domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

As operações ucranianas em Kherson

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Rodolfo Queiroz Laterza[1]

Ricardo Cabral[2]

As últimas semanas na Guerra da Ucrânia foram marcadas por um período de preparação das duas forças contendoras. Os russos continuam a reforçar, de maneira ainda muito limitada, as suas forças nas regiões ocupadas na Ucrânia enquanto aguarda a preparação dos reservistas convocados.

Já os ucranianos, apesar das perdas humanas e de sistemas de armas nas ofensivas recentes, continuam a concentrar recursos no Sul com o objetivo de retomar os territórios ocupados pelos russos à margem direita do Dniper. Dentro desse contexto, a cidade de Kherson é estratégica e, provavelmente, será palco de uma das batalhas mais decisivas dessa guerra e, pela sua relevância estrategica,  o tema do ensaio dessa semana.

1 – Contextualização das operações das FAU

Após a bem-sucedida ofensiva ucraniana no eixo de Izium e Kharkhiv, com a retomada da quase totalidade da área então ocupada por forças russas em setembro, as Forças Armadas da Ucrânia – FAU, em nosso entendimento estabeleceram como prioridade a retomada das áreas controladas por forças russas no oblast de Kherson, com ataques na linha Mikolayev-Krivoy Rog.

A contraofensiva ucraniana em Kherson iniciou-se já no final de agosto, a partir do eixo de Andreevsky, com forças ucranianas formando uma saliência até Sukhyi Stavok, cruzando o Rio Inhulets, com formações de blindados compostas, principalmente, por IFV e APC fornecidos por países da OTAN.

https://twitter.com/TheStudyofWar/status/1583626480935845890/photo/2

Ao longo de setembro, os ataques das formações militares ucranianas retomaram assentamentos da primeira linha de contato, porém com pesadas baixas em pessoal e equipamentos.

Muitos destes ataques inicialmente eram reconhecimento em força, testando as linhas de defesa russas, buscando brechas e com o propósito de atrair as reservas russas. O ataque principal das FAU era no eixo de Izium e Kharkhiv. No entanto, devido ao fato de que o limite avançado da linha de defesa russa era composto por um número de unidade insuficientes para manter suas posições, as FAU ao realizarem estas ações passaram a ocupar o terreno cedido pelos russos aproveitando o êxito.

Entre 23-25 de setembro, as FAU, aproveitando as lacunas existentes nos flancos das linhas de defesa russa, lançaram uma ofensiva à margem esquerda do reservatório de Nova Kakhovka, na direção de Berislav e a sudeste de Krivoy Rog. Os ucranianos conseguiram romper as posições avançadas das linhas de defesa das forças russas (que mantinham fortificações com no máximo 20 combatentes por km) e recapturaram em torno de 960 km2 de terreno. As forças da Federação Russa se reagruparam em uma nova linha de defesa, conseguindo desde então estabilizar este setor da frente de Kherson, mesmo diante das recentes investidas das FAU.

https://www.dw.com/pt-br/ucr%C3%A2nia-mant%C3%A9m-contraofensiva-no-sul-do-pa%C3%ADs/a-62975426

2 – Os preparativos das FAU para uma nova ofensiva

Segundo os sites Rybar e Newsfront, além de relatórios de correspondentes militares presentes em campo, a situação está tensa na área de Beryslav, no front de Kherson.

As FAU procuram romper a defesa russa na direção de Beryslav, flanqueando e ameaçando cercar todo o agrupamento russo nas proximidades de Kherson.

https://www.thefivecoatconsultinggroup.com/the-coronavirus-crisis/ukraine-context-d15

Em análise dos combates recentes, na manhã de 15 de outubro, as FAU com dois grupos de batalhões táticos (BTGs) da 60ª Brigada de Infantaria e da 17ª Brigada de Tanques, apoiados por elementos do 140º Regimento de Operações Especiais, lançaram um ataque às posições russas de Nova Kamyanka, que terminou em fracasso. Nesta ofensiva malsucedida as forças ucranianas perderam quase duas dúzias de veículos blindados YPR-765, BMP-2 e tanques T-64BV. A 60ª Brigada de Infantaria teria sofrido perdas de até 70 combatentes, ao passo que o 140º regimento das Forças Especiais, cujas unidades estavam realizando patrulhas de reconhecimento em força, também sofreu pesadas perdas.

Lembramos que esses BTGs são organizados de forma muito semelhante aos congêneres russos (como na imagem acima), mas cada vez mais com equipamento e doutrina de emprego da OTAN.

No início da manhã de 19 de outubro, as FAU lançaram um novo ataque às posições das formações de combate russas perto de Sukhanove e Polyanka, por intermédio de grupos de assalto do 18° Grupamento de Montanha e da 60ª Brigada de Infantaria, reforçados pelas reservas da 28ª Brigada Mecanizada e da 17ª Brigada de Tanques.

Os russos responderam ao ataque das FAU com fogos da artilharia autopropulsada e MLRS, obrigando as formações ucranianas a recuar para suas posições iniciais, tendo perdido seis tanques e várias dezenas de combatentes.

No setor Posad-Pokrovsky da frente de Kherson, o comando de 59ª brigada de infantaria Motorizada e 28ª Brigada de Infantaria Mecanizada estão se preparando para atacar as posições russas. A preparação está sendo realizada pela artilharia 155 mm. Um centro de logística foi desdobrado nas localidades de Lyubomirovka e Limany. Em Novogrigovka e Kirovo foram instaladas seções de radares de contra-bateria AN / TPQ-50 para identificarem as posições de artilharia russas.

Na noite de 19 de outubro, as FAU mais uma vez tentaram invadir as formações defensivas russas perto de Pravdino. A força de ataque era constituída de um grupo blindado composto por 3 veículos de combate de infantaria e destacamentos de reconhecimento (DRGs). No entanto, o ataque foi repelido por soldados russos do 56º Regimento de Assalto Aéreo, que destruíram dois veículos blindados com sistemas antitanques (ATGM).

https://www.poder360.com.br/europa-em-guerra/russia-diz-que-forcas-ucranianas-estao-matando-civis-em-kherson/

No setor Andreevsko-Berislavsky ,  as FAU estão restaurando a capacidade de combate das unidades após ataques malsucedidos.

Nesse contexto, o Estado-Maior da 17ª Brigada de Tanques se reuniu em Ukrainka para planejar novas ações na direção de Kherson. Imediatamente depois disso, a 1ª e a 3ª companhia de um dos batalhões foram enviadas para Chervonoe e Novogrigorovka e o restante das unidades foram transferidas para a área de Novaya Kamenka.

Devido à alta atividade da aviação russa no front de Kherson, o sistema de defesa aérea Osa do 39º Regimento de Mísseis Antiaéreos das FAU foi implantado em Zolotoy Balka e ao norte de Dudchan, além de equipes dotadas de MANPADS FIM-92 Stinger foram implantadas em Davydov Brod .

Nesse contexto, as tripulações de UAV ucranianos, como o Bayraktar TB2, estão reconhecendo as posições das Forças Armadas de RF na área de Zamozhny, Sukhanovo, Chervony Yar, Pyatikhatki e Aleksandrovka. Drones de reconhecimento ucranianos modelos Leleka-100 e Fúria estão operando ativamente na região de Aleksandrovsky.

Para completar o reagrupamento para nova ofensiva, a 60ª Brigada de Infantaria foi recompletada com 22 unidades de equipamento militar com pessoal, munição e combustível chegaram à área de Chervonoy.

No setor de Mykolaiv, as FAU continuam a transferir forças e equipamentos para assentamentos próximos à linha de contato. A fim de proteger esses hubs logísticos, as FAU implantaram dois sistemas de mísseis antiaéreos Osa nas proximidades de Luparevo e Limanov .

Blindados de artilharia autopropulsada, como o M-109A5, estão atacando ​​posições russas em Ternovye Pody , Pravdino e Aleksandrovka com suporte de reconhecimento e direção de tiro a partir de UAV.

No setor Snigirevsky , o 105º batalhão da 63ª brigada mecanizada do corpo de reserva das FAU está bombardeando posições russas ao longo da linha de contato com emprego de morteiros de 82 mm a partir de posições em Kvitnev e Kiselevka (este assentamento de grande importância tática foi retomado no final de setembro pelas forças ucranianas).

Segundo dados relatados pelo Newsfront, durante as batalhas do dia 20/10, as brigadas ucranianas tiveram cerca de 90 baixas, entre mortos e feridos.

O comando da 17ª Brigada de Tanques retirou dois grupos de assalto e os veículos blindados sobreviventes do ataque a Novaya Kamenka para Ukrainka para recompletamento com reservistas recém-chegados.

Ao mesmo tempo, as formações ucranianas continuam a se preparar para, provavelmente, uma nova ofensiva na linha Sukhanovo – Polyanka. Nas proximidades de Novogrigorovka foi implantada uma companhia combinada da 60ª e da 17ª Brigada.

Além disso, 70 soldados das 128 brigadas de assalto de montanhas separadas das FAU chegaram a Novovoskresenskoye. Os reforços, possivelmente, farão parte da iminente ofensiva no setor de Berislav.

https://twitter.com/TheStudyofWar/status/1583626480935845890/photo/1

3 – Considerações finais

Em toda a direção Mykolaiv-Kryvyi Rih, as Forças Armadas da FR estão entrincheiradas e aprofundando as linhas de defesa, o que aumenta as chances de deter novos ataques das FAU. No entanto, as FAU apesar das perdas, aparentemente ainda detêm a superioridade numérica (em torno de 60-100.000 combatentes contra aproximadamente 30.000 russos) e estão se preparando para uma grande ofensiva contra Kherson (para saber mais leia https://historiamilitaremdebate.com.br/uma-analise-sobre-o-baixo-efetivo-das-unidades-de-combate-russas-na-guerra-da-ucrania/). Provavelmente as FAU tem como objetivo tomar toda a margem direita do Rio Dnieper, degradando a capacidade das forças russas de avançar sobre Mikolayev e Krivoy Rog, objetivos militares iniciais da Rússia.

As FAU têm empregado uma rede de drones de reconhecimento ao longo do perímetro operacional de Mikolayev-Krivoy Rog e efetuam barragem de fogo de artilharia e MLRS sobre as linhas de defesa russas simultaneamente com ataques das brigadas mecanizadas.

Nestas condições, as autoridades russas da região de Kherson decidiram organizar a evacuação dos moradores para a margem esquerda do rio Dnipro, diante da iminência de uma ofensiva ucraniana naquela localidade.

Apesar das pesadas perdas, o comando das FAU não abandona suas tentativas de invadir Novaya Kakhovka e flanquear todo o agrupamento russo perto de Kherson. É por isso que as formações ucranianas estão correndo para Berislav, onde os russos continuam a deter os ataques das FAU e manter a linha de defesa após a perda de assentamentos no eixo respectivo.

https://www.thefivecoatconsultinggroup.com/the-coronavirus-crisis/uk as araine-context-d15

A Ucrânia reuniu grandes forças para esta seção da frente – a 128ª Brigada de Montanha, 17ª Brigada de Tanques, 60ª Brigada de Infantaria e 28ª Brigada Mecanizada, bem como grupos móveis do 140º Regimento, os quais têm dezenas de milhares de soldados e centenas de veículos blindados fornecidos por países da OTAN (para saber mais leia https://historiamilitaremdebate.com.br/a-ofensiva-ucraniana-em-kherson/).

Do lado russo, unidades aerotransportadas russas, incluindo a 83ª Brigada de Assalto Aerotransportada de Guardas Separada, a 126ª Brigada de Defesa Costeira e outras unidades das Forças Armadas Russas estão desdobradas nas linhas de defesa, apoiadas por sistemas de artilharia, ATGM, MLRS e aviação tática (principalmente caças Su-25SM2 e helicópteros de ataque Ka-52).

Os combates na região de Kherson têm grades chances de se tornarem os mais sangrentos desde o início da operação militar russa na Ucrânia, tendo em vista a região ser considerada de alta importância estratégica para a Federação Russa na operação militar especial na Ucrânia.

Fontes consultadas:


[1] Delegado de Polícia, historiador, pesquisador de temas ligados a conflitos armados e geopolítica, Mestre em Segurança Pública

[2] Mestre e Doutor em História Comparada pelo Programa de Pós-Graduação em História Comparada (PPGHC) da UFRJ, professor-colaborador e do Programa de Pós-Graduação em História Militar Brasileira (PPGHMB – lato sensu), da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro/UNIRIO e Editor-chefe do site História Militar em Debate e da Revista Brasileira de História Militar. Website: https://historiamilitaremdebate.com.br

- Advertisement -

121 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

121 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Ao que tudo indica Kherson será uma das batalhas e não a decisiva.

Matusa
Matusa
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Exato.
E impressiona a quantidade de perdas que os ucranianos estão tendo.
E continuam mandando mais tropas e equipamentos para lá.
Na verdade, a Ucrânia está correndo contra o tempo, tentando conquistar o que der antes da chegada dos reforços russos que, certamente, vão avançar.

Matusa
Matusa
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Alguns analistas estão considerando a possibilidade de uma situação parecida com a de Kharkov, onde os russos tomaram ‘um drible’, reforçando Kherson e desguarnecendo Kharkov.
Mas, de qualquer maneira, a chegada de 300 mil novos soldados deve favorecer bastante as operações russas, inclusive com operações mais extensas de flanqueamento, em vez de bater de frente com cada fortificação inimiga, o que atrasa muito o avanco

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Vai flanquear por onde? a linha de contato inteira ta fortificada…

Matusa
Matusa
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Como todas as operações de flanqueamento.
Explora o ponto fraco da linha e avança pela retaguarda do inimigo.
Exemplo.
O que os soviéticos fizeram em Stalingrado.
Atacaram os flancos guarnecidos por romenos, húngaros e italianos e cercaram os alemães.
É uma tática relativamente conhecida.
Na verdade, bem antiga.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

A Alemanha Nazista não tinha satélites, awacs, radares e, principalmente, drones na época da batalha de Stalingrado. A Ucrânia tem informações de todo o campo de batalha. Os ucranianos devem saber até o momento que os generais russos sentam no vaso sanitário para fazer as necessidades fisiológicas. A consciência do campo de batalha é uma enorme vantagem para os ucranianos.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Acabei de falar que a linha de contato inteira e fortificada e não só isso, vigiada…

Matusa
Matusa
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Vc fala o que quiser.
Os russos já furaram essa linha diversas vezes e conquistaram quase 20% do território inimigo.
E isso com 100 mil homens.
Agora, com 400 mil, será bem mais fácil.
Tempos sombrios se aproximam da Ucrânia.

RPiletri
RPiletri
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Rapaz… tu considera esses 300mil no mesmo nível dos anteriores 100mil… tá de brincadeira, só pode… olhando as porcarias de equipamentos individuais que o grosso da tropa está recebendo, percebesse que a situação é tão precária, mas tão precária que isso que tu escreve não passa de ladainha.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Furaram sim, tão até nas bordas de Izyum e Kharkiv… não pera…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Já lhe disse, não são soldados, são civis mal equipados para a guerra mas bem equipados para o paintball…

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Não ofende a galera do Paintball, ja vi muito jogador de Paintball e Airsoft com equipamento bem melhor do que os Russos tem a disposição

Matusa
Matusa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Com relação a isso, o Coronel McGregor foi claro.
Os EUA gastaram bilhões e levaram anos treinando o Exército ucraniano que era o maior da Europa (exceto Rússia).
Esse contingente foi dizimado pelos russos e a Ucrânia teve e continua tendo de apelar para mobilizações gerais (se não me engano já está na quarta) e treinamento às pressas de reservistas, como estamos presenciando.
Desta forma, as estimativas de perdas ucranianas aqui apresentadas são factíveis ( pela necessidade de reposição constante).
Estão usando cada vez mais civis com treinamento básico.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Pelo menos já não tenta desviar o assunto. Já procura justificar a situação.

Mas se as forças Ucranianas foram dizimadas o que aconteceu com as tropas Russas?
Se tinham um exército de milhões, como muitas vezes lembrou, para que serve o recrutamento obrigatório e não só de reservistas?

Lutam contra civis mal treinados e mesmo assim não conseguem avançar? Há aí qualquer coisa que não bate certo com a realidade…

Matusa
Matusa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

As tropas russas, como extensamente reportado, inclusive pelos autores acima, estão na casa de 100 mil soldados.
McGregor considera que menos de 20% dos efetivos russos estão ativos e muitos deles nos serviços de aviação e artilharia.
O grosso das F.A. russas estão no aguardo de qualquer atividade da OTAN.

Bruno
Bruno
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Numa postagem você fala na casa dos 100mil..no outro que são 170mil… Decide ai o que quer da vida lunático!

Matusa
Matusa
Reply to  Bruno
1 mês atrás

Eu achava que eram 170 mil, mas li aqui, se não me engano desses autores acima, que eram cerca de 100 mil efetivos.

Underground
Underground
Reply to  Bruno
1 mês atrás

A diferença de 70 mil bate com o número estimado de 64 mil soldados russos mortos.

Matusa
Matusa
Reply to  Underground
1 mês atrás

Não.
Bate com os 70 mil de DPR e LPR.

Gilson Elano
Gilson Elano
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Esse efetivo russos, encarar de frente as melhores tropas da OTAN?
Essa parada pra OTAN vai ser mais mole que papa.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Mais uma vez, concorda comigo. Mas explique novamente a necessidade de fazer o recrutamento obrigatório, para uma zona de guerra, de civis não treinados?

É porque estão de prevenção para qualquer invasão? Somente isso? E porque não fazer o contrário? Colocarem alguns recrutas a vigiarem as fronteiras e os soldados treinados na guerra? Pelo menos parte deles.

Ou será que os números reais de soldados Russos foram aldrabados e não têm a capacidade de manterem este conflito?

George
George
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Uma postagem você fala que agora são 300 mil. Agora você vem com 100 mil. Isso que dá ficar chutando número. É tanta mentira que nem lembra qual foi a última delas.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Pelo amor do Senhor Todo Poderoso, posta a fonte.

Minsc
Minsc
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Engraçado.. a Rússia esta na mesma situação então Kings..300 mil recrutas mal treinados e mal armados

George
George
Reply to  Matusa
1 mês atrás

O segundo maior exército na Ucrânia (o do Putin) não tem muita saída. Não tem armas de qualidade e nem quantidade. Melhor fazer aquele avanço para trás onde todos se salvam.

Alois
Alois
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Mas quem está buscando reservistas, 300 mil, são os Russos, que segundo relatos da própria imprensa Russa não tem uniformes ou equipamento para todos, lembro ainda que estes civis de uniforme vão enfrentar o inverno que naquelas regiões não é fácil.
Lembto ainda que os Ucranianos lutam por suas terras, seu país enquanto os russos, bem……quero ver quantos vão se render nos primeiros dias.
O Ucraniano agora com esses meses de guerra, novos equipamentos, muitos milhares em treinamento em países do ocidente, estão se tornando soldados muito ” cascudos”

Matusa
Matusa
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os ucranianos ‘recrutam’ novos soldados nas ruas.
Pegando incautos.
Os mais sortudos conseguem correr e fugir.
Morrem aos milhares.

t.me/boris_rozhin/68350

Corre ucraniano!
Corre para não morrer.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Será esse um bom argumento? Não lhe vai sair o tiro pela culatra?

George
George
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Moedor de carne. Tenho pena desses 300 mil que não passam de 220 mil.

mac
mac
Reply to  Matusa
1 mês atrás

“Mas, de qualquer maneira, a chegada de 300 mil novos soldados deve favorecer bastante as operações russas, inclusive com operações mais extensas de flanqueamento…”
Os russos perderam quase todas as forças mais experimentadas e algumas formações de elite dizimadas, mas quem vai fazer a diferença contra os ucranianos será um bando de conscritos que não vai chegar no número planejado e não está recebendo nem uniforme, mas que serão apoiados por vetustos tanques T-62 e T-55.
Então tá.

Last edited 1 mês atrás by mac
Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Eu concordaria contigo caso a Russia estivesse realmente tentando montar uma reserva de conscritos treinados para serem enviados para o fronte. Isso demoraria de 3 a 6 meses no minimo. Ou seja, se esses caras receberem o minimo de treinamento eles iriam estar prontos em dezembro. Mas a Russia não ta fazendo isso, tem muito relato, muito vídeo e muita imagem que mostra homens recém conscritos que forma imediatamente para a linha de frente depois de 3 dias. ao que parece esse pessoal ta sendo usado para preencher buracos na linha defensiva Russa. Essa ação russa torna impossível reunir e… Read more »

George
George
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Parabéns 🍾 Xings! Oito meses da guerra de três dias!

Léo Neves
Léo Neves
1 mês atrás

Eu imagino o quanto de minas terrestres os russos estão espalhando nessa região para impedir o avanço da Ucrânia. Quanto mais o tempo passar pior vai ser para a Ucrânia avançar.

Ícaro
Ícaro
Reply to  Léo Neves
1 mês atrás

Você tinha que observar o número de peças de artilharia que estão nesse momento naquela região, esse vai ser o diferencial.

Donald
1 mês atrás

Que os Orcs tenha muitas sementes de girassol no bolso.

Ícaro
Ícaro
Reply to  Donald
1 mês atrás

Parece torcida de futebol cara.

Monarquista
Monarquista
Reply to  Ícaro
1 mês atrás

Como não torcer para o país democratico invadido covardemente pela potência ditatorial?

George
George
Reply to  Ícaro
1 mês atrás

Como é bom torcer pela democracia sobre a opressão. Agora volta lá para o site do campeonato brasileiro (esse tipo de torcida que não leva a nada)

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  George
1 mês atrás

Apoio popular em países democráticos leva muito mais do que você pensa.

Matusa
Matusa
1 mês atrás

Os textos desta dupla de mestres são, de longe, os melhores apresentados sobre esse conflito.
Parabéns.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Muito se fala de Kherson (com razão) e alguns inclusive ainda dizem que a Ucrânia ta tendo perdas “pesadas” na região apesar da informação que sei de la ser bem pequena de ambos os lados.

Oque acho engraçado é que pouco se fala sobre Bakhmut. a mais de 2 meses forças Russas, Wagner, DPR e LPR lançam assaltos diários na região contra as posições defensivas da Ucrânia. Fica difícil se quer imaginar o quanto de perdas eles devem ter sofrido.

Plínio Jr
Plínio Jr
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

No momento não existe ofensiva de nenhum dos lados, somente missões de reconhecimento para testar as defesas de ambos os lados… O ataque principal deve ocorrer nos próximos dias e os Ucranianos não querem perder a iniciativa…tem mais homens e equipamentos na região …

George
George
Reply to  Plínio Jr
1 mês atrás

Ao contrário. Lá em Barmuth a coisa está bem seria mesmo. É conflito mano a mano todo dia.

Matusa
Matusa
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Em Bakhmut os ucranianos sofreram derrotas e tiveram de recuar.
Wagner tomou, Ivangrad, Zaitsevo e Odradvika.
Analistas militares consideram que a queda de Bakhmut se tornará uma nova Popasnaya.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Matusa
1 mês atrás

E hoje foram os Russos a recuar…

Heinz
Heinz
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os russos recuaram 5kms, naquela região isso é muito, o que eles demoraram 2 meses para avançar, os ucranianos avançaram em 2 dias.
Os Wagneritas estão atordoados, não é atoa que o chefe deles está indo em presídios para recrutar criminosos para sua “empresa”.

George
George
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Faz tres meses que o pessoal do Vagner tenta romper a linha de defesa na cidade e não consegue. Estou falando de soldados em tese profissionais tentando conquistar uma pequena cidade defendida por voluntários. Queria ver se fosse Berlim.

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Alguém, ao ler este texto, percebeu que os Ucranianos avançaram em vários locais, libertando dezenas de aldeias?
Sem falar nos ataques às pontes e locais de armazenamento.

E parece que não há baixas do lado Russo, nem blindados, nem helis, etc…

Zoe
Zoe
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Acredito que a intenção deste texto foi dar um parecer exclusivo das tropas Ucranianas, sem se preocupar em citar as perdas russas.

Não creio que a falta de informação das perdas russas tenha sido por “torcida” dos autores, mas sim por não ser objetivo do texto.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Zoe
1 mês atrás

Talvez mas não é muito diferente dos textos anteriores…

Recomendo uma live no Base Militar video magazine com os autores e tire as suas conclusões. A torcida pende sempre para o mesmo lado…

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Faz as análises com pior fundamento nesse site, fala como se tivesse um mínimo de preparo técnico e traz conclusões vergonhosas.

Óbvio que há perdas russas, mas no ambito do atacante há mais perdas pela característica aberta do terreno é mais fácil de ser identificado e suprimido por linhas de defesa de artilharia.

As perdas da Ucrânia são maiores aí por isso.

Você fala de torcida mas é o mais torcedor aqui desse site junto com o Kings e Wellington Jr. Antes de apontar o dedo, olha para o espelho..

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Antes de mais, cresça e apareça. São pessoas como o senhor que só sabem insultar as pessoas que baixam o nível. Nem os mais alucinados fazem isso. Obviamente que tenho uma torcida. Alguma vez neguei isso? O problema são os “imparciais”. Desconfio sempre destes. É como os políticos que se dizem honestos… Mas se só tem uma única frase sobre a ofensiva Ucraniana e o resto do texto sobre as perdas Ucranianas e nenhuma referência às perdas Russas, muito melhor documentadas e acessíveis, isto diz-nos alguma coisa sobre a “imparcialidade”. Nunca há nenhum mérito nas ações Ucranianas segundo os autores.… Read more »

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Quem não merece respeito nesse fórum é você. Fui aluno do Professor Ricardo na ECEME , profissional gabaritado, estudioso e um sujeito prepotente e que não entende absolutamente nada de questões militares vir desprestigiar o artigo como “torcida” quando traz análises técnicas do teatro de operações mostra como a internet deu voz também a despreparados. Tenha humildade você, que diariamente vem aqui com comentários mal embasados e ainda querendo confrontar os outros.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Carteirada aqui não impressiona ninguém. tem muito “formado” e “capacitado” que adora falar besteira (não estou falando especificamente do autor desse texto, mas exemplo de “especialistas” falando abobrinha existe em toneladas) no começo ele comenta informações vindas do Rybar que é pro Russo (relativamente imparcial, mas ainda é pro Russo) No final do texto tem essas informações: “Nestas condições, as autoridades russas da região de Kherson decidiram organizar a evacuação dos moradores para a margem esquerda do rio Dnipro, diante da iminência de uma ofensiva ucraniana naquela localidade. Apesar das pesadas perdas, o comando das FAU não abandona suas tentativas… Read more »

Jubert
Jubert
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Inicialmente eu elogiar o autor do artigo pelo fato de conhece-lo não é carteirada, mas uma constatação. Refutar comentários mal embasados sobre quem não entende uma justiça com os pesquisadores – autores. Sobre o conteúdo, é factual, você pegar uma palavra como “autoridades russas” e daí validar como pró Rússia é fazer uma contextualização totalmente forçada. O Rybar como fonte é usado até pelo ISW e outros think tanks ocidentais, Inclusive pelo que li foi colocado em lista negra do MD da Rússia por expor as mazelas das tropas russas no campo de batalha. Quer criticar os autores, faça melhor… Read more »

Jubert
Jubert
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Sobre pesadas baixas ucranianas, até inúmeros veículos ocidentais abordam, inúmeras fontes, basta pesquisar, face a natureza do teatro de operações, cheio de artilharia. Ficar nessa negação para validar sentimento de torcedor não cabe no mundo real, é até infantilidade.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Não sou eu que ando a confrontar os outros…

E se fosse um bom aluno saberia contra argumentar em vez de insultar as outras pessoas.

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Faça uma autocritica sobre quem insulta e debocha da opinião dos outros diariamente nesse fórum.

Jubert
Jubert
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

“Entre 23-25 de setembro, as FAU, aproveitando as lacunas existentes nos flancos das linhas de defesa russa, lançaram uma ofensiva à margem esquerda do reservatório de Nova Kakhovka, na direção de Berislav e a sudeste de Krivoy Rog. Os ucranianos conseguiram romper as posições avançadas das linhas de defesa das forças russas (que mantinham fortificações com no máximo 20 combatentes por km) e recapturaram em torno de 960 km2 de terreno.” Para piorar tem dificuldade de leitura e assimilação. Há meses polui esse site com os comentários mais despreparados… A Rússia tem graves problemas de C4I bem abordados nos artigos… Read more »

Wellington Jr
Wellington Jr
Reply to  Jubert
1 mês atrás

Resumindo a doutrina russa está presa em 1944. Não precisa tentar pagar de sabido pra dizer o óbvio!

George
George
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Se o Chings elogiou então sabemos para que lado é o texto.

Jubert
Jubert
Reply to  George
1 mês atrás

Caramba, é uma conclusão típica de quem sequer leu ou tem capacidade mínima de pesquisa e análise. Conheço o Professor Ricardo, estudioso no assunto, de alto nível e ler um comentário ignorante como esse mostra como a estupidez e ignorância reinam na internet.

Hcosta
Hcosta
1 mês atrás

Até que ponto a conquista da cidade de Kherson e a margem direita é importante para a campanha militar Ucraniana? Tenho as minhas dúvidas que deva ser a prioridade. Talvez seja mais útil manter a zona cercada, talvez reduzir o perímetro e continuar a desgastar com bombardeios as forças Russas. Assim permitia a fixação de um número considerável de tropas Russas nesta região que lhes é muito desfavorável em termos logísticos e aproveitaria para reforçar ou começar uma nova ofensiva Ucraniana em outro local. Margem esquerda, Bakhmut, Luhansk, etc… E, ao conquistar Kherson, os Russos recuarão para a margem esquerda… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

A Rússia está com dificuldade para recuar suas tropas de Kherson. 1) O Rio Dnipro tem cerca de um quilômetro de largura e as forças russas precisam de pontes. 2) A Ponte Antonovsky, a principal ponte veicular da região, foi parcialmente destruída pela campanha de interdição de fogo de longo alcance na Ucrânia. 3) Os russos construíram uma ponte flutuante adjacente à ponte Antonovsky, mas essa nova ponte esta ao alcance do fogo guiado ucraniano. Ou seja, não há garantia nenhuma de que as forças russas na margem ocidental sejam capazes de evacuar todos os sistemas de armas.
https://www.19fortyfive.com/2022/10/putin-has-a-new-ukraine-problem-his-forces-cant-retreat/

Hcosta
Hcosta
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Sim, é essa a razão por referir que estão numa situação desfavorável em termos logísticos. São três pontes, essa rodoviária e com uma ponte improvisada que já foi atacada, uma ferroviária e a hidroelétrica com ferrovia e rodoviária, com um aterro e pontes de engenharia.

Mas talvez seja por isso que foi ordenada a evacuação de civis. Para servirem de escudos humanos…
Mas mesmo assim, provavelmente, a Rússia vai perder muito equipamento pesado.

Underground
Underground
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Conquistando Kherson, dá para fechar a passagem de água para a Criméia.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Underground
1 mês atrás

A província, não a cidade.
A capital está na margem direita e o canal na margem esquerda, junto à hidroelétrica.

Rafael
Rafael
1 mês atrás

Uma breve comparação entre a “Linha Wagner” com a Linha Siegfried.

Como todo brasileiro que se preza sabe, tudo que envolva cimento é facilmente fraudado em sua composição. Cleptocracias não se tornam honestas durante guerras ou quaisquer crises sociais.

33687C88-31A4-4CC5-8DDA-0AAEF6F70796.jpeg
dfa
dfa
1 mês atrás

Segundo o autor do texto, só os Ucranianos é que sofreram baixas…

Os Ucranianos estão a correr para estabilizar o flanco sul tentando reconquistar todo o território a norte do rio de modo a obter melhores posições defensivas, antes que o inverno chegue.

Nickless
Nickless
1 mês atrás

O que eu acho mais “impressionante” disso tudo é que segundo os “analistas” e “especialistas” propagandeavam que o exercito ucraniano já estava destruído antes mesmo de começar a contra ofensiva.

Obs. aqueles reforços russos podem ser qualquer coisa menos soldados. praticamente sem nenhum treinamento indo pro moedor de carne morrer pro putin ganhar tempo.

Gilson Elano
Gilson Elano
1 mês atrás

Se os ucranianos tivessem uma aviação eficiente, com armamento inteligente, os assaltantes russos, seriam destroçados.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Gilson Elano
1 mês atrás

Cada coisa a seu tempo. As defesas antiaéreas ucranianas estão passando por um up grade com a entrada de sistemas modernos como o Iris-T, cuja primeira unidade já está operacional, e do Nasams, com previsão de entrada em operação antes da chegada no inverno. Esses sistemas vão fechar os céus ucranianos para os russos. A partir daí virão os F-16, cujos pilotos ucranianos já estariam sendo treinados nos EUA. O F-16, que é um avião de combate multifuncional, está disponível em grande quantidade e seus sistemas de armas são modernos, eficientes e letais.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Todos o equipamentos da OTAN que entram em solo ucraniano são destruídos posteriormente. Principalmente de defesa antiaérea.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Fonte: Twilight Zone russa.

Mgtow
Mgtow
Reply to  Gilson Elano
1 mês atrás

A marinha e força aérea ucraniana foram destroçadas nas primeiras 48h após o início das hostilidades em fevereiro.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Curioso. Não parece que isso tenha acontecido do jeito que você descreve. Os aviões de combate russos não dominaram os céus da Ucrânia até agora, havendo notícias de abates e quedaa constantes. A frota russa no Mar Negro se afastou da costa depois da instalação das baterias de mísseis Harpoon. Mas o melhor foi saber que o poderoso Moskva foi a pique depois de ser atingido por dois mísseis Neptune, de fabricação ucraniana. Vida dura para os poderosos russos …

Andre
Andre
1 mês atrás

Interessante que somente os ucranianos tiveram perdas nesses combates.

Apesar do viés pro-russia do analista que chamou os ucranianos de inimigos em outro artigo, o todo poderoso exército russo segue acuado, apenas se defendendo.

E ao contrário do que o Da Lua afirmou, os Bayraktar seguem operando

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Finalmente um artigo sobre a situação na região de Kerson. O general Sergey Surovikin, codinome General Armagedon, o novo comandante geral das forças russas na Ucrânia, veio a público dizer que a situação (em Kerson) não parece boa. “Tomada como um todo, a situação na zona da operação militar especial pode ser caracterizada como tensa. O inimigo aproveita todas as oportunidades para atacar as forças russas, principalmente nas áreas de Kupyansk, Krasnyi Lyman, Mykolaiv e Krivy Rih”, disse o general Surovikin.
https://www.19fortyfive.com/2022/10/putins-ukraine-nightmare-just-keeps-getting-worse/

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os militares ucranianos derrubaram dois helicópteros de ataque russos Ka-52 na região de Kherson no espaço de 30 minutos. “Em 24 de outubro, das 13h às 13h30, unidades das brigadas de mísseis antiaéreos Odesa e Kherson do Comando Aéreo Sul da Força Aérea abateram dois helicópteros de ataque Ka-52 no distrito de Beryslav, na região de Kherson. ”
https://www.ukrinform.net/rubric-ato/3600061-ukrainian-forces-shoot-down-two-russian-helicopters-in-just-30-minutes.html

Hcosta
Hcosta
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

E parece que não aprendem.
Tem notícias de mais um Ka-52 abatido nessa área.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Os defensores ucranianos na região de Kherson derrubaram nesta noite um helicóptero de ataque russo Ka-52, o terceiro desde o início do dia.
https://www.ukrinform.net/rubric-ato/3600285-third-russian-helicopter-downed-in-ukraine-in-one-day.html

George
George
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Eu chuto que até o fim do ano a Rússia não terá mais Ka-52 no seu inventário.

Felipe
Felipe
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Fonte ucraniana, super confiável.

Rogério
Rogério
Reply to  Felipe
1 mês atrás

mais confiavel que as fontes russas, alias de acordo com elas o exercito ucraniano esta colapsado, kkkkkkkkkkkk

George
George
Reply to  Felipe
1 mês atrás

A RIA Novosti também divulgou.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Fonte ucraniana tão confiável quanto fonte russa.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

As fontes Ucranianas no plural vs a fonte Russa no singular.
Isso faz toda a diferença.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Chama o Alexandre de Moraes então.

Underground
Underground
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Bielorrússia doou 90 blindados para a Rússia.
Agora se sabe o motivo: semanas atrás os russos perderam 100 tanques em três dias.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Os militares ucranianos libertaram mais de 90 assentamentos na região de Kherson do exército russo. “Na região de Kherson, as Forças de Defesa do Sul libertaram mais de 90 assentamentos que abrigam mais de 12.000 pessoas vivas”.
https://www.ukrinform.net/rubric-ato/3599926-ukrainian-forces-retake-more-than-90-settlements-in-kherson-region.html

360_240_1664922796-691.jpg
Mgtow
Mgtow
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Kkkkkkk
As doses de olavismo foram fortes hein meu caro. Uma poderosa realidade paralela tomou conta de ti.
Se te faz bem, vai firme

Marcelo
Marcelo
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Eu só escrevo e discuto conteúdo de fontes. Só me amparo em material escrito publicado por alguém envolvido no assunto ou conhecedor dele. Todas as minhas postagens tem algum link ou foto. Não fico com blá blá blá …

Andre
Andre
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Mais provável que você viva em uma realidade paralela. Pelo visto estou na mesma realidade do Marcelo, onde os outrora segunda maior potência militar seguem avançando exclusivamente para trás nos últimos 3 meses, dependem de tanques enviados pela Bielorussia, drones enviados pelo Irã e munição de artilharia enviada pela Coréia do Norte.

Talvez ai na sua realidade o Putin tenha tomado Kiev em duas semanas e tenha atacado a Suécia e a Finlândia, conforme ele havia ameaçado.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Pela primeira vez em quase 80 anos A 101a Divisão Aerotransportada do Exército dos EUA (The 101st Airborne Division of the US Army) foi enviada para a Europa. Essa força de infantaria leve, chamada de “Screaming Eagles”, é treinada para chegar a qualquer campo de batalha em poucas horas e estar preparada para entrar em combate. A 101 está treinando para uma potencial guerra com a Rússia na Romênia, a poucos quilômetros da fronteira com a Ucrânia. Parece uma clara demonstração de força. Está explicado porque o Sergei Shoigu ligou para o Lloyd Austin no dia 21 de outubro.
https://www.google.com/amp/s/eurasiantimes.com/1st-time-in-80-years-us-army-deploys-its-screaming-eagles-ukraine/

Oráculo
Oráculo
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Eles estavam treinando aqui no Brasil esses tempos.
E nossos militares foram pra lá também.

Segundo consta o nível profissional dos caras da 101st beira a perfeição.

Se a OTAN de fato entrar na guerra, o que espero que não ocorra, eles serão a ponta de lança do ataque.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Oráculo
1 mês atrás

Chamou a minha atenção a presença da 101a na Romênia, tão perto da fronteira com a Ucrânia.

Nilo
Nilo
1 mês atrás

Mobilizado centenas de milhares de homens a Ucrânia esta utilizando essas tropas para sobrecarregar as fracas formações das força da Rússia, uma força econômica, não só em numero de soldados como de equipamentos. Os ucranianos vem maximizando uso de armas, tendo em campo uma vantagem expressiva de homens comparativamente as força russa. Se aos russos no primeiro momento se fez necessário o recuo para polpar vidas dos soldados, refeitos, agora é reorganizados, resiste ao máximo, provocando o maior número de baixas pelo lado ucraniano, mas se necessesário recuar. Linhas de retaguardas estão sendo reabastecidas, inclusive com grande numeros de homens… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Hcosta
Hcosta
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Eu tenho em maior consideração os militares Russos. Acha que se tivessem essa capacidade de atacar as linhas de abastecimento já não teriam feito?
E duvido muito que isso seja possível.

E, graças aos Russos, as forças Ucranianas estão com mais equipamentos do que nunca. Talvez um efeito secundário de enviar recrutas para a frente de combate…

Antunes 1980
Antunes 1980
1 mês atrás

Impressionante como a Ucrânia e a Rússia “empacaram “ nestes territórios a mais de 3 meses.
Se a Rússia não enviar um efetivo muito maior, ficará assim.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Notícia do The Guardian de 25/10/2022 – O controle da Rússia sobre a cidade de Kherson parece cada vez mais frágil. As forças russas pareciam estar se preparando para se retirar da margem leste do rio Dnieper, ordenando uma nova evacuação de civis e preparando o terreno para a potencial perda da própria cidade de Kherson. Todos os civis foram obrigados a evacuar imediatamente no fim de semana em face do avanço da contra-ofensiva ucraniana.
https://www.theguardian.com/world/2022/oct/25/russia-ukraine-war-latest-what-we-know-on-day-244-of-the-invasion

Nilson
Nilson
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Tenho pensado que esta evacuação é para reduzir o número de bocas no lado oeste do Dnieper, durante o inverno. Os russos enfrentam grandes dificuldades logísticas para abastecer a cidade de Kherson e a região,então vão priorizar abastecimento para os combatentes. Não tenho visto essa evacuação como preparação para um recuo, mas preparação para passar o inverno com poucos suprimentos. Ou seja, por esta visão os russos vão defender cada palmo de terreno tenazmente, não será fácil para os ucranianos retomarem essa região.

Zezão
Zezão
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Há relatos de que Putin ordenou que o exército resista em Kherson, inclusive existem notícias de que eles estão enviando mais soldados pra reforçarem as posições defensivas… No entanto, é uma batalha perdida para os russos, cedo ou tarde os ucranianos irão vencer por causa da dificuldade logística de cruzar o rio Dnipro. Ademais, os ucranianos contam com a simpatia da população local que poderá denunciar os locais onde os russos estão escondidos, pois nem todos os moradores optaram em sair da região. Enfim, a grande pergunta que fica é: uma vez que os russos estejam completamente cercados em Kherson,… Read more »

Oráculo
Oráculo
Reply to  Zezão
1 mês atrás

Muito foi comentado sobre a importância estratégica dessa região “entre rios” que vai de Kherson a Mykolaiv. Duas cidades localizadas as margens dos dois maiores rios da Ucrânia. Basta olha para o mapa para entender os motivos. Se os russos dominassem essa região, ficariam a menos de 120km de distância de um ataque a Odessa e dominariam todo litoral ucraniano, o que era o plano original de Putin. Já os Ucranianos sabem que se expulsarem os russos pro outro lado do Dnipro, não vão mais se incomodar com Russos “do lado de cá” do rio tão cedo e poderão concentrar… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Oráculo
Nilson
Nilson
Reply to  Zezão
1 mês atrás

As unidades russas enviadas para a frente de Kherson são consideradas de ótima qualidade, o que explica a dificuldade que os ucranianos estão tendo nessa contra-ofensiva, que vem desde agosto. Imagino que a nata dessas unidades não vai se render facilmente, podem resistir alguns meses cercados na cidade de Kherson, devem estar estocando suprimentos lá. Fico a imaginar que os ucranianos conseguirão empurrar os russos para Kherson, que virará um misto de Leningrado (longo cerco) com Dunquerque (uma retirada posterior pelo rio). Invadir a cidade em si seria muito custoso para os ucranianos em baixas, acho que optarão por cercar.… Read more »

sub urbano
sub urbano
1 mês atrás

A Ucrania pode perder metade do territorio e duzentos mil homens, e a imprensa ocidental pode transformar isso numa vitória e as pessoas vão acreditar. Até aqui, tem leitor de um site militar que acredita que a Ucrania está vencendo. esse é o poder da imprensa ocidental. Não precisa ir longe, dia 30 estão aí tirando um presidente, de novo kkkk

Nickless
Nickless
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Só pessoas com a mente muito limitada acha que uma guerra se resume apenas em operações militares.

Marcelo
Marcelo
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Imaginação nota dez. Embasamento da informação nota zero. Veracidade nota zero. Capacidade de convencimento nota zero. Xiii …

Marcelo
Marcelo
Reply to  sub urbano
1 mês atrás

Não é questão de acreditar, mas de analisar o conjunto da situação. As fontes indicam que a Rússia está passando um tremendo apuro no conflito militar com a Ucrânia.

Tomcat4,4
1 mês atrás

Apenas se lembrem que os russo estão guardando a nata dos equipamentos pra caso venham a peitar diretamente a Otan, mesmo considerando tantas perdas de meios e afins, ali estão ,na sua maioria, veículos, tanques, blindados mais antigos e creio que esta faixa rosa a qual está sob domínio russo, não volta mais pra Ucrânia não, vão defender ali com tudo e sabe lá se não resolvem avançar pra dentro do país com uma frente tbm vindo a partir da Bielorrússia.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Desculpa, mas não há sinais de que os russos estejam guardando equipamentos para um confronto com a OTAN. Pelo contrário, há claros sinais de que estão faltando equipamentos russos para uso no campo de batalha da Ucrânia nesse exato momento. Falta tudo: faltam mísseis de longo alcance, faltam sistemas antiaéreos, faltam aviões de combate, faltam drones, faltam munições, faltam uniformes para o inverno, faltam soldados, etc. A coisa está bem complicada para os russos.

Tomcat4,4
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Concordo contigo mas, faltar na linha de frente na Ucrânia justifica ainda mais o estarem reservando meios e afins para uma possível escalada, ainda mais já tendo dominado toda a extensão mostrada no mapa da matéria, que creio eu ser o verdadeiro objetivo em detrimento da conquista de toda a Ucrânia. Outro ponto que derruba sua observação é que se não houvesse equipamentos etc. não teria como equipar os milhares que estão recrutando. A questão, creio eu, pode ser mais a dificuldade logística de entrega de suprimentos do que a não existência dos mesmos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Mas a Rússia está mandando para os territórios iligalmente ocupados na Ucrânia 220 mil recrutas com menos de 2 meses de treinamento militar, com rifles velhos e com tanques T-62 “modernizados”. Esses pobres infelizes vão ser dizimados pelos ucranianos.

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Rogério
Rogério
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

Por isso a Russia esta a reformar os T-62 e comprando tanque da Bielorrussia?

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

The Washington Post – 25/10/2022 – As forças ucranianas continuam avançando na região de Kherson, no sul. Os combatentes ucranianos conseguiram repelir os mercenários russos de Bakhmut, no leste de Donetsk. As tropas ucranianas ganharam novo impulso em Luhansk, onde tomaram uma estrada importante entre Kreminna e Svatove.
https://www.washingtonpost.com/world/2022/10/25/bakhmut-kherson-ukraine-war-russia/

Neural
Neural
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Pelo que li no southfront Ucrânia está doida para arrebentar uma hidroelétrica da região, isso inundaria boa parte da região de Kherson, mas os Rússia vem defendendo a hidrelétrica muito bem. Mandaram dois Mi-8 com forças de sabotagem, foram derrubados, e os mísseis do HIMARS vivem caindo por lá. Aparentemente acabou o estoque de Tochka-U

Marcelo
Marcelo
Reply to  Neural
1 mês atrás

Pelo que li é justamente o contrário. Quem está colocando explosivos na barragem da hidrelétrica de Kakhovka são os russos. Uma clássica tática soviética da Segunda Guerra Mundial.
https://www.google.com/amp/s/www.businessinsider.com/zelenskyy-russia-plans-blow-up-dam-soviet-wwii-tactic-2022-10%3famp

Mateus Gonçalo
Mateus Gonçalo
1 mês atrás

Tou gostando de ver muito cara se tornar em gente mais humilde.
Ucrânia sendo demolida e engolida pela Rússia e ninguém impedindo.
De resto, mestre Putin vai cilindrar nas próximas semanas pois EUA entrará em crise, UE idem…

Varouk Vastofaris
Varouk Vastofaris
1 mês atrás

Só não vê quem não quer.
É o fim da Ucrânia

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Rússia e Ucrânia se preparam para travar a ‘mais pesada das batalhas’ em Kherson. Há pouca informação nova disponível. Parece que o silêncio é a ordem nesse momento …
https://www.euractiv.com/section/global-europe/news/russia-ukraine-to-fight-heaviest-of-battles-in-kherson/

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

As forças russas tem vantagens na defesa de Kherson, mas os russos já mostraram tem dificuldade para maximizar as vantagens ao longo do conflito militar. Se as forças russas permanecerem firmes e ainda assim perderem Kherson, as consequências podem ser desastrosas. O coronel aposentado dos EUA Mark Cancian diz que o problema é se as linhas de defesa russas desmoronarem e eles tivrem que recuar, haverá dificuldade para retirar as tropas e os equipamentos. O risco é que eles não consigam fazer suas forças atravessarem o rio e perderem 20.000 soldados. E isso seria catastrófico.
https://inews.co.uk/news/world/battle-for-kherson-ukraine-fallujah-another-case-mind-games-1935777?ico=related_stories

Quinzinho
Quinzinho
1 mês atrás

Supondo que os ucranianos conseguissem avançar muito sobre Kherson e descartando, é claro, uma retaliação nuclear antes disso, se atreveriam a atacar a Crimeia? .

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -