No sábado e domingo, 20 e 21 de abril de 2024, foi realizada a Exposição do Exército (ExpoEx) no entorno do Obelisco do Ibirapuera / Mausoléu do Soldado Constitucionalista, na cidade de São Paulo – SP. O blog das Forças Terrestres esteve no evento, promovido pelo Comando Militar do Sudeste (CMSE), que comemorou o Dia do Exército (19 de abril).

A exposição trouxe armas, equipamentos e viaturas de diversas Organizações Militares (OMs) do Exército Brasileiro (EB) presentes no Estado de São Paulo. Entre elas, várias viaturas blindadas 6×6 Guarani, com e sem o reparo de sensores e metralhadora REMAX instalado, viaturas blindadas 4×4 Guaicurus (Iveco LMV Lince), além de outros veículos, como unidades especializadas (Comando e Controle) do Marruá e a versão modernizada da viatura leve aerotransportável Chivunk. Também foi exposto um helicóptero Esquilo / Fennec da Aviação do Exército (AvEx).

Entre as atrações, chamava a atenção um caminhão em que foi instalado o novo radar Saber M200, da Embraer. O radar Saber M60 também estava exposto, assim como lançadores de mísseis Igla e RBS 70 que equipam as baterias antiaéreas de baixa altitude dos Grupos de Artilharia Antiaérea EB (cada bateria é formada por quatro lançadores / seções de tiro do primeiro e três do segundo). A camuflagem Barracuda (Saab), que cobre os lançadores e guarnições das seções de tiro e reduzem suas assinaturas térmicas e são abertas no momento do disparo, também estava exposta, aberta, junto ao lançador do RBS 70.


Os militares de todas as barracas que expunham equipamentos foram muito solícitos em explicar diversos detalhes de emprego dos equipamentos a todos os visitantes.

Por exemplo, informações sobre a intercambialidade dos mísseis RBS 70 nos diversos lançadores disponíveis e vice-versa (sendo que o lançador mais recente não necessita de retirada, durante o dia, dos sensores térmicos dedicados a tiro noturno, como era o caso da unidade exposta). E também sobre as formas de comunicação entre postos de comando e seções das baterias para os dados dos alvos, o tempo de remuniciamento, detalhes sobre o direcionamento por laser (RBS 70) e por infravermelho (Igla), dentre outros itens mostrados de forma resumida em banners fixados junto aos armamentos.

Sistemas de Aeronaves Remotamente Pilotadas (SARP) adquiridos nos últimos anos pelo EB também estavam expostos, com demonstração das imagens geradas por seus sensores que incluem câmeras térmicas. Na barraca da Aviação do Exército (AvEx) estava o SARP classe 1 Matrice 300, do qual foram adquiridas 4 unidades exclusivamente para a AvEx.

Mais disseminado atualmente é o SARP classe 0 Mavic 2, de menor porte, do qual foi informada em 2022 a aquisição de 30 exemplares, e que realiza missões de reconhecimento em diversas OMs. O SARP classe 3 Nauru, introduzido mais recentemente e do qual é desenvolvida uma versão armada, não foi levado ao evento.

Também puderam ser vistos equipamentos que passam por programas de revitalização e modernização, como obuseiros de 105mm e 155mm, morteiros, o protótipo 2 do programa de modernização da viatura Cascavel, entre outros.

Foram expostas camuflagens, cozinha de campanha, armamentos individuais, proteções balísticas, equipamentos de socorro, de mergulho, sistemas de pontaria, óculos e binóculos de visão noturna, cães de guerra, cavalos e inúmeros equipamentos e materiais.

A concentração das barracas e equipamentos no entorno do Obelisco / Mausoléu, que também foi bastante visitado pelo público, contribuiu para tornar a visita bastante cômoda e agradável, em comparação com edição realizada alguns anos atrás, quando os itens expostos foram espalhados por todo o parque (ainda que isso permitisse exibir mais equipamentos e de maior porte, como carros de combate e viaturas do sistema Astros, vindas de OMs de fora do Estado de São Paulo).

Subscribe
Notify of
guest

44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Soares
Marcelo Soares
1 mês atrás

Belas fotos!

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Marcelo Soares
1 mês atrás

São belas fotos mesmo, parabéns…. esse LMV é daquele lote italiano correto? até hoje não entendi o motivo de não ter pintado essas viaturas (e também dos Leopards) no padrão de camuflagem do EB….talvez seja toc meu…confesso…rs

Santamariense
Santamariense
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Eu penso o contrário. Acho que a camuflagem do EB deveria ser padronizada com a que é adotada nos Leopard, Gepard e nesses LMV vindos da Itália.

Wellington R. Soares
Wellington R. Soares
1 mês atrás

No geral estamos bem equipados no EB, porém pecando na questão quantidade, é tudo em conta gotas infelizmente.
Fica cada vez mais gritante a questão de defesa antiaérea para o EB, depender quase exclusivamente de Manpads é de fazer chorar rsrr..
Já estava na hora de sair do plano e adquirir algo, nem que fosse de alcance médio, suportando melhor as tropas em terra.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Wellington R. Soares
1 mês atrás

“No geral estamos bem equipados no EB” se tiver uma guerra aqui o lema será Mato ou Morro!, se der corra para o mato, senão der corra para o morro…rs…brincadeiras a parte…sem dúvidas a questão antiaérea é de longe a maior das preocupações, o problema além da falta de recursos acredito ser a burocracia envolvida nos processos de aquisições e a demora em definir uma doutrina, tanto de cada força quanto uma doutrina conjunta… Tão falando em médio alcance e não terminamos a defesa de curto alcance, já vou dizendo que esse radar M-60 não me agrada, é relativamente leve… Read more »

Samuel Asafe
Samuel Asafe
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

o M200 me chama bem mais atenção. O raio é interessante. Eu me pergunto se ele é mesmo só pra controle do espaço aéreo, ou poderia ser associado a algum sistema de combate. pelo que vi ele tem uma margem de erro de 150 metros, imagino que pro engajamento isso seja bastante, ou eu estou errado?

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Wellington R. Soares
1 mês atrás

Aparentemente, está havendo conversas com os indianos, de governo a governo, para a compra do Akash, possivelmente como contrapartida Pela aquisiçāo do KC390.

Jagderband#44
Jagderband#44
1 mês atrás

Em Porto Alegre, há alguns anos, um MBT foi posto em exposição, na realidade era para virar um monumento, em uma praça pública, perto do 3 RCG Osório.

Não contente com isso, um vereador questionou o EB e fomentou a vandalização do MBT.

Resultado: o EB o retirou da praça.

Santamariense
Santamariense
Reply to  Jagderband#44
1 mês atrás

Aqui em Santa Maria tem, há uma 10 anos, um Leopard 1BE exposto como monumento em uma rampa de concreto, na avenida que leva ao bairro onde ficam algumas das Unidades do EB na cidade. Em Santiago e Alegrete há monumentos com M-41C, em Itaqui, há M-60 expostos e em Uruguaiana, M-108. Há outros exemplos. Todos são mantidos intocados, sem nenhuma pichação ou vandalização. Por outro lado, aqui em SM também, havia um H-1H exposto em um pedestal alto, no final de uma avenida, junto à BR-158. Por anos se manteve intacto, mas depois foi pichado, o que causou a… Read more »

Cecílio
Cecílio
1 mês atrás

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Uma grata surpresa ver o Chivunk novamente.
Achei que o projeto tinha sido cancelado junto com aquele projeto entre Brasil e Argentina.

Imagino quantas unidades foram adiquiridas até hoje.

Bueno
Bueno
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Revitalizaram o lote piloto , o projeto não avançou , não foi adquirido um novo lote.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Já bem fico mais surpreso. Apenas decepcionado.

Bueno
Bueno
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Segue de 2023 do Site EB

https://www2.eb.mil.br/web/noticias/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/U3X7kX8FkEXD/content/id/16586983

Interessante que esta ação não saiu na prestação de contas no Relatório de Gestão do EB 2023

Last edited 1 mês atrás by Bueno
Leo Barreiro
Leo Barreiro
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

Para mim tá ai um projeto que poderia ser utilizado pelo meio Civil, seria um super BUG para os sertões!

Uma versão civil, sem alguns itens militares talvez tivesse sido bem interessante…

P.S. Gosto dos Buguinhos… Talvez isso tenha influenciado a minha opinião.kkkk

FERNANDO
FERNANDO
1 mês atrás

Da-lhe, belas fotos.
Aquele caminhão com um radar logo acima, é o SABER 200?
Quantos foram comprados?

Bueno
Bueno
1 mês atrás

De curiosidade entrei no site o EB e encontrei uma revista com detalhamento dos programas do EB, fiquei surpreso e vejo como ponto positivo de melhoria na comunicação, não via isto antes no site do EB.

https://www.calameo.com/exercito-brasileiro/read/001238206ce6c65883ff7

Bueno
Bueno
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

1º Vez que vejo o do EB e bem detalhado, via sempre o da FAB.
Tem números e valores ate dos treinamentos , muito bom,
Valeria uma elaboração de uma boa matéria.
Tem as paginas de serviços diversos prestado pelo EB, que também é interessante e vai de encontro o que foi falado pelo Dep. na CREDEN conforme ele disse não pode ocorrer desvio da finalidade fim das FA , que dever ser única e exclusivamente poder militar para defesa da soberania e dissuasão para não se torna mais uma repartição publica.

Bueno
Bueno
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 mês atrás

sim , concordo.

Legal que no ExpoEx 2024 esta apresentando ao publico/sociedade o que foi planejado e realizado pelo EB em 2023.

Na pagina da 43 do relatório de gestão do EB 2023 informa a modernização de 1 viatura Cascavel (deve ser o 1º prototipo) e na da 114 tem informação do projeto em execução em 2023 dos radares SABER M200 Vigilante, igual a este do ExpoEx 2024 no Ibirapuera, e SABER M200 Multi missão,

Avaliação do Prototipo do radar Sentir M20 ,
e de uma demonstração de tecnologia de rada contra bateria.

Centauro II
Centauro II
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Só investimos 3,93 em aquisições de equipamentos. É realmente uma vergonha isso que acontece,como que pode ser permitido esse absurdo de gastar mais de 80% do orçamento da defesa sem equipamentos para ser usados. As força armadas estão caminhando para virar uma força no máximo civil e ONG de assistência social.

Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

O Cascavel além de blindado também é farol.

Luiz Carlos
Luiz Carlos
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Apara se alto iluminar, tornando-se um alvo extremamente fácil.

Bosco
Bosco
1 mês atrás

Como sempre o material de divulgação das forças armadas brasileiras é de péssima qualidade. Dados errados e uma falta de padronização nos “cartazes” demonstra uma falta de profissionalismo gritante desse setor das FAs. “Direção”, relacionado a mísseis, tem a ver com o modo como o míssil altera sua trajetória, podendo ser utilizando superfícies aerodinâmicas e/ou controles ativos de “jato”. Ou seja, são os meios que ele utiliza para manobrar. O termo correto para se referir a como o míssil chega até o alvo é sistema de “guiamento” ou “orientação” O termo “aproximação proporcional” seria melhor referido como sendo “navegação proporcional”… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Bosco
1 mês atrás

E poderiam ter utilizado o termo “feixe laser” no lugar de “facho”.

Leo Barreiro
Leo Barreiro
Reply to  Bosco
1 mês atrás

E o pior explica para um leigo o que é asa rotativa… Outro que fiquei de queixo caído, foi no QRCODE do Saber 200, baixar a brochura digital!!! Quem diz brochura em pleno século XXI!! Deveriam ter para cada item exposto uma tela com cenas dos equipamentos em ação, mesmo que fossem em treinamento!

Henrique
Henrique
1 mês atrás

Quem quiser o link do QRcode ta aqui

https://embraerdefense.digitalws.co/wp-content/uploads/2022/10/radars-land-systems-brochure.pdf

eu não sei quem tira essas fotos, mas sempre que puder tire as fotos dos qrcode pra gente ter mais material


tem mais brochuras nesse link tb
https://embraerdefense.digitalws.co/

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Lucas
Lucas
1 mês atrás

Off topic, que fim levou aquele estudo do ano passado sobre defesa antiaérea?

Carlos Crispim
Carlos Crispim
1 mês atrás

Magníficas fotos. pena o EB não ter um obuseiro M198 ou 777 pra mostrar.

Heinz
Heinz
1 mês atrás

M-200 é só para exposição? Não vão adquirir em quantidade?

30 drones Mavic 2 é sacanagem, isso ai a Rússia e Ucrânia perdem em 3 dias de combate devido a guerra eletrônica.

Dworkin
Dworkin
Reply to  Heinz
1 mês atrás

3 dias ? Perde o dobro disso por dia fácil.

Marcos Rosa
Marcos Rosa
1 mês atrás

Numa EXPOEX dos anos 90 sobrevoei com helicóptero o obelisco do Ibirapuera suspenso por uma corda, técnica chamada ” Maguairi”. E fizemos rapel com cão do helicóptero também. Na época houve salto de paraquedistas do Exército.
Alguém teria essas fotos/filmagens?

Santamariense
Santamariense
Reply to  Marcos Rosa
1 mês atrás

McGuire

Roberto
Roberto
1 mês atrás

Me lembro das ExpoEx dos anos 1971,72 e73 que aconteciam no Parque do Ibirapuera. Eu saia mais cedo da escola e passava boa parte da manhã admirando aquelas armas.

Bueno
Bueno
1 mês atrás

Achei que este Prototipo 02 do Cascavel saiu rápido , isto é importante , significa que as 98 serão entregue dentro de um cronograma curto.

No relatório de Gestão do EB tem na pagina 43 informação da modernização de 1 viatura Cascavel que deve ser este Prototipo 02 e na Pagina 113 tem a informação da entrega de 1º prototipo da viatura Cascavel.

.

Wellington aparecido de jesus
Wellington aparecido de jesus
1 mês atrás

Estive lá com meu filho , excelente dia e ótimas orientações servi em 1999 no 4° Bib e evoluiu demais de lá pra cá , obrigado Exército Brasileiro

Zigg
Zigg
1 mês atrás

Existe alguma especulação por parte do EB e da FAB para a substituição do missil Igla por causa da guerra na Ucrânia?

Qual a estimativa de misseis Igla no EB e na FAB?

adriano Madureira
adriano Madureira
Reply to  Zigg
1 mês atrás

Para quê substituir? Russos e ucranianos que se resolvam…

Quanto ao armamento russo, mantemos ele guardado para alguma ocasião improvável, ou até a validade do armamento expirar.

Agora se desfazer da arma por ser russa, nada haver, seria uns RPGs desperdiçados.

Leo Barreiro
Leo Barreiro
1 mês atrás

Quando vejo esse Cascavel anabolizado ai que eu vejo que o nosso amado país não tem visão de futuro… Se no passado tivéssemos comprada a Fremm Italiana para a marinha, além de termos ao menos um navio no estado da arte, como compensação comercial nos seriam transferidos os centauros 1, que a meu ver seriam melhores que o nosso já cansado Cascavel… Mas como diria minha finada a avó… “- Cavalo selado não passa duas vezes”. Do mais concordo com o Bosco, a qualidade das informações contidas nos cartazes deixam a desejar… Com relação ao Saber 200, fico feliz em… Read more »