sábado, setembro 18, 2021

Saab RBS 70NG

IMBEL entrega último lote de Fuzis de Assalto IA2 ao Exército Brasileiro

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Itajubá (MG) – No dia 26 de agosto, a Fábrica de Itajubá (FI) realizou a entrega do último lote de Fuzis de Assalto IMBEL 5,56 IA2, referente ao Termo de Execução Descentralizada (TED) nº 01/2020, realizado entre o Comando Logístico do Exército Brasileiro – COLOG e a IMBEL®.

Em Dezembro de 2013, o Exército fez uma encomenda de 20.000 fuzis 5,56. A fábrica agora deve começar a produzir a versão Fz 7,62.

Montagem e preparação do Termo de Execução Descentralizada (TED) nº 01-2020 – COLOG-IMBEL para a entrega
Montagem e preparação do Termo de Execução Descentralizada (TED) nº 01/2020 – COLOG/IMBEL para a entrega

Acondicionamento para embarque dos Fuzis IA2
Acondicionamento para embarque dos Fuzis IA2

Entrega de lote Fuzil de Assalto IMBEL 5,56 IA2 ao Exército Brasileiro

DIVULGAÇÃO: IMBEL

SAIBA MAIS:

- Advertisement -

167 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
167 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
737-800RJ
737-800RJ
17 dias atrás

[Quase OFF]
Sei que muitos não ligam, mas adoro caixas de armamentos e equipamentos militares. São muito resistentes e bonitas!
A maior, à esquerda, é de munição para obuseiro 105 mm. A menor, à direita, de munição 9mm.
Essas do IA2 estão lindas!

20210901_153401.jpg
Zé Mané
Zé Mané
Reply to  737-800RJ
16 dias atrás

Vai faltar feijão.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  737-800RJ
14 dias atrás

Fala ’37! Eu concordo contigo. Tenho uma caixa de munição de 90mm do Cascavel do CFN e a estou transformando em ‘mesinha de centro.’ Parece MUITO com essa sua do obuseiro de 105mm. Coloquei quatro rodinhas nela para ficar mais fácil de movimentá-la pela casa e ficou muito boa. Estou agora querendo colocar um tampo de vidro de forma que ainda possa abrir e guardar coisas dentro.

Tomcat4,2
17 dias atrás

A cada novo lote as sugestões de melhorias são inseridas e as mesmas passadas as unidades já entregues quando de suas manutenções. IA2 em constante evolução.

Jodreski
Jodreski
Reply to  Tomcat4,2
12 dias atrás

Quem vai efetivamente usar essas armas em conflitos reais serão os policiais dos nossos estados, então eles serão os que mais somarão feedback desse novo armamento. Teste de campo do EB é excelente, porém quem vai depender dessas armas para voltar para casa e dar um abraço na família é quem tem mais base prática para argumentar visto que o BR não está envolvido em nenhum conflito.

Gabriel
Gabriel
17 dias atrás

Bom fuzil.

Superior ao FAL em praticamente todos aspectos.

Apesar de não ser de última geração, atende muito bem ao que foi proposto e é feito com tecnologia nacional.

Que venha logo o 7,62.

O EB estará bem servido.

Glasquis 7
Reply to  Gabriel
17 dias atrás

Superior ao FAL em praticamente todos aspectos.”

???

O FAL é um projeto belga de 1947 e que entrou em serviço em 1953. Mais de meio século.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Glasquis 7
16 dias atrás

Existe um fuzil russo, que até hoje é uma das referência mundiais, sabe a data do projeto?

O ser humano tem uma incrível capacidade de superação, inclusive quando quer argumentar, sem conhecimento.

glasquis 7
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Existe um fuzil russo, que até hoje é uma das referência mundiais”

E é superior ao IA2 da IMBEL?

glasquis 7
Reply to  glasquis 7
16 dias atrás

O ser humano tem uma incrível capacidade de superação, inclusive quando quer argumentar, sem conhecimento.”

Estou esperando a sua argumentação…

Nascimento
Reply to  glasquis 7
16 dias atrás

Que argumento? O ônus da prova é de quem acusa. O F-16 e F-15 tem mais de 40 anos de operação, são arcaicos? Não.

O FAL é arcaico, mas por outros motivos, mas pelo visto tu não tem conhecimento técnico pra dizer o porquê e fica tentando inverter o ônus das coisas por aqui.

Dizer que o Gripen é superior ao F-5 em todos os aspectos, é incorreto agora?

Last edited 16 dias atrás by Nascimento
Glasquis 7
Reply to  Nascimento
16 dias atrás

Não acusei ninguém. apenas rebati o comentário:

“Superior ao FAL em praticamente todos aspectos.”

Se o IA2 é um projeto deste século, tem que ser no mínimo, superior aos projetos de 50 anos atrás caso contrário, continua com o FAL. vc não acha?
Só falta investir num projeto de um novo fuzil que seja pior que os projetados 50 anos atrás.

Tem coisas que são tão óbvias que ao parecer ninguém vê

Glasquis 7
Reply to  Nascimento
16 dias atrás

Dizer que o Gripen é superior ao F-5 em todos os aspectos, é incorreto agora?”

Eu disse algo ao respeito???

Putz, eu leio e leio o meu comentário e não encontro nada que possa fazer referência ao Gripen ou ao F5.

nelson
nelson
Reply to  glasquis 7
7 dias atrás

O melhor fuzil do mundo e é o kalasheynycov AK e suas variantes supermodernas todo terreno. O do brasil é uma arma pra lixo.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  glasquis 7
16 dias atrás

kkkkk ai foi demais né o ak47 é anos luz superior a fal,ia2,tavor,m16,sig,etc etc etc…pode passar 1 mês na lama e fazer mil disparos tranquilamente ai agente coloca o ia2 na lama pra ver o q acontece kkkkk

Last edited 16 dias atrás by horatio nelson
Glasquis 7
Reply to  horatio nelson
16 dias atrás

O Fusca anda na lama, não usa liquido para refrigeração, é fácil de usar e difícilmente te deixa na mão mas, isso não quer dizer que é superior a um Jetta.

O Fato do AK ser um fuzil robusto não faz dele ser o melhor. Ele é bem avaliado por que segundo os parâmetros de relação, ele é um fuzil de fácil uso, facil manuseio, efetivo, leve e resistente mas perde para o SCAR, o Tavor, o AK 74M, o Galil, etc.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Glasquis 7
15 dias atrás

ao meu ponto de vista um fuzil de fácil uso, facil manuseio, efetivo, leve e resistente + fartura de munição isso é tudo q um fuzil precisa.. pra mim é um fuzil melhor q o ia 2,scar,tavor…esses eu não saberia desmontar e nem sei onde é o retem do carregador…ja o ak sim….a comparação do fusca com jetta…os 2 cumprem a mesma função(andar sobre rodas) porém o jetta foi feito pra ser um carro + rapido q os outros,mais confortavel etc….porem os fuzis só tem um proposito e foram feitos só pra matar…disparar projeteis…e aliás o ak mais rapido q… Read more »

Last edited 15 dias atrás by horatio nelson
Glasquis 7
Reply to  horatio nelson
15 dias atrás

O AK 47 é bom mas, dizer que é melhor que é superior ao SCAR, eu não concordo.

horatio nelson
horatio nelson
Reply to  Glasquis 7
15 dias atrás

essa questão de melhor ou pior é relativa…depende do proposito….se o scar for para um batalhão de operações especiais é melhor q o ak, porém se for pra um batalhão de conscritos ou uma milicia talibã ou pescadores da somália o ak é melhor…tudo é ponto de vista(porém pela trapalhada q os eua fizeram no afeganistão os talibãs agora tem scar tbm kkkk)

Last edited 15 dias atrás by horatio nelson
Marcelo
Marcelo
Reply to  Glasquis 7
13 dias atrás

Vc esta se contra dizendo seu proprio argumento !!!!
Eu Prefiro um fuzil robusto ak- 47 do que o melhor fuzil que na hora que vc mais prescisa ela vai ti larga na mao e vc vai correr grande risco de morrer !!!!!
Na guerra vc prescisa tambem de materia de guerra confiável !!!!
O talibã manda lembranças para os os yankees !!!!kkkkk

glasquis 7
Reply to  Marcelo
13 dias atrás

“Vc esta se contra dizendo seu próprio argumento !!!!”

E aonde foi isso? Vc leu no meu comentário que o SCAR, Galil, Tavor, etc. deixam na mão?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Gabriel
13 dias atrás

Ele ta falando do AK-47 lançado 1947 o fuzil mais vendido no mundo !!!!

chapim rabilongo
Reply to  Gabriel
13 dias atrás

gabriel 14 anos fanfikeiro

rdx
rdx
Reply to  Gabriel
17 dias atrás

É mesmo? Você só esqueceu de dizer que a “carbine” IA-2 é prima do FAL, e que por causa disso nasceu com os mesmos defeitos. A péssima ergonomia é um deles. O tal IA-2 7,62 mm não passa de uma versão maquiada do FAL.

Gabriel
Gabriel
Reply to  rdx
16 dias atrás

Depois que tiver a oportunidade de utilizar os dois armamentos em um estande de tiro, vai ficar com vergonha das bobagens que escreveu.

rdx
rdx
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Fala aí sabichão. Conheço as duas armas…bem mais que você. Pelo visto você é mais um que deu meia dúzia de tiros no estande e agora se acha o especialista no assunto.

Gabriel
Gabriel
Reply to  rdx
16 dias atrás

“salsichão”?!

Foi “um pouquinho mais” de “meia dúzia”.

Se teve a oportunidade de usar os dois fuzis e não percebeu a diferença, não existe mais nada a ser feito ou discutido.

rdx
rdx
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Conheço o suficiente para revelar a vida útil da arma, as principais deficiências do projeto (ergonomia e qualidade construtiva), as limitações balísticas (causadas pela escolha de um cano muito curto) e as peças que apresentam corrosão, frouxidão ou desgaste prematuro. Realmente não dá para discutir com quem avalia arma no estande.

rdx
rdx
Reply to  rdx
16 dias atrás

A maior deficiência do projeto é a ausência de alavanca de manejo solidária ou foward assist. Herança genética do FAL.

Last edited 16 dias atrás by rdx
sj1
sj1
Reply to  rdx
16 dias atrás

É impressão minha ou ele tem um guarda-mão muito grosso ? Aparenta ser uma arma que não dá uma pega muito boa, o cano aparemta ser muito curto.

Elias
Elias
Reply to  rdx
16 dias atrás

Há controvérsias…. Com a palavra os armeiros e entendidos ,
Ps … os de verdade

pablo
pablo
Reply to  rdx
15 dias atrás

verdade , eu opero com essa arma já em alguns anos aqui no rio , para uso urbano esse cano atente porem para um fuzil de batalha e inexplicável esse cano tão curto

Tomcat4,2
Reply to  rdx
13 dias atrás

Se conhecesse tanto saberia q vão sendo feitas melhorias a medida q vão surgindo sugestões ou reclamações por parte do EB e estas passadas para as armas já entregues quando de suas manutenções. Projeto em evolução, não está finalizado.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Gabriel
14 dias atrás

O problema não é quantos tiros deu ou não deu.

É o poder de comparação.

Os militares e principalmente policiais brasileiros começaram a ter contato com armas verdadeiramente modernas depois da queda do monopólio.

Você compara o FAL e o IA2 a quais armas ?

João
João
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Ainda nas 20 mil unidades? Para o tamanho do EB não é muito pouco? Previsão de novos lotes?

Gabriel
Gabriel
Reply to  João
16 dias atrás

Sim.
O EB substituiu apenas parte dos FAL.
Acredito que novos lotes serão adquiridos brevemente, tanto 5.56, como 7.62.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  João
16 dias atrás

eu acho certo, assim vão colocando melhorias na arma para novos lotes

Marcos
Marcos
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Infelizmente esse armamento tem os mesmos problemas que o FAL, eu posso dizer isso pois usei o 7,62 por mais de 30 anos de Av, poderiam usar uma plataforma verdadeiramente moderna, mas infelizmente vamos de FAL 2.0.

Teropode
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

O FAL é insubstituível , mas para um conflito urbano ou no meio da cipoada o IA2 é mais prático , eu modernizaria o FAL 7.6 e manteria o IA2 exclusivo 5.56 .

Vitor
Vitor
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Perfeito comentário, ficam discutindo qual é superior, quando na verdade cada um tem uma função específica. O FAL nasceu para ser um fuzil de campo de batalha, tiros a longas distâncias e manutenção simples, já este IA2 5.56 é feito para uso urbano e tbm pode ser usado em campo de batalha. De fato o IA2 é uma versão atualizada do FAL, e sim é superior em vários quesitos, mas o quesito que o FAL é extremamente superior e nunca o IA2 o vencerá e na rusticidade do material, pois sendo puro ferro o FAL é praticamente indestrutível, tanto que… Read more »

Teropode
Reply to  Vitor
16 dias atrás

São os lobys e as paixões pessoais , sempre atropelam a “razão”.

Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Teropode
15 dias atrás

Lobbys? Vc sabe que o FAL foi aposentado exatamente pq chegou no limite e as modernizações n sanavam as deficiencias do projeto.

Last edited 15 dias atrás by Vinicius 023
Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Teropode
15 dias atrás

Os principais países operadores abandonaram ele exatamente por causa disso. O projeto simplesmente n contempla um forward assist.

Teropode
Reply to  Vinicius 023
15 dias atrás

A indústria fantasia necessidades para justificar o consumo de produtos , repare na quantidade de acessórios para um “moderno” fuzil , o FAL teve a produção e nterrompida por causa do modismo , o AK tá aí provando que um produto bom tem longa duração , a França foi as compras porque percebeu que seu fuzil padrão Channel era ineficiente em áreas abertas e tinha baixa letalidade , perceberam isto aí enfrentar os dinossauros AK47 e o FAL possui a mesma robustez dele .

Tutu
Reply to  Teropode
15 dias atrás

O FAL devidamente atualizado ainda é uma arma bem válida, não é atoa que é uma das opções favoritas de operadores independentes “Empreiteiros”.

images.jpeg
Teropode
Reply to  Tutu
14 dias atrás

Mas infelizmente a geração Nutella quer é novidade , mudar nem que seja para pior , o FAL experimenta aprimoramentos sem prejuízo para sua robustez e simplicidade , eu só não curto estes penduricalhos Tutu , apenas a mira eletrônica , lanternas e laser não faz sentido com o advento NVG e o cano longo é seu diferencial ( positivo na minha opinião ).

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Teropode
14 dias atrás

Se é assim joga o FAL fora e pega um Fuzil ferrolhado…

Eles não falham e são terrivelmente precisos e nem por isto deixaram de ser substituídos.

Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Teropode
14 dias atrás

Geração Nutella? Isso é argumento? Em sua época o FAL foi excelente mas hj é um fuzil antiquado sem nem um simples forward assist.

Just looking
Just looking
Reply to  Gabriel
14 dias atrás

Não, não é. Tem muita peça, o cano não flutua (o engate da bandoleira ser no cano é uma agressão) e pior, não é compatível com equipamentos óticos. Se os mais simples já deram grande vantagem ao soldado dos EUA em guerras recentes, os computadorizados os farão indispensáveis. Compare com algo realmente moderno como o XCR. Poucas peças o que facilita manutenção e fabricação em massa. Cano flutuante que melhora a precisão e compatibilidade com óticos e outros “gadgets”. O engraçado é que os dois estão na mesma faixa de preço (civíl) apesar do XCR ser feito nos EUA e… Read more »

Guacamole
Guacamole
17 dias atrás

Legal. Me preocupa apenas um video de um cara que atirou com ele, que a cada 2 ou 3 carregadores, soltava fumaça da arma e ele jogava a mesma em um barril de água pra esfriar. Na legenda do video, disse que soldados “raramente” atiram em rajada e que com dois soldados, enquanto um atira, o outro que se abriga teria sua arma refrigerada naturalmente. Sinceramente, de alguém que nunca atirou, isso parece conversinha pra boi dormir de quem fez um produto que não deu certo, e sem a hombridade de dizer que o projeto falhou, prefere dizer que “essa… Read more »

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Guacamole
17 dias atrás

Não pode ser. Isso parece piada. Vou pesquisar para ver o que acho.

Doug385
Reply to  Guacamole
17 dias atrás

Eu vi esse vídeo, era um teste de estresse. Dificilmente alguém faria isso em combate real, até porque esgotaria a munição em pouco tempo.
A arma era resfriada porque não havia necessidade nenhuma de desgastar o equipamento só pro sujeito fazer um vídeo legal pro Youtube. Ademais, os testes de fadiga mas complexos são realizados pela própria fábrica e pelo Centro de Avaliação do Exército, não por Youtuber.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Doug385
16 dias atrás

Dificilmente. Apesar de não ter mostrado os detalhes, está claro que a fumaça é do corpo em polímero que toca o cano e queima, liberando a fumaça. Outras armas em polímero não deixam o cano tocar no polímero justamente por isso. A AK já é outra conversa. Usa madeira compensada então a conversa é outra. De qualquer modo, como mudar algo tão seminal na arma sem modificar o projeto inteiro? Fora isso, quem diz que em combate real soldado não atira tanto, devia ver qualquer video os americanos no Afeganistão ou dos russos em Dombass. Na hora do pau, a… Read more »

BK117
BK117
Reply to  Guacamole
16 dias atrás

IA2 é um projeto recente. Conforme vão progredindo os lotes melhorias vão sendo implementadas. O M16 era um horror no Vietnam, quando estreou, e olha o M16 e M4 hoje… Realmente, o IA2 não é um S.A.W., não vai ficar longos períodos atirando direto num combate. Isso acaba com a precisão e com a munição. Dá tempo de esfriar. O rapaz do video estava tendo cuidado com o fuzil que, como estava na fabrica, provavelmente nem era dele. Não era um teste de destruição. Agora, só vendo um video já falar que o projeto “falhou” é sacanagem… Temos todo o… Read more »

Doug385
Reply to  BK117
16 dias atrás

Pode não ser a melhor arma do mercado, mas é a melhor arma para o EB. Não faria o menor sentido por um HK-416 nas mãos de conscritos. Vai servir muito bem à tropa.

rdx
rdx
Reply to  Doug385
16 dias atrás

Claro que não sentido…assim como não faz sentido armar conscrito com uma arma com cano curto equipada com trilhos e acessórios. Penso que a melhor solução seria fabricar em massa o IMBEL MD-1 para substituir os velhos FAL m964 fabricados pela FN e na antiga fábrica de Itajubá …. e comprar 20 mil FN SCAR ou HK-416/417 para equipar as nossas tropas de pronto emprego. Aliás, os fuzis da HK já são usados pela brigada de operações especiais.

BK117
BK117
Reply to  rdx
16 dias atrás

O M964 MD1 é um fuzil excelente, mas por que dotar as tropas com um fuzil antigo, mais pesado e mais comprido, quando se pode desenvolver um produto (ou melhor, uma família de produtos) nacional moderno que traga mais benefícios aos combatentes, incorpore novas tecnologias e estimule o desenvolvimento do parque industrial bélico brasileiro?

Com 20.000 fuzis entregues, não imagino que o IA2 seja pensado para “conscritos”, e o mesmo, bem como (e principalmente, dependendo da situação) a versão 762, que incorpora varias mudanças, têm desempenho e qualidade suficiente para equipar as tropas de pronto emprego.

Last edited 16 dias atrás by BK117
Doug385
Reply to  BK117
15 dias atrás

Sobre o FAL, gostei muito do que os argentinos fizeram com ele. Sobre o IA2, não foi pensado para conscritos, mas para a tropa toda. O que eu quis dizer é que, valeria a pena por uma arma mais complexa e cara nas mãos de alguém que vai dar menos de 30 disparos durante o seu período de serviço obrigatório? Acho um desperdício de recurso escasso. Poderia ser o MD1? Mata igual, mas é velho, grande, pesado e obsoleto. Nesse caso é melhor padronizar com algo mais novo, o que o EB vem fazendo no caso. Lembrando que a molecada… Read more »

BK117
BK117
Reply to  Doug385
14 dias atrás

Caro amigo, entendi seu comentário, me referia ao comentário do colega rdx. Ao falar dos conscritos, me refiro ao fato que o IA2 foi pensado para ter qualidade suficiente para atender a toda tropa, não sendo necessário comprar HKs ou SCARs para as tropas, exceto, talvez, forças especiais. Também entendo seu ponto, não vale a pena deixar uma arma cara na mão de recruta, melhor algo mais robusto, à prova de “bizonhice”. Nesse sentido o FAL é perfeito, mas não tem necessidade (do meu ponto de vista) de comprar mais, poderiam ser passados os FAL mais recentes (que foram substituídos… Read more »

Last edited 14 dias atrás by BK117
Doug385
Reply to  rdx
15 dias atrás

O que você pontuou é bom, mas não vai acontecer. O EB vai continuar adquirindo o IA2 (mesmo que a ritmo lento) para as tropas prioritárias e ainda vai usar o FAL por um bom tempo. Eu adoraria ver a tropa toda com HK-416/417, ainda mais se fosse fabricado sob licença aqui, mas já foi investido muito tempo e dinheiro no IA2. É um ponto sem volta e é o que temos pro almoço. Fica a torcida para que a arma sempre evolua e melhore as deficiências.

Teropode
Reply to  Guacamole
16 dias atrás

Vc já viu os testes de resistência de outros fuzis ” modernos” ,feitos com os mesmos compósitos ? A fumaceira é a mesma , tá dentro da normalidade ( o teste) , se vc atirar assim na real , pode pedir outro fuzil , a têmpera foi prusacu ….

Guacamole
Guacamole
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Vi, tanto é que no youtube tem vários.
E nenhum deles começa a fumar com 2 ou 3 carregadores.
Se não me falha a memória, a maioria começa a fumar no oitavo carregador.

É só procurar “torture test + a arma que queira ver”. AK 47, Glock, tem de tudo.

Teropode
Reply to  Guacamole
15 dias atrás

Já vi , por isso afirmação que é normal , segue o jogo .

Teropode
Reply to  Guacamole
15 dias atrás

Vc observou Quantas munições havia em cada carregador , o calibre que estava sendo testado , a temperatura ambiente , o local do teste . O IA2 é um matérial confiável .

Guacamole
Guacamole
Reply to  Teropode
15 dias atrás

Isso que você está fazendo é torcida, e não informação.
Respondendo a pergunta, sim, vi, uma vez que em cada vídeo, eles mostram a munição que será utilizada.

Você não pode dizer que algo é ou não confiável sem ter um parâmetro.

Teropode
Reply to  Guacamole
15 dias atrás

A pergunta não foi retórica 🙏👍

Teropode
Reply to  Guacamole
16 dias atrás

Há compósitos no AK ? Ou madeira e aço ? A condução de calor destes materiais são diferentes .

BK117
BK117
17 dias atrás

IMBEL entrega último lote de Fuzis de Assalto IA2 ao Exército Brasileiro”
Comecei a ler triste…

A fábrica agora deve começar a produzir a versão Fz 7,62″
E terminei de ler feliz da vida…

Ansioso pra ver a versão final do 762! Digo, não creio que deva ser boa, alguém vai ter que me enviar um pra eu poder testar pessoalmente. Sem data pra devolver, teste a longo prazo. Estou no aguardo hahaha.

Meus parabéns à Imbel, mesmo com todas as dificuldades fazendo excelentes produtos!

sj1
sj1
Reply to  BK117
16 dias atrás

“IMBEL entrega último lote de Fuzis de Assalto IA2 ao Exército Brasileiro”
Comecei a ler triste…”
“A fábrica agora deve começar a produzir a versão Fz 7,62″

E terminei de ler mais triste ainda …

Oráculo
Oráculo
17 dias atrás

O que me assusta é a “velocidade” da Imbel.

20 mil fuzis em 7 anos?
Tão de brincadeira né!!!

O EB deveria conversar com a Taurus e começar a comprar lotes de T4 – a versão nacional do M4 – pelo menos para as unidades de pronto emprego.
Eles entregam 20 mil num ano fácil.

Arrisca o preço ficar até mais barato.
E é nacional, não tem desculpa de que “não podemos depender de fornecedores estrangeiros” em fuzis e pistolas.

O Brasil não perde a oportunidade de perder uma boa oportunidade.

João Augusto
João Augusto
Reply to  Oráculo
16 dias atrás

Mais provável que a lentidão na produção tenha sido em razão da cadência do maço e outras questões orçamentárias do que por incapacidade técnica do fabricante…

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Oráculo
13 dias atrás

Acho que o EB nao precisa substituir todos os FAL imediatamente assim.. e temos que levar em conta que a cada lote/ano que passa o ia2 vai sendo melhorado.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
17 dias atrás

Velho, não sou especialista, mas munição 5.56 acho tão pequena! Já atirei em 7.62 e 5.56 e a pessoa ver a diferença… Acredito que uma é mais para uso policial e a outra sim, para guerra. Sei que vários países do mundo usam esse calibre, mas os EUA mesmo já querem uma mais potente, por achar ela fraca para guerra.

RenanZ
RenanZ
Reply to  DOUGLAS TARGINO
17 dias atrás

Essa comparação vem desde o Vietnam, com os 5.56 dos M16 que, embora mais leves, simplesmente atravessavam seus alvos (humanos, diga-se) em comparação ao 7.62 dos AK-47 e similares, que possuíam um maior poder incapacitante.

Desde então, o 7.62 e calibres maiores vem sendo adotados em maior quantidade pelas forças ocidentais.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  RenanZ
16 dias atrás

Esse mito do 7.62×39 dos soviético é uma das coisas mais fantásticas que existem no mundo de armas leves. ta parelho com o mito da AK-47 (que roubou a fama da coitada da AKM tadinha) Vou mandar 3 imagens. geralmente demora um pouquinho pra liberar aqui (se liberar) Mas resumindo o 7.62×39 tem um desempenho bem semelhante ao 5.56 NATO. o salto de desempenho so acontece com o 7.62×51 NATO e geralmente as pessoas imaginam que o 7.62 NATO se compara com 7.62X39 Sovietico (a URSS/Russia tem sim um calibre semelhante ao 7.62×51 Nato ele é o 7.62x54R usado na… Read more »

Farias
Farias
Reply to  RenanZ
16 dias atrás

“Essa comparação vem desde o Vietnam, com os 5.56 dos M16 que, embora mais leves, simplesmente atravessavam seus alvos (humanos, diga-se) em comparação ao 7.62 dos AK-47 e similares, que possuíam um maior poder incapacitante.” Na verdade é bem o contrário. Em testes realizados pela URSS com o 7.62×39 e 5.45×39 (a resposta soviética ao 5.56×45 da OTAN) foi demonstrado que a munição mais leve causava mais dano interno por “oscilar” mais após perfurar o alvo, enquanto que a munição maior e mais pesada da AK-47 causava mais dano externo, mas o dano interno era menor já que a munição… Read more »

rdx
rdx
Reply to  DOUGLAS TARGINO
16 dias atrás

O tempo é senhor da verdade! 10 anos atrás eu fiz um comentário parecido no stand do CTEx na LAAD. Disse que o EB deveria desenvolver uma versão 7,62 mm, uma vez que muitas forças militares e policiais apreciavam esse calibre. (nessa época ninguém cogitava essa hipótese). O tenente engenheiro do EB presente não gostou do meu comentário, disse alguns impropérios e deu as costas. Pois bem, uma década depois muitos exércitos e forças policiais estão comprando modernos fuzis 7,62 mm (FN SCAR, HK-417, AR-10, SIG716, MPT-76 etc.) para substituir inclusive fuzis 5,56mm. Hoje, o tal tenente mal-educado de 10… Read more »

Last edited 16 dias atrás by rdx
Gabriel
Gabriel
Reply to  rdx
16 dias atrás

A versão 7.62 sempre foi pensada, não fala bobagem.

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Sempre foi pensada para alguns poucos locais…

rdx
rdx
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

Deixa de ser desonesto intelectualmente! O EB tinha tanto interesse na versão 7,62mm que ela só foi oficialmente lançada em 2018 na LAAD security (para o mercado policial)…e homologada este ano para uso militar.

AK-130
AK-130
Reply to  rdx
16 dias atrás

Tá se achando a última bolacha do pacote. Desde que o IA2 é o IA2, sempre foi mostrado que seria um fuzil 556 e um 762. Sempre tem alguém para querer ser o “zé eu avisei”.

Agnelo
Agnelo
Reply to  rdx
16 dias atrás

Vc está enganado.
O 7,62 sempre foi pensado.
Por causa do $$, primeiro se desenvolveu o 5,56.
Inclusive vários estudos ja determinaram o emprego do 7,62, como local ou função o empregará.
Torno a “dizer”: sempre foi pensado.

rdx
rdx
Reply to  Agnelo
16 dias atrás

Ok. O curioso é que até pouco tempo atrás ninguém falava em IA-2 7,62mm no EB. Muito militar defendia o 5,56mm como o calibre definitivo. Aliás, a discussão 5,56mm x 7,62mm sempre foi intensa. Lembro que eu ouvia as mesmas ofensas (bobagem, asneira, ignorante etc) quando defendia nas redes sociais o emprego do 7,62 mm pelas tropas de selva. Outra polêmica é o fato da versão 7,62 mm usar ferrolho basculante e não giratório. Desde quando “IA-2” com coração de FAL é IA-2?

Last edited 16 dias atrás by rdx
rdx
rdx
Reply to  rdx
16 dias atrás

Definitivamente, o tempo é o senhor da verdade.

Agnelo
Agnelo
Reply to  rdx
15 dias atrás

Não sei do seu relacionamento para saber o “meio militar” q vc diz. Fato é q, desde o primeiro momento, foi pensado e planejado. Inclusive foram publicados vídeos com os protótipos atirando nos dois calibres, q evidenciavam o “poder” do 7,62. O EB já fez testes em vários locais e com tropas de naturezas diferentes para definir quem utilizará cada calibre, podendo, inclusive, ter os dois calibres na mesma fração. O alcance e força do 7,62 foi solicitada desde os primeiros momentos no Afeganistão, junto à capacidade de controle de rajada e quantidade de munição do 5,56, gerando a ideia… Read more »

Pavan
Pavan
Reply to  Gabriel
16 dias atrás

O 7,62 será direcionado para as tropas de selva e caatinga e pra demais tropas específicas onde o 7,62 é mais eficaz, o restante da tropa creio que irá utilizar o 5,56… O interessante seria que as 3 forças padronizasse com o IA2…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Pavan
16 dias atrás

7,62 mm para a Infantaria de Selva é um equívoco.

rdx
rdx
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

o IA-2 5,56 mm deve ter apresentado desempenho sofrível na selva. Nenhuma surpresa para uma arma com cano tão curto e que dispara a munição SS-109 (Já abandonada pelas forças armadas dos EUA, por exemplo). Já ouvi dizer que o EB também decidiu dotar as unidades de selva com a versão 7,62 mm da Minimi.

Last edited 16 dias atrás by rdx
Vitor
Vitor
Reply to  rdx
15 dias atrás

Desde que estou no EB(mais de 10anos) sempre soube que seriam duas versões do IA2, 5.56 e a 7.62, cada um com sua função, o 5.56 não apresentou desempenho na selva, pois sua munição era muito leve e qualquer galho ou folha desviava o projétil do alvo, ficando este calibre para tropas leves/fronteira/glo.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Vitor
12 dias atrás

Isso é um mito propagado dentro do Exército. De onde veio isso? Alguém testou?

Mais parece desculpa para o atraso na substituição do FAL…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Vitor
12 dias atrás

Isso não resiste a um teste prático:

.223/5,56 mm vs galhos e folhas.

https://youtu.be/UUKVZh_v5Lg

Ramon
Ramon
17 dias atrás

Tudo indica que essa encomenda foi para tirar os fal’s mais velhos, se não me engano o exército fez uma doação de 800 para a PM de minas gerais, creio eu que na próxima década vão usar IA2 nas suas duas versões e parafal como armamento principal em vista que alguns batalhões estão modernizando os parafal, mas vamos ver como vão ser as próximas encomendas.

naval762
naval762
16 dias atrás

E as vendas no mercado internacional? Algum país se interessou? A Imbel é conhecida pela qualidade do FAL que ela fabrica.

Teropode
Reply to  naval762
16 dias atrás

Vai vender bem na África e OM , anote 👍!

Oráculo
Oráculo
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Penso a mesma coisa.
Se oferecer para os países africanos, muitos já acostumados a utilizar o FAL, vende bem.

Resta saber se a IMBEL tem planos de trabalhar esses mercados.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Oráculo
15 dias atrás

Acho difícil ter esses planos. É estatal comandada por generais da reserva. É uma repartição pública colocada no formato jurídico de empresa para ter certas facilidades.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Teropode
14 dias atrás

Nem entre os civis brasileiros que podem comprar outra coisa ele empolga…

Imagine países do OM que tem a sua disposição qualquer outra arma.

pablo
pablo
Reply to  naval762
15 dias atrás

sei ! é sim rs

chapim rabilongo
Reply to  naval762
13 dias atrás

maximo argentina, uruguai e talvez paraguai, agora fora da nossa esfera sai muito caro vender essa arma

Diego Fernando
Diego Fernando
16 dias atrás

Nunca manuseei uma arma, os experientes me respondam: Não seria necessário incluir no projeto do IA2 o retém safa-panes, a respeito dos M16, ou aquela alavanca de manejo solidária, pra caso de panes em combate?

Last edited 16 dias atrás by Diego Fernando
ORIVALDO APARECIDO SALVADOR JUNIOR
ORIVALDO APARECIDO SALVADOR JUNIOR
16 dias atrás

Nesse ritmo, o FAL vai completar 100 anos ainda em utilização

Last edited 16 dias atrás by ORIVALDO APARECIDO SALVADOR JUNIOR
Claudio
Claudio
16 dias atrás

Taurus t10 , T4 , e uma parceria com os israelenses pra fabricar o tavor no Brasil , projetos deixado de lado pelo EB

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Claudio
16 dias atrás

Creio que os fuzis da Taurus, seriam o caminho mais natural para o CFN, que já opera fuzis M4 e M16.

pablo
pablo
Reply to  Claudio
15 dias atrás

nem os israelenses usam o fuzil como oficial , neme eles usam tavor nao usam galil , parece a china com a coronavac rs

willhorv
willhorv
16 dias atrás

Parem de sofrer de complexo de vira lata. Para nós, um produto que é e pode ser fabricado aqui, e atende aos requisitos, é o que podemos ter para ontem, hoje e amanhã. E olha lá….pois já ia perguntar se um novo contrato vai ser colocado.

Carlos Campos
Carlos Campos
16 dias atrás

Uma das coisas que eu não gostava desse fuzil, só vi vídeos, é que ele tremia muito na hora dos disparos, o que afeta claramente a pontaria, depois de um tempo vi um novo vídeo e arma tava mais “dura”, e o engenheiro falou que ela tem menos partes móveis, espero que continue evoluindo, e se possível que o EB compre a assistência de alguma empresa como POF, HK, FN ou COLT para deixar o fuzil ainda melhor, por mim o Brasil comprava os Direitos SCAR ou algum SIG, assim desde logo teríamos fuzis de alto nível.

Teropode
16 dias atrás

Vou comprar um 7,6 mm , gostei do IA2 ,em Alfenas os javalis já podem ser caçados , a praga tá destruindo os canaviais da região .

Flanker
Flanker
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Aqui no RS a caça aos javalis já é permitida há tempos. Na campanha, pampa, toda região de fronteira sul e oeste do estado, eles tomaram conta. Andam em grupos de dezenas. Comem tudo que encontram por diante. De plantações à filhotes de ovelha e gado. Se quer caçar aqui, é só vir e falar com qualquer fazendeiro.

Teropode
Reply to  Flanker
16 dias atrás

Aqui legalizaram o abate faz pouco tempo , mas é uma caça custosa e não creio que só a caça vá dar conta , terão que partir para o envenenamento geral e a captura em armadilhas , para evitar o envenenamento dos animais nativos basta um recipiente que só é acionado pelo javali e um veneno com efeito acumulativo ( retardante ), ou importar Tigres ou leões de Gir …..

Last edited 16 dias atrás by Teropode
J R
J R
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Rapaz, fiquei impressionado com um grupo de caçadores que ví no youtube (acho até que eram de MG), uma “molecada” com armas de pressão e montados em Honda Pop, fazendo caça noturna, mataram bem uns 10 javalis.

Johan
Johan
Reply to  J R
16 dias atrás

Arma de pressão? Sempre pensei que, no mínimo, se usaria balestra para abater.

J R
J R
Reply to  Johan
15 dias atrás

Então, também fiquei impressionado, procura no youtube, tem vários vídeos de abates até com 22, claro, a destreza do atirador tem que estar em dia.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Johan
14 dias atrás

Tem armas de pressão com mais energia que um 22LR..

Teropode
Reply to  J R
15 dias atrás

O problema é o risco deles matarem bichos silvestres , no sul a coisa é mais organizada , aqui a caça sempre foi ilegal , o GF tem que investir em campanha , educar e criar meios para fiscalizar e punir exemplarmente , a maioria de nossos bichos não são proliferos e não possuem reprodução sazonal , vc pode abater um cervo e ela estar grávida ou com filhotes , o desformismo sexual é de difícil percepção , já mataram anta com 2 filhotes na barriga , traçar temporada de caça aqui é impossível , principalmente de mamíferos . Caça… Read more »

J R
J R
Reply to  Teropode
15 dias atrás

Se liberar só de espécies invasoras, já fornece muita coisa para caça, além dos javaporcos, tem as lebres que também são pragas em plantações e parece que um cervo que andaram introduzindo (sempre começa assim…) na Argentina e Uruguai começou a subir para o Brasil e competir com os cervos do Brasil.

J R
J R
Reply to  Teropode
16 dias atrás

Até onde eu sei faz muito tempo que a caça é liberada em MG, só tem que tomar cuidado com a PM daí, andam fazendo muita sacanagem com CAC, levando até presos sem justificativa, aconteceu recentemente com um caçador bem conhecido de Uberlândia.

Teropode
Reply to  J R
15 dias atrás

So de javali ..

J R
J R
Reply to  Teropode
15 dias atrás

mas é o que tem pra hoje, ao contrário dos cervos da América do Norte, os nossos não andam em bando e se reproduzem de forma mais lenta. Isso é até estranho, pois com um serrado como o nosso, deveriam existir manadas de cervídeos pastando por aqui, mas não foi assim que quis a natureza…

Foxtrot
Foxtrot
16 dias atrás

Só o EB vai “engolir” essa nossa!
As outras forças nem sonham ( ou tem pesadelos) com ele.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Foxtrot
15 dias atrás

“Jossa”.
Maldito corretor de textos !

sj1
sj1
16 dias atrás

pensa numa arma feia…

Groosp
16 dias atrás

Essa arma tem uma jornada que lembra o M-14 nos EUA. O reaproveitamento de boa parte do projeto e ferramental de uma arma já existente e o orgulho de usar um produto de projeto nacional. O M1 no caso dos EUA e o MD97 no caso do Brasil.

AlexAO
AlexAO
16 dias atrás

Vejo os especialistas de plantão comentando sobre o novo fuzil do EB.
Muitos falam q e isso ou aquilo .
Agora vós digo do que sever vc portar fuzil de última geração se não sabe lo usa lo ou manusea lo corretamente????
E tanta sofisticação que na hora do uso acaba se atrapalhando todo e acaba sendo morto com um cara portando um 38.
O IA2 e um ótimo fuzil de assalto sim , e não fica atrás de nenhum outro aí pelo mundo a fora.
Ahh sim e viva o FAL….

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  AlexAO
16 dias atrás

E que dificuldade se tem em operar um “fuzil de última geração”? Qual a sofisticação que atrapalharia na hora usar?

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Alfa BR
16 dias atrás

os chamados “fuzis de ultima geração”, são normalmente ambidestros, RTS ao alcance do polegar e retem do carregador ao alcance do dedo indicador; coisas essas que o IA-2 não possui… quem diria que armas de ultima geração seriam justamente as mais fáceis de operar hein (ironia).

Carlos Crispim
Carlos Crispim
16 dias atrás

E já vem com anteparo pra o soldado empunhar segurando o carregador, genial, É DO BRASILLLLLLLLLLLLLLLLLLLLLL

Talisson
Talisson
Reply to  Carlos Crispim
11 dias atrás

O ART556 e os derivados (CTT40, CT9) também tem o “anteparo” que tem no IA2.

Daniel Vilela
Daniel Vilela
16 dias atrás

20.000 fuzis demoraram 8 anos para serem produzidos? É brincadeira a ineficiência que esta empresa estatal denominada IMBEL apresenta. A Taurus Armas está produzindo cerca de 7.000 armas de fogo POR DIA. A Taurus Armas apresentou uma melhora incrível em seus produtos desde que a gestão do Salésio Nuhs se iniciou. Não tenho dúvida alguma que esse contrato para produção de fuzis para o exército brasileiro estaria em melhores mãos caso fosse passado para a Taurus S.A.

Nilo
Nilo
16 dias atrás

Que o Exercito mantenha o FAL aos conscritos, durabilidade e resistência, baixo custo de manutenção.
Parabens ao Exercito, ao manter a evolução dos IA-2.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Nilo
15 dias atrás

É isso aí. Panela velha é que faz comida boa.

Teropode
Reply to  Nilo
14 dias atrás

O primeiro tiro noturno com traçante ninguém esquece , se eu for enviado para o Armagedom , por favor 🙏! Três pedidos e meio ; Um RED Label , a quadrada , o FAL lustrado e munição a doidado !

Nilo
Nilo
Reply to  Teropode
13 dias atrás

Tarja preta👍

Gelson
Gelson
16 dias atrás

TED – Termo de Execução Descentralizada…nossa! Eu fico impressionado com a sonoridade destas siglas.Isso caracteriza uma instituição muito avançada, com certeza. Quando o efeito é pífio o negócio é enfeitar o palavreado…
Bom, desde 2013…cerca de 20.000 fuzis entregues. Para que pressa se já está com 60 anos de atraso, não é mesmo!
Complicado esse país!

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Gelson
16 dias atrás

O que tem a ver o nome do instrumento jurídico? Se você parar pra pensar um pouco, verá que a nomenclatura é totalmente adequada ao negócio jurídico em questão. Termo de execução descentralizada. É aplicável quando um órgão público, instituição ou estatal irá pagar (custear) para outro órgão público, instituição ou estatal executar o serviço. Há uma descentralização do serviço.

Gelson
Gelson
Reply to  Felipe Morais
16 dias atrás

Caro, Filipe! Parar para pensar parece ser o que está faltando para muitos gestores, além dos comentaristas do blog. Esses termos jurídicos, apesar de parecer corretos, soam mais como um enfeite para uma situação que já está para lá de ruim. 20 mil fuzis distribuídos desde 2013 não me parece uma situação muito confortável em termos de segurança. Quando o FAL foi adotado a unidade que servia foi uma das últimas a recebê-lo, isso já a bem mais que 10 anos depois. O EB age como um grande paquiderme atolado. As suas urgências parecem ser outras…e, para mim pelo menos,… Read more »

Last edited 16 dias atrás by Gelson
DanielJr
DanielJr
16 dias atrás

De 2013 a 2021 para 20 mil fuzis não é uma taxa de produção muito baixa? Ou foi combinado essa cadência? Se for substituir todos os FAL do EB nessa cadência, levarão muitas décadas. Sem considerar substituição por perdas e mais peças de reposição.

Bardini
Bardini
16 dias atrás

Quem já viu ao menos algumas imagens internas da estrutura física da IMBEL, sabe que aquilo lá é um museu. . A IMBEL por si só, é uma desgraça. Por mais que alguém lá dentro, ou envolvidos queiram remar contra a corrente, para evoluir essa operação e a mentalidade dos velhos ultrapassados lá de dentro, ainda tem o problema com dono/cliente, que vive jogando contra. . Essas 20.000 armas, desde 2013 beiram ridículo. Se fizer uma conta beeeem sem vergonha de pífia, com esse número 20.000 unidades desde 2013, dá pouco mais de 10 armas produzidas por dia útil de… Read more »

Last edited 16 dias atrás by Bardini
Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Bardini
15 dias atrás

fuzil show !

Cruvinel
Cruvinel
Reply to  Bardini
15 dias atrás

A cadência de produção e em torno de “incríveis” 10 unidades construídas por dia útil. Mas talvez a cadência pode ser maior… Afinal, tem dia de formatura, dia de faxina, visita de autoridades etc… Afinal continua sendo uma OM. Logo a cadencia no dia trabalhado pode ser maior…

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Bardini
15 dias atrás

“102.000 HK416F acordados no ano de 2017, e em 2021, já tinham recebido mais de 53.000 unidades do HK416F”.

Isso sim é profissionalismo, enquanto a H&K mostra sua eficiência, a Imbel, orgulho de alguns brasileiros, parece uma fábrica de esportivos customizados, que produz 30-40 unidades por ano…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bardini
12 dias atrás

por mim o EB teria cvomprado a licensa desse ou do Scar, podemos comprar a assitência da HK para corrigir tudo do IA2, os ingleses fizeram isso noL86. uma pena a insistencia em fuzil que não atingiu o nível dos top internacionais.

Rafael
Rafael
15 dias atrás

A Imbel terá um lugar de honra no futuro Museu Nacional da Improbidade. Não precisa nem procurar por malversação, não, a ineficiência que exala já justifica.

Oráculo
Oráculo
Reply to  Rafael
15 dias atrás

A IMBEL deveria ser privatizada, nos mesmos moldes da EMBRAER.
Com o governo tendo poder de veto em algumas decisões estratégicas.

Aposto que em menos de 5 anos estaria produzindo 5 vezes mais do que hoje em dia, estaria dando lucros, recebendo mais impostos e competindo de igual com a própria Taurus.

Os produtos são de boa qualidade.
Já a gestão, até um pizzaria de cidade pequena do interior é mais eficiente.

O problema é um só: E aonde iriam encostar os Generais aposentados?

Rafael
Rafael
Reply to  Oráculo
14 dias atrás

Um general pelo menos fica encostado no Conselho exercendo o “poder de veto”. Como era na Embraer…

rodrigo sassi dos santos
rodrigo sassi dos santos
15 dias atrás

a china revelou o QBZ-191 a dois anos atrás, porém, já tem muitas fotos de exercícios do exercito chinês com unidades utilizando a mesma. acredito que nesse meio tempo eles já devem ter feito 20x vezes o que a IMBEL produziu nesses 8 anos

pablo
pablo
15 dias atrás

esse fuzil tem o cano muito curto para fuzil de assalto não acham ?

rdx
rdx
15 dias atrás

Para começar, o IA-2 5,56 mm é uma carabina e não um fuzil de assalto. A carabina (carbine em inglês) não é a versão semiauto de um fuzil, mas um fuzil com cano mais curto (geralmente possui cano com menos de 15 polegadas) destinado a armar tropas que não de infantaria e que necessitam de uma arma mais leve e compacta. Leia-se: comandos, oficiais, policiais, pessoal de comunicações, tripulantes etc. Mas aí apareceu algum gênio no EB e resolveu armar os infantes com carabinas. O resultado foi a redução do alcance de engajamento de 600 metros (FAL) para cerca de… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
14 dias atrás

O Exército Brasileiro, por meio da sua Comissão em Washington, abriu pregão para a aquisição de 100 mísseis anticarro portáteis e 2 simuladores.

http://www.cebw.org/pt-br/pregoes-em-andamento

Rafael
Rafael
Reply to  Alfa BR
14 dias atrás

Alfa, o uso possível por helicópteros inabilita o Javelin?

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Rafael
13 dias atrás

Ja exclui a maioria dos MAC portáteis, Javelin no meio.

Esses requisitos gritam “SPIKE!”.

Lembra-se do sargento brasileiro que foi fazer um curso de operação de misseis anticarro na Colômbia? Os colombianos utilizam a família SPIKE…

chapim rabilongo
Reply to  Alfa BR
13 dias atrás

simulador? de que de misseis? como funciona isso ?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Alfa BR
12 dias atrás

espero que venha Javelin, gosto uito do Russo Kornet-E que provou seu valor contra os Merkava.

chapim rabilongo
13 dias atrás

poderiam aproveitar os fal’s que foram substituídos e converter eles em fuzil para franco atiradores, algumas poucas modificações e eles ficariam show de boa.

chapim rabilongo
Reply to  chapim rabilongo
13 dias atrás

claro que tem só modificar ele, retirar aquele freio de boca que não funciona e colocar um mais adequado, trocar o guarda mão, telha e coronha e fica um luxo. alguns lugares fazem isso com AK e G3 e da certo, não custa tentar…. se os caras quiserem desenvolver um novo cano de precisão pra arma tbm vale a pena

chapim rabilongo
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

eu imagino isso…. por isso disse que da pra modificar ele, ao menos pra servir para atiradores de esquadrão estilo o SVD dragunov, não precisa de muita coisa pra modificar ele

chapim rabilongo
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

cara fazem modificação adoidada em AK pra fazer rifle de esquadrão acho que não custa tentar uma adaptação….

chapim rabilongo
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

e tbm não custar tentar modificar um e testar pra ver se ficar bom… seria um salto e tanto pro exercito e quem sabe pode até futuramente o brasil vir a vender kits de conversão pra outros países

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

comment image

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

comment image

chapim rabilongo
Reply to  Adriano Madureira
12 dias atrás

pois é…. imagina ele com uma coronha estilo a do dragunov + um freio de boca que realmente absorve o impacto e um cano redesenhado… ia ficar top

Mosczynski
Mosczynski
13 dias atrás

Para soldado que passa o dia catando erva daninha e pintando guia com cal qualquer coisa tá boa. Não tem dinheiro para rancho vai ter grana para fuzil moderno? Se pintar uns cabos de vassoura de preto e desfilar na frente do Presidente todos vão bater palma do mesmo jeito e ainda sobra uma grana para os banquetes dos generais.

chapim rabilongo
Reply to  Mosczynski
13 dias atrás

pior que tem quartel que usa espingarda de pressão e alguns ainda usam o mosquefal

Luiz Floriano alves
Reply to  chapim rabilongo
12 dias atrás

O chamado FUZIL DE ASSALTO tem características que o FAL não possui. Podemos citar///////////////; munição intermediária, reduzido comprimento, fogo seletivo, carregador de troca rápida e mecanismo de fábil desmontagem e limpeza. Tambem, alguns incluem a coronha rebatida. O FAL não é de aassalto. A versão encurtada, ou Paarafal foi uma tentativa. A a munição potente o desqualifica. Os americanos estão adotando o cal. 6,8 mm. para não dizer que adotaram o Mauser 7 mm. Sim, o nosso velho e bom 7 mm. que o Brasil, acertadamente selecionou a um século.;

chapim rabilongo
Reply to  Luiz Floriano alves
9 dias atrás

ta mas isso não tem nada haver com oque eu escrevi, sim tem tiro de guerra e quartel grande que coloca gente pra tirar guarda com espingarda de chumbinho

Carlos Campos
Carlos Campos
12 dias atrás

só comprar o T4 da Taurus

Fabio Araujo
Fabio Araujo
11 dias atrás

Laboratório do Exército recebe certificação internacional inédita de órgão de proibição de armas químicas

https://www.eb.mil.br/web/noticias/noticiario-do-exercito/-/asset_publisher/MjaG93KcunQI/content/id/14137644

Últimas Notícias