Home Asas Rotativas Exército Francês substitui helicópteros Puma por NH-90 em missão no Mali

Exército Francês substitui helicópteros Puma por NH-90 em missão no Mali

563
40

NH90 Caiman chega ao Mali - foto Min Def França

Em 3 de novembro, dois helicópteros NH90 Caiman do 1º Regimento de Helicópteros de Combate (1er RHC) do Exército Francês (Armée de Terre) pousaram em Gao, no Mali, para se integrar à força Barkhane que atua contra grupos terroristas da África Subsaariana. A notícia foi divulgada pelo Ministério da Defesa da França na quinta-feira, dia 6 de novembro. 

Esse desdobramento visa dotar a força Barkhane, composta de 3.000 militares, de material de última geração para suas operações, no caso a versão de transporte tático (TTH) da aeronave, capaz de transportar até 20 combatentes ou 2,5 toneladas de carga. Em relação ao Puma, a maior vantagem é a autonomia superior e a melhor proteção no caso da aeronave ser alvejada ou se acidentar. O NH90 também é dotado de comandos de voo elétricos, com maior manobrabilidade e agilidade, sendo capaz de realizar missões noturnas e diurnas nas condições difíceis do deserto, segundo a nota do MD francês.

As duas aeronaves substituem dois helicópteros Puma que retornarão à França no final deste mês. Para o traslado rumo ao Mali, os NH90 decolaram de Phalsbourg em 28 de outubro e realizaram escalas em Málaga, Gran Canária e Dakar, até o destino em Gao. Nesse traslado, já transportaram 15 pessoas e equipamento técnico destinado à própria manutenção, por aeronave.

NH90 Caiman chega ao Mali - foto 2 Min Def França

FONTE / FOTOS: Ministério da Defesa da França (tradução e edição do blog das Forças Terrestres a partir de original em francês)

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
40 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Mudando de cueca pra ceroulas, é interessante que em toda a Europa (Ocidental) a única configuração de helicópteros é a tradicional, com rotor principal e rotor de cauda. O que muda é que as vezes se troca o rotor de cauda convencional por um sistema “fantail” (Fenestron).
Na Rússia, a exemplo dos EUA, há pelo menos 3 tipos diversos de configuração.
Rússia: tradicional, tradicional/fantail, coaxial.
EUA: tradicional, interengrenado, Notar, tandem.

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Os soviéticos tinham um helicóptero com rotores em tandem, o Yak-24, mas que deixou de ser produzido há muito tempo. Apesar dos EUA ter desenvolvido helicópteros com rotores coaxiais, apenas algumas unidades foram fabricadas. O que obteve grande sucesso foi o DASH, drone antisubmarino. No frigir do ovos, a URSS/Rússia nunca desenvolveu o conceito de helicóptero com rotor interengrenado, nem o conceito “NOTAR”. Já os EUA não obtiveram muito sucesso no conceito de rotores coaxiais e nunca colocaram em linha de produção nenhum helicóptero com o sistema “fantail” (Fenestron). Agora, há um novo ânimo por parte dos EUA em usar… Read more »

Clésio Luiz
Clésio Luiz
5 anos atrás

Eu lembro do Marcus Piffer falando sobre a posição do artilheiro no NH-90, que não parecia muito boa. Como ficou nas aeronaves de série?

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Bosco, Os EUA operaram tb o estranho Kaman HH-43 Huskie que possuia algo que “eu” acho que era um meio termo entre rotores coaxiais e transversais 🙁 , mas era muito estranho mesmo. Ele teve muito trabalho na década de 60 no Vietnan, mas era conciderado inadequado. Hj a grande aposta da Sikorsky é o S-97 Raider com sua X2 Technology que já está disputando com o Bell V-280 Valor. Ambos foram classificados para a fase TD – Techinology Demonstration do JMR – Joint Multi Role Technology Demonstrator Air Vehicle… … é engraçado, daki para frente vai ser tudo Joint.… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Mas pq a Super Kombi não foi para o Mali? Lá não tem água, não precisa ter medo.

Acho que elas já estão no salão para colocar o kock novo.

Grande Abraço.

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Oganza, O sistema do Huskie é o “interengrenado”, a que me referi no primeiro comentário. Hoje o sistema é usado no levantador de tronco K-MAX. Esse sistema é o que posso chamar de estupidez. Muito perigoso. Não é à toa que teve um sucesso relativo e hoje só é usado na indústria madeireira. Uma pena que o sistema “coaxial”, não tenha vingado nos EUA, já que eles foram pioneiros no sistema, contemporâneos dos soviéticos. Agora, o conceito “coaxial” volta com força total nos “compostos”. Para alegria dos fanboys russofólicos de plantão que não perdem a oportunidade pra gozar os americanos.… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Verdade Bosco, Minha duvida com relação ao X2 é se ele tem a mesma capacidade de spenção de um coaxial comum ou mesmo o de um helicópitero para o mesmo porte/tonelagem. O Valor da Bell, que é um evolução do V-22, deve ter um alcance maior que o derivado do S-97 para o JMR, assim como maior velocidade, mas enchergo restrições quanto ao seu uso em Fragatas e Destroyers… essa licitação promete. Agora até onde eu li a AVX já foi eliminada… na verdade tenho uns pdf deles aki e que eu gostaria de ver mesmo era alguma de suas… Read more »

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Oganza, Escrevi primeiro e li seu link depois. Não sabia da versão SB-1 Defiant, baseado no X-2, para futuramente substituir os Black Hawks. Sabia só da versão menor, o S97 Raider, leve. Também não sabia que a proposta da AVX já tinha sido eliminada. Uma pena! Torço para o conceito da Sikorsky vingar e não para o tilt rotor da Bell (V280 Valor). Já existe o V-22 que usa o conceito “tilt rotor” e acho que seria interessante para a indústria aeronáutica se um “helicóptero composto” vencesse. Os americanos estão com programas de longo prazo para substituir todos os seus… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Minha duvida com relação ao X2 é se ele tem a mesma capacidade de spenção – é suspenção

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Bosco,

no problema, mas tem um outro as 19:15… 😀

Grande Abraço.

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Oganza, Pelo que já li a respeito do sistema ABC do X-2 e derivados é que ele é sim tão competente quanto um helicóptero convencional de igual porte, apesar de ter pelo menos o dobro do alcance e ser 50% mais veloz. Sem falar que ele não precisa de asas, apesar de ser um conceito de helicóptero composto. As asas num helicóptero composto “convencional” prejudicam o desempenho do rotor quando no modo “vertical”. Não é o caso do conceito ABC do X-2. No modo horizontal, os rotores rígidos coaxiais do sistema ABC podem reduzir drasticamente sua rotação sem prejuízo da… Read more »

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

Oganza, Pelo que já li a respeito do sistema ABC do X-2 e derivados é que ele é sim tão competente quanto um helicóptero convencional de igual porte, apesar de ter pelo menos o dobro do alcance e ser 50% mais veloz. Sem falar que ele não precisa de asas, apesar de ser um conceito de helicóptero composto. As asas num helicóptero composto “convencional” prejudicam o desempenho do rotor quando no modo “vertical”. Não é o caso do conceito ABC do X-2. No modo horizontal, os rotores rígidos coaxiais do sistema ABC podem reduzir drasticamente sua rotação sem prejuízo da… Read more »

Iväny Junior
5 anos atrás

A família dos Pumas e Super Pumas dando lugar ao grande NH90.

Só me surpreendi porque ninguem ainda veio descer a falar mal do NH. Esse aí sofre da mesma boataria do Typhoon. Pesquisei pra cima e pra baixo, quando falaram das “deficiencias” e não achei nenhum operador falando mal. Nenhum.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany, hahahaha vai ler as ordens do DoD alemão vai!!!! tem versão em inglês. Vai ler as ordens do DoD Australiano e vejam como eles estão felizes. E não se esqueça de perceber que a RAN cancelou seus NH-90 para comprar Sea Hawks kkkkk O DoD da Suécia nem precisa, eles reduziram as emcomendas e compraram Blackhawks A DGA não dá pq os orgãos franceses não tem a menor transparencia. vc só lê site de fabricante e já te disse que site de fabricante é igual a papel… aceita tudo. Mas vc só quer ficar no mundo do País da… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Bosco, eu sou um dos “empolgados” com o sistema X2, eu vi o video que eles produziram e é muito didático, explicando o pq um heli não pode passar de determina velocidade, onde se forma a zona de stall e como o ABC X2 resolve o problema. Claro, é tudo no 3D e 3D aceita qualquer coisa… rsrsrs Mas o DT deles já voo e atingiu 250 nós… enfim. É por isso que estou acompanhando mais de perto essa concorrência, estou muito curioso, inclusive para saber como a Bell vai realizar de fato akela mudança de eixo no V-280 sem… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

errata… atingiu 225 nós.
eita eita.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Nunão, estava zoando o EC725 sim, mas era mais o fato dele ou algumas unidades já não estarem disponíveis justamente pela possibilidade de já estarem sendo enviados para a Airbus para seu recall. Por isso terminei o comentário com “Acho que elas já estão no salão para colocar o kock novo.” 🙂 Mas pelo link que vc postou parece (meu francês e o quase-nada andam de mãos dadas rs) que vai ter que ser feita essa correção de “adenoide” ai rsrsrs 🙂 . Nossa, de 25/28(?) ocupantes para 10 é uma perde de desempenho muito grande, ta parecendo os problemas… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Nunão,

é mais ou menos isso, só que em todo o conjunto, os danos são muito similares a esses, mas são lesadas todas as partes externas e internas.

Repare nos dentes, a diferença é que o dano por sílica é até arrumado, onde os dentes tende-se a forma-se de forma simétrica por todo o compressor.

http://www.williammaloney.com/Aviation/AirVictoryMuseum/AircraftEngines/images/10PrattWhitneyTF30Turbofan.jpg

eparro
eparro
5 anos atrás

Eles poderiam usar um filtro de ar banhado em óleo, como os das antigas Kombi e do Fusca, que eram fenomenais para esse caso aí de poeira, sílica, areia etc..

Aliás, será que a HELIBRAS vai produzir algo semelhante ao NH90?

Iväny Junior
5 anos atrás

Oganza, manda os links então. Porque eu só achei blogs/sites com “entendidos” falando mal. Por exemplo: Aqui no forças de defesa, só vi 2 pilotos (Rinaldo Nery e Justin Case) e 1 mecânico de aeronaves. Nunca vi nenhum dos pilotos esculhambando com o C-295, mas já tem muitos que nunca chegaram perto de um caça e avacalham com ele. Em que pese que eu considere a opinião do Juarez abalisada, a opinião sobre o sistema de injeção do Leopard 1 que se usa no brasil não é absolutamente consistente porque ele viu rapidamente o sistema. Não pegou pra abrir, olha… Read more »

Iväny Junior
5 anos atrás

P.S. O C-295 não é caça, rsrsrsrs

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany, Na boa, não vou mesmo fazer a pesquisa que vc deveria estar fazendo e vc deveria dar uma escutada com mais carinho, por assim dizer, sobre algumas coisas que alguns de nós diz aki. Nós somos, assim como vc tb demonstra ser, apaixonados pelo tema defesa desde que éramos molecotes e particularmente eu, a muuuuito tempo, uns bons 20 anos, abandonei o olhar de paixão sega por esse ou aquele equipamento ou alguma empresa qualquer. Mas isso ocorreu por um entendimento mais global da história e dos fatos contidos nela. Isso meu caro se da de forma natural, primeiro… Read more »

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany

Ah… antes que eu me esqueça… esse é do DoD da Holanda, mas tem muita gente lá ou gente que te manda para mais gente. 🙂

Iväny Junior
5 anos atrás

Oganza

Sou amante do setor de defesa, e não pense que se o f-35, por exemplo, funcionar a contento eu vá me abster de venerá-lo. Também fazia bastante que eu não pesquisava sobre o assunto. Mas sim, esse link que você mandou elucida alguns dos problemas que eu tenho visto por aqui, relatados, no NH90. Uma pena, gosto do equipamento, bem como, gosto muito da família SH60, ou aliás, gosto da maioria das coisas que voa e ataca.

Abração.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany, com certeza. Mas só para não sairmos do topico NH-90, procure se perguntar onde “ficaria” ou seria instalada uma Chain Gun nele? Depois tente achar alguma foto na internet dele utilizando uma Chain Gun de forma operacional? Lhe adianto que não acharás, mas verás vários (mas nem tantos assim) modelos e posições diferentes e com diferentes modelos, propostas/protótipos, todas consideradas insatisfatórias por seus operadores. Mas por que? Simples, erro primário de projeto da Airbus Helicopters ao tentar projetar o seu 1º helicóptero de assalto. Sim, o NH-90 é a primeira tentaiva 100% Airbus Helicopters de um heli de assalto.… Read more »

Iväny Junior
5 anos atrás

Uma pena mesmo. Pelos problemas relatados no DoD holandês já da pra ver que a versão ASuW ficou ruim. Problemas no piso, na velocidade de cruzeiro, na estrutura da aeronave como um todo, enfim uma pena. Tinha escala pra ser o melhor supermédio.

Só uma correção, ele é NHIndustries. Uma parceria Agusta/Westland, Airbus, Finmecanicca e Sikorsky se não me engano. Abração Oganza.

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

A posição pouco convencional da janela do atirador no NH-90 deve ser uma tentativa de corrigir um “problema” do UH-60, que quando instalado com seus suportes externos fica com o arco de fogo limitado.
Na verdade só é possível ao UH-60 usar sua metralhadora quando não equipado com os suportes.
O projetistas devem ter imaginado que colocada a janela atrás esse problema seria resolvido em qualquer configuração do helicóptero europeu.

Bosco Jr
Bosco Jr
5 anos atrás

O UH-60 deveria permitir a instalação de um suporte de lançador de foguetes M261 como no UH-1Y, conectado ao piso e não ao teto.
Isso aumentaria a flexibilidade do helicóptero.
Hoje, se ele usar os lançadores de foguetes a partir dos suportes externos, limita muito o arco de tiro da metralhadora manual.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Bosco,

o problema é que a tal janela, a “oficial”do NH-90 não permite ângulos maiores que 40º para cada lado… não existe espaço para os cotovelos. 🙁

A chain gun, como vc sabe, é a arma mais importante de um helicóptero de assalto, mais que foguetes ou mísseis, por isso foi dada tanta enfase em uma maior proteção a seu operador na concorrência que o Blackhawk venceu, inclusive o modelo derrotado da Boeing tinha praticamente a mesma solução e na mesma posição.

Tal proteção é zero nos Huey.

Grande Abraço

Oganza
Oganza
5 anos atrás

É verdade Bosco, mas é interessante notar que o US Army fez pouco uso desses pontos duros externos de seus UH-60… quem mais o fez foi o USMC e a US Navy. Até a USAF em seus HH-60 optou pela sonda de REVO para “não ter” que usar os suportes de teto principalmente pelo perfil de suas missões de SAR e CSAR. No fim, a utilização de tais suporte acabou sendo mais visto fora dos EUA em FFAA com menos recursos. Os HH-60 Pavehawks da USAF tem como padrão no Afeganistão por exemplo, só decolar com escolta dos Apaches. Por… Read more »

juarezmartinez
juarezmartinez
5 anos atrás

Ivany escreveu: ” Em que pese que eu considere a opinião do Juarez abalisada, a opinião sobre o sistema de injeção do Leopard 1 que se usa no brasil não é absolutamente consistente porque ele viu rapidamente o sistema. Não pegou pra abrir, olha os dutos, as vávulas… Só deduziu que o diesel s500 vai entupir o motor dos melhores carros de combate do mundo na época deles.” Ivany, meu filho. aoinda que pese a minha idade, chutando a porta dos cinquenta este mês, ter de usar óculos b ifocais, após o 45 e ficar meio rabujento com o pasar… Read more »

Mauricio R.
Mauricio R.
5 anos atrás

“…ele é NHIndustries. Uma parceria Agusta/Westland, Airbus, Finmecanicca e Sikorsky se não me engano.”

Xí, então vc está mto enganado e o que é pior, não foi se desenganar antes…
Workshare da NH Industries:

Airbus Helicopters France 31.25%
Airbus Helicopters Deutschland 31.25%
AgustaWestland 32%
Fokker 5.5%

A Finmecanicca não é parte da NH, mas é a holding das participações acionárias do governo italiano, em um monte de empresas e a Sikorsky é a concorrente direta, pedra no sapato, amolação, fura zóio, etc, etc, etc…

Iväny Junior
5 anos atrás

Juarez Quando o pessoal me traz os links, eu leio, vejo o server, vejo o que é fato e o que é interpretação dos fatos e tiro minhas conclusões. Sinceramente, até hoje não tinha visto nenhuma fonte segura dos problemas do NH 90. Como ainda não vi do Tiger (Alias, só vi elogios à nova versão ASGARD do exército alemão). Mas é difícil imaginar que um carro de combate com 3 participações efetivas em conflitos (sempre do lado vencedor) não tivesse capacidade de operar com uma gama variada de compostos diesel. Aí meu amigo, você há de concordar que tem… Read more »

Iväny Junior
5 anos atrás

Obs. Me confundi porque a própria Agusta já fabricou sob licença os grandes Sea King da Sikorsky. Alguns dos utilizados pela Mb eram italianos.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany,

🙂 meu querido, qual parte de “holding das participações acionárias do Governo Italiano” vc não entendeu?

“Como ainda não vi do Tiger” aiaiaiaiai, Don’t be lazy, pleeeease

a bit dirty little secrets, again !!!

http://www.strategypage.com/dls/articles/Germany-Backs-Away-From-The-Eurotrash-4-29-2013.asp

I’m so sorry man.

Oganza
Oganza
5 anos atrás
Oganza
Oganza
5 anos atrás

não vai ter Tufões aki, pq esse não é o lugar 🙂

Iväny Junior
5 anos atrás

Essas fontes aí não são fiáveis Oganza.

Oganza
Oganza
5 anos atrás

Ivany,

não pegou né? Temia isso mais não surpriende.

look the sources.

os meios só divulgaram ou usaram fontes, e ambos os casos listados.

Bons sonhos na Eurobambilandia.