quarta-feira, novembro 30, 2022

Saab RBS 70NG

Coronel Richard Black: ‘EUA está conduzindo o mundo para a guerra nuclear’

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Transcrição da entrevista com o Coronel Richard Black, US Marines, feita por Mike Billington da Executive Intelligence Review

BILLINGTON: Olá, aqui é Mike Billington, da Executive Intelligence Review e do Schiller Institute. Estou aqui hoje com o coronel Richard Black, senador Richard Black, que, depois de servir 31 anos na Marinha e no Exército, serviu na Câmara dos Delegados da Virgínia de 1998 a 2006 e no Senado da Virgínia de 2012 a 2020. Também permitirei que o Coronel Black descreva seu próprio serviço militar.

Então, Coronel Black, bem-vindo. Com a guerra por procuração com os EUA e o Reino Unido e a OTAN com a Rússia, que está ocorrendo na Ucrânia, e a guerra econômica sendo realizada diretamente contra a Rússia, isso foi acompanhado por uma guerra de informação que visa demonizar a Rússia e especialmente o presidente Vladimir Putin. Um tema repetido é que os militares russos estão realizando campanhas implacáveis ​​de assassinato contra civis e destruição de áreas residenciais, muitas vezes referindo-se às operações militares russas na Síria, alegando que fizeram a mesma coisa na Síria, especialmente contra Aleppo. Estes são supostamente exemplos de seus crimes de guerra e crimes contra a humanidade.

Você tem sido um importante porta-voz internacional por muitos anos, expondo as mentiras sobre o que aconteceu na Síria e a guerra na Síria. Então, primeiro, deixe-me perguntar: como e por que a Rússia se envolveu militarmente na Síria? E como isso contrasta com a suposta justificativa dos EUA e da OTAN para sua intervenção militar na Síria?

BLACK: Bem, deixe-me começar, se eu pudesse, dizendo aos nossos ouvintes que sou muito patriota: me ofereci para me juntar aos fuzileiros navais e me ofereci para ir ao Vietnã. Lutei na campanha de fuzileiros mais sangrenta de toda a guerra. E eu era um piloto de helicóptero que voou 269 missões de combate. Minha aeronave foi atingida por fogo de solo em quatro missões. Eu, então, lutei no terreno com a Primeira Divisão de Fuzileiros Navais, e durante uma das 70 patrulhas de combate que fiz, meu rádioperador foi morto e eu fui ferido enquanto estávamos atacando e tentando resgatar um posto avançado da Marinha cercado.

Então eu sou muito pró-americano. Na verdade, eu fazia parte da OTAN e estava preparado para morrer na Alemanha, para me defender de um ataque da União Soviética. Mas a Rússia não é a União Soviética. As pessoas não entendem isso porque a mídia não deixou isso claro. Mas a Rússia não é um estado comunista; a União Soviética era um estado comunista.

Agora, uma das coisas que eu vi alegado, que tem sido particularmente irritante para mim por causa da minha experiência com a Síria: eu estive na cidade de Aleppo. A cidade de Aleppo é a maior cidade da Síria, ou pelo menos era antes do início da guerra. E houve uma tremenda batalha. Alguns a chamam de “Stalingrado da guerra síria”, o que não é uma má comparação. Foi uma batalha terrivelmente amarga que durou de 2012 a 2016. No decorrer do combate urbano, todas as forças que estão lutando são forçadas a destruir edifícios. Prédios são derrubados em grande escala. E isso acontece sempre que você tem combate urbano. Então eu andei pelas ruas de Aleppo, enquanto o combate ainda estava em andamento. Eu olhei através de uma fenda nos sacos de areia em território controlado pelo inimigo; Eu estive em tanques que foram estourados e esse tipo de coisa.

O que eu sei, e posso dizer sobre Aleppo, é que a Rússia estava extremamente relutante em se envolver em combate na Síria. A guerra começou em 2011, quando os Estados Unidos desembarcaram agentes da CIA para começar a se coordenar com a Al Qaeda e outros grupos terroristas. E éramos apoiadores inabaláveis ​​da Al Qaeda, desde antes do início formal da guerra. Somos apoiadores da Al Qaeda hoje, onde eles estão na província de Idlib. A CIA os forneceu sob a operação secreta Timber Sycamore. Demos a eles todas as armas antitanque, todos os mísseis antiaéreos. E a Al Qaeda sempre foi nossa força por procuração no terreno. Eles, juntamente com o ISIS, cumpriram a missão dos Estados Unidos, juntamente com um grande número de afiliados que realmente são intercambiáveis. Você tem os soldados do Exército Sírio Livre se movendo do ISIS para a Al Qaeda para o Exército Sírio Livre, de maneira bastante fluida. E assim começamos essa guerra.

Mas os Estados Unidos têm uma política estratégica de usar “aliados” para engajar na guerra. E nosso objetivo era derrubar o governo legítimo da Síria e, para isso, empregamos soldados por procuração que eram os mais vis de todos os terroristas. Algo muito semelhante está acontecendo agora na Ucrânia.

Mas voltando a Aleppo, o exército sírio, junto com o Hezbollah, que foi muito eficaz; havia algumas tropas organizadas pelo Irã também, mas era praticamente um show sírio, certamente dirigido por generais sírios. E eles haviam travado esse amargo combate urbano, muito brutal, muito mortal. E eles lutaram por quatro anos, antes que a Rússia se juntasse à batalha. Então, depois de quatro anos, a cidade de Aleppo teve uma enorme destruição. E nesse ponto, os russos, a convite do governo legítimo da Síria, entraram na guerra. Mas, ao contrário de muitos relatos da mídia, eles não entraram na guerra como uma força terrestre. Agora, eles tinham algumas pequenas forças terrestres. Eles tinham polícia militar, tinham algumas unidades de artilharia, algumas pessoas de operações especiais, e um bom número de conselheiros e esse tipo de coisa. Mas eles não eram uma força terrestre significativa.

Por outro lado, eles eram uma força aérea significativa e muito eficaz, que complementava a Força Aérea Síria. Mas realmente foi apenas o último ano da guerra, a batalha por Aleppo, apenas o último ano, que eles entraram e seu poder aéreo foi muito eficaz. E por esta altura, os sírios tinham bastante desgastado as forças terroristas. E a ajuda russa foi capaz de fazer pender a balança, e Aleppo foi a grande vitória de toda a guerra síria.

Mas culpar os russos pela destruição maciça que ocorreu em Aleppo, é bizarro: porque eles não estavam lá, eles nem estavam presentes quando isso aconteceu. Portanto, esta é simplesmente outra parte da narrativa da propaganda, que tem sido muito eficaz para o Ocidente, demonizando a Rússia e fazendo afirmações sem substância. Mas as pessoas não se lembram da história dessas coisas – elas são bastante complexas. Então, não: a Rússia não foi de forma alguma responsável pela destruição maciça da cidade de Aleppo.

BILLINGTON: Como você compararia os métodos de guerra seguidos pela Rússia, em oposição aos EUA e forças aliadas na Síria?

BLACK: Bem, em primeiro lugar, o envolvimento americano, a guerra dos Estados Unidos contra a Síria é uma guerra de agressão. Colocamos um centro de atividades especiais da CIA altamente secreto – esses são meio que os caras de James Bond da Agência Central de Inteligência, totalmente maquiavélicos; eles vão fazer qualquer coisa, não há nenhuma barreira com esses caras. Nós os enviamos e começamos a guerra na Síria. A guerra não existia até que enviamos a CIA para coordenar com elementos da Al Qaeda. Então começamos a guerra e não fomos convidados para a Síria.

De fato, os Estados Unidos apreenderam duas partes significativas da Síria. Uma é uma parte muito importante, o rio Eufrates, corta cerca de um terço da parte norte da Síria: os Estados Unidos invadiram essa porção. Na verdade, colocamos tropas no terreno, ilegalmente – contra qualquer lei de guerra internacional padrão – foi apenas uma apreensão. E isso foi algo que foi referido por John Kerry, que era então o Secretário de Estado, e ele estava frustrado com a tremenda vitória das Forças Armadas Sírias contra a Al Qaeda e o ISIS. E ele disse, bem, provavelmente precisamos passar para o Plano B. Ele não anunciou o que era o Plano B, mas foi desdobrado ao longo do tempo: o Plano B era a tomada americana daquela porção norte da Síria. A importância de tomar essa parte da Síria é que é a cesta de pão para todo o povo sírio. É aí que o trigo-Síria realmente tinha um excedente significativo de trigo e as pessoas eram muito bem alimentadas na Síria, antes da guerra. Queríamos tirar o trigo, causar fome entre o povo sírio.

A outra coisa que conseguimos fazer foi apreender a maior parte dos campos de petróleo e gás natural. Esses também foram produzidos naquela porção setentrional além do rio Eufrates. E a ideia era que, roubando o petróleo e depois o gás, poderíamos fechar o sistema de transporte e, ao mesmo tempo, durante os invernos sírios, poderíamos congelar até a morte a população civil síria, que em muitos casos estavam vivendo em escombros, onde esses exércitos terroristas, com divisões mecanizadas, atacaram e destruíram totalmente essas cidades, e deixaram as pessoas apenas vivendo em pequenos bolsões de escombros.

Queríamos que o povo sírio passasse fome e congelasse até a morte na Síria, e esse era o Plano B.

Agora, ficamos frustrados em um certo ponto que de alguma forma esses sírios, esses malditos sírios – é um pequeno país, e por que essas pessoas são resilientes? Eles estão lutando contra dois terços de toda a força militar e industrial do mundo. Como uma nação de 23 milhões de pessoas pode suportar isso por mais de uma década? E então decidimos que tínhamos que agir ou perderíamos totalmente a Síria. E assim o Congresso dos EUA impôs as sanções de César. As sanções de César foram as sanções mais brutais já impostas a qualquer nação. Durante a Segunda Guerra Mundial, as sanções não eram tão rígidas quanto na Síria.

Não estávamos em guerra com a Síria! E ainda assim tivemos um bloqueio naval em todo o país. Desvalorizamos sua moeda através do sistema SWIFT para pagamentos internacionais, impossibilitando a compra de medicamentos. Então você tinha mulheres sírias que contraíam câncer de mama, assim como nós temos aqui neste país. Mas, em vez disso, onde neste país onde o câncer de mama se tornou relativamente tratável, cortamos os suprimentos médicos para que as mulheres na Síria morressem de câncer de mama porque não podiam obter os medicamentos, porque bloqueamos seus dólares através do sistema SWIFT.

Uma das últimas coisas que fizemos e as evidências são vagas, mas houve uma explosão misteriosa no porto do Líbano, e foi uma explosão maciça de um carregamento de fertilizante de nitrato de amônio. Matou centenas de libaneses. Feriu milhares e milhares, destruiu a economia do Líbano. E, mais importante, destruiu o sistema bancário do Líbano, que era uma das poucas linhas de vida restantes para a Síria. Eu não acho que a explosão foi acidental. Acho que foi orquestrado, e suspeito que a CIA estava ciente da nação que executou aquela ação para destruir o porto de Beirute.

Mas ao longo você vê essa abordagem maquiavélica, onde usamos força e violência ilimitadas. E, ao mesmo tempo, controlamos a mídia global, onde apagamos todas as discussões sobre o que realmente está acontecendo. Então, para o homem ou a mulher da rua, eles acham que está tudo bem. Tudo está sendo feito por razões altruístas, mas não é.

BILLINGTON: Parte de seu serviço militar foi como oficial do JAG e, por um período, você foi o chefe da divisão de direito penal do Exército no Pentágono. E sob essa luz, o que você vê de como essas sanções de César – como você olharia para elas da perspectiva do direito internacional e do direito militar?

BLACK: Bem, agora, eu não era o especialista em direito internacional. Eu era o especialista em direito penal. Mas eu diria que fazer guerra a uma população civil é um crime de grande significado no direito da guerra.

Uma das coisas que fizemos ao nos aliarmos à Al Qaeda, e de vez em quando com o ISIS; Quer dizer, nós lutamos contra o ISIS de uma maneira muito séria, mas, ao mesmo tempo, muitas vezes os empregamos para usar contra o governo sírio. Então é uma espécie de amor-ódio. Mas sempre trabalhamos com os terroristas. Eles eram o núcleo.

Uma das políticas seguidas foi que sob essa versão extrema do Islã, esse wahabismo, havia essa noção de que você possui uma mulher que você agarra com seu braço direito forte em batalha. E isso remonta ao século VII. E assim nós facilitamos o movimento de terroristas islâmicos de 100 países, e eles vieram e se juntaram ao ISIS, eles se juntaram à Al Qaeda, eles se juntaram ao Exército Sírio Livre, todos esses diferentes. E uma das coisas que eles sabiam quando chegaram é que eles tinham o direito legal de matar os maridos – não estou falando de militares, estou falando de civis – eles poderiam matar os maridos, eles poderiam matá-los e então eles poderiam possuir suas esposas e seus filhos. E eles fizeram isso em grande número.

E então houve uma campanha de estupro, foi uma campanha organizada de estupro em toda a Síria. E realmente havia mercados de escravos que surgiram em algumas dessas áreas rebeldes, onde eles realmente tinham listas de preços das diferentes mulheres. E, curiosamente, os preços mais altos foram para as crianças mais novas, porque havia um grande número de pedófilos. E os pedófilos queriam possuir crianças pequenas, porque sob as leis que eram aplicadas, eles tinham permissão para estuprar essas crianças repetidamente. Eles foram capazes de estuprar as viúvas dos soldados mortos ou dos civis mortos, e possuí-los e comprá-los e vendê-los entre si. Isso continuou.

Não estou dizendo que a CIA criou essa política, mas eles entenderam que era uma política generalizada e a toleraram. Eles nunca criticaram de forma alguma.

Isso foi tão ruim que conversei com o presidente Assad, que compartilhou comigo que eles estavam no processo – quando visitei em 2016; Eu estava em várias zonas de batalha e na capital. E eu me encontrei com o presidente, e ele disse que naquela época eles estavam trabalhando na legislação no parlamento, para mudar a lei da cidadania. Eles sempre seguiram a lei islâmica, que era aquela que a cidadania infantil derivava do pai. Mas eram tantas dezenas, centenas de milhares de mulheres sírias engravidadas por esses terroristas que foram importadas para a Síria, que foi preciso mudar a lei, para que tivessem cidadania síria e não precisassem ser devolvidas aos seus pais do ISIS na Arábia Saudita ou na Tunísia. Eles poderiam ser retidos na Síria. E eu verifiquei mais tarde e essa lei foi aprovada e implementada.

Mas isso só mostra a crueldade absoluta. Quando lutamos nessas guerras, não temos limites para a crueldade e a desumanidade que estamos dispostos a impor ao povo, fazendo-o sofrer, para que de alguma forma isso se traduza em derrubar o governo, e talvez tirar seu petróleo, tirar seu recursos.

BILLINGTON: Claramente, a política contra a Rússia hoje, pelo atual governo

BLCK: Sim. Sim. Você sabe, a Rússia é, talvez, mais abençoada com recursos naturais do que qualquer outra nação na Terra. Eles são um grande produtor de grãos, de petróleo, de alumínio, de fertilizantes, de uma imensa quantidade de coisas que se ligam a toda a economia global. E, sem dúvida, há pessoas que olham para isso e dizem: “se pudéssemos de alguma forma acabar com a própria Rússia, haveria fortunas feitas, para onde os trilionários seriam feitos às dezenas”. E há alguma atração nisso. Certamente você já viu parte disso acontecendo, com interesses estrangeiros tomando conta da Ucrânia e tomando seus vastos recursos.

Mas começamos um movimento em direção à Rússia, quase imediatamente após a dissolução da União Soviética em 1991. A União Soviética dissolvida, o Pacto de Varsóvia dissolvido. E, infelizmente, uma das grandes tragédias da história é que não conseguimos dissolver a OTAN. O único propósito da OTAN era se defender contra a União Soviética. A União Soviética não existia mais. A OTAN foi de igual para igual com o Pacto de Varsóvia. O Pacto de Varsóvia se foi; já não existia. Não havia propósito em continuar a existir da OTAN. No entanto, nós a retivemos, e ela não poderia existir a menos que tivesse um inimigo. A Rússia estava desesperada para se tornar parte do Ocidente.

Encontrei-me com o chefe da Gazprom, a maior corporação da Rússia, e isso foi logo após o fim da União Soviética, e ele me descreveu como eles estavam lutando para que sua mídia fosse tão livre quanto no Ocidente. E eles nos perceberam como muito mais livres e abertos do que éramos. E ele disse, você sabe, temos esse problema porque temos essa revolta na Chechênia, que faz parte da Rússia. E ele disse que os rebeldes chechenos enviam vídeos para a televisão russa e nós os reproduzimos na televisão russa, porque é assim que a liberdade de expressão funciona.

E eu disse: “Você está brincando comigo?” Eu disse: “Você está publicando os filmes de propaganda do inimigo?” Ele disse: “Sim”. Ele disse: “Não é assim que você faz nos Estados Unidos?” Eu disse, não. Na Segunda Guerra Mundial, pegamos o chefe da Associated Press e o colocamos no comando da censura de guerra, e foi muito rigoroso.”

Então, mas este é apenas um exemplo de como eles estavam lutando. Eles deixaram de ser um país oficialmente ateu, para onde se tornaram a grande nação mais cristianizada da Europa, de longe. Não apenas as pessoas, as pessoas mais cristianizadas em qualquer grande país da Europa, mas o próprio governo apoiava muito a igreja, a fé cristã. Eles alteraram sua Constituição para dizer que o casamento era a união de um homem e uma mulher. Tornaram-se muito restritivos à prática do aborto. Acabaram com a prática de adoções no exterior, onde algumas pessoas iam para a Rússia e adotavam meninos para fins imorais. Então eles se tornaram uma cultura totalmente diferente.

De qualquer forma, os Estados Unidos têm essa estratégia de longa data, essa estratégia político-militar, de expansão do império. Fizemos isso no Oriente Médio, onde tentamos criar um império neocolonial maciço. É que ficou bastante desgastado. O povo não queria. E parece estar condenado à extinção em algum momento – mas pode continuar por mais 100 anos. Mas, de qualquer forma, estamos tentando fazer algo semelhante, enquanto avançamos para o leste, praticamente até a fronteira russa.

BILLINGTON: Então, a posição dos EUA e do Reino Unido sobre a guerra na Ucrânia, nas últimas semanas, tornou-se não apenas apoiar a guerra, mas vitória a todo custo. Isso foi declarado pelo secretário de Defesa Austin e outros. E eles estão bombeando grandes quantidades de armamento militar não apenas defensivo, mas ofensivo para o regime de Kyiv. O que você vê como consequência dessa política?

BLACK: Eu acho que uma coisa que vai fazer é garantir que um grande número de soldados ucranianos inocentes morrerão desnecessariamente. Muitos soldados russos morrerão desnecessariamente. Estes são crianças. Você sabe, as crianças vão para a guerra. Fui para a guerra quando criança. Você acha que seu país, certo ou errado, tudo o que eles estão fazendo está bem. Isso parte meu coração quando olho para os rostos de jovens russos, que foram mortos a tiros – em alguns casos muito criminalmente pelas forças ucranianas. E da mesma forma, vejo jovens ucranianos, que estão sendo massacrados no campo de batalha.

Nós não nos importamos! Os Estados Unidos e a OTAN, não nos importa quantos ucranianos morrem. Nem civis, nem mulheres, nem crianças, nem soldados. Nós não ligamos. Tornou-se um grande jogo de futebol. Você sabe, nós temos nossa equipe. Eles têm seu time, rah rah. Queremos obter a maior pontuação e correr para cima. E, você sabe, não nos importamos quantos de nossos jogadores ficam aleijados no campo de jogo, contanto que vençamos.

Agora, estamos enviando quantidades fantásticas de armas, e isso fez com que o estoque da Raytheon, que fabrica mísseis, e da Northrop Grumman, que fabrica aeronaves e mísseis, todas essas indústrias de defesa tenham se tornado tremendamente inchadas com impostos. Eu não acho que isso vai mudar o resultado final. Acho que a Rússia vai prevalecer. Os ucranianos estão em uma posição estratégica muito difícil no Leste.

Mas se você observar como isso se desenrolou, o presidente Putin fez um esforço desesperado para impedir a marcha em direção à guerra em dezembro de 2021. Ele chegou a colocar propostas escritas específicas na mesa com a OTAN, propostas de paz para neutralizar o que estava surgindo. Porque neste momento, a Ucrânia estava reunindo tropas para atacar o Donbass. E assim, ele estava tentando impedir isso. Ele não queria guerra. E a OTAN simplesmente descartou, simplesmente descartou; nunca levou a sério, nunca entrou em negociações sérias.

Nesse ponto, Putin vendo que ucranianos armados, com armas para matar tropas russas estavam literalmente em suas fronteiras, decidiu que tinha que atacar primeiro. Agora, você pode ver, que isso não era um ataque pré-planejado. Não foi como o ataque de Hitler à Polônia, onde a regra geral é que você sempre tem uma vantagem de 3 para 1 quando é o atacante. Você precisa reunir três vezes mais tanques, artilharia, aviões e homens do que o outro lado. Na verdade, quando a Rússia entrou, eles entraram com o que eles tinham, o que eles poderiam enviar no curto prazo. E eles foram superados em número pelas forças ucranianas. As forças ucranianas tinham cerca de 250.000. Os russos tinham talvez 160.000. Então, em vez de ter três vezes mais, eles na verdade tinham menos tropas do que os ucranianos. Mas eles foram forçados a atacar, para tentar antecipar a batalha que se aproximava, onde os ucranianos haviam reunido essas forças contra o Donbass.

Agora, o Donbas é adjacente à Rússia. É uma parte da Ucrânia que não se juntou ao governo revolucionário que deu o golpe de 2014 e derrubou o governo da Ucrânia. Eles se recusaram a fazer parte do novo governo revolucionário da Ucrânia. E assim declararam sua independência. E a Ucrânia reuniu esse enorme exército para atacar o Donbass. E assim a Rússia foi forçada a entrar para impedir o ataque planejado pela Ucrânia. E você pode ver que a Rússia esperava muito que eles pudessem conduzir esta operação especial sem causar baixas indevidas para os ucranianos, porque eles pensam nos ucranianos, ou pelo menos eles pensam nos ucranianos como irmãos eslavos; que eles queriam ter boas relações. Mas há uma foto famosa com um tanque russo, que foi parado por uma reunião de talvez 40 civis que simplesmente saíram na estrada e bloquearam a estrada e o tanque parou. Posso dizer a vocês que, no Vietnã, se tivéssemos um monte de gente no caminho de um tanque americano passando, aquele tanque não teria desacelerado nem um pouco! Não tocaria a buzina, não teria feito nada; não teria disparado um tiro de advertência. Teria apenas continuado. E acho que isso é mais típico – não estou criticando os americanos. Eu estava lá e estava lutando, e provavelmente teria enfiado o tanque direto em mim.

Mas o que estou dizendo é que as regras de engajamento dos russos eram muito, muito cautelosas. Eles não queriam criar muito ódio e animosidade. Os russos não entraram — eles não bombardearam o sistema elétrico, os sistemas de mídia, os sistemas de água, as pontes e assim por diante. Os russos tentaram manter a infraestrutura da Ucrânia em boas condições porque queriam que ela voltasse. Eles só queriam que isso acabasse e voltasse ao normal. Não funcionou. Os ucranianos, a resistência foi inesperadamente difícil. Os soldados ucranianos lutaram com grande, grande bravura, grande heroísmo. E. E agora o jogo foi aprimorado e se tornou muito mais sério.

Mas é incrível olhar e ver que a Rússia domina o ar. Eles não derrubaram os sistemas de trem. Eles não derrubaram usinas de energia. Eles não derrubaram tantas coisas. Eles nunca bombardearam os prédios no centro de Kyiv, capital da Ucrânia; eles não bombardearam os prédios onde o parlamento se reúne. Eles têm sido incrivelmente reservados sobre essas coisas, esperando contra a esperança de que a paz possa ser alcançada.

Mas não acho que a Ucrânia tenha algo a ver com a decisão sobre paz ou guerra. Acho que a decisão sobre a paz ou a guerra é tomada em Washington, DC.

BILLINGTON: Como você projeta o potencial de uma guerra que estoura diretamente entre os Estados Unidos e a Rússia? E como seria isso?

BLACK: Você sabe, se você voltar para a Primeira Guerra Mundial em 1914, você teve o assassinato do arquiduque da Áustria-Hungria. Ele e sua esposa foram mortos. Como resultado dessas duas pessoas serem mortas, você teve um efeito dominó de todas essas alianças, raiva e histeria da mídia. E antes de terminar, acho que 14 milhões de pessoas foram mortas. É sempre difícil obter números verdadeiros, mas de qualquer forma, foi um número enorme de milhões de pessoas que morreram como resultado disso.

Precisamos reconhecer o risco de jogar esses jogos de galinha. Onde, por exemplo, a mídia turca acaba de publicar um artigo dizendo que em Mariupol, onde houve um grande cerco, os russos acabaram vencendo. A única área que eles não assumiram é esta tremenda siderúrgica. Há muitos soldados ucranianos que estão escondidos lá. E agora veio à tona que aparentemente há 50 oficiais superiores franceses, que estão presos naquela siderúrgica junto com os ucranianos. Os soldados franceses estiveram no terreno lutando, dirigindo a batalha. E isso foi mantido em sigilo, ultra-secreto, por causa das eleições francesas que acabaram de ocorrer. Se os franceses soubessem que havia um grande número de oficiais franceses presos e que provavelmente iriam morrer naquela siderúrgica, as eleições teriam sido inversas: Marine Le Pen teria vencido. E, portanto, era muito importante que, para todo o estado profundo, não viesse à tona que esses oficiais franceses estavam lá.

Sabemos que há oficiais da OTAN que estão presentes no terreno na Ucrânia como conselheiros e assim por diante. Corremos o risco. Agora, meu palpite é – e isso é um palpite, posso estar errado – mas a capitânia da Frota Russa do Mar Negro, a Moskva, foi afundada como resultado de ser atingida por mísseis antinavio. Meu palpite é que esses mísseis, acho que há uma boa chance de terem sido disparados pelos franceses. Agora, posso estar errado, mas esses mísseis são tão ultra-sensíveis e tão perigosos para nossos navios, que não acho que a OTAN confiaria os mísseis a ucranianos ou a qualquer outra pessoa. Acho que eles devem ser mantidos sob controle e operação da OTAN. Então eu acho que provavelmente foram as forças da OTAN que realmente afundaram o Moskva.

E você pode ver que estamos tomando essas ações muito imprudentes, e cada vez que aumentamos a aposta – eu sou um republicano – mas temos dois senadores republicanos dos EUA que disseram que “bem, talvez precisemos usar armas nucleares contra a Rússia”. Isso é insano. Acho importante que as pessoas comecem a discutir o que significaria uma guerra termonuclear.

Agora, precisamos entender, pensamos: “oh, somos grandes, e somos ruins, e temos todas essas coisas”. A Rússia é mais ou menos comparável aos Estados Unidos em energia nuclear. Eles têm mísseis hipersônicos, que nós não temos. Eles podem evitar qualquer detecção oportuna e podem disparar mísseis da Rússia e chegar a São Francisco, Los Angeles, Chicago, Detroit, Baltimore, Washington, D.C., Nova York.

E se você pensar apenas na Virgínia, onde eu moro, se houvesse uma guerra nuclear – e lembre-se, eles também têm uma frota muito grande e eficaz de submarinos nucleares que ficam na costa dos Estados Unidos. Eles têm um grande número de mísseis com ogivas nucleares e podem escapar de qualquer defesa que tenhamos. Então, apenas na Virgínia, se você olhar para isso, todo o norte da Virgínia seria essencialmente aniquilado. Dificilmente haveria qualquer vida humana restante no condado de Loudoun, condado de Prince William, condado de Fairfax, Arlington, Alexandria. O Pentágono fica no condado de Arlington: o Pentágono seria simplesmente uma massa brilhante de areia derretida. Não haveria vida humana ali. E não haveria vida humana por muitos quilômetros ao redor. Do outro lado do Potomac, a capital do país, não haveria vida restante na capital do país. O edifício do Capitólio desapareceria para sempre. Todos os monumentos, todas essas coisas gloriosas – nada permaneceria.

Se você for para a costa da Virgínia, você tem o Estaleiro Naval de Norfolk, você tem o Porto de Norfolk. Você tem o maior acúmulo de poder naval na face da Terra. É aqui que estacionamos todos os nossos porta-aviões, nossos submarinos nucleares, todas essas coisas. Não sobraria nada. Não haveria nada remanescente de qualquer uma dessas indústrias de navegação lá.

E você pode continuar com isso. Você fala sobre a cidade de Nova York, provavelmente a própria cidade de Nova York, não apenas todo mundo seria morto, mas provavelmente seria impossível para as pessoas habitarem a cidade de Nova York por centenas de anos depois. Mas não apenas deixaria de ser um lugar de vida humana vibrante, mas provavelmente saindo por talvez meio milênio, não recuperaria nenhum tipo de civilização.

Precisamos entender a gravidade do que estamos fazendo. Talvez se fosse uma questão de vida ou morte para os Estados Unidos, o que acontece na Ucrânia, isso seria uma coisa. Certamente quando a União Soviética colocou mísseis em Cuba, que visavam os Estados Unidos, valeu a pena correr o risco, porque estava bem na nossa fronteira e nos ameaçava. E foi uma batalha pela qual valeu a pena lutar e um risco que valeu a pena correr. Os russos estão nisso exatamente como a imagem espelhada dessa situação, porque para eles, a vida da Rússia depende de impedir que a OTAN avance mais para dentro da Ucrânia, direto para suas fronteiras. Eles não podem se dar ao luxo de não lutar esta guerra. Eles não podem se dar ao luxo de não ganhar esta guerra.

Então eu penso, brincando com essa escalada constante em uma guerra que, na verdade, em um lugar que não tem significado para os americanos – a Ucrânia não tem sentido para os americanos; não tem impacto no nosso dia-a-dia. E, no entanto, estamos jogando esse jogo imprudente que arrisca a vida de todas as pessoas nos Estados Unidos e na Europa Ocidental por nada! Apenas absolutamente para nada!

BILLINGTON: Muitos oficiais de patente certamente entendem as consequências que você acabou de descrever de uma maneira bastante arrepiante. Por que é que, enquanto há alguns generais se manifestando na Itália, na França, na Alemanha, alertando que estamos seguindo um curso que pode levar a uma guerra nuclear, por que não há vozes de oficiais de patente – aposentados, talvez – dizendo o que você está dizendo aqui hoje?

BLACK: Você sabe, houve uma tremenda deterioração na qualidade dos oficiais, voltando, bem, certamente aos anos 90. Tínhamos oficiais muito, muito bons, durante o tempo em que estive na ativa – saí em 94 – apenas pessoas de qualidade superior. Mas o que aconteceu é que, posteriormente, tivemos o presidente Clinton assumindo, mais tarde, tivemos Obama. Temos Biden agora. E eles aplicam uma tela política muito rígida aos seus oficiais militares. E agora temos “sim homens”. Essas não são pessoas cuja principal devoção é aos Estados Unidos e seu povo. Sua principal devoção é para suas carreiras e sua capacidade de se relacionar com outros oficiais militares após a aposentadoria. Há uma rede muito forte que pode colocar generais militares em think tanks, onde eles promovem a guerra, em organizações como Raytheon e Northrop Grumman, e todas essas operações de defesa, onde eles podem entrar em conselhos e coisas assim. Portanto, há um preço bastante pessoal que você paga por dizer: “Ei, pare. A guerra não é do interesse do povo americano”. Se tivéssemos uma melhor qualidade individual, teríamos pessoas com coragem que diriam: “Não me importo com o que isso me custe pessoalmente”. Mas é muito difícil chegar aos altos escalões, se você é um indivíduo guiado por princípios, patriotismo e devoção ao povo desta nação. Só não é assim que funciona. E em algum momento, precisamos de um presidente que vá sacudir a árvore e traga muitas dessas pessoas caindo dela, porque são perigosas. Eles são muito perigosos para a América.

BILLINGTON: Helga Zepp-LaRouche e o Instituto Schiller têm uma petição – e realizamos uma conferência em 9 de abril sobre o mesmo tema – que a única maneira de realmente parar essa descida ao inferno e ao potencial holocausto nuclear é por uma nova Paz de Vestfália . Neste caso, uma conferência internacional para garantir uma nova arquitetura de segurança e uma nova arquitetura de desenvolvimento, o direito ao desenvolvimento para todos os países. E como a Paz de Vestfália, uma em que todos os lados se sentam juntos, reconhecem seus interesses, seus interesses soberanos, incluindo os interesses soberanos dos outros e perdoando todos os crimes passados. Qualquer coisa menos que isso vai manter essa divisão do mundo em blocos em guerra. Assim como perguntei o que está impedindo os generais de falar, por que e o que será necessário para que os americanos reconheçam que podemos e devemos sentar com os russos, com os chineses e com todas as outras nações e estabelecer um verdadeiro e justo mundo baseado na dignidade do homem e no direito ao desenvolvimento e à segurança?

BLACK: Eu acho que, infelizmente, vai ter que haver uma dor enorme para conduzir isso, assim como houve com a Paz de Vestfália. Uma guerra nuclear faria isso; um cataclismo econômico de proporções sem precedentes, resultante da impressão desenfreada de dinheiro em que nos envolvemos nos últimos 20 anos, há coisas que podem provocar isso. Mas neste ponto, a mídia foi tão totalmente censurada e tão tendenciosa que o povo americano realmente não tem uma percepção da necessidade de algo desse tipo. Vai ser difícil.

Você sabe, aqui está algo interessante que aconteceu. Aqui neste país, você pensaria que o mundo inteiro está contra a Rússia. Não é. Na verdade, existem grandes países do mundo que se inclinam para a Rússia nesta guerra, começando com a China, mas depois o Brasil, você tem a África do Sul, a Arábia Saudita – uma grande variedade de países. Índia. A Índia apoia tremendamente a Rússia. A ideia de que de alguma forma temos essa causa extremamente justa, não impressiona grande parte do mundo que é justo, e grande parte do mundo não aceita a mais recente propaganda sobre crimes de guerra: essa coisa de Bucha. Essa é provavelmente a mais proeminente de todas as discussões sobre crimes de guerra.

E o que era Bucha? Havia um filme feito de um veículo dirigindo pela estrada em Bucha, que havia sido recapturado dos russos. E a cada trinta metros mais ou menos havia alguma pessoa com as mãos amarradas nas costas e ele foi morto. Não foi anunciado até quatro dias depois que os ucranianos retomaram Bucha.

Agora, não sabíamos quase nada sobre isso. Na verdade, nem tínhamos provas de que pessoas haviam sido mortas. Mas supondo que eles tivessem, não sabíamos onde eles haviam sido mortos. Não sabíamos quem eram. Não sabíamos quem os matou. Nós não sabíamos por que eles foram mortos. Ninguém poderia fornecer um motivo adequado para os russos tê-los matado. Os russos detiveram Bucha por um mês. Se eles iam matá-los, por que não os mataram durante aquele mês? E se você vai matar um monte de gente, eles não estariam todos em um só lugar e você não atiraria em todos eles lá embaixo? Por que eles seriam distribuídos ao longo de uma estrada, uma milha ao longo do caminho? Isso não faz sentido!

O que sabemos é que quatro dias depois que o prefeito de Bucha anunciou alegremente que a cidade foi libertada, quatro dias depois que o exército ucraniano se mudou, e seu braço especial de propaganda dos militares ucranianos estava lá, de repente havia esses mortos na estrada. Como é que eles não estavam lá quando os russos estavam lá? Como é que eles só apareceram depois que os russos foram embora?

Se eu estivesse olhando para isso simplesmente como um caso criminal padrão, e estivesse conversando com a Divisão de Investigação Criminal ou o FBI, ou a polícia militar ou algo assim, eu diria: “OK, a primeira coisa, vamos dar uma olhada nos ucranianos .” Meu palpite seria, e você começa com um palpite quando está investigando um crime – meu palpite é que os ucranianos mataram essas pessoas depois que se mudaram, e depois que olharam em volta e disseram: “OK, quem foi amigável com as tropas russas enquanto os russos estavam aqui? Nós vamos executá-los.” Esse seria meu palpite. Porque não vejo nenhum motivo para os russos terem acabado de matar algumas pessoas na saída da cidade.

E ninguém questiona isso, porque a mídia corporativa é muito monolítica. Sabemos de fato, pela boca do chefe de um hospital ucraniano, o cara que dirigia o hospital, ele se gabava de ter dado ordens estritas a todos os seus médicos, que quando feriram prisioneiros de guerra russos, quando as vítimas foram trazidas, deveriam ser castrados. Agora, este é um crime de guerra horrível, admitido pela boca do administrador do hospital, e o governo ucraniano disse: “vamos investigar isso”, como se não fosse grande coisa. Não consigo pensar em um crime de guerra mais horrível e horrível do que nunca. Onde você ouviu falar sobre isso, na ABC e MSNBC e CNN e FOX News? Nem um sussuro. E, no entanto, a prova é inegável. Tínhamos outro clipe em que havia um ponto de encontr de prisioneiros de guerra, onde os ucranianos levavam os prisioneiros de guerra a um ponto central para processamento – e este é um vídeo de cerca de sete minutos – e os soldados ucranianos simplesmente os mataram a tiros. E eles provavelmente tinham 30 desses soldados russos feridos deitados no chão, alguns deles claramente morrendo de seus ferimentos. Alguns deles, eles colocam sacos plásticos sobre suas cabeças. Agora, esses são esses caras que estão deitados lá, às vezes fatalmente feridos com as mãos amarradas atrás das costas, e eles têm sacos plásticos na cabeça, dificultando a respiração. E porque não podem levantar as mãos, não podem tirar os sacos, para respirar. No final do vídeo, os ucranianos trazem uma van e há três prisioneiros de guerra russos ilesos. Sem o menor pensamento ou hesitação, quando os três saíram, e suas mãos estão amarradas atrás das costas, eles atiraram em dois deles, bem na câmera e eles caíram. E o terceiro fica de joelhos e implora que não o machuquem. E então eles atiraram nele! Isso são crimes. E estes não foram refutados pelo governo ucraniano. Mas você nunca saberia que eles ocorreram! Até agora, vou lhe dizer que o único comprovado – não estou dizendo que não há crimes de guerra acontecendo em ambos os lados. Estou apenas lhe dizendo que os únicos onde vi, provas bastante irrefutáveis ​​de crimes de guerra, foram do lado ucraniano.

Agora, muitas vezes você ouve dizer, bem, os russos destruíram isso ou aquilo. Bem, eu tenho que te dizer, você volta para as guerras que lutamos quando invadimos o Iraque, o “Choque e Pavor”, nós destruímos virtualmente tudo no Iraque, tudo de significativo. Bombardeamos alvos militares e civis sem muita discriminação. A coalizão realizou 100.000 missões em 42 dias. Você compara isso com os russos, que voaram apenas 8.000 missões no mesmo período de tempo. 100.000 surtidas americanas contra 8.000, quase ao mesmo tempo. Acho que os russos tendem a ser mais seletivos. Enquanto nós saímos – a filosofia de Shock and Awe é que você destrói tudo o que é necessário para sustentar a vida humana e para que uma cidade funcione. Você corta o fornecimento de água, o fornecimento elétrico, o calor, o óleo, a gasolina; para que você derrube todas as pontes principais. E então você continua a destruir tudo.

Então é realmente irônico. E lembre-se, o Iraque é um país relativamente pequeno. A Ucrânia é um país enorme. 100.000 missões em 42 dias, 8.000 missões quase ao mesmo tempo. Uma tremenda diferença de violência entre o que fizemos no Iraque e o que eles fizeram na Ucrânia. Portanto, simplesmente não há credibilidade quando você chega aos fatos e observa a maneira como a guerra foi conduzida.

BILLINGTON: Bem. Senador Black, Coronel Black. Acho que a maneira como você descreveu o horror que já está ocorrendo, e considerando que não podemos esperar por uma guerra nuclear para provocar uma nova Paz de Vestfália, sugiro que o que você descreveu já é horrível o suficiente. E quando combinado com o colapso hiperinflacionário que agora varre o mundo ocidental, com todos sendo afetados, acreditamos que temos que tomar isso como o horror adequado, e o reconhecimento de uma descida a uma idade das trevas, para motivar os cidadãos na Europa, no Estados Unidos. Estamos descobrindo que há um despertar de pessoas que não quiseram olhar para sua responsabilidade para com a raça humana como um todo no passado, mas que agora são forçadas a considerar isso, que é a base sobre a qual chamamos por isso, nesta petição, por uma conferência internacional de todas as nações, com os EUA, Rússia, China, Índia e assim por diante, sentando-se para acabar com esse horror; mas também para trazer uma verdadeira paz para a humanidade e uma era de paz através do desenvolvimento. E agradecemos por dar esse sopro de verdade feia a uma população que precisa ouvi-lo. Se você tiver algum pensamento final, peço que dê suas saudações finais.

BLACK: Vou acrescentar apenas uma coisa e agradeço ao Instituto Schiller pelo tremendo esforço que você fez para alcançar a paz mundial. É um dos esforços mais importantes já feitos, e eu certamente aplaudo isso. Se você olhar para a Rússia, as tropas russas que entraram em batalha na Ucrânia, em sua maioria, nunca haviam experimentado o combate. Este é um exército de tempos de paz. A Rússia não luta em guerras no exterior. A Síria é o único envolvimento significativo no exterior que eles tiveram. Você compara isso com os Estados Unidos, onde literalmente falando, se um soldado se aposentar hoje após uma carreira de 30 anos nas forças armadas, ele não terá servido um único dia em que os Estados Unidos estavam em paz. Uma coisa incrível. E você contrasta isso com os militares russos, onde, com poucas exceções, o país está em paz. Então, realmente precisamos começar a pensar na paz e nos limites da guerra, essa ideia de que de alguma forma precisamos de um jogo de soma zero onde tiramos de você e isso nos engrandece. Estamos em um mundo onde todos podem ganhar e prosperar pela paz. Mas estou preocupado que a hiperinflação possa ser o alerta que leva o mundo a reconhecer que devemos ter um novo paradigma para o futuro, e acho que a Paz de Vestfália nesse ponto pode se tornar uma possibilidade. Então, obrigado novamente pela oportunidade de estar aqui. Sempre há esperança e acho que haverá coisas boas no futuro, com as bênçãos de Deus.

BILLINGTON: E muito obrigado do Schiller Institute, The LaRouche Organization e EIR. Vamos publicar isso o mais rápido possível, porque vai ter um impacto tremendo. Obrigado.

BLaCK: Muito obrigado.

FONTE: schillerinstitute.com / TRADUÇÃO: Professor Ricardo Cabral

- Advertisement -

118 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

118 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Luis Carlos
Luis Carlos
6 meses atrás

Os americanos estão percebendo que é fim de jogo para eles.
A perda de protagonismo (e relevância) no cenário mundial até pode levar a arroubos nesse sentido.
Mas não adianta que a situação para eles só terá duas opções.
Ou ruim ou péssimo.

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
Reply to  Luis Carlos
6 meses atrás

Vamos aos fatos…  “Tô falando nisso desde quando o Bolsonaro ia visitar a Russia. Mas os “16 agentes da CIA” que infestam esse fórum..como no filme/série “os 12 macacos” ficam com argumentos jocoso/debochados, opacos de qualquer inteligência.” “A verdade é que os EUA/Ingleses nunca quiseram paz…querem a hegemonia como os Soviéticos queriam…Uma fez derrotada o Comunismo…os anglo-saxões prosseguiram e hoje nos assolam com a tática WOKE, os politicamente correto… só que saiu do controle…e suas megacidades estão sendo contaminadas por esse vírus WOKE.” Estes são trechos do pertinente comentário do nosso colega Marcelo há mais de 6 horas atrás logo… Read more »

andre
andre
Reply to  PRAEFECTUS
5 meses atrás

concordo com vc

PRAEFECTUS
PRAEFECTUS
Reply to  Luis Carlos
6 meses atrás

Comentário meu retido aí!

bruno
bruno
Reply to  Luis Carlos
5 meses atrás

É mesmo, é o fim para os americanos. Meu Deus quanta cegueira, ignorância e falta de conhecimento.

Salim
Salim
Reply to  Luis Carlos
5 meses atrás

Conforme o traira/X9 acima a russia na Siria e legal,portanto presenca Otan/EUA na Ucrania tambem é. Começa a incoerencia deste senhor, o resto e uma asneira atrás de outra para consertar esta retorica obtusa. O pior que tem cara que apoia. EUA, russia……… So estão atendendo a interesses economicos/particulares que nao contempla o povo. Porem os EUA sao infinitamente melhores que russia/china….pelo menos o povao vive bem, o que nao ocorre nas ditaduras citadas.

Antunes 1980
Antunes 1980
6 meses atrás

Então quer dizer que a Rússia com suas mais de 6.000 mil ogivas nucleares, um dos maiores exércitos do mundo, com o melhor sistema de defesa área do universo; invade um país soberano, alegando motivos simplesmente ridículos (estar sob ameaça por um país de maioria “nazista”), anexa a área mais produtiva e industrializada deste país. Rouba suas reservas de aço e grãos. Ataca cidades de forma indiscriminada , mata milhares de civis.
E os USA e a OTAN não deveriam se opor. Não deveriam aplicar sanções, muito menos enviar ajuda militar?
É cada um que aparece.

Last edited 6 meses atrás by Antunes 1980
MASTRIT
MASTRIT
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Exatamente.,palavras mais propícias seria cair em redundância.

Heitor
Heitor
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Essa galera que vota no Trump é assim mesmo Antunes… Se fosse Trump na cadeira, deixaria os ucranianos a própria sorte

André Luís
André Luís
Reply to  Heitor
6 meses atrás

Se fosse Trump, a Rússia SEQUER teria invadido a SlaviaCatervina (Ucrânia).

Que triste! rs!

Caio
Caio
Reply to  André Luís
6 meses atrás

Aí a Rússia não teria invadido, não por medo , mas por que o fanfarrão do Trump daria alguma boa recompensa ao Putin, porque as bravatas dele nunca se concretizaram nem com as miseráveis Venezuela e Coreia do Norte.

Slow
Slow
Reply to  Heitor
6 meses atrás

E o Biden colocando lenha vendendo equipamentos que não vão mudar resultado da guerra, além de estar assustando os membros da OTAN insinuando que eles serão próximo por isso tem que gastas mais com defesa ..

Lana alves
Lana alves
Reply to  Heitor
6 meses atrás

Heitor, exatamente o que o Bolsonaro fez. Atualmente o Brasil apoia a guerra russa.
Há anos anos nos EUA falavam muito da ligação da extrema direita com a influência russa no ocidente. Eu não acreditava. Hoje tenho certeza que existe essa ligação. A Rússia finsncia grupos de direita em vários países ocidentais.
Praticamente todos os paises que tinham alinhamento com Trump apoiam a invasão russa e as pautas da Rússia pelo mundo.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Lana alves
5 meses atrás

Invencionice 2.0

Acuse-os do que você faz. Xingue-os do que você é.

Henrique
Henrique
Reply to  Heitor
6 meses atrás

Meu caro, avaliando SEM TORCIDAS, se fosse o Trump essa guerra não teria acontecido.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Henrique
6 meses atrás

Trump saiu correndo da Síria, iria enfrentar a Rússia? Esse pessoal tem tara no laranjão, mas ali era pipoqueiro igual Bolsonaro, bostejava, bostejava, e final colocava o rabinho entre as pernas.

WSilva
WSilva
Reply to  Henrique
6 meses atrás

Com Trump, a Ucrânia toda já estava sob poder do Putin. Trump era um vassalo da Russia. Quando disse lá trás que a China preferiria o Trump ao invés do Biden era justamente por conta disso, o Putin tinha o Trump no cabresto e o Putin é aliado feroz do Xi Jinping, já o Biden fugiu do controle de ambos e passou a ser imprevisível. Isso também explica porque o Trump foi escorraçado pelo deep state, o cara simplesmente destriu a relação dos EUA com seus aliados e de quebra estava se vendendo a Russia na esperança que Putin o… Read more »

Last edited 6 meses atrás by WSilva
Caerthal
Caerthal
Reply to  Heitor
5 meses atrás

Ter a Ucrânia à própria sorte iria induzir eles a se comportar com responsabilidade, começando por eleger uma liderança decente.

Robo Norris
Robo Norris
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Você descreveu exatamente o modus operandi dos EUA e seus aliados. Mudam-se os protagonistas, mas o filme permanece o mesmo.

Last edited 6 meses atrás by Robo Norris
André Luís
André Luís
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Mas é o que eu estou cansado de falar: por MUITO MENOS a OTANZINHA bombardeou a Sérvia nos anos 90.

O que a OTANZINHA está esperando para entrar na Ucrânia e salvar a população do país?

Porque ficar mandando arminhas mostra apenas que os anglo-saxões estão interessados em “It’s Just a Good Business”…. Né? rs!

#SlaviaCatervina

Caerthal
Caerthal
Reply to  André Luís
5 meses atrás

Vai confiando que a Rússia é igual a Sérvia. Confie.

Francisco
Francisco
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Caro Antunes mas se os EUA e a OTAN realmente quisessem ajudar a Ucrânia porque não enviaram algo como uma “força de paz” depois da invasão da Criméia, pelo contrário os EUA e a OTAN de certa forma incentivaram os ucranianos a enfrentar os russos ou como queiram deram mais motivos (segundo o ponto de visto russo) para a Rússia invadir a Ucrânia, não que os ucranianos não tivessem o direito de se defender mas sim pelo fato de não ter condições de enfrentar só como está sendo comprovado, a Ucrânia está localizada em uma zona de muitos interesses e… Read more »

seuzénétiuôrqui
seuzénétiuôrqui
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Cara! Qual foi a parte que vc não entendeu? Ou vc tá de brincadeira? Isso se vc não fôr robô, óbvio! Ou então está precisando voltar a interpretação de texto.
Quanto à esse coronel, ou já é parte de “esquema” de dentro do próprio governo dos eua para “pularem” fora dessa situação caótica e irremediavelmente perdida na Ucrânia (e eu particularmente acho que é porque ele fala e descreve com muita segurança e confiança a exata situação dessa guerra por procuração contra a Russia) ou então, se não tiver algo por trás, penso que esse coronel deve tomar muito cuidado.

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Não é assunto deles.
Principalmente dos EUA que ficam do outro lado do Oceano.

Rurik
Rurik
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Tenho a sensação de estarmos numa “matrix” da mídia ocidental.
Leitura obrigatória essa entrevista.

gordo
gordo
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Os EUA invadiu o Iraque graças a maior vergonha da vida passada pelo Colin Powell, dizem que Ele ficou pistola quando soube que foi feito de trouxa, então porque a Rússia não pode invadir a Ucrânia a troco de neutralidade, preservação da cultura Russa no território (Ucraniano) e punição para grupos extremistas que faziam manifestação semana sim semana não sem nenhuma intervenção por parte do Estado. Não é difícil encontrar matérias (de antes de 2020) em jornais Ocidentais sobre grupos extremistas atuando (de forma impune) na Ucrânia e Polônia. É muito provável que o Putin invadisse a Ucrânia por outro… Read more »

Zabumba
Zabumba
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Quanta disfunção leu o texto e não compreende o jogo .

Talisson
Talisson
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

Ta nos dizendo que a intervenção americana tem a ver com a (ou falta de) moral e/ou ética por parte de Putin? E onde os interesses difusos de grandes corporações e o pragmatismo foram parar? Me refirindo a ambos os lados! Os mesmos interesses que incendiaram a Euromaidan. Moral e etica em guerra e politica é assunto pra canal de adolescente.

Last edited 6 meses atrás by Talisson
Eromaster
Eromaster
Reply to  Antunes 1980
6 meses atrás

E o Tio Sam que invadiu o leste da Síria, onde tem maior reserva de petróleo e gás da Síria? O Tio Sam extrai o petróleo Sírio e vende para Turquia na cara dura.
Leis internacionais só serve para Rússia?
Antunes 1980, vc estuda geopolítica?

Kornet
Kornet
Reply to  Eromaster
5 meses atrás

Esse pessoal,vive num mundo paralelo.
Não entendem zorra nenhuma de nada,pararam no tempo.
Ainda estão presos à guerra fria,queceram ente americanos e soviéticos.
Hoje a guerra é fabricada por bilionários por motivos fabricados por eles.

João Augusto
João Augusto
Reply to  Antunes 1980
5 meses atrás

Casos em que USA e OTAN invadiram países soberanos alegando motivos simplesmente ridículos não faltam. Em regra a Rússia não aplicou sanções e nem enviou ajuda militar. Em posição de pedir reciprocidade eles estão.

Mas no final das contas é um imperialista sujo falando mal do outro.

andre
andre
Reply to  Antunes 1980
5 meses atrás

me responde porque a OTAN, usou a ucrania para chegar as fronteiras russas, A russia não pode fazer nada e sim aceitar a imposição ??????

andre
andre
Reply to  Antunes 1980
5 meses atrás

quando as bombos nuclear começar a cair, batem palmas para OTAN. depois disto não adianta começar a achar culpados, pois todos estaremos mortos.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Antunes 1980
5 meses atrás

A Ucrânia foi imprudente em não reconhecer a vontade popular das regiões de maioria russa, tentar hostilizar a Federação Russa para obter vantagens junto aos EUA/UE e por fim promover uma elite tremendamente corrupta.

Está pagando um preço muito alto, que só aumenta.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
6 meses atrás

OFF:
Alguém sabe me dizer se aqui no blog tem alguma matéria sobre o Leopard 1c2 canadense? Vi um vídeo no youtube sobre a modernizações da família, leopard 1 e achei bem interessante o canadense, porém são poucas as informações sobre esse veículo.
Tenham um bom final de semana.

Nascimento
Nascimento
Reply to  Heinz Guderian
6 meses atrás

Os editores não permitem comentários offtopic salvo engano.

Mas não tem lógica modernizar o Leopard, mesmo com essa modernização ele continua tendo problemas e inferioridades estruturais quando comparado com o Leopard 2A4 chileno e ao T-72 venezuelano. Melhor comprar M1A1 de Sierra, mais barato e lógico. Se o Cascavel saiu por 9 milhões imagina esse Leopard. Não tem outra desculpa ai não ser corrupção ou lobby da KMW pra esse absurdo. É algo pra CPI um negócio desse.

Heinz Guderian
Heinz Guderian
Reply to  Nascimento
6 meses atrás

Eu não estou falando que apoio a modernização do Leopard 1.
Apenas estava estudando o tema e encontrei essa versão do Leopard, e queria mais informações, apenas.

Francisco
Francisco
Reply to  Heinz Guderian
6 meses atrás

Caro Heinz eu vi uma matéria sobre esses Leopards canadense e se poderia ser adotada uma modernização naqueles moldes nos nossos MBT’s, só estou na dúvida se foi aqui, no defesa ou no cavok.

Francisco
Francisco
Reply to  Heinz Guderian
6 meses atrás

Caro Heinz fiz um outro comentário informando que já havia visto uma matéria sobre essa versão canadense que você citou, a qual poderia servir para o Brasil segundo a matéria, contudo, parece que foi retido pela moderação, provavelmente porque citei que talvez tenha sido em outro site já que não me recordo exatamente se foi aqui no Forte ou não, de qualquer forma já vi algo sobre o tema sim.

Nicolas_SS
Nicolas_SS
6 meses atrás

Mais um militar ‘patrocinado’ pela Rússia. Nem o civil mais alheio chega a uma conclusão burra estúpida como está; a resposta é dinheiro e/ou ideologia cega!

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Nicolas_SS
6 meses atrás

Então refute os pontos dele “SS”…

Henrique
Henrique
Reply to  Nicolas_SS
6 meses atrás

Caro Nicolas, patrocinado ou não ele referiu vários pontos que são de fato o modus operandi americano. A questão da Síria e apoio americano a terroristas é FATO e a questão ucraniana, sem dar qualquer apoio á invasão russa, é outro que poderia ser evitado se os americanos não “quisessem” o conflito para desgastar ou esvair a Rússia.
Putin está errado mas como mencionei em outro post, não há santos nesse tabuleiro.

Luis H
Luis H
Reply to  Henrique
5 meses atrás

me parece q este não é um blog religioso e de fato, nunca ví menção alguma de santo, fora aqueles q acusam os outros de achar q tem algum santo em algum tabuleiro. esse coronel aponta alguns fatos relevantes e aproveita para empurrar a narrativa russa absurda para essa guerra. os dois ficam canalhamente falando em uma nova “paz da westphalia” para dar a russia todas as exrepúblicas soviéticas q ela quiser com base em força bruta. não precisamos de nova precisamos é da velha paz da westphália, aquela q . reconheceu a inviolabilidade das fronteiras e a não interferência… Read more »

Varg
Varg
6 meses atrás

Apesar de ser bastante crítico à forma como os EUA regem sua política externa, eu não vejo Washington ameaçando usar seu arsenal nuclear indiscriminadamente como faz Moscou.

Qualquer motivo, por mais besta que seja, é razão para os russos ameaçarem usar seu “porrete” nuclear contra outras nações.

Slow
Slow
Reply to  Varg
6 meses atrás

Lista do único pais que usou armas nucleares contra população :

1 – EUA

fim .

dfa
dfa
Reply to  Slow
6 meses atrás

2Guerra mundial…Contexto diferente.
E olha que a população japonesa pegou leve, se levarmos em consideração todas as atrocidades que os nipónicos cometeram contra a população chinesa e coreana.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  dfa
6 meses atrás

Atrocidades que foram cometidas, em sua maioria, pelos soldados, não pela população civil.

Slow
Slow
Reply to  dfa
5 meses atrás

Verdade, só que isso da o direito dos EUA lançar uma bomba nuclear contra população civil ?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Varg
6 meses atrás

Tu perdeu a briguinha de twitter entre Trump e Kim para ver quem tinha o botão nuclear maior?

Marcelo
Marcelo
6 meses atrás

Bhaahh!!! Tô falando nisso desde quando o Bolsonaro ia visitar a Russia. Mas os “16 agentes da CIA” que infestam esse fórum..como no filme/série “os 12 macacos” ficam com argumentos jocoso/debochados, opacos de qualquer inteligência. A CIA/M6 foi responsável pelo levante e Massacre da Praça Celestial” na China…fracassou…mas serviu de aprendizado para as “primaveras árabes”..CIA…que copiou do regime Soviético quando tentavam exportar a revolução do proletariado. A verdade é que os EUA/Inglese nunca quiseram paz…querem a hegemonia como os Soviéticos queriam…Uma fez derrotada o Comunismo…os anglo-saxões prosseguiram e hoje nos assolam com a tática WOKE, os politicamente correto… só que… Read more »

Kornet
Kornet
Reply to  Marcelo
5 meses atrás

Releva essse pessoal,fiquei decepcionado com muitos aqui.
Eles querem a verdade deles e ridicularizam aqueles que pensam diferente deles.
Não querem entender o jogo que impuseram ao mundo.
Ze Lensquisse foi muito bem instruído,por isso podemos chegar a um pobto sem volta.

Slow
Slow
6 meses atrás

Richard Black e MacGregor fala umas verdade dos EUA muito bom ..

George
George
Reply to  Slow
6 meses atrás

Verdades que só existem na cabeça deles. Na prática tudo funciona diferente.

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  George
6 meses atrás

Folha de SP.
‘Unidade da UE em torno das sanções contra Rússia ‘começa a ruir’, diz ministro alemãoFala de Robert Habeck ocorre na véspera de encontro para discutir embargo ao petróleo russo.’
Putin é o maior estadista da atualidade.
E um grande enxadrista.
O cara é bom.

Talisson
Talisson
Reply to  George
6 meses atrás

Sim. Os caras estudaram a vida inteira e não sabem nada, só porque tu não concorda com eles.

Last edited 6 meses atrás by Talisson
George
George
Reply to  Talisson
6 meses atrás

Uma coisa é não concordar. A outra é ficar senil. O Mcgregor não para de passar vergonha na Tv. Dia sim dia não ele aparece na Tv e fala que a Ucrânia será derrotada em três dias.

Slow
Slow
Reply to  George
5 meses atrás

Me mostra um dia que ele falou isso ?

Slow
Slow
Reply to  George
5 meses atrás

Ele não sabe nada, .. voou 269 missões de helicóptero de combate no Vietnã ..

Você que deve saber né ?

pangloss
pangloss
Reply to  Slow
5 meses atrás

O caso desse entrevistado é pior do que a senilidade.
Ele está atuando em favor do Trump, acirrando a divisão interna americana.
Não é doença, é falta de caráter, mesmo.

Ze das Couve
Ze das Couve
Reply to  Slow
5 meses atrás

Bom, agora temos uma razão para os americanos terem perdido lá, né.

Luciano
Luciano
6 meses atrás

Para aqueles que usam chapéu de alumínio essa análise é uma traição, tamanha é a lavagem cerebral.

Last edited 6 meses atrás by Luciano
Joanderson
Joanderson
6 meses atrás

A conclusão que tenho é que a Rússia não tinha a real intenção de invadir a Ucrâni,porque se essa fosse a sua verdadeira intenção eles não teriam cometido um erro grotesco de deixar metade das suas reservas de dinheiro em paises hostis.
Tempo para repatriar esse dinheiro eles tiveram, algo em torno de 8 anos desde a anexação da Crimeia.
Isso explica o mal desempenho do exército russo no começo da guerra.

Lana alves
Lana alves
Reply to  Joanderson
6 meses atrás

Joanderson, sério que você escreveu isso?

Luis Carlos
Luis Carlos
Reply to  Joanderson
6 meses atrás

A Ucrânia se preparou durante oito anos para essa guerra.
Ninguém constrói o monte de fortificações sem segundas intenções.
Ela pretendia tacar Donbass e esperar uma reação russa.
Só que os russos foram mais rápidos no gatilho e tomaram a iniciativa.

Caio
Caio
6 meses atrás

Como já escrevi um a vez, a Ucrânia teve pelo menos 7 anos para se preparar para uma guerra ampla coma Rússia, mas uma terra dominada por corruptos irresponsáveis, está sempre condenada a desgraça.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
6 meses atrás

Independente do histórico militar do indivíduo, não dá – simplesmente não dá – para levar a sério alguém que alega que os franceses não só tem oficiais na planta de Azovstal (os russos tomaram a planta, onde estão os oficiais franceses?), mas também afundou um navio da Marinha Russa. Olha a gravidade dessa acusação! Ele está afirmando, sem prova alguma, que a França cometeu um ato de guerra contra a Federação Russa.

Last edited 6 meses atrás by Bruno Vinícius
Maurício.
Maurício.
Reply to  Bruno Vinícius
6 meses atrás

Ele não alegou que os franceses afundaram o navio russo, veja exatamente o que ele disse:

“Agora, meu palpite é – e isso é um palpite, posso estar errado.”

“Então eu acho que provavelmente foram as forças da OTAN que realmente afundaram o Moskva.”

Portanto, ele não afirma nada, é só palpite e suposição.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Chame do que quiser, não deixa de ser uma afirmação completamente absurda.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Bruno Vinícius
6 meses atrás

Você disse que ele está afirmando, o que não é verdade! Se você afirma isso, você está espalhando uma fake news.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Acredite, essa sua tentativa de transferir a discussão para o campo da semântica como forma de desviá-la do assunto principal – a especulação absurda desse senhor, que põe em questão sua credibilidade – não funcionará comigo.

Last edited 6 meses atrás by Bruno Vinícius
Maurício.
Maurício.
Reply to  Bruno Vinícius
6 meses atrás

Eu não quero que nada funcione com você, só estou dizendo exatamente o que o Coronel disse, se você gostou ou não eu não posso fazer nada.
Só um detalhe, agora você não afirma que ele afirmou, já mudou e agora é especulação…

Last edited 6 meses atrás by Maurício.
Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
6 meses atrás

Também morri de rir com esse trecho:

“Eles podem evitar qualquer detecção oportuna e podem disparar mísseis da Rússia e chegar a São Francisco, Los Angeles, Chicago, Detroit, Baltimore, Washington, D.C., Nova York”

Acho que esqueceram de contar para ele que a detecção inicial do disparo de um míssil balístico ocorre por meio de satélites com sensores IR. Como exatamente ele espera que o míssil russo escape desse mecanismo de detecção? Detalhe, esse tipo de satélite existe desde a década de 60, então está longe de ser novidade. Vai ver o coronel está com sintomas de demência (comum nesta idade).

Last edited 6 meses atrás by Bruno Vinícius
Rogerio
Rogerio
6 meses atrás

Olha isso sr Bosco é a turma do Milk mouse… Como estão teu patrão agir no mundo de verdade

Maurício.
Maurício.
Reply to  Rogerio
6 meses atrás

O pessoal que fala em Toddynho não leu nem o primeiro parágrafo por completo, se tem alguém contra ou falando a real sobre os EUA, na cabeça desse pessoal o sujeito já é automaticamente pró-Rússia!

Scudafax
Scudafax
6 meses atrás

Sensato ponto de vista. Basta ilustrar com outro ponto de vista Ukraine on Fire, de Oliver Stone. Vejam e só depois comentem…

dfa
dfa
6 meses atrás

A política externa dos EUA no médio-oriente foi simplesmente desastrosa e indefensável do ponto de vista legal e moral, não há grandes dúvidas em relação a isso. Agora dizer que os russos são os “bonzinhos” da fita é ignorar toda a história de expansionismo russo e as mais recentes intervenções na Geórgia, Chechenia e África. A actuação da Rússia na Ucrânia até ao momento é vergonhosa no aspeto militar e civil. Milhões de pessoas foram obrigadas a abandonar suas casas e milhares foram mortas, eslavos a matarem eslavos, isto tudo em nome mentiras que máscaram o imperialismo do atual Czar… Read more »

Last edited 6 meses atrás by dfa
Faver
Faver
Reply to  dfa
6 meses atrás

Ele não fala que os russos são bonzinhos. Ele cita paralelos e exemplos dos fatos ocorridos no Oriente Médio, onde outras potências causaram tanto dano e mal quanto os russos estão fazendo agora.

dfa
dfa
Reply to  Faver
6 meses atrás

Cita paralelos e cria comparações tentando passar uma imagem de “contenção” bélica por parte dos Russos e colocá-los num patamar moral superior aos americanos mauzoes.
Quando é claro, a qualquer pessoa minimamente lúcida, que as ações presentes e passadas da Rússia foram limitadas exclusivamente pela sua falta de recursos humanos e materiais.

Faver
Faver
6 meses atrás

Isto tudo dito por um Republicano… Há muitos pontos para se considerar nesta entrevista, gostando ou não, sobre o modus operandi das super potências. Certamente muitos foristas daqui não vão gostar do teor. Não há santos nos interessados desta guerra e coitada da população atingida.
A parte dos pedófilos da Siria é terrível, cadê os princípios norte-americados de liberdade e justiça? É muita hipocrisia. Por estas e outras que não fico torcendo ou vangloriando um lado ou outro. Uma força de paz na Ucrânia, antes da guerra poderia ter evitado esta…

Last edited 6 meses atrás by Faver
Luis H
Luis H
Reply to  Faver
5 meses atrás

uma força militar autodenominada de paz ou do q quer q seja, seria pretexto para a guerra q, como vimos, iria acontecer de qq forma, iria apenas confundir mais ainda a cabeça de quem não tem muita lógica ou ética para saber q quem inicia agressão a um pais pacífico q não representa e nem faz ameaça está errado, e mais errado ainda ao destruir casas, expulsar, ferir e matar civís em larga escala.

Maurício.
Maurício.
6 meses atrás

“A guerra começou em 2011, quando os Estados Unidos desembarcaram agentes da CIA para começar a se coordenar com a Al Qaeda e outros grupos terroristas.”

“Queríamos tirar o trigo, causar fome entre o povo sírio.”

“Queríamos que o povo sírio passasse fome e congelasse até a morte na Síria.”

E ainda tem um pessoal que sempre passa panos para os americanos, como se eles fossem os mocinhos, os salvadores da pátria, o baluarte da justiça…

Luis H
Luis H
Reply to  Maurício.
5 meses atrás

a questão não é apoio incondicional, é apoiar ou contestar crítica aos americanos em relação a que outra coisa. é praxe que essa outra coisa não seja mencionada intencionalmente, tentando colar rótulo de americanos maus pelo simples fato de serem americanos. os eua são muito bons ou muito ruins, dependendo com o q comparar e q seja algo q faça parte do mundo real. ninguém está acima de crítica, mas muitas vezes se tenta enfraquecer os eua, que (a despeito da cultura/política atual estar erodindo os valores que os fundaram) mantém alguma ética, mostrando suas falhas reais ou falsas através… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Luis H
Omg
Omg
6 meses atrás

Ou seja, russos bons, ucranianos maus. O ocidente deve deixar a Russia invadir o que quiser e não fazer nada contra.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Omg
6 meses atrás

Ou seja, você leu verdades de um Coronel americano que lutou no Vietnã pelo seu país, arriscou sua vida por ele, mas como ele não passa panos para seu próprio país ele não sabe de nada.

Omg
Omg
Reply to  Maurício.
5 meses atrás

Ele falou verdades. Em que isso justifica a invasão da Ucrânia? Em que isso justifica não ajudar os ucranianos?
Acho curiosa essa postura de criticar as invasões americanas ao mesmo tempo que passa pano para as invasões russas.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Omg
5 meses atrás

Onde eu estou justificando alguma coisa? Só estou mostrando a hipocrisia de quem acusa a Rússia mas se enrola na bandeira americana achando que eles são os mocinhos da história e os baluartes da justiça.

Henrique
Henrique
6 meses atrás

Senhores administradores do site, saberiam dizer porque a foto do Avatar não carrega mais?

pangloss
pangloss
6 meses atrás

Mais um cheerleader do Trump que aposta na liberdade de expressão para aprofundar a atual divisão interna dos EUA, disseminando mentiras sem qualquer credibilidade.
É o preço que se paga, por elegerem Biden, apenas por ser “menos pior” que Trump.

Maurício.
Maurício.
6 meses atrás

O Coronel simplesmente disse que os americanos controlam a mídia global quando querem, disse que os americanos são aliados de terroristas da Al Qaeda e do Isis, foram coniventes com os terroristas matando civis para ficarem com suas esposas, foram coniventes com estupros em massas, foram coniventes com o tráfico de pessoas e com pedófilos, e ainda queriam causar fome e frio entre a população siria.
Esses americanos…Sempre em busca da liberdade, justiça, paz, direitos humanos, solidariedade, segurança, igualdade…🤭

Lucian
Lucian
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Você será cancelado pela turma da lacração, rá!

Maurício.
Maurício.
Reply to  Lucian
6 meses atrás

Lucian, eu já sou cancelado, é só você ver a quantidade de deslikes que eu recebo desses pseudos-americanos/europeus…rsrsrs

Erick Barros
Erick Barros
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Mas era claro que os EUA criaram e patrocinaram o ISIS.
Basta ver que eles nunca atacaram ou praticaram quaisquer atentados contra Israel, que é um dos maiores inimigos do Mundo Islâmico, junto com os EUA.
Apesar de chegarem bem perto da fronteira e poder se infiltrar nos territórios ocupados.

pangloss
pangloss
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Maurício, você teria como explicar de que modo os americanos são tão poderosos como vocês os descrevem, se ao fim e ao cabo de suas intervenções, o resultado é sempre desastroso? Vocês precisam fazer uma assembleia aí no DCE da preferência de vocês, reunindo todas as múltiplas personalidades de você-sabe-quem, para concluir se os EUA dominam tudo e a todos – e, então explicar por que raios toda interferência americana é malograda – ou, na hipótese contrária, se os EUA são uns amadores da conspiração, que querem dominar o mundo como se fossem vilões de desenho animado. Não é possível… Read more »

Francisco
Francisco
Reply to  pangloss
6 meses atrás

Desastroso para quem amigo? não existe bonzinhos, o que existe são interesses seja dos EUA, UE, Rússia, China, etc…, apenas interesses e nada mais, não fosse isso porque não foi criada uma “força de paz” pelos EUA e UE com o aval ONU mesmo que não fosse aprovado por unanimidade, pois era óbvio que depois da derrubada do presidente em 2014 com o apoio de algumas nações esse assunto não ficaria só na Criméia, mas o que fizeram além de inflamar a Ucrânia colocando mais lenha na fogueira e depois deixaram na numa fria, mesmo agora depois da invasão ficam… Read more »

Last edited 6 meses atrás by Francisco
Maurício.
Maurício.
Reply to  pangloss
6 meses atrás

“Maurício, você teria como explicar de que modo os americanos são tão poderosos como vocês os descrevem”. Ué, os americanos não são uma potência econômica e militar? Não é o país que mais gasta em defesa? Não é um dos países que mais se envolvem em conflitos e guerras desde a segunda guerra mundial? Dizer que o resultado é sempre desastroso é você que está dizendo, por que os americanos ainda estão no Iraque? Por que ainda estão na Síria? Por que ficaram 20 anos no Afeganistão? Eles ficariam todo esse tempo só tendo prejuízos? Sobre DCE e múltiplas personalidades,… Read more »

pangloss
pangloss
Reply to  Maurício.
5 meses atrás

Não atribuí aos americanos esse rótulo que você mencionou.
Vai uma grande distância para aceitar a narração carregada de adjetivação desse coronel.

Teropode
6 meses atrás

Parei no “derrubar o governo legítimo da Síria “, ………que preguiça !

Maurício.
Maurício.
Reply to  Teropode
6 meses atrás

Até uns três meses atrás tinha um pessoal na trilogia que não consideravam o Biden um presidente legítimo! Tem um pessoal que acha o governo da Arábia Saudita legítimo, tinha uns que acreditavam também no governo legítimo do Afeganistão, portanto, vai do gosto do freguês…

Nilo
Nilo
6 meses atrás

Uma entrevista devastadora. Assim como Americanos e Ingleses apoiaram o ISIS e Al Qaeda na Síria estão apoiando os nazistas na Ucrânia. A Europa meio a um pesadelo, Putin simplesmente ignora, segue em frente, sabe que uma hora a Europa vai ter que acordar, mas irá demorar sair dela, pois Scholz e Macron em telefonema recente com Putin exigiram  “armistício imediato” e uma “retirada das tropas russas”. Putin continua sem pressa.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Nilo
6 meses atrás

“Uma entrevista devastadora. Assim como Americanos e Ingleses apoiaram o ISIS e Al Qaeda na Síria.”

Mesmo com um coronel americano confirmando essa parceria entre americanos e terroristas, vai ter um pessoal que vai negar. 🤷🏻‍♂️

pangloss
pangloss
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Credibilidade não decorre de patente, seja ela qual for.
Há um capitão brasileiro que mente o tempo todo. Você acredita nele?

Maurício.
Maurício.
Reply to  pangloss
6 meses atrás

Ah, mas esse não foi expulso pelo próprio EB? Nessa altura do campeonato quem ainda acredita nesse capitão não é muito certo das ideias ou recebe um pix todo mês.

pangloss
pangloss
Reply to  Maurício.
5 meses atrás

O EB não o expulsou. Em 1988, foi para a reserva, para concorrer à Câmara Municipal do Rio de Janeiro. E foi eleito.
Militares da ativa não podem ser filiados a partidos políticos, e portanto têm que passar para a reserva, se tiverem a intenção de disputar eleições.

Nilo
Nilo
Reply to  Maurício.
6 meses atrás

Leve esse pessoal a sério, nunca ache que são uma piada.

Xvantbrasil
Xvantbrasil
6 meses atrás

Infelizmente, a Rússia, China, irá, Cuba, Coreia do Norte ( testa bombas táticas chinesas, mísseis e combustiveis de foguetes russos) para não assustar europeus e americanos, Esses caras nunca irão aceitar a humilhação dos mercados( bolsas) , na qual controla e mantém 90% da humanidade, sob as botas. E querem e irão conseguir mudar de uma forma ou de outra, as sociedades. Mas se acontecer ( nucear) Lion,Paris, new York, Londres, Bruxelas, NUNCA mais iremos ouvir falar tão cedo. Só depois que o POVO indonésio, e afins latinos, saírem da idade das trevas. O mundo tem muito território para remanejar… Read more »

Nilo
Nilo
6 meses atrás
Last edited 6 meses atrás by Nilo
George
George
6 meses atrás

PQP. O Velhote é totalmente maluco. Disse que tinha 50 oficiais franceses em Mariupol. Não acharam nenhum Disse que foram os franceses que afundaram o Moskva. Não apresentou prova alguma. Disse que a OTAN não mandaria mísseis antinavio para a Ucrânia. Mandou sim.

O cara não acerta uma.

Texto totalmente viagem na maionese.

Augusto
Augusto
5 meses atrás

Meu Deus, como existe sujeira nesse mundo, e vocês ai ficam se digladiando aqui por causa de algum dos lados. Não existem santos nessa historia. Muito triste ouvir esse tipo de historia. E o pior que o desgraçado ganhou o Nobel da Paz, muito hipocrisia. Eles destroem um pais inteiro somente para poderem lucrar e ficarem ainda mais ricos. Não tem moral nenhuma de acusar os outros de genocídio. O mundo tem muito para mudar ainda.

Zé lesqui
Zé lesqui
5 meses atrás

water melon stars & stripes!

Hank Voight
5 meses atrás

Texto ruim, cheio de teorias conspiracionistas fajutas tais como imputar a CIA a explosão no porto de Beirute, digno de um extremista de direita entrevistado por um site conspiracionista que dentre outras perolas divulgou que a Princesa Diana teria sido morta a mando do Príncipe Phillip. E que ainda divulgou uma lista de agentes do Mi-6

Qual a próxima fonte de vocês, o Veterans today?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Hank Voight
5 meses atrás

Ou seja, para você o texto é ruim porque o Coronel disse verdades sobre o modus operandi dos americanos, o negócio é acreditar em um sujeito que não comenta nem com o próprio nome e que usa vários nicks.
Com relação as fontes, não vejo você reclamando da CNN, BBC, FOX, NYT Newsweek entre outras.

Hank Voight
Reply to  Maurício.
5 meses atrás

Não há verdade alguma no texto, só as sandices de um extremista….

Quanto aos noticiosos que você citou, fora a Foxnews (lixo de extrema direita trumpista) ao menos não tem desapego a verdade como o aludido coronel

Luiz Trindade
Luiz Trindade
5 meses atrás

Rapaz… Essa foi a entrevista mas bem escrita e feita. Infelizmente não sei se sobreviveremos para contar isso para os nossos filhos ou netos. Porque do jeito que a coisa esta indo veremos cogumelos subindo em diversas capitais.

Hank Voight
Reply to  Luiz Trindade
5 meses atrás

Entrevista mais bem escrita para quem adora acreditar em conspiracionismo delirante

Homero Luiz
Homero Luiz
5 meses atrás

Parei quando percebi um trumpista… desperdício de palavras…. Essa gente trairá até a mãe para provar suas teorias conspiratórias. E olha que de santo os EUA e a Inglaterra nada têm…

ALISON
ALISON
5 meses atrás

Nunca li tanta verdade na vida… Caramba. Coragem dar uma entrevista dessas viu…

Hank Voight
Reply to  ALISON
5 meses atrás

Sim, verdade conspiracionista delirante de extrema direita

Últimas Notícias

Saab leva soluções e sistemas de alta tecnologia para a 7ª Mostra BID

A Saab estará na 7ª Mostra BID, entre os dias 6 e 8 de dezembro, no Centro de Convenções...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -