Home Exército Brasileiro Exércitos do Brasil e da Argentina realizam exercício combinado

Exércitos do Brasil e da Argentina realizam exercício combinado

4404
84

Rosário do Sul (RS) – De 14 a 20 de novembro, acontece a Operação Arandu, um exercício militar combinado entre os exércitos do Brasil e da Argentina. Os dois exércitos irão ao campo para executar o que vem sendo planejado desde 2017, nas Operações Hermandad, Yaguareté e Saci/Duende.

Os militares brasileiros e argentinos estarão integrados, com a realização de treinamentos e emprego de viaturas blindadas, operações aeromóveis, aeroterrestres e operações especiais, realizando ações de aproveitamento do êxito e junção, em um quadro tático de combate convencional. Entre as atividades, destacam-se a transposição de curso d’água, garantindo a mobilidade da tropa diante de obstáculos aquáticos, além do emprego de foguetes do Sistema Astros.

Resultante de um compromisso internacional entre Brasil e Argentina, a Operação Arandu fortalece a diplomacia militar entre os dois países, consolidando os laços de união, cooperação e amizade. Além disso, entre os objetivos, estão as trocas de experiências doutrinárias, estabelecendo padrões comuns de trabalho combinado, consolidando lições aprendidas, entendimento mútuo das táticas, técnicas e procedimentos a serem empregados pelas organizações militares das duas nações participantes.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
84 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
9 dias atrás

@OFF

Maduro anunciou que a Venezuela vai fabricar drones. Durante o discurso foi possível ver o Mock-up do drone iraniano Mohajer-6 (capaz de levar 2 mísseis ar-terra)
https://pbs.twimg.com/media/EnRd58QW8AEncq3?format=jpg&name=medium

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Marcos
9 dias atrás

O Brasil precisa investir urgentemente em defesa AA, por camadas, desde a de logo alcance até a de curto. E também investir em Drones, temos um território muito grande e é de suma importância ter um frota grande de drones, de preferência de fabricação nacional.

Jef2020
Jef2020
Reply to  Heinz Guderian
8 dias atrás

Olá amigo…na verdade nosso pais necessita de varios equipamentos…mas na minha opinião defesa antiaérea seria o mais prioritario…simplesmente porque não temos nada em termos de medio e longo alcance…ai fica dificil sequer pensar em uma guerra…de nada adianta nossos excelentes astros ou os M109 A5…servirão de alvos pois não terão cobertura anti aérea, que precisaria ser realizada hj pelos nossos f5s…somos forçados a uma negociação e ceder em uma hipotetica ameaça de conflito…o que os Generais estão esperando para suprir essa deficiência gritante ha tanto tempo???

Tomcat4,2
Reply to  Marcos
8 dias atrás

Alvos para os ST e os Sabres.

antonio
antonio
Reply to  Marcos
8 dias atrás

Infelizmente, nossas Forças Armadas só tem a capacidade de ter a presença nacional. Cada um tem sua própria guerra interna. Muita comunicação social e pouca efetividade operacional. Na verdade, o EB se baseia na reserva mobilizável, considerando que 30% são militares profissionais. Os governos passam, e a defesa sempre será usada para fins pacíficos, GLO e apoio humanitário. A carência em AAAe e drones em geral é só uma parcela do atraso tecnológico e doutrinário atual. Temos o que é possível para um País que fica esperando o futuro. Nossa sorte pode estar mudando, a cada dia que a Ditadura… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  antonio
7 dias atrás

Não entendi! Nossas FFAA só tem capacidade de presença nacional? Mas não é para isso que elas existem? Ou você quer declarar guerra à China, Rússia, etc? O Problema do maduro é com os venezuelanos e com os EUA, temos é que defender nossa terra, deixa eles se enfrentarem,se é que isso irá acontecer um dia! O resto é muita especulação. Já existem estudos para a Defesa AA, o escopo está sendo desenhado.

Pedro
Pedro
Reply to  Marcos
5 dias atrás

Ótimo. Só assim paramos de pensar apenas no aumento do soldo dos militares das forças armadas e sua ausência na reforma da previdência e pensamos realmente em defesa.

Pilatus
Pilatus
9 dias atrás

Muito bacana o uniforme Argentino! Por incrivel que pareça, me lembrou um pouco os uniformes britânicos… acho que já observei alguma foto da época das Malvinas com algo parecido. Alguem tem alguma referência a respeito?

Athos
Athos
Reply to  Pilatus
8 dias atrás

Já repararam que os soldados brasileiros estão sempre com as mangas enroladas e sem o “boné”.Ate em fotos oficiais, visitas ou treinamento em outros países. Assim não pode, porque perde o porte e a imponência do uniforme.
Quanto a “cor” do uniforme argentino eles parecem copiar dos americanos ou britânicos para parecerem grandes. Essa é minha opinião.Os americanos nunca usam a manga enrolada.

PAULO
PAULO
Reply to  Athos
8 dias atrás

No caso do Brasil, país de clima quente e úmido em sua maior parte, há previsão de uso da manga dobrada no regulamento para o dia-a-dia. Em combate, ela ficam estendidas. Quanto ao uniforme argentino, eles são importados, com as padronagens de camuflagem disponíveis no mercado. O Brasil, ao contrário, tem fabricação local

Veiga 104
Veiga 104
Reply to  PAULO
8 dias atrás

Show.

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  PAULO
8 dias atrás

Uê, ate bem pouco tempo atrás, o nosso uniforme vinha da China.

celso
celso
Reply to  Athos
8 dias atrás

Olha, acho que na verdade, os nossos estavam de capacete e tiram o mesmo em reuniões. O que sempre vejo são tropas blindadas Argentinas de Boina, mesmo em operações de campo. E sinceramente, os nossos é que estão fazendo o certo.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Pilatus
8 dias atrás

Os argentinos usam Multicam, com alguma pequena alteração para não pagar royalties.

rdx
rdx
8 dias atrás

Sobre os conflitos recentes, espero que o EB aprenda o seguinte: O ATGM mais uma vez provou ser uma arma mortífera no campo de batalha. Por que o EB ainda não comprou o Spike? Também precisamos de helis de ataque com ATGM. Quem tiver mais consciência situacional (inteligência) vence a guerra. O EB precisa investir em drones ISR com urgência. Peças rebocadas são apenas alvos fáceis. Enxames de drones são uma realidade. Precisamos investir em defesa aérea com urgência. Iron Dome + Barak 8 seria uma boa opção. Os armênios sofreram com artilharia de precisão de longo alcance. Precisamos de… Read more »

Tomcat4,2
Reply to  rdx
8 dias atrás

O EB precisa, em primeiro momento, comprar os Spike e instalar nos Fennec’s modernizados pra já dar um alívio e maior segurança pra tropa e forças blindadas e isso pra ontem.

PAULO
PAULO
Reply to  rdx
8 dias atrás

O EB estuda isto diuturnamente, com seu Centro de desenvolvimento de doutrina e lições aprendidas. Possui adidos militares em vários países e realiza cursos de intercâmbio e exercícios conjuntos com diversas nações, incluindo da OTAN. A alocação de recursos em defesa, entretanto, é uma decisão política e não militar. Cabe ao Executivo esta alocação depois de votado o orçamento pelo Legislativo. Ressalto que a Lei orçamentária no Brasil é bastante restritiva e rígida, tornando esta tarefa bem “engessada”.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  PAULO
7 dias atrás

Graças a Deus, existe inteligencia ainda nesse blog, onde assino Paulo?

Salim
Salim
Reply to  PAULO
6 dias atrás

Quem decíde o que vai comprar e o exercito/aeronáutica e marinha, orçamento das forcas armadas usd 25 bi, entre dez maiores mundo. Visto estarem sempre analisando e poucas vezes fazem proposta o executivo toma a frente e compra o que quer. Vide caracal, helis russos, m60 e leo 1, porta aviões, drones PF , sub frances, etc… Só náo entubaram Rafael pois aeronáutica chiou e heli russo no exercito, lembro também P3 que marinha náo quer. O planejamento de compra e gastos das forcas armadas todo ano passa congresso sem corte. Veja caso vacina, querem comprar Pfizer que tem que… Read more »

Matheus
Matheus
Reply to  rdx
8 dias atrás

Tipo os Milan, ERYX, MSS e ALAC que o EB dispoe? Os misseis Ataka que a FAB dispoe nos seus MI-24?(dica: são helicopteros de ataque)
Voces tem que pesquisar antes de falar essas baboseira dignas de criança jogando super trunfo.

rdx
rdx
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Em qual mundo você vive? Achou isso no wikipedia?

Que eu saiba o EB possui inadequados Esquilos com SBAT 70 mm e HMP.
Existem poucas unidades de obsoletos Eryx e Milan no inventário do EB…e se ainda estiverem ativos o seu valor é desprezível. MSS é um projeto que se arrasta há mais de 3 décadas.
ALAC é ATGM?

Last edited 8 dias atrás by rdx
Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Matheus, de acordo com o Banco de Dados de Transferências de Armas do Stockholm International Peace Research Institute (SIPRI) as Forças Armadas do Brasil adquiriram as seguintes quantidades de mísseis anticarro: 57 Eryx (mísseis) entregues em 1996. 100 Milan (mísseis) entregues entre 1996 e 1997. 100 RBS-56 Bill (mísseis) entregues entre 1996 e 1997 Esses números correspondem ao número de mísseis adquiridos. O número de postos de tiro/unidades lançadoras recebidos não é informado. Os Eryx e Milan foram pro EB e o Bill pro CFN. Primeiro que essa quantidade dá para equipar uma porção infíma do nosso exército. Até onde… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Nossa defesa anticarro é tão minguada que essa será, literalmente, a única foto que você encontrará de um míssil anticarro (o posto de tiro, pelo menos) desdobrado no terreno durante um exercício.
comment image

Last edited 8 dias atrás by Alfa BR
Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Alfa BR
8 dias atrás

Lol, o que temos de efetivo de anticarro nas forças então? AT-4? O 105 mm dos Leopardos?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Defensor da liberdade
8 dias atrás

AT-4, Carl Gustav, 90mm do Cascavel e 105mm dos carros de combate.

Last edited 8 dias atrás by Alfa BR
rdx
rdx
Reply to  Alfa BR
8 dias atrás

Também temos um lote de ALAC, o substituto do AT-4. Aliás, a situação do AT-4 é outro mistério. Quantos ainda estão ativos?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Alfa BR
7 dias atrás

Defesa ante carro temos boas opções nacionais e importadas. Mas nosso EB prefere ficar sonhando com Shepar ultrapassado, helis de ataque e outras aberrações (para um exército que gasta muito mal suas verbas) do que investir no equipamento pessoal do soldado. Já disse um oficial americano “armas não ganham guerras! No final que ganha a guerra é um soldado com seu rifle”, e partindo dessa ótica, o EB deveria investir pesado no infante e seu equipamento de uso pessoal. Refazer esse projeto ridículo denominado COBRA (que já nasce defasado e ineficiente), acabar com o serviço militar obrigatório (pois não tem… Read more »

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Foxtrot
6 dias atrás

Amigo, pesquise pois acho que vocÇe está falando besteira, O EB tem planos de medio e longo prazo para invenstimentos e vem fazendo o possível pois que manda no dinheiro é o Executivo. Pesquise e veja em que áreas as coisas estão acontecendo.

Salim
Salim
Reply to  Marcelo Andrade
6 dias atrás

Marcelo, o que temos e em pequena quantidade e meio ultrapassado, o exercito deveria ter um míssil anti carro nacional baseado no javelin e modificado parte dos leo1 e m60 com torres de míssil tow. O maior matador de tanques na guerra Iraque foi o Bradley com misseis tow. Pelo nosso tamanho e gasto em defesa deveríamos ter umas 300 unidades nesta configuração ( nacional pois o numero justifica gasto ) deveríamos ter drones armados as centenas e sistema aaa nacional baseado radar m60/m200 com misseis adarter e piranha que já estão operacionais só falta fazer as adaptações nessesarias.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcelo Andrade
5 dias atrás

Planos todas as 3 forças tem amigo, mas infelizmente ao que parece não passa disso.
A quanto tempo a ALAC está pronta aguardando aquisições?
O mesmo vale para o MSS.
Quem manda nas verbas recebidas pelo EB, é o próprio EB e não o executivo.
O executivo só controla as verbas antes de serem aprovadas e caírem na conta do EB.
Desculpe, mas é você que está falando besteiras.
Pesquise melhor!

FERNANDO
FERNANDO
8 dias atrás

Vi na you tube, e achei bem interessante. Pessoalmente achei interessante está manobra, não sou conhecedor do assunto, escrevo apenas como leitor sem conhecimento algum, mas, que tem olhos para ver as diferenças. Uma delas é como cada exército tem uma escolha de cobertura utilizada, os argentinos preferem boinas e os brasileiros bonés. E até quando estavam utilizando os capacetes dava para ver a diferença. O EB utiliza o capacete cru mesmo, sem nenhuma rede no capacete para distorcer o combatente no ambiente, bem rústico e espartano, já o exército argentino utilizava aquelas redes de camuflagem, que com sinceridade só… Read more »

Matheus
Matheus
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

Voce prefere ser transportado pro front num M113 com alguma blindagem ou um Marruá “peladão”?

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Não seria peladão né. Pelo amor de Deus.
Não vão construir um CHARRUA e só carcaça.
Assim como o GUARANI não é apenas carcaça.
Apenas estou dizendo que o tempo do M113 já era.
Mas, para os adeptos do Thumpismo aqui, tirar o M113 do EB é auto traição.
heheheheh

Salim
Salim
Reply to  FERNANDO
6 dias atrás

Lembro que diversos paises ainda usam o M113 e que a substituição deste veiculo esta ocorrendo em exércitos ponta, porem estas soluções são extremante caras e ainda náo tem sacramentado um substituto do mesmo.

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Matheus o tempo do M113 no EB já venceu faz uns 15 anos.
Se dependesse do EB, já teríamos outro blindado.
Apenas argumento que, se construimos um GUARANI, porque então não podemos construir uma CHARRUA 2022????

Cristiano. de Aquino Campos
Cristiano. de Aquino Campos
Reply to  Matheus
8 dias atrás

Complicado essa sua pergunta. Antigamente, quando um blindado aparecia, o soldado saia correndo pois só tinha fuzil e granada. Hoje em dia, ele tem um lança granada no fuzil ou um companheiro de pelotão com um ALACA/AT-4 ou algo similar nas costas para dar conta.

Salim
Salim
Reply to  Matheus
6 dias atrás

Aplicacao destes veículos e totalmente diferente , náo da para comparar. M113 veiculo sobre lagartas com blindagem leve que atua suporte front ao mbt levando infantaria Marruá veiculo de transporte e ligação sem blindagem para atuar retaguarda.

Tomcat4,2
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

Meu caro o EB tem camuflagem/uniforme diferente para a caatinga por exemplo, temos vários biomas no Brasil.
M-113BR(modernizado em estado de novo) ainda cumpre a missão de táxi da tropa, pode não ser o melhor mais ainda é melhor que carroceria de caminhão.

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Tomcat4,2
8 dias atrás

Tomcat, leia o que eu escrevi.
Eu sei que o EB tem outros fardamentos para diferentes tipos de vegetação.
Apenas disse, que o fardamento da argentina era mais adequado a vegetação do Rio Grande do Sul.
É visivel!
Ou vc não leu está parte??

Pablo
Pablo
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

Por qual motivo tu acha que a farda argentina é mais adequada para o RS?

Last edited 8 dias atrás by Pablo
FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Pablo
8 dias atrás

Em relação a vegetação sim.
Tons mais claros de verde, marrom e pastel.
Na realidade não sou eu que afirmo, existem no you tube vários vídeos de sobrevivencialismo que explicam sobre isso.O fardamento do EB é bom para selva.

Pablo
Pablo
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

ta bem, quantas vezes tu já esteve aqui no RS usando ou vendo alguem com as fardas ?

Pablo
Pablo
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

Ja esteve nessa região do RS?

Cinturão de Orion
Reply to  FERNANDO
8 dias atrás

Caro Fernando.

Vc está muito equivocado.

“Tons mais claros de verde” e “pastel” no Pampa? Nem por sonho. Qualquer compêndio de Botânica explica o “verde muito mais intenso” da vegetação do RS do que o da floresta.

Assim como a Fisiologia Ótica explica que “… vídeos de sobrevivencialismo …” não são argumento para confrontar estudos militares aplicados ao desenvolvimento de tecidos e de, no caso, padronagens não só DIGI, MARPAT, CADPAT, etc., como também a do Rajado, quando de sua definição pelo EB – para praticamente todos os ambientes do País.

Éik
Éik
Reply to  Cinturão de Orion
5 dias atrás

Meus caros, sou do Pampa, servi no Pampa e . . . os dois estão corretos. Como assim? . . . o bioma Pampa é muito complexo, em constante mutação. Este exercício ocorre em período de seca fora de época, e . . . o uniforma argentino parece ser o mais adequado. Mas, em condições normais de chuvas, o pampa é verde escuro e o uniforme brasileiro se torna mais adequado.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Tomcat4,2
8 dias atrás

Por sinal o de caatinga é um dos mais belos do mundo.

Caatingaaaaa!

images (14).jpeg
Tomcat4,2
Reply to  Defensor da liberdade
6 dias atrás

E nessa foto se vê a perfeição da simbiose desta camuflagem em seu ambiente de inspiração!👏👏👏

Bille
Bille
Reply to  Defensor da liberdade
5 dias atrás

Coturno, mochila, cinto e suspensório tb tão “bem” camuflados… e esse monte de couro na roupa deve transformar esse uniforme em algo bem “acessível”$$$

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bille
5 dias atrás

Já esteve na caatinga? Se tu identificar esses objetos nestas cores a 30 metros de distância, debaixo do sol de 40°, com árvores secas formando um emaranhado de galhos na tua frente, eu te dou um doce. Quando tu perceber… Aliás nem vai perceber, já vai estar batendo um papo com São Pedro na portaria do céu…

ERABREU
ERABREU
Reply to  Defensor da liberdade
4 dias atrás

As armas deveriam ser camufladas também

Camargoer
8 dias atrás

Olá Colegas. Há anos eu comento aqui sobre a necessidade do Brasil e Argentina terem ações combinadas e maior integração cultural, científica e militar. Os inimigos do Brasil estão longe do continente sulamericano.

Agressor's
Agressor's
Reply to  Camargoer
8 dias atrás

O maior inimigo do Brasil é o próprio brasileiro!

Last edited 8 dias atrás by Agressor's
OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Camargoer
8 dias atrás

Olá Camargoer, tenho o mesmo pensamento, e deveria ampliar isso para Uruguai e Paraguai. Isso é aumentar a esfera de poder e geopolítica. A Argentina acabou de criar um fundo de defesa, o Uruguai deseja comprar novos aviões treinadores e outras necessidades. Deveríamos unir o cone sul para em uma doutrina militar comum, uso de materiais semelhantes, desenvolver programas estratégicos de fabricação em comum de material. Bom, antes de nossos vizinhos procurarem armamento russo ou Chinês, nós deveríamos fornecer isso a eles. Mas tudo isso é uma politica de estado e não das forças armadas, devíamos ter inclusive cursos de… Read more »

Jef2020
Jef2020
Reply to  Camargoer
8 dias atrás

Concordo amigo…na America do Sul nem mesmo a Venezuela vejo como inimigo…só atacariam se primeiro fossem atacadas no meu ponto de vista. O problema é que hj as reais ameaças vem de grandes potências e ai fica muito dificil se defender…mas na realidade acho que os principais inimigos estão aqui dentro mesmo, que sabotam e destroem o pais de dentro para fora. São castas com poderes politicos e de decisões que atendem a interesses outros ao invés do interesse nacional. É só observar como mesmo apos ameaças francesas referente a internacionalização da Amazônia já quase imediatamente iniciaram narrativas contra aumento… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Camargoer
8 dias atrás

Acho que tal integração com a Argentina no campo militar e científico teria o mesmo efeito de um time profissional treinar com um time sub-15, teríamos muito pouco a ganhar. Quanto a uma integração cultural, acho que não é nem de interesse deles e nem do nosso.

OSEIAS
OSEIAS
Reply to  Allan Lemos
8 dias atrás

Allan, dá uma pesquisada no programa de satélites e nuclear argentino. Eles tem áreas em que estão mais adiantados do que nós. E possuem um parque fabril que pode participar produzindo peças e componentes mais baratos que aqui. Argentina é nosso terceiro parceiro comercial, temos que estreitar relações e por mais que ainda sim você possa pensar que não há nada a oferecer, podemos ser o guia, passar nossa doutrina, ser realmente o líder na região. Abraços.

Max
Max
Reply to  Allan Lemos
6 dias atrás

É mesmo ??? Cuando foi a última vez que o Brasil enfrentou uma grande potencia militar em combate ? Já ouviu falar en constelações de satélites ? Olha quanto dinheiro o Brasil vai investir no satélite SAR, e quanto custou o lançamento do Saocom…

Agnelo
Agnelo
Reply to  Camargoer
8 dias atrás

A integração militar já ocorre há muitos e muitos anos.
Sds

Max
Max
Reply to  Camargoer
6 dias atrás

Seu pensamento é muito avançado para nossa época…

Jef2020
Jef2020
8 dias atrás

Em pensar que entre as decadas de 50 a aprox 70 a Argentina era considerada uma das principais, se não a principal força da america do sul..parece que a guerra das malvinas selou o destino de prosperidade em defesa daquela nação…hj estão em uma situação muito complicada, se não irreversível deste caotico quadro atual…não tem sequer caças para sua defesa…apenas uns poucos A4…força de submarinos a ponto de ser extinta…e o exercito tampouco bem aparelhado…devemos prestar atenção para que nunca o Brasil venha a estar nessa mesna posição. Os projetos estratégicos não podem parar!!!

Last edited 8 dias atrás by Jef2020
João
João
8 dias atrás
Tomcat4,2
Reply to  João
6 dias atrás

Kid’s grama é essa, gambiarreitor tabajara.rs
Falando sério até q ficou interessante esse kit de flutuação.🤔

Fabio Araujo
Fabio Araujo
8 dias atrás

Esse tipo de exercício é muito bom, os dois exércitos ganham muito com a troca de experiências!

Foxtrot
Foxtrot
8 dias atrás

Mesmo com o EA quebrado, e gritante a diferença do equipamento pessoal do soldado Argentino com o do Soldado Brasileiro.
Pelo jeito os argentinos dão mais atenção ao equipamento pessoal do que o EB.

Marcos
Marcos
Reply to  Foxtrot
8 dias atrás

Você só pode estar louco kkkkkkkkkkkkkkkkk

Você é daquela galera que curte ter vários bolsos à disposição e nenhum equipamento dentro. Que piada meu conterrâneo, que piada!

EA trouxe FN FAL com 60 anos de operação, sem rádios de comunicação e coletes sem placas.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcos
7 dias atrás

E você parece daqueles que curte carregar uma mochila gigante, pesada e inútil para guerra moderna, coturno de couro desconfortável e pesado, um Mod Fal mal feito e sem mira óptica, um capacete sem cobertura (capa) camuflada ou pintado, uma camuflagem defasada e fardamento desconfortável.
Quem está brincando agora “conterrâneo” ?
Contra fatos não há argumentos, só não ver quem realmente é cego fisicamente ou quem é cego ideologicamente.
Qual você é ?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Marcos
5 dias atrás

Obs: no vídeo do site do MD, vê soldados nacionais com grande número de velharias dos anos 60 denominados FAL.
Ou seja meu caro, é aquela velha história do sujo falando do mal lavado!

Matheus
Matheus
Reply to  Foxtrot
6 dias atrás

Aiai essa criançada do Call of Duty kkkkkkkkkk

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Matheus
5 dias atrás

A verdade é verdade caro Matheus!
E toma que o filho é teu kkkkkkk.

Jhon
Jhon
7 dias atrás

Quanto fogo sais no quebra chamas do canhão do M109, imagina depois de uns 10 tiros o motorista tem que entrar no carro para deslocar o carro, deve ficar quente la dentro?

Salim
Salim
Reply to  Jhon
6 dias atrás

O maçarico da boca do m109 e reflexo da qualidade/validade e armazenamento adequado munição. O EB tinha sérios problemas com munição da Imbel, náo sei como esta hj, porem parece que náo mudou muito. Se tiver alguem da ativa neste setor poderia esclarecer melhor.

Diego
Diego
6 dias atrás

Concordo com os comentários que aborda necessidade de priorizar defesa aérea é antiaérea em camadas.
Ridículo só termos comprado 1 Esquadrão de Gripen e não termos mísseis antiaéreos de médio e longo alcance.
Roraima e Amapá já evidenciam nosso calcanhar de Aquiles, basta mandar uns caças bombardearem nossas usinas hidrelétricas e termelétricas que a falta de luz já seria suficiente para gerar pânico generalizado na população brasileira

Luiz Floriano Alves
Reply to  Diego
5 dias atrás

Os Argies já combateram o Império do Brasil nas margens do Rio Ibicui, Rosário do Sul. Foi a maior batalha travada em solo brasileiro. Os mercenários alemães e poloneses foram desbaratados pela cavalaria do Rio da Prata, que atacou son forte chuva impedindo o uso dos mosquetes de infantaria. Aa morte do Comandante General Abreu selou a sorte do embate. Muitos mercenários europeus aceitaram a proposta de seguirem as tropas platinas e receberem terras para cultivar. A cavalaria de Bento Gonçalves chegou no campo de batalha para enterrar os mortos. Os platinos comemoram como vitória, mas não lhes restou força… Read more »

DaGuerra
DaGuerra
Reply to  Luiz Floriano Alves
5 dias atrás

E onde você aprendeu História? La bombonera?

Last edited 5 dias atrás by DaGuerra
Nilson
Nilson
Reply to  DaGuerra
5 dias atrás

No post do Luiz Floriano há uma incorreção no sentido de que Bento Gonçalves não teria combatido, ele combateu, foi Bento Manuel que não apareceu. Também dá a sensação de que o comandante geral era Abreu, quando era Barbacena. Mas no geral está correto, qual é sua crítica? Realmente é interessante a nota de que o exercício conjunto esteja ocorrendo onde ocorreu a maior batalha entre argentinos e brasileiros.

DaGuerra
DaGuerra
Reply to  Nilson
5 dias atrás

Houve tropa alguma “desbaratada” ou aceitando qualquer proposta de rendição. Devido ao incêndio no campo a tropa Brasileira se retirou em ordem não sem antes inflingir mais baixas ao inimigo do veio a sofrer. Os argentinos e uruguaios foram expulsos do nosso território sem atingir qualquer objetivo político: alcançar a vitória na guerra anexando a Cisplatina , ou estratégico: bater o Exército Brasileiro por partes.

Zézinho
Zézinho
Reply to  DaGuerra
5 dias atrás

…infringir…

Nilson
Nilson
Reply to  DaGuerra
4 dias atrás

É uma discussão interessante, realmente é provável que os argentinos/uruguaios tenham tido mais baixas do que nós. Há controvérsias sobre quem venceu a batalha, mas não há dúvida que fomos nós que batemos em retirada. Verdade que foi uma retirada ordeira, mas parte das forças ficou “perdida”. A questão de parte dos mercenários alemães terem depois da retirada passado para o lado dos castelhanos parece ser comprovada. O incêndio na nossa retaguarda foi feito pela cavalaria uruguaia, o que impediu o remuniciamento de nossas tropas e forçou a retirada para o norte, em vez da normal retirada para a retaguarda,… Read more »

DaGuerra
DaGuerra
5 dias atrás

Os melancias, em seu imobilismo de pensamento, ainda se acham nos anos 70!! Que temos que buscar com argentina? Só fraqueza e atraso. Um governo perdedor que nos é hostil desde sua campanha eleitoral. Deixem os índios queimarem!

Luiz Floriano Alves
Reply to  DaGuerra
5 dias atrás

Morei alguns anos em Rosario do Sul. Acompanhei algumas pesquisas do EB em localizar as covas onde foram sepultados muitos soldados. Os fatos que relato os colhi na tradição local e podem ser incorretos como apontam meus ilustres colegas. No Museu Militar de Buenos Aires vi o quadro do inicio da batalha de Ituizangá, como os platinos referem. Como sendo uma grande vitória PPlatina..

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Floriano Alves
4 dias atrás

At last…
Interessante o registro de que por falta de artilharia o Império do Brasil comprou foguetes Congraves para a campanha Cisplatina. No comando dos foguetes um tal Capitão (Obst) Von Braun. Bisavó de Werner Von Barum.

Nilson
Nilson
Reply to  Luiz Floriano Alves
4 dias atrás

Sim, foi uma grande batalha, cerca de 8000 homens de cada lado. Recentemente li um pouco sobre a Guerra da Cisplatina (para os argentinos Guerra do Brasil) numa obra de 1946, História da Guerra Cisplatina, de David Carneiro. Pode ser baixada na internet. Por isso estava com alguns detalhes na memória, se estiverem errados vieram desse livro. Os argies consideram a Batalha de Passo do Rosário (para eles Batalha de Ituzaingó) uma grande vitória, com heróis nacionais e tudo. Para nós, é um capítulo que geralmente é omitido, pois não tivemos lá grandes glórias, em que pese a valentia e… Read more »

Max
Max
Reply to  DaGuerra
4 dias atrás

precisa se informar melhor…

Last edited 4 dias atrás by Max
SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
4 dias atrás