Home Armas Nucleares Coreia do Norte miniaturizou ogivas nucleares, diz relatório dos EUA

Coreia do Norte miniaturizou ogivas nucleares, diz relatório dos EUA

3407
42

De acordo com documento secreto datado de 28 de julho obtido pelo jornal ‘The Washington Post’, regime de Kim Jong-un conseguiu cruzar o ‘limiar-chave’ para se tornar uma nação nuclear plena; país teria até 60 armas nucleares

WASHINGTON – A Coreia do Norte conseguiu miniaturizar com sucesso uma ogiva nuclear capaz de ser transportada por um de seus mísseis, cruzando um limiar-chave no caminho para se tornar uma nação nuclear plena, concluíram funcionários de inteligência dos EUA. A avaliação está em um documento confidencial obtido pelo jornal The Washington Post.

Esta nova análise, concluída no mês passado pela Agência de Inteligência de Defesa (DIA, na sigla em inglês) foi revelada junto com outra avaliação da inteligência que aumentou bruscamente a estimativa oficial do número total de bombas no arsenal atômico do país comunista: agora, os EUA dizem que até 60 armas nucleares estão sob controle de Kim Jong-un – número que especialistas independentes acreditam ser bem menor.

Essas conclusão devem aprofundar ainda mais a preocupação de Washington em relação à evolução militar da Coreia do Norte, que parece avançar em um ritmo muito mais rápido do que a maioria dos especialistas previa. Funcionários do governo americano concluíram que Pyongyang também está superando as expectativas em seus esforços para construir um míssil balístico intercontinental capaz de atingir cidades no continente americano.

Apesar de fazer mais de uma década desde que a Coreia do Norte realizou seu primeiro teste nuclear, muitos analistas acreditavam que levaria vários anos até que os cientistas do país pudessem projetar uma ogiva compacta que pudesse ser carregada por um míssil a alvos distantes. Mas estas novas informações de inteligência, datadas de 28 de julho, indicam que este marco crítico já foi alcançado.

“A Comunidade de Inteligência concluiu que a Coreia do Norte produziu armas nucleares para transporte por míssil balístico, incluindo armas transportadas por mísseis intercontinentais (ICBM)”, diz o texto do governo americano ao qual o jornal teve acesso. As conclusões gerais da avaliação foram confirmadas ao diário por duas fontes que tiveram acesso ao documento. Ainda não se sabe se o regime já testou essa arma com design reduzido – algo que desde o ano passado o país alega ter feito.

Uma outra avaliação feita nesta semana pelo Ministério da Defesa do Japão também conclui que as evidências sugerem que a Coreia do Norte conseguiu realmente concluir a miniaturização de ogivas nucleares. A DIA e o escritório do Diretor Nacional de Inteligência do EUA não quiseram comentar as afirmações do Post.

Aposta
Os analistas concluíram que Kim Jong-un aposta cada vez mais na confiabilidade de seu arsenal nuclear, o que poderia explicar as recentes atitudes desafiadoras do ditador, incluindo testes de mísseis que provocaram críticas até mesmo do seu aliado mais próximo, a China.

No sábado, tanto Pequim quanto Moscou se juntaram aos outros membros do Conselho de Segurança da ONU e aprovaram novas sanções econômicas ao isolado país asiático, incluindo uma barreira para as exportações do país, responsáveis por quase um terço da receita anual de US$ 3 bilhões de Pyongyang.

O avanço do programa nuclear de Kim também aumenta a pressão sobre o presidente americano, Donald Trump, que garantiu que não permitirá que a Corria do Norte possa ameaçar os americano com armas nucleares. Em entrevista exibida no sábado pelo Hugh Hewitt Show, da emissora MSNBC, o conselheiro nacional de segurança H.R. McMaster afirmou que a possibilidade de a Coreia do Norte possuir mísseis nucleares intercontinentais seria “intolerável da perspectiva do presidente (Trump)”.
“Temos que fornecer opções… E isso incluir a opção militar”, disse McMaster. O especialista afirmou, no entanto, que o governo americano faria de tudo para “pressionar Kim Jong-un e os que estão ao seu redor, para que eles concluam que é do interesse deles se desnuclearizar”.

As opções de ação que estariam em avaliação em Washington iriam desde uma nova tentativa de negociação multilateral até o reenvio das armas nucleares americanas para a Península da Coreia, disseram membros do governo com acesso às discussões internas do governo Trump.

Desafio
Determinar com precisão a composição do arsenal nuclear da Coreia do Norte tem sido um desafio difícil para os funcionários de inteligência das potências mundiais, principalmente em razão do sigilo e do isolamento extremos do regime.

Os cientistas do país conduziram cinco testes nucleares desde 2006, sendo o último deles a detonação de 20 a 30 quilotoneladas em 9 de setembro, cuja explosão teria o dobro da força em comparação com a bomba lançada pelos americanos em Hiroshima, no Japão, em 1945.

No entanto, produzir uma ogiva compacta que possa ser carregada por um míssil é uma façanha tecnicamente exigente que muitos analistas acreditavam estar além das capacidades da Coreia do Norte.

No ano passado, a imprensa estatal do regime exibiu na capital, Pyongyang, um dispositivo esférico que um porta-voz do governo descreveu como uma ogiva miniaturizada, mas na ocasião não foi possível determinar se tratava-se de um dispositivo real. O teste conduzido em setembro foi descrito pelas autoridades do país como uma detonação desta ogiva miniaturizada que poderia ser utilizada com um míssil, mas a afirmação foi questionada pela comunidade internacional.

“O que inicialmente se parecia com uma Crise dos Mísseis de Cuba em câmera lenta agora já tem mais a cara do Projeto Manhattan”, disse Robert Litwak, especialista na não proliferação nuclear do Woodrow Wilson International Center for Scholars e autor do livro “Preventing North Korea’s Nuclear Breakout” (Prevenindo a ruptura nuclear da Coreia do Norte, em tradução livre), lançado neste ano pelo centro de estudos. “Há um senso de urgência por trás do programa que é algo novo para a era de Kim Jong-un.”

Enquanto alguns especialistas minimizam o progresso da Coreia do Norte, outros alertaram para o perigo de superestimar a ameaça. Siegfried Hecker, diretor emérito do Laboratório Nacional Los Alamos e o último funcionário dos EUA a inspecionar pessoalmente as instalações nucleares de Pyongyang, calculou o tamanho do arsenal norte-coreano não passe de 20 a 25 bombas. Hecker também advertiu sobre os riscos potenciais de transformar Kim em uma ameaça maior do que ele realmente é.
“O exagero (neste caso) é particularmente perigoso”, disse Hecker, que visitou a Coreia do Norte sete vezes entre 2004 e 2010 e se encontrou com os principais envolvidos no programa de armas do país. “Alguns gostam de retratar Kim como um louco – um demente – e isso faz o público acreditar que ele imparável. Ele não é louco, mas também não é suicida. Ele não é sequer imprevisível.” / WASHINGTON POST

FONTE: Estadão

42 COMMENTS

  1. Incrível…. viram o alcance? pega metade dos USA.

    To até vendo esse incompetente do Trump subestimar Kim e a Coréia do Norte tomar Seoul em um ataque relâmpago.

    A China ia adorar.

  2. sub-urbano 8 de agosto de 2017 at 18:30
    .
    Não que o Trump seja o Reagan (ou até mesmo um Eisenhower ou Nixon), mas acho que seria mais fácil ele fazer isso sob o nariz de um governo democrata (Obama) do que do Trump, mas só acho…
    .
    Acho que o Norte não tem como “tomar Seoul” pois isso significaria entrar em uma guerra convencional que eles não têm como vencer. Com os artefatos nucleares eles conseguiriam dizimar Seoul, mas não tomar de assalto em um “ataque relâmpago”… O problema em dizimar é que não haverá depois o que ser tomado por parte do norte, que não um terreno devastado e radioativo.
    .
    De qualquer maneira, não acredito que os EUA ficariam calados diante de um ataque desses, chore o que chorar a China…
    .
    Se interessasse aos envolvidos nesse teatro, as Coréias já estavam reunificadas, mas a conta para cobrir o atraso que o comunismo trouxe ao Norte é tão grande que ninguém está disposto a pagar (nem mesmo a China) e por isso ainda há espaço para esse gordinho ai ficar no poder… Minha impressão é que mesmo para a China, um ataque da Coréia do Norte ao Sul seria algo muito ruim de acontecer e, talvez, por isso não aconteceu ainda e nem deve!
    .
    Sds.

  3. Na verdade o Trump herdou uma bomba do Obama, literalmente. O Obama perdeu o “timing” para atacar a Coreia do Norte, enquanto ela desenvolvia os artefatos. Agora ela já possui! E pior, além de poder atacar a Coreia do Sul também tem capacidade de atacar solo norte americano…

    Pior que vai chegar um ponto que não vai dar para empurrar com a barriga, uma atitude terá que ser tomada e qualquer que for atitude o estrago agora vai ser grande. Provavelmente terá que ter uma coalizão muito grande com Russia e China para amenizar os danos

  4. SE isso for mesmo verdade, e repito SE for realmente for real a informação, o que os estados unidos estão esperando para bombardear a Nort Korea ? SE chegou nesse nível talvez não haja tenha mais retorno. Como deterão um país com 60 armas nucleares e que não aparenta ter medo de usa-las.

  5. Tive a oportunidade de assistir uma palestra com oficiais da Coreia do Sul, China e EUA, sobre a Guerra da Coreia. As dúvidas, obviamente, chegaram nos dias atuais.
    Ambas as potências tem a plena noção q devem “podar as asas” da Coreia do Norte, e também tem a perfeita noção q um ataque a CN pode acarretar o “sumiço” de Armas nucleares, q é a maior preocupação.
    Interessante, q hj mesmo, a China adotou a postura recomendada pela ONU.
    O que será q vai acontecer?

  6. Os eua estão e devem temer, pois basta uma sobre denver a 100 km de altura e as ondas eletromagnéticas, levam os ianques ao seculo xix

  7. Esse tipo de relatório tem que ser visto com bastante desconfiança. Se formos observar o suposto progresso da Coréia do Norte nos últimos meses (literalmente), fica evidente que tem algo errado. Ou os caras estão recebendo “de mão beijada” tecnologia nuclear e de mísseis balísticos da China, o que seria uma sandice, visto o caráter estratégico desse tipo de tecnologia, além da falta de motivação pra tal, já que o “honorável líder” não demonstrou, até o momento, ser submisso aos ditames chineses. Ou esses relatórios, assim como no período antecedente à invasão do Iraque, são instrumento de desinformação pra justificar uma operação militar, perante a comunidade internacional e público interno, contra a Coréia do Norte. Fico com a segunda opção.

  8. Coreia do Norte não passa de um cachorro louco da China, não tenham dúvidas sobre o verdadeiro player por trás dessa ditadura e de sua beligerância.
    .
    Pobre Coreia do Sul, por mais q se arme estará ao alcance retaliatorio do vizinho e em caso de queda do regime arcará por décadas com questões relativas à normalização da península.
    .
    O ataque deveria ser em uma onda avassaladora para minimizar a retaliação, mas os danos aos aliados serão certos e questionável a rápida neutralização do inimigo.
    .
    EUA com poder e disposição de intervenção cada vez mais limitada, inclusive pela quebra de sua coesão interna.
    .
    O confronto para o qual há décadas as partes se preparam, China x EUA, sempre teve como mais provável gatilho a Coreia do Norte, e quanto mais tempo passa mais a balança pende aos chineses que diciplinadamente atuam com foco estratégico claro para esse momento. Sua expansão agressiva no mar da China mostra isso.

  9. Cautela, só espero que esta fonte de informações (Washington Post) não seja a mesma do arsenal de guerra química em poder do Saddan, no Iraque (!?).
    Mais lenha na fogueira!

  10. tem alguns pontos q devemos lembrar 1 as 2 coreias ainda estão em guerra,2 a guerra não será travada entre as 2 de maneira convencional e sim nuclear,3 dizem q as baratas seriam o unico ser vivo a resistir a uma guerra nuclear nesse caso nem as baratas norte coreanas sobreviveriam até as formas de vida bacterianas existentes na coreia do norte seriam dizimadas em segundos pelas muitas bombas de hidrogenio de 50 megatons americanas, 4 caso a coreia do norte realmente sofra tal ataque sua paisagem será mais parecida com a de marte, 5 os eua já lançaram uma vez 2 bombas sobre pessoas o q leva a coreia a crer q não o farão novamente ? 6 nenhuma bomba atingira territorio americano devido as muitas camadas de defesa antimisseis.

  11. Todas as instalações nucleares norte-coreanas são conhecidas. O território norte-coreano deve ter o metro quadrado mais conhecido da comunidade de inteligência americana. Todas elas tem pelo menos um míssil prontinho para elas.
    .
    O perigo é a artilharia convencional que tem Seoul na mira. São milhares de peças de artilharia que poderiam causar muito estrago e que levaria tempo para serem totalmente eliminadas.
    .
    A Coréia do Norte não é o cachorro louco da China. Se estes os tivessem na coleira, já teria sido silenciada há muito tempo e obrigada a fazer reformas similares as chineses.
    .
    O chineses sabem que se houver uma guerra, o regime de Pyongyang cairá e isso significará bases americanas mais perto do seu território.
    .
    Os sul-coreanos NÃO querem uma reunificação. O custo estaria na casa dos 10 trilhões de dólares, a cultura já difere demais, até a língua já apresenta variações devido ao isolamento norte-coreano, o norte-coreano não está preparado para a vida no sul capitalista. Recomendo a leitura de “Nothing to Envy: Ordinary Lives in North Korea” de Barbara Demick.
    .
    O governo sul-coreano ficaria satisfeito com o norte governado por uma liderança menos “agressiva” o que é uma agenda similar a chinesa.

  12. Pessoal e detonação de um artefato nuclear poderoso pode má só destruir o local em si mas também contaminar a atmosfera com radiação milhares de quilômetros ao redor do local e ainda ser levado pelos ventos a paises qie nao tem nada a ver com isso. Concordo em acabar de vez com aquele baixinho doido, mas e os civis. Claro guerra é guerra, mas deve haver um jeito talves a moda de Israel de fazer um gigantesco ateque preventivo com o menor dano colateral possível se é que isso é possível?

  13. Como já falei uma vez aqui. O King Kong JR não vai cansar até ter uma guerra que não pode vencer. Trump não é Reagan, mas também não é Obama!

  14. Existem meios de se defender de disparos de foguetes e artilharia, o iron dome faz isso, a phalanx ciws e sistemas mais recentes a laser que tem um custo de disparo bem mais barato. A coréia do sul deveria encher Seul deles e fazer um ataque preventivo massivo para destruir as artilharias apontadas para a cidades, mas acho que só que Israel e os EUA possuem sistemas laser ou pelo menos nunca vi falar que tem na coréia do sul.

  15. Muita cautela com o Washington Compost, o “esterco de Washington”. Desde a derrota da Hillary, 9 em cada 10 reportagens são fake news, criadas para tentar diminuir o Trump. Para os democratas, nada como uma Coréia do Norte se tornando nuclear em pleno governo republicano.

  16. Se a Coreia da Morte conseguiu avançar em seus programas nuclear e de mísseis, mesmo sob tanto isolamento e tantas sanções econômicas, isso só pode ter um (ir)responsável: a China.

  17. De novo leio o absurdo de acusarem Obama pela situação da Coreia do Norte, tem dois culpados pela situação, o Pres. Dem. Harry S. Truman que de 1950 a jan/1953 não conseguiu ganhar a guerra e o Pres. Rep. Dwight D. Eisenhower que pulou fora fazendo com que a ONU assinasse uma trégua no meio de 1953 que dura até hoje.
    Se Obama tivesse atacado a Coreia do Norte seria responsabilizado pela morte de milhares de Sul Coreanos nos ataques a Seul, mesmo sem as nukes.
    E mesmo com a defesa contra mísseis segurando muitos, Seul sofreria graves consequencias com o ataque, não se pode comparar a situação com Israel que sofre ataques esporádicos de foguetes de terroristas, não um ataque pesado de mísseis, foguetes e artilharia feito a menos de 50 km de Seoul.
    E tem outra questão, quem pagaria a reunificação em caso de guerra e perda certa da Coreis do Norte, a Alemanha ja gastou mais de um trilhão de dólares na reunificação das alemanhas, tem professor de datilografia e amolador de faca que era sindicalizado e perderam o emprego na reunificação recebendo aposentadoria até hoje.
    Ainda hoje o desemprego no lado leste da alemanha é três vezes maior que no leste, a poucos anos uma fábrica de automóveis quis financiamento para aumentar e recebeu como resposta que só receberia financiamento para colocar sua fábrica no lado leste.
    E olhe que a Alemanha Oriental estava bem melhor do que está hoje a Coreia do Norte.

  18. SmokingSnake 9 de agosto de 2017 at 14:12
    .
    Imagina o custo desta brincadeira que você propôs. Um Iron Dome para se proteger contra milhares de peças de artilharia não tem efeito nenhum.
    .
    Outro detalhe é que estamos falando de artilharia móvel e não fixa.

  19. Walfrido Strobel 9 de agosto de 2017 at 15:47 tenho q descordar de voce sobre ataques esporádicos de 2011 a 2014 foram interceptados pelo iron dome mais de 1.200 foguetes e misseis do hamas e hezbollah, hj já é muito mais q isso, uma média de 300 por ano…não considero esses ataques esporádicos…

  20. entre 2000 e 2008 só de gaza foram 8.000 projeteis, e apenas do libano em 2006 foram 4.000 foguetes do hezbollah

  21. A Coreia do norte não tem artilharia de tubo com alcance de 50km-60km só foquetes e mísseis podem alcançar Seul. Essa história de bombardeiro de artilharia contra Seul é a maior falácia. A documentos de inteligência que afirmam que só 70-75% das munições de artilharia funciona os números das munições de foguetes são ainda menores . A stratfor que é uma empresa de inteligência privada tem vários documentos online que se pode acessar .

  22. Em relação aos ataque contra Israel, são ataques esporadicos feitos um a um ou alguns poucos, mas que em um ano chegam a casa dos milhares, coisa que o sistema da conta podendo ser recarregado a tempo.
    Mas no caso de uma guerra nas Coreias será um ataque de massa que sistema nenhum dará conta, com certeza pode diminuir os danos, mas não vai evitar uma catastrofe com mísseis atingindo areas urbanas superpovoadas, nas Segunda Guerra, Coreia e Vietnã tinham bombardeios sobre casas e prédios de 3 andares, em Seul serão ataques contra prédios altos, vai ser um caos sem possibilidade de bombeiros conseguirem apagar todos os focos de incêndio criados a cada míssil.
    Quanto a incapacidade dos armamentos de cano em atingir Seul, eu não sabia, interessante, algo a menos para se preocuparem.
    Vendo no mapa Seul realmente é muito perto da fronteira, algo em torno de 56 km.
    . http://www.suapesquisa.com/uploads/site/mapa_coreia_do_sul.gif

  23. Srs. A ideia de um Iron Dome para Seul é muito boa , não se trata de anular completamente a artilharia da CN e sim diminuir os eventuais danos que poderiam ser causados por ela . Pensem se eles conseguirem barrar 40% do fogo vindo do norte isto já representaria milhares de vidas salvas . Se o conflito se tornar inevitável sera melhor ter.

  24. Pelo que vi Seoul fica a 35 milhas (~56Km) da fronteira com a coréia do norte, as artilharias deles teriam que ficar a uma distancia maior ainda e simplesmente não teriam artilharia de tubo que alcance Seoul, mesmo a maioria dos foguetes deles não tem esse alcance! O único que pode atingir Seoul é o KN-09, ou seja, uma ameaça bem menos numerosa do que alardeiam.

  25. 8.000 projeteis seria só nos primeiros 5 minutos de guerra.

    A Coreia do Norte não é o Hezbolah.

    É um exercito de 6 milhões de homens que vivem em um Regime de lavagem cerebral a 60 anos.

    Não há internet, televisão, radio independentes, só a propaganda do regime,24 horas por dia a 60 anos!

    Repito: não podem subestimar Kim.

  26. Imaginem Kim ordenando um avanço rapido depois de lançar seus nukes. Quem desse um passo atras seria morto, estilo comuna, estilo Stalin.

    A classe media sul-coreana pega seu patrimonio conseguido atraves do suor sagrado de seus rostos foge para japão, singapura, malasia, filipinas…

    A China e a Russia meio assustados com a vitoria inesperada de Kim e vendo uma vantagem sobre os EUA pressionam por um armisticio, ate enviam tropas para uma missao de paz na Coreia Unificada sobre o regime comunista de Kim.

    To falando… de vez em quando aparece um maluco, um Solano Lopez, julio Cesar, Napoleon, Hitler q nao tem medo de arriscar e faz umas loucuras.

  27. Coreia do Norte pode desaparecer, mais se antes ela manda uma bomba em Chicago, Denver, Los Angeles, Seattle, Las Vegas, Minneapolis, San Francisco, Hawaii, o mais perto possivel de
    Washington e NY , Guam, Okinawa, e outras diversas bases norte americanas na Asia, vai castigar fortemente a nação que mais a invadido e desestabilizado paises, depois da WWII.

  28. Duvido que tenham alcance, precisão e potência para causar estragos ao EUA. Já a Koreia do Sul e Japão podem sofrer algum dano. Quanto mais demorar será pior. Seul será tomada caso não partam para ação. Relatórios? Até hoje procuram as armas de destruição em massa de Saddan.

  29. Amigos,
    .
    Existem outros países com interesse real nessa situação que poderiam estar fornecendo ou trocando tecnologia com os coreanos do norte… E sinceramente, acredito que possamos isentar os chineses ao menos desse desenvolvimento do ICBM em específico… Uma Coréia do Norte preparada para andar militarmente com suas próprias pernas não seria do interesse de Pequin, posto ser um fator de enorme desestabilização. Ao contrário, do que se pôde apurar até aqui, tudo indica que os próprios chineses já estão começando a ficar de saco cheio dessa situação…
    .
    Desenvolver um míssil balístico, na verdade, não é nada do outro mundo… Qualquer país que tiver um mínimo de recursos e real vontade, pode faze-lo quando bem entender, mesmo que o país que se proponha a isso não esteja dentro dos mais elevados patamares de desenvolvimento tecnológico…
    .
    Quanto a artilharia norte coreana, só há uma forma real de evita-la: atacando-a primeiro… É certo que a essa altura, toda e qualquer posição de onde se possa concentrar artilharia para um ataque massivo a partir da fronteira, já foi devidamente catalogada. Por tanto, o trabalho aqui dar-se-á por inteligência.

  30. sub-urbano,
    .
    Não é tão simples assim…
    .
    Uma das razões dos americanos manterem permanentemente um contingente na Coréia do Sul é justamente oferecem um elemento dissuasório. E pouco importa se é ínfimo… Um ataque cruzando a fronteira invariavelmente resultaria em um ataque a essas tropas. E isso praticamente obrigaria a uma retaliação americana.
    .
    Usar armas nucleares seria um verdadeiro suicídio… Primeiro porque é certa a retaliação ( impossível os americanos deixarem passar barato um ataque dessa magnitude ). E depois porque é óbvio que isso resultaria em terra desolada… Não se conquistaria nada…
    .
    Até se poderia cogitar o uso de artefatos nucleares táticos ( considerando que a CN os tenha ), que visassem apenas concentrações de tropas. Mas isso também resultaria em ataques retaliatórios de igual proporção.
    .
    Enfim, atacar a Coréia do Sul é igualmente atacar os EUA… Claro que não ponho minha mão no fogo por essa situação, mas é impossível que nenhuma das partes tenha deixado de levar isso em consideração.
    .
    Na real, creio que essas armas nucleares para a CN tem a única função prática de elevar o nível do seu ‘soft power’. É proporcionar um peso maior de barganha frente a outras potências, inclusive chineses e russos…
    .
    No mais, entendo que o único uso plausível é ser a arma do juízo final… Se alguém invadir, detona no caminho do invasor e fim de papo…

  31. Boa tarde!
    Para dizer o que acho, primeiro devo esclarecer que não vejo a Coréia do Norte como uma marionete da China. Também não acho o rechonchudo Kin um lunático. Não são normais – para os padrões ocidentais – em função do regime, isolamento, etc, mas não há loucura.

    Eu acho que a situação caminha para um momento de decisão muito mais rapidamente do que é possível administrar. Trump gosta de bravatas e é “louco” o suficiente para recorrer ao Pentágono para resolver uma disputa.

    Também considero que pode haver um ataque convencional à Coreia do Sul. Mesmo diante do mais do que certo engajamento norte-americano, Kin tem suas ogivas e elas seria o fiel da balança para os dois lados. Um ataque relâmpago para “sequestrar” parte do território sul coreano é menos arriscado do que um ataque nuclear que. bem sucedido ou não, resultaria na aniquilação da Coreia do Norte porque Washington jamais deixaria de retaliar.

    Eu sei que uma guerra nas proporções que a península coreana pode produzir seria muito custosa para o mundo, mas o problema está no fato de que a guerra é um bom negócio para EUA, um desejável para a China e pode ser um fator libertador para o Japão. Todos podem extrair algo de bom (segundo a concepção deles) e é isso que me preocupa.

  32. Duvida , a KN(correia do norte) tem como sustentar uma guerra contra eua,japão e SK(correia do sul) por algum tempo? (acho que vao torrar toda munição de inicio, não falo de projeteis das aks)

  33. Quando McArthur queria continuar marchando até Pequim/China, depois da ofensiva frustrada da Coreia do Norte sobre a do Sul.
    Rapidamente rechaçada. O general queria continuar e zerar de vez toda atividade/estratégia comunista de desestabilização regional…na época China era patrocinada pela Rússia.
    Os EUA fizeram um grande erro estratégico ao impedir e punir o militar.
    Uns dizem que não foi erro e sim um sofisticado estratagema para subjulgar a Europa aos seus prazeres geopoliticos/comerciais deixando a Foice e Martelo Russo assombrar os europeus. Este erro só perde ao grande erro que foi deixarem os soviéticos tomarem metade da Europa, deveriam empurra-los de volta às suas fronteiras e nunca terem deixado dominar e subjugar, por 70 anos, Polônia, Tcheca, Alemanha, etc…

  34. Gente, se a China quiser esse regime da Coréia do Norte acaba amanhã. Só que ela não quer e é membro permanente do CS da ONU.

    Quem vcs acham que forneceu tecnologia para esses mísseis norte-coreanos? Só que agora, perderam o controle sobre o cachorrinho deles.

    Hoje, qualquer saída diplomática tem que passar pelo aval da China, ela está com a faca e o queijo na mão!!

  35. Meus caros,
    .
    no dia 25 de abril deste ano de acordo com informações, a alta cúpula do Senado norte-americano foi convidada pela Casa Branca para uma reunião secreta sobre a questão norte-coreana.
    .
    Eventos neste formato é algo muito raro, factível em ocorrer apenas em situações criticas relacionadas a segurança nacional dos EUA…
    .
    No entanto, como isso é algo incomum e muito pouco convencional, há um sussurro de que haveria a possibilidade de neste encontro ter sido tratada a eventualidade de atacar as instalações nucleares e de mísseis da Coréia do Norte…

    Confirmações indiretas da validade dessa teoria já ocorre…
    .
    Obviamente em primeiro lugar, o representante dos Estados Unidos na ONU Niki Heyli anunciou em meados deste ano que, “em caso de um teste nuclear ou de mísseis, os americanos iria atacar a Coréia do Norte.” Em segundo lugar(acredite quem quiser…), há sido detectada insistente presença na península, de submarinos da classe “Ohio,” notadamente os Ohio que foram reformados e adaptados para o lançamento de mísseis de cruzeiro Tomahawk. Não nos esqueçamos também, houve uma vez mais o desdobramento para a Ilha de Guam, de bombardeiros pesados ​​B-1B que ficaram estacionados na base aérea de Andersen.
    .
    A julgar pela forma como as coisas estão se encaminhando, tal plano mais cedo ou mais tarde, entrará em ação e este ataque se dará pelo ar, mar, bem como no ciberespaço.
    .
    A Coreia do Norte(governo) vê a garantia de sua sobrevivência no desenvolvimento de mísseis nucleares intercontinentais. Portanto, teste de mísseis e nuclear continuarão inevitavelmente. Para os Estados Unidos, por sua vez, tal cenário é uma ameaça inaceitável…
    .
    Desta forma a situação na península coreana segue firmemente inalterada para um conflito sério.
    .
    Grato

  36. Quase dois anos avisando q iria atacar o Iraque… Tolisse achar q não tinham armas químicas e tolisse achar q iriam descobrir algo…
    Já a CN, ela mesma diz q tem!
    Quem pirua, quer o que?

  37. O Gordinho é louco? Não, ele sabe muito bem o que faz.
    Ele está certo em ter armas nucleares? Do ponto de vista dele, está sim. Saddam estaria no Iraque até hoje se tivesse esse tipo de armamento, mas foi deposto com ajuda das falsas acusações dos EUA. Na Líbia ocorreu a mesma coisa, sem querer defender o sanguinário Kadafi.
    Era todos ditadores, sim. Mas até que ponto o país merecia ser invadido por forças externas?
    O povo só é livre quando busca sua própria liberdade.
    De todos os países que foram “libertados” pelos americanos naqueles lados, não vejo um único que não esteja em guerra civil ou em estado de calamidade total.
    Venezuela que se cuide, e o Brasil que abra o olho.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here