A Secretária do Tesouro dos EUA, Janet Yellen, enfrenta um desafio significativo em sua visita à China, tentando abordar a questão da superprodução chinesa de bens manufaturados, especialmente os relacionados à energia limpa. Sua mensagem aos oficiais chineses é clara: a produção em excesso está saturando o mercado global, o que pode ser insustentável.

A preocupação de Yellen decorre do impacto global da superprodução chinesa, que inclui veículos elétricos, baterias, painéis solares e chips de computador. Essa superprodução, alimentada por subsídios governamentais maciços e demanda interna fraca, está pressionando os preços globais e prejudicando produtores de outros países.

Durante sua visita, que começou em Guangzhou, um importante polo industrial no sul da China, Yellen planeja se reunir com altos oficiais econômicos chineses. Seu objetivo é expressar a crescente preocupação internacional sobre a superprodução chinesa e seu efeito prejudicial não só para a economia global mas também para a própria China.

A postura de Pequim, no entanto, parece ser de intensificar os investimentos em capacidade de produção, especialmente em setores de alta tecnologia. Isso coloca a China em crescente discordância não apenas com os EUA, mas também com a União Europeia, Japão, México e outras grandes economias.

Yellen é vista como uma emissária eficaz na gestão das tensões comerciais, dada sua posição mais moderada dentro da administração Biden. Além das questões comerciais, espera-se que sua visita aborde a estabilidade financeira, as mudanças climáticas e a cooperação contra financiamentos ilícitos.

As conversas ocorrem em um contexto de renovadas tensões entre os EUA e a China, especialmente em relação ao desenvolvimento de alta tecnologia chinês. O presidente chinês Xi Jinping advertiu contra a supressão do desenvolvimento tecnológico da China pelos EUA, enfatizando a necessidade de cooperação mutuamente benéfica.

Especialistas sugerem que as advertências de Yellen sobre a superprodução podem antecipar novas medidas da administração Biden, como tarifas ou barreiras comerciais contra produtos chineses de alta tecnologia, como veículos elétricos e baterias.

A visita de Yellen ocorre em meio a esforços dos EUA para desenvolver cadeias de suprimentos domésticas em setores de energia limpa, com a administração Biden explorando créditos fiscais de investimento e outras medidas de proteção para indústrias americanas.

A China, por outro lado, está expandindo sua capacidade produtiva em tecnologias emergentes, seguindo a diretriz de Xi Jinping de impulsionar “novas forças produtivas”. Isso inclui investimentos em veículos elétricos, novos materiais, voos espaciais comerciais e ciências da vida, setores nos quais muitas empresas americanas têm vantagens competitivas.

A situação exemplifica os desafios e tensões no comércio global e na política industrial, com a China liderando em capacidade de produção em setores-chave como automotivo e solar. Isso tem levado a uma superprodução significativa, afetando os preços globais e levantando questões sobre sustentabilidade e equilíbrio econômico. A visita de Yellen à China, portanto, representa um momento crítico nas relações comerciais entre as duas maiores economias do mundo.

Enorme excesso de capacidade de produção automotiva

Os resultados dos investimentos anteriores da China são impressionantes.

Até o final de 2022, a China tinha capacidade para produzir 43 milhões de veículos anualmente, tanto veículos elétricos quanto carros com motor de combustão, mas sua taxa de utilização da planta – uma medida intimamente ligada à rentabilidade – era de apenas 55%, de acordo com dados da China Passenger Car Association.

Bill Russo, fundador e CEO da firma de consultoria Automobility, com sede em Xangai, estimou que isso se traduz em uma capacidade de produção automotiva excedente de cerca de 10 milhões de veículos por ano, ou aproximadamente dois terços da produção automotiva da América do Norte em 2022.

O grupo de pesquisa Rystad Energy estima que a China em breve será capaz de atender toda a demanda global por baterias de veículos de íon de lítio, mesmo enquanto dezenas de fábricas de baterias e componentes surgem pelos EUA.

E novos entrantes ainda estão chegando a um mercado de veículos elétricos chinês cada vez mais acirrado. O fabricante de telefones celulares Xiaomi lançou as vendas de seu novo veículo elétrico esportivo Speed Ultra 7 (SU7).

Sobreprodução massiva de painéis solares

A situação no setor de painéis solares da China pode ser pior, onde a sobreprodução reduziu os preços em 42% no ano passado para níveis 60% abaixo do custo de produtos equivalentes fabricados nos EUA.

A China agora representa 80% da capacidade de produção global, e os principais produtores solares continuam a construir fábricas, apoiados por subsídios provinciais e locais.

No final de 2023, a China tinha capacidade para construir 861 gigawatts de módulos solares por ano, mais do que o dobro da capacidade total instalada global de 390 milhões de gigawatts.

Prevê-se que mais 500-600 gigawatts de capacidade anual entrarão em operação este ano – o suficiente para suprir toda a demanda global até 2032, de acordo com a firma de pesquisa de energia Wood Mackenzie.

Alicia Garcia-Herrero, economista-chefe para Ásia-Pacífico da Natixis, expressou dúvidas sobre Yellen alcançar resultados sobre a supercapacidade, explicando que veículos elétricos, baterias de lítio e painéis solares são claros “motores de crescimento” com exportações excedendo 1 trilhão de yuan (138 bilhões de dólares).

FONTE: Reuters, via Asia Financial

Subscribe
Notify of
guest

99 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
fjuliano
fjuliano
1 mês atrás

Livre mercado – desde que nossas empresas superem as suas; Democracia – desde que tenhamos controle do seu governo e soberania; Direitos Humanos – desde que ninguém nos cobre isso e não precisemos seguir isso; Direito Internacional – para todos os outros, nós temos nosso próprio modo de agir; E por aí vai….

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Como ousa criticar os paises do “bem”? Hahaha

Adriano
Adriano
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Perfeita a abordagem, não há mais nada a comentar.

Vitor
Vitor
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Direto na fonte.

Realista
Realista
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

É literalmente assim que funciona ..

Carlos
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Podes querer fazer piada, mas não te esqueças das cidades fantasmas construídas pela Evergrand, que um tribunal já decretou a sua falência, a Country Garden e outras construtoras em grandes dificuldades económicas, tudo porque o partido comunista chinês desvirtua os mercados porque financia os seus produtos para os poder vender mais barato do que a concorrência e depois deixa de haver compradores e as empresas chinesas vão à falência e como existem países onde existe saber e sabem disto, impõem tarifas para tornar mais caro as exportações chinesas e nada tem a ver com “desde que nossas empresas superem as… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Carlos
fjuliano
fjuliano
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Minha nossa senhora! Um minuto de silêncio por essas empresas americanas. Tão puras e virtuosas. Vamos fazer uma corrente de oração em homenagem as empresas desse país que tanto se esforça em beneficiar as empresas de outros países. — Meu deus….as vezes chega a ser surpreendente.

Carlos
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Economia de mercado meu caro, pergunta a qualquer economista e verás que é surpreendente aprenderes qualquer coisinha mais.

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Caro Carlos,
Isso que você escreveu é apenas a China derrotando os EUA no seu próprio jogo: o capitalismo selvagem.

Carlos
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Economia de mercado pura e dura e não capitalismo selvagem, pergunta a qualquer economista e deixa de fazer figuras tristes.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Carlos
1 mês atrás

E esse conservadorismo ocidental afeta até a industria da guerra . Hj os russos produz 3 vezes mais que o ocidente.

Carlos
Reply to  LUIZ
1 mês atrás

O ocidente desinvestiu e muito na defesa e colocar as industrias de defesa a produzir a cem por cento leva tempo, mas a qualidade da industria ocidental é indiscutivelmente melhor do que a industria russa, nunca viste um navio a lançar um míssil e este cair logo à frente da proa do navio? Nunca viste um T-14 Armata parado na Praça Vermelha e recusando sair dali? Recentemente um escândalo porque um dos misseis russos hipersónicos e imbatíveis, não fazia mais estrago do que uma bomba de carnaval. Só para repor os misseis Javelin são necessários três anos só para repor,… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Carlos
Cassini
Cassini
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Irretocável.

Adiposo do Bitcoin
Adiposo do Bitcoin
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Seu comentário é um atentado contra a democracia liberal ocidental. Denunciei na safernet.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

“Sua mensagem aos oficiais chineses é clara: a produção em excesso está saturando o mercado global, o que pode ser insustentável.”

Mas, pombas, e o livre mercado???????

Essa notícia fica ainda mais engraçada quando você lembra que o Elon Musk, que tempos atrás desprezava a BYD, hoje pede ajuda pro “istadu malvadaum norte-americano” pra impedirem que a BYD venda seus produtos nos EUA…

Livre mercado, né?

Dworkin
Dworkin
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Livre-mercado é uma balela dos liberais pra empurrar nos países pobres e pra iludir os bestas que ficam vendo vídeo sobre capitalismo no youtube.

Yuri
Yuri
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

O livre mercado tem limites, ninguém nunca falou que não tem.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Engraçado, pois eu passei os últimos anos ouvindo todo neoliberal Chicago Boy e da “escola Faria Lima” que tinha que deixar tudo 100% nas mãos da iniciativa privada, de que o Estado não deveria se meter emabsolutamente NADA, e que empresas não precisavam do Estado…

Ué?

Yuri
Yuri
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Quem é realmente liberal não fala isso. O liberal defende o estado MÍNIMO, não inexistente.

Last edited 1 mês atrás by Yuri
Akhinos
Akhinos
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Liberal defende o estado necessário. Esse papo de estado mínimo é coisa de doidinho. E como eu já te conheço de outros carnavais paro por aqui, pq sei que essa conversa não irá gerar fruto algum.

Yuri
Yuri
Reply to  Akhinos
1 mês atrás

Estado necessário = mínimo.

Akhinos
Akhinos
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Uhum Yuri, você deve ter aprendido isso nos 2 vídeos de economia que tu viu no Youtube.

Yuri
Yuri
Reply to  Akhinos
1 mês atrás

Sim, sim, vi dois vídeos sim, confia.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Estado mínimo pra o pobre. Pra eles todas as benesses do estado.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Ai o cara pra se reeleger começa a interferir na empresa petrolífera pra ela parar de aumentar o preço dos combustíveis. E isso num governo 100% dito liberal.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Nenhuma empresa com bom senso que segue o livre mercado iria ficar produzindo que nem louca sem considerar a demanda porque uma hora não tem mais compradores, os produtos ficam todos encalhados e ela própria vai a falência.

Mas todos sabem que é o governo chinês que está por trás disso tudo injetando dinheiro e estimulando as empresas a produzirem em quantidades e preços artificiais que não são sustentáveis, já fizeram isso no setor imobiliário que agora tem mais casas do que habitantes e o prejuízo é gigante porque nunca vão conseguir vender essas moradias.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Exatamente.
No caso das moradias a situação de agrava porque a população chinesa começou a decrescer.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

E os subsídios para Chips e veículos elétricos, são Livre Mercado?

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  JUJU BERTULINA
1 mês atrás

Depende do que você chama de subsídio, na imprensa no Brasil costumam chamar redução de imposto de subsídio como se fosse proibido reduzir imposto.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Lembre da crise de 29 e o que o excesso de produção e alavancagem podem causar.

Wagner
Wagner
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Crise de 29 foi capital especulativo,tem nada a ver com produção.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Wagner
1 mês atrás

Assim como a de 2008.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 mês atrás

Seria trágico se não fosse cômico que agora os americanos tenham que ir até a China pedir “ei vcs poderiam parar de produzir e exportar, por favor?”. Nunca antes me lembro de ler nada a respeito de preocupação americana com “saturação” do mercado mundial para os produtos deles.

Eis um sinal de um país vai aos poucos deixando a liderança de outrora e de outro vai silenciosamente assumindo esse papel.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Será que vão conseguir criticar seus argumentos? Euzinha vou ficar esperando sentadinha

Reginaldo
Reginaldo
1 mês atrás

E se a gente falar que eles(EUA) precisam diminuir a produção de armas pois estão “saturando” o mercado… Será que funciona?

fjuliano
fjuliano
Reply to  Reginaldo
1 mês atrás

Kkkkkkkkkkkk boa👏👏👏👏. Os LB vão te negativar kkkkkkk

Yuri
Yuri
Reply to  Reginaldo
1 mês atrás

Não, porque isso não acontece.

fjuliano
fjuliano
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Claro q não ! Quem mais vende armas q matam criancinhas, destroem asilos e igrejas, promovem o caos, só pode ser o Satânico Dr.No (Putin). Os EUA vendem docinhos da liberdade, algodões da democracia e balinhas da felicidade. 🙂👍

Yuri
Yuri
Reply to  fjuliano
1 mês atrás

Eu não disse que eles não vendem armas…

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Yuri
1 mês atrás

O Sem jeito mandou lembranças.

Zorann
Zorann
1 mês atrás

Bora lá China, engolir estes americanos defensores da “liberdade econômica” e “democracia”.

A água está batendo na b.unda.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
1 mês atrás

Absolutamente irreversível.

Sem invadir ninguém nem disparar um único tiro, a China leva as economias estadunidense e europeia à falência(com consequente encolhimento militar) enquanto seu poder econômico se expande sem parar simplesmente através de sua capacidade de produção.
Investimentos maciços em educação, formação técnica e industrialização. Eis o resultado.

E como o capitalismo tem como características fundamentais a livre concorrência e o consumismo, está na hora dos sinófobicos reverem suas crenças e preconceitos. Com esta queda de custos em geração de energia e equipamentos afins, a partir de agora muitas pessoas poderão realizar seus sonhos de consumo graças a China.

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Então só afecta os EUA e Europa???
O resto do mundo, não existe???
Se calhar a China vai distribuir a riqueza dela, com os outros!!!!
Quanto ao livre comércio, a China quer ter acesso aos melhores mercados do mundo, mas depois, para os outros entrar no Chinês, impõe ou impunha, mas acho que ainda continua igual, impondo muito mais barreiras e condições.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Impõe tantas barreiras que tem pouquíssimas fábricas americanas e europeias na China, não é verdade? Barreiras, protecionismo e uma miríade de mecanismos de controle é coisa da UE mesmo, vide o natimorto acordo Mercosul x UE e o fracasso de um TLC entre europeus e australianos.

CRISTIANO DE AQUINO CAMPOS
CRISTIANO DE AQUINO CAMPOS
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

O quê impede dos EUA chegar para o Brasil e pedir para produzirmos menos soja, carne, ferro, pois estamos saturando o mercado?

Akhinos
Akhinos
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Economia brasileira é complementar à chinesa. Não perdemos nada com a ascensão chinesa, só ganhamos na verdade. Inclusive vamos substituir completamente a Austrália como parceiro estratégico deles, como já estamos em vias de fazê-lo. Os interesses europeus e norte-americanos não poderiam ser mais irrelevantes para nós brasileiros. Inclusive a China tem um histórico de não dar a mínima para as barreiras comerciais que impomos aos produtos deles, pq eles sabem que a parceria estratégia é mais importante que a gente querer proteger nossa indústria. Tanto isso é vdd que a China está financiando só uma ferrovia e portos no Brasil… Read more »

fjuliano
fjuliano
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Perfeito, e como sempre falo: os cães ladram e a China não para.

Carlos
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

A China está preocupada com as restrições que os EUA e a UE podem impor ao comércio chinês porque exporta 5 ou 6 vezes mais para esses países do que importa deles. Casos de falência sim recordo-me que já foi decretada a falência da segunda maior construtora no mundo, a chinesa Evergrande, que construiu cidades fantasmas e agora não tem dinheiro para pagar as dívidas, e que são muitas, que tem na China e não só. Tens um produto que se vende a bom preço, investes sem saberes e amanhã o preço desse produto cai na vertical porque saturaste o… Read more »

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Oh môdeuso disse tudo, eu só não compreendi o que tem a ver com Livre Mercado.

Carlos
Reply to  JUJU BERTULINA
1 mês atrás

Juju estuda porque é o melhor que podes fazer.
Livre mercado existe quando os preços são formados pela lei da oferta e da demanda e sempre que mexas artificialmente na formação dos preços para alterares o preço, deixas de ter livre mercado,
Se quiseres melhor e resumida explicação, estuda economia e saberás do que estou a falar mas deixo-te um vídeo
https://www.youtube.com/watch?v=HVAQhn36zxM&ab_channel=MarketMakers

LUIZ
LUIZ
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Além de vender carros elétricos a BYD vende kits de placas solares. A Xiaomi além de celulares agora fabrica carros e muito bonitos. Os chineses tão a cada ano assombrando os norte americanos.

Carlos
Reply to  Paulo Sollo
1 mês atrás

Gostas de dizer piadas mas o vídeo a seguir deixa-te ficar mal
https://www.youtube.com/watch?v=HVAQhn36zxM&ab_channel=MarketMakers

BraZil
BraZil
1 mês atrás

Boa tarde. Piada pronta: A Secretária de Tesouro dos EEUU tem o nome “YELLen”.risos. Do jeioto que a coisa está feia, só com muito grito mesmo…

Underground
Underground
1 mês atrás

Subsídios! Eis a coisa.
Fato é que é a China vem subsidiando várias indústrias com objetivo de gerar empregos, visto que seu mercado interno está estagnado.

Realista
Realista
Reply to  Underground
1 mês atrás

Sempre uma desculpa nova e a China continua crescendo ..

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Underground
1 mês atrás

Como se americanos, europeus e japoneses nunca tivessem dado subsidios para as suas também á decadas… Agora que encontraram outro que tem porte suficiente fazer o mesmo jogo deles, esperneam.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Filipe Prestes
1 mês atrás

Chips e veículos elétricos são os subsídios mais recentes.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Underground
1 mês atrás

Legal, adora dá uma pesquisada em quanto os EUA gastam anualmente em subsídios pro seu setor agropecuário….

Carlos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A União que forma os EUA compra os produtos agrícolas para aumentar a renda dos agricultores e doa esse para combater a fome no mundo e muitos dos sacos com cereais diz USAID de resto não dá nenhum subsidio ao seu setor agropecuário como tal o teu comentário é uma farsa e se for para comparar com a China vê este vídeo https://www.youtube.com/watch?v=HVAQhn36zxM&ab_channel=MarketMakers

CRISTIANO DE AQUINO CAMPOS
CRISTIANO DE AQUINO CAMPOS
Reply to  Underground
1 mês atrás

Lembre-se que eles entendem como subsídios não apenas o dinheiro público emprestado a uma empresa, até impostos baixos eles entendem como subsídios. Por essa lógica, eles preferem que por exemplo, o Brasil cobre o mesmo valor em dólar de impostos, para as nossas mercadorias vendidas lá fora.
Tirando vantagem de toda uma infraestrutura já pronta que eles construíram as custas de subsídios deles décadas atrás.

Wagner
Wagner
Reply to  Underground
1 mês atrás

Fonte: “Primo rico”,
Best Seller ” Como ficar rico com um salário mínimo”😂

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os americanos cansaram de inundar o mercado com seus produtos para quebrar a empresa de outros paises e agora os americanos vem com esse papo.
O livre mercado com os chineses o buraco è mais em baixo.
Se isso acontece no brasil os politicos daqui manda parar a fábrica na hora para agradar os americanos .

Underground
Underground
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

A China vem vendendo para os EUA tem .uito tempo. É onde eles crescerem.
A reclamação tem procedência. Vide a invasão de aço chinês no Brasil.

fjuliano
fjuliano
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Exatamente. A subserviência brasileira é um câncer para nosso país, bem como os q não só apoiam como exigem q o Brasil seja uma espécie de Porto Rico continental.

N ZAGO
N ZAGO
1 mês atrás

É um momento interessante da história, os EU, defensores do “livre mercado” – laissez faire- enquanto lideravam em quase todos os setores, passaram a criticar , à China pelo seu sucesso tecnológico. Aliás, da última vez que fizeram um acordo de contenção , foi com o Japão ( Acordo do hotel Palace ) , mataram à economia japonesa que completa mais de 30 anos de estagnação. A China parece buscar outro caminho, investimento maciço em tecnologia e inovação, falam em U$ 350 bilhões para os próximos 5 anos, na prática, pode ser mais. Não vão entrar em acordos econômicos para… Read more »

N ZAGO
N ZAGO
Reply to  N ZAGO
1 mês atrás

Errata: Acordo do” Hotel Plaza” . Entre Estados Unidos e Japão.

Yuri
Yuri
Reply to  N ZAGO
1 mês atrás

Quem me dera se o Brasil tivesse a economia “estagnada” do Japão.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Yuri
1 mês atrás

Quem dera tivesse a da China Comunista…

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  N ZAGO
1 mês atrás

Claro que não, pode é chegar ao extremo de ser impedida de ter acesso ao mercados que mais lhes compram e vice-versa.

N ZAGO
N ZAGO
Reply to  Rui Mendes
1 mês atrás

Neste caso, a China que é a maior detentora de títulos da dívida pública norte- americana , poderia atuar , lançando títulos à venda, o que poderia desacreditar o dólar, e a capacidade dos EUA de emitir novos dólares sem lastro indefinidamente.

Natan
Natan
1 mês atrás

Isso é planejamento – e investimento – estatal de longo prazo. Uns chamam de intervenção ou ditadura, mas acontece que os padrões ocidentais não se aplicam à china.
Por falar nisso, o Xiaomi Su7 é um baita carro, e dizem que vendeu 100 mil unidades nos primeiros dias do lançamento.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Natan
1 mês atrás

Quero ver quando proibirem a entrada desses carros aonde vão socar eles, já tem cemitérios de carros elétricos abandonados na China que ninguém compra.

O governo que está bancando isso artificialmente então não faz sentido aplicar as leis do livre mercado para quem não segue o livre mercado, já era para a Europa e os EUA impedirem a entrada desses carros se não estivessem mais preocupados com ideologia sem nenhuma lógica e em censurar seus próprios cidadãos.

Last edited 1 mês atrás by SmokingSnake 🐍
Bardini
Bardini
1 mês atrás

“A postura de Pequim, no entanto, parece ser de intensificar os investimentos em capacidade de produção, especialmente em setores de alta tecnologia. Isso coloca a China em crescente discordância não apenas com os EUA, mas também com a União Europeia, Japão, México e outras grandes economias.” . Enquanto os mesmo de sempre fazem uma comemoração tosca, encima desta panfletagem pró-China, o assunto em questão é de total interesse para o Brasil e os brasileiros, por nos afetar diretamente e de forma muito significativa. . O futuro do Brasil, está traçado. De forma majoritária, restou a produção de comoditties e produtos… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Nativo
Nativo
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Mas caro Bardini esse “destino manifesto” do Brasil de ser um fazendão é amplamente sustentados aqui dentro mesmo do país. Seja dada a pressão de mais de 300 deputados ligados ao agronegócio, indo para o tal equilíbrio da balança, que leva até governo ” comunista” como os débeis o classificam a injetar dezenas de bilhões de dólares para financiar a propagada super safra. Que não dizem se limitar a milho e a soja no total superior a 90 % de todos os grãos. Sendo que desde o início dos governos neoliberais no país ( sim apesar dos cérebros infantis falarem… Read more »

DanielJr
DanielJr
Reply to  Nativo
1 mês atrás

A indústria nacional sempre se complicou porque é preguiçosa, não querem competir, só querem que o Estado proteja elas dos concorrentes que vem de fora. Alguns exemplos: Quando muita coisa importada era proibida, vários eletrônicos eram produzidos aqui, como a Gradiente, CCE etc. Só que, produzir mesmo, produziam muita pouca coisa, somente algumas peças, carcaça e montagem. As partes mais caras e elaboradas eram todas importadas. Você abria um videocassete desses e o que via era: o cabeçote de leitura das fitas VHS ou K7 eram panasonic, sony, toshiba, tudo importado, coisa de primeira. Faz anos/décadas que existe uma política… Read more »

Nativo
Nativo
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

Muito bem colocado esse fator que esqueci. O COMODISMO empresarial no Brasil também é muito elevado na classe.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  Bardini
1 mês atrás

No Brasil temos Capitalismo de Estado: o capitalista mamando nas tetas do Estado, principalmente nas tetas dos juros altos, que rendem mais do que produzir e não tem risco.

Orivaldo
Orivaldo
1 mês atrás

Impressionante como nesses postagens de propaganda Chinesa-Russa, o número de bots comentando é grande.

fjuliano
fjuliano
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

EDITADO

Cassini
Cassini
Reply to  Orivaldo
1 mês atrás

Se for assim, então você é um bot pró-Ocidente?

naval762
naval762
1 mês atrás

A China precisa achar um jeito de escoar a sua superprodução de desempregados e pessoas com altos níveis de qualificação sub-empregadas. O tigre de papel continua miando como um gatinho em frente ao espelho.

Nativo
Nativo
Reply to  naval762
1 mês atrás

Se a China é um tigre de papel. O Brasil então é apenas um bananal.

MIB
MIB
1 mês atrás

Recentemente um colega meu de trabalho fez uma visita técnica a uma fábrica de ácido sulfúrico que foi comprada por chineses, segundo ele relatou, os chineses querem produção a qualquer custo, não se importam com segurança ou meio ambiente, ele relatou que uma equipe do governo chinês supervisiona a fábrica, e que de tempos em tempos é feita a troca dessa equipe de chineses, todo lider brasileiro dentro da fábrica fica com o chines o tempo todo no cangote junto com um tradutor, o tradutor, traduz tudo que o brasileiro fala para o chines, mas não tem permissão pra traduzir… Read more »

DanielJr
DanielJr
Reply to  MIB
1 mês atrás

Já estão sendo.

Nas cidades da região em que moro, interior de SP, a maioria dos terrenos de estacionamentos rotativos na cidade já são de chineses, além das lojas de bugigangas, roupas populares e mais tipos de comércio. Daqui a pouco vão começar a mexer com mercado imobiliário, muitos deles vão erguer construções onde hoje são os terrenos limpos dos estacionamentos.

Heinz
Heinz
1 mês atrás

Off Topic: Estou no aguardo da matéria sobre essequibo, parece que Maduro vai mesmo usar seu poder militar para a exar a região. Só observarem as últimas declarações do MD venezuelano.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Só se ele quiser ser deposto porque seria a desculpa que os americanos estão esperando para invadir a Venezuela. E nós seriamos arrastados para isso porque para ocupar Essequibo Maduro necessariamente precisaria passar por Roraima.

DanielJr
DanielJr
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Eu vi isso, eles assinaram um papel que diz que são donos do território, patético. O pior, vi uma reportagem da CNN onde 2 comentaristas levaram a sério o papel que o Maduro assinou, dizendo que agora as regras para as pessoas que moram na Guiana serão outras, vinda de um cara de outro país. kkkkkk

Moriah
Moriah
1 mês atrás

Vamos lá… Hoje a China tem capacidade para produzir 50 milhões de veículos, mas no ano passado fez somente 26 milhões. O motivo? A indústria de carros elétricos modernos está demandando novas fábricas e as antigas, de joint-ventures ou fabricantes chineses menores, estão ou fechadas ou abaixo de 20% da capacidade. Todas as joint-ventures de marcas estrangeiras com chineses operam abaixo de 50% e somente a Tesla está acima disso. A BYD também opera cheia e isso têm levado a China a construir fábricas novas para fazer mais carros elétricos e não converte as antigas para o mesmo. Um exemplo… Read more »

Adiposo do Bitcoin
Adiposo do Bitcoin
1 mês atrás

Os americanos precisam reduzir a produção de filmes em Hollywood pra dar espaço aos filmes de outras nações. Filmes iranianos no Cinemark JÁ.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
1 mês atrás

A China chegou onde está porque aplicou grandemente em educação. Reduziu as lacunas que a separavam do ocidente e chegou ao patamar onde não pode mais ser igualada. Sem ter que invadir países para lhes subtrair suas riquezas minerais. Nem impor-lhes suas agendas prejudiciais.

LUIZ
LUIZ
1 mês atrás

E os patriotas com raiva do Lula pelos impostos nos produtos chineses. O gv dos EUA vai fazer o mesmo pra proteger sua industria.

DanielJr
DanielJr
Reply to  LUIZ
1 mês atrás

O governo dos EUA e do Brasil estão errados. O correto é cortar impostos aqui, cortar gastos, não aumentar arrecadação porque é mais fácil e ajudam os 2 governos a arrecadar mais.

Nativo
Nativo
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

O problema são os EUA voltarem a ter a gana empreendedora , suprimida pela apologia a especulação das bolsas de valores e infiltração do socialismo entre eles.
No Brasil seria o retorno do estado investidor,como foi dos anos 30 até o período militar, enfrentando as críticas de que isso é comunismo segundo a direita do ZAP ZAP.
Passando por essas barreiras imensas , pode haver alguma esperança de competir com a China.

DanielJr
DanielJr
1 mês atrás

Resolver isso é bem simples. Basta os EUA e UE cortarem impostos, reduzir tarifas, melhorar ainda mais sua infraestrutura. É só ir cortando gastos que os preços ficam menores, assim ficam mais competitivos.

JUJU BERTULINA
JUJU BERTULINA
Reply to  DanielJr
1 mês atrás

Tipo Bases do Exército no exterior?

Wagner
Wagner
1 mês atrás

Foram lá oferecer um “Acordo de Plaza” como fizeram com o Japão em 1985, forçaram o Japão uma valorização de moeda e os japoneses foram forçados a seguir a cartilha, não tinha poder militar para se opor a essa aberração econômica, resultado? Estagnação econômica. Com a China o buraco é mais embaixo tem café no bule. O jogo chinês e quebrar monopólios ocidentais e impor os seus. Simples assim.

Neural
Neural
1 mês atrás

O exemplo mais claro que vejo é o dos carros, aqui pagamos caríssimo em carroças, os Chineses chegaram oferecendo um produto superior por preço bem mais em conta, basta ver os carros da Cherry