Home Divulgação 3ª Divisão de Exército – Lideranças Civis do Governo Federal visitam Organizações...

3ª Divisão de Exército – Lideranças Civis do Governo Federal visitam Organizações Militares em Santa Maria

2821
54

Santa Maria (RS) – Com a finalidade de conhecer as atividades operacionais do Exército Brasileiro (EB), realizadas pelo Comando Militar do Sul, no dia 6 de março, a Guarnição Federal de Santa Maria recebeu a visita de uma Comitiva da Secretaria de Economia e Finanças (SEF/EB) e de Lideranças Civis do Governo Federal.

Os objetivos da visita foram o de elevar o nível de interatividade com a sociedade e incrementar a relação do Exército com os Poderes Constituídos.

A comitiva da SEF, chefiada pelo Assessor Especial do Chefe do Estado-Maior do Exército, General de Exército Luis Eduardo Ramos Baptista Pereira, estava constituída pelo Secretário Interino de Economia e Finanças, General de Divisão Expedito Alves de Lima, e oficiais representantes de diversos órgãos do Exército.

Entre as Lideranças Civis que participaram do evento, destaca-se os Senadores Álvaro Fernandes Dias e Ana Amélia de Lemos; o Secretário do Orçamento Federal, Sr George Alberto De Aguiar Soares; o Diretor do Departamento de Planejamento, Orçamento e Finanças da Secretaria de Organização Institucional do Ministério da Defesa (MD), Sr José Roberto de Moraes Rego Paiva Fernandes Júnior; o Diretor do Departamento de Pessoal da Secretaria de Pessoal, Ensino, Saúde e Desporto do MD, Sr Herval Lacerda Alves; e outros servidores do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, da Casa Civil da Presidência da República e do Comando do Exército.

As autoridades foram recepcionadas com uma escolta mecanizada, guarda de honra e salva de honra. Após, participaram de uma formatura da tropa da 3ª Divisão de Exército (3ª DE) “Divisão Encouraçada”, realizada no 1º Regimento de Carros de Combate (1º RCC), local onde, também assistiram a uma demonstração de um Pelotão de Cavalaria Mecanizada.

Durante a solenidade, o General Ramos destacou “a importância da visita da comitiva de representantes do governo federal que lidam com o orçamento, pois em Brasília veem em planilhas, os números de quanto se gasta com blindados, com simulação, mas aqui terão a oportunidade de atestar a relevância de ter um Exército bem preparado”.

No prosseguimento, nas instalações do Centro de Instrução de Blindados (CI Bld), o Comandante da 3ª Divisão de Exército, General de Divisão Marcos Antonio Amaro dos Santos realizou uma apresentação sobre as atividades, potencialidades e demandas da “Divisão Encouraçada”.

No CI Bld, conheceram os simuladores de combate e tiveram a oportunidade também, de travar contato com as atividades desenvolvidas na missão de especializar militares das Forças Armadas e de Nações Amigas na operação de meios blindados e mecanizados, entre eles, o Guarani, que está entre os principais projetos estratégicos do Exército, e no emprego tático de frações de mesma natureza até o nível subunidade.

No Centro de Adestramento Sul, Organização Militar síntese do que há de mais moderno no Exército Brasileiro na preparação e treinamento de tropa, participaram de uma palestra de seu Comandante, Coronel Rickmann Schmidt, quando destacou os benefícios da simulação, entre os quais, a economia de recursos, a diminuição de acidentes/incidentes e a eficácia no adestramento. Após, conheceram o Simulador de Apoio de Fogo (SIMAF) e o Simulador de Adestramento de Comando e Estado-Maior (SIMACEM).

No prosseguimento, tiveram a oportunidade de ver o poder de fogo da 3ª Divisão de Exército, quando assistiram a uma sessão de tiro das armas coletivas, destacando-se as metralhadoras MAG e .50, canhão “Carl Gustaf”, canhão 90 e do obuseiro autopropulsado M109.

Como última atividade, assistiram a demonstração de um ataque coordenado de uma Força Tarefa Blindado, coordenado pelo 29º Batalhão de Infantaria Blindado, com a participação de caças AMX (A-1) da Força Aérea Brasileira.

“Foi uma oportunidade de ver a demonstração da eficiência, eficácia, do preparo e profissionalismo do Exército Brasileiro. Também, a parte do sistema virtual de treinamento (simuladores) que permite uma eficiência maior ainda, preparo melhor e com custos menores”, afirmou o Secretário do Orçamento Federal, Sr George Alberto De Aguiar Soares.

Em suas palavras finais, o Comandante da “Divisão Encouraçada” afirmou que “é uma honra, satisfação e alegria recebermos a comitiva da SEF, senadores convidados e integrantes de diversos órgãos ligados ao orçamento e Finanças da União e outras autoridades que também tenham participação na definição de responsabilidades relacionadas à Defesa”. Destacou ainda, que “a cidade de Santa Maria” é um centro de excelência em blindados e simuladores, e com certeza, essas duas vertentes foram plenamente demonstradas no dia de hoje”.

DIVULGAÇÃO : Com Social 3DE / Fotos: ST Ronivaldo e Sd Gassen

54 COMMENTS

  1. Há uma tentativa da esquerda brasileira de “eternizar o golpe de 1964” entre os jovens, quando este deveria se tornar uma memória cada vez mais distante, apenas na cabeça de quem viveu aqueles tempos, e com sua passagem vivermos uma democracia mais livre e menos traumática.
    Precisamos renovar os políticos, vamos evitar votar em gente que tem mais de 50 anos e tem “medo do militarismo”. E olha que vou fazer 55.

    • Delfim, boa noite. Como então trabalhar a história militar nacional? Devemos apenas relembrar uns fatos e, propositalmente, esquecer outros? Por exemplo, é positivo trabalhar a FEB na sala de aula e esquecer a repressão aos marinheiros da “Revolta da Chibata”?

      Quanto a renovação, concordo plenamente, contudo, nao basta apenas trocar uma geração mais velha por uma mais nova. Tem que ocorrer uma mudança da perfil político como um todo! Abç

      • Não apenas do perfil político, mas também todo o cenário político. A legislação brasileira é muito tosca e consequentemente, a justiça é fraca, falha e corrupta.

        A nível cidadão, qualquer coisa no Brasil se necessita de um despachante, de um burocrata, de um advogado, de um cartório, de uma caixinha… Ser desonesto neste cenário é muito mais fácil e vantajoso.

        A lei deve ser para todos e tem que ser infalível, simples e tem que ser acessível a todos, não apenas à classe OAB.

      • Luciano, não é questão de esquecer ou lembrar fatos seletivamente. É questão de superá-los. Existem pessoas que estão em 1964 até hoje, e a primeira coisa que sentiram com a intervenção federal no RJ foi medo dos militares, como se eles fossem os mesmos daquele longínquo ano, ou se eles fossem ameaça maior do que traficantes.

        O Brasil tem pressa. Não podemos mais nos dar ao luxo de ficarmos presos a algo que ocorreu há 54 anos! O país precisa de forças armadas nos tempos vindouros com uma nova superpotência surgindo (China).

    • Oganza, eu também acho ele um candidato bem interessante. Depois do Bolsonaro, Alvaro Dias é um sujeito votável…
      De resto, brasileiro que vota em PT, PSDB, PMDB e os nânicos de extrema-esquerda (PDT, PSB, PCdoB etc…) merece levar uma surra!
      Com essa descrença de 200% dos brasileiros em relação a classe política, acho que a aproximação desses elementos com as FA é um sinal de submissão (os militares estão em uma situação muito privilegiada, os generais podem pedir qualquer coisa nesse momento que serão atendidos com respeito)…eu tenho certeza absoluta que se um militar hoje assumir a presidência de forma democrática ou não, terá apoio de todos os cidadãos sérios (boa índole).
      A classe política está totalmente fragilizada e vai demorar muito tempo para curar as feridas.
      Abraço!

      • SE tivermos eleição.
        O VERDADEIRO golpe institucional está se desenhando no horizonte como uma possibilidade em cima da mesa para ser usado. No mais, eleições SEM o voto impresso é ilegal por força de LEI. Elas acontecendo com 5% ou 99% de impressoras é ilegal. Qualquer um “não” alinhado com o estabilishment ou que não se dobre ou faça vista grossa ao status quo estará sobre a sombra da anulação de “sua” eleição… Com esse judiciário… tolo é quem duvidar disso.

  2. JOEL EDUARDO GOMES, tenho dito insistente e sistematicamente, talvez desde sempre, que em ’64 o que aconteceu foi um contragolpe, pq o GOLPE estava sendo implementado pelo Jango e pelo Brizola, com vistas à cubanização do país, nunca esquecendo que o Che andava solto por aqui. DIGO MAIS, que não se estabeleceu uma ditadura mas sim, e inegavelmente, um regime de exceção.

  3. Perto do Capão da Infantaria e Capão Bonito, porção su/sudoeste do CISM.
    A senadora é muito gente boa e acessível. Não temos queixa dela e, a bem da verdade, nem de nenhum dos dois outros senadores do RS. O próprio Paim é um dos poucos petistas que não causa vergonha e não está envolvido com nada ilícito. A senadora é minha conterrânea e um dos irmãos dela é meu tio, hoje trabalhador aposentado da CORSAN, com vida humilde, que repeliu indignado “vendedores de votos” quando ela concorreu, os quais vinham lhe abordar acreditando em suposto acesso a ela e oferecendo voto em troca de vantagens.
    De lamentar apenas não termos mais Pedro Simon na tribuna do senado. Ter que ver ali Renan, Jader, Lobão, Linderberg e Gleisy…..é dose pra leão.

    Giovani, sim, são do Mallet e logo estarão sendo substituidos pelos M-109 BR. Ficará ainda por um tempo o 22 GAC de Uruguaiana operando eles.

    • Colombellli, obrigado!

      Pedro Simon realmente faz uma falta enorme na política nacional.

      Fiz uma outra pergunta ali acima sobre o comprimento dos tubos do M108 e M109.

      • Ainda bem que não temos mais o coitadinho do Pedro Simon, que não tinha dinheiro para ir no dentista.
        O povo não merece ter que pagar R$ 60 mil para o demagogo trocar a dentadura.
        O único senador que merece meu respeito é o Reguffe, do DF.

        • Já ouvi falar algumas coisas boas a respeito do Reguffe, mas precisaria me aprofundar mais a respeito, não sei de praticamente nada a respeito dele.

  4. Bela demonstração de capacidade que a 3ª Divisão do EB ofereceu, ainda mais com a participação do AMX para dar uma boa ideia da ação combinada das forças.

    • Essa participação dos A-1 deveria ser mais constante nas manobra do EB em Saicã. São apenas 8min de voo, além do que o estande aéreo (uma pequena porção do campo próximo à cacequi) é usada quase que semanalmente.

      Hoje em dia, em quaquer TO, a aviação estará presente. Integra-la com a situação é a forma mais adequada de dar mais realismo aos exercícios.

      Pena que só se deu por conta dos senadores…

  5. Espero sempre melhoras para o EB e demais forças. Na verdade espero melhoras para todos nós. Ter um país desenvolvido e que possa nos dar segurança.

          • Seu raciocínio é ‘interessante’ os caras volta e meia antecipam informações que só depois saem na ‘grande mídia’, nessa matéria dão os nomes a todos os envolvidos, incluindo juízes, ou seja se estivessem inventando tomariam processos de todos os lados, mas p/ vc isso não vale, pode seguir no seu mundo e boa sorte.

    • Luciano, a lei 10559/02 trata apenas de pensões e indenizações para vítimas do Estado. A pessoa não foi vítima do Estado, mas de terroristas de esquerda.
      Deveria processar os terroristas de esquerda e não o Estado.
      A lógica é a mesma para o caso de você estar na rua e levar um tiro de um policial ou de um bandido. No primeiro caso, você processa o Estado. No segundo, não (até pode processar e ganhar, mas é bem difícil).

      • Só estpu explicando o caso. Por mim os esquerdistas, ainda mais os terroristas, não deveriam ter direito a nada, nem a anistia.
        .
        E como não tenho bandido de estimação, os terroristas das Forças Armadas (como os do Rio Centro) também deveriam pagar por seus crimes.

        • Consta na matéria: “Com a redemocratização, Lovecchio Filho pleiteou uma indenização junto à Comissão de Anistia, porque foi perseguido pelo regime militar como suspeito inicial do atentado. Para a sua surpresa, a Comissão de Anistia lhe exigiu uma prova de militância de esquerda.”
          Abs.

          • Eu tinha visto esse trecho, mas pensei que sua revolta fosse com a Comissão da Anistia e não com o Governo Militar.
            Bom, aí vai ter a discussão se houve ou não perseguição e o que o Estado fez com ele. Isso, pela matéria, não dá para saber.
            Abraço.

  6. 4 viaturas diferentes em uma foto, ficou linda! Estou esperando a aposentadoria de toda frota de urutu, que teve sua importância histórica mais já passou da hora de ser substituído.

  7. O que houve em 64 foi um livramento. O Brasil era um país esculhambado institucionalmente. Tinha a guerra fria. A câmara federal do Ranieri Mazille e o senado do Auro de Moura Andrade faziam do país um bordel. Os militares pegaram um país que apenas vendia café, era 48ª economia do mundo e o modernizaram. Entregaram como oitava economia. Resumindo. Todos os “democratas” que eram contra, os “perseguidos”, são estes que voltaram, receberam grandes indenizações, tomaram o poder e fizeram o que todos nós conhecemos.

    • essa é a parte da história que os hoje governantes e outrora “perseguidos” escondem da população a qual é mantida nas rédeas com BBB,futebol,carnaval e afins…

      • Caro Dodo.
        Ele foi deputado federal por São Paulo de 1951 até 1966. Era presidente da Câmara federal quando o Jânio renunciou. Daí o começo dos problemas. O vice presidente João Goulart, comunista, estava na China. Então o nosso personagem assumiu a presidência da Republica. Um fraterno abraço.

  8. OFF TOPIC
    The Brazilian Army has contacted the US government to inquire about possibly buying surplus US Marine Corps (USMC) Bell AH-1W SuperCobra attack helicopters, the army told Jane’s .

    O EB de olho nos Cobra’s.

    • Ótima noticia! Porém vejo os Super Cobras em maior vantagem sendo operados pela Marinha ou Fuzileiros, desde o HMS Ocean, que pelo Exército. Ao mesmo tempo, considero os Mi-35 como uma melhor opção para o EB do que para a FAB.

    • Fala-se em oito células, peças, partes e componentes e mais 17 motores (um de giro) para o EB.

      O armamento de cada célula seria composto de um canhão de 20 mm M197, foguetes de dois calibres e mísseis guiados ATGM AGM-114 Hellfire (high config) ou TOW II Improved (Low config), acessórios e material de manutenção e mantenimento dessas armas.

      O Bell AH-1W SuperCobra é um modelo antigo com mostradores analógicos e tudo o que a tecnologia do anos 80 e início dos anos 90 ofereciam. Esse modelo foi tirado no início dos anos 2000 e foram substituídos pelos modernizados AH-1Z + novos lotes. Foi também oferecido a modernização para os clientes interessados em faze-lo.

      Veremos. Espero que se realize.

  9. Rafael Oliveira 9 de Março de 2018 at 14:11
    Acho que o recurso ‘reply’ é limitado a 3 vezes, pois não apareceu no seu último comentário.
    Deixando mais claro, vc disse “a lei 10559/02 trata apenas de pensões e indenizações para vítimas do Estado. A pessoa não foi vítima do Estado, mas de terroristas de esquerda.” – então eu coloquei que ele entrou na justiça como uma vítima do estado tal como os terroristas, mas ao contrário deles ele não encontrou a mesma boa vontade que tiveram p/ c/ os ‘assassinos bonzinhos’ da esquerda, ou seja a tal comissão de anistia ( no minúsculo mesmo ) só trata bem quem foi “tovarich” ( camarada em russo ). Ok?

    • Sim, sem dúvida que quem é de esquerda tem seu pedido analisado com maior boa vontade pela Comissão da Anistia.
      Mas qual foi a perseguição que ele teria sofrido pelo Estado? Foi preso? Foi torturado? Perdeu o emprego? Ele tem que provar perseguição do Estado para fazer jus à reparação.
      Ele perdeu a perna por culpa dos terroristas e não do Estado.

  10. Rafael, o Simon desde sempre foi político ( além de brilhante advogado) e não está rico. Pelo contrário, qo que se sabe não tem uma vida abastada. Isso por sí só ja o qualifica. Não tenho conhecimento de qualquer sujeira dele e nunca foi pelego de partido nenhum, tendo mantido a coerência. E Ana Amélia e o Lasier não temos o que nos queixar neste ponto também até o momento.

    Giovani, o tuto do M-108 é de 17,9 calibres. É um M 103. O M-109 tem 39 calibres

    • Colombelli se ele tendo sido parlamentar por décadas não ficou rico ele não sabe o mínimo de economia e é um gastador perdulário, pois os vencimentos ganhos honestamente permitiriam que ele ficasse rico.
      Para mim, quem gasta R$ 60 mil com dentista e põe na conta do povo não merece meu respeito.
      Mas, ok, entendo seu ponto de vista do que é legal é moral e no meio político brasileiro não dá para ser exigente.

    • Obrigado de novo Colombelli.

      Não imaginava que a diferença fosse tão grande, em termos absolutos, o tubo do M109 tem mais de três vezes o tamanho do tubo do M108.

  11. Desconheço esta situação de dentadura. E um parlamentar honesto não necessariamente fica rico se não usar valores de representação para si ou se vender como é o costume. Veja o caso do Bolsonaro, que não pode ser dito “rico”. Rico é quem tem 9 milhões em plano de previdência, ap triplex e sítio ou os 53 do Geddel. Tanto Simon como Paim não tem sinais exteriores de riqueza e não consta que vivam na opulência. Idem o saudoso Paulo Brossard. Ana Amélia tem algum dinheiro mas não associado a função parlamentar, o mesmo valendo para Lasier Martins. Ambos foram jornalistas da RBS por décadas. Nossa classe política em regra não é exemplo de moral, mas não podemos parificar a todos e o Simon perto destes que eu falei antes é uma madre Teresa.

    Giovani na pratica porém o uso normal deles não espelha esta diferença, pois as peças não costumam atirar no limite de alcance, ficando maioria dos disparos na faixa de 10km. Mas claro que a granada de 155 pesa um pouco mais do dobro da 105 e tem o dobro de área letal e acaba sendo vantagem.

    • Colombelli, uma busca rápida no Google te fornecerá os dados do caso da dentadura.
      .
      O seu conceito de rico é mais exigente que o meu. Para mim, quem ganha R$ 20 mil por mês é rico. Ao longo do tempo, gastando a metade e investindo a outra, consegue um patrimônio de alguns poucos milhões. Se investir bem e ter um pouco de sorte, tem um patrimônio bem maior.
      Bolsonaro para mim é rico (alguns milhões em patrimônio total). Lula é muito rico (muitos milhões em patrimônio total).
      E, claro, tem pessoas ricas que não demonstram isso. E multimilionários que não ostentam nada, como era o caso do Antônio Ermírio de Moraes. Cheguei a vê-lo numa praia em Bertioga (uma praia popular do estado de SP). O dono da construtora Helbor vai de trem ver jogos do Corinthians.
      Quanto à Ana Amélia, ela teve um cargo em comissão dado pelo marido no Congresso (na época que era permitido, mas, aparentemente, era funcionária fantasma).
      O Lasier pediu para um amigo colocar a mulher dele num cargo CC da Assembleia Gaúcha.
      Enfim, os três não estão no mesmo balaio criminoso dos políticos pegos na Lava-jato ou no Mensalão, mas eu não consigo chamá-los de honestos.

  12. Eu me daria muito por satisfeito se o senado tivesse gente como eles e não Lobão, Jader, Gleisy, Lindemberg e o pior de todos: Renan.

    A honestidade plena ( a real), não iremos encontrar na política, pois se o indivíduo é assim não se elege, ou se se elege não dura muito. Aliás, pelo que vi até hoje, riqueza e honestidade nunca estão sempre exatamente juntas.

    • Dê uma olhada na carreira do senador José Reguffe. Melhor do que esses daí – mas é claro que o trio do RS é melhor que a escória que você apontou.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here