Alerta aos japoneses será de menos de dez minutos em caso de...

Alerta aos japoneses será de menos de dez minutos em caso de ataque norte-coreano

5509
3

O regime do norte-coreano Kim Jong Un possui muitos mísseis que podem chegar ao Japão. Assim, o governo japonês está preparando seus cidadãos no caso de um míssil ser disparado contra o seu território. O alerta seria dado possivelmente com menos de 10 minutos de aviso.

O gabinete do primeiro-ministro emitiu novas diretrizes esta semana, incluindo pela primeira vez instruções sobre como agir no caso de um ataque com míssil balístico proveniente da Coréia do Norte.

Três dos quatro mísseis que a Coréia do Norte lançou no dia 6 de março caíram na zona econômica exclusiva do Japão no Mar do Japão, o corpo de água que separa o Japão da Península Coreana. A Coréia do Norte informou posteriormente que estava praticando para atingir bases militares dos EUA no Japão.

A Coréia do Norte mostrou há quase duas décadas que tem todo o Japão ao seu alcance. Em 1998, a Coréia do Norte disparou um míssil Taepodong-1 – ostensivamente para lançar um satélite – sobre o Japão e em sua zona econômica no lado do Oceano Pacífico.

O conselho do governo japonês não é exatamente útil e só trata do básico: “Você não receberá o aviso a tempo, mas se o fizer, vá para um edifício resistente”.

O site oficial de defesa civil do Japão teve 5,7 milhões de visitantes nos primeiros 23 dias de abril – em comparação com o tráfego mensal habitual de menos de 400 mil acessos.

Sob a seção “perguntas freqüentes”, o governo coloca a questão de quantos minutos levaria para um míssil chegar ao Japão.

“Um míssil é lançado da Coreia do Norte não levará muito tempo para chegar ao Japão”, diz a resposta. “Por exemplo, o míssil balístico lançado da [Coreia do Norte] em 7 de fevereiro do ano passado levou 10 minutos para voar sobre Okinawa”.

FONTE: Washington Post (tradução e edição do blog Forças Terrestres)

3 COMMENTS

  1. O Japão está a 1.,000 km (média) da CN e utilizaria mísseis PAC-3 do sistema Patriot para tentar interceptar os mísseis norte-coreanos. Vale salientar que o desempenho do PAC-3 estaria no limite nesse caso. O ideal é que os mísseis norte-coreanos fossem enfrentados pelo THAAD, que os japoneses não têm. Parece que há uma bateria no Japão mas protegendo a base naval americana e redondezas (o THAAD pode proteger uma área com um raio de 200 km).
    Os japoneses têm também o SM-3 lançado de navio, que não sei se teria alguma utilidade contra mísseis de curto alcance (até 1000 km) dos norte-coreanos.
    O problema é que esses mísseis podem mitigar os efeitos de um ataque convencional mas se apenas um nuclear passar o estrago seria muito grande.
    Já a fragilidade da Coréia do Sul é bem maior. Apesar dela contar com o avançado THAAD, há uma grande quantidade de mísseis balísticos da CN capazes de atingir a CS e muitos podem ser lançados numa primeira onda de ataque saturando as defesas, mesmo porque em geral são lançados 2 mísseis antimísseis para cada míssil balístico para aumentar as chances de sucesso.
    Provavelmente uma segunda onda seria muito menor ou talvez nem ocorresse tendo em vista a capacidade da Coréia do Sul contra-atacar.

  2. Sabemos que CN tem tecnologia dos mísseis (alcance ate 12 mil km) , urânio em abundância (relatórios falam sobre possíveis 50-60 cargas finalizadas) e alguns parafusos soltos na cabeça do líder deles. O que nao sabemos é se eles chegaram no nível tecnológico de produzir ogivas compactas (pelo progresso nos testes nucleares especialistas dizem que os coreanos estão “poupando bastante” seu campo de testes o que pode indicar controle bem preciso de carga que so seria possível com certo nível dos avanços na tecnologia de booster). E ai vem a duvida : qual tipo de míssil os coreanos preferem como carregador? E neste caso não tem como avaliar a eficiência PAC-3 contra possível ataque ja que a maioria desses mísseis vão ter apogeu bem acima de alcance dos Patriots e vai ser uma loteria na descida (mais ou menos como era no Iraque ).
    CS neste caso esta na situação bem pior pois tem uma faixa da fronteira com 50-100 km de profundidade onde artilharia convencional do Norte esta simplesmente cobrindo TODA sem chance mínima de defesa. Sao centenas de canhões de 170-203 mm! , dezenas de KN-02 e monte de FROGs.Alem das centenas dos sistemas tipo KN-09 , M1991 , RM-70 e etc
    Tem ate com propulsão de trator!!!!Mas tem! kkk
    http://ic.pics.livejournal.com/nikitskij/31749522/709956/709956_1000.jpg
    Não ha solução para isso após “apertar a tecla”! Vamos simplesmente assistir a destruição de um pais e aniquilação do outro .Mas so se alguém perder o juízo.Acredito que vai dar em nada.Podem cobrar de mim depois :).
    Um grande abraço!

  3. Scud,
    Claro que é impossível deter foguetes e obuses de ambos os lados no caso de uma guerra. O que se deseja é tentar mitigar os danos aos centros urbanos e as baixas civis, geralmente implementadas por foguetes balísticos de maior porte. Há cerca de 600 desses foguetes a disposição da CN. Mas claro, quantidade muito menor estão disponíveis para um primeiro ataque , sem falar que o bom senso manda não gastar todos os cartuchos de uma vez só. Os sistemas Patriot PAC-3 e THAAD podem não ser suficientes, mas pelo menos essa capacidade existe e pode ser tentada.
    E não há porque imaginarmos que os sul-coreanos não iriam revidar e também não irão atacar as cidades norte-coreanas e os alvos estratégicos utilizando mísseis ATACMS e os indígenas Hyunmoo 1e2 (balístico com versão de até 800 km de alcance e cabeça de guerra de 500kg ) e o Hyunmoo 3 (de cruzeiro semelhante ao Tomahawk e lançado de Terra e de navios, com 1500 km de alcance). Com certeza os norte coreanos sequer tem alguma capacidade defesa.
    O que com certeza os sul-coreanos não têm são as armas nucleares, mas aí a intimidação fica por conta do aliado americano.

LEAVE A REPLY