quinta-feira, outubro 21, 2021

Saab RBS 70NG

É necessário garantir recursos para o END, afirma senador

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Ao defender a Estratégia Nacional de Defesa – apresentada pelo governo federal no final do ano passado -, o senador Eduardo Azeredo (PSDB-MG) lembrou que um dos objetivos dessa iniciativa é a modernização das Forças Armadas. Ele ressaltou que, “para garantir o seu sucesso, é preciso assegurar que o orçamento do setor não seja contingenciado”. O senador fez essas declarações nesta terça-feira (5), durante debate realizado no Senado com oficiais da Aeronáutica, do Exército e da Marinha.

De acordo com documento apresentado em dezembro pelos ministros da Defesa, Nelson Jobim, e da Secretaria de Assuntos Estratégicos, Roberto Mangabeira Unger, “o plano [da Estratégia Nacional de Defesa] é focado em ações estratégicas de médio e longo prazo e objetiva modernizar a estrutura nacional de defesa, atuando em três eixos estruturantes: reorganização das Forças Armadas, reestruturação da indústria brasileira de material de defesa e política de composição dos efetivos das Forças Armadas”. Jobim e Unger participaram da elaboração da estratégia, que foi solicitada pela Presidência da República.

Eduardo Azeredo argumentou que, ao evitar o contingenciamento e garantir a liberação de recursos para as Forças Armadas, permite-se que a Estratégia Nacional de Defesa torne-se uma política de Estado, e não apenas uma política de governo, “o que a protegerá no decorrer dos sucessivos governos”.

Tramitação no Congresso

O senador destacou ainda que “a maioria dos atos legais e administrativos da Estratégia Nacional de Defesa terão de ser discutidos e votados no Congresso Nacional, pois, em uma democracia, qualquer iniciativa dessa estatura passa necessariamente pelo Poder Legislativo”.

– E muitos desses itens, evidentemente, serão examinados no âmbito da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional [CRE], da qual sou presidente – observou o senador.

Ao ressaltar que a questão orçamentária das Forças Armadas é uma das principais preocupações da CRE, Eduardo Azeredo lembrou que o colegiado criou, em 2006, a Subcomissão Permanente para Modernização e Reaparelhamento das Forças Armadas – da qual ele foi vice-presidente – e, em 2007, promoveu audiências públicas com representantes da Aeronáutica, do Exército e da Marinha.

FONTE: Agência Senado

- Advertisement -

27 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
27 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Adelmo
Adelmo
12 anos atrás

Eu só sei que na hora do aperto a população só lembra de duas categorias de profissionais: o padre e o militar, e tenho dito!.

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Poh Felipe! deixa os caras pegarem um poquinho do “bolo”!
Eu fico me perguntando o pq de políticos votarem contra ou a favor do END? o que eles sabem disso? só vã decidir se não for contra sua “pragmática” rsrsrs filosofia (se vai sair um cascaio pra bufunfa, e se garante reeleição, se ajuda a “família”…)
Fico impressionado com os colegas amigos, queridos sim, aqui no blog que dão crédito a estes caras… construtores de uma burocracia sem fim! isto não é democracia é BUROCRACIA, que, claro, é necessário para contraverter e corromper o processo!

abraços

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Não há democracia aqui?Putz! Então vou la vender meu celular com GPS(imperialista hehehe)meu XBOX360 e meus 2 computadores e vou pedir para reduzir a renda da minha família para R$800(é isso que nós aqui em casa tinhamos em 1998)e vou voltar a dormir em cima de um cobertor Ahhh fala sério! Se aqui não houvesse democracia ninguém podia escolher a sua religião,opinião,bens materiais(se puder comprar é claro) e etc. Gente,não é porque de(puta)dos em brasília roubam nosso dinheiro que vamos dizer que aqui não há democracia. E mais,O POVO TEM DIREITO DE RECLAMAR,E PROTESTAR TAMBÉM MAS O POVO TAMBÉM NÃO… Read more »

Everson
Everson
12 anos atrás

“…O senador fez essas declarações nesta terça-feira (5), durante debate realizado no Senado com oficiais da Aeronáutica, do Exército e da Marinha…”

Renato Prates
Renato Prates
12 anos atrás

O senador destacou ainda que “a maioria dos atos legais e administrativos da Estratégia Nacional de Defesa terão de ser discutidos e votados no Congresso Nacional, pois, em uma democracia, qualquer iniciativa dessa estatura passa necessariamente pelo Poder Legislativo O Maior medo é exatamente nesta fase onde se embaraça, embroma, em fim retorica demais para um assunto que deve ser tratado com celeridade é perca de tempo, o pior é exatamente o fato de 90% do congresso ser expert em falcatruas e não em defesa e estrategia nacional. Senhor Lula essa parte pode ser pulada afinal de contas, é de… Read more »

Pedro Rocha
Pedro Rocha
12 anos atrás

Olá senhores! Senhor Patriota lógico que sou completamente contra qualquer tipo de privilegio que venha do erário! Senhores eu como contribuinte e salariado regido pela CLT não aceito pagar benefícios para quem escolheu uma carreira publica! Somente pela estabilidade no emprego já o deixa num patamar acima da grande maioria da sociedade! Como entusiasta sou um grande simpatizante de nossas Forças Armadas, porem gostaria de transcrever algumas coisas que estão tornado-se bem populares! “Forças Armadas para que não estamos em guerra com ninguém”, “Ficam o dia todo no quartel sem fazer nada, só marchando e lavando o carro do oficial”,… Read more »

Patriota
Patriota
12 anos atrás

Pedro Rocha

Sei que vc é contra a ideia que militares tenham alguns privilegios
mas pense em alguem que está dispostos a morrer pelo seu país muda
de 3 em 3 anos,a carreira profissional de sua esposa fica comprometida na maioria dos casos ou seja se por fatalidade este
morre sua familia fica muito prejudicada, não da pra comparar
uma carreira militar com uma carreira civil.

saudações

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Esse Eduardo Azeredo e os demais colegas do partido dele são uns fanfarrões… Passaram oito anos no poder e não fizeram p. nenhuma pelas Forças Armadas. Agora que algum lobbysta da indústria de armamentos chegou nele resolve “cuidar” do assunto… Palhaço… Quanto mais passa o tempo mais me convenço de que essa caterva é tudo farinha do mesmo saco: PeTralhas, PSDBosos, PMDBostas, etc., tudo uma cambada só de sem-vergonha; esse vagabundos só tem uma coisa que move eles: dinheiro no bolso! O Brasil não tem Democracia, tem é uma ditadura dos ladrões e dos incapazes… Por isso que só voltarei… Read more »

Pedro Rocha
Pedro Rocha
12 anos atrás

Olá senhores! Eu espero que esse tópico não perca o foco indo para a chata discussão entre o atual governo e o governo anterior. Gostaria de lembrar para quem gosta de polarizar que as políticas publicas brasileiras continuam imutáveis desde promulgação da Constituição de 1988, ou seja, em nível governamental a única mudança tem sido conjuntural, tanto interna como externa! Vejo nas palavras do senador Azevedo alem dos interesses de seu estado, algo legitimo para um senador, já demonstra uma nítida tendência da classe política brasileira de largar sua histórica inércia quanto aos interesses nacionais em especial aos problemas de… Read more »

Zero Uno
Zero Uno
12 anos atrás

Hornet em 07 mai, 2009 às 11:34 Outro comentário LÚCIDO de sua parte. Meus parabéns. O problema é que com a lista fechada alguns deputados de vários partidos políticos estão querendo criar uma janela de 06 meses antes das eleições para que o “canditato” tenha a liberdade de mudar de partido. Se for assim vai ficar como está e nada mudará. A infidelidade partidária vai continuar existindo. Voltando ao assunto do tópico, ultimamente estão surgindo parlamentares defendendo os interesses das Forças Armadas más ficam somente no discurso e quando o fazem, fazem somente em comissões próprias para o assunto e… Read more »

Hornet
Hornet
12 anos atrás

Eu já imaginei, a ciência política também…a Alemanha (a atual, esta aí que é a maior potência européia, uma das maiores do mundo e tal)implementou, vários outros países eruropeus também…e este modelo tem dado muitos resultados positivos nos países que o adotaram. Isso se chama voto em lista fechada. É diferente do nosso modelo atual, que se utiliza de voto em lista aberta. O voto em lista aberta, como o nosso, propicia um voto personalista (vota-se nas pessoas e não em programas políticos), que favorece coisas como os “salvadores da pátria”, deputados e senadores “oportunistas” (tipo Clodovil Hernandes, por exemplo,… Read more »

João Curitiba
João Curitiba
12 anos atrás

“O senador destacou ainda que “a maioria dos atos legais e administrativos da Estratégia Nacional de Defesa terão de ser discutidos e votados no Congresso Nacional, pois, em uma democracia, qualquer iniciativa dessa estatura passa necessariamente pelo Poder Legislativo”.”

Perfeito, dentro da lei. Como é em qualquer país democrático. O problema é que pode demorar. Terá de ser discutido, analisado e votado na Câmara e no Senado. Se um deles modificar uma vírgula do que o outro fez, daí tem de retornar ao outro. E começa tudo de novo.

É o ônus da democracia. Mas prefiro assim.

GustavoB
GustavoB
12 anos atrás

Por que ele não tentou garantir recursos para as FFAA quando seu partido estava no governo? E olha que ficaram 8 anos. De cabeça, algumas lembranças deste negro período:

– Fechamento de vários quartéis, diminuição dos efetivos
– A CIA quase abriu um escritório em São Paulo
– Por pouco não cederam a Base de Alcântara para os EUA
– FX empurrado para a próxima administração

Flamenguista
Flamenguista
12 anos atrás

O senador Eduardo Azeredo está abraçando uma causa que, teoricamente, não dá voto pois, é sabido que a sociedade brasileira não se importa muito com assuntos militares por diversos motivos.
Sendo assim, é louvável que haja ao menos um legislador que se interesse pelo futuro do END.

Abraços.

João Curitiba
João Curitiba
12 anos atrás

Caro Flamenguista

Além de tudo o que você disse, é preciso lembrar que Minas quer se tornar um novo pólo de indústrias de defesa. Vide Helibrás e Iveco. E o senador não está mais do que fazendo o papel dele, que é defender os interesses do seu estado, no caso, MG.

julio
julio
12 anos atrás

João Curitiba, concordo com vc, como vivemos numa democracia, tem que ser discutido no parlamento, mas, se houver VONTADE POLITICA essa discussão e aprovação do END pode ter tramitação bem rapida. Basta os deputados e senadores terem vontade. Flamenguista, também concordo que o senador Eduardo Azeredo está defendendo os interesses do seu estado em torna-lo um polo da industria militar. Seria muito interessante se outros senadores também tivessem vontade de ver seus estados participando ativamente do desenvolvimento tecnologico e militar do Brasil. Aproveito para levar ao conhecimento dos colegas que o Governo PT e os lideres de alguns partidos estão… Read more »

RL
RL
12 anos atrás

É exatamente nesse ponto, POLITICA envolvendo recursos que…

…A PORCA TORCE O RABO.

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Ulisses: democracia é uma coisa, capitalismo é outra, são coisas que não se confundem… quase sempre democracia pressupõe capitalismo e vice-versa, mas não necessariamente. Com diz o outro, não confunda c… com b… (rsrsrs).

E concordo que muito da culpa é da sociedade. Mas tudo aqui no Brasil é feito pra ela não se manifestar, pra obedecer que nem gado. A própria cidade de Brasília existe para afastar o povo do poder. Exemplos desses tenho milhares… A máquina existe pra alimentar a máquina…

Comigo tudo em riba e vc, gde abraço broe.

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

PerfeiTo Felipe!

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Olha só a dupla dinâmica! KKKKKKK (brincadeira valeu?) Concordo com você nesse ponto porém dizer que o povo vive que nem gado?Eu tenho minha dúvidas.O povo poderia muito bem fazer protesto,uma prova disto é que certos municípios aqui no RJ(o meu graças a Deus não vem ao caso)como São Gonçalo e São João de Meriti,tem prefeitos que não valem nada!As pessoas reclamam em rádios mas sequer se dá o trabalho de ir lá na prefeitura e exigir seus direitos e o pior,votam nele de novo e eles são reeleitos. Por isso eu acho que em qualquer lugar,se a população protestar,não… Read more »

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

E mais,existe uma rádio muito famosa aqui no Rio que põe o povo acima de tudo(lembra até propagandas comunistas)como se o povo não jogasse lixo e não sujasse rios.

E ai Francisco como vai 🙂 ?

Bandeira
12 anos atrás

Esperimentem mandar nossos políticos, para a Alemanha, USA, Fança, ou qualquer país do mundo democrático, e vocês vão a “M” que êles vão ficar (os países é claro, nossos políticos, vão conseguir dar um jeitinho logo, logo)

Helião
Helião
12 anos atrás

P/ Hornet Deus nos livre do voto em lista fechada, pois só favoreceria o “Caciquismo político”, pessoas fortes dentro dos partidos e que não tem expressão em votos seriam muito beneficiados, pessoas que pudessem pagar para estar entre os primeiros da lista poderiam se dar ao luxo de nem fazer campanha “externa” na rua, não haveria espaço para pessoas bem intencionadas na política enfim seria o fracasso TOTAL de nossa democracia. Sobre o tópico, agora é a hora de vermos quem é quem, e a verdadeira vontade do governo em mudar conceitos em nossa visão de DEFESA, em minha opinião… Read more »

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Felipe Cps Entendo o que disse e você está certo,mas a questão de se há democracia ou não acho que fica difícil explicar aqui,mas democracia não se resume só na questão do poder legislativo ou judiciário brasileiro,existe outras questões nisso,mas acho que não vou conseguir explicar isso aqui mas vou tentar,é igual a questão das leis que devem ser mudadas com urgência,mas ai vemos outras coisas como:o Brasil é um dos poucos países do mundo a reduzir fome,miséria,desemprego(com a crise já viu como é que é) e AIDS e etc.Isto também é democracia. Abraços.(você é advogado,mas eu pensei que você… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Não Ulisses, já fui militar, 2o Tenente R2, hoje sou paisano (e advogado, rs).

Mas é o que falei. De democracia verdadeira temos bem pouco.

Abraço.

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Ulisses: Procure pesquisar na internet sobre “precatórios”. São títulos executivos judiciais de pessoas que acionam via judiciário o Estado (municípios, estados-membros ou a união federal) e, com a sentença favorável, tem que esperar numa “fila” para receber. Se o precatório for “alimentar”, ou seja, oriundo de dívida de salário, pensão, etc. do Estado com o cidadão, o ganhador, embora possua a sentença, tem que esperar uns 10 anos para receber (o estado de SP, por exemplo, não paga ninguém há mais de doze anos). Se não for alimentar, ou seja, se for uma dívida oriunda de outras coisas (desapropriações, por… Read more »

Helião
Helião
12 anos atrás

Felipe Cps: Vc deu um exemplo perfeito de como funciona o sistema político/jurídico brasileiro, ele está contaminado de forma que aqueles que se beneficiam dele, não vão alterá-lo, pelo contrário ele tende a piorar, veja os exemplos: Reforma Política: lista fechada e financiamento Público para as campanhas ( para esse bando de políticos seria a consagração, controle interno dos partidos e dinheiro nosso a vontade para eleições) Reabertura de quase 8.000 vagas de vereadores: acomodação de aliados da gangue. Abertura de Processo contra políticos eleitos: hj o STF julga o caso, só que isso demora, demora, demora, mas quando sai… Read more »

Últimas Notícias

Novidades na Exposição Internacional Aeroespacial e Defesa de Seul – ADEX 2021

A Exposição Internacional Aeroespacial e Defesa de Seul, ou ADEX 2021, acontece no Aeroporto de Seul em Seongnam, Gyeonggi,...
- Advertisement -
- Advertisement -