Home Defesa Aérea Arábia Saudita ameaça com ‘ação militar’ se Qatar adquirir sistemas russos S-400

Arábia Saudita ameaça com ‘ação militar’ se Qatar adquirir sistemas russos S-400

6753
62
S-400

A Arábia Saudita teria ameaçado “ação militar” contra o Catar caso seu vizinho adquirisse sistemas de defesa antimísseis russos S-400, de acordo com o Le Monde, citando uma carta do rei Salman à presidência da França.

Em junho de 2017, Arábia Saudita, Bahrein, Emirados Árabes Unidos e Egito, entre outros países do Golfo, cortaram relações diplomáticas com o Qatar, acusando-o de apoiar e financiar o terrorismo. Doha também foi acusado de “intromissão” nos assuntos internos de seus vizinhos e de expressar apoio ao rival histórico da Arábia Saudita, o Irã.

Agora, diz-se que Riyadh teme que a aquisição planejada de Doha das unidades de mísseis terra-ar S-400 da Rússia coloque em risco a “segurança nacional” de seus vizinhos do Golfo Pérsico. De acordo com informações obtidas pelo Le Monde, o rei Salman enviou recentemente uma carta à presidência francesa, onde expressou sua “profunda preocupação” com as negociações em andamento do S-400, entre Doha e Moscou.

Se o acordo for adiante “o Reino estaria pronto para tomar todas as medidas necessárias para eliminar este sistema de defesa, incluindo ação militar”, avisa a carta, endereçada ao presidente Emmanuel Macron, pedindo que Paris aplique pressão diplomática sobre Doha.

O embaixador do Qatar em Moscou, em janeiro, observou que os países estão em um “estágio avançado” de negociação para a compra do sofisticado sistema de defesa aérea S-400. Na época, Fahad bin Mohammed Al-Attiyah observou que um acordo de cooperação militar, assinado em outubro de 2017 durante a visita do ministro da Defesa russo Sergey Shoigu ao Estado árabe, “abriu um caminho para a Rússia e o Qatar interagirem na defesa”. incluindo fornecimento de hardware, treinamento de soldados e oficiais, manutenção de armas e, é claro, cooperação de serviços especiais.”

O S-400 Triumf, também conhecido pela designação da OTAN como ‘Growler’, pode detectar e interceptar quase tudo que voa: de bombardeiros estratégicos a aviões de radar e guerra eletrônica, a jatos táticos de ataque, a mísseis balísticos e de cruzeiro de todos os tamanhos e formas. Com essa multifuncionalidade em mente, seu único concorrente é o consagrado Patriot americano, que, no entanto, possui especificações muito mais modestas.

Embora Washington ainda não tenha feito comentários sobre a compra antecipada de S-400 pelo Qatar, os EUA recentemente entraram em confronto com Ancara sobre sua decisão de garantir seu espaço aéreo usando sistemas russos. Os EUA continuam a insistir que a Turquia só deve usar sistemas compatíveis com a OTAN e comprá-los de “aliados”. Aumentando as apostas, os legisladores dos EUA apresentaram um projeto de lei que proíbe as entregas do caça F-35 à Turquia, referindo-se ao país como hostil.”

Legisladores dos EUA também advertiram a Índia que a aquisição de sistemas militares avançados russos pode comprometer a cooperação de defesa e o compartilhamento de tecnologia entre Washington e Nova Délhi, instando o país a reconsiderar a compra.

FONTE: rt.com

62 COMMENTS

  1. “Legisladores dos EUA também advertiram a Índia que a aquisição de sistemas militares avançados russos pode comprometer a cooperação de defesa e o compartilhamento de tecnologia entre Washington e Nova Délhi, instando o país a reconsiderar a compra.”

    Ué agora nem a Índia que é um tradicional comprador de armamento Russo pode fazê-lo senão acaba a “cooperação em defesa” ? Agora ninguém mais pode comprar equipamento Russo que os EUA e seu aliados já sobem o tom ? É isso mesmo produção ?

    Esses Americanos …

    • Por que a surpresa? Você apoiaria um competidor? Se você tivesse uma empresa, incentivaria que um cliente comprasse produto de outra empresa concorrente?

      Eu não apoiaria. E estaria totalmente no meu direito, assim como os EUA estão. E quem não gostar, pode comprar equipamentos russos, chineses, ou fazer o seu: é simples!

    • Bosco,
      No espaço qualquer objeto à essa velocidade é totalmente possível de ser interceptado, pois satélites trafegam em velocidade superiores (mach 24) e já foram destruídos facilmente por sistemas dos EUA e da Russia…
      Agora, um objeto trafegando na atmosfera à essa velocidade, é impossível de ser interceptado por misseis guiados por radar, tendo em vista que a formação de plasma em volta do mesmo, impede a penetração da radiação eletromagnética emitida pelo radar.
      A unica forma é através de sistemas eletro-ópticos especiais ou lazer.

      • Fox,
        Meu caro amigo, sem querer ser chato mas não é assim não. Fosse assim o míssil não teria condições de detectar o alvo (navio) porque se nada penetra no plasma dele nada sai.
        O plasma se forma em velocidades muito maiores, nas faixas de 5 a 8 km/s e em altitudes de 50 a 80 km. Nas velocidades usuais dos mísseis hipersônicos não há a formação do plasma.
        http://www.naval.com.br/blog/2018/05/18/russia-vai-modernizar-32-misseis-antinavio-kh-22/#comment-203072

        • Bosco,
          Acho que você não me entendeu.
          Oque eu quis dizer, é a respeito do atrito do míssil ou ogiva com a atmosfera. Pois esse atrito gera uma áurea eletrostática incandescente tão espessa e densa sobre a fuselagem, que a radiação eletromagnética não consegue penetra-lá.
          por isso não acredito, que o sistema russo consiga interceptar um objeto voando à mach 15 na atmosfera.
          A respeito do míssil K-22 que você mencionou. Somente foi possível a operação de radar no mesmo, porque a carenagem frontal é refrigerada, assim como nos misseis guiados por calor.

          • Não vou me alongar nessa discussão do “plasma”, só sei que rotineiramente temos informações de testes bem sucedidos do sistema Patriot e AEGIS em interceptações endoadmosféricas de mísseis balísticos de alcance curto e médio na fase terminal utilizando radar. Mìsseis esses que atingem velocidade da ordem de 3 km/s, 3,5 km/s e os russos alegam que o sistema S-400 é capaz de interceptar veículos de reentrada a 4,8 km/s.
            Com plasma ou sem plasma os radares têm funcionada perfeitamente nessas interceptações.
            Em mísseis com velocidade acima de 3 km/s o ideal é possível e preferível a interceptação exoatmosférica , na fase intermediária, e aí os mísseis interceptadores utilizam seeker a base de imagem térmica.
            Valeu e foi uma excelente discussão.
            Abraço a todos.

    • Baseado no folder …. Maximum target speed de 4800 m/s de capacidade do S400….ou seja, perto de 18000 km/h, aposto no S400 … Facinho….
      Mas quantos Kinzhal serão disparados….aí que mora o pulo do gato…

      • Willhorv,
        Mas a brincadeira tá na gente desvendar se ele pode atingir um. Isso demonstra a viabilidade técnica. De acordo com os russos o pulo do gato do Kinzhal é a velocidade Mach 10, voar a 40 km de altura e manobrar feito um colibri no cio.
        Saturando as defesas até o Exocet passa. rsrsss
        Se chegarmos a conclusão que o S-400 é capaz de interceptar o Kinzhal teremos que admitir que o sistema Aegis e o Patriot também são capazes já que os três são habilitados a interceptarem mísseis balísticos dentro da atmosfera e têm desempenho semelhante.
        E aí cai por terra a retórica da invencibilidade do Kinzhal frente aos sistemas antiaéreos correntes.

    • Sabendo o algoritmo e base matemática de trajetória seria impossível prever o resultado.
      É como jogar xadrez contigo mesmo.Ja tentou mestre Bosco? Pois Você sabe o que adversário vai fazer ja que Você é o tal adversário..
      So sei que PAC-3 não pega… Sauditas gastaram 1.5Bi nos mísseis e não tiveram muito êxito contra clones burros de Scud (Elbrus aka R-17).Yankees estão putos ate hoje com resultado la no Iraque.
      Outra.
      Sobre plasma , mestre Bosco, é melhor não fazer conclusões parciais.Pois formação de campo de plasma pode ser natural (e não esta condicionado a uma certa altitude e velocidade somente) e artificial (com ignição ou uso de condutores específicos na superfície do objeto).Acima de 4M ja da para formar um campo “plásmico” sem muito esforço tecnológico.
      Um grande abraço!

      • Os Patriot saudidas estão pegando tudo, tanto que as áreas protegidas não foram atingidas.
        Só os misseis errantes que os sauditas propositalmente deixam passar pra n gastar misseis à toa.

        No Iraque em 91, sim o Patriot falhou, é por isso que da lá pra ca foram criadas várias versões melhoradas.

        É se conectar o Patriot nos radares do Thaad, ele ganha folego para interceptar misseis de 1000km, ou seja, misseis que saem da atmosfera. Sem contar que os mesmo já estão recebendo misseis SM-6.

        Assim como eu acho que os S-400, se engajarem no modo cooperativo com os radares do futuro sistema S-500 (Thaad russo), torna a situação muito difícil para qualquer missil balisticos não intercontinental.

        • Pega tudo menos o que deve.
          https://motherboard.vice.com/en_us/article/8xkgw4/patriot-missile-saudi-arabia-yemen
          E tem muitos videos na rede desse tipo.Fora que para um(!!!!) Scud-type eles gastam 5-6 MIMs
          Resumindo : Multiple failures on the part of Saudi Arabia’s Patriots could indicate that, in fact, the air-defense system hasn’t gotten much better since its inauspicious 1991 debut and subsequent friendly-fire incidents in 2003. That could jeopardize the safety of US and allied forces in a future conflict.
          Um grande abraço!

          • Esses erros são baseados em videos que não dizem nada, são justamente os misseis errantes.
            O aeroporto de Riad, por exemplo, um alvo principal, o Patriot interceptou todos os misseis que iram atingi-lo.
            Só não enxerga quem não quer.

          • Scud,
            A tarefa de interceptar mísseis balísticos está longe de ser perfeita e está longe da tecnologia ter atingido o seu auge. Como exemplo, após mais de 100 anos do desenvolvimento da aviação militar e dos meios antiaéreos, derrubar aviões ainda não é uma tarefa fácil. Não seria diferente com os sistemas antibalísticos.
            Agora, pelo menos o Patriot já foi testado em situações reais de combate , o que não pode ser dito dos S-300 e S-400 que até agora só rugem no papel e na teoria. Pode muito bem ser que quando forem colocados para operar em uma situação real eles se saiam pior que os Patriots.
            No papel eu tenho que concordar que são mísseis fantásticos, mas são gigantes virgens. Ainda não mostraram seu desempenho na prática. Aí é mole criticar os que já atuaram na prática e não foram assim tão fantásticos.
            Esse sistema S-400 russo por exemplo, alega que pode interceptar ameaças com velocidade de 4,8 km/s e isso em até 30 km de altura. Um veículo de reentrada com essa velocidade mergulhando na vertical percorre esses 30 km em 6 segundos. Se imaginarmos uma trajetória de 67 º, ele percorreria em 7 segundos. Numa trajetória de 45º seria percorrida em 9 segundos.
            Eu particularmente acho que ameaças tão rápidas seriam melhor interceptada fora da atmosfera, mas fato é que só agora os russos irão implementar sistemas antibalísticos exoatmosféricos e eles alegam que dão conta de fazê-lo dentro da atmosfera. Eu não tenho como duvidar! Posso até achar que não vai funcionar na maioria das vezes mas não duvida da sinceridade da informação.
            Vale salientar que essa capacidade de defesa do S-400, contra ameaças com velocidade terminal de 4,8 km/s sequer existe na OTAN.
            Focando as ameaças representadas por armas americanas a mais veloz é o míssil ATACMS, que chega a 1,2 km/s.
            Acima disso só os mísseis Trident II e Minuteman III cujos veículos de reentrada têm velocidade que supera os 7 km/s.
            Ou seja, os russos se esmeraram em desenvolver um sistema ABM (antibalístico) para se contrapor a ameaças que não existem. Pelo menos não da OTAN.
            Só se eles estiverem pensando em outros eixos de ameaça. (???)
            Um abraço.

  2. Bom… logo este S400 que todos dizem que não valem nada… Parece que Turquia ,Qatar, Iraque, Índia e a Própria Arábia saudita ,pensa o contrário….
    E outra, concorrência é uma coisa ,agora ameaçar países soberanos para não comprar armamentos de outros fornecedores ….ai é ser pior do que as ditaduras que tem no mundo hoje…

    • Sr Carlos Alberto.
      Estes idiotas empanturrados de armas, que não sabem usar. Monarquia bisonha.
      Estão praticando a “livre determinação dos povos”. Para Inglês ver.

  3. Nao entendi o motivo de ameaçar militarmente um pais apenas por ele decidir comprar um determinado armamento de defesa antiaérea, acho que nessa situação um embargo seria mais adequado. A nao ser que fosse uma arma de destruição em massa, ou se após a compra ele decidisse colocar essas baterias perto das fronteira na intenção de cobrir o espaço aéreo do outro pais.

    • Só tem um problema, já reparou no tamanho do Qatar, em qualquer localização, dado o alcance do equipamento, estará com alcance além da fronteira, podendo atingir alvos sobre espaço aéreo alheio…da muita briga aí.

  4. Com certeza os Âmis determinaram a todas as suas colonias a não comprarem armamentos Russos…

    Tambén esperar o que de um pais que tomou a metade da Síria um pais soberano?!

    Só quero ver um dia quando eles quiserem tomar um pedacinho do Brasil?!
    Alegando estarem combatendo terrorismo ou alguma especie de ajuda e proteção humanitária?!
    Com certeza os Pró-Âmis baterão palmas rsrs….

    • Os Pró-Âmis baterão palmas… e os Anti-Âmis como você com certeza irão pegar em armas e se imolar em nome da soberania nacional ultrajada, né Cara Pálida???
      Com patriotas como você não temos nada a temer dos americanos malvados!

    • Na outra matéria falaram de agentes da KGB no Brasil na década de 1960.
      Parece que continuam com gente a serviço deles. Rs. Disseminando o antiamericanismo em favor do russismo comunista após décadas de doutrinamento nas escolas.
      Stálin agradece.

  5. Dá vontade de dar uma gargalhado muito grande destes sauditas. Os caras estão comendo um dobrado com um punhado de rebeldes e alguns MANPADs, imagina contra um sistema como o S-400?! Rsrsrs

  6. Os sauditas financiam o terrorismo islâmico, possuem uma das ditaduras mau repressoras do mundo, decapitam dissidentes público, ameaçam os vizinhos, etc.
    E não estão no eixo do mal dos EUA.

    • Quem financia é o Qatar há provas, ate os xiitas iraquianos alegam.
      Os Sauditas juntos com as monarquias do golfo com excessão do Qatar tem se empenhado no combate ao terrorismo, principalmente prendendo cidadões financiadores de terroristas, inclusive ajudando Israel a traçar financiadores do Hamas, sendo que a AS junto com Israel ajudou a tirar a irmandade mulçumana do poder no Egito, irmandade essa que o Qatar apoia.
      Essa não é a primeira vez de um embate entre as monarquias, desde o 11 de Setembro, os 2 tem um longa lista de embaixadores chamados de volta, troca de farpas e etc. Só vc procurar na internet.

      • A Arábia Saudita combate os grupos terroristas ligados aos rivais ao mesmo tempo em que financia a expansão do sunismo radical no mundo islâmico. A AS é a maior mentora intelectual e religiosa do terrorismo islâmico moderno. Eles combatem alguns terroristas pelo mesmo motivo que Stalin matava outros comunistas e pelo mesmo motivo que traficantes combatem uns aos outros: briga interna de poder.

        • Essa éa uma visão destorcida e incorreta e sem provas !
          Tudo que eu disse é vc, ta na, internet, pode procurar.
          Ja irei deixar, a dica: “Whats behind Qatar-AS Stand Off”.

  7. De qualquer modo considerando que a afirmação de que a ação militar foi mesmo escrita na carta, a AS exagerou muito. Uma sanção resolveria e se por acaso o Qatar ameaçasse a AS é so pedir ajuda aos “americanos marvaldu” que tem uns certos brinquedinhos na sua caixinha de brinquedos para acabar com a graça do Qatar.

  8. A questão deveria ter sido resolvida de outra forma o que mostra fraqueza da atual liderança norte-americana. Não interessa aos EUA essa briga Qatar x AS pois ambos são aliados de Washington, com o Qatar inclusive sediando uma base dos EUA onde há 10.000 militares e recentemente tendo adquirido 36 F-15E. Era melhor os sauditas simplesmente financiarem a compra do THAAD por Doha.

    • O problema é que a compra é politica.
      Qatar tá fazendo isso pra ameaçar a AS.
      E quanto a base, o Trump ja deixou claro, que ela só permanece ali, numa tentativa de controlar o Qatar, politica essa desda era Bush.
      Desde o 11 de Setembro que as relações entre as monarquias do golfo com o Qatar estão amistosas por causa da recusa do Qatar a apertar o cerco aos extremistas. Ja houve varios “Stand Offs” diplomaticos, não só aquele do ano passado.
      É se o Qatar fosse comprar um sistema ocidental semelhante ao S-400, seria um Patriot pac-3 com SM-6, o Thaad é muito mais avançado.

  9. Pessoal do Forças Terrestres, a qualidade do blog tem melhorado MUITO nos últimos dias, parabéns!!

    Esse artigo por exemplo, ficou fantástico. Peguem mais fontes do Jane’s e atualizem sempre aqui, em português. Um forte abraço!

    • Qualidade não sei.
      Mas a quantidade de matérias aumentou.
      Trilogia em ritmo de Facebook com várias matérias por dia.
      Engraçado é que no FB é assim, não é?
      Se uma página não tiver várias publicações por dia para o pessoal ficar entrando a todo momento, o pessoal para de olhar.
      Já vi isso em revista automotiva.
      Ficam requentando notícias antigas para parecer que são novas publicações…
      Há uma revista semanal que já tive muita raiva no site.
      Você lê uma matéria aí aparecem notícias relacionadas. Tipo político B é denunciado. Você vai ler é coisa do ano passado.
      Meio que requentando notícias.

  10. Duas familias “reais” em briga. Arabia Saudita x Quatar. Imaginem aonde vai chegar o preco da gasolina?

    Eu acho que se Israel nao existisse, os arabes iriam se matar uns aos outros.

    • A presenca americana pode ser mudada para qualquer outro pais do golfo facilmente, aliás, presença essa que é baseada no Qatar, justamente para tentar controlar esse pais.

  11. Enquanto isso a republiqueta das bananas com seus bofors ainda da segunda guerra mundial. Já imaginaram se a gente compra S-400 e põe em Roraima, na porta da Venezuela? Derrubaríamos qualquer teco-teco da venezuelano que ousasse levantar voo contra nós.

  12. Todo mundo sabe que restrições a compras de equipamentos militares já existiu em diversas oportunidades.
    Um caso típico foi o F5, fabricado para agradar aos aliados americanos, mas não tão bons quanto outros utilizados pelos aliados de primeira linha.
    Os próprios israelenses já sofreram boicote dos EUA e por isso compraram mirages e desenvolveram muita coisa por conta própria.
    Mas não podemos negar que há pelo menos uns 15 anos tem havido muita liberdade.
    A maioria dos países querendo vender suas armas, sem se preocupar com o comprador.
    Vejam o caso recente dessas vendas de Rafale, Typhoon e F 15 para o Qatar.
    Se não me engano, até o Brasil em 2008, poderia ter decidido comprar o F35.
    A Rússia teria oferecido parceria para vender os SU 57 ao Brasil.
    A Saab aceitou transferir tecnologia ao Brasil.
    O mesmo se aplica ao naval group com os submarinos.
    Isso tem acontecido mesmo na administração Trump que está mais preocupado com negócios e vendas.
    Quanto a restrições para outros países comprarem equipamentos russos, especialmente a Índia, não vejo sentido.
    A Índia tem a China ao lado. O S400 parece ser muito bom.
    Se eu fosse os EUA não proibiria nada.
    Apenas tentaria me aproximar mais da Índia, que, queira-se ou não, é uma potência militar e pode ajudar a contrabalançar o poder militar da China, algo que interessa aos americanos, coreanos e japoneses.
    Eu ofereceria armas baratas e em grande quantidade.
    F15, F18, F16, F35..
    Ofereceria alguns destróieres…
    Muitos mísseis…
    Peças de artilharia em grande quantidade…
    Radares..
    E sistemas defensivos antiaéreos.
    Essa reportagem é da mídia russa.
    Essa ameaça de os EUA cortarem parcerias parece estranha pois mal vejo essas parcerias.
    Vemos muitas parcerias com os russos…

  13. Bosco…Bosco…Você falou comigo Não acredito……!!!!..você é meu ídolo cara…estou emocionado um representante dos Âmis falando comigo não acredito….!!!!!!.
    ————————————————————————————————————–
    Bosco.
    Tenho uma proposta para você levar aos editores da trilogia acredito que você vai gostar?!

    1- O site Forças Terrestre poderia ficar assim ao fundo a Bandeira Americana com a Aguiã ao fundo voando e embaixo M1 Abrams.
    ——————————————–
    2- O site Poder Naval ficaria assim a Bandeira Inglesa ao fundo e estilizado ao lado o Leão e navegando abaixo no oceano azul o HMS Queen Elizabeth.
    ——————————————–
    3- O site Poder Aéreo ao fundo a Bandeira de Israel a ao lado da Bandeira o Rei Davi estilizado e voando o F-15.

    Bosco ficaria sensacional, um abração para ti.
    obs:
    É só uma brincadeira rsrs..

  14. Infelizmente hoje fica muito mais claro que a aliança satanica liderada pelos Estados Unidos e seus aliados invadem países, financiam grupos terroristas para derrubar governos, e para aqueles que tentam buscar simplesmente as melhores opções para seus países, são ameaçados e sufocados. Vejam o que os USA estão fazendo agora na reunião do G7. A humilhação que seus próprios vassalos estão passando publicamente. Conforme profecias bíblicas para o tempo do fim, a besta (que no caso é os Estados Unidos) irá dominar de maneira tirana todo o planeta e irá perseguir todos que se opuseram à ele. Ao que me parece é muito claro. Mais de 800 bases militares ao redor do planeta, políticas corruptas e manipulando com mão de ferro a economia global. Se repararmos bem, onde eles chegam tudo fica caótico. Oriente médio, Ásia e Europa.

  15. Os russos têm mísseis realmente impressionantes, alguns com desempenho muito superior ao dos EUA/OTAN, mas a pergunta é… até que ponto isso realmente faz diferença?
    No meu modo de ver é muito pouco relevante essa pretensa “superioridade” de desempenho dos mísseis russos, que revela mais uma diferença de doutrina e portanto, dos requisitos operacionais, e que pode não significar nada do ponto de vista operacional numa guerra real, mesmo porque dificilmente essas armas irão se bater de frente uma com as outras, com raras exceções, como é o caso dos mísseis ar-ar BVR.
    Mísseis cruise Tomahawks não irão enfrentar os Kalibrs e nem o PAC-2 irá enfrentar os S-400, então essa comparação e essa “competição” é inócua.
    O fato dos mísseis Iskanders terem alcance de 500 km enquanto os ATACMS terem de 300 km não é relevante tendo em vista que a neutralização dos Iskander pode ser delegada a outro meio (ex: ataque aéreo com o F-35, ou caça convencional armado com míssil cruise ou míssil Tomahawk Block IV ou mais para o futuro, UCAV stealth com laser) que não o seu “equivalente” americano.
    Os imensos mísseis supersônicos antinavios russos são sem dúvida impressionantes e sem equivalentes no Ocidente, mas convenhamos que tais mísseis são absolutamente desnecessários aos EUA e OTAN tendo em vista que a China e Rússia tem uma insipiente aviação naval baseada em porta-aviões e contra navios “desprotegidos” os “pequenos” mísseis ocidentais dão conta do recado.
    O fato também do Tomahawk ter alcance de “apenas” 1800 km enquanto os russos alegam que seus mísseis Kalibrs terem alcance de 2500 km também não quer dizer absolutamente nada tendo em vista por exemplo, a quantidade de Tomahawks disponível, que supera 10 x a quantidade do míssil russo. E novamente, não são armas que irão se enfrentar.
    Mesma coisa para os mísseis 48N6 do sistema S-400, com o dobro do peso de um Patriot PAC-2, e 50% a mais de alcance e velocidade. São mísseis que não se baterão e portanto só reflete a intenção de cada usuário. O fato do sistema Patriot ser mais “modesto” reflete apenas que as atribuições que no S-400 é apenas dele no caso dos americanos é dividida por vários sistemas, por exemplo, a combinação Patriot + THAAD.
    Onde realmente há uma competição relevante do ponto de vista operacional é em relação aos mísseis ar-ar BVR. Nesse quesito específico os americanos se mostram com certa vantagem tendo em vista já operarem o AIM-120D, com ditos 180 km de alcance enquanto o R-77 tem alcance na faixa de 100 km.
    Claro, sempre se pode alegar que os russos têm os mísseis R-37 ou o KS-172, mas mesmo esses mísseis estando mesmo operacionais é mais provável que não seriam úteis no combate entre caças de alto desempenho. E vale salientar que seria “fácil” para os americanos adotarem um míssil sup-ar para lançamento aéreo que igualariam as possibilidades. Por exemplo, utilizando o PAC-3 numa versão ar-ar como já foi testado no passado na forma do ALHTK contra mísseis balísticos. O alcance seria superior a 300 km. E tem a possibilidade futuro de utilizar o ESSM-ER ou o SLamraam-ER na função ar-ar.
    Perdão pelo off-topic.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here