Home Clipping Ataques terroristas a Paris deixam dezenas de mortos

Ataques terroristas a Paris deixam dezenas de mortos

5285
139

Brasileiros estão entre feridos em série de atentados; França anuncia fechamento de fronteiras

EFE/EPA/YOAN VALAT

PARIS – Em uma noite de pânico e terror, ao menos três atentados simultâneos atingiram nesta sexta-feira, 13, pontos distintos de Paris e deixaram pelo menos 60 mortos e dezenas de feridos, segundo a rede de TV francesa BFM, que cita fontes policiais. Os alvos foram um restaurante, uma casa de shows e o Stade de France, palco da final da Copa de 1998. A polícia antiterrrorista francesa assumiu as investigações dos ataques. Até agora, nenhum grupo tinha reivindicado a autoria dos atentados.

O presidente francês, François Hollande, que assistia no estádio ao amistoso entre França e Alemanha, deixou a partida às pressas e passou a noite no Ministério do Interior para avaliar a onda de ataques. Ele decretou estado de emergência e o fechamento das fronteiras do país. O Exército deve ser enviado nas próximas horas para as ruas da capital francesa.

Ao menos dois brasileiros ficaram feridos nos ataques, segundo a embaixadora Maria Edileuza Fontenele Reis. Os dois passaram por cirurgia, já foram identificados, mas seus nomes não serão divulgados.

O primeiro ataque foi registrado no restaurante Le Petit Camboje, de culinária cambojana, no 11º distrito da cidade. Um atirador armado com uma AK-47 abriu fogo contra a clientela e deixou mortos e feridos. Ambulâncias e policiais foram enviados ao local do ataque.

No Bataclan, uma casa de shows a pouco mais de 1 km do local do primeiro ataque, homens armados tomaram pelo menos 100 reféns que assistiam ao show da banda Eagles of Deathmetal estariam sendo mantidas reféns. O canal de notícias francês BFM TV afirmou que houve vários tiros antes da tomada do local. Até à noite de ontem, o cerco ainda continuava na casa de shows.

No Stade de France, onde duas explosões foram ouvidas no fim do primeiro tempo do amistoso, os acessos ao estádio foram fechados. A partida terminou com vitória da França por 2 a 0. Lentamente, a polícia começou a retirar os torcedores do estádio.

Segundo a polícia francesa, a partida amistosa, que terminou com vitória da França por 2 a 0, não foi interrompida para evitar pânico, mas o presidente francês, François Hollande, que assistia ao jogo, foi retirado do local ainda no intervalo.

Após deixar o Stade de France, Hollande se reuniu com o premiê Manuel Valls e o ministro do Interior Bernard Cazeneuve para discutir as medidas tomadas contra a onda de ataques. A polícia antiterrorista foi encarregada das investigações.

Repercussão. O presidente americano, Barack Obama, foi informado do ataque. Segundo fontes de inteligência americana, é provável que os ataques tenham sido coordenados e executados por terroristas. “Estamos chocados e estamos ao lado da França na luta contra o terrorismo”, disse Obama.
O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse estar horrorizado com a série de ataques na França.
“Estamos ao lado da França”, disse o ministro alemão. O primeiro-ministro britânico, David Cameron, também ofereceu solidariedade às autoridades francesas. / Renata Tranches, com AFP, EFE, REUTERS e AP

FONTE: Estadão

139 COMMENTS

  1. Será que agora o Conselho de Segurança da ONU ou a própria OTAN acordam e vao entender que é necessária uma intervenção direta e forte contra o Daesh? Bombardeios produzem resultados limitados e temporários se não forem acompanhados de uma intervenção por terra.

    Outra coisa…ou esses grupos terroristas tem um treinamento e organização fantásticos ou os serviços de inteligência da França cometem falhas absurdas! Como disse Melky, com a dor do Charlie Hebdo o nivel de vigilância deveria ter subido muito!

  2. Um ato repugnante de barbárie. Aos franceses minhas sinceras condolências. Gostaria de saber é qual será a reação militar da França, já que ela esta pra enviar o Charles de Gaule, para o OM. Será que ela agora colocará tropas no chão. Ou ficará só nos ataques aéreos?

  3. Luciano duvido q a OTAN eo CSU tomem alguma medida quem deve tomar é a UE, a França deve alimentar sua participação na síria e no iraque com forças especiais no solo !

  4. A notícia de 100 reféns no Bataclan vinha desde cedo… Será que a polícia foi tão incompetente a ponto de perder os reféns pra conseguir neutralizar os dois terroristas la dentro?? Eles já tinham demostrado falta de treinamento na ocasião do Charlie Hebdo…
    Enfim, uma lástima

  5. Augusto, eu também n acredito numa intervenção em massa. Se isso tivesse acontecido em solo americano teriamos outra reação, muito provavelmente.

    Os governos europeus se importam bem mais com a opiniao pública ( o europeu médio tem um nivel de criticidade maior que o norte americano médio) e depois das descolonizações eles mudaram um pouco suas ações, pelo menos até essa onda de terror. Parece que ainda estao confusos sobre como lidar nessas situações, tendo que contrariar toda uma cultura de respeito aos direitos constitucionais dos seus cidadão para combater as ameaças que hoje partem de alguns desses indivíduos….que nao se vem culturalmente como franceses!

  6. Blackhawk, pior que o o Charlie foi no mercado judeu….tem uns videos que mostram policias fazendo fogo cruzado entre si e com os reféns passando!! É assustador!

  7. Apenas discordarei (respeitosamente) em um único ponto meu caro Melky.

    Eu concordo com você no que diz respeito aquele que passou pela dor, mas no âmbito coletivo não. Ainda mais no Brasil, um País sem memória.

    Abraço a você e a todos!

    Os EUA a maior potência econômica, cultural e bélica do planeta tiveram o seu onze de setembro.
    A França, talvez, esteja agora vivendo o seu.

    Fico maravilhado com a “facilidade” no modo do brasileiro opinar e classificar de “falhas absurdas” aquilo para o qual não está preparado, mas vive, de outra forma, com desafios semelhantes em seu dia a dia.

    Dito isso, considero – sem nenhum melindre de minha parte – que “falhas absurdas” é deixar os bandidos se acantonarem no alto dos morros, traficar drogas e tocar o terror nas cidades como PCC, ADA, Comando Vermelho etc.

    Esses são os nossos desafios, pois nesse país não há estrutura nenhuma para lidar com grupos um pouquinho mais organizados. Ou já se esqueceram também da “falha absurda”, digo fuga em massa dos bandidos na operação do morro do Alemão em 2010?

    Encerro citando a frase do Filósofo Voltaire mais uma vez neste distinto blog: “Existirá alguém tão esperto que aprenda pela experiência dos outro?”

    P.S.: A História – sempre ela! – também PROVA que não…

    Saudações!

  8. Mas Defourt, uma falha elimina a outra? Digo, aqui temos as nossas, mas são problemas diferentes nao? Além de que, o foco da matéria e do debate é o atentado na França.

    Caso aqui tivéssemos ações terroristas similares estaríamos preparados? Como vc mesmo citou, se nao conseguimos lidar com esses problemas de criminalidade cotidianos agiríamos melhor com ações organizadas de outro perfil e com outros tipos de criminosos?

  9. Concordo com o melky e digo mais esse é o momento certo da UE implanta o exército europeu de definitivo e aumentar sua capacidade militar que é imprescindível a uma potência para expressar seus interesses e se defender

  10. “Falha absurda” foi permitir que simples estudantes secundaristas, ocupassem ao seu bel prazer 4 escolas estaduais e ditassem seus termos ao governo.
    A fuga em massa dos traficantes do Alemão perdeu importância p/ a desastrada ocupação da Maré, aonde um militar morreu e o traficante dono do pedaço ainda disse que se quisesse, matava um militar por dia. O que salvou a situação, foi que depois de um bom tempo a polícia ou o Bope mataram o bandido.
    Mas e a nossa “tríplice fronteira”, estará mto agitada c/ esse atentado na França???

  11. Hora de varrer o EI e toda a escória de fanáticos do mapa. União da Europa, EUA e Russia e caçar até o ultimo. E hora de a Europa se ligar com os resultados da onda de babaquismo do politicamente correto que está pondo milhares de imigrantes pra dentro, especialmente os vindos da Siria e norte da África.

    É no meio desta gente que estes caras se infiltram. Cria-se a crise, e a onda de imigração, e no meio vem as células. Tudo o que o EI queria.

  12. Colocaria uma Bandeira da União Européia na Torre Eiffel com uma frase acima:
    “Now Israel is here” …..
    Conviver dia a dia com o terrorismo presente em suas vidas dará novos contornos ao continente Europeu, particularmente aos países membros da NATO – UE.
    A vez da Russia já chegou também.
    Deram corda, agora aguenta.
    Meu pesar profundo as famílias das vítimas inocentes.
    Ivan, o mapento deve ter um mapa melhor, mas incrível como essa cruzada em direção a Europa ocidental ocorreu, algo me diz que tem muita coisa por trás disso(Russos?)(Quatar?)(EAU?), sei lá, mas que tem muita coisa em jogo tem, com certeza.
    https://www.google.com.br/maps/place/Middle+East/@25.9058761,25.7970691,4z/data=!3m1!4b1!4m2!3m1!1s0x157ec4658142ffb7:0xa5b8320215ea72c

  13. Caro Colombelli, onde assino ?
    Mencionei sobre essas infiltrações há um bom tempo num Blog sobre o REARME, alguns colegas idem. Mencionamos ainda o refúgio Brazil, e o nosso acéfalo titular do MJ distribuindo visto igual BF. Corremos um alto risco de pagar caro no ano que vem e tu sabes, não temos preparo para algo dessa natureza, Chamaria agora os Âmis, o MI e o MOSSAD e gritaria: HELP !
    Lembra-se quando falamos sobre Roraima e a fronteira do Acre ? E a do Perú ? Lembra-se Colombelli ? Tem uns três anos isso, correto ? Veja o que está acontecendo. Era dezenas, agora são milhares de tudo, imigração ilegal, drogas, armas, contrabando, etc etc etc …..

  14. Mais de 135 Famílias enlutadas, talvez agora esse pessoal da UE se mexa, onde passa boi passa a boiada …. As restrições e ações em cima dos imigrantes da cruzada serão fortes, será ? Veremos agora toda essa civilidade a prova, veremos ……

  15. A Eurábia se aproxima, e ficará cada vez pior. A única verdade é que os ataques em solo da Europa Ocidental ficarão mais frequentes por que a imensa maioria dos refugiados muçulmanos querem uma vida melhor, mas simplesmente não fazem nada quanto ao extremismo, e até o apoiam veladamente!
    Temos centenas de artigos bem fundamentados na internet, dando conta da não integração islâmica aos princípios ocidentais, mas como diria o pai de Chris Kyle, as ovelhas não enxergam tal coisa!

    https://noticiasdesiao.wordpress.com/2015/01/10/o-mito-do-islamismo-moderado/

    http://veja.abril.com.br/blog/felipe-moura-brasil/cultura/o-mito-da-minoria-radical-muculmana/

    http://pt.gatestoneinstitute.org/6338/zonas-proibidas-alemanha

    http://pt.gatestoneinstitute.org/6556/estupros-migrantes

    http://pt.gatestoneinstitute.org/6453/suecia-muculmanos-infieis

    http://pt.gatestoneinstitute.org/5143/franca-zonas-proibidas

  16. Amigos,só uma dica NAO apareçam em nenhuma praça de competições das olimpíadas….. Ano que vem eu acho que teremos o nosso 11 de setembro,espero estar errado.
    E todos sabem o pq desse ataque imigração dos refugiados? Células infiltradas? Vacilo francês?

  17. Fechar as fronteiras nao basta, é paliativo! Tem que agir na causa! O daesh tem que ser eliminado! Imaginem se as armas químicas sírias ou outro armamento de destruição em massa vão parar nas mãos desses loucos?

  18. “Você pode matar um homem, mas não pode matar uma ideia.” Destruir o Estado Islâmico é uma atitude paliativa, vai saciar a imediata sede de vingança, mas não vai resolver o problema, pois, você pode acabar com a referida organização, mas certamente não vai eliminar o extremismo movido pelo Islã! O maior exemplo disso é o 11 de setembro, o único resultado concreto da guerra ao terror foi o surgimento do ISIS (e a Al Qaeda continua firme e forte). E o pior, depois de tantos anos de luta no Oriente Médio, a impressão que eu tenho é a de que os árabes se adaptaram as estratégias militares ocidentais, o que vai tornar as coisas mais difíceis ao se trilhar o caminho da guerra.

    O mais importante no primeiro momento é arrumar a casa (UE), resolver a questão do islã e da imigração dentro da Europa, do contrario, a liberdade e os avanços sociais obtidos depois da II GM poderão ser jogados no lixo pelo surgimento de movimentos de cunho nazista, que em países como a Alemanha já possuem o apoio de mais de 10% da população (a 5 anos atrás esse apoio não passava de 3%).

  19. Não há condições de termos paz no Iraque e Síria sem resolver os problemas entre Curdos, Xiitas e Sunitas. A ONU (resumida basicamente aos 5 membros permanentes do conselho de segurança) não pode continuar a ‘empurrar com a barriga’ a situação na região. O governo do Iraque controla somente uma parte de seu território, os curdos são praticamente autônomos e o ISIS toma conta do resto. Eu sinceramente não acredito na paz tendo um Iraque e Síria com fronteiras tão artificiais.

    Já passou da hora de uma massiva intervenção no Iraque e na Síria, a criação de zonas desmilitarizadas de acordo com as principais etnias dominantes em cada região, e uma discussão séria sobre as fronteiras do Iraque e Síria e a criação de um estado Xiita, Sunita, Alauíta e Curdo. A região inteira virou terra de ninguém.

    Não há como a democracia funcionar em um país, onde existem enormes rivalidades e revanchismos entre estas principais etnias.

    Somente 15% da população da Síria é Alauíta, porem é esta etnia que comanda o governo à décadas. 50% da população é Sunita, 20% são Curdos e estes 2 últimos não participam do governo.

    No Iraque, 60% da população é Xiita, 20% é Sunita e 17% são Curdos. O governo é dominado pelos Xiitas.

    Basicamente, toda a região controlada pelo ISIS é exatamente a região habitada por Sunitas que não se sentem representados nos governos da Síria e Iraque. Para combater o ISIS, armaram os Curdos e criaram ainda mais um problema, que incomoda a Turquia.

    Não vai haver paz enquanto não houver uma intervenção massiva, não só militar, quanto também diplomática, que obrigue o Iraque (Xiita), Síria (Alauíta) e Turquia a aceitarem um estado independente Curdo e Sunita na região.

  20. Passa boi passa boiada. Essa nova cruzada facilitou a entrada de células terroristas em meio aos cruzadores. Vejam o mapa do oriente médio, porquê será que ninguém foge para: Quatar, EAU, Omã, kuwait, Bahrein, Saudi Arabia, Tunísia, Irã, Egito, Jordânia, Marrocos ….. Caraca tem opção pra caramba. Na verdade existe muito mas muito mesmo por trás desse êxodo. Basta raciocinar !
    Curtir · Responder · Agora mesmo

  21. Vamos lá, seus franceses reclamões, vamos chorar menos e matar mais. Avante, sociedade ocidental democrática, vamos mostrar a força dos nossos valores. O estado islâmico nunca enfrentou um exército de verdade, apenas bandos de soldados sem equipamento, e, acima de tudo, desorganizados e sem moral para o combate. Observem que mesmo uma pequena força como os curdos, com um pouco de organização e vigor moral já consegue rivalizar com o daesh. Imaginem então quando tropas com sede de sangue chegarem lá.

  22. Além da tristeza do atentado eu estou triste com o povo brasileiro que comenta nos sites da Globo e sua Page do Facebook.Deem uma olhada e vejam o quanto o brasileiro tem um ódio contra os franceses e os ocidentais em geral(interessante que o caso do avião russo os comentários eram em sua maioria eram de apoio aos russos e agora é o famoso no Brasil morre isso tdo dia e nao falam nada,morreu não sei quantos na Turquia e não falam nada,pq a vida de franceses vale mais que a do resto?).

  23. Rafael, qual seria o caminho a longo prazo? As medidas que vc citou são para arrumar a casa e são muito necessárias. Mas a longo prazo a saída é destruir o islamismo?

    Carlos, em diversos momentos esses outros paises que citou receberam e recebem refugiados. Se nao me engano, a primeiras rotas de fuga dos refugiados são Jordânia, Libano e Turquia. Só que dessa vez eles “descobriram” a Europa!

  24. Toleman 14 de novembro de 2015 at 6:55

    “A única verdade é que os ataques em solo da Europa Ocidental ficarão mais frequentes por que a imensa maioria dos refugiados muçulmanos querem uma vida melhor, mas simplesmente não fazem nada quanto ao extremismo, e até o apoiam veladamente!”
    Esse é a genética de um imigrante muçulmano, sem tirar nem por.
    Quando um cartunista dinamarquês fez charges do profeta o mundo árabe se enfureceu e teve até mortes em algumas embaixadas, agora ocorre esse atendado em Paris e, como um avestruz, metem a cabeça em um buraco e fingem que nada ocorreu, como sempre.
    Segundo Aristóteles, Um hábito se transforma em uma segunda natureza e os imigrantes por mais que queiram apenas seguir com sua vida, ter seu emprego e seus bens e queriam se integrar na sociedade ocidental têm uma natureza diferente da do Europeu, foram habituados e um mundo quase que totalmente diferente do ocidental.

  25. Esse problema está em entender que no meio de poucas pessoas boas existem muitos ruins. Chegam na Alemanha, França e Suécia e querem ter do bom e do melhor, reclamam de tudo! querem que nas escolas não tenham porco para comer por exemplo, eles esquecem que vieram da [email protected] e estão na casa dos outros, estupram mulheres, batem em nacionais, fazem bullying nas escolas. não tentam se integrar à sociedade que chegaram, nos bairros de maioria mulçumana querem impor lei islâmica e por aí vai. sinceramente espero que inverno europeu cuide deles. a outra parte que é bunda mole, encabeçada pelo maior bunda mole, Barack Obama, como o colega zorrannn expôs o mapa do OM tem que ser revisto, e qual governo se opor tem que sentir a dor do ferro e da pólvora. Agradeço aos admin pelo espaço aberto

  26. Assino em baixo do que o Zorannn escreveu.

    Simplesmente destruir o EI (e deve ser destruído) só daria tempo para o ocidente conhecer o seu futuro inimigo, herdeiro da fúria e o modo de operar do EI. Acho que está na hora de o ocidente assumir sua culpa e pensar em desfazer a bagunça que fez no oriente médio ao estabelecer países e fronteiras artificiais. Uma vez desfeito isso, a região certamente alcançará maior estabilidade.

  27. Ezequiel,
    Grande parte desses países islâmicos faziam parte do Império Otomano que já estava ruindo sozinho. Essa divisão arbitrária feito pelas potências ocidentais pós a PGM e a SGM teria dado certo se não fosse a irracionalidade da outra parte, cuja religiosidade é usada como desculpa para eles se odiarem entre si.
    O que o Ocidente fez não deu certo, mas temo que nada teria dado certo. Sem falar que em primeiro lugar o Império Otomano para se manter intacto teria que usar de força e arbitrariedade do mesmo jeito, sem falar que teria que ter vencido a PGM, coisa que não aconteceu já que eles estavam do lado que perdeu.
    Claro, subsistindo o Império Otomano provavelmente não haveria hoje esse ressentimento contra o Ocidente, mas a história não tem como ser mudada e ficaria difícil imaginar o que seria o Islã hoje. Só no mundo do faz de contas é que países não tentam interferir em outros países e não há garantias que mesmo que a Alemanha tivesse vencido a PGM e que o Império Otomano tivesse subsistido se hoje não haveria algo como os jihadistas, o EI e que Paris não estivesse sob ataque.
    Israel por exemplo é alvo de críticas porque se instalou na terra dos palestinos, mas os mesmos críticos se calam em relação a todas as outras regiões que são motivo de disputa entre os próprios árabes, curdos, persas, turcos, xiitas, sunitas, etc.

  28. Bosco,

    Eu não defendo que a história seja reescrita, o que aconteceu, aconteceu. Eu olho para o presente e tento imaginar o futuro quando escrevo sobre a artificialidade das fronteiras do oriente médio. Temo que atribuir o terrorismo a um suposto estado de humanidade inferior dos povos da região seja um erro. Principalmente quando nos deparamos com as influências internas e externas que operam por lá.

    Logicamente que a estabilização da região não diminuirá as diferenças de visão de mundo entre estes dois mundos, mas todos sabemos que medos e incertezas acirram os ânimos e extremam das ideias.

  29. Perfeitamente, Bosco! Existem diferenças endêmicas às etnias e as vertentes religiosas que já existiam durante e antes do Império Otomano. O sionismo e o surgimento de Israel foram elementos mais recentes, que tiveram grande peso, mas que sua ausência, por si só nao resolveriam (sem querer aqui adentrar na questão arábe-israelense, que é um problema por si só).

    Acredito que um dos grandes elementos que formam a base de tantos choques (vejam bem, Oriente Médio e mundo islâmico nao são bem minha área de estudo, é apenas, então uma especulação) é que no oriente nao se formou completamente a ideia de um estado laico. A própria ideia de “Islã”, no sentido histórico, subentende um Estado teocrático. Dai a grande dificuldade em aceitarem os princípios democráticos na maioria dos casos (alguns paises como Turquia e Libano – e Tunisia pré primavera arábe, se nao me engano – conseguiram algum progresso nesse sentido). Existem correntes fortes que enxergam a democracia e a adoção de padrões ocidentais de política e liberdades individuais como uma descaracterização da identidade cultural islâmica (coisa que existia, de maneira geral na cristandade europeia medieval, mesmo com todo o sectarismo do periodo, mas que sumiu com a a laicização do Estado e da formação de uma mentalidade individualista e privada quanto à religiao).

    Contudo, houve tentativas de reformas, como o inicio do movimento salafista, que tentava modernizar o islã, sem alterar seus princípios fundamentais. Neste caso o reformismo descabou numa visao fanática de reforma….religiosa!

    Ai tudo isso se mistura com diversos interesses politicos, militares e econômicos entre essas próprias nações e segmentos religiosos e que se agravariam com interferências ocidentais.

  30. Daqui a aparece os idiotas falando q a França financia o daesh, que é bem diferente dos sunitas moderados q lutam contra o bashar, que a França tbm não financia

  31. E pra quem não sabe os EUA já estão desde o começo de junho fazendo ataques a poços de petróleo do EI e barrando compradores de petróleo no mercado negro, além de desmantelar outras organizações q apóie o EI.

  32. Prezado Donitz com apoio americano ao sunitas moderados não faz mas sentido a Arábia Saudita apoiar o Daesh, ela apoiu porque os EUA não fizeram nada para impedir o avanço do iran no oriente medio

  33. Só pra terminar o grande mal do oriente médio eo iran que quer domina-lo totalmente, o Daesh é só uma forma dos sunitas combaterem o iran eliminando o iran acaba o problema, é só combinar com os Russos e atacar junto e destruir o iran

  34. Augusto, acho que o caminho é esse, minar o financiamento! Não tem como um grupo se fortalecer tanto se uma estrutura de financiamento, que na região significa petróleo! E essa rede é mundial, vide o que foi recentemente descoberto aqui na terra brasilis! É seguir o rastro do dinheiro que enfraquece o grupo e, melhor ainda, acha os magnatas que apoiam o terrorismo jihadista!

  35. O grande mal do mundo islâmico é a Arábia Saudita e não o Irã. Não tem como o Irã xiita dominar os outros 75% do mundo islâmico que são sunitas. A Arábia Saudita é o problema e não o Irã pois é ela que financia o terrorismo islâmico e não o Irã como diz a propaganda americana. Aquela lista americana de países que financiam o terrorismo internacional é apócrifa, ela devia constar todas as ditaduras aliadas dos EUA na região do Golfo.

  36. Não é o Irã que preocupa a Rússia e sim a Arábia Saudita que está por trás das ações terroristas dos fundamentalistas islâmicos no Cáucaso. É a Arábia Saudita que quer criar o Califado do Cáucaso e não o Irã. Foi o dinheiro saudita que financiou os ataques ao teatro de Moscou e Beslan e não iraniano. Os russos sabem quem é o inimigo.

  37. A Arábia (governo saudita) financiou por causa da saída do EUA do oriente medio, o Sauditas tem um relaxamento na fronteira desde do atentada a Meca em 94 como forma de aliviar a pressão externa no caso do Daesh ouve uma ajudinha do governo saudita por causa da saída da precensa america, o financiamento se da por empresário sunitas de várias nacionalidades e não pelo governo Saudita salvo o Daesh entre 2012 a 2014 pela saída da presença americana.

  38. Empresários (shakes ) que financiam organizações terroristas sal caçados pelos americanos desde de 2002 com ajuda de paises sunitas, o iran desde a subida de Ahmadinejad no poder tem promovido uma guerra aos países sunitas e israel até 2010 os EUA como aliados dos sunitas e israelense lutaram contra o iran inclusive combates entre forças americanas e a força cuds no iraque e embates diplomáticos a cerca da questão nuclear inclusivo com sabotagem americana ao iran, até aí eles conseguirão barrar o iran , depois da saída americana da região os sunitas tiveram que se virar sozinho, a solução foi se aliar com os israelenses em alguns momentos e financiar terroristas em países onde o iran tem avançado ex: iraque e síria , mas a estratégia deu errado e os terroristas se voltaram contra os sunitas por causa disto a AS interviu com tropas no yemen e não financiou terroristas, resumindo quando vc tem um aliado defenda-o, o Daesh é só um efeito negativo da estratégia dos sunitas de barrar o iran

  39. A Arábia Saudita desde 1979 dá uma mesada aos clérigos fundamentalistas de 10 bilhões de dólares (atualize os valores) para eles disseminarem a versão saudita deturpada e doentia do Islã ao redor do mundo.

  40. Donitz a vários grupos que pregam a sharia e não são terroristas, eles tem um nome sunitas moderados geralmente os EUA eram seus aliados mas o Obama deixou eles órfão nada mais certo do que eles ajudarem os ultraconservadores terrorista os jihadistas para barrar o iran que não aceita o domínio sunita no oriente médio e no isla com a subida do ahmadinejad eles começarão a tentar mudar isso promovendo guerras aos sunitas

  41. Reitero, + o Líbano …… Vejam o mapa do oriente médio, porquê será que ninguém foge para: Quatar, EAU, Omã, kuwait, Bahrein, Saudi Arabia, Tunísia, Irã, Egito, Jordânia, Marrocos ….. Caraca tem opção pra caramba. Na verdade existe muito mas muito mesmo por trás desse êxodo. Basta raciocinar !

  42. Carlos Alberto não acho que o êxodo seja uma conspiração o sírios estão indo pra países ricos para acender economicamente e ter uma qualidade de vida o Daesh é quem tem se aproveitado disso que é um fenômeno normal de países pobres em guerra ou em total desestruturação das instituições

  43. Caro Augusto, discordo e respeito sua opinião. Reitero, há muita coisa por trás disso tudo. Acredito que compartilhamos de uma coisa: Há que se agir rápido e com mão forte em cima do ISIS, tarde porém antes tarde do que ……

  44. A polícia francesa é ruim até no equipamento..Vcs viram na foto, o colete que usam ? Aquilo é um coldre ou um bolso ? E sem encaixes modulares…

    A PCERJ tá melhor que a polícia francesa, meu Deus.

  45. Quanto ao conflito Ocidente x Islã, tenho uma sugestão : fazer um acordo, estabelecermos áreas de domínio cristão e muçulmano, tirarmos os cristãos de lá e os muçulmanos daqui. Gregos e turcos fizeram isso, continuam se odiando mas pararam de se pegar.

  46. Caro Bardini,
    eles não vão mexer com Israel e sabes porquê ? Com a IDF a coisa muda colega. Exércitos existem, mas o moralmente correto impede muita coisa ! Talvez agora, mas talvez ….. Fosse com o Tio David já estaria “chovendo” sobre a tchurma do ISIS ! Creio que uma ação conjunta USA + ENGLAND + FRANCE aniquilaria esses porcos, expertise e equipamento eles tem, mas terá que ser algo do que foi feito na II GGM, ai sim. As mortes serão incontáveis, mas desconheço se fazer omelete sem quebrar ovos, sem ser insensível, mas essa é a realidade.
    Blitzkrieg …. esse é o nome !

  47. Pra que o EIIL vai mexer com Israel ? Tem os palestinos insatisfeitos pra isso.

    Ademais, o EIIL progride contra os “infiéis” cristãos, com isto cercando Israel como a cereja do bolo, que como todos sabem se come por último.

  48. E não, Israel não vai se meter com o EIIL. Já tem problemas demais cm os palestinos e com o Irã.

    Se alardeia como bastião do Ocidente, mas não creio que vá comprar esta treta.

  49. Creio que uma ação conjunta USA + ENGLAND + FRANCE aniquilaria esses porcos, expertise e equipamento eles tem, mas terá que ser algo do que foi feito na II GGM, ai sim.
    Blitzkrieg …. esse é o nome !

  50. Senhores, vocês estão pasmos com os últimos acontecimentos em Paris?

    Eu não, o Carlos Soares, o Vader, o Oganza e outros tantos colegas aqui também não estão.

    Porra Juarez vocês viraram Mães Dinah?

    Nao, não há nenhuma ‘ premeditação mediunica’, quem andou pela Eurobambilandia de
    carro depois da moeda única, a gente passa da Alemanha para França e só percebe que atravessou a fronteira porque as placas de trânsito mudaram de língua, ou seja, uma temeridade total.
    Some-se a isto ordas de imigrantes árabes que estão chegando a lá casa da mãe Joana sem controle algum, com as Maria do Rosario europeias batendo palmas, achandosto tudo uma maravilha e ainda
    os arranhões que os militares Franceses tem tentado dar no El, que não fizeram nem cosquinha, o quadro está completo somado a incompetência Francesa tradicional com seu característico espírito de cagalh……oes .
    Eu li um comentário que o serviço secreto Francês e o melhor da Europa, aí e fico imaginando como deve ser o pior.

    O que vão fazer:

    Ora bolas o que estes abobados sempre fazem:

    Vão pedir penico e apoio ao Tio Sam.

    O que fazer então?

    Um ministro do interior de Israel durante o primeiro mandato de Rabin teria dito durante o sequestro de Entebbe que com extremistas árabes não se entra em jogo de palavras se age dura e ostensivamente.

    Três nukes táticas de 1 KT e três pontos não povoados da região e o aviso

    Da próxima vez………

    G abraco

  51. Contiuando o post :
    Sábios do velho continente acharam que recebendo aqueles pobres coitados da Síria, Ala colocaria sob eles seu manto sagrado, ledo engano.
    A cereja do bolo vai ser em 2016 durante a olimpiada aonde um desgoverno que até pouco tempo incentivava e defendia estes terrostas em sites oficiais não sabe que nada sabe de segurança anti terrorismo e não tem forças minimamente preparadas para contrapor a uma ação desta magnitude e o pior de tudo:

    O Mossad expressou intensa preocupação com várias cápsula de Cobalto e Césio que foram extraídas de hospitais da região pelo El e até agora as FEs não conseguiram recuperar e se não usaram agora e porque estão guardando para um mega evento, o quadro senhores podem imaginar.

    Sim o Mossad já avisou o GSI e os serviços reservados da FAs, mas acho que avisar uma agência que contrata agentes por concurso e nome DOU seria mesma coisa que avisar o Billy, o meu cachorro.

    G abraco

  52. Deram bola demais a mídia politicamente correta, eis o resultado.
    Hora de fechar as fronteiras e mandar de volta esse monte de militantes islâmicos travestidos de imigrantes, e/ou refugiados políticos.
    Na Alemanha já há localidades em que a polícia não entra, temendo confrontos e agressões, na Suécia as agressões de caráter sexual envolvendo refugiados de 1ª geração (aqueles que vieram de fora) e 2ª geração (aqueles que já nasceram no país de acolhimento), estão descontroladas.
    E qndo alguém tente fazer algo, é taxado de radical de direita, reacionário, racista e não raras ocasiões substituído por alguém mais “tolerante”.

  53. Juarez, vira a boca pra lá que eu moro aqui no RJ.

    O papinho meia-boca da Dilma quanto ao EIIL, Al-Qaeda, Irmandade Muçulmana e outros pode soar desagradável a muitos, mas se ela se alinhasse com a OTAN os 3 grupos acima disputariam no palitinho pra ver quem detonaria a Cidade Marabichosa. Triste detonarem Paris, trágico detonarem o Rio.

    Vamos esperar a chama olímpica se apagar no final dos Jogos pra cobrarmos uma postura dela.

  54. E se a OTAN resolver entrar pra valer pode ter problemas de interferência com os russos, o que tb deixaria os extremistas felizes.
    E não, não temos que usar nukes contra povos que não as possuem, somos cristãos. Se os israelis quiserem que usem, pra depois encarar o julgamento implacável da História.
    Vai ser uma campanha cara, sangrenta e de resultado duvidoso.
    O lance é sairmos daquela região, pararmos de comprar seu petróleo e fecharmos nossas fronteiras. Eles querem se matar, que se matem.

  55. Gente se US army entrar pra valer com infantaria mecanizada , artilharia e ataques aéreos precisos o EI acaba em um mese, a guerra maior iria ser a de guerrilha após a ocupação e destruição do estado islamico, só pra lembrar na invasão do Iraque os US army entrou de cara em várias fortalezas com a sua infantaria mecanizada grande exemplo disso foi a batalha de baghdad onde eles entraram até com tanques, tds os especialista falaram que ia ser suicídio e foi uma lavada

  56. O que o cagalh~…..oes Franceses vão fazer é óbvio, vão se alinhar aos Russos em uma campanha que vai de nada a lugar algum.

    G abraço

  57. Como eu disse o inverno está vindo, e vai matar muitos deles. E olha que bonitinho um dos “refugiados” resolveu atacar Paris, sendo que a Grécia confirmou que ele passou por lá foi cadastrado como “refugiado” será que do nada ele resolveu atacar Paris? ou será que ele veio com essa missão? Outros foram presos na Bélgica e seus vizinhos disseram que um deles era uma boa pessoa e nunca imaginariam que ele pudesse participar de tal coisa, ou seja são bons com vc na sua frente e por “trás” querem te matar. Pq será q em Londres não acontece isso? acho que é pq eles rapidamente se fecharam e pq o MI6 e MI5 são muito competentes, e no Natal com um bando de pessoas nas ruas será um ótimo momento para uma bomba. Espero que a polícia francesa deixe por policiais sem armas nas ruas.

  58. Estão falando por aki que uma divisão aerotransportadas do US Army mais uma divisão aeromóvel combinada europeia (RU, França, Espanha e Itália) junto com apoio aéreo seria suficiente para combater a situação contra o ISIS na Síria…

    Fiquei curioso qual seria o tamanho dessa combinação: Seria algo em torno de 50 a 65 mil botas no solo com 400 a 500 veículos sobre rodas (75% HMMWVs e Caminhões e o resto seriam de veículos da classe dos Strikes).

    Dai e em resposta, está circulando agora por aki um texto, duvidosamente creditado, do General David Petrus do US Army que diz que isso não é nem de perto o suficiente e segue dizendo que seriam necessário as 1ª e 4ª divisões do US Army mais uma Marine Expeditionary Force (MEF) completa com o seu Maritime Prepositioning Ships Squadron (MPSRON)… 😮

    O texto segue dizendo que tal força poderia ser mobilizada em 2 meses e implantada em mais um mês e dai seguiriam mais 60 dias de combate (no melhor dos casos) ou 120 dias no pior. Mas logo atrás teriam que vir uma força mínima de 75 mil apoiadores para “ganhar” corações e mentes junto com mais 75 mil capacetes azuis… tudo isso por um simples motivo:

    “– O ISIS não são insurgentes, quem tem isso é a Síria. Eles estão treinados, motivados, bem financiados e agora estão bem equipados, operando Obuses, MRAPs, MBTs e MANPADS. Nesse cenário, unidades da Airborne e SOCOM são inúteis, elas são muito leves e só poderão bater e correr mas nunca sustentar uma campanha, independente do sucesso.”

    Meus caros, temos que lembrar que quem reconstrói países são seus cidadãos… Vejam Japão e Alemanha no pós Guerra… vc tem a figura dos Gestores/fiscalizadores do lado “vencedor”, mas quem vai trabalhar mesmo são os cidadãos…

    …ááááhhhh mas no Iraque não deu certo…
    – Bom, para isso eles tem que ter a boa vontade de se entender primeiro entre eles próprios.

    Ps.: No tal texto, que é duvidosamente creditado ao General Petrus, não é mencionada qual seria o tamanho da contribuição do resto da OTAN, mas comparando o tamanho médio de tais contribuições em coalizões anteriores, acho que entre 30 e 35% em relação a citada ai de cima.

    Grande Abraço.

  59. OFF TOPIC…

    …mas nem tanto!!!

    Como combater e derrotar o IE:

    “Paralus brought this forward by stating that he believes France, the UK, Italy, Spain and the rest of the European Airborne units along with the 173rd Airborne (US) along with airpower would be enough to win.”

    “We would need the 4th and 1st ID from the US Army. I think a Heavy Brigade Combat Team would be necessary in this fight. Paratroopers and SOCOM are no longer relevant. They’re too light and its obvious that the effects that they bring just aren’t good enough. To ensure success we’d need whatever the Europeans could give us and probably toss in a Marine Expeditionary Brigade.”

    (http://snafu-solomon.blogspot.com.br/2015/11/armor-up-what-would-boots-on-ground-if.html)

  60. Caro Juarez, muto bom saber que o Billy está vivo e creio que bem !
    Obrigado por nuestros recuerdos. Verdade Amigo, Você, o Oganza, o Vader e eu cantamos essa fruta, descascamos e quase fomos massacrados aqui, taxados etc …. Assino embaixo tudo que afirmastes. Lembro-me caro Juarez quando confabulamos sobre nossas idas para Euro e comentei sobre a terra do meus avós España, lotada desse pessoal, lembra-se ? Na escada do metrô na estação do parque ferial D. Juan Carlos I os caras orando e eu simplesmente junto com centenas + muita centenas de pessoas indo trabalhar e visitar o parque na exposição em curso. Ah mais isso acontece, sim é verdade, são caras prontos …. é só ativa-los e KABUM ! Verdade Juarez, Tio David e Primo Jacob estão aos quatro cantos do mundo afirmando em vão, simplesmente não são ouvidos e ponto. O Terrorismo tem vários estágios, agora em Israel vemos senhoras e jovens sacando punhais de carnicero e atacando pessoas, homens velhos e de média idade atirando carros em aglomerações, ponto de bus, autoposto etc …. Creia-me isso vai acontecer nas Zeuropa. Quanto as Olimpíadas já postei, 2016 está ai e te conto uma novidade: Acreditas que estava ocorrendo resistência quanto a vinda da turma da “escolta” de Israel para proteger a delegação ? VERDADE ! Agora vão relaxar e o MOSSAD em peso virá ou começará a ruir a Olimpíada pois os Primos não aceitam mandar os atletas sem cobertura do Instituto. Mais, não estamos conseguindo lidar com a tragédia de Minas, imagine um ataque no PO do RJ ! Caro Delfim, meu Filho caçula trabalha na Barra, mora no Recreio e faz UNIV ai, acho que ele vai tirar férias por trinta dias e ir passear nos USA, bem melhor.
    Caro Oganza muito boas tuas colocações e números. Mas lendo sempre a imprensa Israelense e artigoa dos meus Primos, a quem afirme: Os Curdos e os Yazidis são melhores combatentes que os porcos do ISIS, falta-lhes artilharia e aviação. Pois bem que lhes forneçam esses itens, mas de forma direta, Art e FA made in USA, France, England e (Russian?duvido). Mas ai tem a Turquia, a Rússia e a QPQ. Dai a Blitzkrieg que creio não acontecerá. Terceirizar ? Duvido. Falaram ai em cima que Israel poderá jogar uma Nuc por lá, nunca acontecerá, Israel defenderá suas fronteiras e ponto. Se e eu afirmo se Israel for arrastado para essa praia e reitero os caras do ISIS não o farão, bom ai o pobrema está resolvido. Os USA apoiarão Israel com Money e Armas e o treinamento será em larga escala.
    RESUMINDO: VAI MORRER MUITA GENTE AINDA NA EUROPA, EM LUGARES FREQUENTADOS POR EUROPEUS E AMERICANOS FORA DO QUINTAL DELES E POR AI VAI >>>> PLANTA ….. COLHE !
    a PresidANTA mudou o discurso na Turquia, agora vê se chama os Âmis, o MOSSAD e o MI e pede: SOCORROOOO – HELP –
    Mais muda o discurso essa ………….
    https://www.youtube.com/watch?v=t0ccM_bet2w

  61. Aliás, se os manos da irmandade forem melar mesmo a Olimpíadas 2016, o carnaval carioca é um prato cheio, ou alguém pensa que esses porcos não raciocinam com essa lógica de assassinos ?

  62. Eu vou ainda mais longe. Boa parte dos videos pretensamente creditados ao EI relativos a alegados massacres e gente sendo queimada foram encenações baratas. Eu aponto três ou quatro de memória. Encenações feitas por profissionais. Tudo pra criar um clima de terror na população e induzir a onda de refugiados.

    Quanto mais terríveis as cenas, mais fácil seria frouxar a entrada deles na Europa. No meio foram as células já prontas, provavelmente até com famílias “montadas”, com criancinhas, inclusive, pra disfarçar. Uma clássica operação de infiltração e guerra assimétrica.

    Não haverá outra forma de combater isso em território europeu senão acabar com os guetos, monitorar severamente os imigrantes e fazer uma maciça campanha de psi ops para integrá-los e mudar seus valores. E isso envolve, sim, restrições de ordem religiosa ou comportamental como proibir o uso do xadó ou qualquer sinal de diferenciação. Tem que ser assim, não é maio termo.

    O controle financeiro para estrangular o EI é impossível. Não fosse o financiamento de certos governos falsos da região, que se dizem pro- ocidente so na fachada, este financiamento pode ser feito no miúdo, com contas pequenas, e dinheiro sendo levado em cuecas (poderiam vir fazer um estágio com o PT pra aprender, pois quem faz vista grossa pro MST não está muito longe deles). Não há como controlar, sobretudo porque é possivel pra esta gente agir com pouco.

    Se a Europa não parar com a onda do politicamente correto ( maioria babaquices) que ainda viceja por conta da II WW, e que tenta repelir tudo que seja “nacionalista” ou minimamente associável a “facismo” e nazismo ( em resumo, direita), não irá conseguir controlar esta situação. Infelizmente deverá haver necessariamente um ciclo de militarismo, nacionalismo e controle. Caso contrário estas cenas se repetirão indefinidamente.

    O problema do oriente médio tem de ser resolvido todo de uma vez so, aniquilar todos os fanáticos que se puder e refazer o mapa. Soluções meia boca somente farão surgir cada vez mais pseudo-estados e organizações como o EI.

    Aquela mulher que queria “dialogar” com a corja teve ja de mudar o discurso, Mais um fiasco de quem so abre a boca para falar asneiras. Vamos torcer pra não virem pra cá agir nas Olimpiadas. Enquanto isso o orçamento de defesa é cortado mas dinheiro pra mídia não falta. So pra lembrar na tríplice fonteira e no sul do RS houve foguetes no 11 de setembro e a Argentina, logo ali, ja foi alvo de atentado ( associação israelita).

    Que a lição seja aprendida, embora eu ache que quem “dialoga” com FARC ( convidada a vir aqui pelo ex Ministro Tarso, de triste memória, participar de um foro mundial, se não me engano) e quem faz vista grossa aos meios militares do MST (cujo treinamento tive oportunidade de ver em um video quando era militar), não tem moral pra criticar terrorismo.

  63. “Não haverá outra forma de combater isso em território europeu senão acabar com os guetos, monitorar severamente os imigrantes e fazer uma maciça campanha de psi ops para integrá-los e mudar seus valores. E isso envolve, sim, restrições de ordem religiosa ou comportamental como proibir o uso do xadó ou qualquer sinal de diferenciação.”
    Tá ai uma parte bem complicada, mas de grande impacto! Pra muitos desses povos, o elemento religioso parece se constituir o elã identitário quando migram! Olha, na própria França, o caso dos jogadores de origem estrangeira e que são muçulmanos…muitos nao cantam a marselhesa. Por outro lado, há um grande preconceito contra o estrangeiro, uma grande resistência em integra-lo nessas sociedades e ai vem a segregação e toda a situação propicia ao terrorismo. Já foi comprovado que muitos mulá estão envolvidos no incentivo a ações terroristas e o pior: sabem quem são e o que fazem! A vigília parece insuficiente ou inútil, tem q se deportar ou prender esse povo por incentivar o terrorismo!

  64. O que me parece é que teremos uma “Conferência de Berlim” para combater o EI e depois dividir oriente médio em zonas de influência

  65. Caro Colombelli, onde assino ? Essas células já existiam e agora se multiplicaram, da forma exata que você expôs: Com família, criancinhas etc etc etc ….
    E creia-me, não estamos imunes, veremos !

  66. Com extremistas deste quilate usando a religião de alcaguete, não se negocia, se age, a moda Israel:

    Olho por olho, dente por dente….

    G abraço

  67. Não faltam refugiados pra tirarmos do Oriente Médio.
    Refugiados cristãos: coptas, maronitas, ortodoxos…
    Depois fazemos como Israel, levantamos um muro e pronto.

  68. Boa parte do que está acontecendo é consequência lá de trás, do acordo Sykes-Picot.

    Vamos tomar conta da nossa maravilhosa sociedade Ocidental, democrática, iluminista, laica na política e cristã no espírito, e deixemos aquela região pra lá.

  69. Há dois campos distintos de ação. O primeiro, mais externo, consiste em ação ,ilitar a mais violenta e brutal possivel contra os elementos do EI até a eliminação ou desbaratamento do ultimo deles. O segundo campo está nas operações psicológicas a serem feitas internamente na Europa e no Oriente médio, em concomitância com as operações militares em larga escala ou pontuais.

    A compreensão fica facilitada se fizermos um paralelo entre por exemplo o tráfico de drogas no Rio e o EI, claro, desde que guardadas as devidas proporções. É bastante óbvio que pequena parcela dos muçulmanos é terrorista, dirse-se-á melhor, ínfima parcela, assim como ínfima parcela dos que moram em favelas são traficantes. Lá como cá, há, também, um percentual pequeno de pessoas que, embora não atuando no tráfico ou no terrorismo, apoia, veladamente, ou passivamente, estas ações. Há, por fim, uma maioria que não é conivente.

    Se os europeus e EUA atacarem o EI como a policia do Rio costuma fazer, ou seja, atirando pra todo lado e atingindo inocentes, irá ocorrer, lá, com eles, o que aqui ocorre com a PM do Rio aqui, ou seja, serão vistos por toda comunidade como um mal maior que o mal a ser eliminado. Ai tudo ficará mais dificil. Cada familia inocente atingida será uma potencial fornecedora de novos terroristas, uma colabora ou no minimo deixará de ser uma possivel fornecedora de informações. Tudo que o EI quer é um argumento para unir o Islã contra os “cruzados” assassinos que “invadem” suas terras sagradas ( argumento que ja foi usado no caso da Al Caeda).

    Logo, a campanha militar, preferencialmente atuando com mínimo de efeitos colaterais, deve ser seguida de uma campanha de operações psicológicas intensa, e tão importante quanto, para não aumentar o número dos que agem com o terrorismo e dos que apoiam veladamente, e fazer dos que não apoiam aliados para denunciar.

    Já dentro da Europa, a alocação de imigrantes deve fazer com que cada pequeno grupo, se possivel familia, seja colocado isolado entre “nativos”. Deve ser impedida a formação de bairros de imigrantes, guetos, onde há a aproximação e a possibilidade de infiltração de células terroristas que difundirão o fanatismo e é facilitada a cobertura, com aumento exponencial na dificuldade de monitoramento e investigação.

    Devem ser monitorados todos os locais onde grupos de imigrantes ou nascidos em solo europeu mas muçulmanos possam se reunir, desde mesquitas até republicas de estudantes ( so pra lembrar, foi numa delas que se criaram os elementos do 11 de setembro). Infelizmente o componente religioso é o componente chave.

    Da mesma forma, cada estrangeiro deve ser compelido a internalizar a cultura local o máximo possivel. À base da motivação terrorista está a ideia de desigualdade, da diferença, os fiéis contra os infiéis, os imperialistas contra os oprimidos etc…

    Se um jovem nascido em solo europeu se propõe a atacar seus nacionais, é porque não se sente um deles.
    Este tipo de operação, a de integração cultural, perpassa pela utilização de coisas que nem de longe lembram algo militar, como atividades esportivas, culturais, musicais. É uma operação de finalidade militar que não será feita por militares, mas que deve ser desencadeadas pelo Estado, como politica de defesa. A midia terá igualmente importante papel de doutrinação. Os EUA ja sentiram o valor do “conquistar corações e mentes” no Vietnã, mas fracassaram nisso em parte por conta das ações em campo de batalha e das consequências delas.
    Eis ai a essência da guerra assimétrica e de quarta geração.

    O EI é hostis humani generis. Inimigos da racionalidade. O ocidente tem que entender que está em guerra, mas que esta guerra não se vence só com armas.

  70. Collombeli, certo.
    Só que com base em bombardeiros e drones “certeiros”, não se ganha.
    Seja em que escala for, será uma campanha terrestre cara, longa e com baixas.

  71. Não é uma boa ideia a OTAN colocar tropas em terra porque uma hora eles terão que sair. Daí tudo volta a ser mais ou menos como a saída do Iraque. Por mais difícil que seja, o melhor é usar tropas locais.

  72. Sem dúvida, não se vence nenhuma guerra sem infantaria no solo. Mas deverá se priorizar ao máximo reduzir o atrito desta força com a população. Drones já deveriam a tempo estar maciçamente atuando. Tudo o que o EI quer é uma escalada pra chamarem de “nova cruzada” e mexer com a psique de néscios que estão loucos para buscar um culpado pra sua mediocridade e pro subdesenvolvimento em que vivem. Nada melhor que por a culpa nos “imperialistas ocidentais” que “matam nossas crianças” e conspurcam os “locais sagrados”.
    É preciso cuidar pra este aspecto. Pode ser um chamariz justamente pra por as forças ocidentais la dentro fazendo exatamente o que eles querem e em condições desfavoráveis.
    E infelizmente como toda guerra irregular é suja, não se é de descartar operações contra as famílias dos cabeças. É triste não é ético, mas nem sempre a ética é boa pauta pra planejar operações militares, mormente contra os que nenhuma ética tem.

  73. Trancrevo aqui um e-mail que recebi já faz algum tempo e que acho bem interessante.
    Muitos de vcs já devem tê-lo lido, mas segue:

    “Uma Visão Germânica sobre o Islã

    Esta é, de longe, a melhor explicação para a situação terrorista muçulmana que eu já li.
    Suas referências ao passado histórico são precisas e claras. Não é longa, fácil de entender, e vale a pena ler. O autor deste e-mail é o Dr. Emanuel Tanya, um psiquiatra conhecido e muito respeitado.

    Um homem,cuja família era da aristocracia alemã antes da II Guerra Mundial, era dono de um grande número de indústrias e propriedades. Quando questionado sobre quantos alemães eram nazistas verdadeiros, a resposta que ele deu pode orientar a nossa atitude em relação ao fanatismo. “Muito poucas pessoas eram nazistas verdadeiros “, disse ele, “mas muitos preciavam o retorno do orgulho alemão, e muitos mais estavam ocupados demais para se importar. Eu era um daqueles que só pensava que os nazistas eram um bando de tolos. Assim, a maioria apenas sentou-se e deixou tudo acontecer. Então, antes que soubéssemos, pertencíamos a eles, nós tínhamos perdido o controle, e o fim do mundo havia chegado. Minha família perdeu tudo. Eu terminei em um campo de concentração e os aliados destruíram minhas fábricas”.

    Somos repetidamente informados por “especialistas” e “cabeças falantes” que o Islã é a religião de paz e que a grande maioria dos muçulmanos só quer viver em paz. Embora esta afirmação não qualificada possa ser verdadeira, ela é totalmente irrelevante. É sem sentido, tem a intenção de nos fazer sentir melhor, e destina-se a diminuir de alguma forma, o espectro de fanáticos furiosos em todo o mundo em nome do Islã. O fato é que os fanáticos governam o Islã neste momento da história. São os fanáticos que marcham. São os fanáticos que travam qualquer uma das 50 guerras de tiro em todo o mundo. São os fanáticos que sistematicamente abatem grupos cristãos ou tribais por toda a África e estão tomando gradualmente todo o continente em uma onda islâmica. São os fanáticos que bombardeiam, degolam, assassinam, ou matam em nome da honra. São os fanáticos que assumem mesquita após mesquita. São os fanáticos que zelosamente espalham o apedrejamento e enforcamento de vítimas de estupro e
    homossexuais. São os fanáticos que ensinam seus filhos a matarem e a se tornarem homens-bomba. O fato duro e quantificável é que a maioria pacífica, a “maioria silenciosa”, é e está intimidada e alheia.

    A Rússia comunista foi composta por russos que só queriam viver em paz, mas os comunistas russos foram responsáveis pelo assassinato de cerca de 20 milhões de pessoas. A maioria pacífica era irrelevante. A enorme população da China também foi pacífica, mas comunistas chineses conseguiram matar estonteantes 70 milhões de pessoas. O indivíduo médio japonês antes da II Guerra Mundial não era um belicista sadista… No entanto, o Japão assassinou e chacinou em seu caminho por todo o Sudeste Asiático em uma orgia de morte, que incluiu o assassinato sistemático de 12 milhões de civis chineses, mortos pela espada, pá, e baioneta. E quem pode esquecer Ruanda, que desabou em carnificina. Não poderia ser dito que a maioria dos ruandeses eram “amante da paz”?

    As lições da História são muitas vezes incrivelmente simples e contundentes, ainda que para todos os nossos poderes da razão, muitas vezes falte o mais básico e simples dos pontos: os muçulmanos pacíficos se tornaram irrelevantes pelo seu silêncio. Muçulmanos amantes da paz se tornarão nossos inimigos se não falarem, porque como o meu amigo da Alemanha, vão despertar um dia e descobrir que são propriedade dos fanático, e que o final de seu mundo terá começado. Amantes da paz alemães, japoneses, chineses, russos, ruandeses, sérvios, afegãos, iraquianos, palestinos, somalis, nigerianos, argelinos, e muitos outros morreram porque a maioria pacífica não falou até que fosse tarde demais. Agora, orações islâmicas foram introduzidas em Toronto e outras escolas públicas em Ontário, e, sim, em Ottawa também, enquanto a oração do Senhor foi removida (devido a ser tão ofensiva?).

    A maneira islâmica pode ser pacífica no momento em nosso país, até os fanáticos se mudarem para cá. Na Austrália, e de fato, em muitos países ao redor do mundo, muitos dos alimentos mais comumente consumidos têm o emblema halal sobre eles. Basta olhar para a parte de trás de algumas das barras de chocolate mais populares, e em outros alimentos em seu supermercado local. Alimentos em aeronaves tem o emblema halal, apenas para apaziguar uma minoria privilegiada, que agora está se expandindo rapidamente dentro das margens da nação. No Reino Unido, as comunidades muçulmanas se recusam a integrar-se e agora há dezenas de zonas “no-go” dentro de grandes cidades de todo o país em que a força policial não ousa se intrometer. A Lei Sharia prevalece lá, porque a comunidade muçulmana naquelas áreas se recusa a reconhecer a lei britânica.
    Quanto a nós que assistimos a tudo se desdobrar, devemos prestar atenção para o único grupo que conta – os fanáticos que ameaçam o nosso modo de vida. Por fim, qualquer um que duvide que o problema é grave e apenas exclua este e-mail sem enviá-lo adiante, estará contribuindo para a passividade que permite que os problemas se expandam. Então, envie esta mensagem adiante! Vamos esperar que milhares de pessoas, em todo o mundo, leiam e pensem sobre isso e e também repassem esta mensagem– antes que seja tarde demais.

    E ESTAMOS EM SILENCIO.

  74. Uma guerra irregular com morte de inocentes só retroalimenta o radicalismo.
    Aquela região é pródiga em produzir mártires, a começar por um martirizado a 2000 anos que faz um sucesso danado mundo afora, kkk.

  75. Eu estava pensando nessa comparação com o RJ também. Essas operações militares na Síria podem acabar se tornando um imenso enxugar de gelo, muita bomba e pouco resultado. O trabalho tem que ser completo, vai ser caro e custar a vida de muita gente.

  76. A comparação com o Rio é extremante pertinente guardadas as devidas proporções. Em cabos os casos temos pequenos núcleos que se valem da população civil como forma de camuflagem e proteção. para ambos, quanto maior a violência que seus oponentes empregarem e que atinja a população melhor. No Rio o vagabundo acaba sendo visto como um mal menor que a policia. Morte por morte ambos causam, mas pelo menos o traficante coloca alguma ordem e ajuda.
    No caso do Rio a politica de combater como se estivesse em uma guerra, ou seja com armamento militar e grandes operações gera um quadro de autoalimentação. Morre um inocente a policia é vista como causa e cada vez tem menos apoio.
    No caso do EI, este cuidado deverá ser tomado. Colocada de lado a questão da covardia de se esconder na população, a atitude é absolutamente lógica, Inexiste qualquer possibilidade de vitória em campo aberto contra uma coalisão ocidental. A ideia e induzir o erro, fazer a população civil ser a vitima e usar isso como elemento de operações psicológicas para angariar mais adeptos.
    Assim como tivemos de fazer no Araguaia, a atuação exige infiltração e inteligência, atuando por muito tempo, fator talvez mais importante que o concurso de forças convencionais. Ataques aéreos são a pior solução.

  77. Deveriam mandar os refugiadas para os países sunitas da região e fazer uma operação conjunta OTAN+liga árabe com propaganda e tudo tipo Cristão e mulçumanos lutando juntos contra o terror .o problema maior será o iran e a Rússia que vão obviamente querer participar

  78. Pois é, acho q um dos principais fatores que impedem uma ação conjunta em larga escala é justamente as diferenças de interesses na hora de agir. Não acredito numa solução para o terrorismo sem a ação dos players do OM. Ai da pra ter diálogo entre Irã e Arábia Saudita? Turquia e Curdistão? Israel e a maior parte do OM?

  79. Senhores, não adianta, este negócio se combate com intimidação e represálias intensas, o que eram os Japoneses na II GG?

    Samurais, Kamikazes, suicidas com bombas atadas s ao corpo se jogando em trincheira em Iwojima, o que era isto, tracem um paralelo.

    Como é que com todo o fanatismo religioso, nacionalista e etc… eles se entregaram, como???

    Levaram duas nukes na cabeça e botaram o rabo no meio das pernas porque se não, provavelmente a guerra so teria acabado 1955 o os últimos sendo caçados nas montanhas do Japão e nas selvas da Indochina.

    Três nukes táticas e em seguida eles a cabeça do barbudinho em um saco aos aliados.

    G abraço

  80. Um deformado intelectual escreveu um artigo intitulado “A França Merece”, e claro, reproduzido por blogs de teor antiocidental e aplaudido pelos energúmenos de sempre.
    Deviam perguntar para o cidadão que escreveu o artigo se aquelas 200 crianças que o EI assassinou também mereciam. Deviam perguntar se todas as vítimas degoladas ou fuziladas também mereceram. Se os gays atirados de edifícios também mereceram.
    Um boçal que imagina que há alguma razão lógica por trás das ações do EI e vomita suas conclusões usando os argumentos antiocidentais de sempre pra tentar justificar o injustificável. Advogado do Diabo da melhor estirpe. E como sempre, os seguidores das sputinices entram em convulsão histérica em sinal de apoiamento, rasgando suas calcinhas vermelhas meladas.

  81. Eu disse, não disse?! Pois então!!! Aquela região ainda não suporta a democracia ocidental. Mais uma pra conta dos que querem bancar o politicamente correto. Outro dia escrevia justamente isto e fui taxado de antidemocrático, rsrsrs.

  82. A citação do JAPÃO pelo JM é exemplar. Depois pegaram o líder pacífico para fantoche e reconstruíram o Japão e até hoje mantem bases lá ! É um caminho …..

  83. Boscolino, deixa acrescentar adjetivos aquela “ameba unicelular” que defecou aquilo no teclado.

    Aquilo ali Bosco tem uma explicação fisiológica, trata-se de um estreitamente da última curva da berbela retral que provoca retorno do fluxo fecal espasmódico em pressão extremas, forçando um retro fluxo, remetido as parte superiores da cabeça, rompendo o retentor do cerebelo e contaminando a massa cefálica com excrementos, resultando naquilo que tu leste.

    G abraço

  84. Bosco 16 de novembro de 2015 at 23:14

    “(…) Um boçal que imagina que há alguma razão lógica por trás das ações do EI e vomita suas conclusões usando os argumentos antiocidentais de sempre pra tentar justificar o injustificável.(…)”

    Sim, há uma razão lógica para as ações do EI: catalisar sentimentos nada racionais da população muçulmana, como ódio, ressentimento, frustração, e amalgamar isso tudo na criação de uma identidade religiosa deturpada, para formação de um exército de buchas prontos para uma guerra total.

    Como se costuma dizer, ninguém nunca perdeu dinheiro por subestimar a capacidade do público. O EI comprova isso da pior maneira possível, aliciando coprófagos de toda ordem.

  85. Exato Pangloss. O EI esta invertendo a lógica da guerra. As operações psicológicas sempre foram secundárias em relação as operações efetivas. Sempre foram um apoio. No caso da guerra assimétrica que está se desenvolvendo, há o inverso. As operações efetivas no terreno são secundárias. O principal é a guerra psicológica. Tudo é feito no sentido de tentar criar um distanciamento, uma dicotomia entre os malvados ocidentais cruzados e pecadores e o resto, eles, o islã puro, impoluto e cumpridor da palavra divina; entre os ocidentais super armados e ricos e os mártires que lutam com o próprio corpo. Quanto mais eles difundem esta imagem, mais imbecis surgem esperando as 72 virgens no paraíso ( Quem disse que as virgens são as melhores? Por ai tu ja tira um “naipe” dos caras).

    A tese deles é de uma imbecilidade incomensurável nos seus objetivos, mas ela tem logica se desconsiderado este e apenas analisado o que eles se propõe e quais os meios mais rápidos e eficientes para isso: Constituir uma força apta a enfrentar o ocidente.

    É por isso, Juarez, que jamais poderemos conceber o uso de armas nucleares, mesmo táticas. Seria a glória deles afirmar que o ocidente vem com a “arma mais poderosa já criada” e eles lutam com seus próprios corpos feitos de bombas.

    Assim como a campanha do EI é antes de tudo psicológica, a reação também o tem de ser, ou pelo menos colocar este aspecto em par de igualdade.

    Se isso não ocorrer será como tentar matar capim anonni. Tu acha que limpou e dali uns dias está tudo igual de novo, ou ainda pior.

    E volto a repetir, que muitos dos videos do EI com execuções são farsas, relativamente bem montadas alguns, grosseiras outros. São cenas montadas onde ninguem de fato morreu. O objetivo era semear pânico e atrair o extremismo. Este das crianças agora, ainda não vi, mas ja tenho severas restrições quanto a sua veracidade. O do piloto sirio queimado, dos elementos pendurados e queimados ( divulgado algumas semanas atras) e o de uma execução semelhante a das crianças são farsas montadas por cineastas com formação ocidental mas que sabiam pouco de medicina legal.

    Quanto ao texto que o Bosco menciona, é por conta de coisas como esta que não frequento como comentarista outros blogs. Data venia, a coisa não tem nivel. Não há conteúdo nos comentários e em muitos dos textos. Fala-se tudo superficialmente, sem argumento, sem conhecimento de causa ou com conteúdo ideológico a priori e sem um minimo de base ( é possivel se invocar este conteúdo com argumento Se válidos ou não é outra questão) . A impressão que se tem é de estar em um espaço destinado a estudantes secundaristas ( nada contra estes, que espero que frequentarem espaços como este aqui para poderem aprender a se manifestar com propriedade e ter acesso a conhecimento e não a estultices). Este texto é uma delas

    Inclusive Bosco teceu percuciente crítica a este aspecto, da superficialidade a priori, em outro espaço da trilogia, se não em engano foi no Aéreo, há alguns dias, tratando especificamente dos russófilos, que, como ele bem deixou claro, não são os apreciadores de armas russas ( há muitas e muito boas algumas), ou mesmo da história desta nação, mas sim aqueles que se colocam imediatamente contra os EUA ou seus aliados e fazem afirmações sem conhecimento de causa, tisnadas de absurdos lógicos, sem argumento, e pretendendo fazer crer que tudo que de lá vem ( Russia) é superior ou que aquele país ainda ostenta o mesmo poderio militar convencional da Guerra Fria. O citado texto sobre a França vai na mesma linha de raciocínio ( ou como diria o Ministro Magri de “desraciocínio)

    Por fim, Denfin, não so ele, Osama, era riquinho. A própria Dilma que foi guerrilheira, e, portanto terrorista, não era pobre na acepção mais correta da palavra.

  86. Colombelli, creio que o modo mais eficiente de combater o extremismo islâmico teria sido a busca, por todo o Ocidente, de alternativas energéticas em substituição ao petróleo, a partir do primeiro choque urdido pela OPEP, em 1973.
    Lá se vão mais de 40 anos.
    Caso isso tivesse sido feito, os fanáticos wahabitas que infestam a Península Arábica não teriam mais como brincar de aventureiros à custa da vida dos outros, e não poderiam financiar esses malucos.
    Tecnologia para isso não falta.
    Mas pessoas como Dick Cheney perderiam muito dinheiro com essa transição energética.

  87. Ser um russófilo não é tarefa das mais fáceis. Quando a Rússia ataca o EI é uma criatura americana que deve ser extirpada da face da Terra já que é instrumento do imperialismo. Quando o EI ataca Paris é devido à reação natural de um povo nobre e altivo cansado de ser explorado pelo imperialismo e pelo colonialismo passado.
    É o duplipensar Orwelliano levado ao extremo.
    Os caras antes de comentar devem se confundir e param pra decidir se dentro do contexto vão se posicionar contra ou a favor.
    Me lembram o personagem do Jô, o Múcio: https://www.youtube.com/watch?v=JS1uX6Fzasw

  88. Olhem o que o Lucena escreveu sobre minha pessoa no PB:

    “Esse mesmo Bosco que vive lendo o PB, assim como os outros paspalhos que aparecem aqui com outro nicnames más dora falar mal do PB, é assim mesmo….rsrsr
    .
    Ele esqueceu o dia que falou maravilhas dos marines americanos quando este mijaram na cara de supostos talibãs e foi até censurado pelo Nunão ….é o mesmo que soltou fogos quando bombas da OTAN arrasava Trípole …
    .
    É assim todos os hipócrita do americanófilos .. e o Bosco não é diferente .. saiu daqui falando mal de todo mundo do PB … ainda não perdeu a mania .. rsrsrsr..”

    Como podem ver nesse link do caso dos marines que urinaram nos talibãs mortos, eu não falei maravilhas dos Marines:
    http://www.forte.jor.br/2012/01/12/soldados-dos-eua-urinando-sobre-afegaos-mortos-gera-protestos/

    E com certeza não soltei fogos quando bombas da OTAN arrasava Trípole, mesmo porque me posicionei contra a intervenção da NATO naquela ocasião.

    Quanto a ter outro nickname, não tenho. Só comento na Trilogia e uso o meu nome de batismo. Quanto a ver o PB, sempre que posso o faço. Mesmo porque tenho grande respeito pelo E.M.Pinto, embora acho que a maioria dos comentaristas de seu blog emporcalham o espaço. Mas se ele que é o dono não liga, dirá eu.
    Quanto a falar mal de alguns comentaristas de lá, é só uma reação normal aos que falam mal de nós aqui.
    Dos porcalhões, o pior é sem dúvida esse deformado do Lucena, que emporcalha cada post que os editores do PB postam com seu proselitismo antiocidental. Bufão! É quase sempre o primeiro a contaminar o post colocando informações fora de contexto pra deleite dos outros afiliados.
    E como podemos ver na questão da “mijada dos Marines”, é um mentiroso contumaz, que subverte a realidade para conquistar simpatia e seguidores. Aliás, prática normal da turma do Grêmio Estudantil Che Guevara.
    Os outros que me citaram, são tão insignificantes que nem merecem menção.

  89. Tchê, Bosco,tu és muito maior do que as bucais destes dementes, deixa falarem besteira boca afora…

    Colombelli, eu concordo em quase tudo contigo, só acho que ponto que se chegou dada as “bambizagens européias de coitaidismo nos levou a um ponto que como diz o Gaúcho:

    Tem que dar um coice na boca de entortar o garrão, depois vamos conversar….
    G abraço

  90. Boscão, aquele Lucena é um MAV retardado comedor de Pão com mortadela que está lá com a função específica de destilar proselitismo para os petralhas, antiocidentalismo e antissemitismo. Basta ver a fixação erótica dele pelo sionismo. Acho que toda vez que ele sonha com uma estrela de Davi ele faz xixi na cama…rs!

    Mas infelizmente ele não é o único naquelas bandas. O PB está cheio de dementes russófilos e antiocidentais e MAVs, onde se destacam tipos como o demente que escreveu a peça de ódio antiocidente e apologia histérica aos russos à qual você se referiu, o Rafrutinha Positrônico e sua obsessão erótica pelo Vader e outros tipos desprezíveis.

  91. Agora vocês viram que um dos idiotas de lá tentou entrar aqui e foi bloqueado. Na boa, é bom deixar eles entrarem apenas para levarem aquela surra da turma aqui e depois irem no PB choramingar acusando a gente de “atacar em matilha”..rs!

  92. Colombelli,
    Sem dúvida as operações psicológicas já vêm de longa data e o Ocidente está perdendo de lavada, em todas as frentes.
    Na TV é comum ver “intelectuais” que apregoando a tese que o EI é uma resposta ao colonialismo e ao imperialismo, ou seja, à exploração do Ocidente naquela região, motivada principalmente por se uma região rica em petróleo.
    Isso quando não reforçam a tese que o EI é cria do próprio Ocidente. Intelectuais do peso daquela intelectual petista da USP que disse odiar a classe média.
    E o tanto que o Ocidente está infiltrado? Não fosse a farsa do PT ter sido exposta e estaríamos pior ainda e descendo com mais força em direção ao obscurantismo intelectual.
    Como se o Ocidente já não tivesse pago com juros e correção sua ingerência na região, aceitando durante todo o Século XX milhões de imigrantes como cidadãos e dando a eles direitos que jamais teriam em suas terras natais. Sem falar do direito ao voto.
    Para eles que alegam “amar a morte” são bem ressentidos com a exploração do Ocidente, fosse isso a verdadeira razão dessa cruzada que ora estamos presenciando.

  93. Eu sou da opinião de que “quem pariu Matheus que o embale e sejam responsabilizados sim”, Arábia Saudita, Qatar, EUA, França, RU, etc… se não fomentaram de forma direta, no mínimo deixaram que a coisa chegas-se aonde chegou, não a toa muitos destes terroristas estavam “retornando para casa” depois de uma temporada na Síria, tudo isto por conta de disputas geopolíticas irresponsáveis, mas não se pode aceitar que alguém proponha conversar (by Dilma) com criaturas como estes (ISIS, Boko Haram, Al-Nusra, etc….), no meu entendimento tem que sentar aço mesmo.

    Mas dai pergunto, quais são as alternativas pós destruição do ISIS, Al-Nusra, etc..? E quanto ao Boko Haram na África? E o Talibã no Afeganistão/Paquistão? Depois disso, como atuar junto aos governos que estarão no poder nestes países/regiões? Deixar na base do cada um por si? Botar limites? Quais? O agora é o combate direto, mas e depois?

    Até mais!!! 😉

  94. OFF – TOPIC : Operação policial e militar em Saint-Denis para prender terroristas, um mulher acuada com colete-bomba se detonou.
    2 aeronaves da Air France saindo dos EUA aterrisaram em emergância, por suspeita de bombas a bordo.

  95. Colombelli, ainda me pergunto se o pai da Dilma não foi colaboracionista…
    Mas voltando ao tema, insistimos em olhar pros orientais com nossos valores democrático-iluministas. O Ocidente separa Estado, religião, etnia, cultura; no Oriente todos estes valores andam juntos e misturados. Nem Israel escapa, basta ver os partidos religiosos no Knesseth.
    A sociedade ocidental, laica e democrática é o ápice da civilização humana.

  96. Resposta do autor ao meu comentário do dia 16/11 às 23:14;

    “Agora vou responder. Se houver alguma alma que tenha acesso ao espaço “Forças Terrestres” e puder postar por lá eu agradeço de pronto.

    1) O título está na forma condicional. Lamentável ver que uma pessoa por estar embebida de raiva ideológica não é capaz de reparar em um sinal de interrogação. É o primeiro equívoco.

    2) Não vou tecer comentários em relação aos termos utilizados para descrever a mim e aos demais comentaristas deste espaço, posto que são elucidativos do estado emotivo do comentarista, além de elucidativos quanto ao rancor que o mesmo guarda em seu íntimo.

    3) O comentarista “Bosco” relata uma “barriga” que circula nas redes sociais, que é a morte de 200 crianças. Na verdade se trata da execução de 200 soldados do Exército Árabe da Síria. A barbárie persiste, no entanto, e dela sou crítico contumaz.

    4) O comentarista “Bosco” deveria ler o texto com atenção, para então tecer de maneira objetiva as críticas pertinentes. É para isso que existe o espaço de comentários em blogs e sites.

    5) Tivesse lido com atenção teria se informado, ao menos. A linha do texto aponta que os atos do governo francês no Oriente Médio, de favorecer os grupos armados insurgentes de vertente islâmica sunita whahab, hostil ao chamado “arco xiita”, o que equivale dizer Síria, Iraque e Irã, resultou em um fracasso claro e retumbante. Fracasso este cristalizado nos ataques realizados em Paris. A França enviou armas anti-carro, fuzis e munições para estes grupos, notadamente Answar Al-Islam e a Al-Nusra. O ESL não passa de uma sigla para que se enviem armas para os reais grupos combatentes, Estado Islâmico, Answar Al-Islam e Al-Nusra.

    6) A incapacidade do comentarista “Bosco” é gritante, dado que não existe momento algum no texto em questão justificativa para atos de terror. Existe, isto sim, a responsabilização dos atuais governantes franceses pelas políticas adotadas. A diferença é gritante. Para tanto, só posso pensar o seguinte: a) o comentarista “Bosco” não leu o texto; b) o referido comentarista nutre aversão pessoal pelo autor; c) o comentarista é pautado por preconceitos de cunho ideológico.

    7) Finalizo dizendo que para criticar algo, deve-se conhecer. No tocante a um texto deve-se ler com atenção, ter a capacidade de interpretá-lo dispondo dos rudimentos necessários para tal. É o mínimo.”

  97. Bosco , maior tapa na cara que podia ser dado no elemento foi isso que tu fez, publicar aqui a resposta dele, demonstrando que aqui não se tem unilateralidade e se abre espaço pro debate ( com argumentos). Pergunto, com que base o elemento faz afirmação de que a Franca armou alguem?

    Olha, nunca vi em nenhuma imagem ou video, salvo engano, misseis mistral, milan ou erix, ou fuzis FAMAS, ou qualquer outro item de armamento francês, em mãos de quem quer que seja de qualquer movimento operando no oriente médio. Com base em que se afirma que a Franca enviou armas pra lá?

    Tal afirmação é tão leviana e infundada quanto afirmar que o fato de o EI usar AK-47 e RPG pode legitimar a conclusão de que russos os apoiam.

    Quanto aquele mulher da USP, representa o mais belo exemplo de como um diploma não é necessariamente atestado de inteligência, conhecimento ou sensatez. Ela “odeia” a classe média? E ela é o que? não é classe média alta? E o defendido dela lula, é o que? Eu não tenho cacife pra comprar triplex no Guarujá, nem tenho amigos com jatinho. Por que não começa doando os bens dela pros “oprimidos”?. Fala sem conhecimento de causa, baseada em teoria, especulação e achismo, como maioria dos intelectuais de esquerda, que pregam socialismo com o alheio. Esta gente precisa de uma coisa: cabo de enxada, e lembrar que a “classe” média é que os sustenta. Tenho asco destes tipos. Ela está fazendo o papel dela, bajulando quem a prestigia. Pior são os que engolem as estultices e aplaudem ( vestidos com roupa de marca e com todas a benesses do capitalismo).

    E tens completa razão. Não tivesse a farsa petista sido desmascarada, o número de asneiras propaladas e defesa de teses irreais estaria muito maior, em escala logarítmica, inclusive achando desculpas esfarrapadas para as ações do EI contra o “imperialismo”.

    Delfin, concordo. Com todas suas contradições, erros, incoerências e falhas, a sociedade ocidental ainda é o que de melhor (ou menos pior) se produziu. Quem acha melhor o que vivem lá, com apedrejamentos e burcas, que vá pra lá ou pra China ou Cuba e Coréia do Norte, viver em “liberdade”.

    Wellington tens razão. Se se quiser resolver de uma vez por todas a maior parte do problema do terrorismo e dos êxodos no oriente médio e suas ramificações, a solução perpassa por se pensar num depois. Caso contrário, daqui 05 anos estaremos voltando no mesmo ponto. Tem que mudar a cultura.

    Tenho é medo do que o Ocidente pode fazer se levado a um limite.

  98. É Colombelli,
    E engraçado é que nosso amigo articulista “isento” e ofendido (que eu não sabia ser o Ilya) quer que entendamos o seu artigo de forma a não ver nele um ranço ideológico e preconceituoso, como se cada expressão lá, relacionada ao Ocidente não fosse ofensiva.
    Realmente ele não usou a expressão “bem feito” em relação às vítimas francesas, mas todo mundo que sabe ler (e nem precisa frequentar cursos de interpretação) lê exatamente isso nas entrelinhas.
    Na verdade ele não disse “bem feito” explicitamente porque não precisava.
    E ele é tão versado em tudo e conhece tão bem as peculiaridades históricas, políticas e militares da região (onde ele não vê nenhum mérito na participação do Ocidente) que me espanta ser eu motivo de gozação sendo jocosamente chamado de “especialista” por seus admiradores.

  99. A falha da argumentação do autor do texto é imaginar que se a França ou os EUA agissem de forma diversa, apoiassem que hoje atacam, atacassem que hoje apoiam, não fizessem absolutamente nada, etc. poderia a França não ser atacada hoje pelo EI, mas poderia ser ataca pelo fundamentalistas sunitas salafistas, e provavelmente nosso amigo articulista estaria criticando a França e os EUA do mesmo jeito, porque o ponto central da sua argumentação não é ser a favor de A, B ou C, e sim ser contra o Ocidente capitalista, democrático e cristão.
    E esse “modus operandi” sabemos bem a que serve.

  100. Oi Juarez.
    Sim, infelizmente temos religiosos enfiados com política, e do tipo que brandem a Bíblia numa mão e uma maquininha de cartão na outra… e que possuem um discurso retrógrado a todas as liberdades alcançadas.
    Enquanto que a ICAR em 200 anos apagou as fogueiras e passou a ser das mais tolerantes Igrejas existentes, e continua a maior, mais poderosa e influente, para ódio de muitos “bispos” porraí,

  101. HMS TIRELESS
    O fato de ter nascido filho de mãe judia não transforma ninguém em cidadão israelense automaticamente, é necessário ser ortodoxo. Idem para as conversões, apenas as realizadas por rabinos ortodoxos são aceitas em Israel.
    o iluminismo judaico (hascalah), nascido no séc XIX, foi espremido pela aliança sionismo/ortodoxia; os judeus reformistas são vistos com reservas.
    Israel pode ser o país mais democrático da região, mas não está no nível das democracias dos EUA, Canadá e européias. Assim como aqui, mas ao menos temos consciência disso e podemos melhorar. O conceito de “democracia judaica perfeita e acabada mas cercada de inimigos externos e internos”, não deixa de ser um batente ao seu próprio desenvolvimento e evolução.

  102. OFF-TOPIC – 70.000 poloneses contra imigração muçulmana

    https://anongalactic.com/50000-march-in-poland-against-immigration/

    Vídeo da passeata : https://www.youtube.com/watch?t=28&v=dOHeRRMmwD8

    Gritos dos manifestantes no vídeo:
    Plock przeciw imigrantom – Cidade Plock contra os imigrantes
    Plock to my, to my, to my –Nós somos Płock, nós somos , nós somos
    Po-la-cy to my, to my – Nação polonesa, nós somos, nós somos
    Pla-cze Anglia, Pla-cze Francja –A Inglaterra está chorando, a França está chorando
    tak sie kon-czy to-le-rancja – É assim que a tolerância está terminando
    Każdy arab niech pa-mi-eta dla nas Polska to rzecz święta – Há cada obrigação arábe, lembre que a Polônia para nós é sagrada.

  103. E contra a península ibérica qual será a desculpa que nossos articulistas e intelectuais imparciais militantes da esquerda caviar darão para o ataque? Que no tempo que galinha tinha dente os ibéricos foram maldosos com os inimputáveis radicais islâmicos e por isso merecem punição?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here