segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab RBS 70NG

Escritor turco Orhan Pamuk teme guerra civil na Turquia

Destaques

Turkish author and Nobel prize-winner Orhan Pamuk
ClippingO prêmio Nobel de Literatura de 2006, o escritor turco Orhan Pamuk, criticou duramente o presidente de seu país, Recep Tayyip Erdogan, a quem chamou de autoritário, e reconheceu que teme uma guerra civil na Turquia. “Tenho o coração partido”, confessou o escritor em uma entrevista ao jornal italiano La Repubblica ao comentar o sangrento atentado de sábado em Ancara, que provocou a morte de ao menos 97 pessoas.

O autor de “Istambul” e “Neve”, que indaga sobre a alma melancólica de sua terra natal, sente que “o medo” reina em seu país. “Vejo o temor nos rostos e nos corações das pessoas, este é o sentimento que governa o país”, disse.

O reconhecido escritor se define um democrático de ideias liberais e acusa o presidente Erdogan de ter gerado por cálculo pessoal e ambição de poder as tensões atuais. “A derrota eleitoral nas eleições de junho enfureceu Erdogan” porque não conseguiu convencer os curdos “de seu projeto de República presidencial”, explicou Pamuk, que se encontra em Nova York. “O governo e o exército decidiram começar uma guerra contra o movimento curdo”, sustenta.

“Toda a nação entende agora o cálculo de Erdogan: no início não queria ser parte da coalizão internacional que luta contra o Califado islâmico. Depois aceitou o que os americanos pediam. Mas ao mesmo tempo se aliou ao Califado para bombardear os curdos”, resumiu. A oposição pró-curda acusa o presidente Erdogan de ser responsável pelos atentados em Ancara, o mais grave na história da Turquia, ocorrido três semanas antes das eleições parlamentares.

“Todos os turcos liberais, democratas, laicos, estamos com os curdos e simpatizamos com eles, porque esse povo quer a paz”, afirmou Pamuk. “Um país pacífico como a Turquia de repente se encontra em guerra, tanto contra o Califado islâmico quanto contra o PKK”, os rebeldes curdos turcos, afirma. A oposição acusa Erdogan de alimentar o conflito curdo com a esperança de atrair o eleitorado nacionalista.

Nas últimas eleições parlamentares de 7 de junho, o AKP, o partido governante, perdeu a maioria absoluta que possuía desde 2002, minando as esperanças do presidente Erdogan de modificar a Constituição para fortalecer seu poder.

FONTE: AFP

- Advertisement -

2 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
edcarlos prudente
edcarlos prudente
6 anos atrás
Mauricio R.
Mauricio R.
6 anos atrás

OFF TOPIC…

…mas nem tanto!!!

O panorama político na Turquia, antes das próximas eleições:

“I was in Istanbul very briefly last week; about 36 hours. I spent part of the time chatting with my Turkish friends about the elections, the war in Syria, and the conflict with the PKK. The profound sense of unease and uncertainty was revealing. No one knew where Turkey was headed after November 1, but it was also clear that the principles and ideals of democratic politics and the importance of Western-inspired political institutions had become embedded in their minds. So much for Huntington.”

(http://www.defenseone.com/ideas/2015/10/turkeys-10-sided-war-itself/122760/?oref=d-mostread)

Últimas Notícias

23° Esquadrão de Cavalaria de Selva recebe instrução sobre simulador da Viatura Blindada Guarani

Tucuruí (PA) – Entre os dias 23 e 24 de novembro, o 23° Esquadrão de Cavalaria de Selva (23...
- Advertisement -
- Advertisement -