Breve análise do ataque de mísseis à base de Khmelnitsky e suas possíveis consequências para a ofensiva ucraniana

61

Por Rodolfo Queiroz Laterza [1]

Contexto do ataque

Em 12 de maio, presumivelmente, um armazém com foguetes e armas de artilharia foi destruído por um ataque de míssil de cruzeiro a oeste de Khmelnitsky (coordenadas: 49.4507214600518, 26.876449564982106), ocorrendo uma poderosa explosão sucessiva ao impacto do míssil.

Versões iniciais indicaram a destruição de estoques de munições de urânio empobrecido fornecidas pelo Reino Unido à Ucrânia, pois especialistas ucranianos chamaram a atenção para o fato de que o incêndio no local do ataque está sendo extinto remotamente por robôs e patrulhas de detecção dosimétricas de radiação trabalham na cidade, com moradores locais relatando que o depósito em Khmelnitsky estava cheio de projéteis de urânio empobrecido. De acordo com o recurso SaveEcoBot, desde sexta-feira, 12 de maio, um aumento acentuado no fundo radioativo de 80-100 nanosieverts para 140-160 nanosieverts foi registrado perto da cidade de Khmelnitsky.

Após a explosão, um aumento na radiação gama foi registrado na cidade. Dado que o urânio empobrecido emite uma dose relativamente pequena de radiação gama, o aumento da corrente indica a destruição de um grande estoque de munições. Lembrando que o urânio empobrecido é usado nos núcleos de projéteis perfurantes porque é uma substância refratária pesada que se torna líquido apenas quando atinge a armadura com a maior energia.

Além do ataque aos armazéns da empresa Kation, onde, aparentemente, estava armazenada a munição britânica importada com urânio empobrecido para uso nos tanques Challenger 2, de acordo com o Military Chronicle e outros canais militares, o impacto ocorreu sobre o 649º depósito de armas de mísseis e munições entre as aldeias de Gruzevitsa e Malashevtsi, perto da cidade de Khmelnitsky. Durante a detonação da munição, 20 hangares onde estavam armazenadas toneladas de munições para vários sistemas de armas foram destruídas e as consequências da explosão ainda estão sendo eliminadas por equipes de socorristas.

O aeródromo militar de Starokonstantinov está localizado 40 km ao norte do local da explosão, onde está baseada a 7ª brigada de aviação tática da Força Aérea Ucraniana, que estocava e armazenava munições de aviação e artilharia. Assim, um número significativo de mísseis e bombas de aeronaves foi armazenado na base, dentre os quais alegadamente cerca de 75 mísseis americanos AGM-88 HARM que deveriam ser transferidos para a 7ª brigada de aviação tática no campo de aviação de Starokonstantinov.

Para transferência para outras formações de aviação tática com aeronaves Su-25, vários milhares de foguetes Zuni foram supostamente trazidos para o depósito, que deveriam substituir os mísseis S-13 e S-25 do tipo soviético quase esgotados em quase 15 meses de guerra. Cada um desses mísseis não guiados carrega de 10 a 15 kg de explosivos, com massa de ogiva de 22 kg. A colocação de pelo menos centenas de mísseis desse tipo no depósito, bem como o armazenamento simultâneo de mísseis AGM-88 HARM, presumivelmente se aproximava de 5 toneladas, embora isso não fosse tudo o que poderia ser armazenado no armazém.

A julgar pelo fato de que a explosão destruiu não apenas estruturas terrestres, mas também instalações de armazenamento de concreto subterrâneas construídas na era soviética, tal efeito poderia ter sido produzido pela detonação simultânea de vários milhares de projéteis de artilharia da OTAN de 155 mm ali estocados. Tais projéteis contêm um explosivo altamente ativo, denominado composição B, produzido a partir de uma mistura de TNT e hexágeno ou a composição especial XF13-333 EIDS com uma mistura de TNT, pó de alumínio e tetróxido de nitrogênio, sendo, pois, altamente inflamáveis. Esses projéteis de artilharia e munições poderiam chegar aos armazéns em Khmelnitsky ao longo da linha férrea que ligava a cidade a Ternopil, Lvov e a Polônia.

2 – Consequências tático-operacionais para as Forças Armadas da Ucrânia – FAU

A julgar pela intensidade com que as instalações militares das Forças Armadas da Ucrânia estão sendo destruídas ao longo de uma das principais artérias logísticas do território da Europa, em breve as tropas ucranianas poderão enfrentar mais escassez de munição em diversos sistemas de armas – de mísseis ar-solo a projéteis de artilharia, exigindo maior esforço logístico dos países da Organização do Tratado do Atlântico Norte- OTAN.  Levando em consideração o fato de que o estoque de armas soviéticas dos armazéns na Ucrânia está próximo do esgotamento, enquanto as Forças Aeroespaciais da Rússia (VKS) mantiverem ataques efetivos contra centros logísticos com armas ocidentais, as FAU enfrentarão agravamento de escassez de munições, sendo compelidas a conservar e otimizar ainda mais o uso de munição, comprometendo suas iniciativas operacionais ofensivas.

As autoridades oficiais da Ucrânia permanecem em silêncio sobre o que realmente aconteceu em Khmelnytsky, no entanto, fontes ucranianas indicam que a explosão poderia ter sérias consequências tanto para a contra-ofensiva das Forças Armadas da Ucrânia quanto para o exército ucraniano como um todo e teceram duras críticas à negligência por parte do alto comando militar ucraniano em não dispersar tais depósitos de munições ou oculta – las mais eficientemente.

Fontes consultadas:

Khmelnytskyi — Did Russia Vaporize Depleted Uranium Shells?

  • https://vrubcovske.ru/news/ekonomy/24886-kiev-hranit-molchanie-vsplyli-vazhnye-detali-udara-vozmezdija-rf-po-hmelnickomu.html

[1] Delegado de Polícia, Mestre em Segurança Pública, historiador e pesquisador OSINT sobre geopolítica e conflitos militares.

Subscribe
Notify of
guest

61 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Danilo Gentili 2026
Danilo Gentili 2026
9 meses atrás

Esses depósitos deviam ser todos subterrâneos

Mayuan
Mayuan
9 meses atrás

Cheguei cedo para o Fla x Flu

Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Mayuan
9 meses atrás

Caaaaalma……kkkkkkk

Mayuan
Mayuan
9 meses atrás

Qual deles?

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Mayuan
9 meses atrás

BOA kkkkk

Emmanuel
Emmanuel
9 meses atrás

Nem os russos estão derrotados, nem os ucranianos estão saindo vitoriosos. Uma guerra longa e cansativa sem perspectiva de fim. Isso é o que se tornou a Ucrânia. Acredito que os russos perceberam que é melhor destruir a infraestrutura militar ucraniana do que querer ganhar terreno. Isso esgota seus recursos e faz com que seus aliados esgotem os seus também. Um jogo perigoso para um país que também está no seu limite industrial. Entretanto, a Rússia tem a China e o Irã para lhe dar suporte. E isso pesa muito. Não tomaria por surpresa se o próximo passo nos ataques… Read more »

Talisson
Talisson
Reply to  Emmanuel
9 meses atrás

Melhor, compare o comprometimento das respectivas sociedades com gastos elevados em conflitos dos outros.

João do Carmo Filho
João do Carmo Filho
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

E muito engraçado….. segundo ouvi dizer que a Rússia está isolada praticamente um pária, sem amigos , entretanto ouvi recentemente um especialista em geo -política dizendo que a Russia faz negócios com mais de 155 países…tem um estoque gigantesco de ouro e pedras preciosas etc…a mídia Ocidental e realmente hilária e inocente em acreditar que os EUA e um apoio honesto e confiavel …..E so tirar a mascara deles e veras que tudo que os Narcisistas americanos tem e muito preconceito e abusos contra varios povos indefesos Vietnã,Panamá,Servia,Afeganistão,Iraque,Síria,Libano etc…..se houvesse realmente justiça, varios militares e Políticos americanos seriam julgados em… Read more »

Hank Voight
9 meses atrás

O autor do texto claramente “fundamentou” este na desinformação russa que permeia as redes sociais, inclusive travestida de “fontes ucranianas”

Jose
Jose
Reply to  Hank Voight
9 meses atrás

E vamos a mais um nome…meu deus.

Kommander
Kommander
Reply to  Jose
9 meses atrás

Engraçado que você não questiona os fakes pró-Ucrânia, né?!

Mayuan
Mayuan
Reply to  Jose
9 meses atrás

Esse nick já é antigo. Você é que nunca vi aqui

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Hank Voight
7 meses atrás

Mesmo, mas vê-se bem ao que vêm. Tentam enganar os inocentes ou então os muito mal informados, pois tentam comparar regimes de ditadores sanguinários, com democracias que se pautam com pelo menos o básico nos direitos humanos, com justiça igual para todos, claro que se sabe, quem tiver dinheiro para um bom advogado, vai ter uma melhor defesa, mas esses regimes ditatoriais, nem isso garantem, são contra eles, cadeia e aí do juiz que não faça o que o ditador quer, desaparece, mas vem estes senhores para aqui tentar, pôr tudo no mesmo cesto ou pior, o ditador ser visto… Read more »

alaor
alaor
9 meses atrás

Achismos: EU ACHO que foi uma explosão nuke de baixa intensidade, talvez 1/2 kiloton, provocada por arma tática.

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
Reply to  alaor
9 meses atrás

A explosão foi registrada por aparelhos sismológicos em várias partes da Europa.
Foi muito forte, mesmo.

Bosco
Bosco
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Eu mesmo caí da cama aqui no Brasil. Foi terrível.

Leonardo
Leonardo
Reply to  alaor
9 meses atrás

Bomba termobárica

Renato Henrique Marçal de Oliveira
9 meses atrás

Se a radioatividade aumentou somente devido aos ataques, então porque antes também aumentou?

https://twitter.com/SomeGumul/status/1658010039657873409?t=nbLX93GBPSRxEAA1R7wVaw&s=19

Last edited 9 meses atrás by Renato Henrique Marçal de Oliveira
Bosco
Bosco
9 meses atrás

Pra mim foi deflagração de combustível. Não houve onda de choque que se observa quando de uma explosão de tal magnitude.

Renato Henrique Marçal de Oliveira
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Povo não sabe a diferença entre deflagração e detonação…

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Nada a ver.
Os vídeos com som mostram centenas de explosões secundárias de munição.
Além do Ucraniano xingando os russos.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco retornou ??? Bem tava cansado de ler comentarios nada tecnicos sobre armas e munições nos comentarios, fico feliz pelo retorno.

Zezão
Zezão
Reply to  Bosco
9 meses atrás

Bosco,

Possivelmente foi explosão de munição, no entanto, munição antiga da guerra fria, pois Khmelnitsky desde a época da URSS era um grande depósito de munição, segundo relatório da CIA:
https://www.cia.gov/readingroom/docs/CIA-RDP78B04560A002400010115-5.pdf

Ademais, existe a possibilidade de que munições com urânio empobrecido, fabricado pela URSS, tbm estivesse armazenados neste depósito, já que há relatos que a Ucrânia tbm possui munição 3BM60 APFSDS ‘Svinets-2’ (que contém um núcleo de urânio empobrecido), vide link abaixo:

https://twitter.com/Kontakt642/status/1624056346847879171?s=20

https://twitter.com/YinanLLi/status/1638257982231437313?s=20

Especificação da munição DU 3BM69 APFSDS Svinets-2 em russo:

http://www.russianarmor.info/Tanks/ARM/apfsds/ammo_r.html

Arthur
Arthur
9 meses atrás

Não houve ataque russo.
Não houve detonação de munição.
Não havia munição com urânio empobrecido nos depósitos supostamente atacados.
Essa suposta munição perdida não fará falta.
Nenhuma famosa contraofensiva ucraniana será prejudicada pela perda de alguns projéteis.
A Rússia perdeu.
A Ucrânia venceu a guerra.
Assim falou o analista militar do Azerbaijão.
Simples assim…

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
Reply to  Arthur
9 meses atrás

A questão é: Por que os russos só agora estão acabando com os armazéns inimigos?
Por que até hoje não explodiram as pontes do Dniepr?
Por que não fecharam a rota de acesso dos ucranianos em Bakhmut.
Será para: Pode mandar que a gente destrói? Esgotem tudo que vcs têm?

Hcosta
Hcosta
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Para atacarem a cidade do grupo que venceu a Eurovisão, alvo sem qualquer relevância, isso aí já tem uma grande importância…

É mesmo incompetência e falta de direção/objetivos.

Mas se for esse o objetivo de destruir as munições, aí sim a Rússia está a ganhar.
O problema é que as munições são destruídas no momento de impacto e os Ucranianos fazem-no com todo o gosto.

cerberosph
cerberosph
Reply to  Arthur
9 meses atrás

E as mentiras vão caindo por terra: o que explodiu foi combustíveis de mísseis balísticos, qua a Ucrânia já tinha desmantelado a décadas mas, segundo a imprensa, eles guardavam os combustíveis.
A munição com uranio empobrecido não é radioativa. Perola de um oficial inglês corroborada pela é
Imprensa ocidental.

Pragmatisco
Pragmatisco
9 meses atrás

O papinho de combustível para mísseis dasantigas?

Bardini
Bardini
Reply to  Pragmatisco
9 meses atrás

Não. Pavlohrad fica em outra região. E pra ter noção de como as argumentações em torno de um “depósito de munições da contraofensiva” são razos, neste caso, a explosão de Pavlohrad sequer foi citada pelo autor, rsrsrs…

Pragmatisco
Pragmatisco
9 meses atrás

Não seguir o padrão cnn ou bbc é ser pró-russo?

PAULO
PAULO
Reply to  Pragmatisco
9 meses atrás

Sinceramente, não confio na mídia tradicional, todas tem ligação com governos.

Confio na informação descentralizada e distribuída.

Sempre tomando cuidado com o extremos. No final a melhor informação é quando os dois lados concordam ou os indícios são fortes.

CNN é um lixo e BBC mente quando lhe convém!

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
9 meses atrás

Excelente texto.
Mais um.
Agora, o que se publicou hoje é que criou-se uma nuvem radioativa que está indo em direção ao Centro da Europa.
Sinistro!

Bosco
Bosco
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Mas a Europa já não congelou no inverno? Rgrgggrrrr que friiiooo…rggrr…

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
9 meses atrás

Querer desacreditar o Mestre Laterza é muita ousadia.

Maurício.
Maurício.
9 meses atrás

Tem coisa errada aí, segundo um pessoal aí, os mísseis russos estavam acabando ou já tinha acabado, e segundo esse mesmo pessoal, os mísseis russos são completamente cegos…🤔

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
9 meses atrás

A maioria que são lançados são cegos.
E porque lançar estes mísseis menos precisos se os mais modernos estivessem disponíveis?
E são semanas sem ataques, com alguma escala, de mísseis de cruzeiro e quando os há são raros aqueles que têm algum impacto nas operações.

Underground
Underground
Reply to  Hcosta
9 meses atrás

Os mísseis de precisão abatidos têm em média trinta dias que foram fabricados.

Tomcat4,4
9 meses atrás

Esta matéria deixou, com certeza, uma turma tisti , a qual vai desmentir e desmerecer tudo é claro mas…..nada como um dia após outro.
Lembrando que;
“ironic mode on”

  • a Rússia faliu;
  • acabou a munição;
  • não tem indústria;
  • Putin é burro;
  • Zelensky é um semi deus da guerra;
  • a Ucrânia está vencendo.

“Ironic mode of”

RICARDO NUNES BARBOSA
RICARDO NUNES BARBOSA
9 meses atrás

Uma chuva elevaria a radiação de fundo para 200 nanosieverts. O resto, deixo a interpretação com cada um.

Underground
Underground
9 meses atrás

Se pesquisarem vão achar nuvens radioativas sobre Eurooa em 2017, 2020…. então isso aí de explosão de material radioativo não me diz nada.
A explosão não condiz com munição, me parece mais combustível.

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

A mentira russa e sua perna curta. Depois da poderosa explosão em Khmelnytskyi, em 13/05/2023, a máquina de propaganda russa começou a espalhar a mentira, nas mídias sociais e canais de notícias, sobre um aumento de radiação em Khmelnytskyi. A causa seria a explosão que danificou projéteis de urânio de baixo enriquecimento ou componentes de uma bomba enviada à Ucrânia. Mas não demorou muito para que funcionários da Universidade Nacional Khmelnytskyi desmascarassem a mais nova farsa russas, baseados em pesquisa realizada na cidade de Khmelnytskyi de 15 a 16 de maio de 2023 com os seguintes resultados: “As medições da… Read more »

Arthur
Arthur
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Puxa! Nem sabia que Khmelnytskyi tinha universidade nacional. Fóruns em blogs de defesa também são cultura…

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

A respeito da poderosa explosão em Khmelnytskyi, em 13/05/2023, o site http://www.bulgarianmilitary.com foi categórico: “Alegações sobre o tipo de munição armazenada não podem ser comprovadas.” De acordo com alguns analistas, o armazém também armazenava munições antigas da Segunda Guerra Mundial e da era soviética. Há os que sugerem que uma parte da munição recém-doada à Ucrânia por fornecedores ocidentais foi armazenada no depósito destruído. Alguns supõe que os mísseis do sistema de defesa aérea Patriot foram armazenados ali. Então surgem fotos retratando o uso de robôs para apagar o incêndio e logo surgem as perguntas: O que havia naquele armazém?… Read more »

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

A investigação da poderosa explosão em Khmelnytskyi, em 13/05/2023, está ficando mais interessante. De acordo com uma investigação da GeoConfirmed, uma conta do Twitter que geolocaliza o conteúdo visual da guerra Rússia-Ucrânia, há pouco para apoiar a noção de que o que foi atingido foi uma instalação onde foram armazenadas “cápsulas de urânio empobrecido”. Por outro lado, há relatórios da mídia pré-guerra e registros públicos que sugerem que se tratava de um depósito de munição da era soviética, que, indicam os relatórios, poderia conter até 30.000 toneladas de munição. Alguns dos artigos sugerem que as munições de aviação armazenadas na… Read more »

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

Enquanto os russos explodiram depósitos de velhas munições sóviéticas, os ucranianos costuraram o fornecimento de caças F-16 e de treinamento para seus pilotos.
https://www.thedrive.com/the-war-zone/ukraine-situation-report-f-16-coalition-begins-to-take-shape

Charles
Charles
Reply to  Marcelo
9 meses atrás

Marcelo. Você parece um _____________. Daqui a pouco vai atacar a ____ por falta de argumento.
Não defendo a Rússia, mas você exagera.

EDITADO:
Sem provocações, por favor!!

Last edited 9 meses atrás by Franz A. Neeracher
Felipe M.
Felipe M.
Reply to  Charles
9 meses atrás

Tbm acho exagerado. Criticamos tanto o dono dos múltiplos perfis e seus deslocamento da realidade, mas infelizmente o Marcelo faz um papel bem parecido, embora, ainda, em menor intensidade. Cara, os russos explodiram o depósito. Ponto final. Ponto pra eles. Dentro do contexto da guerra, é o que se espera mesmo, tentarem minar a capacidade Ucraniana. Ucranianos tbm já explodiram dezenas ou centenas. No caso da matéria, ponto para os russos. Não precisa ficar criando subterfúgios, a exemplo de que “eram armas antigas” pra tentar invalidar o êxito russo nesse ataque. E mesmo que fossem armas antigas, eram armas e,… Read more »

Charles
Charles
Reply to  Felipe M.
9 meses atrás

Exatamente!

Augusto
Augusto
Reply to  Felipe M.
8 meses atrás

Realmente enche o saco mesmo, os comentários dele parecem os do Antônio mesmo. Tanto os dele, quanto o do novo nick do Antônio só servem para poluir os comentários aqui da trilogia. São exatamente iguais, só muda o time que estão torcendo.

Omg
Omg
9 meses atrás

a Russia nunca vai destruir um deposito com “milhares” de munições fornecidas pela Otan na Ucrania pela simples razão que a Ucrania não acumula munição da Otan no seu próprio território.
Ficam guardadas na Polonia e já são despachadas direto para as unidades operacionais de acordo com o uso.
Quem seria burro de ficar acumulando munição em um lugar que pode ser atacado pelo inimigo se pode simplesmente guardar tudo em um galpão industrial imune a ataques a poucas centenas de quilômetros?!

Nuno Taboca
Nuno Taboca
9 meses atrás

Calma moço. Não gosta do site, é só sair.
Ngn tá te obrigando a estar aqui. Vaza.

Zezão
Zezão
9 meses atrás

A base de Khmelnitsky é um antigo depósito de munição da época da União Soviética…

Portanto, o que explodiu foi uma gigantesca quantidade de munições da época da guerra fria (portanto inúteis), que a Ucrânia armazenava e que aguardava recursos financeiros pra serem adequadamente descartadas.

Entre opinião de especialistas baseado em especulações da imprensa e um documento real comprovatório, prefiro acreditar no relatório da CIA, que era secreto e foi liberado ao público, sobre o depósito de munições de Khneknitsky.

Link do relatório “top secret” da época da guerra fria:
https://www.cia.gov/readingroom/docs/CIA-RDP78B04560A002400010115-5.pdf

Geraldo Lessa
Geraldo Lessa
Reply to  Zezão
9 meses atrás

Essa ninguém entendeu.
Se os ucranianos estão garimpando armas de origem russa por todo o Mundo, porque não usaram estas dos depósitos.
Ademais, saiu uma lista de material que tinha lá, como HIMARS, HARM, munição de urânio e etc.
Quase tudo ocidental.
Calcula-se o prejuízo em 1 bilhão de dólares.

Zezão
Zezão
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Geraldo, depois de um determinado período de armazenamento, a confiabilidade da munição se degrada. Existe um risco de falhar e acabar explodindo dentro do cano, vale a pena?
Entenda, são munições da época da guerra fria, de 30 a 40 anos ou mais!

Last edited 9 meses atrás by Zezão
Marcelo
Marcelo
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Fonte: saiu a lista de material que tinha lá. Quase tudo ocidental. Será que tem alguma foto nessa lista de material tudo ocidental? Só uma foto? Ou será que foi queimada na explosão de 30 megatons de munição soviética velha?

Bosco
Bosco
Reply to  Geraldo Lessa
9 meses atrás

Himars, harms,uranio e 345 salsichas do seu Ruslan.

Augusto
Augusto
Reply to  Bosco
8 meses atrás

kkkkkkkkkk

Augusto
Augusto
Reply to  Geraldo Lessa
8 meses atrás

Quais são suas fontes Antônio? Quem fez esses cálculos?

Elintoor-_
Elintoor-_
9 meses atrás

Ok. Quando “Vóis Micê Sinhô Dotô” passar, não me esquecerei de mandar desdobrar o tapete vermelho com rendas de ouro fino e chamar as petaleiras (do filme Um Príncipe em Nova Iorque). Afinal de contas, como o “Sinhô Dotô” é o “Rei da Razão e da Sabedoria Universal” e está acima de todos para criticar o mundo inteiro, que está “embaixo” teríamos mesmo que transmitir esse cuidado.
Um abraço e muita saúde para você e sua família…

Bispo
Bispo
9 meses atrás

Zelenski está tentando contato diplomático até com Deus … sim a Ucrânia está ganhando … a stairway to heaven (e não é via F-16 🤣)

Salim
Salim
8 meses atrás

Vamos aguardar contra ofensiva Ucraniana para atestar fatos. O que temos hj é Rússia sendo atacada em seu território e posicionada em defesa por incapacidade militar de progredir. A OTAN está conduzindo esta guerra na medida da exaustão total da capacidade russa e de sua possibilidade futura de se reerguer.