Segundo fontes dos EUA, uma dúzia de Bradleys foi destruída, outros foram danificados e já retornaram ao combate e uma parte será reparada na Polônia

43

Soldados da Ucrânia fazem reparos num Bradley 2

O comandante ucraniano do veículo de combate de infantaria Bradley estava descarregando tropas na frente e planejava transportar três soldados feridos de volta a um hospital de campanha. “Mas naquele minuto, de repente, você tem 30, 40, 50 projéteis voando – tudo explode, o solo está voando, tudo se ilumina”, disse o comandante, que pediu para ser identificado por seu indicativo, CZ, para manter com o protocolo militar ucraniano.

O Bradley – um blindado transporte de tropas fortemente armado que pode destruir outros veículos blindados – foi danificado por estilhaços, mas CZ e sua tripulação sobreviveram. No mês de abertura da tão esperada contraofensiva da Ucrânia, os recém-fornecidos Bradleys e os tanques alemães Leopard – previsivelmente – foram atingidos.

Cerca de uma dúzia de Bradleys foram destruídos, disse um alto funcionário da defesa dos EUA. Dados do Oryx, um site de análise militar que conta as perdas confirmadas visualmente, mostram que mais algumas dezenas foram danificadas em graus variados. Muitos foram consertados e voltaram ao campo de batalha. Alguns devem ser enviados para a Polônia para reparos mais extensos.

O veículo de CZ agora está aninhado em uma área arborizada na região de Zaporizhzhia, no sudeste da Ucrânia, um dos vários locais secretos perto da linha de frente onde a 47ª Brigada Mecanizada corre para consertar seu novo armamento ocidental.

A 47ª Brigada, a única unidade conhecida por ter recebido os Bradleys, deveria receber 99 antes do início da contraofensiva, de acordo com documentos vazados da inteligência dos EUA. Os Estados Unidos comprometeram 190 Bradleys no total, com mais da metade entregues a unidades operacionais na Ucrânia, disse o funcionário, que falou sob condição de anonimato devido à sensibilidade do assunto.

Os militares dos EUA normalmente consideram um veículo destruído quando não pode ser recuperado ou reformado após o que é comumente chamado de “morte catastrófica”, embora algumas partes ainda possam ser retiradas. Veículos danificados podem ser recuperados e reparados para condições de trabalho.

Perdas de equipamentos eram esperadas – e não abalaram os comandantes ucranianos, que disseram que qualquer esperança de que o novo armamento sobrepujasse os russos era equivocada. Em uma entrevista recente ao The Washington Post, o general Valery Zaluzhny, chefe militar da Ucrânia, disse que Kiev não pediu os veículos para conduzi-los em desfiles e, no campo de batalha, eles são alvos. “Sim, nós os perdemos. Não muito, digamos, mas há perdas. Não dá para fugir disso”, disse.

“É um fenômeno normal”, disse Zaluzhny. “Não trate o Leopard como uma panacéia – que um batalhão de Leopards decidirá o resultado desta guerra. Por que de repente? Quem é que decidiu que vai resolver?”

Mas mesmo em meio aos danos iniciais, as tropas ucranianas experimentaram os benefícios do novo equipamento. A maior vantagem, disseram os soldados, é que o Bradley protege todos que estão dentro – normalmente, os soldados sofrem apenas ferimentos leves se o veículo atingir uma mina antitanque, por exemplo. Cada Bradley é projetado para transportar uma tripulação de três pessoas e seis soldados como passageiros.

Em uma postagem no Facebook , Oleg Sentsov, cineasta ucraniano e comandante de pelotão da 47ª Brigada, escreveu que ficou sob forte fogo de artilharia em uma missão de combate no fim de semana. Sentsov e outros foram feridos por estilhaços, mas “Bradley salvou nossas vidas novamente”, disse ele.

No entanto, “há muitas, muitas, muitas minas – não milhares, mas centenas de milhares”, disse CZ.

E os Bradleys vão parar por causa de lagartas danificadas, dependendo do tipo de mina que encontrarem, limitando a capacidade dos ucranianos de romper as defesas dos russos com eles. A maioria dos Bradleys sendo consertados – repórteres do The Post viram pelo menos seis no local arborizado que visitaram – foram danificados por explosões de minas.

Os veículos de combate deveriam ser usados ​​em uma estratégia chamada de armas combinadas, na qual unidades de infantaria, blindados e aviação trabalham em conjunto para proteger umas às outras e infligir o máximo de violência. As tropas ucranianas receberam treinamento de armas combinadas liderado pelos EUA na Alemanha para abandonar os hábitos da era soviética de unidades operando no vácuo sem coordenação estreita.

As unidades ucranianas em muitos casos usaram os Bradleys como parte dessa filosofia, disse o alto funcionário da defesa dos EUA. Mas também há relatos anedóticos em contrário. A Ucrânia também ainda não possui amplas capacidades aéreas.

Em alguns casos, as unidades ucranianas “simplesmente não estão usando todo o seu potencial com todos os outros recursos disponíveis”, disse o oficial. Pode ser que alguns comandantes se sintam mais à vontade com a forma como foram originalmente ensinados e recorram a essa experiência, disse o oficial.

Militares ucranianos descreveram uma mudança de estratégia após algumas perdas iniciais de equipamentos. Por causa dos densos campos minados que danificarão os veículos, os soldados avançam agora em pequenos grupos e a pé.

Alguns reparos do Bradley podem levar apenas algumas horas. Outros precisam de alguns dias. Alguns veículos são rotulados como “doadores”, o que significa que os ucranianos retirarão as peças utilizáveis ​​para instalar em outros Bradleys menos danificados e, em seguida, encher o veículo doador com os pedaços quebrados antes de enviá-lo para um reparo em larga escala nas instalações em Polônia. Uma limitação inicial para a rapidez com que os ucranianos podem consertar os Bradleys e colocá-los de volta no campo de batalha: não há peças sobressalentes suficientes, disseram militares.

Qualquer solicitação de peças sobressalentes deve ser feita formalmente a um comandante sênior, que tem uma reserva limitada e várias unidades que precisam delas. Um obus autopropulsado americano M109A6 Paladin não está atualmente em uso pela 47ª Brigada devido a um problema mecânico que os soldados ainda não têm as peças para consertar.

O funcionário dos EUA desconhecia os problemas que afetavam a entrega de peças dos estoques dos EUA e sugeria que poderiam existir gargalos na cadeia de suprimentos ucraniana.

“Quando os primeiros Bradleys chegaram para reparos, a decisão de ‘este é um doador ou não’ ainda não havia sido tomada”, disse o chefe de gabinete do batalhão de reparos e recuperação da 47ª Brigada, cujo indicativo é Maz . “Então, de onde obtemos as peças sobressalentes? Quando começaram a aparecer os doadores dos quais poderíamos retirar as peças de reposição, começamos a repará-los totalmente. Mas antes dos doadores, estávamos apenas fazendo reparos mínimos e esperando que outros fossem danificados.”

Quanto menos veículos forem enviados à Polônia para grandes reparos, “mais vidas serão salvas”, disse Maz, porque as tropas não podem esperar semanas para que um Bradley retorne à linha de frente. O treinamento em uma base americana na Alemanha no início deste ano ensinou Maz e outros do 47º não apenas como operar os Bradleys, mas também como consertá-los.

“Quando escolhi minha equipe, certifiquei-me de que os escolhidos amassem o equipamento técnico”, disse Maz. “Um tratorista que já trabalhou na roça, ou um caminhoneiro, que vive disso. Às vezes eu dou a eles tanto s — por seu trabalho. Eu digo a eles: ‘Isto é como a sua casa, você deveria poder sentar lá de chinelos.’”

Menos de uma dúzia de Bradleys foram enviados à Polônia para reparos, disse o oficial de defesa dos EUA, e em alguns casos novos veículos foram enviados para substituir os despachados, em vez de esperar pelos reparos. O general Mark A. Milley, presidente do Estado-Maior Conjunto, deu a entender na terça-feira em uma coletiva de imprensa naqueles estoques não utilizados, descrevendo uma “força de reserva ucraniana robusta [que] está à espreita para ser comprometida no momento e local ideais para a invasão ucraniana.”

Assim como os ucranianos costumam publicar fotos e vídeos mostrando equipamentos russos destruídos – alguns tanques queimados e veículos de combate foram exibidos no centro de Kiev para as pessoas tirarem fotos – as forças russas circularam imagens de drones de Bradleys e Leopards danificados para embaraçar os ucranianos e tentar minar a promessa do Ocidente de continuar fornecendo a Kiev o caro material.

Um grupo de veículos ucranianos ficou preso em um campo minado durante os primeiros dias da contra-ofensiva e foi atacado por helicópteros russos. A imagem dos Bradleys e Leopards destruídos foi amplamente divulgada por contas russas no aplicativo de mensagens sociais Telegram. Desde então, as forças ucranianas mudaram de tática – abrindo caminhos de minas manualmente e depois avançando a pé – para proteger melhor o equipamento.

O ministro da Defesa, Oleksii Reznikov, disse que a Ucrânia não esconde quanto material fornecido pelo Ocidente é destruído ou danificado, transmitindo esses números aos parceiros. “Em cada novo pacote de ajuda, estamos recebendo peças sobressalentes”, disse ele.

“Por enquanto, podemos consertá-los nós mesmos e, mesmo que haja algum dano, nossas equipes estão consertando”, acrescentou Reznikov. “Muito poucos foram completamente destruídos.”

FONTE: The Washington Post

Subscribe
Notify of
guest

43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
rfeng
rfeng
11 meses atrás

Quanta enganação, e só ver o estado que estão os Bradleys que eles estão recolhendo nas filmagens que estão rolando por aí.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
11 meses atrás

Adoradores do putin vão defender o Oryx agora… aguardando a manifestação dos defen$$ores do imperador putin

Felipe
Reply to  Nuno Taboca
11 meses atrás

De acordo com a fonte ocidental mais confiável, Oryx, foram destruído 35 Bradley…

Last edited 11 meses atrás by Felipe
Nuno Taboca
Nuno Taboca
Reply to  Felipe
11 meses atrás

Não disse? Kkkkkkkk
Vcs são previsíveis demais. Notícias pro ditadura russa- ok
Notícias desfavorável ao ditador fujão – mídia falsa ,comprada.

Nei
Nei
Reply to  Felipe
11 meses atrás

Mas você não acredita do Oryx? Como isso?

Tome uma dipirona, deve estar febril.

Vitor
Vitor
11 meses atrás

Quanta preocupação com a reputação com Bradleys …esse fênix para os americanos virou ferro retorcido… várias imagens vale mais que mil palavras.

Nei
Nei
Reply to  Vitor
11 meses atrás

Isso era óbvio que iria acontecer né.

Mas você só diz isso, para um lado da guerra. Do outro, são “anjos” indestrutíveis.

Antunes 1980
Antunes 1980
11 meses atrás

O que chama a atenção é que até hoje nenhum Bradley foi perdido no oriente médio.

Ou os árabes são muito ruins de mira ou os russos são fora de série.

Pois já são 12 fora de combate.

Felipe
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

Já se foram 35 fora de combate, de acordo com Oryx

Miguel
Miguel
Reply to  Felipe
11 meses atrás

Só em uma foto tinha uns 5 ou 6 destruídos.
E no total foram 12?
Eu acredito.

Magaren
Magaren
Reply to  Miguel
11 meses atrás

Eu contei uns 55 por foto.

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

Se não fosse o apoio aéreo dando suporte e proteção para que os árabes nao pudessem disparar de um perímetro seguro, teriam o mesmo destino desse daí.
Outro ponto a ser notado, é que mísseis anti tank agora podem ser disparados de maneira remota via drone, o que permite uso além do alcance visual.

KKce
KKce
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

Pô mas ai vc tá querendo comparar uma potência militar como a Rússia com países falidos do oriente médio?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

“O que chama a atenção é que até hoje nenhum Bradley foi perdido no oriente médio.”

Como não? E os Bradleys da Arábia Saudita que os houthys destroem? Só se você está falando de Bradleys perdidos por americanos.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

Foram perdidos alguns Bradleys em combate sim, inclusive na primeira Guerra Do Golfo em 1991.

BraZil
BraZil
Reply to  Antunes 1980
11 meses atrás

A resposta é simples Antunes. Domínio do ar. Em todas as intervenções no oriente médio (exceção ao raid na toca de Bin Laden) talvez somente, os Americanos tinham domínio do ar. Como os maltrapilhos mujahedins iriam atacar no envelope dos MS A/C. Se pudessem, centenas iriam pro saco.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
11 meses atrás

Creio que uma dúzia de Bradley destruídos seja pouco, considerado a intensidade dos combates e o universo de cem veiculos doados.
Por outro lado, os ucranianos não passaram nem da primeira trincheira russa!
-Esperemos o uso das bombas de fragmentação sobre as trincheiras para vermos se mudarão alguma coisa no front.
Por enquanto a guerra está empacada!

Rogério
Rogério
Reply to  Francisco Vieira
11 meses atrás

HA HA HA ! Como se já não estivessem lançando!!!

Nei
Nei
Reply to  Rogério
11 meses atrás

Você diz a Rússia né. Tem vídeos já comprovados e muito tempo atrás, usando em cidades civis, mas você não deve ter visto né?.

Miguel
Miguel
Reply to  Francisco Vieira
11 meses atrás

Um dúzia é ‘pra modo de ‘dizê”.
Hehehe

Nativo
Nativo
11 meses atrás

Toda essa situação da Ucrânia só me reforça a vergonha alheia desse país, que teve uma base industrial de defesa igual a da própria Rússia,mas que nem após a invasão da Crimeia em 2014,foi levada a sério como deveria e hoje se controle com doações estrangeiras. E uma lástima que espero não passarmos, não por prontidão isso não existe por aqui, mas espero, falta de uma ação inimiga desse porte.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
Reply to  Nativo
11 meses atrás

Lástima é a Rússia, que se dizia mega potência, com mísseis imparáveis, navios inafundavel, estoque de milhões de tanques, tropas de elite, blabla…
E conseguiu desmoronar, e quase perdem para uns bandidos mercenários. O imperador fujão se borrou todo…imagina se fosse vs Polônia.nem precisa da OTan toda. Só a Polônia derruba esse regime corrupto e ditatorial de putin

Faver
Faver
Reply to  Nuno Taboca
11 meses atrás

Milhões de tanques? É para considerar o comentário ou rir da torcida e do ato de lacrar? Como o comentário do Nativo, acho que a Ucrânia deveria ter se preparado melhor.

Victor F
Victor F
11 meses atrás

190 Bradleys enviados. 35 Destruidos/Danificados é 18% do Total. desses, segundo o Oryx: 15 foram destruídos Provável 1 Capturado 19 Danificados. Para comparação: em 2013 a Rússia tinha uma frota de 1851 BMP-2 Segundo o Oryx eles perderam 892 isso é 48% da Frota. até 2022 a Rússia tinha 760 BMP-3 Segundo o Oryx eles perderam 258 isso é 32% da Frota. Tendo isso dito, o Bradley pesa quase 9 tons a mais que o BMP-3 e pouco mais de 13 tons a mais que o BMP-2. Pra onde voces acham que a maior parte desse peso vai? A resposta… Read more »

Oráculo
Oráculo
Reply to  Victor F
11 meses atrás

Essa é a lição que fica para o uso de blindados nessa guerra.

É preciso blindagem forte. Senão vira um “caixão” metálico.

Os russos e ucranianos já aprenderam isso.

Os novos tanques fabricados/recebidos, já vão pro front com tanta blindagem ERA e reforço na blindagem, as vezes com chapas de aço mesmo, que deve aumentar o peso absurdamente.

BraZil
BraZil
Reply to  Oráculo
11 meses atrás

É Oráculo, mas não apenas blindagem, pois há um limite óbvio nesse quesito. Também é preciso de táticas de emprego adequadas aos cenários de combate que mudam naturalmente, criando novas demandas. E os Russo parecem ter aprendido alguma lição.

Inimigo público
Inimigo público
11 meses atrás

Se eles alegam 12 apenas certeza que o número é muito maior, haja visto que em apenas 40 dias perderam 20% do equipamento doado pela OTAN, isso tudo para apenas 200 km quadrados recuperados. O desespero já está batendo na porta dos ucranianos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Inimigo público
11 meses atrás

Fonte, por favor!

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Marcelo, esses dias tu disse que de 15 Terminator, só tinha sobrado 1 pra Rússia, eu perguntei se era verdade e pedi a fonte, até agora tu não me respondeu, e agora exige fonte do colega? 🤔 Aí, aí…

Nei
Nei
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

Mauricio. A reportagem dava a entender que tinha 1 no front somente.
Acredito que foi isso que ele disse que de 15 só tinha 1.

1 no front e os demais na retaguarda.

Não sei ao certo, mas não tem muitos Terminator disponíveis.

Paulo
Paulo
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

A fonte dele é Times New Roman.

Inimigo público
Inimigo público
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Oryx, que vc usa bastante como fonte.

Charles
Charles
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Não sei pôr que você pede por fonte, sendo que ignora todas elas que mostram qualquer fragilidade na Ofensiva Ucrainiana.

De qualquer forma:
https://www.businessinsider.com/ukraine-nearly-third-of-bradley-armored-vehicles-lost-or-damaged-2023-7

Entregaram 100, perderam quase metade, a matéria é dia dia 15.

Last edited 11 meses atrás by Charles
Felipe
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Oryx

Pragmatismo
Pragmatismo
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

NYT

Marcelo
Marcelo
11 meses atrás

O Pentágono está enviando para a Ucrânia mais um segundo lote com 30 veículos de combate de infantaria Bradley e 25 veículos blindados de transporte de pessoal Stryker, que vão se somar aos 15 Bradleys e 10 Stryker do primeiro lote de reabastecimento. O grupo de rastreamento de inteligência de código aberto Oryx contabilizou 10 Bradley efetivamentebdestruídos dos 109 entregues destruídas. Também informa que 2 Bradleys foram danificados e outros 12 abandonadas. Parece que começa a se estabelecer um fluxo positivo de veículos blindados dos EUA para a Ucrânia.
https://www.thedrive.com/the-war-zone/ukraine-situation-report-u-s-replenishes-kyivs-bradley-fighting-vehicle-force

Charles
Charles
Reply to  Marcelo
11 meses atrás
Charles
Charles
Reply to  Marcelo
11 meses atrás
Maurício.
Maurício.
11 meses atrás

“Segundo fontes dos EUA.”

🤫

Paulo
Paulo
Reply to  Maurício.
11 meses atrás

É kk

Arthur
Arthur
11 meses atrás

Verdade! Dois ou três Leopards foram postos fora de combate por minas… uns dez Bradley foram levemente avariados. Dez mil ucranianos morreram desde o início do conflito e nenhum morreu desde a contraofensiva. Nenhum M777 foi destruído por Lancets. Teve mercenário brasileiro que matou trinta russos com um tiro só. Nosso Presidente tem dez dedos…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
11 meses atrás

O general fantasma dando entrevista e falando do Leopard … fonte americanas dizendo que tem perdas Bradley, que situação.

SGT MAX WOLF FILHO
SGT MAX WOLF FILHO
11 meses atrás

Esses Bradleys com camuflagem de deserto na Ucrânia da pra ver se longe, poderiam pelo menos ter pintado de preto fosco com spray caseiro que ficaria melhor que isso… Ou colocando uma camuflagem melhor pra esse terreno da Ucrânia, nessa cor aí de deserto, está na cara d++

Last edited 11 meses atrás by SGT MAX WOLF FILHO