Home Estratégia Assessor de Trump evoca Doutrina Monroe ao comentar cenário na Venezuela

Assessor de Trump evoca Doutrina Monroe ao comentar cenário na Venezuela

3845
128
John Bolton
John Bolton

‘Não temos medo de usar essa expressão’, afirmou conselheiro de Segurança Nacional, John Bolton

O Globo e agências internacionais

WASHINGTON — Em entrevista ao programa State of The Union, da rede CNN, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, citou ontem a Doutrina Monroe, uma política do século XIX que tinha como objetivo anular a influência e a intervenção de países europeus nas novas repúblicas do continente americano, para justificar a política dos EUA para a Venezuela.

Questionado por que o governo de Donald Trump decidiu combater o governo de Nicolás Maduro de maneira agressiva, enquanto tem uma política mais branda em relação a outros regimes autoritários, como os da Arábia Saudita e do Egito, Bolton destacou que a Casa Branca está dando prioridade a esforços para se envolver nas questões de seu continente.

— Neste governo não temos medo de usar a expressão “Doutrina Monroe”. Trata-se de um país no nosso hemisfério. Manter um hemisfério completamente democrático sempre foi o objetivo de presidentes americanos desde Ronald Reagan — afirmou Bolton. — Eu disse, no fim do ano passado, que estávamos buscando o fim da “troica da tirania”, incluindo Cuba, Nicarágua e também Maduro. Parte do problema na Venezuela é a ampla presença de cubanos. São entre 20 mil e 25 mil agentes de segurança segundo os relatórios publicados. E esse é o tipo da coisa que consideramos inaceitável.

Apesar de ter citado a Doutrina Monroe, pela qual originalmente Washington interveio sozinha em países vizinhos, Bolton disse que os EUA estão formando “a mais ampla coalizão possível” para derrubar o presidente venezuelano.

A alusão de Bolton à Doutrina Monroe foi criticada por acadêmicos: “O autodestrutivo e perigoso John Bolton: ‘Neste governo não temos medo de usar a expressão Doutrina Monroe’. Ele diz isso logo depois de afirmar que quer uma ampla coalizão para derrubar Maduro. Ressuscitar a Doutrina Monroe não fará isso”, escreveu no Twitter Ryan Goodman, professor de Direito na Universidade de Nova York e ex-conselheiro do Departamento de Defesa dos EUA.

“Ao invocar a Doutrina Monroe, Bolton justifica um mundo multipolar caótico, no qual cada potência tem zonas de influência. Os EUA reivindicam decisões sobre a Venezuela, a Rússia faz o mesmo em relação à Ucrânia, a China sobre o mar territorial de seus vizinhos, a França sobre o Saara etc”, escreveu o sociólogo peruano Eduardo González, que participou da Comissão Verdade e Reconciliação criada em seu país após 20 anos de conflito com o grupo maoista Sendero Luminoso. “Bolton sabe que o mundo unipolar dos EUA está desaparecendo, e acredita que a alternativa é o equilíbrio multipolar de potências com zonas de influência… como em 1914.”

Bolton não foi o único em Washington a usar esse tipo de linguagem ao descrever a situação na Venezuela. O presidente da Comissão de Serviços Armados do Senado, o republicano Jim Inhofe, afirmou no mês passado que os EUA poderiam se ver obrigados a invadir a Venezuela caso a Rússia instalasse uma base militar no país “ou em qualquer lugar no nosso hemisfério”. A Rússia é a principal aliada de Maduro, ao lado da China. A ampliação da presença econômica chinesa na América Latina tem sido alvo de críticas do governo Trump.

Apresentada em 1823 pelo então presidente americano James Monroe sob o lema “a América para os americanos”, a Doutrina Monroe outorgou ao governo dos EUA o direito de intervenção em todo o hemisfério para conter a influência europeia. Em 1904, o presidente Theodore Roosevelt articulou o chamado “corolário Roosevelt” da doutrina, pelo qual os EUA também poderiam intervir em países vizinhos para a cobrança de dívidas. Ted Roosevelt ficou conhecido pela frase “Fale manso e carregue um grande porrete”, para definir sua política para o então chamado “quintal dos EUA”.

Kennedy e Reagan
Depois da Segunda Guerra Mundial, governos americanos continuaram intervindo na América Latina, diretamente ou indiretamente, no quadro da Guerra Fria. O republicano Dwight Eisenhower, o democrata John Kennedy e o republicano Ronald Reagan evocaram a Doutrina Monroe para intervir respectivamente na Guatemala, nos anos 1950; em Cuba, nos anos 1960; e contra guerrilhas de esquerda na América Central, nos anos 1980. As ações eram justificadas como uma reação à real ou alegada ingerência da antiga União Soviética nesses países.

Com o fim da Guerra Fria e a democratização da maioria dos países da região, a Doutrina Monroe deixou de frequentar a retórica de líderes americanos. A Organização dos Estados Americanos (OEA) aprovou em 2001 sua Carta Democrática, um instrumento para ações conjuntas dos 35 países-membros em casos de derivas autoritárias, mas ela não prevê nem autoriza intervenções unilaterais.

No sábado, em telefonema ao secretário de Estado americano, Mike Pompeo, o chanceler russo Sergei Lavrov havia condenado a “ingerência flagrante” dos EUA na Venezuela. “A provocação e a influência exterior destrutivas, incluindo o pretexto hipócrita da ajuda humanitária, não têm nada a ver com o processo democrático”, declarou Lavrov, segundo comunicado do Ministério das Relações Exteriores russo.

Em declarações que replicam as críticas feitas a Moscou pelas ações contra o governo pró-EUA da Ucrânia, Lavrov condenou “as ameaças americanas contra o governo legítimo, uma flagrante ingerência nos assuntos internos de um Estado soberano e uma vergonhosa violação do direito internacional”.

FONTE: O Globo/Agências Internacionais

Subscribe
Notify of
guest
128 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DaGuerra
DaGuerra
1 ano atrás

A Doutrina Monroe de 1823 abrigava uma aliança tácita entre todas as nascentes Nações Americanas contra o colonialismo e imperialismo extracontinental. Ela é valida até hoje embasada na OEA. A ONU ou qualquer potência extracontinental tem ingerência alguma sobre as Américas.

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  DaGuerra
1 ano atrás

É isso aí, a América para os norte-americanos!!!

jose
jose
Reply to  DaGuerra
1 ano atrás

tem ingerência não. nem um pouco. kkkk

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  DaGuerra
1 ano atrás

Quem viu os EUA antigamente e quem vê agora.
A superpotência que atacava o Vietnã, nos confins da Ásia, hoje se vê obrigada a ter uma Venezuela no ‘seu quintal’.
Triste decadência.

Diego K
Diego K
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Xings, é que hoje já se adquiriu mais experiência, não é só invadir e instalar uma democracia. Há meios mais baratos e eficazes como embargos econômicos, pressão dos países, ajudar uma oposição se tornar forte contra o regime, etc. Sem dar um tiro e sem derramar sangue americano. Afinal os EUA não tem pressa na situação, quanto mais a batata maduro assar mais queimada fica.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Diego K
1 ano atrás

Mas, tem de aprimorar muito mais essa técnica.
Não está dando muito certo.

André Macedo
André Macedo
Reply to  Diego K
1 ano atrás

Diego, os EUA não tem interesse algum em instalar democracias, essa é a desculpa que eles dão pra interferir nos países que não são seus fantoches, cadê os EUA embargando a Arábia Saudita exigindo democracia? Ah, esqueci, estão vendendo bilhões em armas, mas não estão lutando contra o Assad pelo fato do mesmo ser um ditador?

PS: Antes que usem esse argumento mais raso que piscina infantil, em momento algum eu afirmei que China ou Rússia são melhores

Pangloss
Pangloss
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Seria mesmo impossível que o Antônio Reis deixasse de escrever alguma bobagem neste post.

Sidney
Sidney
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Vai ao infinito e além na capacidade de falar coisas sem lógica, sem sentido, sem razoabilidade, sem fundamento em fatos, sem base histórica, sem pé nem cabeça e sempre extrapolando o limite do que é ser um imbecil útil. Mas útil para que e para quem neste blog se no fim só fica dia mais ridículo? Não haveria blogs e sites no estilo 247 ou poder 360 para você comentar e ser aplaudido?

AMCosta
AMCosta
Reply to  DaGuerra
1 ano atrás

Doutrina Monroe em 2019 é dar um tiro no próprio pé. Seria admitir abertamente que existem zonas de influencia onde quem manda é a potência local com o mínimo de ingerência da ONU: USA-Américas; Europa-África; Rússia-Oriente Médio; China-Sudeste Asiático. Bola fora total do Bolton com este discurso de Doutrina Monroe porque os interesses dos EUA são globais e não apenas regionais como era na primeira metade do século dezenove.

Felipe
Felipe
Reply to  DaGuerra
1 ano atrás

A doutrina Monroe dizia que a América era o local de interesse americano, como disse o assessor americano “nosso hemisfério”. Ou seja, basicamente ele está nos chamando de quintal e dizendo que devemos nos submeter ao interesse deles. Cabe lembrar que a após a Doutrina Monroe seguiu-se a política do Big Stick, onde os EUA empunhavam aos latinos-americanos os seus interesses pela força. isso significa uma grande ameaça a nosso soberania.

estudante catarina
estudante catarina
1 ano atrás

Começou a choradeira…FORTE, vamos fazer uma matérias menos esquerdistas? Chato isso! A Venezuela é uma ditadura e deve ser tratada como tal, isso não tem nada a ver com MONROE ou o escambau…todos os países sérios da AL estão contra essa ditadura, ninguém aguenta mais receber milhares de refugiados, até aqui no sul do Brasil estamos sofrendo com a recepção dos venezuelanos, já é ruim para nós brasileiros, imagina para o estrangeiro vulnerável. Não seria melhor fazer matérias tentando explicar como o país com a maior reserva de petróleo virou uma ditadura de esquerda? Assim nossos jovens poderão identificar no… Read more »

Rui Chapéu
Rui Chapéu
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Isso mesmo.

Se eles não postam vamos postar, segue : “A história Soviética”

https://www.youtube.com/watch?v=snLtabc3m0g

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

O Bolton dá uma declaração dessas, ofendendo a AL inteira, e o culpado é a Trilogia, por noticiar?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

100nick

Não duvide que algum vira-lata vai sair abanando o rabinho por aí.

Juscelino S. Noronha.
Juscelino S. Noronha.
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

O que esperar da fonte da matéria: O Globo/Agências Internacionais

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Então quando a ditadura é boa para o interesse de alguns, ela é uma boa ditadura não é amigo🤔⁉️

Lembrando que o grande defensor da democracia, da paz e dos direitos humanos, tem em seu bolso um número de regimes “democráticos” como parceiros de negócios, especialmente naquele ramo que todos sabemos qual é…
Os estados Unidos não tem moral para criticar ou criminalizar nenhum país, ainda mais com sua visão torpe e sua justiça seletiva e parcial.

mcremp
mcremp
Reply to  Adriano Madureira
1 ano atrás

Adriano, “criticar ou criminalizar” não depende de ter moral, depende de ter porta-aviões e submarinos nucleares.

Vendo por outro ângulo, existem os países que tem força e poder para defender os seus interesses, e existem os países que ficam se queixando que o mundo é injusto e que os outros países tem “visão torpe” e “justiça seletiva e parcial”.

Aldo Ghisolfi
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Venezuelano bom é venezuelano na Venezuela!

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Assim que começar a intervenção, e os primeiros misseis caírem, esse rato ditador sanguinário vai fugir para aquele buraco fedorento chamado cuba e chorar kkk

jose
jose
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

“até aqui no sul do Brasil estamos sofrendo com a recepção dos venezuelanos” – ahhhhh tadinho do sulzinho branquinho, como tá sofrendo. com certeza os venezuelanos tão exaurindo os recursos de um estado falido pelas más administrações e corrupções de mais de 50 anos. se fossem refugiados alemães, de olhos azuis, vc n reclamaria. pára de show e deixa de falar besteira.

SPQR
SPQR
Reply to  jose
1 ano atrás

E onde foi que a pessoa reclamou da cor da pele? A crítica foi econômica. O racista aqui é você, que pelo jeito não gosta de (ou gostaria de ser) brancos de olhos azuis.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Um farol de sanidade no meio de um tempestade de ignorância, boa Sr. Estudante!

Sequim
Sequim
Reply to  estudante catarina
1 ano atrás

Tem gente que não sabe o que é democracia e pluralismo de idéias nem que tivesse um mapa.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Em nenhum dos regimes de predileção da esquerda existe democracia e pluralidade de ideias. Por que será?

Alexandre ziviani
Alexandre ziviani
1 ano atrás

Porque até hoje a Rede Globo nunca disse nada a respeito do foro de São Paulo?porquê toda essa agressividade contra os EUA,que deseja o restabelecimento de uma democracia na Venezuela?parece que o quartel general e promotor do globalismo no Brasil está mais preocupado com o senhor Bolton do que a democracia.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Alexandre ziviani
1 ano atrás

A globo e outras mídias no Brasil e no mundo, sao amplamente patrocinadas para agirem como defensora do globalismo europeu contra o nacionalismo patriótico.
Por isso paises como EUA, Russia, Itália, Brasil, que são contra o globalismo sao criticados enquanto frança e alemanha sao tidas como exemplo para o resto do mundo ignorante na opinião deles

Felipe Luis
Felipe Luis
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Que nacionalismo patriótica é esse que apoia uma declaração que diz que somos basicamente o seu quintal e local onde eles podem impor a sua influência? Os EUA e a Rússia estão defendendo o nacionalismo patriótico DELES e não nosso.
Cabê ressaltar que a Rússia tem histórico de invadir territórios vizinhos, vide a Crimeia, Georgia, Moldávia e a o Lesta da Ucrânia e os EUA tem histórico de impor pela força seus interesses na América Latina especialmente pela política que se seguiu após a Doutrina Monroe, a política do Big Stick.

Thiago
Thiago
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Paolo Costa para de palhaçada , que até as paredes sabem que o maior patrocinador do globalismo foram e são os EUA. Como é bom culpar a Europa como se os EUA não tivessem mínimo de responsabilidade . O globalismo só pode existir através da super potência talassocratica que detém o monopólio sobre os mares capaz de garantir a “liberdade” das via de comercialização e comunicação” ; que força e forçou a abertura dos mercados pregando o liberalismo e essa farsa de democracia que nada mais é que uma plutocracia mascarada; da pseudo cultura de Hollywood e suas produções; ou… Read more »

Thiago
Thiago
Reply to  Thiago
1 ano atrás

Ah, e advinhem quem é o maior culpado pela expansão e ascensão da China assim como do terrorismo islâmico internacional ? Adivinha quem fez acordos, pactos, fomentou e incentivou esses dois fenômenos? Agora que erraram feio e se ferraram querem fazer marcha ré e culpar os outros . Sempre a velha frase: “façam o que eu digo, não o que eu faço”.

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Thiago
1 ano atrás

A extrema-direita sempre precisa de um espantalho para projetar seus ódios e frustrações. Antes eram os judeus e comunistas, e hoje a eles se juntaram os tais “globalistas”, seja lá o que isso significa embora esteja mais para delírio de lunáticos como o famoso guru astrólogo brasileiro residente na Virgínia. E também cumpre lembrar o ódio ancestral da extrema-direita direita europeia pelos EUA. Antes é porque se tratava de, como dizia o austríaco de Braunau, “um país de negros governado por judeus” e hoje ainda é porque ao se sagrar vencedor da IIGM com os russos possuem tropas no velho… Read more »

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Em primeiríssimo lugar;
Matéria do jornalismo da Globo;
Em segundo;
Maduro vai rodar por bem ou por mal e pra mim não chega ao meio do ano;
Em terceiro;
O site está bem mais aberto a matérias divergentes sobre um mesmo assunto e a comentários/debates ,muitas vezes acalorados, do que antes, a isto,mesmo que alguns do contra sejam intragáveis,meus parabéns!!! Democracia é isso!

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Em vista da sua profecia de que o Maduro vai rodar por bem e por mal – e esclarecendo que o “mal” que você cita significa guerra na fronteira do Brasil, tenho a declarar o seguinte:

1- muitos falaram a mesma coisa do Assad, o “ditador que ataca seu próprio povo”, mas ele está bem e manda-lhe lembranças;

2- você verá o verdadeiro significado da guerra, se ocorrer;

3- estou autorizada, desde já, a tirar sarro e me divertir às suas custas, se até a metade do ano o Maduro não cair, capit?

Márcio castro
Márcio castro
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Colega, Maduro “É” o mal. A Venezuela é uma ditadura, com gerência de Cuba, conforme o artigo. Tal como outros ditadores, que pregam “a esquerda” no discurso, aí estão somente para solapar a economia de seus países, caçar e matar jornalistas e a todos que vão contra o seu projeto de poder.

Sequim
Sequim
Reply to  Márcio castro
1 ano atrás

Me caro, já ouviu falar em Arábia Saudita? Eles são comunistas? Não! Eles matam jornalistas? Sim! Os EUA são aliados daquela ditadura teocrática medieval? Siiimmmm!!!!!

Felipe Luis
Felipe Luis
Reply to  Márcio castro
1 ano atrás

Engraçado que os EUA não usam a mesma política no Oriente Médio, onde monarca absolutista na Arábia Saudita que degola jornalistas em consulados em outros países e dá chibatada em quem o faz oposição. Os EUA estão apenas em busca de petróleo venezuelano, não tem nada a ver com democracia, até porque os EUA já tem um longo histórico de apoio a ditaduras que ainda se mantem até os dias de hoje.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Sinta se a vontade senhorita(ou senhora), não sendo desrespeitosa , nos divertiremos mutuamente.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

‘Maduro vai rodar por bem ou por mal e pra mim não chega ao meio do ano;’
Faltou combinar com os russos. Literalmente.
E com os venezuelanos também.
Guaidó deveria ser preso logo que colocar os pés na Venezuela e deportado para sua pátria mãe, os EUA.
Isso se der sorte.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

A Russia já botou rabo entre as pernas. God bless America.

SPQR
SPQR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

E se der azar? Vai pro paredón, né?

SPQR
SPQR
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Esse antoniokings é uma das figuras mais abjetas que eu já vi.

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Então Kings, o Maduro o proíbe de sair da Venezuela, ele não só sai como o faz em aeronave da Força Aérea daquele país, da qual o usurpador é Comandante Supremo e alega ter o total apoio de suas forças armadas. Guaidó vai à Colombia, Brasil, Argentina e Paraguai, Maduro esbraveja e diz que ele será preso assim que voltar à Venezuela. Guaidó retorna e desembarca no principal aeroporto daquele país numa boa, aclamado por populares lá presentes. O Maduro tá dominando bem a situação, né?

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Adriano Luchiari
1 ano atrás

Calma, que a Venezuela é nossa!
Digo. Deles. Dos Venezuelanos.

PauloR
PauloR
1 ano atrás

Me assusta a alienação dos fanboys, é cada coisa que essa gente escreve e pensa que chego a chorar sangue.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  PauloR
1 ano atrás

ta mestruado pelos olhos … essa é nova va ao medico kkkk

Use um argumento melhor que esse colega pra defender o criminoso do Maduro

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Sentimos muito.
Maduro é a espinha encravada na garganta dos EUA. A segunda, depois de Cuba.
E será assim até quando a Rússia e a China quiserem.
Os EUA não têm ingerência alguma nessa situação.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Espera para você ver a US. Navy baixar o porrete no Maduro e mandar recado para Cuba, para a Russia, para China e outras porcarias mais.

Felipe Luis
Felipe Luis
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Isso apoia os EUA violar a soberania de um país latino-americano mesmo. Boa! Só não esqueça que isso pode abrir um grave precedente ao próprio Brasil, que se um dia andar fora do compasso americano, levará um intervenção também.
Isso é a posição dos próprios militares brasileiros que não apoiam essa intervenção na Venezuela Favor pensar antes de escrever, Tadeu Mendes!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Felipe Luis
1 ano atrás

Se um dia os EUA invadir o brasil para tirar um governo que mata a população de fome, eu vou me alistar no USARMY

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Eu tbm muchacho me alistaria na USarmy se o mal no Brasil chegasse ao patamar que hoje vemos na Venezuela, mas não creio que nossos militares seriam tão desonrados como ainda se vê muito na Venezuela.Na verdade ,lá já está é cheio de narcoguerrilheiros com farda . Quem é militar mesmo, e de bem, está, como se vê, saindo fora como pode, quando pode e da forma que pode pois, estão sendo cassados os que não apoiam o governo.

oplita
oplita
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Hoje “defendem” o povo da Venezuela, amanhã as florestas da Amazônia e depois os pobres do Rio de Janeiro e da Bacia de Campos… Tsc tsc tsc…
É muita viralatisse!

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Vai é ter um monte de gente ‘apoiando’ a invasão em troca de um prato de ração. Gente sem dignidade. Isso sim.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Você vive sem comer ?

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  PauloR
1 ano atrás

E você acha correto um Governante que mata o seu povo de fome e manda atirar em protestantes ?

Depois quando a PM dá dois tabefes em cara dos baderneiros da esquerda aqui, vocês dão piti falando que o Brasil é ditadura..

Tenha vergonha

jose paulo
jose paulo
1 ano atrás

só falta a múmia de Tutancâmon abrir os hos.

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Alguém, por favor, poderia comprar um bússola para Bolton?!?!?!
O sujeito está perdidinho.

Sidney
Sidney
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

E alguém poderia indicar um psiquiatra, psicólogo, ou talvez um exorcista para você que sempre esteve perdidinho.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
1 ano atrás

A doutrina Monroe é mais que necessária neste momento em Russia e China, cobiçam a AL, por diferntes motivos.

AMCosta
AMCosta
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

A doutrina Monroe dividia o mundo em áreas de influência. Estados Unidos ficavam com as Américas e Europa com ficava com o resto do mundo. Invocar a doutrina Monroe (A América para os americanos) na época atual seria um tiro no pé pois daria legitimidade para que outras potências também revindicassem suas respectivas áreas de influência. Logo haveria uma “Doutrina Putin” exigindo a “Eurásia para os eurasianos”, bem como uma “Doutrina Jinping” exigindo o “Sudeste asiático” para os asiáticos”.

Felipe Luis
Felipe Luis
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Não é necessária nada! A Doutrina Monroe dizia que somos quintal dos EUA. Ou como dizia o assessor do Trump, “nosso hemisfério”, o Brasil e a América Latina devem ser soberanos e não quintal de um país.

Thiago
Thiago
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Necessária para garantir os interesses de quem, aposto minhas fichas que não os interesses nem do Brasil nem da Venezuela e sim do “primo” do norte .

oplita
oplita
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Melhor é logo se tornar um protetorado dos EUA, não?
Deixemos de subterfúgio e aceitemos nossa incapacidade de sermos um Estado- nação!
Doutrina Monroe séc XXI!

Com as bênçãos do Bozo!

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  oplita
1 ano atrás

Está se esquecendo que o maior vexame diplomático da história do Brasil, aquele acordo nuclear fajuto com a teocracia iraniana, deu-se justamente nos tempos da “diplomacia dos atabaques” do presidiário e do megalonanico Celso Amorim meu caro Oplita? Não foi à toa que um funcionário da chancelaria israelense cunhou aquela expressão perfeita: “anão diplomático”

Ricardo Ramos
Ricardo Ramos
Reply to  Tadeu Mendes
1 ano atrás

Pense antes de escrever. Está parecendo o Antônio, mas com sinal trocado. Abdicar de nossa soberania é bom para quem?

Pangloss
Pangloss
1 ano atrás

Bolton poderia eliminar uma etapa intermediária, derrubando antes o governo (?) cubano.

AMCosta
AMCosta
Reply to  Pangloss
1 ano atrás

Uma intervenção militar em Cuba lotaria as praias de Miami de refugiados cubanos. Tudo o que os EUA não querem.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Pangloss
1 ano atrás

Sonho meu! Sonho meu!
Grande Bethânia!

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
Reply to  Pangloss
1 ano atrás

Já derrubou! Em 2093!

Alessandro
Alessandro
1 ano atrás

duvido muito a doutrina Monroe ser pior que a doutrina marxista que já está a pleno vapor na AL há décadas.

Felipe S
Felipe S
1 ano atrás

O antiamericanismo da esquerda é doentio. Vamos lembrar que a URSS invadiu o Afeganistão e se ferraram tanto quanto os EUA no Vietnã? Lembrando que os EUA “perderam” no Vietnã por uma questão de custo/beficio e não militarmente. As baixas do Vietnã foram bem maiores por exemplo.

O que seria do Brasil sem os EUA? Um país sem industria. E sem o Reino unido, talvez a nossa escravidão tivesse durado ainda mais. São fatos históricos. E o que devemos a Rússia e China de bom?? E a Cuba? Me poupem viu.

Thiago
Thiago
Reply to  Felipe S
1 ano atrás

Me poupe você e repasse a história , seria bem melhor, teríamos muito mais espaço de manobra e sofreriamos menos ingerências externas. A nossa industrialização não foi de graça, pelo contrário a pagamos cara, muito cara, sacrificamos milhares de vidas, certamente não devemos a eles a nossa capacidade nuclear entre outras tecnologias que nos boicotaram.
O que devemos a China de bom ? Além de ser nosso primeiro parceiro comercial , estão bem longes do nosso território e assumem uma clara doutrina de não ingerência

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  Thiago
1 ano atrás

A extrema-direita direita não consegue esconder sua predileção por regimes autoritários independentemente do viés ideológico. O pacto Ribbentropp-Molotov que o diga…. A respeito da China “ nosso maior parceiro comercial, bem longe do nosso território e ‘com uma clara doutrina de não ingerência’” cumpre lembrar que o ciclo político iniciado em 2003 no Brasil ao reconhecer a ditadura totalitária de Pequim como “economia de mercado” e insistir na teoria primitiva de “superávits comerciais a qualquer custo” provocou a desindustrialização do nosso país. A propósito enquanto os chineses nos compram basicamente commodities os EUA são o país para o qual mais… Read more »

Ten Murphy
Ten Murphy
1 ano atrás

Por que os Estados Unidos nunca atacaram Cuba, que é do lado e raiz de todos os males em seu quintal, mas atacaram países bem mais distantes? E sem essa de não ter petróleo lá ou qualquer resposta assim. Tem algo muito estrategico aí e não faço ideia do que seja. E sem papo de serem hipócritas. Não me importam as implicações morais, somente as estratégicas. Até pq o fundamento moral esquerdista implica em relativismo e/ou especismo, e por isso mesmo é contraditório. Então, o que se ganha deixando Cuba ilesa? Uma suposta prova da alegada falência do socialismo? Uma… Read more »

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Ten Murphy
1 ano atrás

Vc não pode analisar o desejo intervencionista americano em ralação a Venezuela com a mesma régua que analisa Cuba, muito mais que o fato de um ter petróleo e o outro não, o contexto histórico e geopolítico de cada época explica!

100nick-Elâ
100nick-Elâ
Reply to  Ten Murphy
1 ano atrás

Por que os EUA nunca atacaram Cuba? a resposta tem 4 letras: URSS.
E quem disse que não tentaram atacar Cuba? pesquise no Google: baía dos porcos cuba. Pesquise também: crise dos mísses 1962 cuba.

Esses fanboys desinformados me choca. Falta escola e bom senso.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  100nick-Elâ
1 ano atrás

E você acha que hoje o que aconteceu na Baia dos Porcos ia se repetir ou que a URSS vai defender Cuba ?

Acho que você precisa se atualizar…

Depois que a URSS acabou, acabou a mesada de Cuba, tanto que o Castro precisou mudar o sustento dele para os trouxas da América do Sul.

Flanker
Flanker
Reply to  100nick-Elâ
1 ano atrás

Tu e o Sequim deveriam voltar à escola. Pelo que vocês escreveram, parece que os EUA deslocou tropas e meios para invadir e atacar Cuba. No caso da Baía dos Porcos, o governo dos EUA treinou, aparelhou e apoiou, através da CIA e US Army, dissidentes cubanos, residentes nos EUA, para que esses realizassem a missão. As FFAA dos EUA não participaram da invasão. No caso da crise dos mísseis, os EUA instalaram, em 1961, mísseis ba Itália e Turquia, o que desagradou a URSS. Em 1962, os soviéticos e cubanos fecharam acordo para instalarem mísseis soviéticos em Cuba (a… Read more »

Sequim
Sequim
Reply to  Flanker
1 ano atrás

Cara, tá falando sério? Você soube que um avião espião americano foi abatido sobre Cuba? Esse avião era dos dissidentes cubanos? Você soube que Cuba sofreu um bloqueio naval da US Navy para evitar que navios soviéticos levassem os mísseis nucleares para Cuba? A US Navy era dos dissidentes cubanos? Sabe qual é o problema de quem se guia por ideologia somente? É que tem umas coisinhas chatas e incômodas chamadas fatos a desmentir a ideologia. Fazem isso o tempo todo.

Flanker
Flanker
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Sei do U-2, sei do bloqueio naval da US Navy e várias outras coisas….mas, onde isso significa ataque dos EUA contra Cuba? Ataque dos EUA seria se houvesse ataque aéreo, naval ou um desembarque de tropas dos EUA em solo cubano. A CIA foi a principal fomentadora e treinadora dos dissidentes cubanos….houveram voos de aviões espiões, etc….mas, se formos começar a utilizar isso como se fosse um ataque, teremos que considerar o mesmo para todos os voos de aviões espiões que aconteceram e acontecem no mundo. E quanto ao bloqueio naval tu acha que, em plena guerra fria, os EUA… Read more »

Matheus Santiago
Matheus Santiago
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Você não pode estar falando sério? Tá claro a falta de interpretação de texto! O que o Flanker disse foi que os adidos militares que invadiram Cuba não foram militares americanos, e sim dissidentes cubanos, isso foi no período anterior a crise dos mísseis em Cuba. Se não conhece a história, me permita esclarecer alguns pontos. O grupo que invadiu Cuba na Baía dos Porcos eram jovens da Brigada de Assalto 2506, jovens anticastristas. O presidente americano Dwight Eisenhower ordenou que a CIA começasse a planejar mudança de regime em Cuba. A CIA começou a recrutar cubanos anticomunistas nos EUA… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Matheus Santiago
1 ano atrás

Dissidentes cubanos armados e treinados pela CIA. Esse é o modus operandi predileto dos EUA, depois do Vietnã: mandar outros para morrerem em seu lugar e fazer o trabalho sujo. Por isso que pressionaram o Brasil para entrar em guerra com a Venezuela. Eles mesmos não querem fazer.

Sequim
Sequim
Reply to  Ten Murphy
1 ano atrás

Por causa de uma coisa chamada baía dos Porcos e por outra chamada crise dos mísseis. Se os EUA tentarem de novo, teram novamente mísseis nucleares russos ou chineses às suas portas.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Ser anti-americano é democrático, beleza… nem vou criticar isto.. Mas ser pró Maduro, um ditador que está matando a sua população de fome e que manda atirar na sua população não é um pouco demais ? A esquerda que se diz solidária e humanista, idolatra um sanguinário desta qualidade, um monstro que prefere que a sua população pegue comida no lixo que permita que comida doada entro no país. É a mesma esquerda que diz que o Governo do Bolsonaro é uma ditadura e fará “resistência”. Isto não é nem falta de empatia com o sofrimento dos venezuelanos. É puro… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Perfeito, Rodrigo!!!

Sequim
Sequim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Que confusão de conceitos, meu caro. Ser de esquerda não significa ser necessariamente anti-americano e pró- Russia/China. Isso é coisa de esquerda radicalóide . Como ser de direita não significa santificar o capitalismo ou os EUA. Isso é coisa de direita tosca. Eu sou de esquerda e não acredito no comunismo. Acho que o comunismo é como as religiões: é ótimo na teoria, mas quando aplicado na prática só rende desgraças. Também não acredito no capitalismo puro e simples, que degrada a experiência humana, limitando-a a simples consumo de produtos. Quanto ao Maduro, acho que ele é sub-produto de um… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

E como você acha que um povo desarmado e faminto vai remover uma ditadura ?

Com textão de Facebook ? Com movimento niguém solta a mão de ninguém ?

Com #EleNão ?

Cria vergonha cara…

Admita que você prefere um ditador matando o povo dele de fome mas de esquerda do que ver uma Venezuela próspera mas governada pela direita..

Sequim
Sequim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Patético.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Patética são os argumentos que vocês usam para defender um ditador..

Assuma que vocês pouco se importam com o povo da Venezuela que tá tudo certo…

Simples assim

Sequim
Sequim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Patético 3, a Revanche.

Felipe Morais
Felipe Morais
1 ano atrás

Me parece que o governo Trump enfrenta o mesmo problema crônico do governo Bolsonaro, o problema da fala. Os caras sabem do esquerdismo da mídia e que são alvos constantes e insistem em falar coisas pouco tragáveis para o público em geral. Para agir na Venezuela, mais que o apoio público norte americano, que já tem, Trump precisa do apoio público da América latina, cujos governos já são alvos diários da grande mídia. E aí vem um dos caras mais importantes do governo falar em Doutrina Monroe, algo que apavora a mídia esquerdista sul americana. Enfim…vão lá e façam. É… Read more »

Marcello Magnelli
Marcello Magnelli
1 ano atrás

O grande problema deste debate é que quase todos, especialmente os doutrinados, apenas vêem uma luta entre o Bem e o Mal, pouco se lixando para o “povo venezuelano”. Definir quem é o Bem e que é o Mal vai conforme a doutrinação e a ideologia de cada um. Sempre afirmei que o problema não é o Maduro em si, mas o Sistema corrupto e incompetente que o apoia e que se apossou da Venezuela. O Maduro em si é patético e sua queda, sem que o sistema seja desmontado, não vai mudar nada para o “povo venezuelano”. Querem resolver… Read more »

Sincero Brasileiro da Silva
Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Enquanto isso o Maduro tá lá rindo atoa da cara do Trumpateta e Bozonaro…

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

Rindo de nervoso..

O Guaidó, desembarcou no principal aeroporto da Venezuela e o Maduro não teve a coragem de mandar encostar um dedo nele.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

“papai do céu, não deixe que os imperialistas capitalistas sigam em seus intentos de trazer liberdade e alimentos para os venezuelanos e não permita que nenhum venezuelano faça nada ao Guaidó, amém!”, suplicou Maduro em suas orações de hoje, ontem e dos últimos 02 meses.

AMCosta
AMCosta
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

A esta altura seria um movimento arriscado tomar qualquer medida coercitiva contra Guaidó. Só serviria para dar mais munição à oposição. Sem o apoio de militares do alto comando Guaidó continua pregando no deserto.

colombelli
colombelli
Reply to  Sincero Brasileiro da Silva
1 ano atrás

quem foi que pediu reunião com Trump, se borrando?

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

a OEA tem como objetivo justamente afastar a ONU e as potências de outros continentes dos assuntos americanos, e eu aprovo isso, acredito que os povos americanos tem que encontrar sempre uma maneira de resolver seus conflitos sem intervenção de países eurasianos, e a maioria dos países da OEA apoia as sanções contra a Venezuela, assim como uma eleição acompanhada pelos países membros.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
1 ano atrás

Se o Brasil for inteligente não cairia no conto do Bolton. Como país não-ingerente deveriamos mediar a coisa toda antes que descampe para uma guerra civil. Se nossa diplomacia fosse inteligente não teria escolhido um lado mas seria uma mediadora fiável para evitar que a crise venezuelana respingasse em nós. Mas o tempo pra isso já passou e o timing também. Agora nos resta clamar por uma solução de venezuelanos para a Venezuela. Recorrer ao Big Stick americano reabre precedentes perigosos para a América do Sul. Uma interverção estrangeira nunca deve ser considerada de ânimo leve. Só espero que o… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Se você estivesse sendo massacrado pelo seu Governo e passando fome, sem a menor condição de lutar contra ele, aposto que estaria implorando por uma intervenção estrangeira. Vocês da “resistência” brasileira, acham que o povo da Venezuela vai tirar o Governo do Maduro como ? Com textão do Facebook ? Com movimento “ninguém solta a mão de ninguém” ? Com eleições, controladas pelo Maduro ? A única maneira do povo da Venezuela resolver este problema por sí só seria com armas, que o Chavez já fez questão de tirar das mãos do povo assim que assumiu o poder.. Exatamente como… Read more »

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Que “resistência” o senhor se refere? Meça suas palavras antes de sair escrevendo inconsequentemente sobre quem vc não conhece. E em resposta ao seu comentário digo que nós deveríamos retomar a realpolitik que tínhamos lá atrás para a América do Sul e se toda vez que um vizinho nosso fizesse uma cagada nós interviessemos ou apoairmos uma na casa dos outros, já teríamos delegado a muito tempo a nossa política não-intervencionista e estaríamos com os dois pés na lama dos problemas dos outros. É um fato óbvio mas que tenho o desprazer de ter que repetir sempre: Os venezuelanos elegeram… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Filipe Prestes
1 ano atrás

Ainda bem que eu não lhe conheço..

Mas por trás de todo este discurso prolixo está a ideia básica de que eles terão que ser virar sozinhos.

Se eles tivessem a capacidade de lutar contra o Governo Maduro, eu estaria 100% de acordo, mas não tem e não terão.

Então vocês lixos da “resistência”, com este argumento fajuto da não intervenção preferem que esta população seja esmagada, a que o Brasil diretamente interfira em um problema que em muito foi aumentado pelo apoio explícito do Governo brasileiro DESDE FHC.

Simples assim…

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Graças a Deus eu não conheço gente da estirpe tão baixa como a do senhor. E não estou aqui para altercar com ninguém pois essa discussão já deixou a racionalidade. Pelo visto a cegueira ideológica não é privilégio da esquerda. Lamentável.

Sequim
Sequim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

Patético 2, a Missão.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Vai lá apoiador de ditador…

Enquanto você está seguro no seu computador escrevendo seu monte de baboseiras e fazendo no mínimo 3 refeições por dia..

Os venezuelanos estão sendo massacrados e sem ter o que comer.

Mas está tudo certo, para vocês da ridícula resistência brasileira

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Doutrina Monroe valeu durante a Guerra das Falklands/Malvinas ? De que lado os EUA ficaram ?
Não é antiamericanismo, apenas um fato histórico irrefutável.

Sequim
Sequim
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Delfim, os americanos a que se refere a doutrina Monroe são aqueles que moram ao norte do Rio Grande e ao sul dos Grandes Lagos…

Delfim
Delfim
Reply to  Sequim
1 ano atrás

Mais ou menos isso.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Delfim
1 ano atrás

E era para ficar do lado da Argentina que invadiu o território alheio ?

Delfim
Delfim
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

E quando os franceses interviram no México, os EUA fizeram algo ? E quando os ingleses foram agressivos com o BR na Questão Christie ? E com os franceses na “Guerra da Lagosta” ?

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
1 ano atrás

A Inglaterra poderia, se quisesse, ter resolvido na diplomacia, mas nem sequer tentou.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

E você acha que deveriam ter negociado ? Para né velho..

Falou o cara que apóia a Rússia sair fazendo baderna porque população A, B ou C se sente Russa…

A população nas Falklands, rejeita a Argentina.

colombelli
colombelli
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

mentira. leia A Guerra das Malvinas, primeiro volume ou revistas da época. Diplomacia foi tentada a exaustão, pelos dois lados. mas os argentinos não queriam sair sem algo na mão. pagaram pra ver e levaram a pior

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

A Grã-Bretanha teve seu território ultramarino invadido por uma junta militar genocida que depois de matar 30.000 argentinos criou um factóide para permanecer no poder. A única saída era a militar e Galtieri e seus acólitos tiveram o que mereceram

Ah! E não venha com o papinho de que as ilhas eram argentinas e os britânicos tomaram pois a presença de Londres nas ilhas remete a 1765, antes mesmo da Argentina existir como nação independente.

colombelli
colombelli
Reply to  Delfim
1 ano atrás

do lado certo, pra todo mundo.

Delfim
Delfim
Reply to  colombelli
1 ano atrás

Sim Colombelli, foi bom para nós a Argentina ter perdido. Mas não deixa de provar que a Doutrina Monroe não é totalmente confiável.

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

Postei essas perguntas em outra matéria, mas ninguém me respondeu. Por favor, direitinhas-americanófilos, me respondam, ou vocês só sabem negativar e não arguemntar? 1- Se o responsável pela fome na Venezuela é o Maduro, as sanções impostas pelo EUA não agravam a situação? se sim, então podemos dizer que os EUA também são responsáveis? 2- Se o responsável pela fome na Venezuela é o Maduro, os EUA impondo sanções não dá ao Maduro a oportunidade de colocar a culpa nos EUA? então os EUA são incompetentes? 3- Se sanções agravam a fome – e é óbvio que agravam – então… Read more »

AMCosta
AMCosta
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Não faz sentido impor sansões econômicas e ao mesmo tempo mandar ajuda humanitária. A menos que uma das duas atitudes não pretenda realmente lograr qualquer efeito prático, servindo apenas como propaganda.

colombelli
colombelli
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

será porque as perguntas se tornam irrelevantes por quem as faz ou pelo desiderato puramente retórico e falacioso delas? Discursinho de 7a série, com retórica barata querendo esconder o obvio fato que voce apoia uma ditadura e quer pregar de defensor da democracia.

Sidney
Sidney
1 ano atrás

Resposta para todos que compartilham do pensamento do 100Nicks e compartilham das perguntas acima feitas, que na verdade são uma só que circulam o tema sanções econômicas. Se vocês não tem inteligência para entender processos e situações complexas porque no lugar de estudarem preferiram ouvir, ler, e seguir as mentiras da esquerda aceitando explicações fáceis, e erradas, para problemas difíceis. Para nós é um tanto inútil tentar vos convencer ou argumentar com vocês que estão no time da preguiça mental e da má fé intelectual. Mas vamos tentar mais uma vez. A fome já estava instalada muito antes de qualquer… Read more »

colombelli
colombelli
Reply to  Sidney
1 ano atrás

eles esquecem convenientemente que a produção de petróleo caiu drasticamente muito antes de qualquer sanção e a fome grangeia por lá a anos, pelo singelo motivo que se implantou um estado bem nos moldes da esquerda: uma cleptocracia, onde uma elite beneficiada fala em defender os pobres e mama no estado vivendo na opulência e na ostentação. Lá são maduro e os militares. aqui o pt e os empreiteiros e apaniguados. Duas faces da mesma moeda. Lá e cá a riqueza foi pra patotinha e a população recebeu esmolas para enganar. A diferença é que lá a migalha ficou pouca.… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
Reply to  Sidney
1 ano atrás

“Se vocês não tem inteligência para entender processos e situações complexas” Já começou mal, duvidando da capacidade intelectual daqueles que discordam de você; esse argumento, “você é incapaz de entender”, é justamente o argumento dos que não têm argumento. . “A fome já estava instalada muito antes de qualquer sanção econômica.” Nisso você tem absoluta razão, a fome estava instalada antes do governo do Chavez: a Venezuela era um país subdesenvolvido, com grandes desigualdades sociais e cuja riqueza oriunda do petróleo não chegava à população, quem lucrava eram as empresas norte-americanas e a elite venezuelana corrupta, vendida e subserviente aos… Read more »

Sidney
Sidney
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Correta sua informação quanto ao topo do preço do barril. E correto que desde o primeiro mandato de Chaves o preço subiu muito até que em 2104 entrou em declínio. O que com a destruição da economia privada e a incompetência na gestão da PDVSA e do país colapsou a economia da Venezuela. Mas mentiroso é dizer que usou com a população de baixa renda que só tem aumentado desde o primeiro governo Chaves. A pobreza lá só aumentou e não o contrário. E a fome, pobreza, violência, doenças e mortes de crianças que existem no período Chavista e Madurista… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Suas palavras: “Nisso você tem absoluta razão, a fome estava instalada antes do governo do Chavez: a Venezuela era um país subdesenvolvido, com grandes desigualdades sociais e cuja riqueza oriunda do petróleo não chegava à população” E a Venezuela, com Chavez e Maduro, deixou de ser um país subdesenvolvido? Deixou de ter grandes desigualdades sociais? A riqueza do petróleo chegou à população? Suas palavras, novamente: “quem lucrava eram as empresas norte-americanas e a elite venezuelana corrupta, vendida e subserviente” E quem lucrou com a PDVSA? Não foram mais os norte americanos. …nem a elite de direita….foi a elite de esquerda… Read more »

100nick-Elã
100nick-Elã
1 ano atrás

URGENTE – URGENTE – MADURO CAIU Infelizmente, tenho a informar a vocês que o Presidente da República Bolivaria da Venezuela, Sr. Nicolas Maduro, acaba de cair, hoje, 09.03.2019. Durante uma entrevista à imprensa, o presidente dos EUA, Donald Trump, afirmou que iria enviar o Sr. Mário para negociar com Maduro sobre a difícil situação de impasse político na Venezuela. Quando Maduro soube do fato, teria perguntado aos jornalistas que o informaram: – Mas que Mário? Após cair, Maduro afirmou que, embora ela tenha caído nessa pegadinha infantil, o ele lembrou que Assad também caiu naquela pegadinha de “quem nasce em… Read more »

HMS TIRELESS
HMS TIRELESS
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Sinto lhe dizer mas Maduro vai cair,e não há nada que o Super Putin ou o DCE de humanas da Federal possam fazer!

Sinto muito….

Luiz Floriano Alves
Reply to  100nick-Elã
1 ano atrás

Se os venezuelanos estão fugindo em massa para os países vizinhos é porque aquilo virou uma Democracia da forme soviética. Ou seja: corrupção, falta de artigos essenciais e poder político na mão “cumpanheros” e sindicalistas profissionais (perpétuos no posto). Esse filme já vimos como começa e como termina. Maduro já deve ter apartamento em Miami, e falsa identidade. Ditadores latinos adoram Miami.

Delfim
Delfim
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Democracia soviética é uma contradição.