O governo do Reino Unido anunciou a transferência dos sistemas estacionários de defesa aérea Terrahawk Paladin para a Ucrânia para fornecer defesa aérea de ponto fixa contra drones. A informação consta no site oficial do governo britânico.

O pacote de ajuda adicional do Reino Unido para melhorar a capacidade de defesa aérea inclui a transferência do sistema MSI-DS Terrahawk Paladin, uma plataforma que pode rastrear e destruir drones e proteger infraestruturas nacionais críticas fabricadas pela MSI Defense Systems.

“Hoje tenho orgulho de anunciar que o Reino Unido, juntamente com os nossos aliados, está a cumprir essa promessa com novos contratos para fornecer à Ucrânia sistemas críticos de defesa aérea para proteger os civis da bárbara campanha de bombardeamentos de Putin”, disse o secretário da Defesa, Grant Shapps.

O sistema é caracterizado pela total autonomia, bem como pela disponibilidade de sensores e sistemas apropriados para busca, detecção, bloqueio e destruição de alvos aéreos, terrestres e de superfície a curto alcance.

O sistema está equipado com um canhão Mark 44 Bushmaster II de 30 mm com possível aumento de calibre para 40 mm, dependendo do cliente. Além do canhão, a plataforma é equipada com um mastro de radar fixo com visão 360 para detectar pequenos alvos.

Um sistema óptico de aquisição de alvos com canal diurno e outro noturno é montado em conjunto com o radar, que garante a destruição de alvos inimigos em qualquer clima.

O sistema é alimentado por um gerador que fornece energia ao sistema e ao kit de controle. O controle em si é feito remotamente e pode ser realizado em locais não preparados.

A MSI Defense Systems é pioneira no desenvolvimento de armas operadas remotamente. Suas armas estão atualmente em uso ativo em navios de superfície em todo o mundo, fornecendo proteção confiável contra ameaças de superfície e aéreas.

Subscribe
Notify of
guest

33 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fábio Jeffer
Fábio Jeffer
9 meses atrás

Não vai nem ajudar e nem resolver em nada a situação dos Ucranianos

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Fábio Jeffer
9 meses atrás

Igual os Gepards tbm não ajudam?

Ciro
Ciro
Reply to  Fábio Jeffer
9 meses atrás

Quem tem que se preocupar é a Rússia.

Carlos 07
Carlos 07
9 meses atrás

O sistema é interessante, porém vejo como um tanto antiquado o fato de não ser móvel, pelo menos sobre um caminhão militar. Também entendo o objetivo, pois a mesma irá atuar somente em pontos críticos, principalmente em cidades.

Bardini
Reply to  Carlos 07
9 meses atrás

Como assim não é móvel? O sistema está literalmente montado sobre uma base única, de um container de 20ft, podendo assim ser transportado por diferentes tipos de caminhões.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Mas o caminhão serve apenas para o transporte ou ele pode funcionar em cima do caminhão? Porque se ele só opera fixamente, depois de uma defesa, até que ele seja recolocado em cima do caminhão e seja ouvido para outro local… acho que é essa a questão do amigo.

Bardini
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Isto aí é um sistema de defesa de ponto móvel, que pode ser mobilizado por caminhões – inclussive civis – que tenham o sistema DROPS, para diferentes regiões. O objetivo não é atirar durante o movimento de uma FT, tal qual Pantsir ou Guepard o fariam… . O sistema poderia operar encima do caminhão, desde que o caminhão tenha espaço para receber a montagem do console em sua cabine, que é responsável pelo controle do sistema. . Só que não é qualquer caminhão que tem capacidade de receber uma mala em sua cabine. Mata-se a modularidade, para equipar a cabine… Read more »

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Bardini
9 meses atrás

Achei uma solução bem pé no chão (parece ser menos dispendioso que um skyranger) seria um sistema interessante para uma bateria antiaérea orgânica de brigada combinada com alguns manpads e aquelas droneguns.

Munhoz
Munhoz
9 meses atrás

O que ocorre atualmente é que os sistemas tem que ser remotamente controlados, vc pode perder o sistema mas não perde o operador, o Brasil deveria investir pesado em drones de ataque +munição (mísseis, bombas pequenas) drones suicidas e mísseis balísticos, de cruzeiro e mistos, drones de reconhecimento e artilharia de precisão (munição de 155 mm guiada a laser), numa guerra limitada com um adversário equipado com isto os meios mais tradicionais levam a pior

Heinz
Heinz
Reply to  Munhoz
9 meses atrás

Não esqueça do principal, guerra eletrônica, temos que ter uma guerra eletrônica muito forte pra vencer. É imprescindível.

Danilo
Danilo
Reply to  Munhoz
8 meses atrás

É realmente esses investimentos são valiosos atualmente. Mas é só questão de tempo para uma arma dessas ser “hackeada”. Se o controle é remoto, pode ser controlado por qualquer um. Agora imagina a Rússia, com o maior contingente hacker do mundo, consegue assumir o controle de uma (ou todas) essas armas. Posicionadas em pontos estratégicos de defesa… (ou mesmo um inimigo infiltrado/desviado no cargo certo) Armas autônomas são muito importantes, mas particularmente acho sistemas off-line mais seguros. Podem ser remotos, só passar um cabo de rede para uma base afastada do equipamento. Lógico que drones não tem como, mas em… Read more »

Luis becker
Luis becker
9 meses atrás

Coitado do soldadinho que operar esse treco primitivo, cedo ou tarde vai virar churrasco.

Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
9 meses atrás

Sistema interessante.
Bem, ao menos por enquanto, a Ucrânia não foi completamente esquecida.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Um Simples Brasileiro
9 meses atrás

Ela não será. Tem muita coisa em jogo. Só uns incautos acham que isso vai acontecer

Munhoz
Munhoz
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Não será ?
Já foi esquecida amigo, vc não leu sobre o congresso dos EUA ?

Humberto
Humberto
Reply to  Jadson S. Cabral
9 meses atrás

Simplesmente, não tem como vencer a Rússia e logo logo vão descobrir que o investimento não vale apena, porque guerras são investimentos de grandes potências contra outras, usando países buchas como a Ucrâniaa.

Marcelo
Marcelo
9 meses atrás

É mais um sistema de defesa autônomo contra drones e mísseis de cruzeiro a se somar ao crescente sistema defesa antiaérea em camadas da Ucrânia. A questão principal é quantas dessas unidades serão fornecida a Ucrânia? Uma dezena não fará grande diferença. Uma centena vai derrubar muitos cortadores de grama voadores.

Manus Ferrum
Manus Ferrum
9 meses atrás

Arma bala de prata numero…

Bispo
Bispo
9 meses atrás

Faltará munição ?

RDX
RDX
9 meses atrás

Trata-se de um sistema estático desenvolvido para proteger cidades e posições estratégicas, como por exemplo bases aéreas. O objetivo não é proteger tropas na linha de frente, uma vez que seria um alvo fácil para a artilharia e as loitering munitions do inimigo. É até possível que os ucranianos instalem alguns sistemas no topo de edifícios.

Rodrigo Frizoni
Rodrigo Frizoni
9 meses atrás

Ué mas a esperaça não era que os países iam abandonar a Ucrania? kkk

Gabriel BR
Gabriel BR
9 meses atrás

Uma solução interessante com um custo operacional convidativo.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
9 meses atrás

Manda pra Advinka estão precisando.

eliton
9 meses atrás

Acho que foi nesse ano que o Brasil desativou os Bofors e Oerlikon. Não daria pra ele ser automatizado pra ficar parecido com esse? Pode não derrubar um caça, mas para drones esse tipo de arma se mostrou bem interessante.  

RDX
RDX
Reply to  eliton
9 meses atrás

Talvez o Bofors L70. Os indianos possuem um programa interessante de conversão dessa peça em sistema C-UAS.

L G1e
L G1e
Reply to  eliton
8 meses atrás

Verdade. Como o exército desativou esses canhões antiareos. Agora é que eles tem uma função Contra drones. Achei estranho.

Pragmatismo
Pragmatismo
9 meses atrás

Vamos falar de Avdiivka?

Heinz
Heinz
Reply to  Pragmatismo
9 meses atrás

Vamos, diga as novidades sobre avdiivka….

Underground
Underground
Reply to  Pragmatismo
9 meses atrás

Pelo menos três batalhões e suporte massivo de helicópteros russos resultaram em grande avanço…. para trás. Com grandes perdas.

Marco Aurélio
Marco Aurélio
Reply to  Underground
9 meses atrás

Pelo jeito, os ucranianos estarão chegando em Moscou semana que vem! kkkkk

Underground
Underground
Reply to  Marco Aurélio
8 meses atrás

Não. Os ucranianos não tem interesse em chegar em Moscou. Querem apenas que os russos saiam de seu território.

Underground
Underground
Reply to  Underground
8 meses atrás

Há relatos que os russos perderam dois batalhões inteiros.

Dragonfly
Dragonfly
8 meses atrás

Só fiquei curioso por um motivo: se o drone vier voando baixo e pelo flanco da antena, usando essa como cobertura, como o sistema fará para abatê-lo?
Parece-me que ele não consegue defender o ponto em 360º.
Alguém teria uma luz para esse assunto?