segunda-feira, setembro 27, 2021

Saab RBS 70NG

Kerry defende eventual ação militar para derrubar Assad na Síria

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

john-kerry-has-been-pushing-for-air-strikes-in-syria

Secretário de Estado deu declaração em reunião com diplomatas do Golfo. Síria enfrenta guerra civil há quatro anos.

ClippingO secretário de Estado americano, John Kerry, declarou nesta quinta-feira (5) em Riad que uma ação militar poderá ser necessária para que o contestado presidente sírio Bashar Al-Assad deixe o poder após anos de conflito.

“Assad perdeu totalmente sua legitimidade, mas não temos, neste momento, uma prioridade maior do que perturbar e desmantelar o Daesh (acrônimo de Estado Islâmico em árabe)”, declarou Kerry em coletiva de imprensa conjunta com o ministro saudita das Relações Exteriores Saud Al-Fayçal, depois de uma reunião com diplomatas do Golfo.

“No final das contas, uma combinação de diplomacia e pressão será necessária para provocar uma transição política” na Síria, considerou, indicando “que uma pressão militar pode ser necessária”.

Além disso, o chanceler americano garantiu que os Estados Unidos acompanham de perto os atos “desestabilizadores do Irã”, num momento em que os dois países tentam alcançar um acordo sobre o programa nuclear de Teerã.

“Apesar de estarmos envolvidos nessas discussões com o rã sobre seu programa (nuclear), não fecharemos os olhos para os atos desestabilizadores”, declarou, citando as crises na Síria e no Iêmen.

FONTE: G1/France Presse

- Advertisement -

23 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
23 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Melky Le Faucheur
Melky Le Faucheur
6 anos atrás

Claro, o problema na Síria é o Al-Assad, assim como o problema no Líbano era Gaddafi. O ocidente têm que entender que nessa parte do mundo as pessoas não querem democracia querem poder, e a “paz” só existe quando alguém governa com mão de ferro.
Mas o Inimigo do Meu Inimigo é Meu Amigo:
http://www.youtube.com/watch?v=DQI9hKQLry8

edcarlos prudente
edcarlos prudente
6 anos atrás

Já desconfiava do plano de treinar 15 mil para lutar contra o EI, agora tenho quase certeza que este exercito será usado para derrubar o governo de Assad.

Saudações!

Vader
6 anos atrás

Assad de um lado, o ISIS do outro, e o pobre povo sírio no meio. Com Israel logo ali, a Arábia Saudita acolá e o Irã olhando por cima do muro. E acima de tudo a Rússia Putiniana bloqueando qualquer ação legítima da ONU.

Não tá fácil resolver a coisa ali.

Kojak
Kojak
6 anos atrás

Bom artigo do The Economist em português:

Vale tópico/tema,

http://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,a-nova-era-das-armas-nucleares,1645309

Kojak
Kojak
6 anos atrás

“Melky Le Faucheur

5 de março de 2015 at 18:28 #
Claro, o problema na Síria é o Al-Assad, assim como o problema no Líbano era Gaddafi.”

Como ?

Tem certeza ?

Melky Le Faucheur
Melky Le Faucheur
6 anos atrás

Kojak.

Fui irônico amigo.
“O ocidente têm que entender que nessa parte do mundo as pessoas não querem democracia querem poder, e a “paz” só existe quando alguém governa com mão de ferro.”

tadeumar
tadeumar
6 anos atrás

Amigos, Uma simples analogia para descrever a situacao: A situacao no Oriente Medio esta pior que uma caixa de marimbondos. Quanto mais voce cutuca, pior fica a coisa. O Presidente Busch havia advertido (quando ainda estava no poder), de que uma recuada americana no cenario poderia abrir espaco para organizacoes piores que o regime da epoca (Saddam Hussein). Os ditadores como Assad e Saddam, provam que a mao de ferro e estabilizadora sob certas circunstancias. O Iran esta combatendo o ISIS, para evitar que os shiitas no Iraque tenham o mesmo destino que o povo sirio. O governo do Obama,… Read more »

Rafael Bastos
Rafael Bastos
6 anos atrás

Os EUA deveriam deixar o caminho livre para Israel fazer o que bem entender por aquelas bandas. O discurso de Netanhyau foi perfeito, exemplo de líder que pensa em seu povo. E já disse em outro tópico, os EUA sequer deveriam ter entrado na 1°GM, o Oriente Médio não é uma caixa de marimbondos mas sim uma caixa de Pandora! E sinceramente se derrubarem o Assad, quem vão colocar no lugar ?Algum simpatizante pró States que ficara uma semana no poder ate o Daesh mandar pro chão? Os EUA devem ficar atentos para seus reais inimigos, em especial a Nova… Read more »

tadeumar
tadeumar
6 anos atrás

Rafael,

Nem mesmo Israel tem interesse em derrubar Assad.

Se o ISIS ganha este conflito na Siria (O Iran tambem esta intervendo na Siria a favor do Assad); ai sim vai acabar de desestabilizar toda a regiao.

Os russos tem a sua base naval na Siria e sao os protetores do Assad (razao pela qual o Obama nao move um dedo).

A queda do Assad e a entrada do ISIS, poderia ser a desculpa perfeita para a Russia entrar com tudo.

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

A política externa do governo (?) Obama está mais perdida do que filho da p. em dia dos pais.

É melhor manter o Assad, e ter um inimigo conhecido e débil, do que permitir que grupos como o EI ocupem a carniça que restou da Síria.

E o piro que Israel teria a fazer, hoje, seria agir por conta própria.

Isso multiplicaria a ação de grupos terroristas islâmicos, bem como de governos islâmicos igualmente terroristas.

E, Melky, acho que você confundiuLíbia com Líbano.

Pangloss
Pangloss
6 anos atrás

Errata: “E o pior que Israel teria a fazer (…)”

Requena
Requena
6 anos atrás

John Kerry é outro grande “borra botas”.
Ele só repete o que o Obama manda ele dizer pelo telefone. É um bananão.

A grande verdade de toda essa história é que a política externa do Obama é ridícula, bizarra, medíocre.

Graças as escolhas erradas dele, e só dele, o Oriente Médio está condenado a entrar num período de guerras sem fim nos próximos anos.

Podem esperar pelo pior…

Melky Le Faucheur
Melky Le Faucheur
6 anos atrás

De Fato Pangloss, pensei uma coisa e escrevi outra, valeu ai.

Rafael Bastos
Rafael Bastos
6 anos atrás

Quando citei Israel, foi em relação a sua postura em ante ao Irã, e não a Síria.

Quis dizer que os EUA não deveriam facilitar o programa nuclear do Irã, e deveriam deixar o caminho livre para ataques pontuais de Israel para desabilitar os anseios atômicos dos persas.

tadeumar
tadeumar
6 anos atrás

Rafael, Os EUA nunca deveriam tentar fazer um acordo nuclear com o Iran; nem em sonhos. Se os EUA paralisam o programa nuclear iraniano, atraves sancoes economicas ou de qualquer outra forma alternativa, nao havera problemas. Se os EUA insistem nesta estupides politica e estrategica de fazer este acordo, o unico que vai sair benficiado sera o Iran, e neste caso, pode-se esperar uma ataque israelense nos proximos meses. O presidente Obama e todo seu gabinete e um amontoado de incompententes. Porque ao abrir o caminho para a capacitacao nuclear do Iran, a regiao ficara tao instavel que havera um… Read more »

Kojak
Kojak
6 anos atrás

“….deveria escutar atentamente a messagem de Netanhyau levou ao congrresso americano.” Eu assisti do pré inicio ao pós término. Tem gente que não entende mesmo. O BO disse em seguida que o Bibi não tinha proposta, ERRADO. Solicitou o PM claramente três itens que fossem adicionados ao tal acordo: 1.- Que o Irã pare de tornar a região instável com apoio ao terrorismo, ingerência no Yemen, Iraque e Syria; 2.- Que renuncie as armas nucleares e 3.- Que renuncie a destruição de Israel. Deixou bem claro: “Atos e atitudes que coloquem em perigo a nação Israelense nos obrigarão a agir… Read more »

Kojak
Kojak
6 anos atrás

“Melky Le Faucheur

5 de março de 2015 at 18:28 #

Claro, o problema na Síria é o Al-Assad, assim como o problema no Líbano era Gaddafi.”

“Como ?

Tem certeza ?”

“E, Melky, acho que você confundiu Líbia com Líbano.”

“De Fato Pangloss, pensei uma coisa e escrevi outra, valeu ai.”

Ufaaaaaaaaaaaaa………….

Kojak
Kojak
6 anos atrás

Esther 9:22

Jericho I

Jericho II

Jericho III

http://www.defenseindustrydaily.com/germany-may-sell-2-more-dolphin-subs-to-israel-for-117b-01528/

Querem mais ……………….

Shabat Shalom

Rafael Bastos
Rafael Bastos
6 anos atrás

Israel já atacou as instalações nucleares de um país da região antes, no caso o Iraque de Sadan Husain, árabe e sunita assim como seus vizinhos que alias não fizeram nada.

E neste caso, se Israel atacar o Irã (Persa – Xiita), terá inclusive apoio de Arábia Saudita, EAU e Egito, ou no mínimo estes países não irão atrapalhar.

Ou seja no caso de ocorrer um acordo nuclear entre os EUA e o Irã as chances de Israel atacar são de 99,99%, o povo judeu sabe o que é ser humilhado e subjugado e não vai passar por isso novamente.

Kojak
Kojak
6 anos atrás

“Rafael Bastos 7 de março de 2015 at 3:18 #” Rafa Onde assino ? Acrescento: 1.- Com os Saudi já está “acertado”, aumento da influência Saudi sobre os Palestinos foi a proposta de Israel e eles toparam, entendeu ? Hamas, AP, ISIS/EI, Hezbollah e Irã. Muda o eixo; A Aviação vai por cima da península Saudi de boa. 2.- Egito agradece; 3.- EAU idem; 4.- kuwait não está nem ai e 5.- Qatar vai chiar e só, vai tirar um pe$o da$ co$ta$. Shalom Aleikhem Quem viver verá. Depois vem um cidadão na trilogia chamar a Navy da IDF pequena,… Read more »

Soldat
Soldat
6 anos atrás

Kerry

You es um Big Clown…….

Rola muita fantasy Hollywoodiana.

Kojak
Kojak
6 anos atrás

“Soldat
8 de março de 2015 at 1:55 #”

https://www.youtube.com/watch?v=IHlq_P5CI18

Lembro-me dos Russos voando sobre o Big Bem, sobre a estatua da Liberdade, cantando katiusha na broadway etc ………….

Quem postou essas ………….

Rola muita fantasy bollywoodiana. (rs)

Kojak
Kojak
6 anos atrás

https://www.youtube.com/watch?v=lOfvkmJ7AR0

Russos invadem o London Theatre:

Últimas Notícias

Paraquedistas russos começam exercícios em grande escala na Crimeia

SIMFEROPOL, 27 de setembro. /TASS/. Os exercícios em grande escala de um assalto aéreo com um regimento de artilharia...
- Advertisement -
- Advertisement -