Contraofensiva ucraniana gera pesadas baixas dos dois lados, afirmam autoridades britânicas

44

Ambos os lados sofrem pesadas baixas enquanto a Ucrânia contra-ataca contra a Rússia, diz avaliação do Reino Unido

A Rússia e a Ucrânia estão sofrendo um grande número de baixas militares enquanto a Ucrânia luta para desalojar as forças do Kremlin de áreas ocupadas nos estágios iniciais de sua contra-ofensiva, disseram autoridades britânicas no domingo.

As perdas russas provavelmente estão em seu nível mais alto desde o pico da batalha por Bakhmut em março, disseram oficiais militares do Reino Unido em sua avaliação regular.

De acordo com a inteligência britânica, os combates mais intensos se concentraram na província de Zaporizhzhia, no sudeste, em torno de Bakhmut e mais a oeste, na província de Donetsk, no leste da Ucrânia. Embora a atualização informasse que a Ucrânia estava na ofensiva nessas áreas e havia “feito pequenos avanços”, ela disse que as forças russas estavam conduzindo “operações defensivas relativamente eficazes” no sul da Ucrânia.

Os militares ucranianos disseram em uma atualização regular na manhã de domingo que, nas 24 horas anteriores, a Rússia realizou 43 ataques aéreos, quatro ataques com mísseis e 51 ataques de vários lançadores de foguetes. De acordo com o comunicado do Estado-Maior, a Rússia continua a concentrar os seus esforços em operações ofensivas no leste industrial da Ucrânia, concentrando ataques em torno de Bakhmut, Avdiivka, Marinka e Lyman na província de Donetsk, com 26 confrontos de combate a decorrer.

Autoridades ucranianas disseram que as forças russas também lançaram ataques aéreos em outras regiões do leste e sul do país.

Um civil foi morto e outros quatro ficaram feridos na província de Kherson como resultado dos ataques da Rússia, disse o governador regional Oleksandr Prokudin, enquanto o governador regional de Zaporizhzhia, Yurii Malashko, disse que uma pessoa ficou ferida em ataques russos que atingiram 20 assentamentos na província.

Vladimir Rogov, um funcionário da administração indicada por Moscou na região parcialmente ocupada de Zaporizhzhia, disse no domingo que as forças ucranianas assumiram o controle da vila de Piatykhatky na frente de batalha de Zaporizhzhia.

Serhiy Bratchuk, porta-voz do governo regional na província de Odesa, no sudoeste, disse que as forças ucranianas destruíram um depósito de munição “muito significativo” perto da cidade portuária ocupada pelos russos de Henichesk, na província vizinha de Kherson.

“Nossas forças armadas deram um bom golpe pela manhã”, disse Bratchuk em uma mensagem de vídeo na manhã de domingo, postada em seu canal no Telegram.

Analistas ocidentais e oficiais militares alertaram que a contraofensiva da Ucrânia para desalojar as forças do Kremlin das áreas ocupadas, usando armas avançadas fornecidas pelo Ocidente em ataques ao longo da linha de frente de 1.000 quilômetros (600 milhas), pode durar muito tempo.

Visita africana

Um grupo de líderes africanos realizou uma autointitulada “missão de paz” à Ucrânia e à Rússia nos últimos dias para tentar ajudar a acabar com a guerra de quase 16 meses, mas a visita terminou no sábado sem sinais imediatos de progresso.

Em outros desenvolvimentos:

— Volodymyr Artyukh, governador da região de Sumy, no norte da Ucrânia, que faz fronteira com a Rússia, disse que um pai e seu filho foram mortos por um bombardeio russo na vila de Bilopilya. Do outro lado da fronteira, o bombardeio ucraniano atingiu três aldeias na região russa de Kursk, disse seu governador Roman Starovoit.

  • O número de mortos em inundações após a destruição da barragem de Kakhovka aumentou para 16 em território controlado pela Ucrânia, disse o Ministério do Interior da Ucrânia no final do sábado, enquanto autoridades russas disseram que 29 pessoas morreram em territórios controlados por Moscou.

Enchentes maciças causadas pela destruição da barragem em 6 de junho devastaram cidades ao longo do baixo rio Dnieper, na província de Kherson, uma linha de frente na guerra. Rússia e Ucrânia acusam-se mutuamente de causar a violação.

  • À medida que se aproxima o prazo para todas as formações de voluntários russos assinarem contratos com o Ministério da Defesa da Rússia, amplamente visto como tendo como alvo o grupo mercenário Wagner da Rússia, o líder de Wagner e crítico regular do Kremlin, Yevgeny Prigozhin, disse no domingo que 32.000 ex-prisioneiros voltaram para casa após o término de seus contratos com Wagner na Ucrânia.

Segundo Prigozhin, 83 crimes foram cometidos por quem voltou para casa, o que ele afirmou ser “80 vezes menor” do que o número cometido por quem saiu da prisão no mesmo período sem ter servido com Wagner.

Prigozhin visitou as prisões russas para recrutar combatentes, prometendo perdão se eles sobrevivessem a uma missão de meio ano na linha de frente com Wagner. Em uma entrevista no mês passado, Prigozhin disse que recrutou 50.000 condenados, cerca de 10.000 dos quais foram mortos em Bakhmut.

FONTE: APNews

Subscribe
Notify of
guest

44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Arthur
Arthur
1 ano atrás

O que é isso? A inteligencia britânica afirmando que ucraniano não é highlander eslavo? De resto nada de novo: Rússia sofrendo pesadas baixas… Que a contraofensiva irá levar muito tempo também não é novidade: fazem 14 dias que começou e os caras não conseguem sair da terra de ninguém. Mas sinto pena do ucraniano: ele realmente acredita que será aceito na OTAN, mas Biden ontem mesmo já descartou a possibilidade. Quanto à União Europeia, menos chances ainda. Se algum dia os ucranianos cairem na real e se derem conta de que os ocidentais consideram eslavos tão inferiores quanto os latinos,… Read more »

MFB
MFB
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Vai usar quantos nicks hoje xings?

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Arthur
1 ano atrás

A realidade é uma só, a ofensiva tabajara da Ucrânia sem apoio aéreo vai facilitar as defesa Russa e corre o risco de os Russos fazerem contra ofensiva no Dombas.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

Os Ka-52 Alligator aproveitaram uma breve janela de falta de defesa antiaérea apropriada para atacar os blindados ucraniano. Essa janela está se fechando com o envio de baterias de mísseis Hawk para as frentes de batalha da contra ofensiva ucraniana. Em breve chegarão baterias de defesas aéreas de curto alcance (Short Range Air Defense -SHORAD) e aí os Ka-52 Alligator voltarão a figurar nas estatísticas de abate ucranianas.
https://en.m.wikipedia.org/wiki/Short_range_air_defense

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Quer dizer que é uma ofensiva com envio de material por etapa, primeiro perde material e vida dos soldados, depois espera pelo clima ficar ruim para enviar baterias de defesa aérea de curto alcance, aceita que dói menos amigos, no plano estratégico, cortar o acesso a Criméia até o momento FRACASSO RETUBANTE, no tático ocupou zona cinzenta.

AVISO DOS EDITORES: LEIA AS REGRAS DO BLOG.
4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais. As maiúsculas são de uso exclusivo dos editores para dar destaque às advertências nos comentários eventualmente editados ou apagados;

https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

A cx alta não tem o sentido de alterar a voz, é no sentido de dar ênfase que o pretendido pela Ucrânia não esta ocorrendo, mas na próxima eu coloco ” então.

Ten Murphy
Ten Murphy
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

Coloca em negrito, itálico ou sublinhado.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Mil vezes melhor ser uma Polônia do que uma Bielorrússia. Só ver os índices de desenvolvimento nas áreas de influência russa e as de influência ocidental.

Ciclope
Ciclope
Reply to  Nuno Taboca
11 meses atrás

O Brasil, México, Colômbia e Chile são áreas de influência ocidental, devemos estar no nível dos EUA, Inglaterra e França nê!

jose
jose
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Quanta bobagem

António Rodrigues
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Eu sou latino e ocidental, o ponto mais ocidental da Europa fica aqui no meu país, porque raios não sou ocidental, já estive em diversos países europeus e ninguém me disse isso. Agora o problema é que não temos orgulho disso, vendemos a nossa consciência para ideias que em nada nos dizem.
Percebeu?

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Era o teu sonho, não era??? Mas a Ucrânia será UE e NATO, no fim da guerra. Se não acontecer, será muito mau sinal, talvez sinal de uma guerra total, entre NATO e Rússia, mas aí, nenhum país pertencerá a nada. Quanto ao retalhanço da Ucrânia entre países da UE e Rússia, isso é o bicho papão, que os Russos lançam, mas quem pensa por si, verá facilmente, que depois da defesa que os países da UE e da NATO têm feito da Ucrânia, isso seria impossível de passar em qualquer sociedade democrática e quanto aos Ocidentais se acharem superiores… Read more »

gordo
gordo
1 ano atrás

Em tese a situação parece ter melhorado para os Russos já que até então as perdas deles eram enormes e as ucranianas dentro do aceitável. Agora já podemos saber as baixas ucranianas, basta ver as russas.

MFB
MFB
1 ano atrás

Só existe uma verdade. Isso aí vai se arrastar até um congelamento do conflito. Putin fracassou miseravelmente em seus planos jniciais, piorou a situação russa, ressuscitou a OTAN, mas a Ucrânia não vai conseguir expulsar os russos completamente.

Mais uma grande lambança para deixar uma cicatriz permanente no mundo.

Alecs
Alecs
Reply to  MFB
1 ano atrás

Eu tenho uma teoria sobre essa “ofensiva” ucraniana. Acho que estão testando os pontos fortes e fracos dos russos com essa “ofensiva”. A verdadeira ofensiva vai acontecer com mais material ocidental e, principalmente, caças. Ainda não começou pois devem estar preparando os caças e treinando os pilotos. Agora, o que conseguirem recuperar será mantido.

Ciclope
Ciclope
Reply to  Alecs
11 meses atrás

Que diferença um caça de 4 geração de origem ocidental vai fazer frente as defesas anti-aérea e aéreas russas que os caças de 4 geração em isso pela Ucrânia não fizeram?
Vai ser igualmente destruidos.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  MFB
1 ano atrás

É bem por aí mesmo. A Rússia não vai vencer essa guerra, mas a Ucrânia tbm não. Vão acabar ainda como país independente, mas com menos território, vários conflitos aqui e ali, potencial terrorismo como tanta gente sequelada pela guerra e contrabando de armas e quem sai ganahando mesmo é a OTAN e sua indústria militar que não devo sorrir tanto desde as guerras do golfo e invasão do Afeganistão.

Vitor
Vitor
1 ano atrás

O texto tem que ir direto ao ponto faz um enredo de novela mexicana …mas não fala sobre o cemitério de equipamentos ocidental nessa contra ofensiva reverso.

Jadson S. Cabral
Jadson S. Cabral
Reply to  Vitor
1 ano atrás

Falar o que todo mundo já sabe? Tem cemitério de quanto é equipamento lá. Tudo o que vai pra essa guerra é destruído. Agora, vocês russestes, sentem a necessidade de ver isso em matérias para tentar provar de que a Rússia tem toda a vantagem nesse conflito e que não tem como eles perderem

Wagner
Wagner
1 ano atrás

Análise do serviço secreto inglês está desmoralizado, no início, Câncer do Putin, chip de geladeira , 1 milhão de baixas russas, a guerra seria vencida até o fim do ano, sem mísseis,sem combustível, sem tanques, sem avião de caça, economia russa 120% de retração. Suas coletas de dados ,Tik Tok. Vamos lembrar que esse mesmo serviço inglês informou que o Talibã tomaria o Afeganistão em 24 meses, foi tomado em 15 dias. Rússia ganhou a guerra e a Otan nada pode fazer, estavam acostumado a enfrentar países mortos militarmente após décadas de Sanções. Afrobteira do Europa foi modificada em pleno… Read more »

Werner
Werner
Reply to  Wagner
1 ano atrás

Isso é a inteligência da GB,se fosse de um país do 3 mundo;muitos estariam criticando a falta de imparcialidade,estão mais para apostadores ou jornalistas militantes.Deprimente

Hank Voight
Reply to  Wagner
1 ano atrás

“Rússia ganhou a guerra e a OTAN nada pode fazer”

É isso que dá quando o sujeito se deixa levar pelas mentiras da propaganda do putinstão

Wagner
Wagner
Reply to  Hank Voight
1 ano atrás

Incidente de Pristina, Guerra Russo\Georgiana,Guerra Síria, Anexação da Crimeia, esse é o mundo real asassinatos dentro do solo europeu,esse é o mundo real, a Otan não vai fazer nada .

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Wagner
1 ano atrás

A OTAN age se for atacada, como nunca ninguém os teve no sítio, para a atacar, o OTAN ajuda como pode, quem é agredido e nunca o agressor.
Depois verás que o agressor nunca atacou países da NATO ou da UE, por isso a Ucrânia, Geórgia, Kosovo e Albânia querem entrar na NATO e na UE.
Quanto á vitória Russa na Ucrânia, só em sonhos e olha que no início, toda a gente pensava que seria um passeio Russo, mas afinal, já tiveram que recuar e jogar á defesa do território que já tinham desde 2014.

Guilherme Leite
Guilherme Leite
1 ano atrás

30.000,00 condenados altamente perigosos na sociedade russa, enquanto isso, os mais abastados fojem do país para se livrarem da guerra.

Tudo para um mafioso tomar mais terras, o mundo é um lixo mesmo.

naval762
naval762
1 ano atrás

Novidade, baixas são comuns em uma guerra. Conte-me outra “inteligência britânica”.

Pedro
Pedro
1 ano atrás

Pesadas baixas russas? Kkkkkkk, conta outra.

Os caras nem chegaram na linha de contato com os russos. Só vejo muitas baixas ucranianas

Marcelo
Marcelo
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Então é melhor procurar o oftalmologista …

Hank Voight
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Mais um dos efeitos nocivos da propaganda do Putinstão

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Tu vês o que queres ver, basta seguir o Sputnik.

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

O capitão HIMARS deixou o seguinte: “Soldado russo! Meu nome é Capitão HIMARS. Eu mantenho minhas palavras. Não ataco quartéis em setores de onde recebo coordenadas de blindados e depósitos de munição.” Parece que os russos na cidade de Kreminna, no Luhansk Oblast, não passaram as coordenadas solicitadas. Uma unidade militar russa foi atacada e sofreu baixas significativas, com cerca de 100 mortos, na Ucrânia na quarta-feira (14/03/2023), perto da cidade de Kreminna. O que é notável é que ataque ocorreu enquanto os soldados russos esperavam para ouvir um discurso motivacional de seu comandante.
https://www.19fortyfive.com/2023/06/a-massacre-russian-troops-in-ukraine-slammed-by-missiles-waiting-for-commander/

Arthur
Arthur
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Que legal. Gostei da historinha! Também conheço as lendárias histórias do general russo “Artilharia Insana” e o massacre ucraniano em Orekhovskaya, dois dias atrás.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Antes tinha o vitimismo de ocasião, a Russia do malvado Putin sanguinolento invadiu a fraquinha e inocente Ucrâniazinha etc etc etc etc, ai veio a realidade e trouxe o inconformismo subjetivo, a Russia não vai sair dos territórios ocupados, a Rússia não quebrou, e recente a contra ofensiva não esta saindo como planejado.

Cassini
Cassini
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

É verdade esse bilhete… kkkk
No mais, o que mais tem se visto nesta nova contraofensiva é o massacre de ucranianos ao tentarem penetrar primeira linha de defesa: os Ka-52 e seus ATGM numa verdadeira “festa” ao dispararem contra os blindados ucranianos, sem cobertura antiaérea, e os explodindo; a artilharia russa esmagando as concentrações de tropas e; os drones Lancets aniquilando alvos na retaguarda.

Essa contraofensiva não será o “passeio” que foi a passada.

Hank Voight
Reply to  Cassini
1 ano atrás

Você está assistindo aos mesmo vídeo que foi filmado de cinco ângulos diferentes e aí vem aqui disseminar as mentiras do Putinstão?

Gilberto
Gilberto
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

Nem perto do que o Molotov fez na guerra de inverno né…

jose
jose
1 ano atrás

E se ocupar Kaliningrado ?
Como a russa iria reagir ?

Arthur
Arthur
Reply to  jose
1 ano atrás

Pegue um livro de história militar, leia e terá sua resposta.

jose silva
jose silva
Reply to  Arthur
1 ano atrás

Não lembro de perguntar algo para você…

Arthur
Arthur
Reply to  jose silva
1 ano atrás

Então escreve para a revista Superinteressante…

Maurício.
Maurício.
Reply to  jose
1 ano atrás

O problema é, quem teria culhão pra isso? Quem teria coragem de ir lá sujar as botas?

Maurício.
Maurício.
1 ano atrás

Na minha opinião, as afirmações das autoridades britânicas ou as afirmações dos onipresentes “altos funcionários” britânicos tem o mesmo valor que as afirmações do Prigozhin ou do Putin, ou seja, zero credibilidade, simples assim.

Manus Ferrum
Manus Ferrum
1 ano atrás

As Terras de Sangue.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
1 ano atrás

Você atacar, sem o apoio aéreo, um grupo que esteja entrincheirado e com apoio aéreo, é suicídio!