sexta-feira, agosto 19, 2022

Saab RBS 70NG

A guerra na Ucrânia detonou a ordem nuclear global?

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

A agitação nuclear russa que acompanhou a invasão da Ucrânia representa um nível de risco nuclear sem precedentes desde o fim da Guerra Fria. É de se perguntar como a política nuclear global se adaptará a essas circunstâncias em mudança. A guerra Rússia-Ucrânia em curso apresenta grandes desafios para várias instituições e questões internacionais centrais, desde a próxima conferência de revisão do Tratado de Não Proliferação até os esforços de controle de armas propostos pelo presidente Biden com a Rússia e a China.

Talvez a questão de segurança nuclear mais urgente da guerra seja se a Rússia usará armas nucleares na Ucrânia. O presidente russo Vladimir Putin e vários porta-vozes do Kremlin fizeram repetidamente declarações ameaçando o uso de armas nucleares e definindo condições para seu uso que poderiam permitir que os militares russos atacassem as forças ucranianas com armas nucleares. De fato, a Rússia usou no contexto da invasão a mesma linguagem que pode ser encontrada em sua doutrina nuclear. A doutrina nuclear russa reserva-se especificamente o direito de usar armas nucleares em resposta a quaisquer “ameaças existenciais”, incluindo quaisquer ameaças não nucleares que atendam a um nebuloso limiar ‘existencial’.

Infelizmente, a desinformação russa em torno dos esforços ucranianos inexistentes para desenvolver armas de destruição em massa, a tradição intelectual russa que pensa na Ucrânia como território russo legítimo e o estilo de liderança personalista de Putin significam que esse critério pode ser facilmente atendido. Em um workshop recente realizado pelo Centro de Segurança e Cooperação Internacional da Universidade de Stanford e pelo Instituto de Segurança Global, o ex-embaixador dos EUA na Ucrânia Steve Pifer explicou: “A preocupação que tenho é que, se a Rússia está perdendo esta guerra… , mas talvez seja existencial para Putin, e é aí que começo a me preocupar com o uso de armas nucleares.” Que Putin esteja disposto a usar armas nucleares para preservar seu próprio poder é uma possibilidade angustiante – que sua posição como líder autocrático pode permitir. Se Putin for a favor do uso nuclear, é improvável que ele sofra uma reação de dentro de seu governo ou do público russo em geral. Dissuadir e dissuadir o uso nuclear russo, então, deve permanecer um objetivo político essencial para os Estados Unidos e seus aliados da OTAN.

Enquanto alguns argumentam que qualquer uso nuclear da Rússia provavelmente se limitaria a uma única demonstração – como um teste de alta altitude, que teria a intenção de não causar baixas diretas – outros previram formas mais terríveis de possível uso nuclear russo. Por exemplo, Siegfried Hecker, ex-diretor do Laboratório Nacional de Los Alamos, diz que “se Putin vai usar uma arma nuclear, ele vai usar. Ele não vai fazer uma demonstração.” Afinal, a Rússia tem pouca necessidade de demonstrar suas capacidades nucleares; a extensão de seus recursos é bem conhecida. Uma demonstração nuclear pode até ser contraproducente, mostrando que a Rússia não está disposta a usar armas nucleares taticamente e, assim, minar a dissuasão nuclear.

Essas dinâmicas complexas sugerem que, se Putin sentir a necessidade de usar armas nucleares para compensar as perdas militares (ou simplesmente para permanecer no poder), a Rússia poderia usar armas nucleares no campo de batalha. E podemos já estar nos aproximando dessa possibilidade. A ex-vice-secretária-geral da OTAN e ex-subsecretária de Estado dos EUA para controle de armas e segurança internacional Rose Gottemoeller coloca as chances de uso nuclear russo em “ mais de um por cento ”. Afinal, a Rússia já sofreu perdas significativas, incluindo – pelas estimativas ucranianas – até 30.000 mortes, a ascensão da Finlândia e da Suécia às fileiras da OTAN, bem como danos e destruição de milhares de peças de seu equipamento militar pesado, incluindo o naufrágio de Moskva, a nau capitânia da premiada frota russa do Mar Negro.

Philip Taubman, ex-chefe da sucursal de Moscou do The New York Times , me diz: “Acho impossível exagerar o desempenho patético dos militares russos durante o estágio inicial de sua invasão na Ucrânia. Combine isso com a retórica americana sobre degradar as forças armadas [russas] até o ponto em que elas não possam mais representar uma ameaça, e você está inevitavelmente empurrando o Kremlin para armas nucleares. Esse é o perigo singular desta guerra, mais do que tudo.” Mesmo um ataque nuclear limitado em uma base militar isolada ou em uma área remota causaria danos ambientais irreparáveis ​​e de longo prazo, quebraria as expectativas em torno da imunidade civil e o não uso de armas nucleares na guerra, e até mesmo sairia do controle.

Felizmente, existem alguns passos que os Estados Unidos podem tomar para reduzir a possibilidade de uso nuclear russo. Os Estados Unidos podem trabalhar para deixar claro aos líderes russos que haveria uma grande resposta global se a Rússia usasse armas nucleares. Envolver os parceiros da Rússia – incluindo China, Índia e estados em todo o Sul Global – para reafirmar a ameaça de consequências políticas e econômicas de qualquer uso nuclear seria essencial. Os Estados Unidos também podem continuar a reiterar suas garantias de segurança a seus aliados para fortalecer a dissuasão estendida. “A melhor maneira de prevenir [o uso nuclear russo é] pensar em como impedir que uma crise como essa aconteça novamente”, dizScott Sagan, professor da Universidade de Stanford. “Todas as opções agora são muito arriscadas e muito assustadoras. Deveríamos estar dizendo em particular aos russos que o uso de armas nucleares contra uma cidade é um crime de guerra, e temos um histórico de rastrear criminosos de guerra”.

Infelizmente, mesmo que Putin se abstenha de usar armas nucleares na Ucrânia, o curso da guerra já contribuiu para erodir o tabu nuclear, ou a tradição do não uso de armas nucleares. As ameaças nucleares da Rússia e seus ataques a instalações nucleares , incluindo a zona de exclusão de Chernobyl e a usina nuclear de Zaporizhzhia, representam grandes desvios das normas que guiaram conflitos anteriores. A reconstrução dessas normas será um desafio global crítico no futuro.

Os ataques russos a usinas nucleares também podem complicar o futuro da segurança energética. Os estados europeus enfrentam agora um dilema importante. Para reduzir a dependência do petróleo e do gás russos, eles podem precisar revitalizar seus programas domésticos de energia, incluindo energia nuclear e energias renováveis. Mas as transições energéticas podem levar décadas. Ao mesmo tempo, a Rússia há muito desempenha um papel central na construção global de usinas nucleares, exportando tecnologia nuclear e combustível nuclear, bem como a gestão de resíduos nucleares. O desenvolvimento global contínuo da energia nuclear será extremamente difícil de fazer independentemente da Rússia. Além disso, as ações russas enfatizaram um dos muitos riscos possíveis de operar usinas nucleares. Ao atacar usinas nucleares e até mesmo forçar os operadores a trabalharem em turnos de vários dias sob a mira de armas, a Rússia não apenas violou uma norma crítica contra o combate em ou perto de instalações nucleares, mas também enfatizou a vulnerabilidade dessas instalações a terroristas, mercenários e militares estrangeiros. Gottemoeller até compara as ações da Rússia contra as instalações nucleares ucranianas ao “ terrorismo nuclear ”.

A guerra em curso na Ucrânia também provavelmente moldará o desenvolvimento da estratégia militar na Europa, inclusive por meio do processo de tomada de decisão em torno do novo Conceito Estratégico da OTAN. A doutrina atual da OTAN foi projetada com foco no desenvolvimento de novos objetivos e áreas de cooperação para seus membros em tempos de paz. Mas as condições de guerra de hoje exigirão um design estratégico diferente para o novo Conceito. Um esforço reagrupado para neutralizar a agressão russa e um foco renovado na dissuasão nuclear provavelmente estarão em discussão na cúpula de Madri, a ser realizada de 28 a 30 de junho de 2022, onde os membros da OTAN escreverão e adotarão o novo conceito. Na cúpula, os Estados da OTAN serão desafiados a elaborar uma estratégia que destaque ao mesmo tempo a importância de dissuadir a agressão nuclear russa e, ao mesmo tempo, promova normas e políticas de contenção nuclear, inclusive por meio de controle de armas e esforços de desarmamento.

Enquanto a guerra destaca a necessidade premente de acordos de controle de armas expandidos com a Rússia, retornando ao acordo feita pelos presidentes Biden e Putin para conduzir diálogos de estabilidade estratégica será extremamente difícil. As condições para o controle produtivo de armas com a Rússia podem ser restauradas? Pifer me diz que é pessimista. “Há duas coisas que teriam que mudar”, diz ele. “Putin tem que sair [do cargo] e tem que haver mudanças políticas reais por seu sucessor para demonstrar que a Rússia está mudando de rumo.” No entanto, continuar a pressionar por limites para ogivas nucleares não estratégicas e projetar maneiras de integrar os aliados europeus nos processos de monitoramento e verificação para futuros esforços de controle de armas será fundamental, mesmo que haja uma batalha difícil pela frente. Os Estados Unidos também podem continuar trabalhando em esforços de desarmamento e não proliferação em outras partes do mundo, inclusive por meio de diálogos de controle de armas com a China.

Por mais importante que seja, o controle internacional de armas e os esforços de não proliferação serão mais difíceis após a invasão russa da Ucrânia. Hecker explica que Putin “explodiu a ordem nuclear global… A ordem global nos permitiu ter os benefícios superando os riscos da energia nuclear. E vejo essa ordem sendo destruída pelo que Putin fez na Ucrânia, em todas as suas facetas – da dissuasão nuclear à não proliferação, à prevenção do terrorismo nuclear e o futuro da energia nuclear.” Essas consequências, sem dúvida, se estenderão à conferência de revisão do Tratado de Não-Proliferação, que começa em 1º de agosto de 2022, já que a ameaça nuclear da Rússia exacerbou as demandas por dissuasão estendida reforçada e moldou crescente interesse na proliferação nuclear entre a OTAN e outros aliados dos EUA. Gerenciar as pressões duplas da necessidade de uma dissuasão nuclear mais forte, juntamente com as condenações do fracasso dos Estados Unidos e de outras potências nucleares em progredir em direção ao desarmamento, forçará as autoridades americanas a andar na corda bamba durante a conferência de revisão.

A guerra Rússia-Ucrânia terá consequências terríveis para o futuro da ordem nuclear. A guerra não apenas levantou o espectro de um possível uso nuclear, mas também gerou normas em torno do uso de armas nucleares e da proteção de instalações nucleares durante a guerra. A agressão nuclear russa dizimou as chances de cooperação contínua no controle de armas, produção de energia nuclear e esforços de não proliferação. Mas se os Estados Unidos devem trabalhar em direção ao objetivo desafiador, mas muito importante, da estabilidade estratégica global, não podem fazê-lo sozinhos. A cooperação entre os Estados Unidos e a Rússia tem sido uma pedra angular da ordem nuclear global. Restaurar e reforçar essa ordem exigirá encontrar maneiras de trazer a Rússia mais uma vez à mesa de negociações.

FONTE: Bulletin of the Atomic Scientists

- Advertisement -

75 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

75 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Albuquerque
Albuquerque
1 mês atrás

A ameaça nuclear russa foi mais no sentido dos americanos não se asanharem por lá.
É um assunto que será resolvido por russos e ucranianos.
Mais por russos que ucranianos, decerto.

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Albuquerque
1 mês atrás

Lembrando que os EUA foram o único país a utilizar armas nucleares em um conflito armado até hoje.

horatio nelson zhirinovsky
horatio nelson zhirinovsky
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

e sobre civis(mulheres,crianças e idosos)

Maromba
Maromba
Reply to  horatio nelson zhirinovsky
1 mês atrás

Malditos!

E72F90EF-B144-4B27-A771-2A54474E2430.jpeg
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  horatio nelson zhirinovsky
1 mês atrás

Pois é , nesses horas some os patriotas de Washington ..

Rogério
Rogério
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

se doendo pelos japoneses? Foi uma trajedia lastimavel mas hoje eles estão fechadissimos com os EUA. A trajedia de hoje é na Ucrania e a Russia é a culpada, não estou vendo a sua empatia.

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Por essa lógica então é só a rússia soltar umas bombas atômicas na ucrania e daqui alguns anos ela estará fechadíssima com a russia…

Augusto
Augusto
Reply to  Rogério
1 mês atrás

Se você estivesse lá no dia do bombardeio, ou que tivesse algum filho seu lá, duvido que você não se doeria também.

Rogério
Rogério
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Com certeza. Mas o Slow comemora a morte de milhares de ucranianos que são vitimas de uma invasão covarde pelo russos, apenas pq ele acha que isso fere os EUA, mas se doe pelos japoneses que foram uns covardes que massacraram coreanos, chineses e barbarizaram todo sudeste asiatico.

Questão de coerencia, ele adoraria ver a China bombardeando Taiwan e Japão.

Aladaf
Aladaf
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

Sim. Eh curiosa a critica. Os Japoneses sao aliados dos Americanos. Jah os Ucranianos estao assando jovens Russos dentro de tanques. Enquanto isso vai acabando o dinheiro de Putin. Nao demora muito agora. Vai gritar: “Acabou o dinheiro!”

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

E nessas horas é que me pergunto como milhares de pessoas nesse mundo ainda continuam a rosnar para os inimigos dos EUA sem sequer aproveitar as migalhas que caem da mesa deles… É ridículo!

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Quem atacou primeiro ? EUA ou Japão ? Quem provocou a fúria Anglo Saxônica que sofra o peso do machado de Wotan .

CLAUDIO REIS
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Quem atacou Peal Habor ? fez miséria na China/ Coréia ? o estrago de uma invasão por terra no Japão seria muito pior que o uso das bombas nucleares … mas agora o invasor é a Russia e é justamente ela que está ameaçando o mundo com o uso de bombas …. só absurdos ….

CLAUDIO REIS
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

concordo com vc !

Gerson Farias
Gerson Farias
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Teoria do serviçal dos EUA. Os EUA cometeram um crime de guerra atacando duas vezes uma nação não nuclear com bombas atômicas.
O resto é mais comentário perverso dos faxineiros da OTAN que outra coisa.
E mais, os EUA começaram atacando o Japão, pois foram fornecendo armas a China e embargando o petróleo ao Japão.
O sistema de ensino no Brasil tem que mudar. Gente muito serviçal.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Gerson Farias
1 mês atrás

Teu cu …a OTAN existe para combater um inimigo comum que seria o Kremlin …ou você acha que Polônia , Lituânia,Finlândia , e Ucrânia etc querem viver sob o principado de Moskovia com teu baixinho como “macho alfa”…ahahaha vai sonhando símio .

Aladaf
Aladaf
Reply to  Gerson Farias
1 mês atrás

Nacao nao-nuclear? Nao havia esse conceito em 1945. A arma era uma novidade. Os EUA estavam em guerra e usaram uma arma que havia. So depois dos efeitos eh que se construiu a ideia de jamais usar de novo.

Last edited 1 mês atrás by Aladaf
Alexandre
Alexandre
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

O Ocidente avançou até o limite de onde poderia avançar. A situação chegou a um ponto sem retorno. A Rússia optou de forma definitiva pela ruptura. O Ocidente sempre usou a guerra para alcançar seus objetivos, se recusou a negociar diplomaticamente, ao contrario, estimulou , incentivou o tempo todo uma intransigência ucraniana e a posição de força como unica solução. A esperança é que o Ocidente se una na busca pela solução diplomática e não para guerra.

Augusto
Augusto
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Então isso e justificativa para incinerar mulheres e crianças inocentes que não soltaram nenhuma bomba em Pearl Habor?

Realista
Realista
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Seu comentário é a prova de que aqui não estão nem ai com a verdade deram deslike por qual motivo ? é mentira

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Realista
1 mês atrás

Óbvio né mané ,,só você que não acordou ainda …por enquanto né .a hora que começar chover mísseis ” tomarorok “na sua cabeça você irá entender …rsrsrs ss

Aladaf
Aladaf
Reply to  Alan Santos
1 mês atrás

Os Russos acham que vao explodir uma bomba nuclear e que nao havera reacao do Ocidente. Havera sim. A Russia deixara de existir. Simples assim.

Yuribfr
Yuribfr
1 mês atrás

Só um país até hoje utilizou armas nucleares contra civis. E isso é importante ser lembrado.

Mambas
Mambas
Reply to  Yuribfr
1 mês atrás

Mas isso não justifica a retórica dos líderes russo em recorrer às armas nucleares. Aliás, está mais do que claro que o objectivo de tal retórica belicista é intimidar o mundo com armas nucleares para continuar com o seu ímpeto imperialista sem interferências.

Gerson Farias
Gerson Farias
Reply to  Mambas
1 mês atrás

Vai confiando no bom senso do abuelito Biden. Depois não se queixa.
Os últimos génios estão no Afeganistão, sendo enterrados vivos pelos talibans.

Yuribfr
Yuribfr
Reply to  Mambas
1 mês atrás

Qual potência militar não é imperialista ?

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

E o Brasil, como um tolo, escolheu abrir māo do poder nuclear. Acreditem, isso terá o seu preço.

Last edited 1 mês atrás by Allan Lemos
Gugs
Gugs
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Armas nucleares pra que? Os coquetéis dos oficias continuam regados. Caiu uma bomba aqui e eles marcam um coquetel pra assinar a rendição.

Zezão
Zezão
1 mês atrás

Blá-blá-blá… Todos esses especialistas omitem o fato de que se a Ucrânia não tivesse devolvido suas armas nucleares à Rússia, mas desenvolvido para que pudesse ser usado como meio de dissuasão, provavelmente Putin não teria tido coragem de invadir o país. É verdade, a invasão da Ucrânia de fato detonou a ordem nuclear global atual, no entanto, no sentido de que, se um determinado país não é capaz de possuir um exército poderoso e não tem um aliado que garanta a sua defesa, a melhor maneira de garantir a PAZ é possuir armas nucleares próprias. A verdade é essa, doa… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Ucrânia nem era dona das armas… nem tinha ucranianos no controle deles pra inicio de conversa. é ser bem inocente em achar que a Rússia la de 1992 iria deixar a Ucrânia desenvolver um programa atômico… ja foi um milagre ela ter reconhecido a unidade território deles. . . e mais inocência ainda acha que o Brasil teria capacidade de manter um programa nuclear armas… se nem o programa do submarino que da pra fazer politicagem barata falando que vc vai legar energia limpa para interior do país o caras lá não dão a mínima fazem imagina arma nuclear. .… Read more »

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

“ só pense no inferno que vai ser explica pro sujeito que já paga imposto f*dio cheio de inflação que ele vai ter que queima bilhões de dólares para fazer uma bomba “

Imagina explicar pro povo que mesmo com inflação recorde ,
preços um absurdo o seu país ainda sim gasta bilhões bancando uma guerra na Ucrânia ?

“ e mais inocência ainda acha que o Brasil teria capacidade de manter um programa nuclear armas “

Se até Coreia do Norte tem vc acha que o Brasil não teria ? Pelo amor…

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

“Imagina explicar pro povo que mesmo com inflação recorde ,
preços um absurdo o seu país ainda sim gasta bilhões bancando uma guerra na Ucrânia ?”
.
pois é ne… se o Russo questiona isso cara some por 15 anos. e esse é o governo uns idolatra ai amam ai… e nem percebe que ta cavando a própria cova e sendo hipócrita

—-
“Se até Coreia do Norte tem vc acha que o Brasil não teria ? Pelo amor…”

Que bom vamo ser igual a KN… e nível de comparação frarinhaçu aqui

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

“ Que bom vamo ser igual a KN “

não é vamos ser igual e sim uma coisa óbvia de que se eles conseguem manter nós também conseguimos ..

“ se o Russo questiona isso cara some por 15 anos “

E oque isso tem a ver com oque eu falei ?

“ comparação frarinhaçu aqui “

Virou fã ? Não tira nome dele da boca..

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

“não é vamos ser igual e sim uma coisa óbvia de que se eles conseguem manter nós também conseguimos ..”

aham… confia kkkk se ninguém se importar em passar fome então blz. E não venha com: “Brasil é potencia na agricultura”…

potencia que teve que importa feijão/arroz esse dias…

“ahh mais o Estado pode intervir e mandar produzir comida aqui”
hummmmm cheiro de Coreia do Norte vindo ai

“E oque isso tem a ver com oque eu falei ?”\

o texto que vc escreveu não se aplica na Rússia na integra… só é valido pra país otan…. CONFIA

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

“ kkkk se ninguém se importar em passar fome então blz “

Olha aonde tava o assunto pq vc está falando isso ? Meu deus ..

“ potencia que teve que importa feijão/arroz esse dias… “

Eu não sou Pr3s1dente não ..

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

“Eu não sou Pr3s1dente não ..”

Graças a Deus

LUIZ
LUIZ
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Faz todo sentido esse comentário!!

Henrique
Henrique
Reply to  LUIZ
1 mês atrás

Só não faz sentido se o sujeito quer que o Brasil vire uma Coreia do Norte (melhor exemplo que os atomiquinho podem pegar)

Zezão
Zezão
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Prezado, se a Ucrânia não fosse dona das armas nucleares que estavam em seu território, os russos não precisariam ter negociado a devolução dessas armas e nem os EUA precisariam ter convencido os ucranianos a concordarem com os russos. Portanto, a realidade dos fatos desmente o que você diz. Quanto a capacidade financeira do Brasil possuir e manter armas nucleares, lamento informá-lo, o país é capaz sim. Obviamente, isso depende da vontade da maioria da sociedade brasileira, essa possibilidade só se tornará realidade quando a maioria da população agir fortemente contra a corrupção e a incompetência da administração pública no… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Zezão
1 mês atrás

“Prezado, se a Ucrânia não fosse dona das armas nucleares que estavam em seu território, os russos não precisariam ter negociado a devolução dessas armas” . prezado se a Ucrânia fosse dona ela teria expolido Moscou ainda quando era parte da URSS… acho que quando te genocidam pela fome vc fica meio magoado . . “Quanto a capacidade financeira do Brasil possuir e manter armas nucleares, lamento informá-lo, o país é capaz sim.” . é mesmo é kkkkkkkkkk estranho que qualquer debate sobre LDO/LOA no Congresso te refuta kkk o déficit de R$ 49,6 bi também te refuta. Corta Estado pra… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Zezão
1 mês atrás

É isso aí … mas o chapéu de alumínio não consegue aceitar

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

>defender bomba atômica
>chamar os outros de chapéu de alumínio 

para de ser hipócrita e escolhe, os dois junto não dá

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Você é contra bomba atômica e é um chapéu de alumínio que vive na bolha .. achando que os EUA e Bonzinhos e que os comunist4 vão dominar o mundo .

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKK
maluco tenho certeza que os EUA é tão FDP quanto a Rússia que ta la fdpando a vida dos ucranianos…
.

.
para de ser hipócrita… você sabe que esse negocio de bomba não vai acontecer. É delírio puro..

Teropode
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Perfeito , estes entendidos tiram conclusões do cotovelo e vem postar um monte de imbecilidades , isso cansa !!!!

Gerson Farias
Gerson Farias
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Dona coisa nenhuma, ohhh professor Praxedes.
A dona das armas da URSS era a Rússia que foi enganada quando resolveu se desintegrar pelo “bebe todas” do Ieltsin.
Quando o cara despertou, ficou louco e só chupava vodka com pirulito.

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
1 mês atrás

== dizScott Sagan, professor da Universidade de Stanford. “Todas as opções agora são muito arriscadas e muito assustadoras. Deveríamos estar dizendo em particular aos russos que o uso de armas nucleares contra uma cidade é um crime de guerra, e temos um histórico de rastrear criminosos de guerra”. == É para rir ou chorar??? Ô Scott Sagan, vcs têm exatamente esse histórico: de usar armas nucleares em civis e ter muitos e muitos criminosos de guerra que NUNCA foram julgados, seu ser desprezível. == “As condições para o controle produtivo de armas com a Rússia podem ser restauradas? Pifer me… Read more »

AMBAR
AMBAR
Reply to  Fabricio Lustosa
1 mês atrás

Tá na hora de americano sentir um pouco de medo. eles estão como os ratos da fábula, que queriam pendurar um sininho no pescoço do gato mas não achavam quem o fizesse. Putin é o gato malvado dos americanos. Vivo pra ver murchar a arrogância dos yankees. Vão pagar todas as presepadas que fizeram pelo mundo, além de experimentar a pobreza que deixaram aos outros.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  AMBAR
1 mês atrás

Americano com medo ? E com mais de 5 mil ogivas nucleares ?

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Tá na hora de alguém dar um chá de polônio pro Putin

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Ele também tem esse chá e inclusive é oque mais tem …

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

podia tomar então… facilitar a vida do planeta todo

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Maurício.
Maurício.
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Chá de polônio já está ficando fora de moda, o negócio agora é esquartejar e usar ácido, igual o que o príncipe saudita mandou fazer com o jornalista.

Henrique
Henrique
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

ta sabendo que aponta uma hipocrisia dos eua não limpa a barra da Rússia né?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Henrique
1 mês atrás

E tu tá sabendo que são iguais né? Aliás, são tão iguais que eu falei em Arábia Saudita e tu vem com EUA…

Henrique
Henrique
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

e quem vc acha que mantem o governo da Arábia Saudita? Alá? 
.
de novo… não adiantar vir com erros dos eua pq isso não limpa a Rússia

Maurício.
Maurício.
Reply to  Henrique
1 mês atrás

“e quem vc acha que mantem o governo da Arábia Saudita? Alá?”

Aquí eu concordo com você, estou esperando os EUA irem levar a “liberdade” e a “democracia” para os sauditas assim como eles levaram (ou tentaram) levar para a Síria, Líbia e Iraque…

Henrique
Henrique
Reply to  Maurício.
1 mês atrás

e o cara insiste em vir com “mais e o pate” versão país pra tentar limpar a barra da Rússia kkkk

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Ué , e a democracia não vão levar lá ? Eles apoia um ditador que pica jornalista ? Hmmmm pq será né ..

Henrique
Henrique
Reply to  Slow 🇧🇷
1 mês atrás

imagina ser mamador de russo e vir cobrar democracia dos outros……

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Paulo Brics
1 mês atrás

Comprometido com a verdade, doa a quem doer:

https://kwai-video.com/p/xaCmtO-T

AMBAR
AMBAR
Reply to  Paulo Brics
1 mês atrás

Beleza!

horatio nelson zhirinovsky
horatio nelson zhirinovsky
1 mês atrás

foi um crime de lesa patria ter desativado os buracos de cachimbo,é provavel q ja tinhamos os artefatos para teste ja q os buracos ja estavam perfurados,pelo menos sabemos como fazer,só nos resta especular o tempo em q isso seria feito caso nosso pr decidisse dar o cavalo de pau na carroça br!

Oliveira
Oliveira
1 mês atrás

“Os Estados Unidos podem trabalhar para deixar claro aos líderes russos que haveria uma grande resposta global se a Rússia usasse armas nucleares.”

Um sujeito desse ou é pateta ou se faz.

Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
1 mês atrás

Vou resumir isso. Na alegação desse pateta ,só o ocidente pode usar armas nucleares contra civis.

Teropode
Reply to  Gabriel ferraz
1 mês atrás

E tem outros patetas que querem justificar o uso de armas nucleares contra civis apenas porque os EUA já usaram , ou seja : a imbecilidade chega ao nível máximo quando se usa um erro para justificar outro , que panacas !!!!

RPiletti
RPiletti
1 mês atrás

Usaram ou usariam?

Alan Santos
Alan Santos
1 mês atrás

Será que o putinho e seus aceclas tem interesse em ver seus filhos filhas e netos serem dilacerados com estilete milímetros por milímetros como bacon defumado e só eles tentarem a sorte …

Sergio Machado
Sergio Machado
1 mês atrás

Nixon estava decidido a usar armas nucleares no Vietnã. Foi dissuadido por Robert MacNamara. Por isso digo que a história é cíclica, só mudam os atores.

Gerson Farias
Gerson Farias
Reply to  Sergio Machado
1 mês atrás

Esse Nixon cometeu inúmeros crimes de guerra e após ter levado um banho tático na guerra de fricção contra o General Giap, entrou em desespero.
Os caras não entendem um ponto: grande parte da doutrina de defesa da NATO é Etnocêntrica, ou seja, acreditam que matam povos inferiores que merecem morrer e que os povos ao qual eles pertencem ou que visam defender, são superiores, têm direito a matar e não podem morrer ou ser mortos.

Last edited 1 mês atrás by Gerson Farias
Ted
Ted
Reply to  Sergio Machado
1 mês atrás

Os ingleses cogitaram usar contra a argentina, se a coisa ficase complicada. A coreia do norte a todo momento contra seul e tokio. Em algum momento da historia, vai ser usada novamente, impossivel nao ser usada. Esta no dna humano fazer merda, so dar uma olhada no passado da humanidade.

Ted
Ted
Reply to  Ted
1 mês atrás

Israel e africa do sul detonaram um artefato nuclear 1000 km ao sul da cidade do cabo no oceano, decada de 70. Franca na argelia, a nuvem radioativa chegou ate a costa da africa na nigeria.

Gerson Farias
Gerson Farias
1 mês atrás

OS novos génios resolveram deixar de ouvir Kissinger, agora tão aí.
Os EUA tão sendo humilhados. Só não vê quem não quer. E levaram o povo ucraniano ao genocídio.
Agora vieram aqui umas madres Teresas, falarem em moral, quando se sabe da canalhice do espaço OTAN na criação de conflitos e na ganância do imperialismo russo.

Rodrigo
Rodrigo
1 mês atrás

Uma pergunta bem basica os países da Otan foram obrigados a se juntar com OTAN ou foram por boa vontade? A Ucrânia quis se juntar pois foi obrigada?

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Olha, este é um aqueles artigos do Bulletin, instituição de resto séria e respeitável, que não levo muito a sério. Algumas vezes publicam conteúdos ideologicamente indigestos mas alinhados com o viés dos Atomic Scientists. Claro que o artigo não mente sobre nenhum fragmento fatual da composição e apenas publiciza opiniões especializadas, mas evidentemente inclina a uma conclusão. Ainda me pergunto quais os reais motivos dessa guerra cínica e mortífera – ambos os lados escondem algo enquanto empilham desinformação e mortos. Parece bobagem, mas a verdade liberta. Ela concederia ao público e aos povos princípios, meios e oportunidades adequadas pra exigir… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Alex Barreto Cypriano

Últimas Notícias

Brasil e Coreia do Sul fecham acordo para produção de semicondutores da Samsung no país

O Brasil e a Coreia do Sul estão fechando acordos para a construção de uma fábrica de chips semicondutores...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -