Home Defesa Trump diz que aliados da OTAN precisam gastar mais em defesa

Trump diz que aliados da OTAN precisam gastar mais em defesa

2695
82
Foto: Oliver Hoslet/EPA-EFE

‘Francamente, muitos países nos devem uma tremenda quantia de dinheiro há muitos anos’, disse o presidente Donald Trump na cúpula de quarta-feira

11 de julho (UPI) – O presidente Donald Trump iniciou na quarta-feira a cúpula da Otan com críticas, dizendo que certas nações ocidentais precisam gastar mais em defesa e chamou a Alemanha de “cativa” da Rússia.

Trump e a primeira-dama Melania Trump chegaram à Bélgica na terça-feira para a cúpula, antes das reuniões no final desta semana com a primeira-ministra britânica Theresa May na Grã-Bretanha e Vladimir Putin na Finlândia.

A crítica de Trump envolveu países que ele disse que não estão gastando o suficiente em suas próprias defesas em troca da proteção da Otan. Os Estados Unidos gastam cerca de 67% de seu orçamento federal na defesa, mais do que qualquer outro país, equivalente a 3,5% do PIB. A organização está pedindo a todos os estados membros que gastem um mínimo de 2% de seu PIB em medidas defensivas até 2024.

“Muitos países não estão pagando o que deveriam e, francamente, muitos países nos devem uma tremenda quantia de dinheiro há muitos anos”, disse Trump em uma reunião de café da manhã com o secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg. “Eles são delinquentes, tanto quanto eu estou preocupado, porque os Estados Unidos tiveram que pagar por eles.”

Enquanto respondia a perguntas de repórteres antes do café da manhã, Trump traçou contrastes entre sua dura posição na OTAN e as posições de seus predecessores.

“Isso já aconteceu com muitos presidentes. Mas nenhum outro presidente trouxe a questão como eu a levantei … é um fardo injusto para os Estados Unidos.”

Stoltenberg concordou que mais deve ser feito para estimular os aliados a investirem mais em sua defesa. Ele creditou a Trump, dizendo que os países da Otan estão investindo mais em defesa por causa de sua liderança.

A Alemanha atualmente gasta cerca de 1,2% em defesa.

“Você sabe, estamos protegendo a Alemanha, estamos protegendo a França. Estamos protegendo todo mundo … isso vem acontecendo há décadas”, disse Trump. “Isso foi criado por outros presidentes. Mas outros presidentes nunca fizeram nada sobre isso porque eu não acho que eles entenderam ou simplesmente não queriam se envolver.”

Trump também criticou a Alemanha pelo uso do gás russo. Os Estados Unidos gastam muito para defender a Alemanha da Rússia, ele disse, enquanto a Alemanha está pagando “bilhões e bilhões de dólares por ano para a Rússia”.

“Como você pode estar unido quando um país está recebendo sua energia do país que você quer proteção contra?” Trump perguntou. “Eu acho que é algo que a OTAN tem que olhar.”

Stoltenberg disse que a Otan, apesar de algumas diferenças de opinião entre os membros, está se fortalecendo.

“Uma OTAN forte é boa para a Europa e também é boa para os Estados Unidos”, disse ele a Trump. “Estamos ansiosos para a reunião que você vai ter com o presidente Putin. E eu acho que os líderes também estão ansiosos sobre seus pensamentos sobre a reunião com o presidente Putin mais tarde.”

A ministra da Defesa da Alemanha, Ursula von der Leyen, rejeitou os comentários de Trump, dizendo que a Alemanha não é cativa da Rússia e que o país pode aceitar as críticas de Trump.

“Acho que podemos lidar com isso”, disse von der Leyen. “Se olharmos para o gasoduto, a Alemanha é um país independente. No que diz respeito ao fornecimento de energia, diversificamos, mas o principal tema principal é a cúpula – queremos uma cúpula que envie a mensagem de unidade”.

O ministro da defesa concordou com Trump sobre gastos com defesa.

“Estamos investindo pesadamente nas forças armadas alemãs e também em outros países europeus, porque as forças armadas precisam disso … então melhoramos muito, mas ainda há trabalho a ser feito. Nesse ponto, os amigos americanos têm razão”, von der Leyen disse.

Mais tarde, Trump se reuniu com a chanceler alemã, Angela Merkel, com quem ele disse ter um “relacionamento muito, muito bom”. Ele disse a ela que acredita que o comércio entre os EUA e a Alemanha aumentará.

Merkel, que não respondeu aos comentários anteriores de Trump, disse que estava “muito satisfeita” por poder discutir questões como desenvolvimento econômico, migração e comércio.

Trump parte para Londres na quinta-feira para um jantar de estado e uma visita a May e depois à rainha Elizabeth II. De lá, ele viaja para Helsinque, na Finlândia, para o encontro de segunda-feira com o líder do Kremlin. Ele retornará a Washington, D.C., na terça-feira.

FONTE: UPI

82 COMMENTS

    • Exatamente! Eu queria ver o quanto estes países membros da Otan estariam dispostos a gastar em dinheiro e vidas para salvar os EUA…

          • Exatamente ele ta fazendo as claras os inimigos estão de olho. Mas se ele está fazendo as claras é pq com certeza já tentou no escuro reunindo com a Europa e não conseguiu, agora tenta com a ajuda da imprensa fazer com que aliados se protejam mais e o mais importante comprem dos EUA e não abram mercado pra Russia e China. O jogo está se movendo.

        • Mas a questão não é necessariamente defender os interesses da indústria americana.
          No ponto fulcral da matéria, muitos países simplesmente não investem o suficiente em defesa se confiando na OTAN.
          Enquanto os EUA têm uma dívida de 20 trilhões alguns países posam de terem boa administração orçamentária.
          Ao mesmo tempo que torram dinheiro sustentando imigrantes ilegais.

    • Só notar no saite do PA que os Eurofighters brits estão no estado da arte, voando bem, e os mesmos jatos, da Luftwaffe, estão em precárias condições por falta de manutençõe$$$.

      Aliás, a foto da matéria é emblemática, os dois mais carrancudos, que não sorriem na foto, são justamente a Merkel, representante do maior caloteiro da OTAN, e o Trump, representante do país mais financeiramente prejudicado por essa postura dos europeus de “deixai os russos e islâmicos nos atolarem até o fundo”…

      Por evidente que a OTAN em dado momento parecia não ter outra finalidade senão alimentar as indústrias dos fabricantes de armas e estrangular economicamente a finada URSS, mas com a queda do bloco comunista, os europeus passaram a investir cada vez menos em defesa, chegando ao ponto atual, acreditando que não havia mais o risco soviete, contudo, lembremos o recente conflito no Donbass, embora o governo Putin não esteja agindo de forma expansionista/imperialista, nunca é bom baixar a guarda, ainda mais sendo um país europeu, local de seguidas guerras entre vizinhos.

  1. Por pior que Trump seja ele está certíssimo ao exigir que os países da aliança cumpram o estabelecido quanto aos gastos de defesa. Basta ver o estado calamitoso em que se encontram as forças armadas alemãs para constatar que a queixa do “Orange Man” procede.

    • Caro HMS Tireless,
      Ele pode até estar certo acerca do gasto (e nesse ponto eu concordo) dos demais aliados, mas convenhamos que as bravatas dele não ajuda muito à dar credibilidade ao que ele alega, da forma como faz, disparando despropósitos contra aliados. Como um certo jornalista bem disse, Trump é o “idiota diplomático” mais eficiente do mundo. A turnê do America First, atualmente em campanha eleitoral, não aliviaria a retórica “afirmacionista” em relação à Europa. Mas nada além do que já se esperava de Trump e a sua peculiar diplomacia de Twitter. Hehe

      Outro ponto: Acho que por um lado, deveria-se compreender a cautela alemã com seus gastos em Defesa. O país responsável por duas guerras mundiais e um genocídio sem tamanho, reluta em ser outra vez um estado beligerante (não que o seja atualmente, longe disto aliás), ou mormente visto como em ascenção militar, ou simplesmente uma grande força bélica. Comodamente, prefere delegar esse papel na Europa ao Reino Unido e à França e os motivos são compreensíveis embora não sejam passíveis de questionamento num outro ponto de vista, sobretudo econômico e diplomático.

      E por fim, uma outra coisa a se destacar: Creio que o futuro das relações intra membros da Otan tende à ser o quê hoje se passa na Polônia, nação que paga US $ 2.5 bi aos Estados Unidos por um contigente americano extra estacionado em seu território. Portanto o futuro pode vir à ser este no panorama da Otan: Dinheiro por proteção. Se por um lado seria justo com os Estados Unidos, por outro, parece que as tropas americanas se equiparariam à forças mercenárias. Combatentes bem treinados por doláres. Ao meu ver há um equivoco de Trump em tentar misturar questões de comerciais com políticas de segurança, vide o caso alemão do gasoduto russo. Mas no fundo nada justifica que os países europeus não se comprometam mais (financeiramente) com sua própria defesa, e idealmente, se puderem não depender tanto dos americanos.

      • Nenhum país que preza pela sua soberania recorreria a mercenários.
        Mesmo Israel, fortemente dependente dos EUA, não abririam mão de suas FAs.
        E olha que não faltam WASPs que iriam de bom grado.

        • Não afirmei que recorreriam a mercenários. Apenas afirmei que o fato de se pagar para ter tropas americanas estacionadas (leia-se Polônia) em território me remete (e apenas isso) à tropas mercenárias, dado ao fato inusual que é por si. Sei que nem o pequeno Liechtenstein lançaria mão de mercenários e que não é algo seguro (nem moral) para país algum que se proclame sério.

  2. Pior é você fazer parte de uma aliança e ter que ficar pedindo para os aliados serem aliados. É o fim da picada! O que mata nessa OTAN atualmente é a Alemanha, só dá”tiro fora”, pelo tamanho do PIB deveria ter pelo menos 1 porta aviões, caças steath, mais submarinos, destróier e participação em operações de paz….em suma, deveria ser mais ativo e ter voz, pois é ridículo a situação atual.
    Além desse problema, nós sabemos que muitos países, especialmente Alemanha, tem superávit comercial enorme na sua relação comercial com os EUA.
    A Alemanha não tem nem o que reclamar, tem que baixar a cabeça e ajudar os membros. Nem adianta vir com papo de coitadinho que não cola. Aliança militar é aliança, troca comercial é troca comercial (tudo deve ser recíproco dentro das suas capacidades). Não podemos esperar grandes gastos de Portugal, por exemplo, mas da Alemanha a história é outra…nem sempre é possível pedir reciprocidade comercial, mas no caso da Alemanha é novamente deferente.
    Quem discorda disso e vive no Brasil, aconselho ir buscar emprego e tributos arrecadados na China. Abertura comercial sem responsabilidade é desemprego, falência e queda na arrecadação. Não é em vão que a situação ia de mal a pior nos últimos anos. Nem todos conseguem transferir parques para países como China, a concorrência fica absurda… Isso gera desemprego e mata a inovação e empreendedorismo. Falo isso e sou liberal econômico.
    Protecionismo é diferente de ser “idiota”. É possível ter grandes trocas comerciais, una relação ganha-ganha…não precisa de extremos.
    Enfim, vejo Itália razoável (mesmo com crise o país ainda investe bem), França razoável também… Reino Unido investindo normalmente… Alemanha que é bem aquém da realidade. Não podemos esperar muito de Portugal, Espanha, Grécia etc…estão com as contas públicas ruins, muito em decorrência de políticas econômicas ruins, Estado grande e privilégios de grupo.
    Espero não ter desvirtuado da matéria, qualquer coisa pode excluir meu comentário.
    Abraço!

    • Questão do Brasil é muito facil gerar empregos só dar segurança juridica fazer um sistema fora da CLT com previdencia privada (10% do seu bolso + 10% do mesmo valor pago via empregador) .
      Não é solução magica no caso do Brasil geraria muitos empregos.

      • O Brasil sempre teve – e ainda tem – um percentual alto de pessoas na informalidade, isto é, trabalhando fora da CLT. E mesmo assim há desemprego. Emprego não se cria com lei, mas com demanda. Se a economia vai bem, os empresarios investem e empregos são gerados.
        No período de 2009 a 2013 a taxa de desemprego ficou ao redor de 5% a 6%, mesmo com a CLT.
        Nós já somos um país no qual a maior parte dos empregos é ruim ou precária. Ficar gerando formas de trabalho piores ainda não é a solução.
        Deveríamos estar preocupados em criar empregos de qualidade, para que as pessoas possam consumir e fazer a roda da economia girar.

        • Eu sempre trabalhei fora da CLT, ganho mais que o dobro que ganharia na CLT.

          Dou minha NF para o cliente e acabou.

          O problema é a insegurança jurídica que o meu cliente tem, porque ele sabe que se eu tocar ele na justiça trabalhista eu ganho.

          A CLT é simplesmente um equalizador por baixo da força de trabalho.

    • É impressionante como os países europeus ainda fingem estar dedicados a OTAN, uma aliança militar criada para uma ameaça que não existe desde 1991. A Alemanha está mais do que certa em não investir valores desnecessários, para combater um inimigo imaginário. Merkel de maneira sábia sabe que vender Mercedes Benz e Audis, assim como milhares de outros produtos para a Rússia, e receber um gás barato, é muito mais negócio para o povo alemão, do que entrar na onda americana de financiamento das máquina de guerra bélica norte americana. A OTAN está fadada a perder cada vez mais sentido com o passar dos anos. Daqui uns 50 anos a Rússia estará mais integrada do que hoje tanto na Europa como no Oriente médio.

      • Melhor você se informar melhor! Na reunião do G-7 Trump sugeriu que Putin fosse convidado para a próxima restaurando, portanto, o G-8. Contudo quem mais se opôs a isso foi justamente “Frau” Merkel, com o apoio unânime dos outros cinco membros em especial Justin “Bieber” Trudeau.

        Entenda, o fato da Alemanha comprar gás russo não quer dizer necessariamente que o governo de Berlim deseje uma integração russa na Europa. Para que isso aconteça é necessário que o país vire uma democracia de fato e de direito, algo impossível de acontecer enquanto Putin estiver no Kremlin. E no O.M talvez a Rússia volte a ocupar alguns espaços históricos seus, ainda dos tempos da URSS, como é o caso da Síria. Mas não a vejo “expulsando os EUA” como apregoam os russófilos mais exaltados, seguindo a cartilha do malfadado propagandista do Kremlin Pepe Escobar

    • Ivan BC,

      Seu comentário foi excelente, o único ponto que discordo é o de por a Espanha no mesmo patamar de Portugal e Grécia. A Espanha investe de maneira razoável, as forças armadas não estão sucateadas como as da Alemanha.

      Portugal não tem disputas, basta investir o suficiente para manter o básico exigido a ele pela OTAN. A Grécia tem um problema: é obrigada a investir, talvez mais do que possa, por conta da vizinhança hostil.

      O recado do Trump, para mim, tem um destinatário certo: Angela Merkel. E eu confesso que gosto mais desse estilo direto dele, do que no blábláblá dos políticos profissionais.

  3. Um dia a conta chega,a URSS quebrou carregando ex republicas sem nada a oferecer,EUA pegou esse fardo agora começa a “chorar”,vamos gastar rsrssr.

    • A URSS quebrou porque o povo não tinha liberdade de iniciativa. Todo comércio e indústria era regulado pelo governo, sem possibilidade de “ganho” para os que são melhores no trabalho, braçal ou intelectual, bem como pelo alto índice de corrupção, uma vez que sob ordens restritivas de direitos naturais, sem poder levar vantagens de “lucro”, corrompem-se. A glasnost perestroika foi senão uma tentativa de limpeza do estado corrupto, com uma maior clareza dos atos de estado. Mas nada funcionou. A corrupção nos estados comunistas é um lugar comum. A razão da URSS ter se esfacelado é esta, não outra…

      • A URSS era uma estado falido e altamente corrupto. Igual a Cuba: se você quer ser bem atendido por um médico, leve um presentinho, ou… corrompa-o ou…

      • Amigo Victor!
        URSS acabou em 1987 quando foi assinado documento sobre cooperativas e entrada dos termos “propriedade privada sobre meios de produção” e “capitalização” nas fabricas e empresas estatais.O resto – é uma conversinha de “livretes da CIA” de quem entende nada ou pouco sobre assunto.
        Quando abriram o mercado e produtos ocidentais chegaram aos balcões dos supermercados soviéticos entre 1984 e 1987 houve uma mudança brusca nos costumes da classe media soviética. Apos disso era so questão de tempo. USSR acabou porque socialismo desenvolvido dessa união não estava mais trazendo benefícios para oligarquia.Chegaram num ponto quando o dinheiro não valia mais nada ja que Voce não podia comprar o que queria. “Perestrojka” acabou com USSR de vez. Pois não existe socialismo com diretores (das fabricas e empresas estatais) capitalistas. E exatamente o que fez esse traidor Gorbachev foi entregar “O Ouro da Nação” (fabricas, empresas, minas, petróleo , diamantes , etc) para os pilantras do partido (que foi inclusive banido e proibido após golpe do Bando dos Oito) e ex-dirigentes das unidades.
        Não tente esticar o caso da URSS para explicar a Cuba ou outros casos. Sao coisas diferentes .
        URSS gastava dinheiro sustentando Cuba e mais uns 30 países: açúcar da Cuba foi vendido na Belarus, Letônia , Estonia , regiões da Siberia. Bananas e frutas tropicais na URSS foram distribuídos nas cestas pois ninguém queria comprar a “porcaria de suco de goiaba” pois era nojento e bananas eram mais verdes e precisavam ficar um mes num armário para amarelar .E assim por diante..URSS acabou porque Gorbachev em 1987 deu um passo muito largo. E acabou rasgando as calças..A partir dai fluiu tudo naturalmente.
        Um grande abraço!

        • Ah sim, se não fosse isto seria o paraíso, certo? Há uma mania entre os marxistas de querer recontar a história da queda da União Soviética. Gorbachev só fez o que fez em uma tentativa de salvar o que já estava ruindo. Não seja inocente, ou não finja ser. A capitalização das empresas e propriedade privada nos meios de produção foi apenas uma tentativa de salvar o que não tem salvação. Quebrou, faliu por ser um estado burocrático, corrupto, e sem liberdade. Sem livre iniciativa. Quando Boris Yeltsin disse que não obedecia mais ao partido Comunista, os membros do Partidão nem esboçaram reação, pois eles finalmente entenderam que “não funciona”. Por mais que se tente de todas as formas. Eram corruptos, corruptos e mais corruptos. Corruptos no poder executivo, e todo funcionalismo ( muita gente). Corruptos no legislativo, e todo funcionalismo ( que eram muitos) corruptos na polícia e no judiciário ( que eram muitos) e corruptos no exército. Uma imensidão de corruptos. Não tente deturpar a história. A queda do muro de Berlim se deu por total incapacidade do governo do Partido Comunista de atender aos anseios da população e de gerir a máquina pública com um mínimo de legalidade. Tudo corrupto.

          • “URSS acabou porque Gorbachev em 1987 deu um passo muito largo…” E porque será que teve que dar este passo heim? E, bem, Gorbachev agia sozinho ou havia uma multidão de burocratas “pensadores” para opinar e ajudar a criar planos para decisões? Estas coisas não são decididas sozinho amigo. Não foi Gorbachev que deu um passo muito largo, foi a União Soviética, como um todo. Vai estudar!

        • Acredita no que quiser, o fato é que o pib da união soviética nunca cresceu como o dos EUA e no final da década de 70 a URSS já tinha estagnado enquanto os EUA cresciam e ainda tiveram forte crescimento na década de 80. Em 1987 nem dava mais para disfarçar a disparidade entre as duas economias, e isso que a URSS era maior e formada por muitos países, se juntar os EUA com seus aliados ocidentais a surra nos países socialistas era enorme.

          • A URSS faliu no meio de uma queda dos valores dos combustíveis. Acabou o dindin e foram para o vinagre, o resto é conversa fiada.

  4. A verdade é uma só a Alemanha está c e andando para Trump, os ingleses são os unicos verdadeiros ‘brothers’ dos americanos na Europa , agora alemães sei não rsrsrsrs.
    Podem até disfarçar mas.

  5. SE os membros da OTAN precisam gastar mais é uma boa dúvida.
    .
    Comprar gás da Rússia deixa o Putin quieto.
    .
    Quero ver o que ele vai falar com a May. Ela precisa de um afago depois do jogo duro da UE. Mas Trump não é bom com afagos.

    • Esse é o problema da May ela procura afagos em vez de se fazer por onde, ngm vai ficar carregando o RU não, aliás ela tinha que ser mais ‘macho’ e bater de frente com a UE que tem feito bullying diplomático com o RU.

      • May não vai bater de frente com a UE não.
        Pelo contrário, ela confiou demais nos EUA, seus sonhos de um RU melhor fora da UE viraram pesadelos, está se tornando impopular.

        • Quem esta bullinando politicamente o RU por uma decisão nacional legal é a UE, o que beira o imperalismo, o RU nunca deixou de comprir seus compromissos com a Europa pra receber o que a UE está fazendo e nunca foi um estado que a ameaçasse a UE, só escolheu deixa-la, e os EUA não tem direito nenhum de levar o RU nas costas mas tbm não estão isolando o RU como a UE.
          A May tinha q chegar e falar ou vcs parem ou eu apoio a p… do Trump na guera comercial e dou suporte massico aos eurocepticos.
          A Europa hj é o que muito por causa dos britânicos que tanto nas guerras napoleônicas tanto nas mundiais nunca se rendeu, diferente de um outro paisinho do outro lado do canal, deveriam para e adorar o RU, pq se não fosse por eles não teria essa europa d hj.

          • Não está bulinando. Os compromissos e privilégios que o RU tinha como membro da UE, assim como seus súditos, é que vão cair. Justo. Ninguém expulsou o RU, eles que pediram para sair.
            A May e os adeptos do Brexit que estão se tocando, achavam que a Europa rastejaria para não saírem.

    • A hora é de forçar a mão e ajudar o grupo do Partido Conservador a tirar a May do cargo de primeiro-ministro. E fazer o brexit como deve ser feito, com liberdade para escolher os melhores acordos comerciais (principalmente com os EUA e a Commonwealth). Boris Johnson seria uma boa escolha…

  6. Os ditos aliados(Europa,Coreia do Sul,Japão,Formosa…) sempre viveram às custas dos USA,eles querem a sua proteção,porém não querem incorrer em gastos,sempre empurraram com a barriga essa questão.
    O presidente americano tem sido desrespeitado mundo afora por não defender bandeiras que a mídia,moralmente corrupta e tendenciosa,defende e não assumir posturas quase obrigatórias,a fim de agradar a todos.
    A crise econômica atinge a todos,os fardos devem ser divididos e não assumidos por apenas um.Talvez ele não seja muito diplomático e nem¨liso¨como muitos políticos profissionais são,mas muitas de suas teses tem fundamento.
    Muitos países falidos,mundo afora,por sua própria incompetência,corrupção e erros de seus dirigentes querem fazer dos USA um depósito de gente desempregadas,desiludidas,sem perspectivas de vida em seus falidos países.Assim transferem,sem ônus,para si os seus problemas sociais.
    Hoje,em dia,tudo virou motivo de celeuma!

    • Verdade, imagina como deve ser vantajoso para o México: além de se livrar dos pobres, ainda recebe dinheiro dos que imigraram para os EUA. Estes, por sua vez, vivem ilegalmente em solo americano, usando serviços públicos sem pagar impostos. A verdade é que muitos países se aproveitam dos EUA.

  7. Proteger quem de quem?, os russos, a eterna ameaça?
    Ora mas se está tão incomodado que deixe de “proteger” eles, se a Europa não está querendo gastar com militares é por que considera o que possui bom o suficiente ou que não possui nenhuma ameaça real visível, se “carregar a Europa nas costas” é realmente um problema, que retire todas as tropas e desative todas as bases!, aposto eu que caso isso aconteça a reação dos Europeus esperada por Trump (pedir de joelhos para que fiquem lá) muito provavelmente não acontecerá, mas os EUA dificilmente retirariam suas bases de lá,nem que os europeus pedissem por isso.

    Enquanto a UE descansar sob o guarda chuva nuclear francês é muito pouco provável que o Rasputin vá querer arrumar uma guerra pesada com eles, fato!, E para os Europeus esse equilíbrio na balança parece ser bom o suficiente, mas para os EUA que possuem forças essencialmente atacantes e buscam entrar em qualquer guerra que apareça por aí, é um problema.

    Os EUA gastam muito dinheiro com militares por que querem ver o mundo inteiro comendo nas suas mãos, mas e a Europa, quer mandar em quem além dela mesma?. Pelo amor de Deus não comparem os gastos dos EUA e UE, são duas forças diferentes com objetivos diferentes, a não ser que vocês vejam a Europa considerando o risco de uma guerra provável ou que eles queiram tomar o posto dos EUA de N°1 do mundo, vocês não irão ver eles cumprindo esses míticos 2% do PIB ou mais.

  8. Se o EUA quisesse já teria parado de gastar grana com seus “aliados” faz tempo, mas jamais farão isso por causa da Rússia. Portanto, parem de reclamar, pois é de total interesse de Washington “investir” na OTAN/Europa, mesmo que os “parceiros não colaborem devidamente.

  9. Alianças custam $$$.
    Nenhum país é aliado dos EUA apenas pelos grandes valores democráticos. Os que são, como também havia os eram da URSS, o são por um conjunto de ligações além de ideológicas : comerciais, militares, econômicas, culturais, etc.
    Daí se percebe que o estilo de Obama nunca foi errado, como se diz porraí. Ele não era um WASP, e nem poderia sê-lo.

  10. Na minha opinião o que Trump visa em exigir mais gastos militares dos membros da OTAN é beneficiar a industria de defesa americana. A maioria dos membros é dependente de tecnologia americana até certo grau, então ao gastar mais em defesa estariam adquirindo inevitavelmente mais produtos dos EUA!

  11. Acabou o almoço grátis!
    Esse negócio de jogar os gastos todos no colo do contribuinte americano acabou…a Eurobambilândia vai ter que tomar vergonha

  12. Na atual conjuntura a OTAN terá que rever e repensar muita coisa, ela foi criada para uma ameaça que não existe mais….os cortes nos orçamentos militares dos países europeus dão uma mostra clara que vários deles não pretendem seguir adiante, os americanos estão certos em tal postura, não podem mais ficar bancando a organização sozinhos, caso contrário, a mesma não terá mais utilidade…

    • Já não tem utilidade a muito tempo.
      Não entendo o pq continuar com esta retórica de OTAN.

      A Europa quem deveria se afastar da dependência militar dos EUA e ser uma unidade independente e ao mesmo tempo manter relações econômicas com os EUA.

      A Rússia não faz nada. Só late no seu próprio quintal. Sequer condições financeiras ela tem pra finalizar projetos militares quanto mais se aventurar em invasões etc.

      Seria bom para ambos os lados um corte neste cordão umbilical.

      O Trump como radical que é, deveria dizer “..a Partir de tal data os EUA cortarao os custos e ajuda financeira aos aliados …”

      Pronto. França, Alemanha, RU, Suécia, Itália, Espanha e demais países que se juntem e vejam seus programas e produtos militares…suas prioridades como unidade e fim de papo.

      E os EUA que deixem de dar esse troco que está saindo caro demais ….

      E quanto a “Nois”?

  13. “…Trump também criticou a Alemanha pelo uso do gás russo. Os Estados Unidos gastam muito para defender a Alemanha da Rússia, ele disse, enquanto a Alemanha está pagando “bilhões e bilhões de dólares por ano para a Rússia”…”

    Acabou ai xD

    • Pintam e bordam, quebram acordos que visam criar estabilidade de maneira arbitrária , vivem lixando-se das resoluções ONU, ocupam, invadem destabilizam e como picada final estreitam parcerias com Estados tão “liberais” que só agora permitiram as mulheres dirigir um carro. Com tudo isso ainda ser possuem a pretensão de ser árbitros e bastião da moralidade ocidental. Os caras são tão parceiros que vivem espionando cidadãos, autoridades e empresas europeias , mas o pior é que a finalidade dessas operações não é nem a segurança deles e sim simples vigarice econômica. O caso da Boeing, da Raytheon (SiVAM) , etc , etc ,etc … Estão sob os olhos de todos. Até os canadenses tiraram proveito dessas espionagens. Um verdaeiro ataque contra o sistema economico do nosso pais. E os fanáticos exaltados falando que nao merecermos ser parceiros deles pois não somos dignos de tanto privilégio. É muito falta de amor próprio , a clássica síndrome do vira-lata. Com tudo isso quero dizer que eles são os piores malandros do mundo e malvados ? Não, mas pela amor de Deus defendam os interesses do próprio país, ou então admitam , façam outing.

  14. De todo esse circo do Bufão o mais saliente é o assédio contra a Alemanha, querendo pagar uma de santinho protetor do continente . O medo atavico do possível eixo Mosca -Berlim , e o pesadelo da triangulação com Pequim. A conexão entre a reserva de matérias primas russas, o aparato industrial e know-how alemão e a construção do corredor comercial sinico .
    Manter o império custa orange man, não pretenda que os outros arquem com os custos. A aliança atlântica é obsoleta e não responde mais as exigências e interesses da Alemanha e da Europa ocidental, não é interesse deles ocupar o Afeganistão, Iraq, ou pior criar uma escalada de tensão no oriente médio/África do norte /Mediterrâneo. Não é interesse deles quebrar o acordo internacional construído com Irã. Não é interesse deles manter o dólar como moeda de referência na arquitetura econômica internacional. Não é interesse deles manter a Pax americana . Estão procurando um lugar no novo contexto global , que deverá ser obrigatoriamente multipolar tendo em consideração as as várias exigências dos novos atores que vão surgindo. A era da unipolaridade esta se esgotando. Interessante como ele crítica o North stream 2 e fala de dependência em relação a Rússia , esquece-se que a potência global está endividada até o pescoço,31% de propriedade de investidores externos, maioria Estados soberanos, com os países orientais na frente , China in primis , os quais bancam o frágil sistema americano. A situação piora quando observe-se o ” debt-to-revenue ratio” ou seja, o relacionamento com a receita do governo federal, o dinheiro com o qual a dívida deve ser honrada , um campo minado: os passivos são quase dez vezes maiores do que as entradas. A dívida per capita supera os 60.000 dolares e se for calcular por contribuinte piora , 167.000. Se ele deseja manter o valor do seu papelzinho verde deverá continuar importando bens e manter o mercado americano como principal atração para que essas economias continuem a gravitar em torno do Sol . Caso contrário vão surgir outras estrelas e planetas para absorver esses satélites.

    • Essa “multipolaridade”, que aqui no Brasil ainda é defendida pelo megalonanico Celso Amorim, é uma tremenda bobagem que sabe-se lá porquê ainda atrai seguidores. Basta ver como os BRICS, que segundo alguns iriam mandar no mundo, simplesmente caminha para a total irrelevância.
      A verdade é que essa utopia não se sustenta no mundo real. O tal mundo unipolar pode estar superado? Talvez, mas caso realmente esteja será sucedido não pelo maravilhoso mundo novo multipolar mas sim pelo bom e velho bipolarismo. E se de um lado se deseja uma aliança entre Rússia e China do outro inevitavelmente estarão EUA e Europa visto que sozinhos os europeus não tem condições de se impor e ainda que comerciem com Rússia e China, sabem o risco que representa um alinhamento maior com o regime autoritário de Pequim e a corrupta autocracia russa. Por esse motivo que líderes do velho continente como Macron e a própria Merkel apostam na aliança atlântica, e por esse motivo certamente consideram Trump um incômodo temporário que a própria democracia norte-americana irá se encarregar.

  15. A galera da União Europeia, ao invés de torcerem a cara para essa exigência do Trump, deveriam era agradecer pois desde o final da II Guerra, é a justificativa perfeita para os eles recuperarem parte da sua dignidade perdida para os americanos, desde que esses implementaram o Plano Marshall em fins dos anos 40. Claro, isto se houver ‘estadista’ dentro da UE à altura que tenha coragem de ‘bancar essa chance’ ou, se os europeus querem continuar vivendo na zona de conforto, ‘emasculadamente’, sob as asas dos americanos.
    Claro que mesmo que a UE retomasse para si a autonomia de decisão sobre as questões de defesa sobre a sua região, ainda viveria tutelado pelos americanos em outras áreas, especialmente a econômica. Mas, pelo menos poderia andar de cabeça erguida no que tange a questões de defesa. Se quiserem…

  16. Os mesmos que comentam que a OTAN não tem mais motivo de existir, são exatamente os mesmos que comumente comentam aqui essa “aliança” Irã, Bielorússia, Rússia, China, Síria etc…além da Ucrânia “roubada”.
    Os que dizem que a Rússia não é uma ameaça para a Europa estão errados, hoje é Putin, que aparentemente não deseja uma guerra direta, mas amanhã ou daqui 10 anos a Rússia pode cair nas mãos de radicais com um arsenal nuclear gigantesco, tropas, blindados, submarinos e capacidade de produção.
    Alemanha até a posse de Hitler parecia tranquila, a liga das nações parecia funcionar, até o Hitler assumir e desvirtuar tudo.
    O mundo é mais instável do que as pessoas imaginam…não existe nenhum elemento no mundo atual que me convença da inexistente da possibilidade de grandes guerras no futuro. As mesmas forças que habitavam o homem em 1939 habitam em 2018.
    Apenas para lembrar a liga muçulmana foi o pilar que articulou as guerras árabes contra Israel, nada impede dessa mesma liga cultura um dia se voltar contra o ocidente… Aliás, já terão milhões de árabes no ” solo inimigo “.

  17. O fato é que a OTAN morreu com a saída do RU da UE com patrocínio Americano. Ninguém leva mais OTAN a sério. UE não tem nada a Temer dos Russos muito menos da China, está muito bem protegida sim pelo guarda chuva nuclear Francês, e juntando material podem sim fazer frente a uma guerra com a Rússia, lembrem-se que quem tem parque industrial e tecnologia fabrica o que quer. A Rússia não tem dinheiro nem pra terminar o SU-57, quem dirá uma guerra em grandes proporções. A Rússia quer mais é vender os recursos minerais delas, e atacar algumas províncias rebeldes, nada em grandes proporções.

    Trump está mais preocupado com essas expansões ecônomicas da UE, que está sendo muito inteligente em fazer alianças econômicas com os Russos e outros países, pois o que interessa pra Alemanha e França hoje é expandir ainda mais seus parques industriais e gerar empregos e prosperidade ao bloco, e pra isso eles precisam de energia barata e mercado consumidor e não de armamento caríssimo pra uma guerra improvável de acontecer.

    Trump bate o pé no chão, pois USA está cada vez mais endividado e decadente, torrando bilhões para se preparar para guerras hipotéticas. O Inglês já começa a perceber isso com crescimento econômico nulo no RU e a popularidade da May está despencando.

  18. Os EUA, Alemanha, RU, França, estão discutindo relações entre eles, a economia deles depende um dos outros. Olhando tanta diplomacia externa desses países parece que eles não tem assunto interno pra tratar. E o Brasil? kkkkkk. A gente podia estar dominando o comercio aqui na AL, ser um grande player dela, dar as cartas na região e ascender como potência. Mas primeiro precisamos resolver o problema interno certo? Mais ou menos, dá pra fazer uma ascensão econômica resolvendo o problema da burocracia, incentivar industrias, investir em educação superior, abarrotar os vizinhos de produtos brazuca e quando o dinheiro entrar, saúde, segurança vão se resolvendo. É o que a China fez abarrotou o mundo com seu “e commerce” só que com mão de obra semi escrava, que agora não está tão mais escrava pois a economia melhorou.

  19. Muita gente enche a boca para dizer que os EUA estão endividados e decadentes, com tom de desprezo.
    Em parte é verdade, e isso é admitido por Trump que diz que os EUA passaram a ser motivo de chacota.
    Onde estão os arranha céus mais altos dos mundo e os maiores aeroportos do mundo?
    Na China, Singapura, Malásia, Dubai.
    Tudo isso aconteceu em grande parte porque o próprio ocidente passou a investir na China que cresceu a taxas de 12% ao ano durante vários anos.
    É necessário estancar a sangria.
    Falta a Trump um pouco de tato
    Ele também está sendo alvo de perseguição injusta por parte de grupos de ativistas.
    Na ponte de Londres colocaram que ele violava direitos humanos.
    Algo sem o menor sentido.
    Apenas a lavagem cerebral desses grupos de retardados.
    Em nenhum país do mundo alguém pode entrar sem permissão.
    Mas querem que os EUA aceitem receber milhões e milhões de imigrantes ilegais.
    Se o México por exemplo ama tanto seus cidadãos, por que não lhe dá uma vida digna, em vez de empurra-los para serem sustentados pelos cidadãos americanos?
    É muita má fé da imprensa e de outros grupos.
    O próprio papa entra nessa dizendo que é necessário construir pontes e não muros.
    Com todo respeito ao catolicismo e ao papa, é muito fácil ficar sentado dentro de um palácio dizendo palavras bonitas e vazias sem se atentar para a realidade.
    Cuidar das pessoas e dos pobres significa que cada país deve cuidar de seus cidadãos
    É ensinar as pessoas a não invadirem país algum.
    Isso é cristianismo e cidadania.
    Ensine o governo do México a tratar bem seus cidadãos.
    E se ele gosta tanto de imigrantes mulçumanos, vá para o Sudão ou Afeganistão sem nenhuma proteção já que para ele tudo é bonito e não se devem usar armas…

  20. A postura fraca e oportunista da Alemanha, não investindo em suas Forças Armadas é um convite irresistível para problemas futuros, esperem e verão !
    Claro que a OTAN não é só a Alemanha, mas pelo seu peso econômico, o que ela faz ( ou deixa de fazer ) acaba ditando o rumo da situação militar da aliança atlântica
    Os problemas podem vir dos iranianos, russos, turcos, sei lá, mas que vão aparecer e logo, ah, isso virão !
    E todos sabemos que o Trump não é nenhum modelo de gentilizas mesmo.

  21. Duvido muito muito que eles abram mão da aliança atlântica.
    Se a Alemanha se aventurasse seriamente a tentar puxar a Europa para o caminho traçado, poderia hipoteticamente tomar forma um dos pesadelos mais profundos, perigo contra o qual Zbigniew Brzezinski advertiu teimosamente os Estados Unidos. “Para colocá-lo em uma terminologia que lembra a idade mais brutal dos antigos impérios – escreve Brzezinski -, os três grandes imperativos da geoestratégia imperial dos EUA são evitar a conivência e manter a dependência da segurança entre os vassalos, manter os tributários fracos e protegidos, e impedir que os bárbaros se juntem “. Uma “união de bárbaros” muito perigosa.

  22. São muitos comentários infectados pela lavagem cerebral made USA. A Europa que deveria ser ressarcida pelos bilhões de dólares que gastaram com os refugiados que as fracassadas intervenções militares americanas, no Iraque, Síria e Líbia por exemplo, geraram.
    Os EUA sob o governo de Trump não são parceiros confiáveis. Ele dá garantias de sobrevivência ao ditador da Coreia do Norte e, ao mesmo tempo, quer uma mudança de regime na Alemanha, o que os alemães não podem aceitar.

    • Concordo.
      E também, o lema “American First” de qualquer jeito. A toque de caixa. Eles precisam livrar o mundo dos Russos e Chineses malvados.
      E, tem gente que acredita que foi o Tom Hanks e o Tom Cruise que ganharam a segunda guerra mundial.

    • É aquela coisa, se de um lado há a lavagem cerebral “made in USA” de outro há a doutrinação em favor do déspota corrupto do Kremlin, que promete um mundo “multipolar” de paz e prosperidade que existe apenas na imaginação….

  23. Trump nao dxa de estar certo, mas faz cobranças de forma errada pois hostiliza os proprios aliados.
    O EUA nao precisam da OTAN, a Europa sim.
    MAS… a OTAN em si tbm perdeu um pouco a sua funcao, ja q nos dias atuais nao existem mais nem a URSS e nem o Pacto de Varsovia. Hoje a Russia nao representa ameaça a Europa e ao contrario do q muitos pensam, Putin é um ponto de estabilidade na politica russa pois faz frente aos radicais saudosistas do antigo comunismo sovietico. A maior preocupacao russa hoje sao com as republicas do caucaso q sofrem forte influencia do radicalismo islamico, sobretudo no Daguestao, Inguchetchia e Tchetchenia.
    A OTAN deveria mudar e ser transformada numa Força de Paz Internacional liderada pela ONU, e ainda aproveitaria q sua estrutura ja esta toda na Europa p ser um orgao totalmente independente intervindo somente com o aval do Conselho de Segurança.

  24. Se a OTAN é tão inútil quanto vocês falam, é só quem está incomodado com as exigências do Trump ir lá e pedir pra sair..

    A França, já fez isto uma vez.

    A verdade é que a maior parte da Europa está acostumada a viver debaixo da asa dos americanos, deixando o grosso da sua defesa para eles. Agora apareceu o Trump, que quer acabar com a farra..

    Simples assim..

    Não querem reclamações ? Saiam da OTAN!
    Não querem pagar ? Saiam da OTAN!

    “O Trump malvado, preconceituoso e misógino está me assediando..buá buá…”

    Para de chorar no Facebook e saiam da OTAN, simples assim!

  25. Mas a questão é simples , ninguém está devendo nada para o Trump ou os USA. Além disso quem está chorando é Trump, logo o incomodado é ele, então saia da OTAN. O fato é que os apaixonados pelo megalomaníaco repetem os devaneios dele sem questionar se há fundamento para essas besteiras proferidas por ele. Os EUA destinam 600 bilhões por ano para a defesa mas só miníma parte é destinada para o T.O. europeu. Os outros membros da OTAN gastam 270 bilhões de dólares para a a defesa, mas isso não quer dizer nada, as despesas operacionais da aliança atlântica são pagas por um orçamento comum,repartido da seguinte maneira: 22% EUA, 14% Alemanha, 10% França, 9,85 Reino Unido, 8% Itália, 5% Espanha, 4% Turquia … Etc. Os gastos que uma nação destina para a defesa é uma questão soberana que a própria sociedade tem de opinar e decidir através de seus representantes. Ele não tem direito de se intrometer com essa burrice diplomática. O pior foi a ingerência dele em questões como a Brexit ou o north stream . A Merkel foi paciente demais com esse Bufão que vive de propaganda eleitoral. Pois os os países estão cumprindos os respectivos deveres, a meta do 2% foi estabelecida de comum acordo para ser cumprida até o 2024, portanto ele não pode e nem deve dar uma de ditadorzinho da República de Bananas e impor de maneira unilateral o querer dele. Há também o fato que ele tem interesse direto nessa questão, como mais emprego para seus eleitores, o país dele é o principal exportador de armamentos logo um aumento nos gastos militares é uma incrível oportunidade para a o aparato industrial americano que tem entres os principais clientes membros da OTAN. A aliança atlântica apoiou os EUA , seja do ponto de vista politico e econômico, como também fornecendo bases em solo europeu e homens( vale a pena mencionar o importante mercado para sua indústria bélica ao longo das décadas) em operações cujo principal interessado na maioria das vezes eram eles. Quem ditou o rumo e a linha a seguir foram sempre eles. Primeiro agindo com ações unilaterais e depois pedindo o respaldo político e diplomático para justificar intervenções e atos sem pé nem cabeça. Fizeram e continuam fazendo tudo de maneira arbitrária sem consultar os aliados ou respeitar acordos internacionais. O reconhecimento de Jerusalém como capital, a ruptura do acordo com o Irã…etc e etc.

      • Rodrigo com respeito, as nações compartilham interesses, nao bondade, por mais que muitos insistam pintar os EUA como um super man altruísta. Ninguém faz nada sem ter algo em troca. A OTAN foi e é uma coluna da política externa dos EUA, pôr um freio a expansão soviética ( hoje a Rússia) e impedir um retorno de uma Alemanha como ator geopolítico. O objetivo da OTAN era bem claro “to keep the Russians out, the Americans in, and the Germans down”.
        Sem eles essa Otan não duraria nem 15minutos, pois essencialmente na OTAN quem dita a linha política são eles… Vale lembrar que o art. 5 foi invocado pela primeira e única vez próprio por eles no 11 de set. . Bom lembrar também que não era e não é interesse dos europeus patrulhar o mundo , ocupar ali , invadir lá… São os Yankees os principaais benefíciarios da OTAN . Imagine uma Alemanha fora da OTAN, liderando uma parte da Europa, assediada, atacada e tratada e como inimigo/rival pelo presidente dos Estados unidos , todo isso gastando 4% do PIB em defesa como esse louco prega… Qual seria o resultado? E o pesadelo deles

      • EUA para carregar os europeus ? E esse é o ponto, a OTAN não deve ser carregada por ninguém para nenhum lugar, pois os europeus já estão no próprio continente no próprio teatro , não precisam ser carregados. Não devem ser carregados para o Afeganistão ou Iraque..ou pior Irã como ele desejaria.

  26. Já basta os europeus sofrerem com a migração oriunda de países onde os EUA se meteram.
    .
    Os europeus já estão com uma aliança militar baseada na UE engatilhada. Se a OTAN for pro saco, não vai fazer falta.

    • Exatamente, os europeus só se ferraram apoiando a política externa desastrada dos EUA no Iraque, na Líbia e na Síria, além do Afeganistão.

      • Galante, Líbia e Síria são burradas legitimamente europeias. A primeira de obra da dupla Sarcozy/Cameron e a segunda muito mais de Hollande. E cumpre lembrar que ao capturar um reduto rebelde o exército sírio descobriu mísseis BGM-71 TOW com o emblema do Bundeswehr, as forças armadas alemãs. Nesses dois cenários a atuação norte-americana foi coadjuvante (Líbia) e vacilante (Síria).

        No mais é interessante recordar que a França precisou de pesado apoio logístico dos EUA quando de sua intervenção no Mali (operação serval), opertunidade em que os C-17 da USAF transportaram homens e material e os KC-135 da 100Th ARW de Mildenhall reabasteceram no ar os Mirages e Rafales. E o interessante é que um dos motivos dessa intervenção seria frear o que seria uma incursão chinesa por lá.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here