Home Geopolítica Otan afirma que mais de mil soldados russos combatem na Ucrânia

Otan afirma que mais de mil soldados russos combatem na Ucrânia

256
16

Rússia

ClippingMais de mil soldados russos combatem atualmente em território ucraniano e principalmente na zona de Novoazovsk, informou nesta quinta-feira um dirigente militar da Otan, que classificou a situação de muito preocupante. “Muito mais de mil soldados russos combatem atualmente na Ucrânia. Eles dão apoio aos separatistas, lutam junto a eles” contra as forças armadas ucranianas, afirmou durante uma coletiva de imprensa no centro de comando das forças aliadas na Europa (Shape) em Mons (oeste da Bélgica), acrescentando que se trata de uma estimativa muito prudente.

Estes soldados, que muitas vezes não usam insígnias, são reconhecíveis pela sua conduta, de “militar profissional”, assegurou, insistindo que há cada vez mais informações que circulam publicamente sobre soldados russos mortos nos combates. “Eles operam equipamentos sofisticados, aconselham os separatistas e os soldados avançam até 40 ou 50 km em território ucraniano”, descreve este oficial. Kiev afirmou neste quinta-feira que tropas russas tomaram o controle da cidade fronteiriça de Novoazovsk e denunciou uma “invasão direta” do país.

“Desde segunda-feira, assistimos novas incursões perto de Novoazovsk”, o que cria uma “nova frente às forças ucranianas”, e que, portanto, os coloca “em uma situação terrível”, disse o membro Otan. Estas tropas russas podem subir desde Novoazovsk para o norte e em torno de Donetsk, reduto dos separatistas pró-russos cercado pelo exército ucraniano, ou para oeste e a Crimeia, anexada pela Rússia em março. Segundo ele, “a Rússia tentará agora congelar o conflito, prolongar o conflito, para garantir que a Ucrânia tenha dificuldades em se manter”. O oficial garantiu ainda que a “escalada significativa das operações militares russas” nas últimas duas semanas está “diretamente relacionada ao sucesso das operações militares ucranianas” contra os separatistas, que “encontraram-se sob pressão”.

Ele indicou que “desde meados de agosto, as forças russas estão envolvidas ativamente nos combate”, e estima em cerca de 20 mil o número de soldados mobilizados ao longo da fronteira russo-ucraniana. Além disso, a qualidade dos equipamentos (tanques, blindados, artilharia…) fornecidos pela Rússia aos rebeldes “aumentou ainda mais em volume”.

FONTE: AFP

Subscribe
Notify of
guest
16 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan
Ivan
6 anos atrás

https://www.abc.net.au/news/linkableblob/5297958/data/ukraine-ethnic-divide-data.png Este mapa aponta para a área que a Rússia tem interesse. Alegadamente por ser uma região com grande presença de russos étnicos (sic) ou simplesmente russófonos, mas que na verdade isola a Ucrânia do Mar Negro e cria uma passagem por terra até a Criméia e a Transnístria. na Moldávia. Os russos vem usando a arma demográfica a séculos. Inicialmente na Criméia a partir de 1783 com Catarina a Grande, mas principalmente no século XX com o manto da URSS, com emigração de russos para as repúblicas vizinhas onde tinham interesses. Foi assim com a Ucrânia, Lituânia, Letônia, Estônia… Read more »

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Combates em Novoazovsk

O combate agora é contra tropas russas, conforme informes da impressa europeia.

http://www.areamilitar.net/noticias/noticias.aspx?NrNot=1420

Novoazovsk é uma cidade ucraniana a 14 km da fronteira com a Rússia, no litoral do Mar de Azov. O próximo passo, seguindo a costa, é tomar o porto e cidade de Mariupol, se aproximando da Criméia e fechando totalmente o referido mar interno com inteiramente russo.

Sds.,
Ivan.

Ivan
Ivan
6 anos atrás
Rogério
Rogério
6 anos atrás

E o Brasil vai chamar seu embaixador em Moscou para consultas??? 😀

Soldat
Soldat
6 anos atrás

Por mas que eu esteja com o vírus ameracanizoides, uma vez eu disse quando o Urso Invadi de vez os Âmis e Ingleses e Franceses não faraó NADINHA….

Pobre Ucrânia……

Rogério
Rogério
6 anos atrás

Não, não faram nada isso é fato…..

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

Soldat, qual é a sua proposta para a crise?

Guerra nuclear para defender a Ucrânia?

Seria uma solução inteligente?

De volta ao mundo real: será que os interesses ocidentais na Ucrânia superam os interesses ocidentais na Rússia?

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Soldat e Rogério, Os yankees já estão fazendo um ‘bocado de coisas’. Embargo econômico dos EUA não é brinquedo não. Quem o sofre deixa de ganhar muito dinheiro, cubanos que o digam. Pressão diplomática também é séria e, diferente de outros, não é intempestiva… é p’ra valer. Mas entrar em conflito armado já são outros tantos. A Ucrânia não faz parte da OTAN. Lembra que Lituânia, Letônia e Estônia, todas ex-repúblicas soviéticas (na verdade nações ocupadas) ao se libertar do julgo de Moscou trataram de entrar rapidonho para a OTAN. Está aí o motivo da ação, que na época foi… Read more »

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Pangloss, A questão maior é em relação a Moscow: Será que a Rússia tem o direito de atacar veladamente ou não um país independente e que, até ontem, era um parceiro e aliado? Será que Putin tem o direito de levar o povo russo contra o povo ucraniano, quando estes eram até ontem… ops, ainda são… amigos e quase irmãos? Tudo bem, primos para não ser piegas demais. Será que os vizinhos da Rússia podem ficar eternamente ameçados das manobras moscovitas? No mundo real é melhor perder negócios que perder os princípios. Se os yankees fizerem “vista grossa” o prejuízo… Read more »

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

Ivan, Eu talvez esteja completamente enganado, mas não vejo qualquer perspectiva de melhoria no quadro da Ucrânia. O que o Putin busca, na minha opinião, é manter a Ucrânia como uma zona-tampão entre suas fronteiras e a UE Caso o oeste ucraniano penda para o lado europeu, o Putin buscará a secessão ucraniana, separando o leste do país de Kiev, sem anexá-lo (como aconteceu na Criméia, onde fatores históricos incidiram de forma diferente) – pois tal anexação redundaria na formação de uma linha de fronteira entre a UE e a Rússia, nessa hipótese. E essa virilidade toda do Putin, no… Read more »

Soldat
Soldat
6 anos atrás

Pangloss. 1-Qual é a sua proposta para a crise? R:Entregar Donetsk e Lugansk de vez aos Russos se não quiserem perde a metade da Ucrânia. 2-Guerra nuclear para defender a Ucrânia? R: A 3 guerra mundial vai vir de qualquer maneira isso é fato no futuro não tem volta agora se vai ser por causa da Ucrânia vai depender dos Âmis e seus Aliados. 3-Seria uma solução inteligente? R: O que sera uma solução Inteligente nesse caso? minha resposta e opinião está na 1 pergunta e a sua?. Voltando ao mundo real os Âmis não querem uma guerra com a… Read more »

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

Soldat, Acho que minha resposta ao Ivan (às 14h08) já atende às suas indagações. Repito: não creio que a Rússia vá anexar território ucraniano (excetuada a situação sui generis da Criméia, que já é fato consumado), mas pode ocorrer a divisão do território da Ucrânia. Concordo contigo sobre a inexorabilidade da 3ª Guerra Mundial. Resta sabercomo e quando será travada, e entre quem. Particularmente, não vejo a Rússia em condições de assumir papel principal em um conflito desses, e acho que isso seria péssimo para os próprios russos. O que eu acho mais provável é um conflito generalizado entre fanáticos… Read more »

Soldat
Soldat
6 anos atrás

Foi mal….

O que eu quis dizer é os EUA só entrariam em guerra total nuclear por Israel e nenhum outro!!!

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

Soldat, Os EUA honraram os compromissos assumidos com a Coréia do Sul, Japão, Europa Ocidental, etc. Quando intervieram na Península Coreana, foram criticados. Quando perderam vidas e recursos materiais no Vietnã (sem sucesso), foram criticados. Quando intervieram na Líbia (mais de uma vez), foram criticados. Quando intervieram no Iraque (em 1991 e 2003), foram criticados – sendo que, na última oportunidade, valeram-se de um argumento furado, quando sobravam motivos idôneos. Quando intervieram nos Bálcãs, foram criticados. Quando intervieram na Somália, foram criticados. Quando intervieram por meio de interpostos agentes (Afeganistão, Nicarágua, Colômbia, etc.), foram criticados. Quando permaneceram inertes (Síria, Ruanda,… Read more »

Ivan
Ivan
6 anos atrás

Porque APENAS os yankees são cobrados por uma atitude mais forte. Logo eles que são acusados de se meter em tudo que é encrenca ao redor do globo. O problema é maior para os europeus, mas estes ainda estão ainda perplexos ao descobrir que o Urso ainda tem garras, continua faminto e está logo ali, depois da Polônia e da Finlândia. Quanto a opção 1 do amigo Pangloss esqueçam… Seria uma demonstração de fraqueza e só incentivaria aos radicais do Kremlin a avançar nas conquistas. Observem o que aconteceu na Criméia. Os russos usaram táticas de guerra de 4ª geração,… Read more »

Carlos Soares
Carlos Soares
6 anos atrás