sábado, outubro 16, 2021

Saab RBS 70NG

Brasil libera crédito a ditador do Zimbábue

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

PATRÍCIA CAMPOS MELLO
DE SÃO PAULO

vinheta-clipping-forte1O Brasil está concedendo uma linha de crédito de US$ 98 milhões (cerca de R$ 215 milhões) do BNDES para o governo do ditador Robert Mugabe no Zimbábue (África).

O recurso é parte do programa Mais Alimentos Internacional do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Com esse crédito, o governo do Zimbábue poderá comprar equipamentos agrícolas (tratores, máquinas, material de irrigação, terraplenagem) de indústrias brasileiras e repassar a agricultores do país.

13263892Entidades de direitos humanos apontam para o histórico de corrupção do governo Mugabe, há 33 anos no poder, e o perigo de o crédito brasileiro dar sustentação a um regime cujas eleições recentes foram contestadas.

Além disso, a agricultura familiar do Zimbábue está no centro da polêmica e violenta reforma agrária que Mugabe iniciou no ano 2000.

Ele confiscou sem indenização as terras de agricultores brancos, que historicamente tinham uma concentração desproporcional da propriedade fundiária.

Grande parte foi repassada a aliados políticos sem experiência no campo.

O processo teve vários episódios de violência contra fazendeiros. E o resultado foi uma queda significativa nas safras do país, que passou a importar alimentos e depender de ajuda externa.

Um dos principais problemas foi que, sem títulos de propriedade da terra, os agricultores não conseguiam acesso a crédito para comprar equipamentos agrícolas.

Dentro do Mais Alimentos, também receberão crédito Senegal (US$ 95 milhões), Gana (US$ 95 milhões)e Cuba (US$ 210 milhões).

Um total de US$ 470 milhões do BNDES, modalidade do Proex (Programa de Financiamento à Exportação), foi aprovado para o Mais Alimentos Internacional.

Os empréstimos para o Senegal só serão possíveis porque o país teve suas dívidas perdoadas pela presidente Dilma Rousseff este ano. O programa inclui capacitação de agricultores.

“É importante que possamos ajudar esses países a acabar com a fome”, diz Marco Antônio Viana Leite, diretor do Mais Alimentos. “Reconhecemos que há problemas, mas não dá para excluir o país por causa disso.”

O dinheiro não pode ser concedido diretamente aos agricultores. Precisa ser de governo para governo, porque o Zimbábue é de alto risco para crédito, diz Leite.

Segundo ele, o governo do Zimbábue se compromete a repassar as máquinas apenas para agricultores familiares. “Temos como controlar se ele está desviando as máquinas, o MDA fará fiscalização”, diz.

“Trata-se de dinheiro público, do BNDES, para um governo que tem um histórico de violações de direitos humanos e corrupção”, diz Camila Asano, coordenadora de Política Externa da Conectas.

“Não achamos que esses países devam ser isolados, mas é preciso ter uma discussão ampla sobre salvaguardas para esse crédito.”

Para o governo, o Mais Alimentos é uma maneira de transferir tecnologia para agricultura familiar e ao mesmo tempo ajudar empresas brasileiras a exportar.

FONTE: Folha de São Paulo

- Advertisement -

9 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
9 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
jacubao
jacubao
8 anos atrás

É ISSO AÍ BRASIL, ESTAMOS NADANDO EM DINHEIRO!!!!
Crédito para Cuba, Venezuela, Bolívia, Argentina, Equador, Uruguai, Coreia do Norte, Irã, Síria, Zinbábue, Osama Bin Laden (se estivesse vivo), Car Max (lá no inferno)… e por falar no inferno, aproveita e empresta para o Satanás também pois pelo visto, ele já deve ter conseguido uma vaguinha em Brasília também…

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Brasil cumpanhero apoiando ditaduras pelo Mundo.

Baschera
Baschera
8 anos atrás

Jamais receberemos de volta….

Hoje o país não tem moeda. Circulam no Zimbábue, o Dólar americano, o Euro, o Rand sul-africano e o Pula de Botswana.

Em 2009, estimou-se que a inflação DIÁRIA chegou a 98%, anualizado, calcula-se que o aumento do custo de vida tenha alcançado a casa dos 89,7 sextilhões por cento.

No mais, os “cumpanheiros” empresários dividirão a grana com os “interesses” do partido…. e o tesouro nacional pagará a conta…. quando a anistia vier !

Agora, estou esperando uma “doação” brasileira ao governo sírio…..

Sds.

Augusto
Augusto
8 anos atrás

A 7a economia mundial – dizem que já foi a 6a – não tem dinheiro para proteger o próprio espaço aéreo comprando míseras 3 dúzias de caças, mas sempre consegue que o BNDES jogue dinheiro na lata de lixo.

Antonio M
Antonio M
8 anos atrás

O tal discurso ético e humanista dessa quadrilha é para incautos mesmo, mas a ajuda é “normal” pois é assim que mostram como os ladrões e corruptos deles são melhores do que o dos outros …..

Marcos
Marcos
8 anos atrás

A coisa vai ficar feia para o Brasil na hora que começarem a financiar terroristas.

Marcos
Marcos
8 anos atrás

Já podemos mudar de nome:

República Democrática Popular Bolivaria de Zamunda

Vader
8 anos atrás

Governo lixo financiando mais um crápula…

Adler Medrado
8 anos atrás

E daqui a algum tempo, o Brasil perdoará a dívida e nós como sempre ficaremos no prejuízo.

Últimas Notícias

ESPECIAL: Apresentação das capacidades do Exército Francês

Por Jean François Auran* Colaborador especial do Forças Terrestres/Forças de Defesa Parece às autoridades militares francesas que o mundo está se...
- Advertisement -
- Advertisement -