sexta-feira, outubro 15, 2021

Saab RBS 70NG

Os 100 anos dos blindados do Exército Brasileiro – A Mudança de Paradigma

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Os primeiros passos para a modernidade

A evolução dos blindados no Brasil se caracteriza pela substituição do carro de combate M41, já há muito tempo obsoleto, pelos CC Leopard 1A1 e o CC M60, além da criação do Centro de Instrução de Blindados (CIBLD).

A adoção destes carros de combate representou um salto de qualidade na frota brasileira porque marca a substituição dos dispositivos mecânicos de direção da torre, aparelho de pontaria ótico e tubo do canhão não estabilizado do M41 por mecanismos elétricos de direção da torre, tubo estabilizado e sistema de pontaria do canhão com mecanismo eletrônico, além do equipamento de visão noturna que os CC Leopard/M60 dispunham.

Concomitante com a adoção dos novos blindados, a criação do CIBLD como local de estudo, aprimoramento e difusão da doutrina de emprego de blindados, compôs o conjunto que colocou o Exército no caminho da modernidade em blindados.

Centro de Instrução de Blindados General Walter Pires

O CIBLD é uma das mais recentes organizações militares do Exército Brasileiro. Foi criado em 11 de outubro de 1996 para ser um dos vetores de modernização do Exército, de maneira a servir de mola propulsora e fator de profissionalização do Núcleo de Blindados.

Suas raízes reportam à Companhia de Carros de Assalto (1921), vindo a embasar-se no Centro de Instrução de Motorização e de Mecanização (CIMM/1939), primeiro centro voltado à instrução de blindados.

Em 1942, o CIMM foi transformado em Escola de Motomecanização (EsMM) e, com a adesão do Brasil às forças que se antepunham ao Eixo, ampliou suas responsabilidades, direcionando seu ensino para a formação dos profissionais aptos à manutenção e ao emprego dos novos meios de combate recebidos dos Estados Unidos, dentre os quais os CC Sherman, Lee/Grant, Scout Car, Meia-Lagarta e o M-8.

Nova reformulação ocorreu em 1960, transformando a EsMM em Escola de Material Bélico, que absorveu o curso de armamento da Escola de Instrução Especializada. O ensino tático de motomecanização foi excluído do currículo, fazendo daquela Escola um estabelecimento de ensino eminentemente técnico em manutenção.

De 1960 a 1996 o ensino tático de blindados foi ministrado pelas escolas de formação e de aperfeiçoamento e pelas unidades de tropa, criando uma lacuna na existência de um estabelecimento voltado exclusivamente para o estudo dos blindados.

Com a aquisição dos Leopard 1A1 e dos M60, e, posteriormente, a substituição destes pelo  Leopard 1A5 BR, além das viaturas blindadas de engenharia de combate (VBC Eng), viaturas blindadas lança-ponte (VBE Lç Pnt), viaturas blindadas de socorro (VBE Soc), viaturas escola (VBE Esc) e meios de simulação, a necessidade de uma escola de blindados ficou evidente.

A criação do CIBLD supriu esta lacuna, tendo o papel de preparação, capacitação, adestramento de guarnições blindadas e pesquisa doutrinária. O CIBLD organiza e aplica os cursos de operações das respectivas viaturas blindadas da Força Terrestre, Marinha do Brasil e das nações amigas.

Krauss Maffei Leopard 1A1 no Brasil

Leopard 1A5

História e Desenvolvimento

O projeto do novo carro de combate foi batizado pelo Exército Alemão como Leopard I, e se tornaria o primeiro Main Battle Tank (MBT: carro principal de combate) produzido nacionalmente, do período pós-guerra.

O novo carro de combate estava equipado com um canhão de calibre 105 mm, dispunha ainda de completo sistema de proteção NBC (Nuclear, Biológico e Química), atingindo uma velocidade máxima de 65 km/h.

Emprego no Brasil

No início da década de 1990, a força de carros de combate do Exército Brasileiro estava composta na linha de frente por tanques modernizados M41B e M41C Caxias, que apesar de disponíveis em uma quantidade suficiente já se mostravam ultrapassados.

Por questões de custos, optou-se por compra de oportunidade, o que acabou se concretizando mediante oferta do governo belga, envolvendo unidades usadas do carro de combate Leopard 1A1 que se encontravam estocadas.

Após as tratativas iniciais junto ao governo da Bélgica, foi formada uma Comissão de Aquisição do Exército Brasileiro que trataria em dezembro de 1994 de identificar e avaliar in loco inicialmente 61 veículos em melhor estado de conservação.

Em 1998 decidiu se pela aquisição de mais 67 carros de combate, elevando para 128 o total de unidades, sendo este novo lote entregue até maio do ano 2000.

Além do CIBLD, os Leopard 1A1 foram destinados a quatro Regimentos de Carros de Combate alocados nas regiões Sul e Sudeste

M60A3 TTS

M60A3 TTS
M60A3 TTS

História e Desenvolvimento

No ano de 1978, foi desenvolvido a variante M60A3. Essa versão era uma evolução das versões anteriores, por agregar um eficiente sistema de estabilização de tiro em movimento que em conjunto com novo computador balístico M21 criou uma plataforma estabilizada que permitia a realização do tiro a longas distâncias, com elevada probabilidade de acerto, mesmo contra alvos em movimento e sob qualquer situação climática e de visibilidade. Os M60A3 serviram nos efetivos blindados do Exército e do Corpo de Fuzileiros Navais Americanos, na linha de frente até fins de 1993, registrando ainda destacada participação nas duas guerras do Golfo.

Emprego no Brasil

Em março de 1996 uma equipe de militares do Exército Brasileiro selecionaram 91 M60A3 TTS armazenados no Fort Drum em Nova York. Paralelamente, outra equipe formada por Oficiais e Sargentos de Material Bélico realizaram o Curso de Manutenção do M60A3 TTS nas instalações do Fort Dix, em New Jersey – EUA. E por fim, uma terceira equipe composta por Oficiais e Sargentos de Cavalaria, realizou o Curso de Guarnição de M60A3 TTS.

Os carros de combate M60A3 TTS foram recebidos no Brasil em fevereiro de 1997, antes dos carros da Krauss Maffei, que chegaram somente a partir de setembro do mesmo ano.

Os carros de combate passaram a ser inicialmente distribuídos ao 4º Regimento de Carros de Combate, em Rosário do Sul – RS, 5º Regimento de Carros de Combate, em Rio Negro – PR, CIBLD e Escola de Material Bélico, ambos no Rio de Janeiro.

A incorporação do M60A3 TTS proporcionou ao Exército Brasileiro o acesso a tecnologias inéditas embarcadas em carros de combate, como os sistemas de visão noturna passiva e residual, tiro estabilizado e indireto, telêmetro laser e computador balístico de tiro M21, além possuir uma blindagem mais resistente e armamento mais poderoso com o canhão de 105 mm com alcance de 4 km, sendo classificado como o primeiro MBT empregado na Força Terrestre.

Em 2006 o Exército passou a considerar a curto prazo um substituto para os carros de combate Leopard 1 A1 e M60A3 TTS, com este processo culminando na aquisição de 200 carros Leopard 1A5, com os primeiros dez sendo recebidos em 2009. O início desta nova fase promoveu um programa de redistribuição das forças blindadas, com o Leopard 1A5 se tornando o principal carro de combate do Exército Brasileiro.

Foi então definido que somente 32 carros M60A3 TTS seriam transferidos para o 20º Regimento de Cavalaria Blindada sediado na cidade de Campo Grande – MS, com o restante sendo deslocados ao Parque Regional de Manutenção da 9º Região Militar, a fim de serem desmontados e seus componentes armazenados para reaproveitamento. Três M60A3 TTS ainda foram mantidos no CIBLD para serem utilizadas nos estágios de formação.

M60A3 TTS
M60A3 TTS

DIVULGAÇÃO: 3ª Divisão de Exército

- Advertisement -

199 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
199 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

Só sei de uma coisa, sempre estamos 30 anos atrasados em relação a veículos e com quantidade pequenas!

eggfilho
eggfilho
Reply to  DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

LI ALGO QUE O maior problema do leopard 1A5 é o motor que só aceita um tipo de diesel, e o biodiesel brasileiro faz com que tenha muitas manutençoes e caras pois as peças do motor nao sao mais fabricadas só o que tem em estoques pelo mundo

Tomcat4,2
Reply to  eggfilho
5 meses atrás

Já li sobre isso tbm, agora, poderiam, quem sabe(não manjo de mecânica) tentar colocar outro motor(quem sabe um da Iveco, Scania ,Volvo etc) e adaptar uai. Outro dia vendo um programa tipo “irmão caminhoneiro”, mostrou uma empresa de coleta de lixo (se não me engano na Bahia)que trocou o motor de seu Wolks Worker por um elétrico, fez uma adaptação e ficou top, economico, silencioso e potente.

Pedro
Pedro
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Engine swap nunca é facil, nem mesmo em carros onde precisa de muita paciencia para ficar algo bom, ate pq nao envolve apenas a transferencia do motor por outro mas tambem se os perifericos dele como transmissao, parte eletrica e seus apoios sao compativeis. Sem falar que depois de feita, há de se resolver equlibrio, comportamento e acertar instrumentos para que nao aja uma leitura errada. Ainda em um veiculo onde há uma couraça metalica dificultando qualquer mudança, torna o trabalho herculo se nao for bem projetado, alem de caro. Uma coisa é cortar lataria de carro, outra é cortar… Read more »

Welington S.
Welington S.
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Tá doido amigo? Que isso, larga dessa de colocar um novo motor nos Leo. Passou da hora de botar esse bicho pra dormir. O EB tem agora é que olhar pra outro blindado. Colocar outro motor nos atuais é ter mais gastos desnecessários ainda.

glasquis 7
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Acho que mudar a motorização de um MBT de essa forma que vc sugere, precisa de autorização do fabricante. Normalmente são feitas apenas adaptações pra melhorar o funcionamento local.

Glasquis 7
Reply to  eggfilho
5 meses atrás

O que funciona bem com biodiesel?

Juarez
Juarez
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Nenhum motor funciona direito com está bost………

Diego Tarses Cardoso
Diego Tarses Cardoso
Reply to  eggfilho
5 meses atrás

Existe também a parte da transmissão, ninguém sabe como ela funciona e toda vez que dá problemas tem que trocar ela toda. A KMW não fabrica ela mais, depende apenas de transmissões em outros veículos e em estoque.

Tem a parte da torre, são sistemas que não são mais fabricados, então há escassez de peças, dependendo novamente da existência de peças em outros veículos ou estoque.

Glasquis 7
Reply to  Diego Tarses Cardoso
5 meses atrás

Mas esse é um problema comum em muitos Blindados na região. Até os TAM Argentinos tem sofrido canibalização.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Diego Tarses Cardoso
4 meses atrás

É verdade, essa questão da canibalização tem sido um grande problema para vários exércitos da região. Perú sofre com seus T55 antigos e que já estão surrados até o osso. Hoje, no máximo tem uns 50 desse MBT em funcionamento no Perú. Venezuela tem os blindados mais novos da região, no caso os T 72 Russos, mas que estão também com problemas de manutenção em função da crise financeira e consequentemente falta de dinheiro para fazer os reparos necessários. Chile tem os antigos leopard 1V, que já estão em petição de miséria, pois são muito antigos e sofreram com a… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  DOUGLAS TARGINO
5 meses atrás

A quantidade de 250 CC, para a conjuntura atual, no EB, é suficiente. Considerando hoje a quantidade de Leo 1A5 e M-60 existentes, estamos próximo desse número. Reitero, para a realidade da América do Sul hoje, é o suficiente. Por obviedade, será necessário substitui-los em um futuro próximo e isso poderá ser um problema, em função do alto custo envolvido em serem adquiridos 250 CC “no estado da arte”. A solução tampão será justamente a modernização de uma parte dos Leo 1A5. Contudo, tudo leva a crer que a próxima compra será o VBC-Cav, deixando, justamente, a questão do “novo”… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

a realidade da América do Sul hoje, é o suficiente.”

???

Chile 100 Leoprad 1 V
200 Leopard 2 A 4

Venezuela: 190 T 72.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Esquece um pouco do jogo de tabuleiro War.

Pega o mata da América do Sul, faz um estudo simples do terreno, distancias e fronteiras.

Depois voltamos a conversar.

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Esqueci o tabuleiro, dei uma olhada no mapa e fiz um estudo bem simples…

Os 100 Leo 1V, os 200 Leo 2 A4 e os 192 T72 continuam aí.

E agora o que faço?

José de Souza
José de Souza
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Pendura eles em helicópteros para atravessar os Andes e a Amazônia e atacar o Brasil… Pode tentar rebocar em jangadas também.

Glasquis 7
Reply to  José de Souza
5 meses atrás

Mas, por que faria uma coisa dessas?

Teropode
Reply to  José de Souza
5 meses atrás

Ehhhhh, pensei o mesmo , na verdade não há risco eminente na AS , ter uma força blindada é para desestimular aventuras de quem vier do além- mar. 200 MBT da de ótimo tamanho , deveríamos focar numa defesa aérea de longa distância .

glasquis 7
Reply to  Teropode
5 meses atrás

Não há?

Segundo a história, seu pensamento não é uma verdade absoluta.

Mas, talvez vc esteja certo e o Brasil deva esperar que algum país vizinho se torne uma ameaça pra pensar em melhorar as sua força couraçada.

Last edited 5 meses atrás by glasquis 7
Teropode
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

200 Leopard 2 não está bom pra vc ? Temos aqui no Brasil uma limitada área para atuação de MBTs , ao contrário da Ásia e OM .

glasquis 7
Reply to  Teropode
5 meses atrás

200 Leopard 2 Acho pouco pro Brasil. O EB merece uma força maior. Além do mais, vc pensa num conflito local como sendo Brasil contra um determinado país. Eu já considero isso um erro. Se alguém pensar atacar um gigante como o Brasil, com certeza não o fará sozinho. Será uma força de coalisão e não tentariam ocupar o Brasil como um todo, apenas uma região de interesse estratégico e que pra eles fosse possível tomar e defender. Além disso, existem outras variadas hipóteses de conflito nas quais se poderia lutar fora do território e com apenas 200 MBT s,… Read more »

Last edited 5 meses atrás by glasquis 7
Leonardo Rodrigues
Leonardo Rodrigues
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

E quem disse que o inimigo é externo? Quem disse que quem clama por patriotismo não é o verdadeiro inimigo da pátria? Quem disse que se houver uma insurreição esses MBTs não apoiariam um lado ou outro?

glasquis 7
Reply to  Leonardo Rodrigues
5 meses atrás

“E quem disse que o inimigo é externo?” Geralmente é e é baseado nessa hipótese que planteio a minha linha de pensamento neste caso. “ Quem disse que quem clama por patriotismo não é o verdadeiro inimigo da pátria?” Nesse caso, vc está entrando no campo político ideológico. Eu prefiro não me aventurar nesse ponto. Os destinos políticos de um país devem ser definidos pelos seus cidadãos. “Quem disse que se houver uma insurreição esses MBTs não apoiariam um lado ou outro?” Com certeza mas, nesse caso, qualquer força poderá pender pra um lado ou outro ou, poderá se fragmentar. Sendo… Read more »

Pedro
Pedro
Reply to  Teropode
5 meses atrás

So para lhe lembrar, os EUA achavam impossivel o VIetnam do Norte usar tanques medios como o T-54 e os mesmos usaram, assim como os Japoneses usaram tanques leves nas suas campanhas iniciais no sudeste asiatico onde os Ingleses julgavam impossivel. Nada impede o uso de blindados na Amazonia e lembro que na divisa entre Roraima e a Venezuela há locais onde existem pequenas savanas. Por outro lado, no RS e regioes do Sul há pradarias onde sem blindados nem adianta lutar. Isso de “ha, nao tem ameaça” é bem relativo ate pq do jeito que anda um certo vizinho… Read more »

Teropode
Reply to  Pedro
5 meses atrás

Bobagem , não cabe estas comparações , principalmente porque hoje há os drones , o EB tem que investir nisto ; Drones e transporte aéreos , somando com 200 MBT.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  José de Souza
5 meses atrás

O Glasquis não conseguiu alcançar a necessidade dos helicópteros ou jangadas para transportar uma força atacante composta por MBTs.
Kkkkk…

glasquis 7
Reply to  2Hard4U
5 meses atrás

Na verdade, até agora, não consigo estabelecer qual o paralelo entre transportar MBT em helicópteros, a ter MBT condicentes com o cenário da região.

Se vc puder me explicar.

Alexandre
Alexandre
Reply to  José de Souza
4 meses atrás

kkkkkkkkkkk
Excelente resposta!

Gabriel
Gabriel
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Esqueceu o tabuleiro e foi para o super-trunfo.

Fica difícil conversar com quem não consegue nem compreender que o Chile não tem fronteira com o Brasil.

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

O que tem a ver que o Chile não tenha fronteira com o Brasil? Vc ao menos entendeu a sua própria Postagem? “para a realidade da América do Sul hoje, é o suficiente. “ Pra Realidade atual da América do Sul, o Brasil ter um conjunto de 220 Leopard 1 A5, como seu principal cavalo de guerra é muito aquém do necessário e menos ainda do que se espera de uma Nação com a importância do Brasil. E sobre supertrunfo, é o típico comentário de quem não tem argumentos. O Brasil precisa de uma força couraçada móvel e alinhada às necessidades… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Meu amigo, o uso de uma linguagem mais simples é justamente porque a grande maioria dos entusiastas desconhece como se organiza e se emprega uma Bda Bld, por exemplo. O entusiasta lê meia dúzia de artigos, mais meia dúzia de sites e realmente acredita que tem condições de debater com argumentos “técnicos” com quem estudou quase 30 anos de técnicas e tática de emprego de Bld. Assim, o uso de termos como “para a realidade da América do Sul” significa que, apesar de não ser ideal, a Bda Bld, com os meios atuais, é condizente (técnica e tática) quando comparada… Read more »

glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Quem estudou 30 anos deveria saber que pra realidade da América do Sul, o que o EB tem é insuficiente pra segurar uma aliança entre Peru, Bolívia e Argentina.

E essa aliança não é assim, tão improvável.

Teropode
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

E por que diabos eles iriam se juntar para atacar o Brasil ? Tá mais fácil Peru e Bolívia se pegarem .

glasquis 7
Reply to  Teropode
5 meses atrás

E por que diabos eles iriam se juntar para atacar o Brasil ?”

Geopolítica.

 Tá mais fácil Peru e Bolívia se pegarem .”

Leia história.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Teropode
4 meses atrás

Amigo, Teropode, a hipótese de se fazer uma guerra da Argentina, Perú e Bolívia juntos contra um oponente só existe contra o Chile. Isso é tão claro que essa hipótese é trabalhada com seriedade pelos chilenos. O comentário do indivíduo aí, é tão somente uma maneira dele querer dizer que o chile pode com esses 3 países juntos, e supostamente, na cabeça dele, o Brasil não pode. Mas vamos aos fatos: 1) Tamanho das forças: Perú tem 140 mil homens em suas 3 forças Bolívia tem 50 mil Argentina tem 70 mil Chile tem 70 mil Brasil tem 350mil Esses… Read more »

Blind Man´s Bluff
Blind Man´s Bluff
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Nao discordo totalmente de voce e aproveitando para responder aos outros comentaristas também; a geopolitica costuma dar voltas inesperadas em momentos inoportunos. Ter uma força “condizente” com o momento presente é ter uma postura de “melhor das hipóteses”, quando na verdade forças armadas são (ou deveriam ser) instrumentos para “pior das hipóteses”. E mesmo se esse fosse o caso do Brasil, o que não é e no momento presente, entre Boa Vista e a fronteira com a Venezuela, aliada da China, Russia, Cuba e Irã, com o desmatamento progressivo e a consequente desertificacao da superficie, o terreno tem se tornado… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Blind Man´s Bluff
Teropode
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Não é bem assim , vcs se comportam como se estivessem na Ásia central , paranóia pura .

glasquis 7
Reply to  Teropode
5 meses atrás

Se é paranoia então, pra que ter MBT?

Alexandre
Alexandre
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

É verdade gabriel, a distância do Chile até as fronteiras do Brasil gira em torno de 1200km. É necessário um grande esforço logístico para se levar um exército com toda sua tropa e blindados numa distância dessa. Muito combustível, munição e, a depender do número de combatentes, um grande gasto com alimentação também. Isso sem contar que o apoio aéreo ficaria difícil e também muito caro. Ou seja, seria um suicídio fazer uma operação dessa contra o Brasil. Quando o Bozo consultou os comandantes das nossas forças sobre uma possível guerra contra a Venezuela, recebeu o valor que seria gasto… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Eu não sabia que o Chile, grande aliado do Brasil, vai atravessar a Argentina pra vir aqui lutar contra um amigo…..

E nem q os militares da Venezuela vao deixar de ganhar $$$ com contrabando, partilha de drogas e “sei lá” mais qual atividade miliciana pra atacar o Brasil.

Glasquis 7
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Eu não sabia que o Chile, grande aliado do Brasil, vai atravessar a Argentina pra vir aqui lutar contra um amigo…..”

Eu tampouco, quem te contou?

Glasquis 7
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

E nem q os militares da Venezuela vao deixar de ganhar $$$ com contrabando, partilha de drogas e “sei lá” mais qual atividade miliciana pra atacar o Brasil.”

Eu nem sabia que os militares venezuelanos eram contrabandistas, traficantes e sei lá mais o que.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Eu já ouvi sobre isso também. Muitos militares da ditadura venezuelana, fazem parte de milícias e contrabandistas. Se não me engano, existe um general, que está sempre ao lado do Maduro, que tem mansões e tudo. Seus filhos estudam em uma universidade americana. Me lembro de ter visto, acho que filha, desse general, jogando rios de dinheiro pro alto. Sem contar também que lá na Venezuela existem 5 mil generais. O cabideiro lá, dá de 10 à 0 se comparado ao Brasil rs.

Tutu
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Pesquise sobre o “Cartel de los Soles”.

glasquis 7
Reply to  Tutu
5 meses atrás

Tenho conhecimento das acusações mas, até hoje só está nisso. Acusações e quem acusa é justamente o maior interessado em obter o controle da região e essa acusação foi constantemente usada pelo governo Trump, que diga-se de passagem, não é muito confiável ne?

Só posso me apoiar em fatos e até agora não há como comprovar a participação dos militares. Apenas suspeitas.

glasquis 7
Reply to  Tutu
5 meses atrás

Em tudo caso, foi uma resposta a uma postagem fora do contexto do Angelo.

Tomcat4,2
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

…”postagem fora do contexto do Agnelo”
Tu sabes que o Agnelo é Major do EB e da ativa né??/ ou seja, está melhor informado que nós todos da realidade militar/bélica dos supracitados nesta discussão.

Glasquis 7
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Então o Major Ângelo, deveria saber, melhor do que todos nós que, os cenários de conflito hoje, não se resumem apenas a fronteiras e que grandes potências regionais devem, por obrigação geoestratégica e geopolítica, ter capacidade de atuar militarmente nos diversos cenários do continente em que se encontra seu território pois poderá, em algum momento, precisar defender seus interesses e os dos seus aliados, fora do seu território. Caso de EEUU, Rússia, Inglaterra, Índia, Francia, Itália, Alemanha, Espanha, etc. por exemplo. Se hoje se alçasse na região, uma aliança militar (coisa que já ocorreu) que ameaçasse a soberania de outros… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Quanto blá blá blá sem fundamento… O Brasil atuar do outro da cordilheira kkkkkk e os leopards vão ser a peça chave para essas operações. O cara quer desenhar cenários e não tem um mínimo de conhecimento sobre a geopolítica . Então nos explique porque a Itália , a Turquia, a Espanha, a Alemanha, o Japão, a Índia … não fazem parte do conselho permanente de segurança ? Caramba , porque não pensamos antes nisso! Só comprar 200 leopards II para ser uma nação relevante. Todos idiotas aqui que ficam gastando grana em programas inúteis como matador, kc-390, guarani e… Read more »

Canarinho
Canarinho
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Isso ai e o problema, se justifica que o numero de veiculos, meios ou seja la o que for e suficiente, argumentando questoes que podem mudar da noite pro dia. Eh a cultura que se instalou por essas bandas, ficar contando com a sorte e o hoje. Parece que noa se olha para o futuro e se pensa pequeno demais. E outra , Brasil nao tem grandes aliados, tem paises no momento que nao estao em rota de colisao com os interesses deles.

Pedro
Pedro
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Quem diria que Russos e Ucranianos um dia poderiam estar em guerra neh?

Agnelo
Agnelo
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Senhores…… Quem sabe ler está na frente de muita gente…. fica a dica…. O comentário teve como base: “para a realidade da América do Sul hoje, é o suficiente”___ referindo-se a nossa defesa. A resposta do comentarista foi falando sobre Chile e Venezuela. Sobre estes: Eu não sabia que o Chile, grande aliado do Brasil, vai atravessar a Argentina pra vir aqui lutar contra um amigo….. E nem q os militares da Venezuela vao deixar de ganhar $$$ com contrabando, partilha de drogas e “sei lá” mais qual atividade miliciana pra atacar o Brasil. Talvez, mais didaticamente, dê pra entender.… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

“Quem sabe ler está na frente de muita gente….” Sem discordar, “QUEM SABE INTERPRETAR O QUE LÊ, ESTÁ MAIS À FRENTE AINDA.” Mas vamos entender que: “Eu não sabia que o Chile, grande aliado do Brasil, vai atravessar a Argentina pra vir aqui lutar contra um amigo…..” “E nem q os militares da Venezuela vao deixar de ganhar $$$ com contrabando, partilha de drogas e “sei lá” mais qual atividade miliciana pra atacar o Brasil” Eu não postei em momento algum que o Chile viria enfrentar o Brasil nem que os militares venezuelanos deixariam de contrabandear mas sim que outros… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Glasquis 7
Agnelo
Agnelo
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Vamos, então….. Fala-se q a defesa do Brasil está boa pro cenário Sul-americano, e o senhor fala do Chile como comparação…. ou a interpretação de compará-lo está certa ou a colocação sobre o Chile está errada…. Sobre Venezuela….quando se fala o q eu disse é pra evidenciar o fundo do poço. Ou preciso dizer q 80% do tempo de instrução nas FFAA bolivarianas são sobre bolivarianismo e aquele blá blá blá pra constatar q estão ruins? Em exercício, anos atrás, os foderosissimos Su não interceptaram um mero Caravan nosso, enquanto nossos controladores morriam de rir deles sem saberem vetorar e… Read more »

glasquis 7
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

“Fala-se q a defesa do Brasil está boa pro cenário Sul-americano” Não, claramente escrito está: “A quantidade de 250 CC, para a conjuntura atual, no EB, é suficiente…” Conjuntura ao meu entendimento é: “No cenário do sub continente (entenda-se América do Sul) o Leo 1 A 5 do Brasil é suficiente como para estabelecer superioridade” Não é. países como Equador tem MBT similar, e se considerarmos que o Brasil é a principal força militar da região, ter médios inferiores a outros países certamente o colocam em desvantagem. Ainda mais se levarmos a equação a nível país, considerando tamanho, extensão de… Read more »

Tutu
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

Só um detalhe, leopard 1V não é equivalente ao leopard 1a5, inclusive acho uma matéria comparando esses dois seria bem interessante.

glasquis 7
Reply to  Tutu
5 meses atrás

Na verdade o Equador conta com ambos. Em tudo caso, o que encontro sobre o Verbeterd é que a Holanda aprimorou os Leoprds 1A1A1 transformando-os no Leopard V, uma versão equivalente ao Leopard 1 A5 Alemão. É possível que o Leopard 1 A5 Br tenha aprimoramentos que o tornem superior mas, eu não tenho conhecimento disso. Em tudo caso, e me desculpe se estou errado, mas em essência, ambos MBT são unidades equivalentes salvo algumas melhoras implementadas que não justificam mudar a nomenclatura de Leopard 1 A5 pra Leopard 2 ou, Leopard 1 A6. Envasado nisso então, me permito considerar… Read more »

Tutu
Reply to  glasquis 7
5 meses atrás

Pelo o que li a principal diferença entre os dois está nos sistemas embarcados e na torre, ambos são atualizações da versão 1a1A1, que possui uma torre diferenciada e possibilidade de adoção de blindagem extra. O Leopard 1V na sua atualização recebeu como sistema de controle de tiro o Krupp-Atlas EMES-12A3, o mesmo encontrado nos 1a3, tal sistema não dispunha de visão noturna integrada, por isso mantiveram o sistema de intensificação de luz residual de imagem passiva PZB 200, que fica montado em um apontador sobre o canhão, o telescópio do comandante também não foi substituído, sendo o mesmo TRP-5A… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Tutu
Tutu
Reply to  Tutu
5 meses atrás

Atualmente as limitações do Leo 1V em operações noturnas são tão grandes devido a obsolescência do sistema PZB 200, que o próprio exército chileno já estudou alternativas para sua substituição, mas nada foi adotado.

Captura de Tela 2021-05-02 às 16.49.33.png
glasquis 7
Reply to  Tutu
5 meses atrás

Brilhante sua explanação.

glasquis 7
Reply to  Tutu
5 meses atrás

 e possibilidade de adoção de blindagem extra.”

Na verdade, o  Verbetrd teve adicionadas blindages de aplicação na torre e saias no casco.

Mas, a sua explanação é enriquecedora, embora não veja capacidades de combate que os diferenciem muito salvo, a capacidade de combate noturno do 1 A5 mas é um recurso periférico. Teria que estudar melhor as vantagens. Ainda assim, na literatura que encontrei a definição diz que o 1 V é equivalente ao 1 A5 Alemão.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Agnelo
4 meses atrás

No momento, os militares da Venezuela estão atravessando a fronteira para receberem atendimento médico no Brasil!
Acho que eles não podem fazer uma guerra nem com a guiana.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

Concordo gabriel, o Brasil com os MBTs atuais, que giram na casa de 250/270 blindados é mais que suficiente. Até porque, confrontos entre MBTs são muito raros na guerra moderna. O advento dos VANts armados, o aumento do alcance e da precisão da artilharia, bem como o uso de helicópteros e aviões armados com mísseis anti tanque, praticamente encerrou o confronto direto entre MBts. É só olhar o que aconteceu nas guerras do golfo I e II, na guerras do líbano, da Síria e recentemente na Armênia. Por outro lado, os blinados que são operados na região são todos eles… Read more »

Alexandre
Alexandre
Reply to  Gabriel
4 meses atrás

Sem querer toquei na tecla enter e o comentário foi antes de ser terminado. Repetindo… Concordo gabriel, o Brasil com os MBTs atuais, que giram na casa de 250/270 blindados é mais que suficiente. Até porque, confrontos entre MBTs são muito raros na guerra moderna. O advento dos VANts armados, o aumento do alcance e da precisão da artilharia, bem como o uso de helicópteros e aviões armados com mísseis anti tanque, praticamente encerrou o confronto direto entre MBts. É só olhar o que aconteceu nas guerras do golfo I e II, na guerras do líbano, da Síria e recentemente… Read more »

Tomcat4,2
5 meses atrás

Que venha agora a evolução pós Leo 1A5 !!!

Spitfire
Spitfire
5 meses atrás

Eu acho que essas compras de oportunidade devem servir apenas como tampão por um periodo curto de tempo. O problema é que acaba recebendo constantes remendos e posterga a aquisição de meios novos. Esse é o caso do Leo1A5.. por mais que sejam modernizados estara defasado no cenário atual… cada vez mais… um exwmplo inteligente foi no caso da FAB a aquisição dos Mirage 2000… foi adquirido como tampão por um curto periodo… quando expirou o periodo foi retirado de serviço e ponto. Botou o bode na sala. Houve sugestões para modernizar mas a FAB não aceitou… se tivesse feito… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Spitfire
5 meses atrás

A quantidade de 250 CC, para a conjuntura atual, no EB, é suficiente. Considerando hoje a quantidade de Leo 1A5 e M-60 existentes, estamos próximo desse número. Reitero, para a realidade da América do Sul hoje, é o suficiente. Por obviedade, será necessário substitui-los em um futuro próximo e isso poderá ser um problema, em função do alto custo envolvido em serem adquiridos 250 CC “no estado da arte”. A solução tampão será justamente a modernização de uma parte dos Leo 1A5. Contudo, tudo leva a crer que a próxima compra será o VBC-Cav, deixando, justamente, a questão do “novo”… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Sim, claro, 250 VBC CC são suficientes para a “conjuntura atual”.
.
E o resto da estrutura do EB que demanda praticamente uma centena a mais de VBC CC, pode continuar existindo só no papel, não é mesmo?

Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Vou melhorar a minha afirmação.

Para a conjuntura atual, a composição das Bda Bld, com os meios atuais, são o suficiente.

É o ideal? nem perto!

Vou repetir a frase de um velho General: enquanto nosso pais for mais parecido com o continente africano, nas questões econômicas e sociais, do que com a Europa, não podemos querer ter Forças Armadas parecidas com a OTAN.

Assim, mesmo não sendo o ideal, nossa comparação no momento tem que ser com os vizinhos da América do Sul.

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Nossas forças não são realmente como as da OTAN. As forças da OTAN são moldadas para a Defesa, com a prioridade de combater ameaças externas. As nossas forças, assim como na África, só servem para manter a ordem internamente, combatendo o próprio povo se necessário.
.
Para isso, contar com uma Brigada Blindada equipada com meios de relevância tecnológica datados na década de 80, ainda é mais que suficiente.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Você já conseguiu disfarçar mais, já tentou inclusive parecer um estudioso do tema.

Mas não resiste à tentação de espalhar rancor e desinformação, sempre com objetivos de desmerecer as Forças Armadas.

“combatendo o próprio povo” foi a do dia.

Não vale a pena perder tempo te apresentando informação e não opinião porque teu interesse é unicamente desmerecer, desconstruir.

Interessante é que as Forças Armadas brasileiras são elogiadas em todas oportunidades que operam com outros países, mas Bardini você que sabe das coisas.

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

É. O EB nunca combateu o próprio povo quando foi necessário, abafando revoltosos na base de kacete e chumbo. Meras invenções dos historiadores malvados, que também inventaram até uma ditadura que nunca existiu.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Duque de Caxias tinha o apelido de “Pacificador” porque ele era extremamente compreensivo com qualquer revolta dentro do território Brasileiro, não sabia não? hehehe

A Republica também era extremamente disposta ao dialogo. Canudos é um belo exemplo.

Tomcat4,2
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Que eu me lembre por aqui houve “Regime Militar”(época que se combateu a grupos armados e treinados em guerrilha,Dilminha q o diga,entre outros políticos brasileiros de hoje q na época labutaram contra o país) e neste haviam menos restrições do que as impostas por prefeitos e governadores atualmente em seus inconstitucionais lockdowns . Lembrar que houve um clamor do povo pela intervenção militar (marcha das famílias).

silvom
silvom
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

era ditadura, fiote. Que o carinha da casa de vidro quer tentar de novo

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Peraí.
Você tá tentando comparar um lockdown necessário no meio de uma pandemia, com Ditadura?
É isso mesmo?
Porque, se for, além de demonstrar uma notável falta de caráter, também demonstra doses cavalares de desinteligência

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Nao, eu você e o cachorro da dona Lulu sabemos que essas estruturas devem ser revistas, racionalizadas e algumas até extintas
E isto ou EB vai pelo mesmo caminho da MB.

Spitfire
Spitfire
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Olá amigo!!! Me preocupa essa frase “para a realidade da america do sul”. Sei que isso realmente vinha norteando nossas aquisições em defesa. Mas isso tem mudado um pouco, tanto é os programas de modernizacoes visto aqui como Gripen , prosub, guarani, Kc390, astros 2020 entre outros que diferem dos equiptos de nossos vizinhos. Na minha opinião atualmente nossas ameaças não vem de nossos vizinhos…vem da europa e do norte!!! O poder geopolitico mundial esta se acomodando, novas potencias estarão surgindo e outras regredindo… o Brasil é cotado como uma das promissoras potencias ate 2050. E o poderio belico é… Read more »

Spitfire
Spitfire
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

É fundamental o EB se modernizar…provavelmente cairá naquela equação meios modernos x quantidade. Aquisição de equipto moderno mesmo que isso signifique alguma redução em quantidade. Ou é isso ou continuaremos nos especializando em funilaria de meios que não representarão poder de dissuasão

Gabriel
Gabriel
Reply to  Spitfire
5 meses atrás

Está completamente correto. Usei a frase “para a realidade da AS” para acalmar os corações dos entusiastas, que por desconhecimento (se bem que tem pessoas que comentam baseadas em convicções puramente ideológicas) acham que tudo se resolve em um “estalar de dedos”. A evolução da tecnologia Militar está muito rápida, em poucos anos aquilo que era estado da arte fica obsoleto. Sem fluxo contínuo de recursos não é possível acompanhar essa evolução. Até países da OTAN tem essa dificuldade. Atrelado a isso, no Brasil em geral, não se tem a percepção da necessidade de Forças Armadas modernas. Além das enormes… Read more »

Spitfire
Spitfire
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Então amigo, se olharmos para a China, se transformou em uma das, e provavelmente futuramente, principal potência mundial. Outro exemplo a Índia, que segue a mesma tendência. Não são no aspecto social muito diferentes do Brasil…Mesmo a despeito das dificuldades sociais existentes nestes países que não são poucas (alta desigualdade social, índices de pobreza, fome, etc)… até rato lá viram refeição!!! Provavelmente investir altos recursos em defesa não foi prioridade da população, e sim ter o que comer… mas o projeto de país foi tocado e hoje colhem os resultados!!! E não viraram potência de uma hora para outra, esse… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Opinar, qualquer um opina né? Depois de tudo, é pra isso que estamos aqui.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
5 meses atrás

Modernidade com M60 e Leopard 1 é de lascar. Em 96 o Abrams já era veterano de guerra.

Brasil, onde o futuro sempre chega atrasado.

Henrique
Henrique
5 meses atrás

O EB (e outras forças armadas brasileiras) tem uma capacidade irrisória de investimento, portanto não temos condições de substituir o material atual por um mais moderno nas mesmas quantidades ou mesmo substituir o que quer que seja. Se não houver mudanças de paradigma vamos estar sempre condenados a estar defasados na curva tecnológica, comprando material obsoleto das FFAA mais modernas. Por exemplo, é impossível substituir por CCs modernos com os recursos atuais todos os CCs do EB que precisam ser substituídos, seja por obsolescência, seja por falta de peças/fim da vida útil. Uma modernização do Leo vai apenas mitigar a… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Henrique
Bardini
Bardini
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Mas segundo nosso Ministro da Defesa, Braga Neto, o problema da defesa no Brasil é simplesmente “falta de recursos”. . É sempre essa mesma desculpinha asquerosa… . O problema sempre vai ser “falta dinheiro”, “falta apoio político”, falta de interesse da população”, “defesa não da voto” e blábláblás mil. O problema interno e estrutural, nunca será abordado por dentro, partindo das próprias instituições, que tem poder para se reinventar e fazer mais com menos. E se surgir alguém de fora, do mundo civil, querendo se incomodar e afim de perder tempo de vida tentando mudar a realidade do sucateamento dessas… Read more »

Gabriel
Gabriel
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Amigo, a afirmativa não está errada. Talvez pudesse ser complementada. Eu vou além, pior que a falta de recursos é a falta de um fluxo continuo de recursos, que permitam que o planejamento seja feito e executando, em um cronograma minimamente viável. A reestruturação necessária, sem me aprofundar muito, esbarra em questões políticas (qualquer mudança ou extinção de OM é um “parto” para ser concretizada por pressão de Governadores e Prefeitos), econômicas (não é barato trocar um simples Batalhão de local), sociais (nas cidades interioranas, o Exército é o emprego e solução de parte dos jovens), etc etc etc Claro… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

É. Mas veja bem: o que os militares de alta patente defendem hoje? Chorar por 2% de PIB para defesa. Pq? Pq a bolada seria tão grande, mas tão grande, que não precisa mudar nada do que se tem hoje, nada. É só ampliar, ampliar e ampliar. Ampliar é fácil. Muito fácil. . Você pega o planejamento da MB. Aquela viagem ao mundo mágico da maionese que apresentaram a mais de uma década é fruto de uma tentativa, ainda no governo Lula, de passar o orçamento da defesa para 2% do PIB. Nem o Lula, no final do seu segundo… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Bardini
Spitfire
Spitfire
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Olá amigo… essa questão que vc menciona procede, porém essa lógica vale para praticamente todos ministérios!!! Da mesma forma que vc menciona ser uma montanha de dinheiro para defesa, e que devido a problema de gestão é muito mal utilizado, o mesmo vale para o Min da Saude, Educação, e etc… são os maiores orçamentos ao longo do tempo (á décadas) e que entregam à população resultados tão pífios quanto ao da Defesa. Veja nosso ranking de educação e a situação da saúde no país!!! Sabe porque? Porque a máquina de tetas do estado é propositadamente inchada para manter os… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

Como assim, faltam recursos se o orçamento do MINDEF é o maior (e por muito) da América Latina?

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Proporções, palavra desconhecida. Se eu afirmar aqui que o Brasil é o país mais rico da AL, com base apenas no PIB, vai chegar sujeito aqui lembrando as proporções ! PIB per capita e etc… Mas o mesmo sujeito não lembra quais foram e são os países que gastaram mais em defesa per capita na região. Engraçadinho, até aceito isso vindo de um brasileiro insatisfeito, frustrado e
desinformado reclamando em boa-fé…mas de você.

glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

“O DESLUMBRADO”

Mesmo considerando proporções, riquezas e PIB, o Orçamento do MIDEF é acima de U$D 20 Bilhões.

Continua sendo ENORME!

Leia e saia do seu DESLUMBRAMENTO!

Augusto Motta
Augusto Motta
Reply to  Bardini
5 meses atrás

É isso aí, Bardini, vc foi cirúrgico. Eu sou CAC, basta ver o sistema que eles contrataram para o controle de armas de fogo chamado SISGCORP, uma monstruosidade, uma ABERRAÇÃO!!!!!!!! Os caras inventam tudo pra dificultar, hoje uma simples aquisição de arma de fogo demora até 1 ano, é inacreditável! parece que os caras se reuniram e falaram assim: “Vamos inventar um monte de processos e obstáculos, quanto mais difícil e enrolado melhor, tem que ser um labirinto, temos que forçar o contribuinte ao limite do desespero, inventar barreiras, criar dificuldades, fazer da burocracia a nossa missão, a atividade-fim tem… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Augusto Motta
Welington S.
Welington S.
Reply to  Augusto Motta
5 meses atrás

Te falar, CAC sofre, bicho, rs. Para mim, o Exército Brasileiro não deveria se meter no que é DIREITO do cidadão.

Spitfire
Spitfire
Reply to  Augusto Motta
5 meses atrás

Essa é a realidade de todas as instâncias e repartições públicas de nosso país, em âmbito federal, estadual e municipal… por isso somos o que somos!!!

Henrique
Henrique
Reply to  Bardini
5 meses atrás

Eu li num lugar que é mais fácil criar um exército do que reformar um… Realmente, o corporativismo, a burocracia e morosidade inerente de um exército pouco operacional inviabilizavam qualquer mudança profunda. Vai ser preciso alguém de fora com muita visão e força IMPOR uma reforma para que as coisas melhorem, se for contar com os generais vai ser sempre o mesmo, eles estão atualmente garantindo que as coisas continuem como dantes, no quartel de Abrantes.

Last edited 5 meses atrás by Henrique
Gabriel
Gabriel
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Amigo, algumas ações são fundamentais:

1 – manutenção constante de recursos destinados a Defesa. Nenhum tipo de planejamento funciona com uma previsão de orçamento que quase nunca se confirma, cujos repasses são quase sempre menores que o previsto.

2 – acelerar a reestruturação do EB (que já está em andamento), particularmente em relação ao aumento de efetivo temporário e diminuição ao efetivo de carreira.

3 – desvinculação do EB de infinitas ações subsidiárias, que drenam recursos, meios, efetivos, ao ponto da “atividade fim” ficar em segundo plano.

Henrique
Henrique
Reply to  Gabriel
5 meses atrás

O que tem que fazer é fechar esse monte de banda de música, essas OM de guardas que não servem pra nada, “podar” essa legião de generais e rever essa tal de “reserva” que tem utilidade muito duvidosa. Pra que serve esse monte de batalhão armado de FAL, MAG e uns mrt 60mm? Dispensa! O meu exército seria assim: · 18 brigadas sendo: – 1 blindada – 2 mecanizadas – 3 motorizadas – 1 paraquedista – 1 de montanha – 1 de assalto aéreo/aeromóvel – 9 de infantaria leve/selva Todas subordinadas a 6 divisões a três brigadas, cada divisão com… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Henrique
rdx
rdx
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Com certeza o problema não são as bandas (elas fazem parte da tradição militar). rss….mas é um fato indiscutível que precisamos de mais tecnologia e menos efetivo….e de tropas concentradas na Amazônia (teatro de operações de provável conflito no futuro) Penso que o alto comando deveria se adaptar aos tempos modernos e enxugar a estrutura do EB. Cortar 10% dos postos de generais, cargos de comandantes e unidades (sobretudo nas regiões sudeste, nordeste e sul) na próxima década seria um bom começo. Com uma estrutura mais enxuta e menos desperdício poderíamos investir em armas e equipamentos de última geração. Ex:… Read more »

Last edited 5 meses atrás by rdx
Agnelo
Agnelo
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Prezado Modularmente, grosso modo, o EB tem isso em quantidade de Bda e Div. Cabe salientar, q nem sempre um local suporta em capacidade de “fornecer” RH, manutenção e suprimento de muitas coisas, além de outros fatores, mais unidades. As Brigadas do CMNE tem destinação prioritária de emprego a Amazônia, por exemplo, já q lá é mais caro e difícil de manter mais Bda. As RM são quem cuida do Esc Log q fará tudo isso funcionar em caso de Guerra. OM sem função? Qual? Quanto às Bandas, também acho q podem diminuir, ou melhor, os próprios militares de outras… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

As divisões iriam assumir as funções das RM e aquelas não ficariam “presas” aos territórios mais teriam caráter nacional, por ex. Divisões no sudeste seriam subordinadas diretamente ao comando em Brasília e poderiam se deslocar para outros lugares no país caso necessário. Quanto as OM supérfluas me refiro aos pelotões de fronteira, a brigada de fronteira, unidades específicas de GLO, de construção de estradas, etc. Coisa que não é função de exército. Não quis criticar o mrt ou a MAG mais quis salientar a insuficiência de só contar com esses armamentos em certos batalhões. É melhor ter um batalhão adequadamente… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Prezado Boa noite Vc lançou várias ideias Vou por partes. 1) O Exército trabalha com modularidade. As Div tem condições de sair de onde estão e passarem para o Cmdo de onde seriam empregadas. Ex: a guerra é no CO na fronteira com a Bolívia. As 1a e 2ª DE no SE e as 3ª, 5ª e 6ª podem sair do S e serem empregadas lá. Não há problema nisso e é assim q se raciocina em utilizá-las, se houver necessidade. As RM tem uma estrutura completamente diferente das DE. As DE sao operativas. As RM são administrativas. As RM… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

1) eu sei, mas o que proponho é que as divisões sejam diferentes do que são hoje. Elas seriam mais como corpos de exército responsáveis mais pela arte operacional do que pela tática, a OM tática básica seria a brigada, por isso digo que todas as brigadas devem ter artilharia orgânica, engenharia, reconhecimento e logística para atuarem como “mini-divisões”. 2) coibir ilícitos transfonteiriços é para PF mas eu vou concordar com você nesse ponto até que se crie alguma força capaz de tocar essa missão 3) pode ser, mas vejo que há um exagero em Missões de GLO e as… Read more »

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Agnelo, já ouvi sobre essa operação contra as FARC. Mas veja bem: como deslocamos 5 mil homens para lá em menos de 24 horas após saber da movimentação das FARC? Quais OM foram mobilizadas? Quais meios de transporte usamos? Qualquer movimentação na Amazônia leva dias, se não semanas.

Não temos capacidade de transportar toda a Brigada de Infantaria Paraquedista de uma vez, por exemplo.

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Henrique
5 meses atrás

concordo com sua opinião em vários pontos; contudo, acredito que nosso efetivo e demasiado pequeno; Explico, hoje o EB não tem muito mais brigadas do que sua estrutura ideal, são apenas 27. A grande questão e como uma força de mais de 200 mil homens e divididas em pífias 27 brigadas e 6 divisões? Sendo que essas divisões são administrativas, e executam algumas atividades e jogos de guerra ao longo do calendário de instruções anuais (instruções essas que são importantes). De fato, existe e muito efetivo para mobilizar mais brigadas, mas esses não estão no corpo da tropa; eles estão… Read more »

Agnelo
Agnelo
Reply to  Cruvinel
5 meses atrás

Prezado Concordo em parte. Na verdade, de Inf e Cav, são 25 Bda incompletas. Por isso, q grosso modo, digo umas 18. Não acho q o efetivo seja pequeno. Acho q deve ser melhor distribuído. Esse é o trabalho q está sendo estudado. Agora, verdade seja dita, proporcionalmente, considerando q todo exército, grosso modo, tem as mesmas estruturas q indiretamente apoiam e coordenam e dão suporte às Bda. normalmente, por Bda, os exércitos da OTAN tem em média 4.500 homens por Bda e mais 5.500 fora dela lhe dando possibilidade de existir e operar. No Brasil, somos menos de 9.000.… Read more »

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Excepcional comentário.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
5 meses atrás

Uma pergunta de leigo… Os nossos tanques aguentam um combate urbano, de selva encharcada e terreno de caatinga? Pode colocar eles nesses ambientes que não tem B.O.?

Bardini
Bardini
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Contra quem?

Henrique
Henrique
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Um CC não “trabalha” sozinho ele precisa de todo tipo de apoio e coordenação, não é apenas uma situação de capacidade do CC mais de toda a unidade. Quando falamos em CC temos que falar em regimento de CC, de brigada, de artilharia e pra isso alcançar sua maior eficácia várias condições precisam se atendidas. Certos terrenos inviabilizam o emprego de unidades blindadas, não por limitação do CC mas por não permitir o melhor uso da força blindada. Esses terrenos mencionados tem várias limitações que tornam inviável o emprego de CC.

Paulo Sollo
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Vista o fato destes MBTs só atuarem basicamente no sul com esta desculpa esfarrapada de que o terreno lá é mais propício e a questão da Argentina, quem sabe? As áreas de caatinga e cerrado tem grandes extensões com terreno de solo duro e sem muitas elevações. Inclusive os planos de invasão do Brasil por parte dos EUA na 2ª guerra e durante o golpe de 64 contemplavam desembarque nas praias do nordeste justamente pelas características favoráveis do terreno. Porém temos aqui o exército imperial sulista e a marinha imperial carioca, com 90% dos meios concentrados nestas regiões. Se algum… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Ninguém vai atacar o Nordeste. Aliás, a existência do CMNE só se justifica para manter o equilíbrio entre os generais, dar cargos para oficiais, como “reserva” em caso de guerra e, sobretudo, dissuadir qualquer aventura separatista na região nordeste do país.

Paulo Sollo
Reply to  rdx
5 meses atrás

Opinião achista e preconceituosa. E em relação a movimentos separatistas, isto sempre foi mais forte no sul, onde tem muita gente que se acha europeu, não brasileiro. Mas acho que talvez fosse até interessante. O G. Federal é como um Detran, só existe para tomar dinheiro da população e criar aborrecimentos. O Brasil tem tudo para ser uma potência mas não tem competência para tal. A coisa simplesmente não deu certo. Pra que insistir mais? Creio que seria melhor desmembrar este país. Cada região seguir o rumo que achar melhor, sem se submeter ao jugo e incompetência de Brasília. Duvido… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Comentário infeliz.

Paulo Sollo
Reply to  rdx
5 meses atrás

Não, eu me senti muito feliz quando o postei. A infelicidade está em você.

Welington S.
Welington S.
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Complicado, cara. É como você disse, o Brasil tem tudo para ser uma potência, mas, pelo visto, o Brasil foi projetado para não dar certo em absolutamente nada. Pô, quem dera se existisse o botão vermelho do: ”Quer resetar seu país?”, sem sombra de dúvidas, eu resetaria, rs.

Flanker
Flanker
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Em um mesmo comentário, você acusa outro comentarista de ser preconceituoso e você mesmo o é!!! Me diz um movimento separatista hoje, na região sul, que exista ou tenha uma mínima relevância. Essa história de se achar europeu é coisa pra boi dormir……e repete isso quem é desinformado. E no final, você mesmo afirma que o separatismo seria a solução…..então, nem você quer ser brasileiro. Crise de identidade misturada com hipocrisia…..

Paulo Sollo
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Interpretação distorcida para sustentar acusação mau caráter é sua especialidade.
Good night little school boy!

Flanker
Flanker
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Hehehehehe….quem está sendo mau caráter é tu, sujeito. Quem falou em separatismo foi tu! Quem acusou os outros de várias coisas no comentário original foi tu! Não negue o que tu mesmo escreveu. Tenha culhão e assuma o que escreveu!

rdx
rdx
Reply to  Flanker
5 meses atrás

O mais absurdo é que ainda tem palhaço que bate palma para ele.

Last edited 5 meses atrás by rdx
Paulo Sollo
Reply to  rdx
5 meses atrás

Palhaços são seres que espalham alegria, eu os aplaudo.
Mas aborrescentes petulantes e desonestos com vocês são o efeito colateral da liberdade de expressão que temos de suportar.
Mas os suportamos com compreensão pois entendemos suas debilidades intelectuais, cognitivas e morais.

glasquis 7
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Insultar os outros não ajuda muito o debate.

rdx
rdx
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

A carapuça serviu direitinho. Você não passa de um moleque mau caráter.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Flanker
5 meses atrás

Exatamente…. uma salada de incoerência….
Conheço muito bem brasileiros q falam um português cheio de sotaque alemão e são muito mais patriotas, do que quem explora a ignorância e a pobreza do próprio povo pra manter o poder pelo domínio da fome.

Flanker
Flanker
Reply to  Agnelo
5 meses atrás

Exato, Agnelo!

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Sabe qual é a questão Paulo Sollo?!? Os separatistas querem se separar do Brasil mas levando a infraestrutura estragada como você mesmo classificou no seu comentário. Ninguém realmente quer começar do zero, sem SUS, sem Forças Armadas, sem dinheiro federal para investir… Ahhh não investe em nada… Mas o pouco que investe os separatistas não querem abrir mão. Assim é fácil neh?!?

sub urbano
sub urbano
Reply to  rdx
5 meses atrás

Discordo. Um desembarque no Nordeste é o caminho mais rápido para encaçapar Brasilia. 200 mil expedicionários com apoio aéreo e couraças chegariam lá em poucas semanas e forçariam os políticos a assinar até a própria mãe.

Ia ser mamãozinho.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Só se for no litoral baiano que vão desembarcar, se passarem pelo meio do Nordeste, sentido Norte/Sul vão tomar na cabeça. É só entocar cabra na caatinga com Igla e ATGM perto das estradas estreitas, e a gente almoça e janta fígado de gringo.

BR-BA-2014-07.jpg
Glasquis 7
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

O EB está sem ATGM e o Igla é antiaéreo.

Tomcat4,2
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Tá bem informado hein, qual a sua fonte pra afirmar assim ???

Glasquis 7
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

Bom, o EB tinha 57 unidades do ERYX comprados em 1995 e que segundo entendo, estocados tem validade de 10 a 15 anos então, deduzo que não podemos contar com eles na equação. Tinha também 20 unidades do Milan, que são anteriores ao ERYX. Considerando isso devem estar na mesma situação. O Brasil concluiu o ano passado (se não me engano) os testes e a certificação do MSS 1.2  mas até onde me consta, ainda não entrou em operação. O que sei que existe seriam os Spiral de fabricação russa mas eles operam como parte do arsenal dos MI 35… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Sobre o Igla, ele é mesmo um manpads, um míssil superfície – aire (antiaéreo) de curto alcance, de fabricação russa vendido pela Rosoboronexport (se não me engano).

Tomcat4,2
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Bacana, então no seu “Incrível Mundo de Bob” o EB ou um de seus oficiais(ou qualquer outra força) vai liberar informações classificadas de quanto tem disso ou daquilo né, tá bom uai.

Glasquis 7
Reply to  Tomcat4,2
5 meses atrás

A compra de armamentos pelo EB ou qualquer outra força da OTAN ou ligada a ela, como é o caso do Brasil, deixou de ser informação classificada há muito tempo. Que o senhor não tenha conhecimento disso é um outro problema. Eu não estou estou no mundo de Bob nem muito menos. Me baseio na informação oficial que tenho e, oficialmente, o EB conta apenas com 57 unidades do ERYX e 20 unidades do Milan. Todos eles com data acima de 25 anos. Isto é um fato, não é o mundo do bob como vc postou. O Igla é um… Read more »

ALFA BR
ALFA BR
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

O EB tem IGLA mas não míssil anticarro.

João Adaime
João Adaime
Reply to  sub urbano
5 meses atrás

Caro sub urbano
Por que invadir Brasília? Você falou em “poucas semanas” e nos políticos. Em poucas horas eles já estariam ou na Flórida ou em Portugal.
Para dominar o Brasil seria preciso destruir os contingentes militares aquartelados no Sul e Sudeste. Depois disto, daí sim seria um passeio.
Abraço

sub urbano
sub urbano
Reply to  João Adaime
5 meses atrás

Brasilia é a capital. Instalam um governo aliado (fantoche) e jogam contra os focos de resistencia. Exemplo recente Iraque: aliados tomaram Bagdá instalaram um governo Xiita e jogaram contra os sunitas pró sadam. Afeganistão a mesma coisa. Chechênia tbm. É um bom negocio para quem participa de um governo fantoche assim. Sempre existe uma oposição ávida por poder e dinheiro, as sociedades humanas são assim mesmo.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Invasão americana no golpe de 64……… depois falam da cloroquina e da terra plana…..

Juarez
Juarez
Reply to  Paulo Sollo
5 meses atrás

Se tomarem a Amazônia um dias, não serão 300 blindados que vão resolver a perrenga até porque eles não operam lá. Entenda que qualquer movimento de ação de blindados vira pela fronteira sudoeste, que o único ponto que pode acontecer projeção de poder por via terrestre, tendo em vista a floresta ser praticamente um “muro ,logístico e operacional” natural. A presença das brigadas blindadas aqui no sul se da em razão disto e a facilidade de formação e treinamento pela tambem presença do CIBL em Santa Maria e que tem seu polígono de treinamento em Saica, que fica praticamente só… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Dependo do que vai enfrentar.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Caatinga? Aqui é mata fechada, isso aí não anda aqui não. Aliás tem que ser muito corajoso para se aventurar na caatinga, na seca tu não identifica nada além dos 20 metros de distância.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Defensor da liberdade
5 meses atrás

Enfim uma resposta técnica… Obrigado Defensor da liberdade.

rdx
rdx
5 meses atrás

Joga tudo fora e compra 60 M1A2 SEP. Não precisamos de 320 sucatas. Eles dão conta de qualquer ameaça que surgir no sul do Brasil. Lembrando que o canhão 105 mm do TAM não é capaz de penetrar a blindagem do Abrams.

Last edited 5 meses atrás by rdx
Gelson
Gelson
5 meses atrás

Boa tarde, quando o EB chegar um pouquinho próximo do nível de organização apresentado aqui: https://www.forte.jor.br/2009/08/09/exercito-suico-um-pouco-diferente/ Acho que daí poderemos começar a falar sobre doutrina, treinamento, equipamento e modernidade. Até lá é só um faz-de-conta de defesa que chega a dar nojo. Como colocou muito bem o comentarista Paulo Sollo: Exército Imperial Sulista, Marinha Imperial Carioca…e eu acrescentaria Fôrça Aérea de Brasília! Não dá para ser feliz assim, melhor ler sobre outros exércitos e forças armadas mundo afora. Coisas de países realmente sérios. Infelizmente, já na minha idade, não há mais esperanças de ver o país do futuro sendo conjugado… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Gelson
Matheus
Matheus
Reply to  Gelson
5 meses atrás

A solução do Brasil é a dissolução e separatismo.

Henrique
Henrique
Reply to  Matheus
5 meses atrás

Criar um monte de repúblicas falidas e caóticas… Sim, grande solução(?).

Last edited 5 meses atrás by Henrique
Gelson
Gelson
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Boa tarde, Matheus e Henrique!
Eu não queria chegar até esse ponto mas, quando se vê que apenas meia dúzia de estados brasileiros são auto-suficientes e cujos recursos tem que ser partilhados com outros que pouco ou nada fazem para contribuir. A idéia não chega a ser absurda! Talvez não tenhamos só que reformular a estrutura das forças armadas mas também repensar o próprio país, pois tudo é um embrulho só. Nada funciona como deveria! Tudo é um grande teatro, uma farsa!

Last edited 5 meses atrás by Gelson
Henrique
Henrique
Reply to  Gelson
5 meses atrás

Não tem como uma região ser próspera se tudo a volta é caos. Se SP torna-se independente o que oconteceria seria um fluxo de imigração de nordestinos criando todo tipo de dificuldade nas novas fronteiras… não dá, temos que trabalhar com o que temos.

Gelson
Gelson
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Entendo o teu pensamento. Agora, ficar assistindo este mau uso de recursos públicos que são gerados por trabalho honesto e duro nos faz pensar em buscar alguma forma alternativa. Pois esta que aí está, e tende a se perpetuar, já vimos que não deu certo – não funciona! Fique bem!

Matheus
Matheus
Reply to  Henrique
5 meses atrás

Caoticas aonde?
Os estados do Sul, Sudeste(menos Rio) e Centro Oeste são bem estabilizadas e tem suas industrias.
Por mim que o Norte vire uma zona internacional e que o Nordeste finalmente se desenvolva.

Glasquis 7
Reply to  Matheus
5 meses atrás

Depois vem os “deslumbrados” dizer que eu ofendo o Brasil.

Filho, separatismo é crime pois atenta a integridade e ameaça a segurança da Nação. O Brasil é um país inteiro, uma Federação com seus diversos estados. Vc tem, não apenas que aceitar isso, vc tem obrigação de protegê-lo.

Vc tem nacionalidade Brasileira. Não existe nacionalidade Paulista, Carioca, Catarinense, Mineira, Alagoana, Piauiense, etc.

O que ganharia teu estado com a emancipação da Federação do Brasil?

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Com respeito e educação vou tentar lhe explicar uma questão básica. Você é estrangeiro! Não digo isso para lhe ofender, simplesmente é um fato . Você se sacrificaria por essa nação? É a nação que você enxerga como seu lar ? Acredito que não e é bem visível isso quando você elogia e defende o seu país as relativas FAs contra qualquer um que ouse questionar certas qualidades. Outro exemplo, você nunca relatou uma falha aqui sobre seu país, nunca o criticou – é só procurar aqui matérias sobre o seu país e FAs para enxergar esse hábito. Já quando… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

Você é como uma sogra desaforada : chega na casa dos outros dando pitaco e criticando, e ainda se acha um exemplo irrepreensível.
Compreenda, se ele quiser falar M** sobre separatismo ele pode …
não é seu dever repreender ele, não é uma sua tarefa, você não conhece o fardo e nem a honra de ser brasileiro.

Glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

“Você se sacrificaria por essa nação?” O faria, e o faço!!! “ É a nação que você enxerga como seu lar ? “ Não. “Acredito que não e é bem visível isso quando você elogia e defende o seu país as relativas FAs contra qualquer um que ouse questionar certas qualidades.” Mostrar a realidade não uma ofensa. Se lhe ofende, faça algo pra mudá-la. Não elogio o meu país, pontuo as realidades de ambas forças. Coloco as do meu país como contra parte por que são as que melhor conheço e na atualidade conseguem ser comparadas. “E é de extremo mau gosto… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

e ainda se acha um exemplo irrepreensível.”

Não, não acho. Isso é coisa das vozes da sua cabeça e nada mais.

Glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

““E é de extremo mau gosto sua atitude de dar pitaco ou querer criticar a casa alheia.”” Não dou pitaco nem critico a casa alheia e o fato de vc, especificamente, se ofender por minhas opiniões não faz delas de mau gosto nem a minha atitude uma ofensa. Este forum, diversas vezes realiza postagens de outros países, inclusive do meu, e aí todos “dão pitaco” ou “querem criticar a casa alheia” e vc jamais os criticou por isso aliás, participo deste espaço há muito mais tempo do que vc e isso devido às postagens sobre as FA do meu país… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Este fórum é brasileiro, criado com o instituto de ” desenvolver uma mentalidade de defesa na sociedade brasileira” . Portanto nossos lar. Uma coisa é eu ter esse hábito de comentar e criticar aqui entre brasileiros, outra é chegar em um forum argentino e pretender ser o professor e apontando falhas, carências , criticidades e ainda querer ser engraçadinho. Tudo isso sem nunca mencionar as minhas falhas, só relatando as maravilhas tupiniquins. Voce conhece as FAs do seu país tão bem mas nunca mencionou uma criticidade, uma falha, uma carência, … caramba que perfeição ! Já quando o assunto são… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

“Este fórum é brasileiro, criado com o instituto de ” desenvolver uma mentalidade de defesa na sociedade brasileira” . Portanto nossos lar.” O “DESLUMBRADO”, o que este forum tem como intuito o debate militar e vc não é dono dele, está numa rede pública de acesso universal. “ainda querer ser engraçadinho” Não quero não, se vc acha isso é problema seu. “Já quando o assunto são forças brasileira você se esforça para achar erro até onde não tem .” Te conto que não me esforço muito não. Além de “DESLUMBRADO” é também “ENCRENQUEIRO” KKK Não pode ver uma postagem minha… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Você é como uma sogra desaforada : chega na casa dos outros dando pitaco e criticando, e ainda se acha um exemplo irrepreensível.
Compreenda, se ele quiser falar M** sobre separatismo ele pode ..
não é seu dever censurar ou repreender ele, não é uma sua tarefa, você não conhece o fardo e nem a honra de ser brasileiro.

Glasquis 7
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

Aqui “O DESLUMBRADO”: 2 – Mantenha o respeito: não ataque outros comentaristas, nem o site ou seus editores; Entendeu o que quer dizer “Não Ataque outros Comentaristas?” 5 – Não use o espaço de comentários como palanque para proselitismo político, ideológico, religioso, para praticar ou difundir posturas racistas, xenófobas, propagar ódio ou atacar seus desafetos. O espaço dos comentários é para debate civilizado, não para propaganda ou interesses pessoais; Separatismo e a sua defesa dele é uma transgressão, seus ataques e a sua perseguição também. Seja civilizado. 6 – Mantenha-se o máximo possível no tema da matéria, para o assunto… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Thiago A.
5 meses atrás

Cara, enquanto o Galante que é o DONO desse espaço, permitir que ele e qualquer outro escreva o que pensa aqui, não te cabe dizer qualquer coisa a respeito dele poder ou não participar e expor as opiniões dele. Você, por acaso, é daqueles afeitos à intervenção federal, censura da imprensa, etc??

Matheus
Matheus
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Duas coisas.
Uma que tipo de ameaça a segurança que aconteceria caso secessão acontecesse?
E dois, não tenho nacionalidade Brasileira, abri mão da minha há 5 anos atrás, sou Canadense.

Glasquis 7
Reply to  Matheus
5 meses atrás

A secessão por si, é um atentado contra a Federação. A constituição Brasileira zela pela união do país e a sua integração como Nação. Isso é um fato. O maior problema de qualquer proposta de secessão está em que a ideologia que a defende, pensa apenas no benefício de alguns estado, normalmente os do Sul / Sudeste. Principalmente Santa Catarina, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Rio e Minas. O que todos eles esquecem é que o grande poder do Brasil como exportador está nas commodity e estas são geradas maiormente em outros estados. O Brasil é forte pelo seu… Read more »

Matheus
Matheus
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Eu não acho que nenhum desses países iria anexar territórios que não tem quase valor algum.

Glasquis 7
Reply to  Matheus
5 meses atrás

Vc acha esses estados sem valor?

Matheus
Matheus
Reply to  Glasquis 7
5 meses atrás

Norte é só mato onde não pode ser explorado(por covardia do governo) e Sul não tem nada.

Agnelo
Agnelo