domingo, outubro 24, 2021

Saab RBS 70NG

Armas são decisivas para entrada em Conselho de Segurança da ONU, dizem analistas

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O apoio dos EUA à pretensão da Índia a uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) pode ser explicado, segundo especialistas, pelo arsenal de guerra de Nova Déli – que inclui pelo menos 60 ogivas nucleares e um Exército com mais de 1,3 milhão de combatentes.

O presidente Barack Obama oficializou o apoio à Índia na semana passada, durante visita ao país.

Pesou em sua decisão o fato de os indianos serem o maior contraponto militar à China no sul da Ásia. Mas o apoio não ocorreria se o país não contasse com armas nucleares, segundo um general da alta cúpula do Exército brasileiro, que pediu para não ser identificado.

Segundo estimativa do Sipri (Instituto Internacional de Pesquisas de Estocolmo), a Índia tem entre 60 e 80 armas nucleares.

Fora isso, possui um dos maiores Exércitos convencionais do mundo, além de grande quantidade de armas estratégicas, entre elas mais de 4.000 tanques pesados, 11 mil peças de artilharia, 660 caças e uma Marinha forte, cuja frota conta com um porta-aviões e um submarino de propulsão nuclear.

Em 2008, o país investiu na área militar mais de US$ 30 bilhões, o equivalente a 2,6% de seu PIB (Produto Interno Bruto). O Brasil investiu mais de US$ 23 bilhões, cerca de 1,5% do PIB no mesmo ano, segundo o Sipri.

Os EUA, maior potência militar do globo, gastou mais de US$ 610 bilhões (4,3%).

“Para ser membro permanente do Conselho de Segurança, o país tem que ser reconhecido como potência militar, o que não é o caso [do Brasil]”, afirma o pesquisador da Unicamp e coronel da reserva Geraldo Cavagnari.

Segundo o pesquisador, como o Conselho de Segurança é um órgão político (e não econômico), “independente do peso da economia de um país, ele terá que possuir armas para integrá-lo”.

Para ele, a diferença de tamanho das forças armadas da Índia e do Brasil não é fruto apenas de decisões políticas. A localização estratégica dos países pesa na balança.

Enquanto o Brasil fica em uma região considerada extremamente estável (América do Sul, Atlântico e Pacífico sul), a Índia tem uma população cinco vezes maior, situa-se em um possível teatro de guerras futuro e vive a possibilidade permanente de conflito com o Paquistão – outra força nuclear.

MISSÕES DE PAZ

Sem os recursos necessários para se tornar uma potência militar, o Brasil tenta obter prestígio internacional participando de missões de paz das Nações Unidas.

A maior delas hoje é a Minustah (Missão das Nações Unidas para a Estabilização do Haiti), em que o Brasil mantém mais de 2.000 capacetes azuis.

Porém, os recursos escassos prejudicam até a participação nesse tipo de missão.

Em meados de agosto, o Itamaraty conseguiu, em negociação com a ONU, o comando da Força Tarefa Naval das Nações Unidas, que hoje atua na proteção da área costeira do Líbano.

Em troca, o Brasil deveria emprestar apenas um navio de sua esquadra de guerra. A negociação emperrou no Ministério da Defesa, que afirmou que não poderia prescindir de uma embarcação na defesa do litoral do país.

Hoje, negocia-se a ida de oficiais da Marinha para integrar a missão e, no ano que vem, o deslocamento de tropas terrestres.

Porém, mesmo quando a comparação é sobre missões de paz, a participação do Brasil é inferior à da Índia – que tem quatro vezes mais tropas a serviço da ONU.

Para Cavagnari, a participação em operações de paz é positiva para o Brasil, mas não o torna uma potência.

“O Brasil passa a ser um país confiável porque contribui com a paz mundial. Mas ter um papel significativo nas decisões mundiais é outra coisa”, disse.

Fonte: Folha Online

Colaboração: Agradecemos a participação de nosso usuário Rodrigo, pela sugestão da matéria.

- Advertisement -

68 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos Blumenau
Marcos Blumenau
10 anos atrás

Se armas são decisivas para entrada no conselho de segurança da ONU vamos colocar o arsenal do tráfico na conta que o Brasil vira potência do dia pra noite…

João Gabriel
João Gabriel
10 anos atrás

Pois é,eles estão certos,os governantes deles estão certos,fizeram por merecer esse apoio,enquanto a gente aqui quer ser reconhecido como potência sendo que dispensam nossos soldados na hora do almoço por não terem comida no rancho…em muitos casos a munição para treinamento é as vezes comprada com dinheiro do próprio bolso do comandante da unidade,também tem essa picuinha demagógica e corrupta em relação ao FX-2,fora as nossas reservas que quando as descobrem ao invés de manterem em sigilo e anunciar gradualmente,gritam aos quatro ventos “SIM NÓS TEMOS!!!” “SIM SOMOS AUTO SUFICIENTES!!!”….Dá inveja deles,são 4.000 tanques,11.000 peças de artilharia e como se… Read more »

Marcos Pesado
Marcos Pesado
10 anos atrás

Deixa eu entender. Para sermos respeitados internacionalmente precisamos renunciar ao tratados que nos fazem renunciar à utilização da energia nuclear para fins bélicos? É preciso arranjarmos, no mínmo, dois inimigos poderosos – pelo menos uma potência militar e econômica? Ou seja, os EUA estariam premiando um país que vai de encontro sua polítida contráia à proliferação de armamento nuclear…
Então, os próximos candidatos ao Conselho Permanente da ONU seriam Israel, Paquistão e a Coréia do Norte…

jacubão (21 kg mais magro e papai de novo)
10 anos atrás

Cruz credo. Que vergonha…

Baschera
Baschera
10 anos atrás

Isto tudo aí é só para colocar o pé na cozinha do CS da ONU……e “lavar prato”….. para que o Brasil frequente a sala de charutos ….. falta muito, mas muito “feijão”… se é que me entendem.

Gastando o que gastamos em defesa….. nem lá por 3.800 DC entraremos sequer na cozinha.

Sds.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
10 anos atrás

Vejam bem os números:

com US$ 30 bi, a Índia consegue comprar caças, desenvolver o HAL, comprar navios, manter um porta-aviões e um sub nuclear e ter um dos maiores exércitos do mundo.

Com US$ 23 bi o Brasil não consegue comprar “míseros” 36 caças, nem manter decentemente os caças obsoletos que já tem. Não consegue tirar da doca seu único PA, não dá solução para as novas fragatas da marinha, nem se preocupa em comprar tanques novos para o exército.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
10 anos atrás

O Brasil nunca conseguirá essa vaga no CS agindo como arauto da paz em um mundo onde a guerra é um negócio e a força é quem dá a palavra final.

Para chegar lá, tem que se armar mesmo, mostrar os dentes e deixar claro que também tem interesses e que vai intervir para defendê-los, como fazem China, Rússia, EUA, Índia, Israel, etc…

Vader
10 anos atrás

Dá até pena das Forças Armadas brasileiras em comparação com as da Índia… E olha que os caras por lá são tôscos a ponto de conseguir a proeza de lançar ao mar seu subnuc sem colocar o reator dentro… Hare baba… 🙂 O Cavagnari disse o óbvio ululante que a vermelhuxada abestada e a ufanistada tôsca se recusam a enxergar: não é sendo o cachorrinho birrento e ressentido do hemisfério sul do globo, e pior, fazendo isso sem ter as armas pra “trucar”, que iremos entrar pra “Primeira Divisão” do jogo de poder mundial. Pra toscalhada em geral, só relembro… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Fábio Mayer disse:
16 de novembro de 2010 às 21:19

Fábio e complementando o que você disse..

Os países que não são grandes potências e tem poder real, são os que se aliam a potências do primeiro escalão, não a países decadentes do nariz empinado.

Paulo
Paulo
10 anos atrás

Pois Zé…

Mario Blaya
Mario Blaya
10 anos atrás

arauto da paz jamais conseguira, mas sendo lacaio americano ele conseguira!

se eu estou entendendo algumas criticas e porque o Brasil preferiu escolher seu caminho e não seguir cegamente os EUA que não conseguimos o afago do Obama que tantas viuvas reclamam aqui?

Vader
10 anos atrás

Mario Blaya disse: 16 de novembro de 2010 às 22:18 Ahahaha, mais um país entrou então pra lista de “lacaios” do Tio Sam? E quem diria: a Índia do PAK-FA e dos Su-30! A Índia que s.m.j. não tem um único caça americano em seu inventário! A Índia das centenas de tanques russos! Do PA adquirido dos “Ivans”! Que coisa né? Todo mundo (que interessa: excluo o “próximo-alvo” Irão e os alvos potenciais bolivarianos) então está se tornando “lacaio” do Tio Sam! Os tradicionais GB e França, e mais recentemente Rússia e Índia. Falta só a China fazer um acordinho… Read more »

Paulo Taubaté
Paulo Taubaté
10 anos atrás

“Tamo” gastando mal….

Essa é que é a verdade….

30 bi e 23 bi. Vejam bem que a diferença é grande, mas também não gastamos pouco não?

Pra onde foi a grana??? …..Sei naum……

Welllington Góes
Welllington Góes
10 anos atrás

Reparam um detalhe? A Índia que possui “4.000 tanques pesados, 11 mil peças de artilharia, 660 caças e uma Marinha forte, cuja frota conta com um porta-aviões e um submarino de propulsão nuclear” e gasta US$ 30 bilhões. E o Brasil que não tem nem a metade disso, mas gasta módicos US$ 23 bilhões, apenas US$ 7 bilhões a menos, qual é a mágica? São eles que gastão melhor ou nós que não sabemos gastar? Aonde é que está o erro? Mas como o pessoal gosta de “valorizar” o que distorce a realidade, ou seja, tenta comprar porcentagem, fica parecendo… Read more »

Welllington Góes
Welllington Góes
10 anos atrás

Quanto ao Obama……. deixa pra lá, bem que eu avisei que ele era mais Pop Star que outra coisa, mesmo assim foram dar um Nobel pro cara, rsrs!!! O pior que tem imprensa no Brasil, que é quase uma sucursal do NYTimes e CNN, ou seja, uma imprensa Democrata no Brasil, KKKKK Praqueles que compram a briga dos EUA com a China, querendo envolver o Brasil do “lado errado”, como diria o Willian Waak, procurem saber quem mais ta investindo no Brasil, eu digo em investimentos diretos para PRODUÇÃO e INFRAESTRUTURA, antes de escreverem besteira, ai sim vão entender o… Read more »

roni
roni
10 anos atrás

desde quando o mundo existe manda quem tem mais armas e sempre teve guerras ai daqueles que nao se prepararem para o inevitavel pois a historia mostra que para os fracos so a duas opçoes a submissao ou a morte esse e o mundo que vivemos entao nao adianta o brasil querer uma vaga no cs nao vai ter enquanto estivermos armados com uma faca e outros paises com um fuzil nao adianta fazer bravatas

Caio
Caio
10 anos atrás

Agora que se chegou a essa conclusão rs! o roni falou tudo, já não aguento mais passar vergonha com a diplomacia de lulla e suas declarações etílicas bem como a sua megalomania com o desejo de participar do conselho de segurança e ser secretário geral da ONU.

Só falta agora se alinhar a Coréia do Norte viva! O fascismo sindical e sua diplomacia pródiga em bobagens…

Gilberto Rezende-Rio Grande/RS
Gilberto Rezende-Rio Grande/RS
10 anos atrás

A declaração de apoio do Obama a Índia teve mais o sentido de “provocar” a China promovendo um inimigo regional e tentar (sem sucessso) desviar a atenção sobre os EUA da sua criminosa emissão monetária de 600 bilhões de dólares sem lastro para baixar o valor do dólar e exportar a crise americana para o resto do mundo… Não tem nada de ético ou reconhecimento da Índia e talvez subsidiariamente “punir” o Brasil (por omissão de citação) pelo Brasil ter sido o país que apontou para o mundo desde março de 2010 que o que estava ocorrendo entre os EUA… Read more »

grifo
grifo
10 anos atrás

E o Brasil que não tem nem a metade disso, mas gasta módicos US$ 23 bilhões, apenas US$ 7 bilhões a menos, qual é a mágica? São eles que gastão melhor ou nós que não sabemos gastar? Aonde é que está o erro? Caro Wellington Góes, uma parte da mágica está em que um dólar na Índia tem um poder de compra muito maior que um dólar tem no Brasil. Salários e comida por exemplo são *muito* mais baratos lá do que aqui. Uma outra parte da mágica está também em que os bilhões a mais da Índia dão a… Read more »

Zirium
Zirium
10 anos atrás

Grifo,

Só faltou vc comentar a maldita irresponsabilidade do custeio que beneficia com pensões até o mais novo filhotinho do cão de raça adquirido pela tataraneta daqueles que um dia serviu à patria.

Mas porque estender esse benefício até a tataraneta?

Isso que precisa mudar mas como fazer sem contrariar interesses?

Muito complicado…

João
João
10 anos atrás

Para onde vai o dinheiro? Pergunta para os netos e tatanetos dos militares 😛

Mario Blaya
Mario Blaya
10 anos atrás

Vader acho que o comentario era para o colega que dizia que por ser arauto da paz o Brasil não tinha a simpatia dos EUA. Quem tem o pensamento simplificado e você, a India somente recebeu o apoio de Obama porque os americanos querem cercar a China e não a Bolivia, e logico que os ressentidos porque o Obama não passou a mão na cabeça do Brasil vão reclamar, a mudança do CS não será apenas no numero de assentos permanentes, mas também na sua legitimidade, se hoje estão lá os vencedores da Segunda Guerra, a revisão deverá representar as… Read more »

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Mario Blaya disse:
17 de novembro de 2010 às 7:57

Todos os países membros do CS reconhecerão o Brasil como uma potência humana, harmoniosa e defensora da moral e dos bons costumes e por isto convidarão solenemente o Brasil a se tornar um membro permanente.

Depois você acorda com o braço quebrado, da queda da sua cama.

Bruno
Bruno
10 anos atrás

Precisa de um analista para dizer que só entra no Conselho de SEGURANÇA quem tiver armas??Eu não sei baseado em que o Brasil acha que fazendo missões de paz vai conseguir a cadeira que tanto quer.Já passou da hora de termos FA adequadamente equipadas.

DaGuerra
DaGuerra
10 anos atrás

O prestígio vem em manter a paz na sua área de influência em favor da estabilidade mundial, não em “missõeszinhas” fora do seu contexto, como líbano e sudão. Estamos fingindo assumir responsabilidades,

Luiz Paulo
Luiz Paulo
10 anos atrás

É simplesmente fantástico nossa politica ideológicasóporquenãoqueremosseguircegamenteuzamericanu, rs. Estamos sendo igual aquele menino novo que quer por que quer ir na mesma festa do irmão mais velho, só que não vai, aí diz que vai pegar o chinelo e esconder, jogar bala na cama do irmão mais velho pra encher de formiga, e puxar o pé o irmão quando ele tiver dormindo, só porque ele não deixou ir na festa…. Quando o ‘Xico Buarque’ soltou aquela pérola ufanista ideológica no comissio no Rio ‘nós seremos os EUA do sul!’ deu pra ver direitinho o que pensa esse pessoal… E tem um… Read more »

Paulo Cezar
10 anos atrás

Esse “23 bi” muito provavelmente se referem ao acordo do submarino nuclear. E assim sendo serão gastos no decorrer de 10 anos, e se referem grande parte a obras do estaleiro e a compra de tecnologia. Os 30 bi indianos com certeza são em grande parte compras de prateleira.

Paulo Cezar
10 anos atrás

Aliás, U$23 bi é com certeza o maior valor investido em defesa nesse país a muito tempo, pras vúvas de FHC e do Serra de plantão, esse investimento é um “tapa na cara ” !!

kkkkkkk

@wagner
@wagner
10 anos atrás

Mario Blaya disse: 17 de novembro de 2010 às 7:57 Cara, não sonhe com essas coisas. Ninguém leva o Brasil a sério, pois o própriop Brasil não se leva a sério. Nada aqui é sério… Vader disse: 16 de novembro de 2010 às 23:14 Os” vermelhuxos” e bolivarianos não tem nada a ver com o que está sendo discutido… PT é uma m na politica externa, mas PSDB nao foi melhor. O Brasil almeja o CS desde o FHC mas desde aquela época não o faz por merecer… De qualquer forma a reportagem está correta, sem bomba atomica ninguem entra… Read more »

@wagner
@wagner
10 anos atrás

Outra: realmente, gastamos muuuuiton mal nosso 23 bi…
Bota mal nisso…

Humberto
Humberto
10 anos atrás

Complementando o grifo (concordo com o que ele postou). Não tem muito como comparar os valores gastos em defesa entre os dois paises se vc não sabe como o dinheiro é investido/gasto, mas mesmo assim “apenas” 7 Bilhões..vcs estão brincando.. As forças armadas da India não brotaram de um dia para outro, são anos (senão décadas) de investimento. Para ficarmos nos blindados, a espinha dorsal da India são os quase 2 mil T-72M1 (não sei se o M significa modernizado ou dos famigerados Monkey model) ou seja, são da década de 80. Não existe mágica alguma, para comprar tem que… Read more »

Mario Blaya
Mario Blaya
10 anos atrás

Rodrigo disse:
17 de novembro de 2010 às 8:07

os paises do CS atuais, mais India e Brasil, considerando que Japão e Alemanha sejam barrados, seriam supremos militarmente e principalmente economicamente. Esses paises bloqueando transações comerciais praticamente liquidariam com qualquer disputa.

sem considerar, que caso o Brasil consiga o seu lugar de direito no CS os custos militares terão um incremento, como alias esta ocorrendo.

por isso essa simplificação de que somente quem tem armas nucleares tem assento e coisa bem rasa.

mto
mto
10 anos atrás

nao sao eles que gastam bem e nos gastamos mau quando voce tem uma mercadoria na prateleira e deixa acabar tudo fica divisil repor tudo de uma so vez isso que acontece com nossas forças armdas se alguns anos atras tivesse uma politica seria de defesa nos estariamos nao muito distante da india os indianos nao conseguiram isso tudo da noite para o dia sao investimentos de muitos anos setor militar o brasil nao leva nada serio

Mario Blaya
Mario Blaya
10 anos atrás

@wagner disse:
17 de novembro de 2010 às 9:56

sem o complexo de vira-latas por favor, vc acredita demais nas depreciação do Brasil feita por brasileiros mediocres.

Acho que a 8ª economia do planeta não é um pais de tolos e irresponsaveis, essa mania de falar mal do povo vem de uma elite que detesta pagar salarios decentes e detesta ainda mais democracia, pois perdem quando o povo vota livremente. Basta ver a reação dessa gente quando seus escolhidos perdem eleições, o preconceito explode!

aquino
10 anos atrás

eu já suspeitava desde de o começo das declarações de obma se o pais naõ tém um bom aparato militar naõ é muito respeitado uma ecnomia forte naõ enfruencia em nada no cenario atual em que vivemos num mundo de conflitos …

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Mario Blaya disse:
17 de novembro de 2010 às 10:11

Então vai sonhando que o Brasil entrará no CS e depois se tornará potência militar.

Pessoalmente eu sou contra a “bomba atômica” PTista, mas não faço questão que as pesquisas para obtê-la rapidamente sejam proibidas.

Humberto
Humberto
10 anos atrás

Caro Mario Blaya, Ser a oitava economia não é pouca coisa..Não tem nada de relativo nisto, mas vc sempre tem que ver com uma lupa estes números divulgado isoladamente.. Por exemplo somos o quinto pais mais populoso e o quinto tb em extensão, ai a coisa já não fica tão bonito.. Em números, a renda per capita do Brasil deve chegar a U$ 10.000 este ano, número muito bom? Não se vermos uma renda dos gringos (que estão numa crise que dá tristesa mas é de 46 mil) ou da Coreia do Sul que deve ser uns 27 mil doletas… Read more »

raul
raul
10 anos atrás

Reativar o projeto paralelo , seria uma bao para entrar no CS.

Marcelo Ramos Ruizree
Marcelo Ramos Ruizree
10 anos atrás

Não devemos ser pessimistas…
Com certeza, na estrutura de um Conselho de Segurança da ONU renovado, sempre haverá espaço para um novo “player”, simpático, bem humorado, capaz de contar piadas, agenciar as mulatas mais gostosas (e de bumbum grande), bem como de servir o melhor dos cafezinhos de exportação…
Realmente a nossa esperança de um assento lá repousa nisso. Ou então poder-se-ia colocar um banquinho do lado de fora, no corredor, para a “potência emergente” disposta a servir de garoto de recados…rs

Rodrigo
Rodrigo
10 anos atrás

Marcelo Ramos Ruizree disse:
17 de novembro de 2010 às 11:35

Vão fazer um “puxadinho” na mesa do CS e colocar o Brasil nela ahahahahahahahah

caiozin
caiozin
10 anos atrás

17 de novembro de 2010 às 9:57

Outra: realmente, gastamos muuuuiton mal nosso 23 bi…
Bota mal nisso…

“Le bresil N’est pas un pays sérieux”

Se compararmos poderio, até Myanmar está melhor que nós. E só gastam 7bi de dólares por ano.

Soldier
Soldier
10 anos atrás

É preciso dizer mais?

Nossos políticos e governantes não sabem que é assim que se faz parte do CS da ONU? A maioria dos nossos mandatários não dá a mínima para o assunto defesa pois o mesmo não oferece ganhos políticos à politicalha do país.

Aí ficamos onde estamos. Na m…

Alexandre L
Alexandre L
10 anos atrás

Isso é para calar a boca daqueles brasileiros nacionalista vermelhos que insistem em dizer que o Brasil deve ter uma cadeira na ONU. Brasil não consegue nem arrumar a própria casa é que ser pontência internacional… sonha cambada!

Mario Blaya
Mario Blaya
10 anos atrás

o caso é o seguinte, se o CS for alterado, o Brasil fará parte do conselho! porque? por que e grande e rico o bastante para se-lo!

um pais com 200 milhões de habitantes, 1/6 da China, e com uma economia superior não será deixado de lado, apenas porque não apoia cegamente os interesses dos EUA. O CS atual perdeu sua força justamente por ter como titulares paises distantes de regiões como America do Sul, Africa ou Oriente.

mesmo sem bombas atomicas!

grifo
grifo
10 anos atrás

Só faltou vc comentar a maldita irresponsabilidade do custeio que beneficia com pensões até o mais novo filhotinho do cão de raça adquirido pela tataraneta daqueles que um dia serviu à patria. Caro Zirium, se você se refere a pensão dada as filhas de militares, ela foi extinta em 2001 pela MP 2215. Infelizmente existe no direito brasileiro a figura do chamado “direito adquirido” e a nova regra não vale para quem já recebia pensão ou para quem entrou nas FFAA antes da entrada em vigor da MP. Digo infelizmente porque também acho que o benefício era absurdo, e que… Read more »

Fábio Mayer
Fábio Mayer
10 anos atrás

Então vamos esperar a reforma do CS, se o Brasil entrar, dou o braço a torcer e venho aqui me redimir do que escrevi.

Mas sinceramente, não acredito.

marcos adriano
marcos adriano
10 anos atrás

eu me fico bravo com esse políticos!!!temos que ter forças armadas forte para proteção das nossas riquezas!!!gastamos muito,mas gastamos muito mal!o país tem que gastar mais com seu orçamento na parte do investimento!!quer vaga no conselho da onu ser ter forças armadas altura da potência econômica.As potências sempre embargaram tecnologia para nosso desenvolvimento.Se enriquecemos urânio e mandamos satélite ao espaço graças talento de nossos cientistas.o pais é potência econômica deveria se potência militar !!com investimento nas forças armadas seremos potência militar e com advento da END teremos altura que desejamos!!!forças armadas é questão de estado não pode ficar a mercê… Read more »

proside
proside
10 anos atrás

O poder belico do Brasil caiu e muito comparado com que tinhamos nos anos 50 e 60. Olhem como eram os desfiles de 7 de setembro.

http://www.youtube.com/watch?v=pTSQBB1Rw70&feature=related

André Luis
André Luis
10 anos atrás

Não precisa ser exatamente um gênio para saber que é preciso de armar para ser “sócio” do CS. Confesso que tento entender essa obsessão tupiniquim por um lugar ao sol, digo, uma cadeira no CS. Vai mudar o que? O Brasil vai barrar uma ação militar de algum membro ou vetar a ação de outras nações? Os EUA ignoraram solenemente a decisão do CS sobre a entrada, ou seria assalto, no Iraque, em 2003. O que o Brasil precisa é ter um projeto como país e não um projeto para políticos ficarem abobalhados e deslumbrados. Até por que enquanto estenderem… Read more »

Galileu
Galileu
10 anos atrás

GOD é brasileiro ahhaha

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -