sábado, outubro 16, 2021

Saab RBS 70NG

Exército Chileno testa o sistema Spike LR e ER da Rafael

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Companhia de Mísseis Anti-Blindagem da 1ª Brigada Acorazada Coraceros do Exército Chileno realizou um exercício de tiro prático com o míssil Spike da Rafael Advanced Defense Systems no Campo de Instrução e Treinamento de Pampa Chaca em Arica.

A atividade, que faz parte do programa de formação anual da Unidade de Armas Combinadas (UAC) pertencente à à VI Divisão, permitiu verificar o nível de treinamento e a eficiência de uso daquele subsistema que presta apoio de fogo e segurança aos meios de manobra da Força Terrestre.

Um vídeo postado na conta do Facebook do Comando de Operações Terrestres (COT) do Exército do Chile mostra a implantação de veículos multifuncionais de alta mobilidade HMMWV da AM General equipados com o míssil Spike ER e o disparo um míssil Spike LR de uma estação de lançamento portátil.

Deve-se notar que a 1ª Brigada Acorazada Coraceros possui um Sub-Centro de Treinamento Anti-Blindagem equipado com simuladores de ambas as variantes do míssil Spike que recriam todas as fases e situações da execução de um tiro facilitando o formação de especialistas ao longo do ano e com menor custo.

FONTE: Infodefensa.com

- Advertisement -

210 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
210 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Alfa BR
Alfa BR
10 meses atrás

Aquele momento em que você percebe que o Chile tem meios anticarro superiores aos nossos.

sj1
sj1
Reply to  Alfa BR
10 meses atrás

O Chile é uma tira comprida, já viu a largura x comprimento daquele país ? Imagina se a Argentina, numa invasão, resolvesse romper o contato do Sul com o Norte… por isso eles tem que possuir forças blindadas a altura dos desafios. É a ameaça quem define o tipo de material a se operar.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  sj1
10 meses atrás

A doutrina terrestre vigente prevê que cada batalhão de infantaria possua um pelotão anticarro com quatro postos de tiro míssil anticarro de médio alcance.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Alfa BR
9 meses atrás

E as Bda com uma Cia AC

Felipe
Felipe
Reply to  Agnelo
9 meses atrás

“Previsto” é diferente de “Existente”.
Atualmente o EB tem ZERO, repito, ZERO sistemas de missíl anticarro de médio alcance. O MSS 1.2 ainda não foi entregue às unidades, e o MILAN há tempos não existe mais. Esse é o quadro atual.

Glasquis 7
Reply to  sj1
10 meses atrás

Imagina se a Argentina, numa invasão, resolvesse romper o contato do Sul com o Norte… “

Justamente por isso, as operações de mar se tornam tão importantes na defesa territorial do Chile. Devido á escassa profundidade estratégica, caso tiver uma força invasora ocupando o território o contragolpe precisa de um amplo poio desde o mar.

Montenegro
Montenegro
Reply to  Glasquis 7
10 meses atrás

Explique mais por favor, uma vez que a capacidade de desembarque e as armas dos fuzileiros chilenos são muito pobres. Observe que são algo em torno de 5000 fuzileiros(infantes) apenas, os navios para desembarque são bem limitados, a exceção do Sargento d’aldeia, e o chile não tem blindado anfíbio ou helicópteros armados em quantidade suficiente para transporte de tropas. Até mesmo o apoio de fogo através dos canhões de 4.5″ das T23 ou os canhões de 76mm das outras fragatas seria difícil, uma vez que a Argentina domina o uso de mísseis exocet MM38 como defesa de costa desde a… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

 “uma vez que a capacidade de desembarque e as armas dos fuzileiros chilenos são muito pobres” Os fuzileiros navais chilenos são muito pobres mesmo, por isso vou apenas listar as armas da Infantaria da Armada do Chile: Bandvagn 206 FV101 Scorpion Humvee Alguns caminhões de transporte entre Kia e Zetros. Morteiros de 81 mm. M72 LAW Lanzagranadas Mk 19 AT4 Kh-178de 105 mm Baterías Excalibur  Soltam M-71 de 155 mm. O restante é o comum de qualquer infantaria, Fuziz FN Lanza granadas Milkor MGL, MG3, Browming, SCAR L, MG3, etc. Mas não entendo o que teria a ver a Infantaria… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Cara, sua argumentação é terrível, primeiro porque estamos falando de um corte geográfico imposto pelas forças armadas argentinas no território chileno, então não haveria possibilidade de uma intervenção das forças terrestres do exército do chile em função da destruição de pontes e balsas. Penso que isso seria o básico numa guerra dessas. Do mesmo modo, as bases aéreas seriam tomadas. “Mas não entendo o que teria a ver a Infantaria de Marinha numa ação de retomada de território já que isso seria feito pela Infantaria do Exercito.” É sério esse comentário? Talvez vc não entenda a importância do uso dos… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

” munição de canhão de 76 ou 114 mm também não faz curva”

A não??? então explica isso pra Artilharia do EB por que eles estão soltando estes desenhos sobre os tiros.

https://ercioromeuantonio.files.wordpress.com/2013/03/c-6-40-volume-i1.pdf

KKK.
E são os meus argumentos os que fazem rir KKK

download.png
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Vc usou um gráfico de uma parábola, no caso, do exército Brasileiro, que certamente não usa canhão naval, muito provavelmente se refere a um tiro indireto realizado por um obuse. Um canhão naval pode até ser usado para tiro indireto, mas dificilmente um canhão de 30 anos atrás, como é o caso dos existentes na Marinha do chile, tem condições de fazer um tiro indireto por cima de uma ilha com montanhas altas, teria que ser um canhão atual, como no caso dos canhões de 76 mm das fragatas tamandarés, que entre outras munições, pode fazer uso das vulcano, que… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

KKK

Texto 7.jpg
glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

RSsss

Texto 8.jpg
glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

Os canhões de 30 mm que a ARCh usa nas Type 23 são MSI DS30B MK-2 30mm de 2007.

30 anos é o que demora a curar teu trauma
alexandre.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“Entenda cara, a principal função de uma marinha de guerra é combater” Eis o Ishpertu alexandre que foi banido e volta como Montenegro. KKK como cai fácil. Quién combate son las tropas en tierra, las guerras se ganan en tierra. Todos estamos cansados de saber que tanto a Marinha e quanto a Força Aérea são forças de apoio. “primeiro porque estamos falando de um corte geográfico imposto pelas forças armadas argentinas no território chileno,” KKK A argentina não tem condições de entrar em guerra contra a Bolívia e vai realizar um corte geográfico no Chile KKK O seu ódio pelo… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Cara, procure um tratamento, vc não diz coisa com coisa, estamos falando de uma hipótese de guerra que vc mesmo aceitou no início. Como assim a argentina não pode fazer uma guerra com a Bolívia? enlouqueceu? Força aérea e Marinha são forças de apoio, os EUA te mandam um abraço desde o Iraque, pois quem ganhou aquela guerra foi força aérea com bombardeiros stealth, caças F 15 e F 16 e os porta aviões da Marinha com seus F 18! A argentina já está quase cortando o chile, através da nova demarcação dos campos de gelo do sul, ficará restando… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

 pois quem ganhou aquela guerra foi força aérea com bombardeiros stealth, caças F 15 e F 16 e os porta aviões da Marinha com seus F 18!”

Claro, foi um bombardeiro Stealt que desceu e plantou a bandeira americana no local da batalha.

Para alexandre, vá se tratar, esse teu ódio é doentio. tem que se tratar.
Dá pena cara.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

“A argentina já está quase cortando o chile, através da nova demarcação dos campos de gelo do sul, ficará restando uma pequena franja de mais ou menos 20 km para chegar no Pacífico, isso sem fazer guerra, kkkkkkk”

Então, é a tua chance de conseguir morar em território que, pelo menos, foi Chileno algum dia né? Quem sabe tu consegue e acaba com esse trauma de não poder viver no Chile?

Last edited 9 meses atrás by glasquis 7
glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Por último, fragatas adelaides para atacar helicópteros? como assim? pagaram 70 milhões de dólares por duas fragatas adelaides e vc pensa que vieram armadas?”

KKK Verdade, elas vieram sem radares e sem motor também KKK

Os caras trouxeram elas de remo até o Chile KKK

As Type 23 também vieram desarmadas KKK Os CAMM comprados recentemente são de papel KKK Assim como os Radares 4… KKK

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Como e falei, com 70 milhões , só compra os torpedos e mais nada. Vieram sim desarmadas, porque só o custo dos SM2 seria no barato 64 milhões de dólares por fragata, então não existe milagre, o chile pagou em torno de 30 milhões por cada adelaide, sem armas é claro!

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Pra vc ver como estão desarmadas as Fragatas: ” Embora tenha gente no Chile que objeta que as Fragatas são antigas (27 anos de servíço), na Austrália tem quem reclama de que não deveriam ter sido vendidas depois do alto investimento feito na sua modernização nos sistemas de motor, comunicações e armas…. Destacou por sobre tudo o seu sistema de misseis antiaéreos SMII que é a que atualmente usa EEUU e que está totalmente vigente…Com isso, a ARCh avanza a sistemas de armas capazes de abater alvos aéreos de médio e longo alcance até 90 milhas, dotando a esquadra de… Read more »

Texto 1.jpg
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Essa matéria do emol fala das fragatas adelaides, mas não diz nada sobre a mesma ter vindo armadas, porque hoje, sabemos que o preço foi muito baixo, nem os CIWS Phalanx vieram!

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

“ mas não diz nada sobre a mesma ter vindo armadas” Diz sim, diz que elas proporcionam à ARCh a capacidade de operar Misseis Antiaéreos de Longo Alcance SM-2 Block III A, que pertencem às Adelaide pois essa é a cobertura aérea. Agora, sinto saudade do tempo em que este fórum trazia conhecimento através de um debate em que tratava com a verdade. Agora se presta pra destilar xenofobia barata que se apoia em mentiras e falsidades pra desprestigiar outros países. É a idiossincrasia. Vamos mentir e insultar aquele que faz, pra esconder a minha incapacidade e a minha incompetência, já… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Só para vc entender, a Marinha do Brasil, acabou de comprar por 70 milhões de dólares , 22 kits de conversão de torpedos leves mk 46 para torpedos leves mk 54, similares aos torpedos leves usados nas adelaides.”

KKK então cara, como assim torpedos leves mk 54 das adelaides se segundo vc não tem armas?

KKKKKKKKKK Vá se tratar cara.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Veja como vc não sabe o que fala, as adelaides não tem torpedo MK 54, na verdade, quando pertenciam a Austrália, elas usavam o torpedo europeu MU 90, que é similar ao americano MK 54 comprado pela MB.
Quem tem que se tratar aqui é vc! rsrsrsrs

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“Quando o chile anunciar a compra de misseis ESSM e SM 2 para essas fragatas nós conversamos sobre isso.” KKK Já anunciou, comprou junto com as Adelaides KKKKKKKKK. “el experto en defensa y vicepresidente de Athena Lab, Richard Kouyoumájian, el arribo de estas unidades consolida la alianza estratégica del Pacífico Sur entre Chile y Australia. “Las fragatas australianas tienen tanto valor por sí mismas como por el significado de haber hecho la transacción con Australia”, dijo. “Aunque hay gente en Chile que objetaba que son buques antiguos, en Australia hubo quienes reclamaron que no se debieron haber vendido luego de… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Liroralpress? é sua fonte? kkkkkkkk
E mesmo assim não diz nada sobre a compra de armamentos, só das fragatas em si e seus sistemas, é muita bobagem junta!

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

“Só para vc entender, a Marinha do Brasil, acabou de comprar por 70 milhões de dólares , 22 kits de conversão de torpedos leves mk 46 para torpedos leves mk 54, similares aos torpedos leves usados nas adelaides.”

Isso apenas demonstra que o Chile gastou melhor os U$D 70 milhões…

Algo que aliás, se reclama com frequência por estes lados.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“na região mais ao sul, onde o transporte por terra é bem limitado, com diversas pontes estreitas que só passa um veículo por vez ou mesmo onde se usa balsas para fazer o transporte, ficaria muito difícil a retomada por terra e/ou mar.” Parece que o terreno é difícil e as pontes são estreitas apenas pro Chile. Será que pros argentinos as pontes serão mais largas e o terreno menos difícil? Ninguém tomaria território nessa região pois é muito inóspita e deveriam atravessar os Campos de gelo. Chegariam desfeitos ao Chile. Lembre que o Chile, pela sua geografia, é um… Read more »

Operación_Soberanía_map-ES.png
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Esperava uma resposta baseada nas capacidades militares da marinha do chile, porque as dificuldades geográficas todos nós conhecemos.
Mas compreendo que não é uma resposta fácil em função dos meios hoje existente na ARCH.

Glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“Mas compreendo que não é uma resposta fácil em função dos meios hoje existente na ARCH.”

Falar o que praa um Ishpecialishta deste calibre?

Muda o nik mas o pensamento entrega os alexandre da vida.

Montenegro
Montenegro
Reply to  Glasquis 7
10 meses atrás

Ishpecialishta deve ser vc, que fala coisas absurdas como dizer que os caças F 16 do chile tem radar AESA, isso em 2017.
Já vi debates seus com o Alexandre, e é de dar pena como esse rapaz detona com seus argumentos. E mais, ele não se esconde num apelido ridículo!

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“Já vi debates seus com o Alexandre, e é de dar pena como esse rapaz detona com seus argumentos. E mais, ele não se esconde num apelido ridículo!” Há para cara, vai querer que a gente acredite que vc não é o alexandre silva??? KKK Tá com medo de ser banido? KKK Carater Alexandre, carater. Foi vc quem disse que os caças Chilenos não tem Radar, nem mira, nem GPS, etc. Agora, querer mentir pra todos nos tentando nos fazer crer que vc não é o alexandre e ainda por cima, tão doente que se auto elogia. KKKK Não existe… Read more »

Last edited 10 meses atrás by glasquis 7
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Quem tem postura, quem faz comentários respeitosos, quem tenta manter o nível, mesmo quando debate com idiotas, certamente , não é banido.

Montenegro
Montenegro
Reply to  Glasquis 7
9 meses atrás

Na falta de argumento, vamos falar de outra pessoa, porque fazer um debate saudável não é uma opção.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“aqui abro um parêntese, pois se Argentina adquirir um sistema de defesa aérea tipo S 125, buk, spyder ou qualquer outro similar, afastaria com certeza qualquer operação aérea da FACH na região .” Quem diria, a Argentina tem a capacidade de negar o espaço aéreo chileno, apenas com algumas baterias  tipo S 125, buk, spyder ou qualquer outro similar, que não tem, mas que poderia ter. Então vou comunicar ao MINDEF do Chile que estão jogando grana no ralo comprando, mantendo e operando uma Frota de 22 A 29, 27 A 36, 13 F5 TIII, 10 F 16 BLK 50… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

“Quem diria, a Argentina tem a capacidade de negar o espaço aéreo chileno, apenas com algumas baterias tipo S 125, buk, spyder ou qualquer outro similar, que não tem, mas que poderia ter.” Creio que é a mesma estratégia que o chile teve quando comprou os NASAMS. O que vc acha de avisar o MINDEF do chile para não jogar dinheiro fora comprando esse sistema. “Vc está contando com uma vitória argentina, com armas que a Argentina nem sonha em ter.” Não chileno, não estou contando vantagem pra argentina, só me chamou a atenção seu comentário sobre uma suposta capacidade da… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

custarão=custaram

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“ só me chamou a atenção seu comentário sobre uma suposta capacidade da marinha chilena de retomar uma região usando sua marinha” Primeiro temos que ir nas capacidades básicas, neste caso, da capacidade de compreensão de leitura por que eu disse: “as operações de mar se tornam tão importantes na defesa territorial do Chile. Devido á escassa profundidade estratégica, caso tiver uma força invasora ocupando o território o contragolpe precisa de um amplo poio desde o mar.” Não disse da Marinha, aliás, quem disse foi vc. Por que eu sei que o Chile não tem Marinha, tem Armada, assim como não… Read more »

Desventurada.png
glasquis 7
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

usa então de um novo argumento para fugir da realidade. Ou seja, bases aéreas. Como se essas não fossem dominadas pelo inimigo também”

KKK com o que os argies vão tomar as Ilhas que ficam a quilómetros do litoral? Com as baterias Antiaéreas que não tem mas vão comprar???

KKKKKK

E eu que não tenho argumentos????

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Creio que é a mesma estratégia que o chile teve quando comprou os NASAMS. O que vc acha de avisar o MINDEF do chile para não jogar dinheiro fora comprando esse sistema.”

Não, o Chile não comprou NASAMS pra negar espaço aéreo aos argentinos, elas foram compradas para a realização da CELAC-UE caso contrário, deveria ceder a defesa do seu espaço aéreo a uma força Estrangeira, como ocorreu nas Olimpíadas. Posteriormente foram emprazadas pra proteção das Bases Aéreas, em nenhum caso pra negar espaço aéreo. Isso o Chile faz com Caças.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Não entendi, as olimpíadas ocorreram no Brasil. E não me consta que o Brasil tenha entregue sua defesa aérea a uma força estrangeira, uma vez que nossa defesa aérea também é feita por caças. Por outro lado, claramente os sistema NASAMS foram e são usados para defesa aérea das bases da FACH, bem como das bases do exército chileno em Iquique e antofagasta. Parece e vc não é familiarizado sobre o tempo de reação de um caça numa base aérea, que gira em torno de mais o menos 2 a 3 min pelo padrão OTAN para decolagem, ou seja, tempo… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Oh! Apelou pro termo supertrunfo KKK

Tá perdendo o controle Alexandre.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Super trunfo? não cara, isso é verdade, é assim que funciona numa guerra, quando um País não tem profundidade geográfica.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Numa linguagem clara, um adversário poderia invadir o chile num ataque a essas bases e percorrer 150km em velocidade supersônica de 2400km/h em mais ou menos 3 min. Então, cerca de dois caças chilenos estariam ainda em decolagem quando seriam destruídos por mísseis ar-ar inimigos nesse lapso de tempo!”

KKK Ainda mas em se tratando dos F 16 sem mira, sem gps, sem radar, sem asas, sem piloto, sem motor, etc…
KKKKKKKKKKKKK

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

KKK Ainda mas em se tratando dos F 16 sem mira, sem gps, sem radar, sem asas, sem piloto, sem motor, etc…
KKKKKKKKKKKKK”
Agora vc falou tudo, se os dois caças F 16 decolarem, terão todas essas gamas de problemas que hoje o MINDEF do chile quer corrigir, e para isso solicitou e não comprou por falta de dinheiro, todos esses equipamentos que vc listou. Parabéns por esse comentário sensato, depois de ter dito claramente que a marinha de guerra chilena não pode fazer um desembarque e seria usada apenas para logística, vc está evoluindo.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Só pra seu esclarecimento:

Medios da ARCh:

Adelaide Class:
Almirante Latorre
Capitán Prat

Type 23:
Almirante Lynch
Almirante Cochrane
Almirante Condell

Type 22:
Almirante Williams

M Class:
Almirante Riveros
Almirante Blanco Encalada

L Class: em reseva

Capitán Prat
Almirante Latorre

SA’AR IV:
Angamos
Casma
Chipana

Misseis da ARCh

Anti Navio:

Gabriel MK 2 Curto Alcance
Harpoon RGM-84D BIC
AGM-84L BII
RGM-84L BII
Exocet MM40 BII
MM40 BIIIC
AM39 BII Mod2
SM39 BII Mod2

Antiaéreo: RIM-162 ESSM Curto Alcance
CAMM Sea Ceptor, Nas Type 23
SM-2 Block IIIA, Nas Adelaide.

Está até no Wiki.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Segundo vc, o SIPRI não tem credibilidade, mas o WIKI é top, pois está até no WIKI! kkkkkk

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

Segundo vc, o SIPRI não tem credibilidade, “

???

Eu disse isso, aonde???

Alexandre pondo palavras na minha boca novamente.

Joao Carlos
Joao Carlos
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

Cara, voce escreve muita bobagem! opina sem ter o minimo de conhecimento da causa… caracas, voce nao passa de um moleque mal criado. Dá vergonha alheia.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

““Numa linguagem clara, um adversário poderia invadir o chile num ataque a essas bases e percorrer 150km em velocidade supersônica de 2400km/h em mais ou menos 3 min. Então, cerca de dois caças chilenos estariam ainda em decolagem quando seriam destruídos por mísseis ar-ar inimigos nesse lapso de tempo!”” KKK o cara é tão patético que coloca os A4 e os Super Etendart da argentina voando a 2.400 Km h. KKK Ignorância tem limites viu? A argentina não tem caças que atinjam essa velocidade, aliás, na América Latina nenhuma força aérea tem hoje caças que atinjam os 2.400 Km/h Isso… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

uma vez que a possibilidade de uma resposta pelo mar seria bem difícil. “

Seria mesmo, o Chile nem tem navios capazes pra isso né? Depois de tudo, o que se pode esperar de uma “marinha” que tem menos médios e menos capacidade que a Marinha Boliviana?

Assim como os Caças F5 sem mira, sem capacete DASH, sem misseis e o que dizer dos F 16 sem GPS, Sem mira, Sem radar e sem misseis ativos.

Nem vamos mencionar o Exercito, essas fotos da matéria são falsas, aliás, uma ilusão dos editores do Forte.

Em fim, uma lástima as forças chilenas.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Ainda bem que vc reconhece as fragilidades das forças armadas do chile, não precisa ninguém falar.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Reconheço sim KKKKKKKKKK

Coitadinho do Chile KKK

Tua dor de cotovelos é tanta KKKK deveria se tratar cara, é muita energia gasta pra tentar denegrir o Chile KKK

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Quem detona o chile, são os próprios chilenos, é só ver o que aconteceu lá em outubro de 2019 e que durou até a chegada do covid em março desse ano, foram cerca de 50 estações do metro queimadas, lojas de departamento saqueadas, aeroporto parado por vários dias, só para citar algumas coisas que aconteceram por lá.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

E o que tem isso a ver com os treinos de Spike do Exercito Chileno??? I

Isso demonstra como vc tenta apenas emporcalhar o debate sem ter nada importante a acrescentar.

Mesmo assim, vc tentou exaustivamente morar no Chile e não conseguiu.

Mas já que quer entrar no assunto:

https://pt.ripleybelieves.com/richest-countries-in-south-america-527

Last edited 9 meses atrás by glasquis 7
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

O chile hoje é o mesmo que a argentina de 82, que todos diziam ser militarmente superior ao Brasil. Diziam que tinham mais caças e outras bobagens. E o que pudemos ver na guerra das Malvinas? Caças sem radar e sem bancos ejetáveis, submarinos que não puderam lançar um torpedo, soldados sem experiência jogados nas ilhas(pelo menos fizeram um desembarque anfíbio), não mantiveram sequer, uma linha logística(Isso a marinha do chile faz). E o resultado todos nós sabemos qual foi, uma derrota total. O chile é a mesma coisa, compra coisas velhas e desarmadas pagando muito pouco e depois vem… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“O último paragrafo eu vou desconsiderar, pois seria muito humilhante para o chile, usar de um apoio da Inglaterra para vencer uma guerra contra a argentina” Realmente, seria muito humilhante pro Chile usar o apoio dos seus aliados pra enfrentar uma força invasora argentina em solo Chileno e uma possível invasão ao território inimigo, depois de tudo, quem na história seria capaz de juntar forças com outro país pra submeter um inimigo? Essa história de Guerra da Tríplice Aliança é lorota dos paraguaios que perderam pro Uruguai, Argentina e o Brasil jamais fariam uma coisa assim ne? Obrigado por desconsiderar… Read more »

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Na guerra da tríplice aliança, vc esquece que o paraguai atacou os 3 países, então a reação foi correta. Isso é diferente de recorrer a um terceiro quando se é atacado por um outro. Por outro lado, o Brasil guerreou sozinho pelos últimos 4 anos dessa guerra, no caso, Argentina e Uruguai só estiveram no combate nos 2 primeiros anos dos 6 que durou o conflito. Em termos de números, Paraguai guerreou com 150 mil homens, Brasil com outros 200mil e Argentina e uruguai com apenas 30 mil. Isso mostra claramente que foi uma guerra entre Brasil e paraguai, o… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

KKK

Texto 2.jpg
Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Quer mudar a história chileno, estou falando da questão do envolvimento de 3 países no inicio dessa guerra, esses 3 países foram atacados pelo paraguai, então tiveram o direito de responder.
No caso em questão, de uma suposta invasão da argentina ao chile, o direito chileno de se defender é total. Mas não é o caso de se chamar a inglaterra para ajudar, isso seria uma demonstração de covardia.
Entendeu, o quer que eu desenhe?

glasquis 7
Reply to  Montenegro
9 meses atrás

Certo, o Chile ter ajuda de terceiros pra se defender da Argentina, que tem mais do dobro de habitantes e de riquezas do que o Chile, é covardia mas, o Brasil pedir ajuda do Uruguai e a Argentina pra se defender do Paraguai, não é. Isso por que segundo vc a Argentina é superior ao Chile. Boa cara, argumentação legal a tua. Não tem jeito alexandre, teu complexo é muito grande, teu ressentimento contra o Chile é demais, fora do normal. Nada te permite opinar com alguma verdade ou alguma objetividade. Vc está no fórum apenas para destilar a tua… Read more »

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Absurdo é achar que uma retomada territorial depende apenas da Infantaria de Marinha.

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Não estou achando nada, somente queria saber sobre as capacidades dos fuzileiros(infantes) da marinha do chile.
Absurdo é vc tomar isso como uma coisa pessoal, ou ofensiva, ou um apoio a argentina, ou qualquer coisa nesse sentido. Podemos simplesmente debater educadamente temas militares e enriquecer o debate aqui nesse site.

glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

“Absurdo é vc tomar isso como uma coisa pessoal, ou ofensiva, ou um apoio a argentina, ou qualquer coisa nesse sentido. “ Não tomo como pessoal, nem me ofendo. Mas, recorrer ao baixo recurso de me atribuir frases e palavras que não postei: “só me chamou a atenção seu comentário sobre uma suposta capacidade da marinha chilena de retomar uma região usando sua marinha” são um pouco desestimulantes pro debate. Por uma questão de caráter, pois não me interesa perder muito tempo com quem não tem, nem com quem se confunde nas palavras por uma compreensão de leitura duvidosa. Vc não… Read more »

sj1
sj1
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Eu não sabia, mas fiquei curioso..

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Vc disse isso!

Montenegro
Montenegro
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Vc falou num comentário acima, que o chile tem forças aereo transportadas, talvez na intenção de mostrar que esse seria o caminho para uma retomada do território, uma vez que pontes e balsas não estariam disponíveis e o desembarque anfíbio tb não seria possível. Mas vamos aos números, o chile possui hoje cerca de : 06 aviões C 130 01 avião C 295 02 ou 03 aviões C 212 10 helicópteros AS 532 08 helicópteros Black hawk Juntando toda a capacidade de transporte desses meios para fazer um assalto aereo terrestre e/ou aereo móvel, podemos dizer que o chile poderia… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Montenegro
10 meses atrás

Algumas respostas estão retidas desde ontem

1.jpg
Agnelo
Agnelo
Reply to  Glasquis 7
9 meses atrás

Prezado, pelo q ouvi dos oficiais chilenos, e tem MUITA coerência, e “bate” com o q estudei deles, não haverá “contragolpe”. Por causa de seu território com pouquíssima profundidade no sentido L-O, o Chile atacaria antes de ser atacado, para evitar ser “partido no meio”. Se for partido no meio……. barro…. já era….

glasquis 7
Reply to  Agnelo
9 meses atrás

Quais oficiais vc ouviu? Que cargo vc ocupou como para ter contato com oficiais chilenos? É muito fácil postar qualquer coisa, tanto a favor quanto contra mas a verdade é que tanto em 1975, ano em que Peru quis reconquistar terras perdidas se unindo com a Argentina e a Bolívia, quanto em 1978, quando Argentina chegou a tentar a invasão ao território chileno, pedindo apoio do Peru, os invasores desistiram, mesmo tendo grandes motivos pra invadir e enormes vantagens militares. Então, por que não invadiram?. Uma invasão em 1975 e a suposta recuperação de terras perdidas, permitira ao Peru celebrar… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

 Então, por que não invadiram?.
__o Chile atacaria antes de ser atacado__

Ambas oportunidades altamente favoráveis “perdidas” estranhamente.
__o Chile atacaria antes de ser atacado__

“CHILE TERIA GANHO A GUERRA”
__o Chile atacaria antes de ser atacado__

o que te faz penar que hoje, em que o Chile está numa enorme vantagem tática, perderia?
__o Chile atacaria antes de ser atacado__

Onde eu disse q perderia??

Mais uma vez aqui no ForTe, sou obrigado a escrever….

Quem sabe ler está na frente de muita gente…..

Sds

glasquis 7
Reply to  Agnelo
9 meses atrás

“Onde eu disse q perderia?? Mais uma vez aqui no ForTe, sou obrigado a escrever…. Quem sabe ler está na frente de muita gente….. Sds” Disse sim, aqui: “…Se for partido no meio……. barro…. já era….” Então, esse “já era” é onde vc disse que o Chile perderia. Existe uma enorme diferença entre: “Você não entendeu o que eu escrevi” e “eu vou simplesmente Negar o que eu mesmo escrevi” A primeira afirmação é de entendimento mesmo, a segunda é de caráter… ou falta dele pois, negar o que vc mesmo escreveu é, no mínimo, estranho. Não acha? Vc tem… Read more »

ChileArtillery.jpg
Last edited 9 meses atrás by glasquis 7
glasquis 7
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Imagem da Artilharia do Chile.

ChileArtillery.jpg
glasquis 7
Reply to  Agnelo
9 meses atrás

Para vc entender a posição chilena na atualidade, o Chile, tem a constante ameaça nas suas fronteiras por antigas arestas. Em 1839 o Chile derrotou as forças da confederação Peru-Boliviana e em 1883 o Chile Derrotou a Aliança Peru-Bolívia, nesta ultima guerra, o Chile tomou territórios tanto da Bolívia quanto do Peru, fazendo da Bolívia um país sem litoral e do Peru um pais ocupado por quase 4 anos. Então, os seus vizinhos sabem que não é tão simples invadir o Chile. Tanto assim que mesmo em posição vantajosa, não fizeram o que prometem fazer desde que foram derrotados na… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Para vc entender, conheço bem a sit ali.

Por isso, q digo, __o Chile atacaria antes de ser atacado__. Por que?

Como eu “disse” lá pra cima: Por causa de seu território com pouquíssima profundidade no sentido L-O….Se for partido no meio……. barro…. já era….

Logo, assim como (grosso modo), Israel faz, o Chile atacaria preventivamente.
__o Chile atacaria antes de ser atacado__

Sds

glasquis 7
Reply to  Agnelo
9 meses atrás

“Para vc entender, conheço bem a sit ali. Por isso, q digo, __o Chile atacaria antes de ser atacado__. Por que?” Não, não conhece. Se conhece-se saberia que o Chile não ataca antes de ter uma declaração de guerra firmada. Sempre foi assim. Mesmo em 1975 e 1978, O Chile se preparou pra defesa e esperou pra ser atacado. Então, com isso fica demonstrado que não sabe ou não entende a situação. Tornar o Chile um país beligerante, significaria sacrificar toda a sua economia de forma desnecessária. Por isso o Chile evita o confronto armado até o último momento. O retraso… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  sj1
10 meses atrás

E cercado por inimigos em potencial, já teve guerra contra o Peru, contra a Bolívia e por muito pouco não teve uma guerra contra a Argentina. A situação com a Argentina e com o Peru estão bem tranquilas praticamente resolvidas, mas a bronca é a Bolívia que não aceita a perda da saída para o mar e vive reclamando disso. Por isso que o Chile investe muito em defesa. Na época da guerra do Pacífico o Peru se aliou a Bolívia e chamaram a Argentina para entrar na guerra, mas os argentinos se recusaram, mas os chilenos em boa parte… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Fabio Araujo
Glasquis 7
Reply to  Fabio Araujo
10 meses atrás

Agora tem que aceitar pois interpelou na HAYA e perdeu.

Santos BR
Santos BR
Reply to  sj1
10 meses atrás

Sugiro a leitura do livro Crônica de Uma Guerra Secreta, do embaixador Sergio Correa da Costa. Mostra entre outros assuntos de geopolítica na America do Sul, a preocupação do Chile com a sua segurança.

Caio
Caio
Reply to  sj1
10 meses atrás

Nossas forças armadas então não sabem a altura dos seus desafios.

Ten Murpht
Ten Murpht
Reply to  sj1
10 meses atrás

Mas se a arte da guerra é dissimulação e engodo, não é a ameaça percebida quem define o tipo de material a se operar e sim as capacidades possíveis no campo militar. Ter capacidade tecnológica e industrial mínimas para enfrentar qualquer ameaça, percebida ou não, provável ou não, conquanto existencialmente possíveis.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Alfa BR
10 meses atrás

É né? Mas na hora que o estoque acabar, já era…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Wellington Góes
10 meses atrás

Nós nem temos estoque.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Alfa BR
10 meses atrás

Tu estás confundindo as forças… Rsrsrsrs
Ah… O MSS 1.2 é fabricado no Brasil e, numa situação de crise, podemos mandar produzir mais, já no caso chileno….
Deixa eu te lembrar, quando situações de crises estouram, os fornecedores tendem a não fornecer até a situação normalizar, então não adianta, somente, ter dinheiro pra comprar…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Wellington Góes
10 meses atrás

O MSS 1.2 ainda está em desenvolvimento (há mais de 30 anos…). Sequer é fabricado em série, não é uma arma considerada operacional.

Last edited 10 meses atrás by Alfa BR
Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Alfa BR
10 meses atrás

Todo e qualquer armamento está em contínuo desenvolvimento, por óbvio que existe a fase de congelamento do projeto de um determinado modelo… Quanto a não estar operacional… O fato do EB e o CFN terem comprado lotes pilotos substanciais, é uma dica de que ele não somente um projeto inacabado. Aliás, isso por si só é um diferencial das capacidades do EB, em relação ao ECh… Nos desenvolvemos e produzimos nossos armamentos, o Chile é só um mero comprador.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
10 meses atrás

Vc poderia me dizer quantos MSS 1.2 fabricados no Brasil, tem nos estoques do EB?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Mesmo que eu soubesse, não seria doido de escrever em público… Mas ter a capacidade local de produzir, é bem mais importante do que ter, somente, algumas dezenas em estoque. Ignorar esse fator, é ignorar a logística militar de uma guerra.
Mas cada um acredita no quê quiser.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“Mas ter a capacidade local de produzir, é bem mais importante do que ter, somente, algumas dezenas em estoque.” O Chile posou sim algumas “dezenas” de Spike em estoque e juntando elas dão apenas 2.200 UNIDADES DE SPIKE DISPONÍVEIS PRA ENTRAR EM OPERAÇÃO. Antes de postar o que vem na tua cabeça, seria bom pesquisar um pouco. O MSS 1.2 é um produto que nem existe, está em desenvolvimento, que nem se sabe se vai vingar e que ainda nem estoque desse armamento existe no EB e quer contar vantagem com isso? Munições pra Obus produzidas no Chile: DSS AP… Read more »

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“Mas ter a capacidade local de produzir, é bem mais importante do que ter, somente, algumas dezenas em estoque.” O Chile posou sim algumas “dezenas” de Spike em estoque e juntando elas dão apenas 2.200 UNIDADES DE SPIKE DISPONÍVEIS PRA ENTRAR EM OPERAÇÃO. Antes de postar o que vem na tua cabeça, seria bom pesquisar um pouco. O MSS 1.2 é um produto que nem existe, está em desenvolvimento, que nem se sabe se vai vingar e que ainda nem estoque desse armamento existe no EB e quer contar vantagem com isso? Meu comentário ficou retido então, vou postar apenas esta… Read more »

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

todos os blindados de combate dos 3 vizinhos do Chile juntos (Argentina, Bolívia e Peru), não chegam a 1800 unidades considerando os VCI e APC e imaginando 100% de operacionalidade dos seus médios, o que é improvável pois o Peru já tem tentado modernizar as 140 unidades do T55 ainda operacionais mas não tem conseguido, o que significa que pelo menos 100 unidades dos 250 comprados em 1972, se encontram fora de operação. Isso contra um estoque de apenas 2.200 Spike do Ejercito de Chile. Acredito que quando os estoques do Chile se acabem, os blindados que sobrarão terão que… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

2.200 Spikes?! Podem ter 10.000, continuam a precisar de importar…. E 1800 e tantos blindados?! Por favor, menos, bem menos… Pelo visto, estás contando com carros fortes… Rsrsrsrs Carros de combate, mesmo…. Repetindo…. Menos, bem menos… Amigo, uma coisa é eu concordar que as forças chilenas são muito bem equipadas, talvez as melhores, proporcionalmente, no subcontinente, agora daí querer cantar vantagem quando o assunto é Brasil?! Menos, bem menos… Não confundir ser bem equipado, contra quem é mais estruturado… Esses “400” que tu menosprezas, em situação emergencial, se transformaria em 4.000 em questão de dias, em 40.000 em questão de… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“Esses “400” que tu menosprezas, em situação emergencial, se transformaria em 4.000 em questão de dias, em 40.000 em questão de semanas” . Questão de semanas? 150 semanas? 200 semanas? 500 semanas? . Não existem meios de fabricação inseridos em uma linha de produção com pessoal treinado pra dar vazão a essa sua demanda imaginativa de que milhares de mísseis poderiam ser produzidos “em semanas”. . A única coisa que dá pra fabricar nessa linha de pensamento, é munição pra armas de fogo, por conta da simplicidade dos processos e por já existir uma grande capacidade instalada, com pessoal treinado.… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Bardini
Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Bardini
9 meses atrás

É né?! Mundo real, tu?! Çei… Rsrsrsrs

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Tudo depende da necessidade, mas quem tem a capacidade de produção autóctone tem vantagens.. Em qualquer conflito, mesmo nos dias de hoje, quem desenvolve e produz seus próprios meios tem vantagens. Por óbvio que ter uma quantidade substancial para uso imediato é desejável, mas isso é primordial para quem não tem meios próprios de produção. Para quem possui, isso é circunstancial a necessidade. A realidade chilena é diferente da nossa… As necessidades deles o levam a ter um estoque imediato aceitável, mas é a realidade deles, não a nossa… Achar que isso é o que devemos fazer, porque o Chile… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

É muito bonito ter capacidade de produzir localmente. Show de bola e bom pra nós. Mas nós realmente produzimos??? . Essa bela porcaria que é o ATGM brasileiro nasceu no estado da arte a décadas atrás, já se tornou um produto ultrapassado e NADA. . E mais! Essa velharia de ATGM aí, está a um passo de ser despachado em favor de um projeto estrangeiro… . O Brasil tem por DÉCADAS suas estruturas de papel, que sempre demandaram uma grande quantidade de ATGMs, até hoje. Nós também teríamos um estoque de milhares de ATGMs hoje. Isso não é coisa de… Read more »

Last edited 9 meses atrás by Bardini
glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Mas temos, e é isso o que importa no caso de uma guerra, ter com o que se defender. pelo que vejo, o “Brasil que produz” não tem ATGM no seu arsenal. Então de que adianta dizer que produz um míssil que não tem?

É fácil criticar, o difícil é fazer melhor.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“E 1800 e tantos blindados?! Por favor, menos, bem menos…”

Isso pra tu ver como está bém informado, vai somando aí:

Leopard 2 A4: 204 unidades
leopard 1 V 120 unidades
Marder 1 A3 280 unidades
YPR 765 200 unidades
AIFV-B 169 unidades
M113A2 450 unidades
Piranha 250 unidades
M 163 44 unidades
M 167 VADS 66 unidades
M 109 48 Unidades

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Blindado, até Jeep pode ser… Agora Carro de Combate (lagarta ou sobre rodas), mesmo…. Até carro forte é blindado…

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Blindado, até Jeep pode ser… “

É, tô vendo que vc não conhece muito sobre o Assunto.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Quantidade, por si só, é uma qualidade, já ouviu isso?! “

Por isso digo, 2.200 em arsenal operativo.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“com o Brasil… O buraco é muito, muito mais embaixo… E não é questão de ufanismo barato, mas apenas a realidade dos fatos…”

Sem dúvidas mas, vamos à realidade dos fatos.

O Brasil tem quantos ATGM em estoque/

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“…mas não sou ingênuo de acreditar quê levaríamos um surra de qualquer um aqui na América do Sul, só porquê não temos 2.200 Spikes nos paióis do EB.”

Mas ninguém disse que o Brasil levaria uma surra, aliás a discussão foi que segundo vc o Chile tem algumas dezenas e só. Agora que vc queira levar discussão pra uma comparação de quem a tem maior, já é um problema seu.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Não, a discussão é entre quem é comprador e quem produz… O resto preciosismo semântico. Ainda não entendeu o que seja circunstancial diferente de primordial?

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“Repetindo, para quem desenvolve e produz, ter paióis cheios é circunstancial.ara quem é um mero comprador, é primordial. O Brasil está no primeiro grupo, quando o assunto é armamento anti-carro. O Chile no segundo. “ Sim, mas o Brasil não se encaixa nisso pois não produz ATGM e nem compra ou seja, não tem ATGM, simples assim. está é a realidade que vc tenta mascarar. O Brasil tem uma carência desse armamento e o pior, critica e conta vantagem sobre quem tem, e em bom número. Então, os dois grupos aos que vc se refere, não são quem produz e quem… Read more »

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

De novo, para o Chile tá valendo, é um mero país exportador de commodities (praticamente de uma só), para o Brasil, não… Retórica é achar que o Chile é algum exemplo a ser seguido pelo Brasil… Desculpa, mas de novo, o estoque de dezenas, centanas ou militares de mísseis Spikes, não muda o status do Chile em relação ao Brasil…
Só falsos pragmatícos concordam…

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

“é um mero país exportador de commodities” A América do Sul inteira é, um mero exportador de Commodities. Mas isso é uma questão pra um forum econômico. Neste espaço discutimos capacidades militares, poder de dissuasão e condições de defesa de cada país e nesse quesito, o Chile está muito bem colocado, com suas forças bem treinadas e bem equipadas. Que vc não saiba disso é um outro problema. É aquela velha cegueira de quem pensa que por que este país é maior ou mais rico do que aquele, é mais poderoso. Nem sempre é assim. Embora o Brasil continue a… Read more »

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

E não é questão de ufanismo barato, mas apenas a realidade dos fatos…”

Vê lá!

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Esses “400” que tu menosprezas,”

Não meu amigo, não menosprezei ninguém, apenas me mostre aonde o EB comprou 400 unidades de ATGM pois até onde sei, hoje o EB não conta com esse armamento.

Quem menospreza é vc tentando desmerecer o Arsenal do Chile que na verdade vc nem imaginava que seria de 2.200 unidades, achou que seriam, segundo as suas palavras, “algumas dezenas”.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
10 meses atrás

Isso vale para todas as forças da região.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

É mesmo?! Não sabia que o Chile produzisse seus próprios mísseis anti-tanques…
Não, espera, não produz… Rsrsrsrs
Não, não vale para todas as forças da região…
Até mais!!! 😉

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
10 meses atrás

Acho que há um problema com a sua compreensão de leitura. Eu não disse em momento algum que o Chile produz misseis anti-tanque. Vc leu em que parte do meu comentário isso?

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Não, não, é você que não compreende a posição de ser desenvolvedor/produtor, de um mero comprador/cliente. Ter estocado em paiol é primordial para o segundo, já para o primeiro, é circunstancial.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Não cara vc que não entende. As FA não são nada se não tem armamento disponível. Vc não pode mandar pro campo de batalha um soldado com um alto-falante gritando pro inimigo -O1, vcs do tanque aí, estão todos mortos, eu os acertei com um missil que a gente produz, está em desenvolvimento mas vai ser fodástico e vai penetrar a tua blindagem, não temos no estoque mas nos vamos produzir, não como vc que tem esse missil pronto pra atirar mas, é comprado- Dissuasão meu amigo, é isso que as FA entregam a um país, é a mensagem de… Read more »

glasquis 7
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Aliás, embora não seja um especialista em armas do EB, eu desconheço qual missil similar ao Spike o Brasil usa no seu Exercito, sei do ALAC mas não é um missil. Mas isso sim o Brasil tem no estoque 150 unidades que podem ser empregados caso precise.
Assim como o Chile tem um número indeterminado de M72 LAW, AT-4, Carl Gustav com munições
HEAT 751/551/551CRS/655CS/HEDP 502/MT 756/ASM 509/HE 441D/ADM 401 pra quando os 2.200 Spike acabarem.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Até onde sei, o EB naõ opera ATGM na atualidade então não vejo como “contar vantagem” sobre um medio de combte que o Chile tem e em grande número.

glasquis 7
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Correção!

Opera ATGM sim,

57 unidades do ERYX
20 unidades do Milan

O MSS 1.2 AC deveria ter entrado em operação este ano mas até agora não tenho confirmação se esse prazo foi cumprido.

Se espera que até o final da entrega sejam 400 sistemas MSS 1.2 AC.

Justiça seja feita, o EB tem em estoque 77 sistemas ATGM sim, eu que não estava lembrando.

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Então, acabo de descobrir que o EB, mesmo o Brasil sendo produtor de misseis e tem uma grande indústria bélica e tudo a mais, na atualidade não tem ATGM em estoque. Aqueles que mencionei como sendo 77 unidades, estão fora de prazo, ou seja, não estão mais operacionais.

Essa é a diferença entre ter 2.200 Spike operacionais em estoque e ter 400 MSS 1.2 na imaginação.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Me espanta tamanha “eficiência”, em obter dados sigilosos… Rsrsrsrs
És mais eficiente do que James Bons… Rsrsrsrs

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Na verdade, o que deveria te espantar, e que na atualidade, todos os dados sobre armamentos na América do sul, são publicados pela JANES, SIPRI, GFP, etc. até pelo wiki.

Não é sigiloso que o Brasil não tenha este armamento no momento no seu arsenal.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  glasquis 7
9 meses atrás

Kkkkkk
Então tá…. Rsrsrsrs

glasquis 7
Reply to  Wellington Góes
9 meses atrás

Então tá…. Rsrsrsrs”

É o resumo da sua argumentação. A soberba ás vezes não nos permite aceitar a realidade.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
10 meses atrás

Não faz muito mais sentido ter vários carros (estilo HUMMER) armados com essas torres do que ter pelo mesmo valor menos quantidade de tanques?

Glasquis 7
Reply to  Rui Chapéu
10 meses atrás

Armas diferentes, complementares e muito necessárias para doutrina que se emprega.

Os misseis são necessários na defesa do território mas, os tanques são fundamentais na recuperação do mesmo caso venha a ser ocupado por uma força invasora.

Dois momentos diferentes do combate previstos estrategicamente.

Bardini
Bardini
Reply to  Rui Chapéu
10 meses atrás

Não.

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  Bardini
10 meses atrás

O que um tanque (pode ser até um médio ou um MBT) teria em mais vantagem do que esse exemplo ai?

Seria resistência no campo de batalha?

Bardini
Bardini
Reply to  Rui Chapéu
10 meses atrás

O MBT é uma plataforma de armas. O canhão emprega diferentes tipos de munição, que podem ser muito mais baratas que um míssil AC e estão disponíveis em maior quantidade para emprego. Um Leopard 1A5 carrega 55 tiros… Fora isso, tem ao menos uma metralhara coaxial, com muita munição pra torrar. Tudo isso sendo apoiado por sensores e etc. Se tem uma estação de armas remota, aí é a nata.
.
São vários outros fatores… mas pouco tempo pra digitar textão.

Last edited 10 meses atrás by Bardini
Rudi
Rudi
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Saudações Bardini… pergunta de um leigo curioso.
O nosso Gepard  acompanhando uma coluna de Leopard , poderia identificar um drone com seu radar!
e mesmo abatelo! isso no cenario sul amercano!
Obrigado by Rudi PY3TO.

CAIO
Reply to  Rudi
9 meses atrás

Pelo site deles sim, a versão 1 a2 conta com essa capacidade, Além do Brasil e Alemanha está operando na Romênia e acabou de ser vendido para o Catar, justamente para defender os estádios na Copa.

https://www.kmweg.com/systems-products/tracked-vehicles/air-defence-systems/gepard-1-a2/

Bardini
Bardini
Reply to  Rui Chapéu
10 meses atrás

Continuando e resumindo o que eu acho: . “Resistência” é só um dos fatores… . Mobilidade é o mais importante. . ATGM é uma arma defensiva. Quando a força realiza ações ofensivas, ATGM é arma de apoio. . Blindagem permite empregar o blindado em ações ofensivas de choque ou mesmo segurar o terreno. 4X4 com ATGM é um meio muito mais voltado a ações defensivas ou de apoio. Agrega muita mobilidade. . O Azerbaijão conquistou todo o Sul do TO daquela região disputada pq tinha meios blindados para isso. O blindado é feito para resistir ao atrito, a estilhaços de… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Bardini
10 meses atrás

Nessa guerra, blindados e aeronaves foram anuladas por ATGM e SAM, respectivamente.

O diferencial foi a brilhante e inusitada estratégia do Azerbaijão em empregar enxames de drones (de ISTAR, suicidas e de ataque) contra as forças armênias. Na prática, os drones ISTAR localizavam alvos para artilharia e drones de ataque…enquanto os drones suicidas neutralizavam alvos estratégicos, em particular os sistemas SAM. O S300 armênio foi um dos primeiros alvos do revolucionário IAI Harop.

Last edited 10 meses atrás by rdx
Bardini
Bardini
Reply to  rdx
10 meses atrás

“Nessa guerra, blindados e aeronaves foram anuladas por ATGM e SAM, respectivamente.” . O Azerbaijão tomou todo o Sul da região por conta de sua força de blindados. Como é que foram anulados, se acabaram sendo peça fundamental na vitória? . O Azerbaijão teve pouco progresso no Norte pq não tinha como operar seus blindados por lá. . ATGMs foram empregados em muito maior número nas regiões montanhosas… No final, não impactaram nos resultados e a derrota foi inevitável. . SAM Armenos foram completamente triturados. Como é que anularam aeroanves? . O Azerbaijão não fez nada “brilhante”. Fez a guerra… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Bardini
10 meses atrás

Então estamos falando de guerras diferentes. Blindados de ambos lados foram massacrados por ATGM (o emprego de meios blindados não teve a menor relevância); pesquise sobre a capacidade SAM da Armênia (os brilhantes generais azeris trocaram valiosas aeronaves e pilotos por descartáveis drones) e você deve estar confundindo o avançado drone SEAD IAI Harop com outro meio. Enfim, essa guerra foi um divisor de águas no mundo militar.

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
10 meses atrás

o emprego de meios blindados não teve a menor relevância”
.
Tu já entregou que não acompanhou nada do assunto e muito menos leu a respeito. Não vale nem a pena perder tempo teclando.

rdx
rdx
Reply to  Bardini
10 meses atrás

Deixe de ser estúpido. Quem não sabe nada é você. Eu preciso desenhar para você entender as coisas? As tropas armênias foram massacradas pelos drones armados e suicidas e pela artilharia orientada pelos drones ISTAR. Essa guerra não foi vencida pela cavalaria azeri.

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
10 meses atrás

“Essa guerra não foi vencida pela cavalaria azeri.” . Quem fez o avanço pelo sul, conquistando e mantendo o terreno, foi a cavalaria, que protegia seus meios de artilharia a retaguarda e que operava sendo apoiada por UAVs. Quem martelou mais forte o inimigo, com ataques de precisão, foi a artilharia, que estava protegida e operava sendo apoiada por meios modernos. Quem avançou e conquistou de fato o terreno, foram as tropas equipadas com meios blindados, indo desde Sandcat até T-72… . Sem os meios blindados, o mesmo avanço não teria acontecido. . Estupido é falar que “o emprego de… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  rdx
10 meses atrás

A guerra foi vencida pelo componente blindado (cavalaria e infantaria) apoiado pelos drones armados e suicidas e pela artilharia orientada pelos drones ISTAR.

rdx
rdx
Reply to  rdx
10 meses atrás

Em uma hipotética guerra contra a Venezuela, por exemplo, o EB precisa ser capaz de neutralizar os seguintes meios: drones,T-72, ATGM, foguetes 300 mm do Smerch, o poderoso sistema SAM e Su-30 armados com mísseis ar-terra e bombas inteligentes. Infelizmente, o EB não possui os meios necessários. Fato! Volto a repetir: Guerras não são vencidas com bravatas e ufanismo, mas por quem possui os melhores meios, maior consciência situacional, melhor logística e tropas bem treinadas e/ou experimentadas.

Agressor's
Agressor's
Reply to  rdx
10 meses atrás

Irretocável explanação…

Bueno
Bueno
Reply to  rdx
10 meses atrás

A Arábia Saudita tem os melhores meios e tem sofrido muitas perdas dos Houthis…

rdx
rdx
Reply to  Bueno
10 meses atrás

Mas possui comandantes ineptos e soldados indisciplinados.

Last edited 10 meses atrás by rdx
Bosco
Bosco
Reply to  Rui Chapéu
10 meses atrás

Um Hummer pode ser neutralizado por um fuzil de assalto, um MBT precisa de um míssil ou de um poderoso canhão. Simples assim! Achar que porque existem mísseis pequenos e baratos que podem neutralizar um tanque grande, blindado e caro , o fará desaparecer é o mesmo que achar que navio vai desaparecer porque existem mísseis antinavios. Ou achar que porque os projéteis de fuzis perfuram capacetes que estes estão obsoletos. A cadeia de eventos que leva à destruição de um MBT é muito mais complexa e onerosa que a cadeia de eventos que leva à destruição de um veículo… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Bosco
Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
10 meses atrás

As brigadas de infantaria do USA estão repletas de Hummers, JLVTs, etc. mas estão após mais de 20 anos reintroduzindo um tanque leve.
Essa é a melhor resposta para os que acham que veículos leves podem substituir veículos blindados. O USA pensou ser isso possível após a retirada do Sheridan, mas recuaram e hoje querem um blindado sobre esteiras.
O que ficou provado é que Hummers armados com TOW não surtem o mesmo efeito que um tanque leve armado com um canhão de grosso calibre para efeitos de apoio de fogo direto.

rdx
rdx
Reply to  Bosco
10 meses atrás

Perfeito. Depois do recente conflito entre o Azerbaijão e Armênia muita gente tem discutido sobre o futuro dos blindados. Apesar do papel irrelevante da cavalaria nesse conflito, os analistas militares chegaram a mesma conclusão. Ruim com blindados, pior sem eles! Destruir um MBT e outros meios blindados modernos exigem meios caros e sofisticados…e grande parte do insucesso dos blindados nessa guerra, em particular dos armênios, deveu-se sobretudo ao emprego de táticas inadequadas contra drones, artilharia e ATGM.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  rdx
10 meses atrás

Sem a cavalaria e infantaria blindadas como os azeris teriam avançado rapidamente e explorado com sucesso e tempo hábil os danos causados pela artilharia e drones?

rdx
rdx
Reply to  Alfa BR
10 meses atrás

Eu não disse que ela não participou. É evidente que houve combates intensos envolvendo blindados e infantes durante os 44 dias de guerra. Quando eu disse papel irrelevante eu me referia a pouca importância da cavalaria no desfecho do conflito. Eu desafio alguém a encontrar alguma fonte confiável que diga o contrário. Praticamente todas as fontes disponíveis na web atribuem a vitória azeri ao sucesso dos drones suicidas e de ataque e da artilharia orientadas pelos drones ISTAR, que combinados devastaram os meios bélicos e posições armênias. Muitos analistas inclusive discutem o futuro dos blindados no campo de batalha moderno.

rdx
rdx
Reply to  rdx
10 meses atrás

A infantaria apoiada pela cavalaria simplesmente ocupou o terreno. Arrisco a dizer a infantaria azeri nem precisava do apoio dos blindados. Motivo? A cavalaria armênia já tinha sido varrida do campo de batalha. A artilharia armênia também teve destino parecido. Nos primeiros dias de combate o exército armênio perdeu pelo menos 147 peças rebocadas (alvo mais fácil para a artilharia de logo alcance e os drones). A situação ficou tão feia que durante o conflito os armênios foram obrigados a reativar peças usadas como monumentos.

Last edited 10 meses atrás by rdx
Bardini
Bardini
Reply to  rdx
10 meses atrás

“Arrisco a dizer a infantaria azeri nem precisava do apoio dos blindados. Motivo? A cavalaria armênia já tinha sido varrida do campo de batalha.” . Só continua demonstrando que não acompanhou nada do que realmente aconteceu naqueles mais de 40 dias de conflito e, se baseia em achismo birrento como argumento pra desmerecer a real utilidade dos meios blindados no conflito. . Blindados foram de grande importância nos embates que se seguiram por todo o Sul até Shusha, sendo empregados na velha e conhecida função de apoiar a infantaria na tomada de posições defendidas pelo inimigo. . Quem teve de… Read more »

Last edited 10 meses atrás by Bardini
rdx
rdx
Reply to  Bardini
10 meses atrás

É impressionante a sua incapacidade de dialogar sem ofender e levar para o lado pessoal….e de aceitar os fatos. 6000 mortos? No conflito anterior marcado pelo combate tradicional de “armas combinadas” morreram 30 mil, salvo engano…e os armênios mantiveram o controle territorial. É muito contorcionismo verbal para tentar provar que os blindados foram fundamentais. O sucesso dos drones é uma obra de propaganda do Azerbaijão? Piada! Não tem como continuar o debate depois dessa.

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
10 meses atrás

O sucesso dos drones foi grande e serviu tão bem a máquina de propaganda do Azerbaijão, que quem não entende nada e nem acompanhou porcaria nenhuma do conflito, passou a achar até que blindados não foram fundamentais…
.
Quem faz contorcionismos é você!

Last edited 10 meses atrás by Bardini
rdx
rdx
Reply to  Bardini
10 meses atrás

Quem não entende nada e deveria parar de escrever asneiras é você.

O seu problema além da arrogância e da falta de respeito é a incapacidade de interpretar um simples texto. Aqui não tem espaço para eu desenhar para você.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
10 meses atrás

Qual o míssil anticarro do Brasil? Por que não se fala de instalar mísseis no Guarani, já que o mesmo substituirá os cascavéis na função de reconhecimento? Afinal qual a definição do Brasil, país ou buraco?

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Defensor da liberdade
10 meses atrás

O e.b prevê o emprego AC em turmas desembarcadas….o que tem sentido, se for emboscar é mais fácil esconder no terreno 3 homens do que um guarani enorme (tudo questão de assinatura)

glasquis 7
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
10 meses atrás

Sem dúvidas mas é mais fácil neutralizar 3 homens do que 8 num Guarani mesmo com assinatura enorme.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

amigo glasquis, o conceito da cavalaria blindada é romper as linhas inimigas, o foco do carro de combate é abater outro carro de combate e não o infante, quem abate o infante é o vci da força tarefa ou os fuzileiros desembarcados….note que boa parte das baixas causadas americanas no golfo foram após esse rompimento, quando os fuzileiros atacaram a retaguarda da FT, como disse no comentário seguinte….o guarani não foi feito para enfrentamentos…abç

Last edited 10 meses atrás by Rafaelvbv
glasquis 7
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
10 meses atrás

É, vendo do ponto de vista que vc coloca está certo

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  glasquis 7
10 meses atrás

Esse é o Camosphere da Saab, uma espécie de iglu que se abre para emboscadas, não tem assinatura térmica, pode ser usado com praticamente qualquer tipo arma coletiva de infantaria…uma equipe camuflada com esse equipamento e um atgm é bem mais barato que um guarani….outro uso seria uma combinação com o igla para emboscar helicópteros

Camosphere.jpg
glasquis 7
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
9 meses atrás

Certo mas são dois momentos diferentes do combate.
A diferença entre chegar ao local e estar no local. Pra chegar lá vc não manda 3 homens carregando tudo nas costas, primeiro tem que tomar a posição e pra isso um blindado se faz necessário. Se o guarani não serve pra isso já é outro problema.

Last edited 9 meses atrás by glasquis 7
Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Defensor da liberdade
10 meses atrás

lembrando que a maior parte dos carros de combate iraquianos destruídos na guerra do golfo foram atingidos por bradleys e não pelos abrams, convém armar com ATGM o futuro substituto do M-113 e não os guaranis que não foram projetados para enfrentamentos

Rafael costa
Rafael costa
Reply to  Defensor da liberdade
10 meses atrás

O EB opera o míssil anti-tanque nacional Alac, e em breve irá operar o MSS 1.2 que é também um míssil anti tanque nacional.

rdx
rdx
Reply to  Rafael costa
10 meses atrás

Estava demorando. Desde quando o ALAC é ATGM?

A6MZero
A6MZero
Reply to  Rafael costa
10 meses atrás

Em breve? o tal MSS 1.2 vem se arrastando a décadas sem nunca sair da fase de prototipo, o ALAC também nunca foi produzido em quantidades (se é que foi produzido) e é só um lança rojão não míssil.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  A6MZero
10 meses atrás

Os últimos dados sobre o MSS 1.2 AC são de 2018, referentes ao lançamento do míssil na Marambaia, sobre o ALAC tem notícia de 2016 sobre a encomenda do lote piloto composto por 150 unidades para o EB, e parece que o Azerbaijão encomendou umas 50 unidades, tem notícias sobre o interesse do Azerbaijão em fabricar localmente o ALAC mas não tem nada informando como isso terminou.