sábado, maio 15, 2021

Saab RBS 70NG

Cheget, a maleta nuclear russa

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A cerimônia de entrega da maleta nuclear durante a posse de Vladimir Putin em 2012.
A cerimônia de entrega da maleta nuclear durante a posse de Vladimir Putin em 2012.

A Cheget (russo: Чегет) é uma “maleta nuclear” (em homenagem ao Monte Cheget em Kabardino-Balkaria, Rússia) e uma parte do sistema automático para o comando e controle das Forças Nucleares Estratégicas da Rússia (SNF) chamado Kazbek (Казбек, após Monte Kazbek).

A cheget foi desenvolvida durante a administração de Yuri Andropov no início dos anos 1980. A mala foi posta em serviço assim que Mikhail Gorbachev assumiu o cargo de secretário-geral do Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética em março de 1985.

Ela está conectada ao sistema de comunicações especiais de codinome Kavkaz (Кавказ, em homenagem ao nome local da região do Cáucaso), que “apoia a comunicação entre altos funcionários do governo enquanto eles estão tomando a decisão de usar armas nucleares, e por conta própria por sua vez, está conectado ao Kazbek, que abrange todos os indivíduos e agências envolvidos no comando e controle das Forças Nucleares Estratégicas.”

O presidente russo tem uma cheget à mão o tempo todo. Em geral, presume-se, embora não se saiba com certeza, que as maletas nucleares também são entregues ao Ministro da Defesa e ao Chefe do Estado-Maior Geral. O Estado-Maior recebe o sinal e inicia o ataque nuclear por meio da passagem de códigos de autorização para complexos de lançamento de silo de mísseis/submarinos de mísseis balísticos ou lançando remotamente mísseis balísticos intercontinentais baseados em terra individuais/mísseis balísticos lançados por submarino.

Em 25 de janeiro de 1995, no incidente do foguete norueguês, a cheget foi ativada em resposta a um foguete de sondagem de quatro estágios Brant XII identificado incorretamente, lançado por cientistas noruegueses e norte-americanos; foi a única vez que uma maleta nuclear foi ativada em preparação para um ataque.

O então presidente em exercício, Vladimir Putin, recebendo a "pasta nuclear" para controlar as forças nucleares da Rússia em 31 de dezembro de 1999
 O então presidente em exercício, Vladimir Putin, recebendo a “maleta nuclear” para controlar as forças nucleares da Rússia em 31 de dezembro de 1999

FONTE: Wikipedia / COLABOROU: Tiger, do grupo Forças de Defesa no WhatsApp

- Advertisement -

30 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
gordo
gordo
3 meses atrás

Até onde sei (isso já pode ter mudado) é que os misseis dos submarinos não estão pendurados nessa “caderneta de fiado” e podem ser disparados de forma independente, contando apenas com a disciplina dos responsáveis a bordo.

Alexandre Cardoso
Alexandre Cardoso
Reply to  gordo
3 meses atrás

Isso, se refere aos EUA. Mas seria a mesma sistemática em relação à Rússia. E mais uma coisa, como tu disse: Até onde tu saiba, isso quer dizer que talvez os mísseis de submarinos estejam / continuem “pendurados”, nessa ” caderneta de fiado “, e tu não saiba ou tenha entendido errado, no sentido de que eles possam ser disparados independentemente … E ainda, pode ser que mesmo os mísseis nucleares baseados em submarinos estando / ou sempre tendo estado subordinados a essa maleta, ainda assim, em condições especiais possam ser disparados de forma independente, contando apenas com dicernimento correto… Read more »

sub urbano
sub urbano
3 meses atrás

Nesse incidente do foguete norueguês o que salvou a humanidade deve ter sido uma ou duas talagadas de vodka a mais que o Boris Yeltsin havia tomado de manhã. Níveis malucos de alcoolemia no sangue do presidente devem ter evitado que a adrenalina subisse muito kkk

Capela
Capela
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

Sinceramente alguém duvida que as potencias “nucleares” não consigam diferenciar um ataque de um lançamento falho de foguete, a todo um rito antes do lançamento e com certeza os russos estavam cientes “informados pelo governo norueguês” sobre o lançamento do foguete, talvez no inicio da guerra fria isso fosse possível de ocorrer lá pelos anos 50 e 60, mas depois de muitos enganos e falhas no passado, mesmo esse fato tendo ocorrido em meados dos anos 90 isso não passa de uma boa história para Hollywood, ainda mais se considerando a origem do suposto e improvável ataque, ou alguém acredita… Read more »

Tales
Reply to  Capela
3 meses atrás

Pesquise no Google sobre Mathias Rust!

Capela
Capela
Reply to  Tales
3 meses atrás

Me lembro bem desse fato amigo, mas venhamos e convenhamos são situações bem distintas, um teco teco voando a baixa altitude não da para comparar com um foguete, mas de qualquer forma entendi a sua colocação.

Antoniok
Antoniok
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

Boris Yeltsin foi Trump russo.
Desastre total.

Pedro
Pedro
Reply to  Antoniok
3 meses atrás

Qual seria o equivalente dele no Brasil? Pode discorrer historicamente.

ALISON
ALISON
Reply to  Pedro
3 meses atrás

O atual por óbvio…

Vinicius Momesso
Vinicius Momesso
3 meses atrás

Aquelas maletas com uma “mini” bomba nuclear dentro, é fake ou existe mesmo?

sj1
sj1
Reply to  Vinicius Momesso
3 meses atrás

Acho que existiram.

ALISON
ALISON
Reply to  Vinicius Momesso
3 meses atrás

Existiram sim. E não é lenda urbana que algumas sumiram…

Pablo Maroka
Pablo Maroka
3 meses atrás

Forte já fez algum artigo sobre esse evento de 1995?

Fiquei interessado.

laboj65
laboj65
Reply to  Pablo Maroka
3 meses atrás

Boa tarde Colega!
Anexo tem um link, mas fala bem pouca coisa, provavelmente em lingue inglesa você encontre mais a respeito.
Bom termino de domingo, abraço!

https://www1.folha.uol.com.br/fsp/1995/1/28/mundo/7.html

J4S0N7
J4S0N7
3 meses atrás

Várias vezes a humanidade esteve a beira do extermínio nuclear.. Certa vez um general russo que estava no comando de controle de mísseis nucleares em Moscou passou sufoco, as luzes do painel que indicava ataque nuclear começaram a dar alertas de ataque em andamento todas piscando, o general no comando, não acionou o botão que iniciaria o contra ataque. O Kremlin ao tomar conhecimento, destituiu o general e o mandou para a reserva. Outro fato semelhante ocorreu nos EUA, o oficial responsável pelo centro de controle captou no radar o que pareciam mísseis a caminho do país, depois verificou que… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  J4S0N7
3 meses atrás

O homen que salvou a humanidade se chama Stanislav Petrov. Êle tinha a patente de Tenente Coronel, e um dia em que êle têve que substituir outro oficial que estava doente, na sala de monitoramento, o alarme de ataque de mísseis balísticos provenientes dos EUA (Minuteman) começou a soar várias vêzes e nas telas se podiam se vêr projeções das trajetórias e tempo restante para os impactos. Ao não acreditar nos dados que o computadôr projetava nas telas, êle não confirmou ao comando encarregado de acionar um contra ataque nuclear contra os EUA. Minutes depois o computadôr desativou o alarme.… Read more »

J4S0N7
J4S0N7
Reply to  Tadeu Mendes
3 meses atrás

Exatamente meu caro. Eu só não lembrava desses detalhes mas sabia desse fato, valeu pela correção, eu não lembrava da patente, mas a carreira militar dele acabou ali, o kremlin não perdoou a “falha” do tenente coronel..

Brunow
3 meses atrás

Se a famosa maleta preta não funcionar – os portadores forem eliminados, o sistema de comando Kazbek e as linhas de comunicação forem destruídas num primeiro ataque… Ainda existe um último “suspiro”, possivelmente enterrado na montanha Kosvinsky ou vizinhanças, o tal lendário 15E601 “Perimeter” com o sistema de mísseis de comando 15P011 equipado com míssil 15A11 (ou versão atualizada), o famoso complexo de controle automático para um ataque nuclear retaliatório massivo – aquilo que chamamos de “mão morta”. Alguns dizem que ficou ativo até junho de 1995, posteriormente em 2009 surgiu notícias que o sistema esta mais “vivo” que nunca,… Read more »

Antoniok
Antoniok
3 meses atrás

E como desgraça pouca é bobagem, agora temos drones submarinos nucleares rondando os mares à espera do Holocausto.
Manera aì, Putin!

Agressor's
Agressor's
3 meses atrás

Mesmo que a Rússia venha a ser pulverizada ou atacada primeiro, sistemas como o Perimeter garantirão a aniquilação do agressor…o sistema foi projetado para resistir ao bombardeio nuclear e permanecer inativo durante a fase de Armageddon…..no caso de não ter contato com seres humanos presume o pior e automaticamente lança mísseis nucleares programados contra o ocidente…..   Os Russos sempre se mantiveram na vanguarda da tecnologia e do desenvolvimento das armas nucleares…foram os pioneiros na criação e no desenvolvimento destas armas, que se deu no final dos anos 50……fotos de silos de mísseis soviéticos lançaram uma onda de pânico nos… Read more »

Last edited 3 meses atrás by Agressor's
Teropode
Reply to  Agressor's
3 meses atrás

Isso é óbvio , agora fale algo novo !

Agressor's
Agressor's
Reply to  Teropode
3 meses atrás

algo novo !

IBIZ
IBIZ
3 meses atrás

Todo país com armas nucleares tem um sistema desses ou algum deles tem um diferente?

sub urbano
sub urbano
3 meses atrás

A cobertura do site sobre a maior tragedia humana da nossa geraçao está deficiente… Nao vão noticiar a primeira pessoa vacinada no Brasil?

Teropode
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

Nossa fiquei emocionado com a aglomeração para aplicarem a vacina , lá no Cristo de cimento ,🤣🤣🤣🤣

IBIZ
IBIZ
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

Falar da crise sanitária é falar do desastroso governo Bolsonaro e falar disso é lembrar que os militares são sócios e defensores desse desgoverno com sua contribuição na incompetência e caos em que vivemos. Acho que ñ é interesse do blog lembrar disso.

Rene Dos Reis
Reply to  IBIZ
3 meses atrás

concordo

Cesar
Cesar
Reply to  sub urbano
3 meses atrás

Isso já foi noticiado bastante em muitos outros lugares.

Carvalho2008
Carvalho2008
3 meses atrás

Mestre Galante, tudo bem?

tem como liberar postagens minhas presas no Naval e Aereo?

Todas ficam presas e postar depos de tres dias da materia ou comentario tá complicado.

Reportagens Especiais

Reginaldo Bacchi: ‘Tendo dinheiro, dá para fazer qualquer coisa no Brasil. A Engesa saiu do zero.’

Reginaldo Bacchi, engenheiro que trabalhava na Engesa à época do desenvolvimento do MBT Osório, fala da história desse projeto,...
- Advertisement -
- Advertisement -