Ferreira Gomes (AP) – O Assalto Aeromóvel foi realizado no terceiro dia do Exercício Combinado Brasil/EUA, CORE 23 (Combined Operations and Rotation Exercises), que reúne tropas brasileiras e norte-americanas na região da Amazônia Oriental, em Belém (PA), Macapá, Ferreira Gomes e Oiapoque (AP), até o dia 16 de novembro.

Nesta quarta-feira, 8, onze aeronaves da Aviação do Exército (AvEx) foram empregadas no exercício. Na manobra combinada, a força de helicópteros decolou com 310 militares das tropas dos dois exércitos. Ao longo de toda a manhã, foram realizadas seis levas de voos com os militares.

O objetivo do Assalto Aeromóvel foi infiltrar as tropas pelo ar, para que os militares pudessem conquistar um local estratégico dentro de território inimigo em guerra simulada. As aeronaves decolaram do Aeródromo Salomão Alcolumbre, na comunidade do Curiaú, em Macapá, e desembarcaram as tropas na região de Ferreira Gomes, onde a guerra simulada segue ocorrendo.

As aeronaves empregadas no adestramento são de cinco modelos usados pela Aviação do Exército Brasileiro: Black Hawk, Cougar, Jaguar, Pantera K2 e Fennec AvEx. O Comande de Aviação do Exército, General de Brigada Fábio Serpa de Carvalho Lima, falou sobre a atividade. “É extremamente importante a participação de nossas tropas em exercícios, sejam eles singulares, conjuntos e principalmente os exercícios combinados, como é este que ocorre agora. Desde a CORE 21, a Aviação se faz presente. Realizando atividades no contexto da CORE, nós temos evoluído em termos de técnicas, táticas e procedimentos, trocando experiências com o Exército Norte-Americano”, explicou.

Transporte de carga externa

Também neste terceiro dia da Operação CORE 23, os helicópteros realizaram o transporte de carga externa, deslocando dois obuseiros até um local estratégico, onde parte da tropa aguardava recebeu o armamento.

Cada obuseiro transportado pesa mais de 1.200 quilos. Para fazer o içamento, uma equipe de militares do Transporte Aéreo, Suprimento e Serviços Especiais de Aviação se deslocou junto com os helicópteros e fez toda a preparação da peça com fitas e ganchos, utilizados para prender o obus na aeronave.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos
Allan Lemos
8 meses atrás

Esses exercícios proporcionam trocas de experiências valiosíssimas para o EB, que nāo as teria de outra forma, antes que comecem com as reclamaçōes nível 5° série.

Joao
Joao
Reply to  Allan Lemos
8 meses atrás

Allan
Tão importante quanto isso, é a adoção da metodologia de certificação operacional, para todas as funções de combate, como os EUA e OTAN fazem.

Underground
Underground
Reply to  Allan Lemos
8 meses atrás

Não, não, não!!
Estão ensinando os estadunidenses de como fazer uma invasão.
Vão invadir e tomar conta de tudo, destruindo nossos valores.
(rs)

BK117
BK117
8 meses atrás

Sei que é uma discussão recorrente (e meio saturada), mas o que me salta aos olhos é a eficiência do multicam na terceira foto, comparado com o uniforme do EB na primeira. Tava na hora de dar uma modernizada nessa camuflagem…

Last edited 8 meses atrás by BK117
RPiletti
RPiletti
Reply to  BK117
8 meses atrás

Logo criam um grupo de estudos com umas 300 pessoas para avaliarem se é viável…

Carlos Pietro
Carlos Pietro
Reply to  RPiletti
8 meses atrás

Por favor, não dá ideia.

Lyw
Lyw
Reply to  RPiletti
8 meses atrás

Isso já foi feito e decidiram mantê-la! Hahahaha…

Henrique A
Henrique A
Reply to  BK117
8 meses atrás

Sim. A multicam tropic seria perfeita nesse ambiente de selva mas o pessoal trata camuflagem como se fosse parte da identidade da força e não como um recurso utilitário…

Kommander
Kommander
Reply to  Henrique A
8 meses atrás

Comentário perfeito, Henrique. Isso só mostra o quanto estamos parados no tempo, o EB age pela emoção e não pela razão. Já ficou claro que esse camuflado só funciona em ambiente de mata fechada (e muito fechada), além do mais, quando essa farda molha, ela fica parecendo preta. Essa área que estão treinando parece muito com o cerrado, mas acreditem, fica no Amapá, um Estado que pertence a Amazônia. Hoje em dia a maioria dos combates acontecem em ambientes urbanos, então essa camuflagem e nada é a mesma coisa. Outro ponto que deve se destacar, é a qualidade duvidosa do… Read more »

BK117
BK117
Reply to  Kommander
8 meses atrás

Só alguns detalhes: “Lembro que até um tempo atrás as fardas do EB eram encomendadas da China (sim, eram feitas na China), não sei como está hoje em dia.” Era sim, e já há uns bons anos o governo tem tomado medidas para priorizar o produto nacional. O novo uniforme do projeto COBRA foi desenvolvido no Brasil em parceria com o SENAI e é produzido por uma empresa brasileira. A qualidade, pelo menos observando, parece ter melhorado bastante nos “uniformes inteligentes”. https://www.forte.jor.br/2011/08/04/fardamento-do-eb-nao-vira-mais-da-china/ https://tecnodefesa.com.br/projeto-cobra-a-evolucao-dos-uniformes-e-equipamentos-do-exercito/ “Coturnos ultrapassados e desconfortáveis” Também no projeto COBRA foi adotado um novo padrão de coturnos, mais confortáveis… Read more »

Igor
Igor
Reply to  BK117
8 meses atrás

Eu tenho um kit chapéu, balaclava, camisa e calça multicam, a camuflagem é de palhada seca conhecida como reed, meus amigos usam uma do padrão do E.B, eu sempre os vejo quando estamos caçando javali, o verde escuro se destaca na Brachiaria, mas a multicam que uso some em areas de pastagem e mata.

Henrique A
Henrique A
Reply to  Igor
8 meses atrás

O camuflado do EB só funciona bem em ambientes com pouca luz; mesmo em ambientes com muito verde mas claros ela constrasta muito com o fundo, parece preto, igual na primeira foto.

Marcos2
Marcos2
Reply to  BK117
8 meses atrás

Outra coisa que chama a atenção da camuflagem brasileira é a falta de padrão nos lotes. Há diversas fotos em que a camuflagem é muito mais marrom que verde ou então em Outras fotos, como três ou mais soldados lado a lado, é visível a diferença das cores. Por fim, ao jogar airsoft em mata fechada (mata Atlântica, que seria similar à Amazônia) percebe-se que não é tão vantajoso (como o EB apregoa) comparado a outros padrões. Digo até que é bem mediano.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Marcos2
8 meses atrás

Devem comprar o mais barato possível da China. Aí cada lote vem com um tom diferente, sem o menor controle de qualidade. Mas aí vai ter quem argumente que isso não faz diferença, que nós é quem estamos reclamando demais… Fico me perguntando se o Brasil, com indústrias têxteis enormes, sobretudo aqui no nordeste, não poderia fornecer os uniformes para as forças armadas… Pensando bem… deixa quieto. A cidade vizinha a minha tem uma fábrica dessas e há uns 4 ou 5 meses estavam vendendo kits de rolhas verdes do EB por (se não me engano) 10 reais, pois o… Read more »

eliton
eliton
Reply to  Jadson S. Cabral
8 meses atrás

O que seriam rolhas verdes? Toalhas?

Rodrigo LD
Rodrigo LD
Reply to  BK117
8 meses atrás

Tenho um TCC feito exatamente sobre esse tema. Se os editores tiverem interesse, posso enviar para análise e quem sabe publicação aqui. Abraço.

Maximus
Maximus
8 meses atrás

Excelente essa troca de experiências. Acho que o EB deveria participar mais de missões de pacificação da ONU, ja que não somos uma tropa expedicionária, seria o melhor modo de avaliar nossa doutrina e proporcionar a nossos militares uma experiência em cenário internacional.

Henrique A
Henrique A
8 meses atrás

Apesar de bem velhinhos os OTO Melara são bem úteis graças ao seu peso reduzido e de disparar uma munição comum e relativamente potente.

Seria bom se houvesse mais deles no EB.

Last edited 8 meses atrás by Henrique A
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
8 meses atrás

Top o exercício.

Zorann
Zorann
8 meses atrás

É a 101°?

Tiveram de usar mais da metade dos helis do EB

Henrique A
Henrique A
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Pelo brasão na manga, sim.

Interessante que eles são a unidade mais aeromóvel do US Army, com mais helicópteros que qualquer outra unidade.

MARS
MARS
Reply to  Zorann
8 meses atrás

O EB tem pelo menos 95 helis… Logo não foi a metade….

Zorann
Zorann
Reply to  MARS
8 meses atrás

Dos helis capazes de cumprir a missão de assalto aeromóvel

MARS
MARS
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Creio que os únicos helis que não podem cumprir esse tipo de missão são os Esquilos… Se fizer o faz de forma limitada, mas o resto acho que podem sim!

Zorann
Zorann
Reply to  Zorann
8 meses atrás

O mais curioso é conhecermos mais a 101° do que qualquer unidade das nossas FFAA.

Machado
Machado
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Triste isso

Fábio CDC
Fábio CDC
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Eu já ouvi falar muito da 101º mas sou incapaz de citar sequer 1 unidade das FFAA brasileiras.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Fábio CDC
8 meses atrás

Fontes é que não faltam,devia usar melhor a internet!

Gustavo
Gustavo
Reply to  Fábio CDC
8 meses atrás

tem a a Brigada de Infantaria Paraquedista, ela tem 3 batalhões de infantaria pqdt, o 25 bi pqdt, o 26 bi pqdt (santos dumont) e o 27 bi pqdt (mil vitorias).

Gustavo
Gustavo
Reply to  Fábio CDC
8 meses atrás

tem um canal no youtube chamado: Defesa Brasil, lá tem videos conhecendo a fundo cada brigada, regiao e comando militar do exercito, marinha e até aeronautica. (obs: em cada estado).

Brandão
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Fale por você

erikson
erikson
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Sempre ouço falar muito do 12º BIL, FE em Goiânia, da MB o Grumec e Tonelero e da FAB o ParaSar, no mais os BIB, BIM, RCB, RCC e etc…que tb engrandecem muito nossas forças. Mas acredito que o EB cresceria muito tecnicamente, se optassem por tropas profissionais como assim já faz a MB com os fuzileiros navais, do que ficar fazendo mera quantidade com numerosos recrutas, vide a Argentina que aprendeu isso a duras penas nas Malvinas, e hoje seu exército é constituído por voluntários profissionais.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Nada me surpreende. A maioria da população brasileira (como você talvez) conhece mais o Pateta da Disney do que o Duque de Caxias. Cada um escolhe o que quer conhecer.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Zorann
8 meses atrás

Sim. Os americanos enviaram uma FT nucleada por companhia de fuzileiros da 101.

Marcelo De Luca Penha
Marcelo De Luca Penha
8 meses atrás

Algum modelo de drone aéreo foi usado nesse exercício?

Gustavo
Gustavo
Reply to  Marcelo De Luca Penha
8 meses atrás

acho que n, mas seria interessante os PEL REC da 12 Amv usarem drones como reconhecimento

naval762
naval762
8 meses atrás

O Exército precisa atualizar seu uniforme, camucat e camutrop são de fabricação nacional.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
8 meses atrás

É no mínimo curioso ver que o uniforme dos americanos está muito melhor adaptado e se camufla muito mais no nosso bioma do que o uniforme do nosso próprio exército. Será que os comandantes não estão vendo isso???

Gustavo
Gustavo
Reply to  Jadson S. Cabral
8 meses atrás

a vegetação do Brasil não é so constituida por essas da foto, a maior parte do pais tem mata verde escura igual o uniforme usado no nosso exercito, se informe e compare mais antes de falar coisas precipitadas

Marcelo
Marcelo
8 meses atrás

O exercito trazendo o ovo da serpente para treinar no nosso quintal,tem que ser muito trouxa mesmo.

Henrique
Henrique
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

sim, como adivinhou…

Tuxedo
Tuxedo
8 meses atrás

02 Boeing Chinook seriam essenciais para o EB