Muitas empresas da Base Industrial de Defesa e Segurança (BIDS) já garantiram sua participação no evento

O número é expressivo, 70% dos estandes para a 8ª Mostra BID Brasil já foram comercializados desde o lançamento do evento, em 22 de novembro do ano passado. Isto significa dizer que as empresas estão garantindo seu espaço, nesta que é a principal vitrine para a exibição de inovações na área de defesa. O evento será realizado de 3 a 5 de dezembro de 2024, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF).

A intenção é apresentar as empresas brasileiras, suas capacidades tecnológicas e produtivas em uma localização estratégica, o Distrito Federal. É lá onde produtos e serviços serão mostrados para uma audiência qualificada: governos, congressistas, adidos militares estrangeiros creditados no Brasil, embaixadas, além de delegações de vários países.

Na Capital Federal, os Comandos da Marinha, do Exército e da Aeronáutica têm suas sedes, assim como estão localizadas 131 embaixadas de países amigos, além dos Ministérios da Defesa; da Justiça e Segurança Pública; da Fazenda; das Relações Exteriores; da Ciência, Tecnologia e Inovação; do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, que estarão representados na Mostra BID. Brasília torna-se o cenário ideal para o lançamento das mais recentes inovações tecnológicas e sistemas para uso das Forças Armadas e de Segurança. Neste ambiente, a Mostra BID promove conexão da indústria com órgãos governamentais e o Congresso.

O presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE), Dr. Roberto Gallo, destacou que durante a Mostra o espaço é compartilhado por embaixadores, adidos militares brasileiros e estrangeiros creditados no país, além de autoridades, governos e delegações de vários países com poder de compra. “Na Mostra, os visitantes têm a oportunidade de conhecer a capacidade tecnológica e as soluções inovadoras das empresas nacionais. São elas que contribuem de forma significativa para o desenvolvimento econômico e a autonomia tecnológica do nosso País,” complementou o Dr. Gallo.

Para o presidente-executivo da ABIMDE, general Aderico Mattioli, a Mostra BID representa uma oportunidade única para as empresas. “Não seria exagero dizer que o evento promovido pela ABIMDE alcançou uma projeção global e está entre os mais importantes da BIDS realizados na América Latina”.

Novidades em 2024

A 8ª Mostra BID Brasil ampliou a sua área de exposições. Serão dois pavilhões e uma ala de exposições na parte externa no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Outra novidade é a Praça de Negócios, área de serviços dedicada aos expositores para atender demandas específicas das empresas que compõem a BIDS.

A Mostra é organizada e coordenada pela ABIMDE e conta, tradicionalmente, com apoio do Ministério da Defesa e da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (ApexBrasil). A cada ano, o evento vem ganhando importância e visibilidade. Para 2024, a projeção de aumento é de mais 30% no número de visitantes.

Reconhecida como a voz da Base Industrial de Defesa e Segurança, a ABIMDE promove e apoia as empresas nacionais dentro do país e no exterior, e tem participado ativamente de muitas das ações que impactam diretamente no desempenho de suas associadas.

“Sem dúvida nenhuma, a 8ª Mostra BID Brasil já é um sucesso, a grande procura por estandes comprova que essa edição promete estar entre os melhores eventos do ano. Lançamos a Mostra no final de novembro e já estamos com 70% dos estandes vendidos. Isto demonstra a relevância da Mostra para o segmento e seu impacto global, principalmente pela visibilidade que as empresas alcançam com a visita de autoridades e delegações de vários países,” afirmou o diretor-executivo da ABIMDE, coronel Armando Lemos.

As empresas interessadas em expor, apoiar ou patrocinar a 8ª Mostra BID Brasil podem contatar a ABIMDE pelo e-mail mostrabidbrasil@abimde.org.br. As reservas realizadas com antecedência terão vantagens nos valores e maiores opções de escolha dos espaços.

Serviço

DIVULGAÇÃO: Rossi Comunicação

Subscribe
Notify of
guest

31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wilton Santos
Wilton Santos
1 mês atrás

Se o Brasil investisse de forma racional o orçamento de defesa, nós teríamos uma das 5 maiores indústria de defesa do mundo. Ocorre que a mentalidade das forças armadas é atrasada e ineficiente. Priorizam quantidade de militares ao invés de equipamentos e tecnologia. Já passou da hora de uma ampla reforma nas nossas Forças Armadas.

comment image

Guacamole
Guacamole
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Concordo, contanto que não falte dinheiro para aquela adega de vinhos marota.

Joao
Joao
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Um comandate de Unidade foi quase exonerado, pq não tinha caviar pra servir pra uma chefe de poder q o Brasil já teve….
O custo com a adega é pago por quem usa o estabelecimento. E os chefes que podem exonerar o Cmt frequentam bem e tem muitas vontades.

FELIPE
FELIPE
Reply to  Joao
1 mês atrás

Triste mas muito comum… sei de outras histórias.

Joao
Joao
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Postar isso sem contextualizar é sem sentido.
Respondo não pro senhor, mas pra quem merece.
O custo com pessoal é fixo. O salário é fixado pelo governo. Assim como o efetivo.
O PIB pra Defesa é baixo. Se aumentar, não aumentará o gasto com pessoal. Se abaixar, aumentará. Assim é proporção.
Se o gasto com Defesa fosse o tal 2%, q muitos dizem, o custo com pessoal baixaria significativamente, na proporção.
Análise como é o PIB pra Defesa de cada um. Pra começar. Fora o resto.

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Joao
1 mês atrás

R$124 Bilhões no qual 80% e para gasto com pessoal realmente é muito pouco. Você é militar neh ?

João
João
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

Realmente, vc não consegue interpretar….

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Joao
1 mês atrás

Correto….se vc tiver 4 dólares de orçamento, distribuídos entre 50% de pessoal e 50% de custeio e investimentos, se vc cortar 1 dólar, ele sairá primeiro do investimento na prioridade, depois o custeio e por último o pessoal , que é fixo…seu orçamento passa a ser de 3, gastando os mesmos 2 de pessoal, mas de 50% ele passa a ser 66,66%….simples assim…e com agravante que o previdenciário é uma pirâmide crescente pelo aumento da expectativa de vida….existem muitos gastos mal feitos….muitos projetos duvidosos, mas a verdadeira equação é a acima ilustrada….. Faz a reforma previdenciária militar e joga o… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Carvalho2008
João
João
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

EU já acho que o Serviço Militar Obrigatório deveria ter a continuidade de sua regulamentação.
Aqueles que não servissem às FFAA, deveriam servir à nação como civis, nos diversos municípios pelo país, para “pagar” a Universidade pública que tiveram. Não faltariam, professores, nutricionistas, Inspeção Sanitária, Defensores Públicos, engenheiros, dentistas etc em todo o Brasil.
Inclusive sanando a necessidade de contratar servidores de carreira.

bruno
bruno
Reply to  Joao
28 dias atrás

O problema é se aumentar o percentual d PIB para 10% os gastos com pessoal continuaram em 80% pois o aumento do gasto servirá como sempre serviu para aumentar despesa com pessoal principalmente as verbas indenizatórias.

Gustavo
Gustavo
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Você está exagerando como muitos, forcas armadas elas são pequenas, pelas nessesidades que o brasil apresenta, facções que tem poder de fogo forte, guerrilhas ao norte da fronteira, milícias, estabilidade reginal bases americanas.
Aumentar a quantidade de pessoal, , mais primeiro tem organizar os gastos, as pensões.

Last edited 1 mês atrás by Gustavo
bruno
bruno
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Priorizam salários e penduricalhos. Reduzir o efetivo em um país com as dimensões do nosso é um erro.

FELIPE
FELIPE
Reply to  bruno
1 mês atrás

Depende. No caso do Exercito 220.000 é muito pouco sim, já no caso da Marinha e da FAB há excesso de gente perto da quantidade de navios e aviões.

FELIPE
FELIPE
Reply to  bruno
1 mês atrás

Sem falar que há uma concentração muito grande de militares no Rio de Janeiro, praticamente 1/3 do efetivo total está lá, principalmente por causa da Marinha, mas no caso do exercito cerca de 20% do efetivo está no Rio de Janeiro.

Last edited 1 mês atrás by FELIPE
Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Defesa é uma decisão Política, antes de criticar as FFAA. É o mesmo que vc dizer que o policial não quer ir pra rua equipado.

O que é mais importante do ponto de vista de votos, a criação do Ministério dos Povos Indígenas e todo seus staff ou a produção de um míssil de cruzeiro para combater um inimigo que ninguém sabe de onde virá?

esse papo de lagosta e caviar, pensão, etc.. já deu.. Defesa é decisão política e da sociedade.

Last edited 1 mês atrás by Marcelo Andrade
Mario Del Ferro
Mario Del Ferro
Reply to  Wilton Santos
1 mês atrás

Apoio cem por cento

Bispo
Bispo
1 mês atrás

A guerra da OTAN(Ucrânia é carne) x Rússia , mostrou como o ocidente está deficitário em produção bélica … ótima oportunidade para empresas brasileiras acharem nichos na cadeia produtiva mundial.

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Bispo
1 mês atrás

A Rússia é carne, igual á Ucrânia, ou achas que os soldados Russos são de madeira???

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Se a OTAN está em guerra, ninguém dá por nada, onde estão as marinhas, forças aéreas e exércitos da OTAN???

JS666
JS666
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Caro Rui, tome cuidado pois segundo alguns comentadores o exército russo já está em Lisboa.

BISPO
BISPO
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Piada né … UK não consegue nem operar de forma correta seu PA…rs

Last edited 1 mês atrás by BISPO
Henrique
Henrique
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

achas que os soldados Russos são de madeira???

pra Russia é…

BISPO
BISPO
Reply to  Henrique
1 mês atrás

simples…fizeram isso durante a invasão nazi… mandaram ondas , atras de ondas , carne pura…. só que a Rússia tem 3x mais homens para triturar que a Ucrania…. poor Ukraine

Last edited 1 mês atrás by BISPO
Akah-130
Akah-130
Reply to  Henrique
1 mês atrás

De forma alguma. Madeira ainda leva mais tempo para crescer do que pessoas. Para a Rússia, seus soldados são mais descartáveis do que madeira.

BISPO
BISPO
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Todos na frente de batalha são carne…a diferença é que a Ucrânia continua a lutar uma guerra de procuração , a OTAN sabe que já é consumando , o que a Rússia tomou , não volta… e continua financiando a destruição sistêmica daquele país…..

Destino da Ucrânia ? Vide… Iraque, Libia, Síria.. países destruídos , com a ajuda contumaz dos EUA.

Joao
Joao
Reply to  Bispo
1 mês atrás

Concordo.
Há empresas que tem entorne capacidade de produzir munição de artilharia por exemplo e não o fazem, pq não vendemos pra quem está em guerra.
Temos de ter os pés no chão e investir no q pode ser comprado e o q é procurado.
Aí sobra pro que não se consegue fácil.

Bispo
Bispo
Reply to  Joao
1 mês atrás

Durante a II WAR a Argentina sabiamente não tomou partido e justamente por isso vendia tudo o que produzia a preço de ouro a quem pudesse pagar – Enriqueceram.

Guerras são uma M , mais M pode e dá $$$$$.

Last edited 1 mês atrás by Bispo
Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Um ramo que pode trazer bastantes lucros para nossa indústria de defesa é o ramo de softwares , e equipamentos de segurança de informação. Um mercado bilionário !

EduardoSP
EduardoSP
1 mês atrás

Off Topic, mas nem tanto.

Nova política industrial vai ser igual à antiga, e também focalizar na indústria de defesa, de novo.

Mas dessa vez vai ser diferente.

https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2024/01/plano-de-lula-para-industria-tera-linhas-de-credito-subsidio-e-exigencia-de-conteudo-local.shtml

Orivaldo
Orivaldo
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Os Campeões Nacionais voltaram

Mario Del Ferro
Mario Del Ferro
1 mês atrás

Ansioso para que façam uma matéria entrevistando a Konstrukta, uma das empresas concorrentes do vbcoap