Home Artilharia Antiaérea Míssil Mistral é lançado na Ilha da Marambaia

Míssil Mistral é lançado na Ilha da Marambaia

3313
32

O Batalhão de Controle Aerotático e Defesa Antiaérea (BtlCtaetatDAAe) realizou, nos dias 29 de maio e 19 de junho, respectivamente, o lançamento diurno e noturno do míssil superfície-ar “MSA Mistral”, na Restinga da Marambaia, no Rio de Janeiro (RJ).

O míssil superfície-ar portátil é guiado por infravermelho, usado para a defesa aérea de curto alcance. O sistema pode receber câmera térmica para efetuar disparos noturnos. O tempo de engajamento, a partir da iniciação da sequência de disparo até o lançamento do míssil, é de menos de cinco segundos, sem designação prévia de alvo, e cerca de três segundos, se existe alerta.

O lançamento diurno, no dia 29 de maio, pontuou o término do Curso Especial de Defesa Antiárea, conduzido nas dependências do Batalhão, sob a orientação pedagógica do Centro de Instrução Almirante Sylvio de Camargo (CIASC). O lançamento teve ainda o objetivo de adestrar os militares da Bateria de Artilharia Antiaérea do BtlCtaetatDAAe para o provimento da defesa antiaérea dos Grupamento de Operações de Fuzileiros Navais, uma das cinco grandes tarefas do Batalhão.

No dia 19 de junho, pela primeira vez na história do Corpo de Fuzileiros Navais, o MSA Mistral foi disparado em condições de visibilidade reduzida, as quais dificultam sobremaneira todos os procedimentos necessários para efetuar a operação. O lançamento teve como objetivo adestrar os militares em um ambiente que mais se assemelha a um possível combate real, onde fatores externos determinam com maior intensidade o sucesso da missão.

FONTE: Marinha do Brasil

32 COMMENTS

  1. Krest, fuzileiro naval é melhor equipado e treinado que as unidades do exército em qualquer lugar do mundo. Salvo as unidades de elite do exército.

  2. Donitz, o Igla fez o que foi concebido primordialmente pra fazer, derrubar aeronaves em voo de baixo desempenho. Nem ele, nem os outros terão mesmo desempenho contra aeronave em alta velocidade. So que no nosso caso eles estão com esta função de defesa.

  3. Os EUA sempre servem de comparação e nesse ponto estamos bem. Os Marines também só operam sistemas sup-ar de baixa altitude, mais precisamente o míssil Stinger, na forma de manpads e na do sistema veicular Avenger (Hummer, Stinger, M3). Tudo isso apoiado pelo radar Sentinel.
    De certo modo até estamos ligeiramente melhor que o USMC já que ainda temos o canhão 40L70.

  4. Colombelli 6 de julho de 2017 at 16:10
    .
    A guerra na Síria prova que eles são úteis contra aeronaves em alta velocidade (MiG-21, MiG-23 e Su-22) foram abatidas por estes mísseis. Verdade seja dita, eram aeronaves com poucos ou nenhum sistemas defensivos mas com raras exceções este é o cenário sul-americano.
    .
    No conflito da Iugoslávia, um Mirage 2000 foi abatido por um Sa-7.

  5. A reduzida defesa antiaérea do USMC é justificável tendo em vista que as tropas em terra operam sob o cobertor da superioridade aérea anteriormente estabelecida.

  6. Donitz, não nego a eficácia relativa dos Iglas, e nem questiono a sua compra pelo EB. O que preocupa é serem so eles e os RBS 70. pois ja tem gente aqui na AL que pode lambar uma bomba bem além do alcance de ambos. Valem como uma das camadas onde entram até as .50.

  7. Mudando de pato pra ganso, os EUA negligenciaram por muito tempo a defesa antiaérea mas parece que acordaram. Com a mudança de foco da guerra assimétrica para a guerra de alta intensidade os americanos já sinalizam que vão incrementar a sua capacidade de defesa aérea que antes era focada na defesa de mísseis balísticos.
    Hoje a ordem do dia é o conceito (doutrina, se preferirem) “Multi Domain Battle” e o foco é na defesa de baixa altitude. O que se espera é que os meios antiaéreos/C-UAS/C-PGM/C-RAM/C-CM sejam distribuídos no campo de batalha entre várias unidades e não em veículos AA especializados.

  8. Colombelli 6 de julho de 2017 at 20:03
    .
    Eu concordo que precisamos de algo além deles.
    .
    Recentemente vi o jornalista Alexandre Garcia comemorando o cancelamento da compra dos Pantsir. Disse que o Brasil não precisava de um sistema assim. Será que ele não sabe que a tecnologia da guerra avançou muito desde que ele saiu do quartel?

  9. O interessante no vídeo é a utilização da mira noturna (de imagem térmica), que possibilita o lançamento noturno do míssil.

  10. Estes jornalistas prestam um desserviço às Forças Armadas. Não passam para a população que o desenvolvimento militar é estrategicamente e economicamente vital ao país

  11. Sim, um enorme desserviço.
    Nosso jornalismo é podre. Antes de falarem o velho jargão “Pra que investir em defesa SE isso, ENQUANTO aquilo” deveriam pesquisar tudo que envolve uma compra militar.

    O Boechat da band, um dia desses disse algo parecido.

    De qualquer forma…quem tem legitimidade para falar algo em contrário?
    Ontem, o jornal correioweb, aqui de brasília, noticiou que a aeronáutica estava abrindo novo concurso pra vagas a sumir de vista.

    Quadro inchado. Pensões exorbitantes e imorais. Eventos com todas as pompas.
    Como convencer o pedreiro, que com 60 anos vive de carregar saco de cimento e está ouvindo dizer que não sabe nem quando irá conseguir se aposentar, de que é necessário investir num “brinquedinho militar”.

    Aos militares que aqui frequentam…a mudança terá que vir de dentro. E, um dia, alguém terá que dar o exemplo…seja militar ou civil.

    Enquanto isso, continuaremos nessa mediocridade de não saber porque investir em defesa e tecnologia. Será que um dia algum país achará que o Brasil tem território demais e não o merece? Me pergunto isso…acho que não vai demorar pra acontecer.

  12. Prezados Kfir e Guizmo, para todo evento que envolva emprego de munição real ou de exercício, é realizada uma interdição de área, divulgada por Aviso aos Navegantes e NOTAM, bem como cumpridos procedimentos de segurança antes de cada disparo, a fim de evitar problemas… abraço…

  13. Diogo de Araujo 6 de julho de 2017 at 10:00 são rebeldes q operam no norte da siria denominados “fsa“free syrian army q nada mais são do q soldados turcos sem uniformes.

    acho q já basta de tanto manpad precisamos mesmo é de defesa aerea de verdade como buk s-400 patriot,barak ou qualquer coisa q não seja de curto alcance guiado a infravermelho

  14. Horatio,
    Até que em termos de diversidade de meios para a defesa de baixa altitude e curto alcance estamos bem. Temos mísseis guiados por IR, mísseis guiados por laser (beam rider), canhões e metralhadoras com mira óptica, canhões com mira radar, canhões com mira EO. Além de radares de busca aérea.
    O que tá faltando mesmo é um sistema de média altitude que seja leve e modular para fechar a janela de armas de armas de queda livre. Um sistema desses já obrigaria o atacante a ousar muito (penetração em baixa altitude ou utilização de ECM) ou utilizar armas guiadas no mínimo com capacidade de planeio, e essas mesmas já poderiam se tornar alvos dos mísseis.
    Não acho que no nosso TO seja conveniente sistemas de defesa antiaérea de grande altitude. Isso fica por conta dos caças. Sem falar que esses sistemas são caríssimos e não teríamos mais que umas poucas unidades que no frigir dos ovos não faria diferença alguma.

  15. é verdade bosco…as vezes agente sonha acordado aqui. mas seria lindo ver por aqui algum sistema made in israel…particularmente acho fascinante o q eles fazem com o iron dome

  16. li em algum lugar que este missil necessita de uma garrafa de ar comprimido que tem a função de refrigerar a cabeça (seeker) IR do missil segundos antes do disparo… a razão seria de aumentar a perceptibilidade do sensor a um ponto mais quente no céu.

  17. Topol,
    Mísseis com orientação IR são cegos a qualquer coisa que tenha temperatura igual o maior que a do próprio seeker, portanto, seeker IR precisam ser refrigerados de alguma forma. Isso acontece com todos e para isso eles utilizam dos mais diversos métodos, que inclui garrafas com gás argônio, nitrogênio líquido, etc. Alguns utilizam complexos sistemas de refrigeração termoelétrica, sistema stirling, etc.
    Vale salientar que os primeiros mísseis “térmicos” não tinha seeker arrefecido e por isso tinha péssima sensibilidade Ex. Falcon.
    Atualmente, alguns mísseis de imagem térmica utilizam sofisticada tecnologia de seeker não arrefecido e esse parece ser o caminho para o futuro, mas hoje, os seekers refrigerados é a norma.

  18. Topol,
    Mísseis com orientação IR são cegos a qualquer coisa que tenha temperatura igual o maior que a do próprio seeker, portanto, seeker IR precisam ser refrigerados de alguma forma. Isso acontece com todos e para isso eles utilizam dos mais diversos métodos, que inclui garrafas com gás argônio, nitrogênio líquido, etc. Alguns utilizam complexos sistemas de refrigeração termoelétrica, sistema stirling, etc.
    Vale salientar que os primeiros mísseis “térmicos” não tinha seeker arrefecido e por isso tinha péssima sensibilidade Ex. Falcon.
    Atualmente, alguns mísseis de imagem térmica utilizam sofisticada tecnologia de seeker não arrefecido e esse parece ser o caminho para o futuro, mas hoje, os seekers refrigerados é a norma.
    xxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxxx

  19. No vídeo postado pelo Donitz, acima, no instante 1:24, mostra o “operador” do míssil movendo uma alavanca que serve para perfurar a garrafa de nitrogênio líquido que está conectado ao lançador. Após a garrafa ser perfurada o operador tem que esperar alguns segundos até o “míssil” informar que está refrigerado e trancar no alvo e disparar. Se ele não o fizer em um tempo pré-determinado (cerca de 2 minutos) a garrafa tem que ser removida e substituída por outra.

  20. Felipe Moraes tens completa razão quanto aos nosso jornalistas , eles falam abobrinhas , nada conhecem e não querem conhecer de Defesa ,publicam Besteiras em seguidas os Boboquitos de Plantão repercutem na INTERNET , lembro-me quando falou Besteiras sobre o Pantsir e o outro sobre o São Paulo . Sobre aposentadorias de Pedreiros e Concursos Públicos , espero que tenhas conhecimento que o trabalhador que desconta ao INSS, 70% hoje se aposentam na Média Etária de 66 anos , já as Castas do Judiciário , Legislativo e Executivo 47 anos , fora os militares que ainda por muitos anos teremos que pagar o Exercito de suas filhas sem vergonhas !

  21. Horatio Nelson sobre os SAM , quando do ** Cancelamento ** do Pantsir , e a defesa disse estar mirando no SS 300 , eu comecei a RIR , mais uma Mentira Vergonhosa de nossa DEFESA , existe realmente a FALTA DE VERGONHA NA CARA do GF e de nossos MILITARES !!!

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here