
1 mês atrás

E vamo que vamo , aos poucos nos adequando á era atual em equipamentos. Bela compra do CFN, pé no chão(mas bem que poderiam ir de LMV pra manter uma padronização de cadeia logística e tal com o EB,mas não sei se o LMV cumpre os requisitos do CFN).

Last edited 1 mês atrás by Tomcat4,2
Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Tomcat4,2

Nao cumpre o requisito do CFN de ser especial e querer ter tudo diferente das outras forças … A Iveco fabrica caminhões e LMV mas não serve para eles porque é nacional.
Por essas e outras, a BID ta estagnada …

Juarez
Juarez
Reply to  Entusiasta Militar
1 mês atrás

Errado. O CFN e hoje seguramente a instituição mais racional, pragmatica e operacional do Brasil.
Comprar simplesomente o melhor caminhão militar 4×4 na categoria 5 tons do mundo,o Unimog.
Não entraram na blá blá sem argumentos técnicos do LMV, vulgo candango da Barbie, impagável e inoperavel por seus custos.
Compraram o melhor o The best, e ainda:
Pagando o mesmo preço que o contribuinteamericano paga, bem como o mesmo preço que o US Army paga pela manutencao.
Já não chega o 400 Guaranis baixados que terão que ser reconstruídos.
Parabéns CFN, respeitando o contribuinte Brasileiro.

Samuca cobre
Reply to  Juarez
1 mês atrás

400 Guaranis baixados…???

Juarez
Juarez
Reply to  Samuca cobre
1 mês atrás

Erro do corretor.
Baixados.

Juarez
Juarez
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Obg corretor.

“Bixados”.

celso
celso
Reply to  Samuca cobre
1 mês atrás

Pegaram COVID?

nereu
nereu
Reply to  Juarez
1 mês atrás

até precisar alguma peça desses V8 diesel que nem existem no Brasil, sem falar da autonomia de cerca de 500km em quanto um Sherpa faz 900km

Juarez
Juarez
Reply to  nereu
1 mês atrás

Liga para o Us Army que tem milhoes de itens no estoque com o mesmo preço que o contribuinte americano paga.

Tomcat4,2
Reply to  Juarez
1 mês atrás

400 Guaranis bixados “que terão que ser reconstruidos” só vc está sabendo desta informação meu caro.

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Também não estou sabendo dessa.

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Nao é informação, é so um desejo ou delírio dele kkk

Juarez
Juarez
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Não senhor. Todas as pessoas que vivem no mundo real, não no faz de conta

Ramon
Ramon
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Caramba vc poderia indicar o problema tão grave no Guarani onde todos os 400 veículos precisam ser reconstruídos, infelizmente aparentemente só vc tem essa informação, compartilha aqui no fórum.

Juarez
Juarez
Reply to  Ramon
1 mês atrás

Eu respondi ontem a sua pergunta, mas os editores não liberaram.

Lu Feliphe
Reply to  Juarez
1 mês atrás

400 Guarani baixados e reconstruídos? De onde veio isso?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Tu não entendes patavinas de gestão… Putz… “Pagando o mesmo preço que o contribuinte americano”… Só mostra o quão pelego és… Rsrsrsrs

Edimur
Edimur
Reply to  Tomcat4,2
1 mês atrás

Da forma com está as coisas no Brasil esse 12 não dá conta do crime organizado

Frank
Frank
Reply to  Edimur
1 mês atrás

Esses 12 e pra desfile de 7 de setembro

jon
jon
1 mês atrás

Não tinha nenhum projeto bom por aqui?

Juarez
Juarez
Reply to  jon
1 mês atrás

Não, só gambiarra, faz de conta que, e ainda por cima caros

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  jon
1 mês atrás

Temos iniciativas da Avibras e da Imbrafiltro bem interessantes, mas os comandos militares nem olham, o lobby não e em dólar.
Então só servem pra sugar recursos públicos via Finep. Aliás no Brasil enquanto tivermos nos comandos 3 forças os oficiais pelegos, sanguessugas que temos ( e eu estou generalizando) deveria ser proibido desenvolver qualquer coisa militar com dinheiro público. Para que ? Se vai ser tudo descartado.

Tutu
1 mês atrás

Bom, quando a marinha soltou o vídeo desse projeto acreditei que como existia um aviso de “imagens meramente ilustrativas” o JLTV seria preterido em prol do LMV, porém agora não duvido de mais nada, podem trazer até os M1A2 que também estavam no vídeo.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Tomara, assim espero. Pelo menos um lote entre 30-50 unidades.

CM

Fighter_BR
Fighter_BR
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Tem o link do vídeo?

Tutu
Reply to  Fighter_BR
1 mês atrás

Coloque “Proadsumus” no google, é o primeiro link que aparece.

RENAN
RENAN
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Ia comentar a mesma coisa.
O vídeo vende um sonho, mas parece que os fuzileiros estão bem acordado.

Eu acredito em uma tropa de pronta resposta a primeira em caso de crise, uma força pequena e altamente capacitada, treinada, e tecnologicamente relevante e atualizada.

Isso seria a meu ver uma prioridade na MB.

_RR_
_RR_
1 mês atrás

E não era sem tempo…

O CFN carece de uma viatura 4×4 decente para zonas quentes. Espero honestamente que não parem somente nesse lote de JLTV.

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
1 mês atrás

A MB comprou realmente a viatura da primeira foto?

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

A Agrale tem o Marruá caminhão leve, não sei se tem as mesmas capacidades e características do Unimog 5000, mas deveria ter sido olhado com carinho.
Aí o EB compra o LMV para nacionalizar sendo que temos o Guará 4WS (mesma condição do Marruá).
Agora a MB compra o veículo americano.
Com o perdão da palavra, mas é uma puta farra do boi isso aqui.
E o MD que deveria centralizar esforços, capacidades e equipamentos não centraliza nada, a não ser cargos !
Esse bananal não tem jeito mesmo.

Mauro Cambuquira
Mauro Cambuquira
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Quanto ao Marruá em comparação ao Unimog um é muito superior ao outro.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Mauro Cambuquira
1 mês atrás

Baseado em ques dados técnicos?
Pode apresentá-los por favor?
Ou só porquê o Unimog está aí há mais tempo?
Essa é a questão caro Mauro, não temos parâmetros de comparação para afirmar se sim ou se não.

Tutu
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Só para você ter noção o próprio Guará se eu não me engano utiliza como base o chassi de um unimog

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Errado.
No início sim, depois a Avibras mudou o chassis para um indiano que não me lembro o nome, eais recentemente nacionalizar em parceria com a Agrale.
Da uma pesquisada.
A Unimog nós negou o chassis para o Astro!

Samuca cobre
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Astros chassis Tatra, uns dos melhores caminhões fora de estrada do MUNDO !!!! Pode pesquisar…

Last edited 1 mês atrás by Samuca cobre
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Samuca cobre
1 mês atrás

Exatamente.
E Guará chassis trata nacionalizado, e se não me engano o Tatra é indiana .

R. Bandini
R. Bandini
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Eu sempre pensei que a Tatra fosse Checa.
Tem certeza que é indiana ?

Last edited 1 mês atrás by R. Bandini
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  R. Bandini
1 mês atrás

kkkk olha eleeeeeeeee!
Desta vez achou no Weekpedia né ?
Por isso mesmo eu disse ” que se não me engano” gênio.
Se a CIA precisar de analista de fotos você será o chefe do departamento kkkkk!

Flanker
Flanker
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

R. BaNdini é a mesma coisa que BaRdini ??

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

TATA !!

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  jose luiz esposito
1 mês atrás

aliás TATA é Indiano , mas a Avibrás mudou para TATRA Checo !

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Errado novamente.Avibras mudou do chassi Daimler para um chassi TatravTcheco.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Ou seja, não é Unimog.
Mas o do Guará se não me falhe a memória e Tatra nacionalizado com Agrale fabricando.

Frank
Frank
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Chassi tatra

Chevalier
Chevalier
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Meu Deus do céu… Unimog é um dos caminhões off-roads mais fodas que já existiram no mundo e vc quer comparar com Marruá… tenha santa paciência

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

Outro engenheiro de imagens.
Pelo amor de deus meu querido, em que dados técnicos você está se baseando?
Em engenharia para falar se uma coisa é melhor ou não fique a outra, fazem-se testes.
Você tem os dados dos testes de comparação?
Ou é só mais outro gado seguindo o rebanho?
Faça-me um favor!
Contra dados não há argumentos, fora isso é só especulações!

Junior P.
Junior P.
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Olha Fox, eu também não tenho dados técnicos em mãos para te dizer que o Unimog é melhor que o Marruá, mas o CFN tem. Essas compras são feitas com processos e critérios técnicos e legais.
Além do mais, é produtivo lembrar que o CFN já utiliza o Unimog à muito tempo, o que pode justificar a continuidade do modelo na força.

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Vou te ajudar a sair dtorpor alucinógeno:

Agrale Marrua, “Jeep” 4×4 leve de ligação na categoria de 1800 kg.
MB Unimog, um.caminhao 4×4 com DNA militar na categoria 5 toneladas, ou seja:
Está tentando dizer que uma banana e igual a uma melancia.
Sugiro que antes de tu afirmar o que tu não sabe, não conhepetgunte.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Putz outro dementados.
Cara vou te ajudar a sai da terra do nunca.
Marruá CAMINHÃO e não o veículo.
Cansei, é muita alienação e lavagem cerebral (quando tem um para lavar) pro meu gosto.
Fica aí em Neverland com seus amiguinhos imaginários.

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Tu és um energúmeno que não consegue sequer estudar o projeto dos veículos, a versão “caminhão” do Marruá nada mais que um picape na categoria 1800 kg com carroceria, o Unimog e um CAMINHAO de na categoria 5 tons 4×4 com todo a arquitetura construtiva militar.

Rawicz
Rawicz
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Concordo…. Deveria se haver uma padronização de equipamentos, gerando intercambio de atividades.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Complicado comparar o LMV com o Guará mesmo levando em consideração produto ser nacional. O primeiro já é consolidado e a IVECO já tinha uma fábrica e linha de produção consolidada por aqui. Vão precisar apenas realinhá-la para incluir um novo produto. Mas complicado mesmo é entender a dita “sinergia” que em tantos vídeos oficiais, jornalistas especializados e comentaristas do meio falam existir nas FA. Isto sim é a maior lenda. O que existe é uma briga de ego. Quando existem operações conjuntas devem ser por imposição superior. O JLTV tem um projeto mais moderno que o LMV, mas haveria… Read more »

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Merlín,
Compartilho com você deste mesmo pensamento.
O CFN, poucas vezes em sua existência, adotou material semelhante às demais forças.
Ainda que seja uma força com peculiaridades bem distintas das demais forças, ainda assim, poderia compatibilizar muita coisa.

CM

Talisson
Talisson
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Concordo. Em plena crise seria muito mais proveitoso priorizar um LMV montado aqui. Se Bolsonaro e Biden não se entenderem esses JLTV podem sofrer bastante atrasos na entrega e até um “calote” aos moldes do F35 turco. O que consola é que o CNF é uma força de elite fará bom uso desse equipamento que é o melhor do mercado, creio eu. Só minha opinião de um entusiasta leigo. Também acredito que o CFN teve bons motivos técnicos para escolher esse em detrimento do LMV.

Last edited 1 mês atrás by Talisson
Satyricon
Satyricon
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

MMerlin, o melhor comentário até aqui

Juarez
Juarez
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

LMV está a bagatela de 400 mil euros, o JLTV custa isto em dólares.

Lemes
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

O LMV não é FABRICADO por aqui, no máximo será MONTADO aqui. Não há vantegens industriais para o Brasil nessa operação, todas as partes que valhem a pena tecnologica e financeiramente virão de fora. No máximo vamos fabricar o tapete de borracha e o espelho retrovisor (pagando muito mais caro por isso). O JLTV terá todas as suas peças de reposição compradas via FMS, pagaremos o mesmo preço que as forças armadas americanas e em dólar. O JLTV tem milhares de unidades o que faz seus custos de manutenção serem mais baixos (Escala é tudo!). O LMV tem um número… Read more »

Chevalier
Chevalier
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

12 viaturas não ia mudar nada na fabrica da Iveco… e vc nem sabe o porque a MB preferiu este carro…

MMerlin
MMerlin
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

Sem dúvida o JLTV é um equipamento militar no estado da arte. Possuir características que LVM não tem e recursos que por padrão precisariam ser implementados.
Mas estas características e recursos são mesmos indispensáveis ao ponto de o CFN dispensarem o produto, que em boa parte, será nacional?
Algumas destas características não poderiam ser ajustadas no projeto da IVECO como fez o EB?

Chevalier
Chevalier
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

São 12 viaturas cara… relaxa.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

Bom, se o único argumento é pequeno número de viaturas, saiba que foi agregado ao contrato treinamento de uso, de manutenção, peças sobressalentes e transporte.

Apenas o pacote das JLTV vai custar, no mínimo, R$ 25 milhões.

As FA’s fazem diversas destas compras seguindo os mesmos conceitos (fornecedores diferentes) de menor e maior valor, por ano. Desde os famosos coquetéis até os mais caros equipamentos.

Alex Tiago Do Prado
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Boa noite MMerlin. Interesseante que essa reportagem fala apenas desses dois veiculos porem no infodefensa fala de a possibilidade de 13 taques leves para substituir os 18 sk105 do CFN e fala material antaereo e possiveis pecas de 155mm e em valores de orçamento liberado para o PROADSUMOS no valor de 236 milhoes de reais.

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

De grão em grão a galinha enche o papo.

Chevalier
Chevalier
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Não sabemos se poderia
m ser ajustadas. A questão é que são 12 viaturas cara.. relaxa. Não muda nada. E a Iveco só aperta parafusos mesmo. Já virou tara essa coisa de produto nacional, agora nao pode mais comprar 12 carros de prateleira..

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Caro MMerlin, compreendo sua linha de pensamento, mas além do custo de implementar soluções em uma plataforma existente (caso o LMV) geralmente ser alto, ainda se corre o risco de não dar certo, tambem podem ocorrer as “dores do crescimento” até essa solução ser confiável. Ainda assim você pode pensar de forma inversa: As caracteristicas indispensáveis ao CFN estão presentes no LMV ? É factível (custo / benefício) adaptar o LMV em um lote tão pequeno aos requisitos do CFN ? Sou a favor da padronização, de compras nacionais, mas nem sempre o retorno em capacidade e em movimentação do… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Mazzeo
1 mês atrás

Mazzeo, se for tentar customizar o LMV para aproximar suas características com o JLTV, a tarefa se torna impossível. O segundo é um veículo muito mais moderno. E não estamos falando apenas de estrutura e blindagem.

Se o consenso é manter O CFN com equipamentos no estado da arte, o caminho é o correto. Mas, na teoria, as outras duas Forças gostariam de estar neste grau tecnológico. Mas concordo também que um produto não deve ser escolhido apenas por ser de origem nacional. Deve pesar mas não decidir.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Chevalier
1 mês atrás

O problema de tudo amigo, é a farra do boi e bairrismo que sempre existiu e sempre existirá.
Pagamos caro por um T.O.T (se é que isso existe), para depois nossas FAAs mais uma vez fazerem o que querem.
E depois querem reclamar da falta de verbas!
Com essa cadeia logística haja verbas.

Glasquis 7
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

A Agrale tem o Marruá caminhão leve, não sei se tem as mesmas capacidades e características do Unimog 5000″

Jamais.


Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Se você tem os dados técnicos dos dois, então deve ser mesmo.
Só gostaria de ter acesso há esses documentos que você possuí.

Glasquis 7
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Dados técnicos não tenho mas, o ExCh avaliou uma série de caminhões novos e usados há alguns anos e acabou preferindo Zetros, Actros e Unimog excedentes dos estoques do Exercito Alemão.

Consultei o por que da escolha e a resposta foi que nada se compara em capacidades. Nem mesmo os MAN que seriam cotados pros SLM.

Mas posso estar enganado.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Olha caro amigo, nada contra o Exch da MB ou de qualquer outra força, mas quem deve avaliar equipamentos é o soldado de baixa patente. Quem realmente irá operar o equipamento, veículo ou sistema. Outro porém, não sou contra a aquisição do CFN, sou contra a palhaçada que acontece. Porquê não se adquiriu esse veículo, ou o LMV ou qualquer outra para as FAAs nacionais? O EB desenvolvia o Guarani é o CFN compra o piranha, CFN escolhe esse veículo o EB o LMV e por aí vai. Nos Estados Unidos por exemplo, todas as 4 forças usarão esse veículo… Read more »

Samuca cobre
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Antes de projetar o Guarani, a MB já utilizava o Movag Piranha…

glasquis 7
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

O problema daqui é que falar a verdade ofende, e nem outros posts com respostas postaram”

Sem dúvidas, nesse ponto acho que vc está certo mas, lembre que a tua verde não se impõe às de outros a não ser com dados ou fontes.

Posso falar pelo que eu conheço e o ExCh fez a sua opção pela linha alemã que, sendo mais cara, se mostra muito mais confiável na hora do pau quebrar.



Foxtrot
Foxtrot
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

Primeiro que não é “A minha verdade”. Abri um questionamento que foi rebatido sem provas cabais e esculachado sem embasamento técnico. Sendo assim a dita “minha verdade” não está sendo imposta a ninguém, está sendo debatida como sempre acontece, sem ambasçamentos técnicos e ridicularizada sem o aval dos mesmo. Caro amigo, queimo meu diploma de engenharia se algum dia alguém aqui do fórum me provar por A+B que tal veículo é melhor ou não do que o outro com dados técnicos. O problema daqui é que são um bando de entusiasta que só escrevem me$#@da sem estarem amparados com dados… Read more »

ted
ted
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Este tal de marrua é um pangaré desdentado

glasquis 7
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

mas quem deve avaliar equipamentos é o soldado de baixa patente.”

Então, Engenheiros não deveriam participar dessa escolha?

Samuca cobre
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

Pesquisa sobre o Tatra…

glasquis 7
Reply to  Samuca cobre
1 mês atrás

Vou dar uma olhada no Tatra mas, o que tenho entendido sobre o Marrua é que ele tem capacidade de tonelagem menor que que do UNIMOG. Se não me engano o Marrua é pra 3/4 Ton. enquanto que o UNIMOG é pra 5 Ton. Mas além disso, tem uma série de variáveis que fazem do caminhão alemão superior e mais confiável que o Marrua.

Tutu
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

Acho que o Fox está se referindo a esse modelo da Agrale.

Esse é o Agrale AM41.

Agrale-Marruá-AM-41-–-VTNE-2-½-toneladas-4X4.jpg
Tutu
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Ele é um 2 Ton, não é da mesma categoria do Unimog 5000, além de ter prestações Off-Road inferiores ao alemão segundo sua ficha técnica.

Por exemplo, só pode atravessar cursos d’água com até 80cm, contra 150cm do Unimog.

Juarez
Juarez
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Só protótipos cheios de problemas que não saíram desta fase.
A estrutura superior da cabine e de fibra de vidro.
Pelo amor de Deus, querer comparar isto com um Unimog.

Flanker
Flanker
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Se vc quer que os outros apresentem dados técnicos para justificar a superioridade do Unimog (superioridade gritante, aliás….só não entende isso quem quer ser burro e teimoso), então, você que dúvida disso, apresente os dados para dizer que o Agrale é melhor.

Samuca cobre
Reply to  Glasquis 7
1 mês atrás

JAMAIS, mesmo…. kkkk comparar Unimog com Agrale… ai já é demais!!!!

Carlos
Carlos
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Ainda mais com uns comentários Bananas como esse Seu

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Leu porque quis ler.
Banana no mínimo é quem não quer ver a verdade ou apenas assimila o que lhe empurram goela a baixo.

MFB
MFB
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Você discute como um adolescente. Ėvpatetico o seu comportamento quando discordam ou mostram que você está errado.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

O Guará 4WS é um Sherpa Light Scout da RENAULT.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Engano seu amigo.
O 4WS é fruto dos ensinamentos do primeiro Guará no Haiti, somados a nacionalização do Shepar.
Ou seja, dois conhecimentos muito bons em combate.

Marujo
Marujo
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Ministério da Defesa so existiu com o Jobim. De 2015 para ca, virou mera formalidade.

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Vou tentar com muito esforce elucidar as asneiras que tu disse:
Marruá, um “jeep” 4×4 lá eve de ligação, Unimog ,um caminhão 4c4 na categoria 5 toneladas.
Yara, uma cruza de vaca com cavalo, não puxa carroça e não dá leite.
JlTV, o melhor MiRAP da categoria.
Como tu vê Fox, tu não sabe que não sabe.

Fers
Fers
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Acho que ele estava se referindo a esse, o AM41.

2fab6398ac4628819087cdd48f82b924.jpg
Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Cara não vou nem te responder para não gastar meus neurônios com quem.nao sabe nem interpretar um texto.
Te aconselho a aprender interpretar textos primeiro para só depois tentar debater alguma coisa.

glasquis 7
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Cara não vou nem te responder para não gastar meus neurônios “

Mas respondeu.

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Ti não sabe que não sabe. Fica feito um papagaio repetindo asneiras e falando de projetos, sonhos e delírios.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Por fim e mais uma vez vou desenhar para você entender. “JITV,o melhor MIRAP da categoria,”. Em que se baseia sua afirmação? Melhor do que o Tigre Russo, o próprio LMV II etc etc etc? Você é engenheiro do projeto, testou todos para afirma isso ou o que? Como vê você é outro especialista de imagens, de alinhamento político ideológico cego. E eu não disse que sei de tudo, só tenho senso crítico e questionamento mais apurado. E até que me provem o contrário com dados para isso, continuarei assim. Não quero ser mais um gado no rebanho. E por… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Toma um Rivotril que melhora.

Juarez
Juarez
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

O caminhão 4×4 protótipo da Agrale que não e o Marrua e sim uma versão do 3/4 comercial civil da Agrale com tração 4×4. Vamos comparar agora: Ele tem redução nos cubos? Não Ele tem.bloqueio nos dois diferenciais? Não Ele tem ângulo de entrada acima de 45°°? Não Tem amortecedores axiais duplos ? Não Tem compressores de ar duplicados com by pass, cuícas blindadas, tubulaçes de ar embutidas no chassi? Não Tem carter super dimensionado com bomba de oleo de alta pressão e volume para poder lubrificar o motor em ângulos de operação altos? Não Logo, ele não e parecido,não… Read more »

Caio
Caio
1 mês atrás

12 JLTVs ? Uma minúscula Lituânia compra 500! Vamos seguir felizes e satisfeito, porque agora também temos.

Junior
Junior
Reply to  Caio
1 mês atrás

Você parou para pensar que esse seja talvez somente o primeiro lote? Creio que os FNs tenham uma demanda para 100 dessas viaturas, mas obviamente não há orçamento disponível para comprar tudo de uma vez só

Caio
Caio
Reply to  Junior
1 mês atrás

Se chegar a uma centena será sorte. O histórico de compras militares nesse país não dá esperanças,. O nosso orçamento militar não é pra esse gasto kkkkkkkk.

SPQR
SPQR
Reply to  Caio
1 mês atrás

É pra gastar com pensões. Se tivesse uma guerra entre pensionistas, as nossas só não conquistariam o planeta porque não teríamos meios de projeção de poder. Talvez o Brasil devesse investir em mísseis balísticos intercontinentais pra lançar pensionistas nas grandes capitais do mundo.

DanielJr
DanielJr
Reply to  SPQR
1 mês atrás

kkkkkkkkkkkkk

Muito bom

Heinz Guderian
Heinz Guderian
1 mês atrás

Essas aquisições são excelentes, só acho que poderiam ser umas 30 viaturas leves, mas já é um ótimo começo. Parabéns a MB pelas aquisições.
Li uma notícia que o CFN estava estudando a adoção de fuzis HK416 para sua tropa convencional, algum colega do blog poderia confirmar se isso é veridíco? Saudações a todos.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Heinz Guderian
1 mês atrás

Olha não sei se é verdade, mas seria um tapa na cara do EB com o IA2, que a Marinha chegou a testar, pelo visto eles vão continuar de M4 ou outro modelo que não seja IA2

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Campos
Novamente briga de egos… Não existem justificativas para não adoção do IA2. As “estórias” divulgadas na Internet são matérias de desinformação. A polícia de SP tem empregado o IA2 com sucesso na guerra urbana que enfrentamos aqui, sem queixas. As tropas do EB nas unidades de fronteira no Oeste e Norte igualmente, com alto índice de disponibilidade e razoável demanda de manutenção.

Não justifica vossa afirmação de “apa na cara”.

CM

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Qual desinformação é divulgada sobre o IA2?

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Alfa boa tarde,

Propaga-se que o fuzil, trava, esquenta, falha, manutenção periódica muito elevada etc.

Cm

Bille
Bille
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Buenas
Propaga-se não. Que esquenta e trava é fato. Pessoal que usou reportou e a IMBEL não mexeu no projeto. O fuzil não é bom pra clima quente (e foi feito no Brasil).
Em competição na Rússia teve um desempenho top.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

a questão é que, o IA2 tem melhorado, vi uns vídeos recentes dele em que não treme todo como antigamente, tem menos peças de funcionamento interno, ou seja menos coisas para quebrar, a questão é que se tem um fuzil nacional bom, pq a MB vai comprar um estrageiro semelhante? tudo é suposição, mas se for verdade, a MB não confia no EB e no seu fuzil novo.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Mas aí entram as questões:

O que foi melhorado?

Que peças tem a menos?

Não treme todo ou só a arma que foi fornecida para o teste? Se pegar um fuzil aleatório dos novos lotes dá no mesmo?

Henrique
Henrique
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

O problema é que provavelmente eles não são semelhantes. O EB só vai usar granada de bocal no IA2, já o HK416 foi feito pra usar lançador de granada e a HK faz um, a IMBEL não. O HK416 tem capacidade ”over the beach” que é poder disparar depois que foi submergido na água, já o IA2 não é mencionado se tem a mesma capacidade. Existe uma variedade de guarda-mãos, cabos e canos pro HK416, já pro IA2 isso já é bem limitado. O HK416 é todo ambidestro e os controles estão melhor localizados (retém do carregador, do ferrolho, chave… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Henrique
1 mês atrás

O IA2 consegue usar sim lançador de granadas igual o M4, sobre atirar logo depois de submergir, o IA2 tem essa capacidade, pode procurar os testes. quanto a ergonomia o HK416 é melhor mesmo, no geral o HK 416 é melhor sim, é um fato inegável, porém o IA2 pode evoluir, se tornar um IA5 sei lá, eu quero que ele evolua, quanto ao HK 416, eu por mim o Brasil comprava o projeto, ou do FN SCAR, ou POF 408 sei lá.

Henrique
Henrique
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

E o carregador do HK416 tipo AR15 é melhor que o IA2 que é basado no FAL. No AR15 (e no HK416) o carregador é ”ejetado” quando se aperta a tecla do retém, não precisa segurar no carregador, já no IA2 (e no FAL) você precisa pressionar o retém e remover o carregador com a mão. Mais um ponto pro HK416 (e todo fuzil baseado no AR15).

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Henrique
1 mês atrás

O carregador do IA2 em 556 é o mesmo do AR15, o IA2 762, é outra arma.

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Minha desinformação é usar ele todo dia … Não meu caro, a arma foi projetada em 2012 com ergonomia e características de uma arma de 1960. Procure qualquer policial que usa essa arma, que dispara periodicamente com ela e você vai ouvir algumas coisas que vão mudar sua mentalidade. Ela segue os requerimentos do EB, ponto. É pobre em ergonomia e em características ambidestras, passa pelas dores de crescimento que todas as armas tem, mas não se comparam a armas com projeto recente. Além de problemas de fabricação, ferrolhos trincados, molas de percussor que quebram, pinos que soltam, etc. Não… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Mazzeo
1 mês atrás

Segundo alguns este projeto foi um desserviço ao EB que custou milhões ao erário público.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Não é briga de egos. São os interesses dos oficiais de cada força em manter suas conexões comerciais com fabricantes diferentes. Compras unificadas estreitam esses canais.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

ótima compra, pelo que já li desse veículo, ele é o melhor de sua categoria.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Olá bom dia a todos os Senhores camaradas do Naval!

Uma compra interessante. Mas… será que nossa indústria de defesa, não poderia suprir essas demandas?
Outra cousa, foi divulgado que o Astros 2020, não poderia ser montado sobre chassis alemão por causa dos problemas na Amazônia, mas comprar os caminhões unimog pode? Se a notícia do Astros 2020 for verdadeira, eu não entendi o que mudou agora…

CM

Junior
Junior
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Não foi por causa de problemas na Amazônia que houve a troca dos chassis alemães pelos Tchecos nos veículos astros, mas por problemas na autorização para exportação desses veículos, a Avibras quase perdeu a venda para a Malásia por causa disso, aliás se aquela venda não tivesse se concretizado a Avibras muito provavelmente teria deixado de existir

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Junior
1 mês atrás

Olá Junior obrigado pelo esclarecimento.

Vlw

CM

ROT
ROT
1 mês atrás

A Marinha não vai adotar o LVM? Poderia adotar os dois veículos para cenários diferentes? O veículo que o exército pretende usar não serve para marinha? Em termos de equipamento não é a primeira vez que a Marinha adota equipamentos diferentes do exército, a muito leio neste canal (participantes) que é importante fomentar a base industrial nacional para diminuir a dependência externa, gerar emprego e aumentar nossa presença no mercado internacional, ao fazer compras sem conteúdo nacional e sem ter preços camaradas não é algo não é algo que contradiz a estratégia de defesa nacional?

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  ROT
1 mês atrás

ROT,

Briga de ego. O CFN, tem alguns “cacoetes” dos colegas da MB.

CM

Juarez
Juarez
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Não, eles são operacionais. Compram aqui que serve para eles e que cumpre a missão e não merdas superfaturadas pseudo nacionais.

Carvalho
Carvalho
Reply to  ROT
1 mês atrás

A princípio, o CFN opera em combate com linhas logísticas mais esgarçadas. Precisam de uma vtr com maior capacidade de carga e mecânica mais robusta.

Bardini
Bardini
1 mês atrás

JLTV!!!!
QUE VITÓRIA!!!

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Me lembro que você vivia falando nisso Bardini. Boa notícia.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Falta só adquirir um lote de mísseis anticarro para substituir os RBS 56 BILL.

Bardini
Bardini
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Falta bastante coisa ainda. . Acho que: . É necessário adquirir ao menos uma bateria de um Obuseiros de 155mm. Ao que tudo indica, a preferência que existe é pelo M777. Eu acho que esse poderia ser o sistema errado. Deveriam comprar Caesar ou Atmos, na minha opinião. . MBT eu não sou totalmente contra, mas não vejo como uma real prioridade. Se vier mesmo, vai agregar muito em termos de poder de choque e seria “bonito de se ver e blábláblá”. Maaaaas……………… se não for inserido em um grande projeto de renovação da força blindada, vai ficar feio colocar… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Bardini
Bardini
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Uma opção de menor custo, para a questão da renovação da AAAe do CFN, poderia ser adquirir alguns sistemas ASRAD-R para equipar alguns Unimog, como este dos finlandeses.
comment image

Mas isso não chegaria aos pés das capacidades de uma bateria equipada com CAMM.

Last edited 1 mês atrás by Bardini
ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Bardini
1 mês atrás

É um veículo de uma familia fantástica…

comment image

comment image

comment image

comment image
comment image

André Souza
André Souza
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Bardini, pelo que andei lendo sobre o PDM acredito que a aquisição de um MBT é real, pois no PDM eles são bem específicos em querer transformar o CFN em uma força expedicionária no “estado da arte”, não digo em números grandes de aquisição mas podemos ter em pouco tempo um CFN compacto com material bélico moderno com capacidade de prover apoio a missões no exterior, como as missões de paz ou até mesmo em algum possível conflito, vale ressaltar que nosso CFN nunca se mostrou ser uma força de “protagonismo” e sim uma força de apoio ou reforço, isso… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  André Souza
1 mês atrás

O CFN, sob a ótica de ser encarado como uma unidade de “Infantaria Leve”, é uma baita força.
.
MBT é útil em uns poucos cenários de emprego do CFN e isso demandaria um grande aumento de capacidades logísticas. Mas se vier mesmo, não sou eu quem vai ficar aqui reclamando de barriga cheia, não… vou achar bom.
.
Mas é o que eu disse: se a grana é pouca e é, fica complicado pensar se não poderiam ter comprado algo mais útil e que poderia ser aplicado em diversos cenários, tanto atacando quanto defendendo.

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
1 mês atrás

O M 777 e compra correta pois um dia ROPs e a aerotransportabilidade. Nem Aytmos e nem Cessar conseguiram transpor restingas e alagados com solos não coesivos. O CFN não vai comprar Guaranis com 209 erros construtivos. Vai com o que opera, Piranha. Sei novo “CC’ vai ser um vetor que possa ser carregado pelas lanchas de desembarque, ou seja M 1 não roda.
UAV, o Scan Eagle e um dos favoritos.

rdx
rdx
Reply to  Juarez
1 mês atrás

M777 é o futuro substituto do M114; Na minha opinião, o CFN deveria avaliar o Stryker MGS (perfeito para quem já opera o Piranha), embora existam militares do CFN habilitados em operar o M1 Abrams (ele é muito pesado para os meios de desembarque da MB); O Bofors 40 mm é um trambolho inútil. Fatalmente ele será desativado quando chegar o sistema SAM (provavelmente o CAMM); O CFN possui capacidade antimaterial limitada. O Bill 2 além de ser um projeto antigo é pouco versátil (salvo engano, ele não é capaz de ser disparado contra edificações). O CFN já deve ter… Read more »

Last edited 1 mês atrás by rdx
Bardini
Bardini
Reply to  rdx
1 mês atrás

Stryker MGS 🤣🤣🤣
Ninguém quer aquela porcaria….

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Os L118 ainda dão um caldo e cumprem a missão em um papel que a artilharia vai ser transportada por helicóptero em uma manobra. . O M777 é um 155mm de 39 calibres. Caesar e Atmos tem 52 calibres. Isso aí reflete em alguns km de diferença e precisão de fogos. Fora a questão da grande mobilidade e rápida entrada em posição de tiro. . Caesar opera no Mali, onde até VBCI 8X8 atola na areia… É mais fácil operar um Caesar do que puxar “M777 rodinha fina” com Unimog. . Maaaasss… se vier 06 M777, eu vou ficar é… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Nenhuma da lanchas de desembarque de material da MB suporta o massa concentrada do M 1.
Com 209 problemas construtivos e mais fácil um burro voar do que o CFN comprar o Guarani, até porque não tem nenhum ROP deles para está vtr até o presente momento.
Estude solos coesivos e não coesivos para entender a diferença entre as areias de sílica dos desertos do Mali e um brejo de manguezal.
O M 777 pode ser içado do Nada e pintado diretamente no local que a artilharia necessitar pelos helis que a MB possui.

Carlos Alceu Gonzaga
Carlos Alceu Gonzaga
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Então Sr. Juarez. Em posts seus nestes comentários você afirma que os Guaranis apresentam erros construtivos. No primeiro post você afirma a existência de “400” erros e no segundo “209”. Continuo aguardando a indicação dos documentos fonte dessas afirmações. Se é que existem.

Juarez
Juarez
Reply to  Carlos Alceu Gonzaga
1 mês atrás

Tu devesc estar com um problema de leitura ou de visão. Eu falei que existem 209 erros construtivos no mais de 400 veículos Guarani feitos até agora. Citei vários em um post que não foi liberado pelos editores.
Se tu tem dúvidas, aguarde vem aí o Guarani II, praticamente um novo veículo e outros 400 você vai pagar a conta

Carlos Alceu Gonzaga
Carlos Alceu Gonzaga
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Ok entendi! 209 erros construtivos em 400 unidades produzidas, no entanto, ainda não encontrei qualquer referencia documental sobre tais ocorrências. Sou engenheiro mecânico com 35 anos de experiência em instalação e montagem de equipamentos industriais pesados de diversas origens, seriados e não seriados. Raras foram as vezes em que não se encontrou uma “falha construtiva”. Falhas construtivas de diversos tipos e incluem desde soldas mal feitas a parafusos faltando ou chaparia desalinhada. A demais, você deveria fazer uma reclamação formal aos editores que não liberam a “documentação ” técnica que você “afirma” já ter postado. Minimamente os relatórios de não… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Bardini
1 mês atrás

O Caesar e semelhantes são mais adequados pra forças blindadas ”pesadas”. Pra uma força expedicionária constituída principalmente de infantaria (pelo menos assim deveria sê-lo) fica melhor um obuseiro rebocado, um ”towed howitzer” e o M777 é o mais leve do mercado em sua categoria. Se quiser ir de 105mm, pega o LG1 dos franceses.

Bardini
Bardini
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Eu definitivamente não concordo com esse argumento de que para missão expedicionária, um obuseiro rebocado seja superior. É justamente o contrário.
.
Os L118 do CFN ainda tem muito o que entregar. Não temos necessidade alguma de adquirir o LG1.

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Carlos Alceu Gonzaga
Carlos Alceu Gonzaga
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Tenho buscado as informações sobre os tais erros construtivos no Guarani e onda não localizei nada que as confirme. Sem provas não passam de afirmações esdrúxulas. Esperava mais de você Juarez.

Juarez
Juarez
Reply to  Carlos Alceu Gonzaga
1 mês atrás

Tá procurando no lugar errado. Procure no seu local de trabalho, e mais fácil.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Bardini aprovou, então o negócio deve ser bom mesmo.

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Top de todos os tops.

rafa
rafa
1 mês atrás

Ficou confuso nas fotos.

Mas a aquisição foi de 90 caminhões (da segunda foto) e 12 veículos blindados 4×4 (da primeira foto).

João Adaime
João Adaime
1 mês atrás

Uma compra de 90 unidades do Unimog 5000 daria cacife pro MD solicitar a montagem dos mesmos na fábrica da Mercedes no Brasil?

Tutu
Reply to  João Adaime
1 mês atrás

O EB também possui alguns unimogs mais antigos, acredito que poderiam ampliar o pedido, até porque temos poucos caminhões realmente militares aqui, a maioria da frota do exército é simplesmente militarizada.

Assim com uma quantidade maior seria possível fazer aqui, lembrando que os Argentinos fizem isso lá nos anos 70.

Samuca cobre
Reply to  Tutu
1 mês atrás

A Tatra está chegando, vai montar fábrica no Paraná em 2021 !!!

rodrigo
rodrigo
Reply to  João Adaime
1 mês atrás

E aumenta os custo do mesmo em uns 40%, qual seria a vantagem?

João Adaime
João Adaime
Reply to  rodrigo
1 mês atrás

Caro Rodrigo
Se houver aumento de custo, agradece e diz que importaremos diretamente. Simples assim.
Abraço

Samuca cobre
Reply to  rodrigo
1 mês atrás

Caro Rodrigo,a Scania fábrica caminhões iguaizinhos aos da Suécia…e os preços são iguais????

Juarez
Juarez
Reply to  João Adaime
1 mês atrás

Iriam sair da linha tortos, mal acabados, cheios de problemas e super faturados. Não mexe no que está bom.

Tiago Cruz
1 mês atrás

Ótima notícia, que venha agora Mbt, obuses m109 e defesa aérea de médio porte, vamos que vamos

Funcionário dos Correios
Funcionário dos Correios
Reply to  Tiago Cruz
1 mês atrás

Não duvido nada aparecer uma noticia amanhã ou depois que o EB comprou o Patriot dos EUA

Fighter_BR
Fighter_BR
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Patriot não, mas Iron Dome ou David Sling.

Tiago Cruz
Reply to  Funcionário dos Correios
1 mês atrás

Aí essa seria A NOTÍCIA DO ANO vamos torcer muito.

Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

Venezuela que se cuide agora…

rafa
rafa
Reply to  Jagdverband#44
1 mês atrás

Kkk

Kommander
Kommander
Reply to  Jagdverband#44
1 mês atrás

Madura deve tá tremendo com a notícia de que os CFN comprou 12 JLTV!!

Robsom I
Robsom I
1 mês atrás

Em relação ao JLTV, tudo bem, ótimas viaturas e sem análogo na indústria nacional; mas quanto ao Unimog 5000; poderiam ter comprado aqui no Brasil mesmo. Mas sei lá né; não sou especialista e eles devem ter seus motivos para essa escolha…

Alexandre
Alexandre
1 mês atrás

Caminhões UNIMOG já existem no exército e no CFN, então não há nada de mais nessa compra, a não ser uma renovação de meios de transporte e que mantém toda uma cadeia logística e de manutenção. Quanto aos 12 JLTV, penso que os 4×4 da Iveco poderiam cumprir a missão e ainda termos escala na aquisição e fabricação deles, bem como a logística e manutenção com o exército. No mais, vemos a nossa Marinha fazendo excelentes aquisições, temos a melhor e maior força de submarinos , a melhor e maior força aereo naval a melhor força de superfície e também… Read more »

rdx
rdx
1 mês atrás

.

Last edited 1 mês atrás by rdx
rdx
rdx
1 mês atrás

Minhas considerações: Primeiramente, parabéns ao CFN pelas excelentes aquisições! Fuzis: Esqueçam o lixo chamado IA-2. O CFN está feliz da vida com a família M16/M4. A tendência é o CFN comprar um novo lote de HK-416 (ou o M27) para armar os 3 batalhões de infantaria. Alguém comentou que existe muita desinformação sobre o IA-2. Verdade! É impressionante a quantidade de gente que nunca usou o citado fuzil escrevendo besteira. O IA-2 não é ruim… é muito ruim! Eu já cansei de repetir a mesma história. Recentemente eu peguei outro IA-2 só de curiosidade. Ele apresentava a peculiar frouxidão, as… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  rdx
1 mês atrás

Uma dúvida minha.
Em qual estado brasileiro que você usa os IA2?

rdx
rdx
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Rio de Janeiro

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  rdx
1 mês atrás

Entendi. Apesar de usarem o IA2, o Estado do Rio nunca comprou essas armas, elas foram doadas pelo EB na época da intervenção e pelo que pode apurar é o único estado em que se observa esse problema. Alguns jornalistas da área de defesa levantaram essa questão quando visitaram a fábrica da Imbel, acho que foi ano passado, a resposta foi que o Estado do Rio nunca comprou peças de reposição para as armas, nem pediu suporte de manutenção, essas coisas. Bom não tem arma que funcione direito se a manutenção for deficiente.(isso não quer dizer que a arma não… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Resposta esdrúxula da Imbel. Os problemas não têm relação com manutenção ou compra de peças de reposição. Estamos falando de fuzis “zero” com sérios problemas de ergonomia, de projeto (por que a arma é frouxa?)e de controle de qualidade. O IA-2 também está longe de ter a precisão e a confiabilidade de um HK ou FN… mas atende aos requisitos do EB. Lembrando que o EB, sendo fabricante do fuzil, pode se dar ao luxo de manter um suporte permanente de manutenção e reposição de peças durante a vida útil de cada arma (que é na melhor das hipóteses 1/3… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  rdx
1 mês atrás

O Estado do Rio comprou armas novas? Porque as únicas que eu sei são as que foram doadas. E porque que esse problema de frouxa da mola só ocorre no Rio, sendo que tem vários outros estados que usam essa arma, e mais já ouvi de policiais do Rio Grande do Sul comparando o IA2 e o T4 da Taurus, em que eles dizem que ambos tem a mesma confiabilidade só que o T4 tem uma ergonomia melhor. No meu Estado, São Paulo, o único problema relatado foi aquela explosão, e ao que tudo indica foi por mau uso do… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

As armas doadas eram novas. A frouxidão é uma peculiaridade da arma (do corpo da guarda mão). Não é problema de mola frouxa. O IA-2 é mais confiável que o T4 (o T4 sequer pode ser classificado como uma arma de uso militar). A vida útil também é superior…mas naturalmente é inferior em ergonomia. O fuzil regulamentar da PMESP é o FN SCAR…mas ela também emprega uma miscelânea de fuzis da Imbel e armas apreendidas.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  rdx
1 mês atrás

O FN SCAR-H é usado como arma de apoio, desde que foi comprado nunca vi essa arma pessoalmente, diferente dos IA2, ARX200, e outras.
(não achei absolutamente nada sobre frouxidão no guarda mão do IA2, porque não entra em contato com a IMBEL sobre o problema, ou posta um vídeo mostrando o problema, já fizeram tanto isso).

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

O problema é que a placa de guarda mão do IA2 é fixada somente por um pino próximo a tomada de gases e um encaixe próximo a câmara.
comment image

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Caro Wilson, vc já usou o IA-2 em serviço em SP ? Eu uso e corroboro com as colocações do rdx, e ele nem foi a fundo, tem problemas maiores. O projeto segue os requisitos do EB, quanto a isso não há do que se falar, mas a qualidade da manufatura é bem, beeeeeem pobre. A PMESP comprou SCAR-L e H, ainda não os recebeu em quantidade, se os IA-2 serão substituídos em sua integralidade eu não sei, mas atirei com as duas armas e elas não se comparam ao IA-2, assim como ele não se compara ao ARX da… Read more »

Tutu
1 mês atrás

Agora uma coisa, ao meu ver para uma viatura moderna como essa uma torre manual não faz sentido, principalmente no caso do CFN que vão adquirir só 12 unidades, espero ver uma SARC REMAX no teto dessas belezinhas.

Mensageiro
Mensageiro
1 mês atrás

Importante compra que pode ser usada pela força de fuzileiros navais que é encarregada da proteção de embaixadas. No caso de missões como a da Líbia, onde precisamos resgatar nosso embaixador no meio do conflito e levar até o país vizinho, a Tunísia. Temos uma das melhores forças especiais do mundo.

Osvaldo Marcilio
1 mês atrás

Agora o CFN precisa substituir seus “velhos” carros de combate “SK-105 kürassier” por algo bem mais moderno e eficiente…ADSUMUS!!

rodrigo
rodrigo
1 mês atrás

O CFN usa Piranha 8×8 e o EB o Guarani 6×6. O EB vai de LMV e o CFN vai de Oshkosh. Simples assim. Não adianta ter a pecha made in Brazil se não atende o que a força deseja. Um exemplo é a Policia Federal buscar novas embarcações no exterior. Alguém parou para perguntar por que isso? Sempre tem detalhes que não vem a tina, mas que internamente justificam essas compras. Se é pra gastar, que se gaste com o que é bom de verdade.

FERNANDO
FERNANDO
1 mês atrás

Outro dia, entrei numa roda de conversa, e o papo era as privatizações no Brasil, alguns indagando que era bom outros não. Alguns utilizando o nacionalismo como argumentação, outros a ineficiência do setor público. Bem, um senhor terminou a discussão com está deixa. “Como uma empresa que tem o monopólio no setor, não dá lucro?” Bem, deixo a minha deixa, e como todo o respeito ao CFN, sim, os equipamentos devem ser adequados dentro da realidade das forças e de seu uso, mas, como ficaria o emprego destes meios numa realidade hipotética. Não sou general, mas, acredito que todo equipamento… Read more »

Luiz Floriano Alves
Reply to  FERNANDO
1 mês atrás

A arma mais utilizada na guerra do Paraguai foi o fuzil Comblain, de irigem Belga. Duvido que algum infante pedisse manutenção. É uma arma muito robusta e com poucas peças móveis. Sei bem, porque, quando guri, aprendi a atirar com um Comblein de 11 mm.. O coice era de derrubar, mas meu avo dizia que nada parava aquela bala.

rafa
rafa
Reply to  FERNANDO
1 mês atrás

Deveria ser o mesmo equipamento se esse equipamento passar nas especificações das três forças.

Obviamente cada força possui suas características. Vejo as especificações dos FN como diferenciado, em se tratando do ambiente que opera. Equipamentos obviamente a prova de maresia, água, areia, etc. Coisa que talvez para a FAB não esteja no item 1 de requisitos.

No mais, se vierem os HKs seria realmente uma aquisição muito boa. Já tive contato com o 416 e gostei bem mais do que as M4 e G36 / G36c

Edimur
Edimur
1 mês atrás

Me desculpem mas eu não comemoro 12 Oshkosh, pelo contrário acho uma vergonha para o tamanho do Brasil .

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Edimur
1 mês atrás

Imagine o que os estadunidenses não dão risada quando chega o oficial brasileiro lá:
” Bom dia senhores, representamos uma das 10 maiores economias do mundo, e por não sabermos fazer estamos aqui interessados em uma quantidade de blindados para equipar nosso corpo de fuzileiros , mas uma quantidade básica para criar doutrina,não podemos esbanjar devido a uma questão orçamentária com as pensões de nossas filhas solteironas”

“Ok Man, mas uma quantidade básica de quantos estamos falando? 60 ou 70?”

“Não… 12″

” Kkkkkkkk, ei Sanders, ter bazileuro aqui pedindo esmola de nova kkkkkk”

Last edited 1 mês atrás by Capa Preta
ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Edimur
1 mês atrás

exatamente… Mas aí chega um para amenizar e diz: “Será uma aquisição básica para criar doutrina”…



Capa Preta
Capa Preta
1 mês atrás

Oh loco tudo isso,12? Pra receber até 2027? Agora sim o Paraguai não leva uma com a gente, que dissuassão senhores 🤣

Dr. Mundico
Dr. Mundico
1 mês atrás

Sem entrar no mérito de discutir a qualidade do equipamento, mas acho que já passou da hora de termos uma indústria bélica mais eficiente e mais presente na dinâmica operacional militar do país. Triste ver o país importando caminhões e viaturas que poderiam ser produzidos aqui para emprego local e exportação. Evidente que isso demandaria investimentos, incentivos, garantia de pedidos, financiamentos, etc, etc, etc. Lógico que toda uma tecnologia teria que ser dimensionada e isso demanda escala suficiente para a viabilidade econômica de um projeto. Inegável que tudo isso leva tempo e dinheiro mas, repito, acho que já teríamos condições… Read more »

roberto
roberto
1 mês atrás

agora só falta o stryker….

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  roberto
1 mês atrás

Vão comprar uns três

Wellington Góes
Wellington Góes
1 mês atrás

Mais uma vez um fato evidente da falta que faz uma Agência de Desenvolvimento e Aquisição (ADA) no Ministério da Defesa… Cada força faz o que quer com o dinheiro público que lhe é disponibilizado e ninguém é cobrado por isso… Os LMVs da Iveco não são para a mesma função?! Não dá para padronizar com o EB?! Os Marruá AM 41 não têm as mesmas capacidades dos UNIMOGs? Putz!!! Tá certo que não são o suprassumo dos veículos, mas os CFN vão pra qual TO quente que eu não estou sabendo?! Eita que esse povo não aprende com a… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Os LMV da Iveco serão nacionais? Não vão importar as peças qdo precisar manutenção? Qual o valor de aquisição, manutenção e operação do LMV e do JLTV? Os dois tem as mesmas capacidades? Quanto ao Unimog em comparação com o Marruá, não existe comparação! O veículo alemão está anos luz à frente do caminhão nacional. Mas, cada um pensa do seu jeito……vc tem sua opinião e eu, a minha.

Juarez
Juarez
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Não adianta Flanker, a rainha do Amapá, vulgo mister tots, so enxerga o que quer.
E pior,ele não sabe a diferença entre um diferencial com bloqueio e uma melancia.

Flanker
Flanker
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Exato, Juarez. E tb gosta de julgar os outros, posando como dono da verdade.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Pronto, papo de comadre… Rsrsrsrs

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Juarez
1 mês atrás

Chegou o pelego mor… Rsrsrsrs

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Só demonstrou que não sabe de patavinas sobre logística… Daí porque se comporta como um pelego….Rsrsrsrs
Aliás, usar UNIMOGs como ambulância, etc… Super necessário… Rsrsrsrs

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Sim…..e tu é profissional de logistica….hãhãm…..e tu demonstra, assim, que mad mais é do que um playboyzinho que acha que sabe mais que todo mundo….um coitado….e não reapondeu quanto custa adquirir, operar e manter um LMV e um JLTV. Sabe por que? Porque é um pedante que acha que sabe mais que os outros. Quanto à ser comadre, talvez seja porque eu e o Juarez conhecemos tua figura de muito tempo atrás…..sempre querendo ser o bom, o único com opinião correta, entretanto é apenas um arrogante. Quanto ao ser pelego, esse é um adjetivo que representa muito bem o teu… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Faz o seguinte, vá procurar saber a história (com H) dos Defender no EB, ou mesmo dos Mavericks da Paramount na polícia do RJ e porque, agora, estão aceitando de bom grado velhos, mas operacionais, Urutus… Fazer um paralelo logístico do JLTV com o LMV, apenas, porque o segundo possui, também, peças importadas, sem levar em consideração outras questões como estrutura física industrial, concessionárias (IVECO) espalhadas pelo país, de oficinas, compartilhamento de componentes e subcomponentes com outros produtos nacionais civis, diversos custos cotados em real, etc, etc, etc… Só demonstra que tu, realmente, é um zero a esquerda para entender… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Continuou sem fazer um comparativo entre os veículos, seus custos e capacidades. E os LMV são tão baratinhos que o British Army colocou os seus a venda. E vc acha que se o EB precisar de peças para seus LMV vai chegar com eles numa concessionária de caminhões Iveco? Ora, por favor…. Você não está bancando o dono da verdade??? Você faz isso o tempo inteiro…..acha que sabe mais do que os profissionais que avaliaram o veículo ….. Você me considera um zero à esquerda….isso, pra mim, vindo de você, um filhinho de papai arrogante, me mostra que eu estou… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Wellington Góes
1 mês atrás

Sim…..e tu é profissional de logística ….hãhãm…..e tu demonstra, assim, que nada mais é do que um playboyzinho que acha que sabe mais que todo mundo….um coitado….e não reapondeu quanto custa adquirir, operar e manter um LMV e um JLTV. Sabe por que? Porque é um pedante que acha que sabe mais que os outros. Quanto à ser comadre, talvez seja porque eu e o Juarez conhecemos tua figura de muito tempo atrás…..sempre querendo ser o bom, o único com opinião correta, entretanto é apenas um arrogante. Quanto ao ser pelego, esse é um adjetivo que representa muito bem o teu… Read more »

Aridyvan Santos
1 mês atrás

12? Deve ser para a volta do desfile de 7 de setembro

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 mês atrás

E agurdem porque vem o obuseiro M777 para substituir os antigos M-114 e M101. A galera aqui vai ao delírio!!!