quarta-feira, dezembro 7, 2022

Saab RBS 70NG

Akaer venceu licitação para modernizar o Cascavel

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Lote inicial é de 9 viaturas, mas o programa do Exército Brasileiro prevê modernizar de 98 a 201 veículos ao longo de oito anos

A Akaer Engenharia informou em seu site que venceu a licitação do Exército Brasileiro (EB) para modernizar um lote inicial de 9 unidades de viaturas EE-9 Cascavel, viatura blindada de reconhecimento média sobre rodas, 6×6, do EB.

A empresa informou que o resultado da concorrência foi publicado no Diário Oficial da União no início deste mês, em 4 de maio. Segundo o diretor comercial Aldo da Silva Junior, “trata-se de um projeto pioneiro com potencial de aplicação para toda a frota desse veículo em uso pelo nosso país, após a validação desse lote inicial a ser feita pelo Exército Brasileiro”.

Sobre a conquista da licitação, o CEO da Akaer, Cesar Silva, declarou: “A Akaer sente-se honrada em ter sido selecionada pelo Exército Brasileiro para o programa de modernização do EE-9 Cascavel. É uma clara demonstração de reconhecimento da capacidade da engenharia e da indústria nacional em apoio às necessidades das forças armadas no Brasil”.

O pacote de modernização e adoção de novas tecnologias

A Akaer substituirá a torre mecânica do comandante por uma nova torre automatizada, para maior velocidade de resposta aos comandos e precisão. As miras ópticas serão trocadas por um sistema optrônico de busca e pontaria dos alvos e identificação de eventuais ameaças, com capacidade de operação diurna e noturna e em condições atmosféricas degradadas.

Ainda nos sistemas relacionados a combate, será instalado computador de tiro para os cálculos balísticos, aumentando a probabilidade de acerto de alvos, e computador de comando e controle para analisar, em tempo real, todos os sensores espalhados pelo veículo, com leitura dos parâmetros ambientais que interferem na execução das missões.

Em seu site, a Akaer mostra imagens e informações (em inglês) sobre os equipamentos a instalar na torre, com sistema de visão multiespectral, e afirma utilizar arquitetura aberta e escalável, permitindo configuração mínima para orçamentos baixos.

Pelo que já foi divulgado anteriormente sobre o programa de modernização, armamento principal (canhão de 90mm) será mantido na torre. Porém, a Akaer informou que será adicionado um lançador de mísseis antitanque, capacidade esta que, segundo a empresa, a viatura modernizada introduzirá em veículos blindados de reconhecimento do EB.

Na parte mecânica, o pacote inclui nova motorização e suspensão, visando incrementar as capacidades de locomoção do veículo nos mais variados tipos de terreno, além de um sistema de ar-condicionado.

eb guarani & cascavel.jpg

O lote inicial informado pela empresa é de 9 viaturas, mas o programa do Exército Brasileiro prevê modernizar de 98 a 201 veículos ao longo de oito anos

FOTOS: Akaer (parte dos sistemas a serem instalados) e EB (viaturas atuais)

 

- Advertisement -

119 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

119 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
karl Bonfim
karl Bonfim
6 meses atrás

Foi um bom veículo blindado nos anos 70 e 80, hoje completamente ultrapassado, uma tremenda perda de tempo e dinheiro. Pelo histórico das modernizações de equipamentos militares das outras FFAS, de 98 a 201 unidades, se chegar a 50, será um milagre. Seria mais vantajoso doa-los ou vende-los a preço simbólico para o Paraguai e para o Uruguai.

Last edited 6 meses atrás by karl Bonfim
Patriota
Patriota
Reply to  karl Bonfim
6 meses atrás

Ainda serve para desfilar.
Com fitinhas fica bonito.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  karl Bonfim
6 meses atrás

Caro Karl. Acho que precisamo saber o valor desta modernização para avaliar sobre o custo/benefício. As forças armadas brasileiras tem exemplos de sucesso e de fracasso na modernização de equipamentos militares. Recentemente, o EB adquiriu centenas de M111 que foram modernizados pela BAe. Os M119 também foram adquiridos de segunda mão e passaram por revisão. A FAB modernizou os F5M e agora está modernizando os T27. Estes Cascavéis poderiam ser substituidos por carros de combate do excedente dos EUA? Ou por uma versão com canhão do Guarani? Qual o custo disso tudo? A aquisição de excedentes dos EUA seria mais… Read more »

Nascimento
Nascimento
Reply to  karl Bonfim
6 meses atrás

O objetivo dessa modernização é o EB se manter como uma força de GLO e de supressão contra o ”inimigu internu”. Num TO convencional moderno isso não serviria pra VBR NUNCA.

Last edited 6 meses atrás by Nascimento
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Caro Nascimento GLO com canhão de 90 mm? Não faz sentido.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

Fale isso pro EB, pois o VBR Cascavel já foi usado em diversas operações de GLO pelo EB… A menos que a guerrilha urbana passe a utilizar outros artefatos com maior poder de fogo que um fuzil, ou haja uma verdadeira guerra civil, qual a função de um blindado com canhão de 90mm em operações GLO, principalmente no ambiente urbano, que é onde ocorrem a maior parte dessas operações? E pior, qual a utilidade de modernizar um veículo que, num TO convencional, não serviria pra muito além de suporte de fogo? Mas esse suporte de fogo, poderia ser feito por… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Caro Nascimento. As operações de GLO são essencialmente operações de “não guerra” (como consta nos documentos do MInDef) e devem ocorrer quando os demais recursos empregados nas ações de segurança pública (essencialmente as polícias, defesa civil e bombeiros) estiverem esgotadas. Isso pode acontecer, por exemplo, quando uma catástrofe causa um dando tão grande que as forças de segurança regulares entram em colapso (como durante a pandemia), ou quando os distúrbios são maiores que a capacidade das forças de segurança (como em uma crise coordenada de rebeliões em presídios em todo o país) ou quando as forças de segurança convencionais se… Read more »

Nascimento
Nascimento
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

Mas você esta correto Camargoer, eu disse que não tinha lógica e que ele era infelizmente empregado dessa forma, não sei o porquê de fazer outro comentário falando mais do mesmo. Abraços.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Olá Nascimento. Creio que muitos colegas ainda estão equivocados com o conceito de GLO. Parece sempre bom esclarecer. Acho que isso fica claro pelo número de negativações em um comentário que apenas reproduziu trechos dos manuais do EB. A doutrina da GLO também menciona a ação ostensiva e demonstração de força com meio de evitar o confronto. Talvez algum estrategista tenha pensando nisso ao colocar um carro de combate com um canhão (descarregado) de 90 mm nas ruas. Concordando com vocẽ, não faz sentido algum colocar um Cascavel, modernizado ou não, em uma operação de GLO. Aliás, não faz sentido… Read more »

Lauro C. E. Borba de Aro
Lauro C. E. Borba de Aro
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

Você simplificou o porque do uso dos cascavéis e tem gente que não gosta.

Camrgoer.
Camrgoer.
Reply to  Lauro C. E. Borba de Aro
6 meses atrás

Caro Lauro. Pois é. Alguns colegas ainda acreditam que coçar um carro de combate na favela caracterizaria uma GLO. Segundo a pesquisadora Jaqueline Muniz, estas operações são apenas coreografias que geram boas imagens e nenhum resultado.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Camrgoer.
6 meses atrás

Exatamente. Depois da saída das tropas, tudo volta ao nível anterior.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

Desde quando na Internet sentido fez diferença. Essa gente diz qualquer coisa que lhe vem a cabeça.

Só tem “especialista” anônimo.

RDX
RDX
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Exatamente. O EB caminha a passos largos para a total desnaturalização…ou seja, sua força (doutrina, treinamento e equipamentos) está sendo moldada para vigiar fronteiras e enfrentar bandidos e outras “ameaças internas”. Curiosamente, o último treinamento noticiado é de GLO…as últimas missões reais ocorreram em favelas cariocas…e os últimos armamentos adquiridos/modernizados (em quantidades consideráveis) possuem pouco valor num TO convencional.

RDX
RDX
Reply to  RDX
6 meses atrás

Outras curiosidades:

O Gepard foi comprado para a segurança dos grandes eventos
O RBS-70 foi comprado para a segurança das olímpiadas
O primeiro lote de LMV foi comprado para as tropas empenhadas na intervenção do RJ (GLO)
Os Urutus estão sendo convertidos para missões GLO

Douglas
Douglas
Reply to  karl Bonfim
6 meses atrás

Concordo Karl. Deveriam investir é no Guarani com torre de tiro. Não em modernizar peça de museu.

Caerthal
Caerthal
Reply to  karl Bonfim
6 meses atrás

Os EUA estão enviando M-113 para lutar na Ucrânia, de idade semelhante. Escolha a opção certa:
(a) Equipamentos velhos são inúteis
(b) Equipamentos modernizados podem fazer a diferença
(c) Equipamentos antigos são necessários para cobrir as perdas e atritos de uma guerra.
(d) NDA

Marque a opção e justifique.

obs: Eu não gostaria de me colocar sob a mira de um T-62.

Pedro
Pedro
Reply to  karl Bonfim
5 meses atrás

Será que com o valor desta modernização, pode-se entender ou fazer uma analogia com os shows sertanejos, hein?! Só uma dúvida… é muita modernização de coisa antiga que quando é finalizada, já encontra-se ultrapassada….

horatio nelson zhirinovsky
horatio nelson zhirinovsky
6 meses atrás

a duvida do seculo: quantos cascaveis o eb tem ?

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  horatio nelson zhirinovsky
6 meses atrás

408 cascaveis

Ricardo Rosa Firmino
Ricardo Rosa Firmino
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

E mais” algumas cascaveis ” com cinco estrelas no uniforme..

Palpatine
Palpatine
6 meses atrás

O EB está planejando adquirir 98 VBC CAV/AC 8×8 até 2038, pelo jeito o veterano da Engesa vai ter que segurar as pontas por um bom tempo.

Felipe M
Felipe M
Reply to  Palpatine
6 meses atrás

O plano é modernizar 201 cascavel e comprar 221 viaturas novas

Oráculo
Oráculo
6 meses atrás

Creio que é um projeto que nasce com prazo de validade “curto”.

Quando a AKAER começar a entregar os Cascavéis modernizados, a IVECO vai estar entregando os primeiros Centauros, que todos sabem que será o vencedor da outra concorrência envolvendo a Cavalaria do EB.

Daí meus amigos vai acontecer uma mudança de 180º no caminho da nossa Cavalaria Mecanizada.

Quando nossos generais perceberem a diferença entre o “Fiorino” reformado Brasileiro pro “FIAT Toro” zero/km Italiano, vão cancelar a modernização do Cascavel e investir tudo e mais um pouco em mais unidades do Centauro.

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
Reply to  Oráculo
6 meses atrás

Que o EB te ouça.
Mas cá entre nós, o sistema italiano é um pouco caro demais. Se bem que é uma bela de uma Ferrari, mas é bem caro.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Oráculo
6 meses atrás

É exatamento isso, aliás, é o que fizeram com AMX, A4 e o Forévis, gastam centenas de milhões do escasso orçamento pra reformar essas tranqueiras que todo mundo sabe não servem mais pra nada, é como modernizar um Fiat 147.

gari
gari
Reply to  Carlos Crispim
6 meses atrás

Modernizar um 147 custa uma fração de um Mobi, fica com manutenção e IPVA baratin e ainda anda mais. hoje tanto um centauro, striker como o cascavel são apenas alvos para os mesmos drones e mísseis.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Oráculo
6 meses atrás

O problema é a quantidade de recursos/grana/tempo que será queimado nisso até que a ficha finalmente caia…

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
6 meses atrás

@Bardini vai dar cria em 5,4,3,2…

Só vejo uma resposta para tamanho absurdo: dar escala para a indústria nacional vender esse serviço para países operadores de Cascavel

Bardini
Bardini
Reply to  Reinaldo Deprera
6 meses atrás

Quase 75 milhões de reais em 9 unidades do lote piloto.
.
Julgando que a média do preço unitário fique na casa de 7 milhões (desconsiderando completamente o fato de que tudo no Brasil sempre atrasa e fica muito mais caro)…
.
7*98 = Uma montanha de dinheiro no lixo. Para 201, o nível de loucura só aumenta, para a casa do BILHÃO.
.
Depois, reclamam de político, falta de dinheiro e blábláblás infinitos, tipo 2% de PIB em defesa.

Last edited 6 meses atrás by Bardini
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Se o Brasil investir 2% do PIB em Defesa o EB vai modernizar 400 Cascavéis em vez de 98 a 201.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Meu palpite é que dobram os salários e continua tudo do mesmo jeito.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Então tomara que não ganhem esses 2% do PIB.

2% do PIB pra modernizar dinossauro é demais. Que o EB vá logo no ”Lata Velha” do Luciano Huck.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

kkkkkkkkkkkk

Nascimento
Nascimento
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Exatamente. Se somar isso a modernização dos M113 prova-se que o EB é tão responsável fiscalmente quanto o governo grego.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Exatamente. Vc lembrou do M113, que é o Uber da infantaria, realmente o EB gasta muito mal, tem tanta coisa boa em estoque nos EUA para comprar via FMS, mas inventam de rasgar dinheiro com tranqueiras. Cadê os M198, por que não compram M777?

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Reinaldo Deprera
6 meses atrás

pô, como ele não daria.

Esse tipo de notícia tbm.

Lamentável.

JuggerBR
JuggerBR
6 meses atrás

Qual o preço? Vai ter overhaulin mecânico? Trocar sensores sem que o veículo esteja em plenas condições é colocar tela de Lcd num Fiat 147…

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  JuggerBR
6 meses atrás

Caro Jugger. Creio que a matéria fala em remotorização e em revisão da suspensão, sendo mantido o canhão de 90 mm que receberá novos sensores e um novo computador de tiro.

Pinda Iba
Pinda Iba
Reply to  JuggerBR
6 meses atrás

Que sensores? Só do tanque vazio?

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
6 meses atrás

…”será adicionado um lançador de mísseis antitanque”…estão vendo como não é tapa de sobrevida, é uma torneira aberta jorrando dinheiro do contribuinte ralo abaixo.

Ainda acho que investir no LMV Remax /Guarani Ut-30 mk2 faria muito mais sentido.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
6 meses atrás

Caro Rafael. Creio que são coisas distintas. O programa Guarani continua sendo executado. A modernização destes Cacavéis não parece afetar a produção dos Guarani.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

O dinheiro continua vindo do mesmo lugar. Então poderia gastar em algo mais útil do que isso.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Exatamente Xará….estaremos saindo dos anos 70 para entrar talvez nos anos 90 e quando o programa terminar (o que vai demorar) haverá um gap tecnológico ainda maior, ou seja, estaremos piores do que quando começou.

Camrgoer.
Camrgoer.
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Olá Rafael. Creio que o contrato com a Akaer é de cerca de R$ 80 milhões. Talvez leve um ou dois anos. São valores baixos para considerar que terão impacto nas despesas do EB. Aliás, é apenas uma fração do que o EB pretendia gastar com os Sherpa.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

Já foi reduzida a quantidade de Guaranis a serem entregues.

Camrgoer.
Camrgoer.
Reply to  Eduardo
6 meses atrás

Caro Eduardo. O contrato com a Iveco sobre o número de Guaranis foi revisado antes deste contrato com a Akaer. Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer.
6 meses atrás

“A modernização destes Cacavéis não parece afetar a produção dos Guarani.”
Considerando-se os histórico das FA’s, afeta sim.
Ou tem grana pra um, ou tem grana pra outro. Um dos dois vai dançar.
Ou “divide” a grana entre os dois, e ambos tem seus pagamentos atrasados e prazos de entrega estendidos ad-eternum.

Capa Preta
Capa Preta
6 meses atrás

Se colocaram de 98 a 201 pode ter certeza que estão contando um número real entre 20 ou 45…
Tem os contigenciamentos,a inflação no preço da picanha (ou alguém acha que oficial vai ferir seus sensíveis dentinhos mordendo coxão duro em seus importantíssimos adidos militares?)

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
6 meses atrás

O EB exige e consegue a fabricação do Guarani no Brasil num contrato gigantesco que depois é reduzido, com pagamento de indenização à Iveco. Ainda assim, permanece a encomenda de um número considerável de veículos Aí em vez de dotar parte dos Guaranis (98 a 201 unidades) com uma torre com lança-míssil e uma metralhadora prefere colocar o lança míssil numa torre modernizada de um Cascavel modernizado. Obviamente a modernização será apenas motor, suspensão, eletrônicos e optrônicos. Vai continuar com uma blindagem limitada e sem proteção contra IEDs. Outrossim, trata-se de veículo com 30/40 anos, já surrado e com fadiga… Read more »

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

E o Guarani 8X8, estamos perdendo concorrências externas, o mercado internacional quer 8X8, o Guarani é uma viatura excelente, mas pra vender pra fora tem q ser 8X8.

Pinda Iba
Pinda Iba
Reply to  Carlos Crispim
6 meses atrás

Quem vende 8×8 pa fora é a fábrica italiana. Mas acredito que África deve gostar do Guarani.

Henrique
Henrique
Reply to  Carlos Crispim
6 meses atrás

O 8×8 é o SuperAV fabricado na Itália. Não tem mais o que desenvolver. Se o EB quiser um 8×8 ele encomenda o SuperAV à Itália ou contrata para produzir aqui.

Last edited 6 meses atrás by Henrique
Capa Preta
Capa Preta
6 meses atrás

O veículo e bom para o que se propõe , reconhecimento armado. Se modernizado pode ainda ter grande valia para tropa no que se propõe.
Mas os mesmo “viralatistas” que criticam simplesmente pelo fato de ser nacional,são os que pagam pau pra velharia soviética dos anos 60 “modernizados” simplesmente com blindagem reativa explosiva em penduricalhos por todo lado no MTB e GPS da 25 de março em suporte de gol dentro. Ou então são os se esquecem que a grande maioria dos MBTs dos EUA e Europa em serviço hoje são dos anos 80 e 90 com atualizações.

Henrique
Henrique
Reply to  Capa Preta
6 meses atrás

“velharia soviética dos anos 60 “modernizados” simplesmente com blindagem reativa explosiva em penduricalhos por todo o lado” … foi o melhor comentário do dia!!! É bem isso ai mesmo !!! Tirando os sistemas mais modernos etc.. de muitos veículos que vemos em certos teatros de conflito, o Cascavel “pelo propósito que foi concebido” ainda dá um belo caldo. O problema será o QUANTO irão investir em cada unidade para uma sobrevida e se, de fato, isso vale a pena ante adquirimos (ou mesmo fomentarmos a indústria nacional para..) novos meios mais modernos e com maior proteção às tripulações. As “velharias”… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Henrique
Tomcat4,3
Reply to  Capa Preta
6 meses atrás

Galera tbm esquece que o valor alto por apenas 9 veículos se dá por serem cabeças de série de uma modernização. Projeto, testes etc, os veículos em série custarão menos(ex. Gripen E do primeiro lote e todo pacote de treino e tot e o preço que veremos em breve do segundo lote q com certeza será beeeeem menor por aeronave).

Luís Henrique
Luís Henrique
6 meses atrás

Não é o ideal, mas existe a questão de custo/benefício, principalmente no nosso país que emprega pouquíssimo dinheiro para aquisições. O EB deve ter cerca de 400 Cascaveis hoje. O ideal seria adquirir 400 VBC CAV novos, mas o plano do EB é adquirir um número entre 98 e 221. Da mesma maneira, a modernização do Cascavel está planejado um número entre 98 e 201. Podemos supor que o EB não quer que sua força seja reduzida de 400 veículos para 221 ou para somente 98. Portanto esta modernização não anula a aquisição de novos VBC CAV, mas é pensada… Read more »

RDX
RDX
Reply to  Luís Henrique
6 meses atrás

O lobby é a única explicação para esse contrato. O EB está condenado a preservar um M8 bombado por mais 20 anos A modernização não tem como solucionar as deficiências de um projeto derivado de um veículo de reconhecimento da 2ª GM. 50 anos atrás não existiam IED e fuzis .50 em abundância. A única utilidade do canhão 90 mm (aprox. 1km de alcance útil e 300/400mm de penetração) é destruir casamatas e VBTP. O canhão do EE-9 não possui elevação adequada para combate urbano…muito menos capacidade AA (contra helicópteros). Seria muito mais sensato e econômico substituir o Cascavel por… Read more »

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  RDX
6 meses atrás

Claro que o motivo de tudo isso é $$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$$

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Luís Henrique
6 meses atrás

Penso que o exercito quis ser grande aproveitando o boom econômico de alguns anos atrás e deu o passo maior que a perna, infelizmente o programa guarani veio e tentou tapar o sol com a peneira quando na realidade já precisávamos atualizar a força como um todo. Resultado disso foi o que estamos vendo aí, além da falta de recursos para os programas (que é o que sai na mídia) o resto da força sofreu quieta…basta realizar uma pesquisa simples vocês verão que além de falta de equipamento, tem muita brigada incompleta….tem brigada sem artilharia antiaérea, outras sem engenharia, sem… Read more »

Felipe M
Felipe M
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
6 meses atrás

Ja foram entregues 500 Guarani, é mais que o dobro da frota de Urutu , ainda que nao chegue no inicial planejado é uma quantidade já de respeito.

Teropode
6 meses atrás

Muito bom , o Cascavel possui um design que favorece a incrementação com .novos sistemas de lmira e rastreamento eletrônico , sem contar o seu ótimo conceito de suspensão , vida longa ao Crotalus e boa sorte aos caçadores ! ( Que a morosidade não atrapalhe )

carvalho2008
carvalho2008
6 meses atrás

Para quem esqueceu da premissa da analise de viabilidade do projeto de modernização do EE-9 cascavel: não superar 30% dos custos de um VBC novo; Revitalizar o canhão de 90 mm ( que em guerra urbana é extremamente eficiente em face da baixissima distancia de engajamento) Torre com assistencia eletrica; Capacidade de visão noturna e imagem termal; Instalação de misseis anti carro ( para as ocorrencias de choque e prioridade contra veiculos superiores blindados) Não há o que duvidar de sua capacidade destrutiva desde que atire primeiro. Sua blindagem é antiga padrão 7,67 mm num mundo que o equipamento manul… Read more »

Eduardo
Eduardo
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Tomara tu estejas certo.

Ramon
Ramon
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Depois do que eu estou vendo recentemente em uma guerra eu iria correr de ficar dentro de um blindado como cascavel, na Ucrânia não importa o modelo ou nacionalidade estão sendo destruídos como se fosse nada, então ao meu ver investir em blindado velho é jogar dinheiro fora, pra mim o certo era deixar esse dinheiro parado, comprar alguns centauros aos poucos no futuro e investir em algum sistema de defesa, pois está foda um cara equipado com um lançador de foguete meia boca matar uns 10 e destruir um equipamento que vale milhões.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Ramon
6 meses atrás

pois então é isto….MBT ou VBC…vai tudo pro saco se for missil ou drone anti carro..o que fazer om 408 cascaveis….gaste-se então 30 dos custos de um VBC novo….a proteção é contra fuzis e estilhaços….

mas pesa leve e manutenção em campo muito simples e barata….o peso leve significa versões de motorização simples….não empaca e pode ser carregado para qualquer lugar….e de avião….12 ton de peso e boa autonomia com baixo consumo de combustivel….

Vimos o que logistica representa na hora h….

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

“o que fazer om 408 cascaveis” – vender para países mais pobres, colecionadores e empresas de reciclagem.
30% de qual veículo? Do Guarani? Ou do Centauro II?
Ainda que custe 30% de um novo (no Brasil, é comum ocorrer aumento do preço), é um veículo velho, pior do que um novo em aspectos importantes e que não vai durar o mesmo que um novo.
É o barato que sai caro.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Se estará todo revitalizado então não é velho… motor trocado cambio trocado torre trocada revitalizada com assistencia eletrica canhão revitalizado computador de bordo trocado sistema de radio trocado miras, telemetros, imageadores trocados então….de velho somente o conceito do desig de chassi, que não é ruim assim…pode-se reclamar que ele é leve demais com apenas 12 ton…mas isto tambem é uma vantagem….consome muito pouco, é muito rapido e não vai ficar parada na fila do posto de gasolina como se viu na Russia….e não sei o motor é ainda comercial, mas nesta categoria de peso de simples caminhão, peça não faltaria….inclusive,… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

O chassi e a estrutura continuarão velhos. Metais sofrem fadiga ao longo do tempo. O aço é aquele disponível nos anos 70, quiçá com tecnologia ainda mais antiga (muita coisa evoluiu nesses 50 anos, no mínimo). O que se viu foram os Cascavéis serem dizimados em conflitos no início do século XXI. Blindagem que não aguenta uma .50 e qualquer IED manda pros ares. Continua sendo reformado por países pobres e olhe lá. O Brasil com vários Guaranis disponíveis deveria armar eles adequadamente em vez de gastar com um blindado velho e atrasado. Enfim, de acordo com os planos do… Read more »

sub urbano
sub urbano
6 meses atrás

Em pensar que o governo mais criticado da historia adquiriu: Guarani, Gripen, Scorpene, Hinds, etc… Enquanto o governo mais babado pelos foristas do site teve como grande obra a modernização de 9 cascavéis produzidos quando a vó de quem tá lendo ainda era uma mulher jovem e bonita.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  sub urbano
6 meses atrás

Tá esquecendo dos 2 A 330 MRTT e dos 4 Gripens adicionais. Mas as maiores aquisições do atual governo serão os 98 a 221 carros de combate na concorrência VBC Cav, onde provavelmente o vencedor será o Centauro II, e a aquisição dos 36 obuseiros autopropulsados de 155 mm, que na minha opinião vencerá o israelense ATMOS.

Bueno
Bueno
Reply to  737-800RJ
6 meses atrás

Algumas entregas nestes quase 4 anos do atual governo, posso ter esquecido de alguma coisa. São modestas entregas em relação a necessiade de modernização? Sim. Considerando 2 anos de pandemia , as Forças armadas não deixaram de receber equipamentos e de dar continuidade a seus programas. Armamentos para o Gripem , 2 A 330 MRTT  4 Gripens adicionais 2 Hermes RQ-900,  1 C295 SAR (busca e salvamento) adicional (Já entregue) Modernização dos T-27 Revitalização de componentes do P-3AM 4 Tamancares, contrato assinado. 6 novos caminhões Tatra 8×8 , com equipamento completo / Portada 90 caminhões UNIMOG 5000,  12 Viatura Blindada Leve JLTV  3 Helicóptero H135… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Bueno
Henrique
Henrique
Reply to  sub urbano
6 meses atrás

A maioria do que foi citado já estava encomendado a muito tempo atrás e mesmo essas entregas são limitadas, a maior parte do arsenal continua defasado ou em falta.

João Adaime
João Adaime
6 meses atrás

Eu defendo o uso do Cascavel em apoio aos paraquedistas, lançado junto com as tropas. Seria um reforço e tanto para os infantes.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

será que ele é homologado para isto? acho que não lança em altitude não…so desembarca no chão….boa pergunta…quem sabe?

João Adaime
João Adaime
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Prezado Carvalho2008
Com certeza não foi pensado pra isso, porém pode ser adaptado.
Paraquedistas com o apoio de algumas unidades de Cascavel e Marruá aumentam em muito a capacidade de combate da tropa.
Mas antes é preciso convencer os generais.
Abraço

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

comment image

Por incrivel que pareça….duas fotos reais….

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

comment image?itok=_jh6Ik1B

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

comment image?resize=1200%2C800&ssl=1

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

comment image?itok=UU-a8CeJ

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

comment image

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

comment image

João Adaime
João Adaime
Reply to  carvalho2008
6 meses atrás

Prezado Carvalho2008
Se eu tivesse uma agência de publicidade você chefiaria o departamento de criação.
É só alguém vir com a problemática que você já vem com a solucionática.
Infelizmente à humanidade falta criatividade e coragem de inovar. Quem faz isto se destaca e assume a liderança.
Abraço

girocoptero.jpg
carvalho2008
carvalho2008
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

A criatividade não é minha…tudo o que posto nada mais é do que o compendiode centenas de especialista profissionais da industria de defesa. O amigo ai mesmo postou o Girocoptero chines….um autentico “drone tripulado”..rzrzrz…. minha especialização de bibliotecas é relacionada a projetos alternativos militares. O maior erro de um entusiasta ou militar ortodoxo, é imaginar que somente o que está no catalogo de inventario dos USA funciona….absolutamente não é…. É obrigatorio entender como um produto militar chega ao mercado, seus requisitos, forças comerciais, lobbys, inercia industrial de projeto, etc… e por ultimo claro, o submundo absurdo e enorme do mercado… Read more »

RDX
RDX
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

O blindado da cavalaria pqdt é o Guarani…mas obviamente ele não é lançado por paraquedas.

João Adaime
João Adaime
Reply to  RDX
6 meses atrás

Caro RDX
Por isso defendo um meio que possa acompanhar a velocidade das tropas aero-lançadas. Uma vez estabelecido um perímetro de segurança, se for possível, chegam os meios aero-transportados.
Abraço

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  João Adaime
6 meses atrás

João Adaime, entendi sua colocação vc daria uma sobrevida aos cascáveis aos moldes do que os russos fazem com o BMD-4
Teoricamente daria para transportar 2x Cascáveis (12t x 6,3m) em um C-390 Millenium, só que essa aeronave estaria no máximo de sua capacidade (26t), talvez um pesadelo para o loadmaster balancear a carga na aeronave e também para o piloto…mas acho que decola sim…rs

KC-390.png
João Adaime
João Adaime
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
6 meses atrás

Caro Rafael
Nem seria sobrevida. Mas é o que temos. Não precisa nem modernizar. Quando muito portar uns lançadores de mísseis.
Quanto à aeronave, para não sobrecarregá-la, leva um blindado apenas e completa com paraquedistas.
O importante é não deixar os soldados apenas com suas armas portáteis e contando com a proteção dos capacetes e coletes balísticos. Fora que a exploração do terreno seria feita com mais velocidade.
Abraço

ROBERTO SANTOS
ROBERTO SANTOS
6 meses atrás

Francamente têm horas que me envergonha ser brasileiro, tanto dinheiro do contribuinte jogado fora, na lata do lixo. Um veículo sobre rodas de reconhecimento 1974, ultrapassado, sem utilidade no combate moderno. Essa reforma é como pegar um Chevette 1974 colocar ar condicionado, vidro elétrico, banco recaro, central multimídia e colocar na traseira,
” Chevette 2022 ” Vc pode até tentar enganar, mas sempre será um Chevette.
Pode correr atrás que têm algo de podre no ar……

Antunes 1980
Antunes 1980
6 meses atrás

Será que a blindagem deste “ moderno blindado” resiste a projéteis 9mm ?

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

de pistola sim…e de fuzil até o poderoso 7,62 mm…Lembre que o padrão internacional reduzil para o raquitico 5,56mm….então contra infantaria, dá e sobra….o Guarani é o memo, mas a diferença é que o Guarani pode receber placas para aguentar 12 mm (.50)….mas tem de receber as placas….

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
6 meses atrás

Mas é muita barbeiragem com o dinheiro dos outros mesmo. Com esta grana toda dava para equipar vários Guaranis com canhões de 30 mm e mísseis AT.

Depois as FAs são taxadas de reduto da competência administrativa. Só num paiseco falido igual o Brasil.

Bardini
Bardini
6 meses atrás

Chutando baixo… . Cascavel Reconstruído: média de R$ 7,0 milhões por unidade. Será mais! 98 unidades = R$ 686,0 milhões 201 unidades = R$ 1.407,0 milhões . Centauro II: R$ 38,0 milhões por unidade 98 unidades = R$ 3.724,0 milhões 201 unidades = R$ 7.638,0 milhões . Outros chutes: . LMV: R$ 1,7 milhões por unidade. . VBTP Guarani 6×6: R$ 6,0 milhões por unidade. . REMAX: R$ 1,3 milhões por unidade. . Observações importantes: Com o valor de um único Centauto II, poderíamos estudar uma modernização de todo o material do Pel Cav Mec, revisando e reestruturando sua doutrina… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Bardini
India-Mike
India-Mike
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Não se preocupa não, isso vai ficar só nas 9 viaturas iniciais…

Oráculo
Oráculo
Reply to  Bardini
6 meses atrás

Bardini

Continuo achando que a IVECO vai lançar uma versão “Centauro BR”, montado aqui e menos sofisticado que o seu irmão italiano.

E com o euro a 6×1 vão tentar nacionalizar tudo o que for possível nele.

Consequentemente vai acabar ficando mais barato que sua versão europeia.

naval762
naval762
6 meses atrás

Eu vou pra reserva e esse bicho velho ainda vai estar rodando, quem sabe meus netos ainda combatam num desses daqui a uns 50 anos.

Andrea
Andrea
6 meses atrás

Vai manter a velha suspensão Boomerang?

Fábio
Fábio
6 meses atrás

De 98 a 201 vai virar 49 a 100 até reduzir a números mínimos

Foxtrot
Foxtrot
6 meses atrás

Para mim não faz sentido algum esse programa do EB, já que o mesmo em breve anunciará o “Guaraní 8×8” ( leia-se Centauro tropicalizado).
Se ao menos o EB fizesse essa modernização em umas 6 unidades para desenvolvimento de tecnologias e conceitos para serem aplicados no Guarani 8×8 ou incentivar o desenvolvimento da Equitron tudo bem.
Mas modernizar o Cascavel pela Akaer é besteira.
Deveriam reverter as verbas para o Guaraní 8×8.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Foxtrot
6 meses atrás

O desenvolvimento de tecnologias pode ser feito no Guarani 6×6 e inclusive ser adotado pelo EB, já que o Centauro II é muito mais caro. E ainda resulta num produto para exportação.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Rafael Oliveira
6 meses atrás

Pode sim caro Rafael.
Porém se usarmos uma plataforma ultrapassada sai mais barato.
Israel faz isso há anos.
Utiliza plataformas antigas para desenvolver e testar sistemas, após validados em testes, são migrados para as modernas.

Jeferson
Jeferson
6 meses atrás

Estão apenas tunando um chevette.

Carlos Pietro
Carlos Pietro
6 meses atrás

Boa noite, dinheiro e tempo jogados fora.

Felipe Maia
Felipe Maia
6 meses atrás

Acredito que o futuro dos combates urbanos sejam viaturas menores, mais leves, e com canhão rápido de 30/40mm. Na Ucrânia se mostraram imensamente úteis. Enquanto os antiquados T72 disparavam seu canhões poucas vezes por minuto, já tinham levado uma saraivada dos blindados de 30mm da Ucrânia o suficiente pra ficar fora de operação. O Cascavel tem seus méritos. Motor e câmbio de Mercedes 1113 (kkkkk), baixo custo de operação e manutenção. Canhão de 90mm. Pra fazer volume, faz sentido. Efetividade no teatro atual, questionável. Se a ideia for manter o MÍNIMO de capacidade para equipar algumas unidades, é aceitável, desde… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Felipe Maia
6 meses atrás

Mestre Felipe,

Esqueceu que na conta toda, estão inclusive os misseis anti carro….e havendo missil anti carro….não há mérito de quem atira primeiro comparando o 90 mm…pois por obvio, será o missil anti carro….é uma combinação barata entre 90 mm para oportunidades e missil anti carro para choques rapidos ….versus um 30 mm ou 120 mm….

Um torreta 30 mm seria melhor….mas tem de comprar…..então, usar a combinação 90 mm + missil anti carro é razoavel na velocidade, no emprego e no custo….

Gilson
Gilson
6 meses atrás

Em um possível conflito na Amazônia: quem sairia melhor em manobras evassivas, após um ataque em terreno de mata semi-aberta ou Serrado, cascavel modernizado e Guaraní ou leopardo 1A5BR ou M60?

tsung
tsung
Reply to  Gilson
6 meses atrás

este dois ultimos ai , nao tem sentido

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  tsung
6 meses atrás

2º ESQUADRÃO DE CAVALARIA MECANIZADO REALIZA O TIRO DAS ARMAS COLETIVAS EM BOA VISTA, RORAIMA
http://www.eb.mil.br/web/noticias/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/znUQcGfQ6N3x/content/id/10657044

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Gilson
6 meses atrás

Só tem campo em Roraima…..e poucos…na Amazonia não….na Amazonia em si não se usa…

Lembre…mesmo que houvesse chao seco….a vegetação não deixa…..e mais do que quebrar a vegetação com o proprio peso, é um problema de visada….distancia de engajamento….distancia do alvo….vegetação alta significa 15 a 30 metros de visão….seria como colocar um mastodonte num charco de pixe ate o joelho….

esquece….

Pinda Iba
Pinda Iba
Reply to  Gilson
6 meses atrás

Ele passa trincheira? Se for no final do verao e ir um cabo colocando fogo na mata a frente dois dias antes talvez passe gostei foi da pintura do carro na cor da marinha no ferro velho, evoluímos.

Last edited 6 meses atrás by Pinda Iba
Pinda Iba
Pinda Iba
6 meses atrás

Na fronteira você chega e bota fogo. Lembro de umas fotos do Rondon caçando jabuti acima do Oiapoque, isqueiro e jantar garantido. Viva a savana da fronteira

Neural
Neural
Reply to  Pinda Iba
6 meses atrás

Cascavel é um ótimo blindado. blindagem dele aguenta 7.62 mm igual Guarani, e tem silhueta muito mais baixa.

Função dele é apoio de fogo e reconhecimento. Não é veículo de frente.

Só acho que a melhor opção para ele é a substituição do 90mm, impreciso, e que já ouvi de oficial do EB que é difícil acertar um ônibus além dos 500m, por uma torre de calibre 30mm, como a torc-30.

Last edited 6 meses atrás by Neural
Leo Rezende
Leo Rezende
Reply to  Neural
6 meses atrás

Tem materia sobre isso na web,inclusive com filminho de animação,mostram o cockerill sendo substituido por um 30 mm.

pablo
pablo
6 meses atrás

acho estranho tanto veiculo de transporte sem armamento nenhum um desperdicio de recursos poderiam colocar torres de tiro em todos eles, da forma como é srve apenas de alvo para artilharia inimiga.

Canarinho
Canarinho
6 meses atrás

OFF TOPIC – A Tupi, empresa genuinamente nacional, de capital Brasileiro, recentemente adquiriu a totalidade do controle da MWM, fabricante de motores Diesel inclusive para aplicação veicular, de medio e grande porte. Finalmente teremos uma fabricante de fato nacional , brasileira, de motores Diesel de grande porte (item estrategico na cadeia de produção de itens militares motorizados). Antes já tínhamos empresas como a Agrale, que faz motores Diesel, mas a maioria de pequeno porte e aplicação estacionaria. Vale lembrar que a Tupi, ja atua no mercado de fundição e usinagem de varias partes de motores de combustão interna como blocos,… Read more »

Ton
Ton
4 meses atrás

Brasil e suas sucatas

Últimas Notícias

Perdido em mentiras: acompanhando as reivindicações da propaganda russa

Por Stijn Mitzer e Joost Oliemans (*) Poucos países usaram a desinformação como arma na medida em que a Rússia...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -