Home Adestramento 20º RCB aplica estágio de motorista de M60 A3 TTS

20º RCB aplica estágio de motorista de M60 A3 TTS

4441
72

No período de 13 a 24 de agosto, a Seção de Instrução de Blindados do 20º RCB aplicou o Estágio Específico de Motorista de Viatura Blindada de Combate M60 A3 TTS.

As instruções ministradas durante o estágio fizeram parte do período de qualificação dos cabos e soldados do “Regimento Cidade de Campo Grande”.

O 20º Regimento de Cavalaria Blindado (20º RCB), conhecido como Regimento Cidade de Campo Grande, é uma unidade do exército brasileiro, localizado no município de Campo Grande, no estado de Mato Grosso do Sul, vinculado à 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada.

Sua estrutura organizacional compreende: duas subunidades escolares (o Núcleo de Preparação de Oficiais da Reserva e o Núcleo de Subunidade Escolar do Curso de Formação de Sargentos Armas), um Esquadrão de Fuzileiros Blindado, equipado com 14 viaturas blindadas de transporte de pessoal M113, dois Esquadrões de Carros de Combate, equipados com 32 carros de combate M60 – Patton e um Esquadrão de Comando e Apoio.

Além das missões típicas de uma unidade blindada da Arma de Cavalaria, o “Regimento Cidade de Campo Grande” tem a incumbência da formação de oficiais temporários de Cavalaria no Estado de Mato Grosso do Sul e é, ainda, uma das organizações militares do Exército responsáveis pela formação básica de sargentos das Armas.

FONTE: 20º RCB

72
Deixe um comentário

avatar
27 Comment threads
45 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
PanzerBlindmans BluffCignusRJJuarezAgnelo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Carpophorus
Visitante

Não seria interessante o EB conseguir mais alguns M60 com os EUA e buscar uma modernização com os Israel ensues?

Rafael_PP
Visitante
Rafael_PP

Se não me engano, os que se encontram em melhores condições estão sendo convertidos em veículos de recuperação, os M88A2.

Bardini
Visitante
Bardini

Não

Blindmans Bluff
Visitante
Blindmans Bluff

O EB poderia fazer como o IDF e converter esses MBTs obsoletos em HAPC.

https://en.m.wikipedia.org/wiki/IDF_Achzarit

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Com Israel é uma opção.

Prefiro nos USA.

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Interessante como o terreno se encarrega de camuflar ou estragar a camuflagem das viaturas. Sei que a manutenção de uma tropa blindada é bastante dispendiosa, e a famigerada restrição orçamentária insiste em estar presente nas primeiras páginas. Mas na minha opinião, deveríamos criar uma Nova BDA BLD quaternaria, ou seja mais dois RCC e dois BIB. E ainda criaria mais dois RCB como reserva blindada. Estes regimentos reserva ficariam localizados, um na AMAN onde seria manutenido e mobiliado por alunos e o outro em um grande campo de instruções. E seria mobiliado por reservistas em sua grande maioria. Em um… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Legal. Eu acho a ideia de uma família SL excelente… Mas com que dinheiro? A conta do MD para a próxima década é gigantesca. Coloque nisso o pagamento dos Guarani, KC-390, dos novos caças, submarinos, novos navios e etc. Não vai fechar, infelizmente. . Tem muita coisa que se tornou desnecessária no Sul. Ninguém comenta a reestruturação das FFAA argentinas, que estão virando uma espécie de “Guarda Nacional”. Ninguém comenta que eles não são mais ameaça e que o inimigo do futuro deles, será o Narcotráfico… . Tem muita coisa que pode ser realocada e reestruturada, tem muita coisa pra… Read more »

Gabriel
Visitante

Eu sou totalmente contra como é hoje! Por mim, moveria 2 Bda Mec da região Sul para outros lugares, como Nordeste e Mato Grosso/Rondônia. 2 Bda Blind, 1 Bda Cav Mec e 2 Bda Inf Mec é mais que o suficiente na Região e dá pra enfrentar os 3 países da região juntos! Se for pra criar uma 3a Bda Blind, que seja em Roraima, onde há centenas de km2 para operar no Lavrado. Sobre M1, só se fe usado e sem aquela turbina, que consome 50% do orçamento voltado para manutenção do Abrams na US Army. A GDLS oferece… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Senhores Quando se defende, primeiro se analisa o Terreno, depois o inimigo. Para o terreno, suas diversas características de análise, a formatação não está incorreta. Quando se considera o inimigo, pode até ser considerado muito, com esse inimigo, mas se houver apoio de outro? E se tivermos q realizar uma ação ofensiva posterior a defensiva para reavermos algo ou impormos acordo de paz? Um conselho (se fosse bom se vendia) Cuidado com leitores da 4 rodas q não sabem dirigir… a análise pode ter bom português, mas terá um palmo de profundidade. Quanto a ideia de serem RCB e não… Read more »

Cinturão de Orion
Visitante

Perfeito, Agnelo.

Gabriel
Visitante

Agnelo, não só está incorreta como MUITO incorreta. Interior Nordestino, Lavrado Roraimense e Centro-Oeste são melhores para se operar blindados que os Pampas. Uma coisa me deixou curioso, você nos chamou de “leitores de quatro rodas que não sabem dirigir”? Se sim, por favor, não use a arrogância com quem não conhece, pois não o conheço e respeito sua opinião, apesar de discordar e ter dados para fundamentar a minha. Se interpretei errado, me perdõe! E outra, quanto a falar que “é muito caro”, a ideia é justamente remover RCB’s da Bda CMec, substituíndo por um BIMec ou RCC-SR, inclusive… Read more »

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Não há nada de errado com a distribuição dos meios (MBT) no território, o problema é a quantidade e o fato de serem meios relativamente ultrapassados, ou seja, deveríamos ter uns 30-50% a mais de MBT e mais modernos (canhão de de 120mm, Ariete, Leo2 etc…). MBT no nordeste não faz o menor sentido…primeiro que não há nenhuma ameaça lá (não vai haver nenhum desembarque inimigo kkkk ninguém vai invadir um pais com quase 220 milhões de habitantes por desembarque em pleno século 21…isso não existe, o principal país com essa capacidade é os EUA e são nossos aliados), segundo… Read more »

Gabriel
Visitante

Ivan, cara, quem falou em MBT no Nordeste? Falei em Bda CMec, sem o RCB e outra “o terreno na maioria não é propício”, isso é claramente um atestado de você não conhecer platicamente nada a região Nordeste! De Feira de Santana até os confins de Fortaleza, é puro campo aberto, misturando entre Caatinga e Cerrado! Sobre a “possibilidade de conflito”, as chances de se ter no Sul e no Nordeste são as mesmas: nenhuma! Argentina está se transformando em uma Gendarmeria, Uruguai e Paraguai perdem pra um simples RCC. Seu conhecimento topográfico é horrível ao ponto de falar que… Read more »

Gabriel
Visitante

E pra complementar meu post, o solo do Cerrado, Caatinga e Lavrado são solos mais firmes do que os Pampas. Isso é um fato geológico, ou seja, permitem blindados com maior pressão ao solo agir. Veja como se dá o uso de EE-9 nesses terrenos citados, que possui alta pressão ao solo (maior que o Leo 1), em comparação ao Pampas. E eu realmente espero que o Agnelo não tenha sido arrogante ao nos chamar de “leitores da 4 rodas q não sabem dirigir”, pois não fui eu que recusei o uso do Leopard 2A4, por ser “pesado demais” enquanto… Read more »

Gabriel
Visitante

Agnelo, mais uma vez você mesmo se refuta. O M60 pesa apenas 1 tonelada a menos do que o 2A4, isso não fará a MENOR diferença. Se a ponte cairia com o 2A4, os M60 nem passariam por ela pois operar no limite da capacidade é temerário, isso é o básico da engenharia! Se for pontes móveis do EB, o mesmo possui algumas com capacidade superior á 150 toneladas. Pergunte a qualquer Engenheiro civil e diga a ele que um blindado de 55 toneladas não pode operar no país por causa de pontes… Desculpa esfarrapada e sem qualquer fundamento, já… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Gabriel 28 de agosto de 2018 at 11:24 Prezado Não preciso perdoa-lo Sim, vc entendeu errado. Não chamei vc de “leitores de quatro rodas que não sabem dirigir”, disse para tomar cuidado com esses. O Lavrado roraimense e o CO também são aptos ao uso de Bld. E no Sul, como é o terreno nos nossos vizinhos? A rede rodoviária para apoiar uma operação? O interior NE? É, mas quem vai lá? É mais fácil alguém se fortalecer na vizinhança com apoio tornando-se uma ameaça do q aparecer uma ameaça q desembarque no NE, suba a serra e vá pro… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Gabriel 28 de agosto de 2018 at 11:39 Os Leo 2 são, em $: A4 = 4 Leo 1 A5 A7 = 20 Leo 1 A5 Um MEM custa, em média, 10% de seu valor ao ano para manter, operar e se desfazer… põe na balança. Pontes e meios de transposição de curso d’água “sentem” o peso e não a pressão. E quanto aos inimigos… Não ameaças a curto prazo, mas é mais fácil surgir nos vizinhos, do q uma força q desembarque aqui. Lembre da história: Todos os países q não atentaram para a hipótese masi perigosa, perderam ou… Read more »

Gabriel
Visitante

Simples, o Interior de NE é um fácil acesso até o Centro-Oeste, caso seja necessário apoio até lá, mantendo a retaguarda da 4a Bda CMec. Isso pela 030 e pela 116, sem falar em poder apoiar o Norte e Sudeste. Não há nenhuma ponte na BR-174 até ser dividia em 2 Rodovias, com a RR-202, isso já próximo de São Marcos. A Serra é totalmente transponível pelo lado Leste da Fronteira, já o lado Oeste possui rios propícios para servirem de transporte para viaturas anfíbias até Tepéquem. São 361 km de distância entre Luepa e Boa Vista. Ativos estratégicos em… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Gabriel 28 de agosto de 2018 at 17:28 “caso seja necessário apoio até lá” são distâncias longas PRA BURRO! “A Serra é totalmente transponível “: por onde? Pelo terreno? E os trens logísticos? E as pequenas estradas paralelas para as fraçoes desdobrarem seu Ap Fg? PC? área de trens? “viaturas anfíbias”: Isso só permite rápidas transposições em pontos específicos, não transpõe toda a “máquina”, seu Ap Fg, PC, Log etc ” Sobre pontes, isso é uma das piores desculpas”: Vc confunde as pontes das rodovias principais com as diversas pontes nas pequenas estradas onde as tropas se desdobrarão. Oficiais da… Read more »

Angelo Chaves
Visitante
Angelo Chaves

Não acredito que um suposto inimigo iria desembarcar nas praias do nordeste para uma invasão, mas se o fizesse seria com objetivo de atingir Brasília, e como eu conheço bem a topografia do estado da Bahia e suas, suas barreiras naturais, e supondo que a invasão começasse por este estado, posso dizer que blindados de combate só seriam úteis do lado de lá do são francisco… na região oeste, onde há as áreas descampadas topografia plana e solo firme. A força invasora evitaria um desembarque na baía de todos os santos, sob custo de se envolver numa demorada batalha urbana,… Read more »

Gabriel
Visitante

Ah claro, ainda há a RR-171, que fica há 50 km da fronteira e tem acesso ás estradas vicinais.

Ignorar que ao Norte há condições de ocorrer um combate blindado é de uma bobagem enorme…

Agnelo
Visitante
Agnelo

A 171 começa (Uiramutã) e acaba no Brasil…
Toda a manobra depende de somente uma rodovia q sai da Venezuela pro Brasil.
As tropas Venezuelanas em fronteira com o Brasil são Bda de Selva.
Até a Venezuela encrencar com o Braisl e concentrar seus meios para atacar o Brasil por UMA rodovia….. RR já terá uma Div com Bld suficientes lá.

Cinturão de Orion
Visitante

Olá, Bardini. “…enquanto o Norte e Nordeste não tem nenhuma?”. Gostaria de tentar responder. O Teatro de Operações do Nordeste “absolutamente não necessita” (portanto não justifica) a existência de Unidades Blindadas: smj, é uma Região “sem objetos – e riquezas, e alvos” de interesse externo estratégico (minerais, parques industriais críticos, instalações, etc.) e sem inimigos para enfrentamento blindado. É uma Região “com costas quentes” (nós mesmos) e “de frente para o Mar” (daí, o inimigo). (Havendo interesse em invadir o/pelo Nordeste) Qual seria o inimigo via Mar? Qual Marinha “interessada” teria uma Frota para Desembarque de MBTs para abrir, manter,… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Norte e Nordeste tem sim estruturas e ativos extremamente estratégicas. Belo Monte, Zona franca de Manaus, Serra dos Carajás e Oriximiná, Tucuruí, entre outras coisas… . Uma Brigada Mecanizada poderia ficar a tarefa de cobrir necessidades que surgirem em todo o Norte e Nordeste. Não precisa ficar no meio do mato e dentro de um rio. Pegue o Mapa do Brasil e veja onde hoje fica a Brigada Mecanizada mais próxima do Norte e Nordeste. Fica no CMO… Trocentos mil km de distância. Eu não concordo com isso. Não faz mais sentido o Norte e Nordeste não ter cobertura de… Read more »

Cinturão de Orion
Visitante

Caro Bardini. Perdão, mas você se equivocou. Falei que a Região “Nordeste” não possui objetos (ativos, se preferir) estratégicos. “… Belo Monte, Zona Franca de Manaus, Serra dos Carajás e Oriximiná, Tucuruí …”, como você citou, estão na Região Norte, e envoltas por “floresta”. Blindado e floresta simplesmente “não se comunicam”. E não me entendeu quando diz “Você falou do M60 que levaram pra lá… Veja a novela que foi levar aquele trambolho lá pra cima, o tempo que demorou. Imagina deslocar uma Brigada.”. Falei que, pelo que penso, em breve RR terá um RCB (ou RCC, pode ser) dotado… Read more »

Ivan BC
Visitante
Ivan BC

Gabriel 28 de agosto de 2018 at 7:53 Desculpa se eu fiz um comentário estranho e não me fiz entender. Mas o nordeste, assim como outras regiões, vai receber o Guarani…isso faz parte do plano, por isso mais de 2000. Quanto aos MBT, então todos os militares e especialistas estão errados…vamos por blindados na Caatinga e litoral do nordeste! Eu não disse que não há área aberta no nordeste, eu disse que não há ameaça de guerra em campos abertos no nordeste, pois não faz fronteira com ninguém. Vamos por blindados no sertão e no litoral do nordeste e esperar… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

“Mas o nordeste, assim como outras regiões, vai receber o Guarani…isso faz parte do plano, por isso mais de 2000.”
.
Qual vai ser a unidade que vai receber Guarani, no Norte e Nordeste?

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Existem apenas duas unidades de cavalaria no NE, o 16° RC Mec em Bayeux PB e o 10° Esq Cav Mec em Recife PE.
E até onde eu sei, o 10° Esq Csv MEC tem previsão de recebimento de 03 viaturas Guarani depois de 2020 por conta do grande número de Missões GLO.

Gabriel
Visitante

E qual possibilidade de conflito com Uruguai, Paraguai e Argentina? Absolutamente NENHUM! Hoje nossa maior ameaça é Venezuela e 90% das tropas móveis estão no Sul! O Nordeste é uma sugestão, mas já disse sobre posicionar uma Bda CMec em MT e RO, há muito espaço para manter tropa. E outra, que especialistas? O EB está errado em muita coisa: não comprar 2A4 em 2005 e 2009, dizendo que era “pesado” demais (pesa 1 tonelada a mais que o M60, pressão ao solo muito inferior e é comum ver cavalos-mecânicos transportarem escavadeiras de 70 tons), em insistir no MSS 1.2AC… Read more »

Joao Moita Jr
Visitante

O M-60 está “espetado” lá na minha base, em Los Alamitos, CA. É um bicho que mesmo velho é bem robusto e confiável, e ainda dará muito caldo no Brasil.
E bonitão paca.

Giovani Bento
Visitante
Giovani Bento

Além de leigo sou lerdo também. E apesar do Colombelli já ter me explicado uma uma vez, ainda não consegui entender a diferença de missão entre um RCB e um RCC em conjunto com um BIB.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Os RCC tem só CC. Os BIB tem só VBTP.
Suas Frações podem ser misturadas temporariamente, constituindo Forcas-Tarefas.
RCC e BIB estão inseridos em uma Bda Bld, q por ser a mais poderosa Bda em um exército, fazem a ação principal ou ficam na Reseva para uma intervenção decisiva.
O RCB já é uma FT, com 2 Esqd CC e 2 Cia Fuz.
Mas faz parte da Bda CMec, q tem outra função em um combate, como cobertura, por exemplo.
As Bda Bld são pesadas.
As Bda CMec são Médias.

Gabriel
Visitante

O EB já poderia pensar em extinguir os RCC’s e BIB’s, formando apenas RCB’s, semelhante ao Armored Brigade Combat Team, com cara Bda Blnd possuindo 3 RCB’s e um RCM.

Na ABCT possui praticamente a mesma formação.

Sem falar que os elementos de manobra, VBC CC e VBTP/VBCI, fazendo parte do mesmo Regimento, facilita a instrução como FT Blindada.

Giovani Bento
Visitante
Giovani Bento

Obrigado pelo esclarecimento Agnelo, na minha ignorância eu achava que as funções eram ao contrário, com os RCB’s fazendo a ação principal.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Dependendo da situação, o RCB pode ser empregado na ação principal de sua Bda.
Sds

sergio ribamar ferreira
Visitante

fomentar na indústria de defesa e através de diversos blindados que possuímos um que atenda nossas necessidades. não adianta comprar CC, ainda que aproveitáveis, de terceira geração ou modernizá-los. Precisamos, sim de um novo e projetado para nosso território e que possa ser exportado para outros países para isso faz-se necessário diminuir os impostos e dar liberdade para que a indústria privada possa empreender. Um canhão de 120mm além de um veículo 8×8 sobre rodas também deveria ser cogitado. nada mais a declarar, despeço-me com um grande abraço. Muito há de fazer nas três forças armadas.

Humberto
Visitante
Humberto

sergio ribamar ferreira 28 de agosto de 2018 at 1:28 O que você postou é bacana, mas irreal. Não temos experdise para construir um carro de combate, não fabricamos componentes, nem motores e nem o armamento, não fabricamos nem a blindagem, claro, tudo isto pode ser adquirido ou desenvolvido, mas é demorado (mão de obra, linhas de montagem, pesquisa etc) e caro. NENHUM empresário é maluco em gastar tubos de dinheiro sem a expectativa de lucro, o mercado interno é que deve absorver o investimento e exportações são uma maneira de conseguir dar sobrevida à linha de produção, não o… Read more »

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Caro Bardine, na atualidade temos apenas duas BDA BLD, a 5° e a 6°. Creio que todos aqui sabemos das nossas restrições orçamentarias. Mas devemos olhar o tamanho da nossa nação, ver que temos forças armadas muito aquém das nossas necessidades. A princípio não temos um inimigo declarado, mas o quadro de incertezas que desponta no horizonte é no mínimo preocupante. Vemos o mundo se preparando pra um conflito global, que talvez nunca aconteça. Por isso que sugeri uma troca do nosso vetusto Leopard 1A5 por algumas centenas de M1A1 dos estoques do malévolo irmão do Norte. Esse, com toda… Read more »

Mikhail Bakunin
Visitante
Mikhail Bakunin

Para quem estava chorando em outros posts sobre o coturno do EB ser preto, de uma boa olhada na última foto. A primeira coisa que vai para o cacete quando se está em campo é o brilho do coturno.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

O EB está em fase de análise para mudança de fardamento. O coturno será fosco e não mais engraxado seja preto ou marrom.

Gilbert
Visitante
Gilbert

Nas fotos dão para ver a melhor camuflagem visual que existe

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Interessante o uniforme “camuflado em marrom” de parte da equipe de tanquistas. Li quase todos os posts, é interessante os vários pontos de vista encontrados. Segue minha opinião: – Os regimentos de carros de combate podem muito bem estar equipados com carros de combate do porte do Leopard atuais (modernizados) – Regimentos CC no Sul do Pais, Centro oeste e Sudeste (reserva estratégica) – Para uma tropa moderna e móvel precisamos efetivamente dos Guarani no numero inicialmente projetados, além dos atuais M-113 reformados. – Junto dos regimentos de carros de combate/mecanizados devem ser alocadas brigadas de defesa aérea, grupos de… Read more »

elton
Visitante
elton

na atividade de coin blindados pesados sao muito importantes no apoio e retomada de cidades. muito se fala sobre invasao mas o cenario mais provavel de uso de blindados e em guerra civil generalizada na qual grupos insurgentes podem ter acesso a misseis anti tanque modernos e trasformar mbt obsoletos em pilhas de sucata.

Robson
Visitante

Eu colocaria uma ferrovia cobrindo da região ao máximo possível da norte de forma a fomentar a riqueza do país e também transportar uma força blindada pesada de forma extremamente rápida pra onde precisasse… O conceito mais importante hoje chama-se flexibilidade. Acho a região norte e nordeste vulnerável a um desembarque anfibio pois os países aindam apostam neste tipo de operação.. A MB acabou de comprar o Porta Helicópteros Atlantico e o ND Bahia.. Será que foi atoa… Acho que possuir um MBT sem capacidade de lutar a noite ridículo… Nossa Espinha dorsal de choque ficaria sem capacidade de lutar… Read more »

Robson
Visitante

Corrigindo: Uma ferrovia cobrindo a região sul até a regiao norte nordeste proxima ao litoral..

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Se um grande Potência invandisse o Nordeste,com centenas de tanques, em pouco tempo estavam em Brasilia sem nada para detê-los pode ser o EUA,china ou Rússia,ou a união EUropéia em caso de defesa temos de pensar em tudo,mesmo se a probabilidade for mínima.Diz um Coronel reformado que em caso de guerra nuclear o Brasil séria invadido,os EUA ficariam com a Amazônia,a Rússia com o nordeste juntamente com a União Europeia, e a china ficaria com a África,pois o Hemisferio norte seria todo destruído.Por isto acho que concentramos nossos blindados no sul,pois os Brasileiros ficariam no sudeste e sul.

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Ronaldo de souza gonçalves 28 de agosto de 2018 at 20:21
“Diz um Coronel reformado que em caso de guerra nuclear o Brasil séria invadido,os EUA ficariam com a Amazônia,a Rússia com o nordeste juntamente com a União Europeia, e a china ficaria com a África,pois o Hemisferio norte seria todo destruído.”

Qual no nome do General, por favor?

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Aliás, Coronel.

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Deve ser um Coronel, leitor da 4 rodas, que não sabe dirigir.
Mas como bem falou um TEN CEL, que não lé 4 rodas, mas sabe dirigir: Fique atento aos conselhos!

Grande abraço a todos!

ScudB
Visitante
ScudB

Srs Editores!
Deveríamos criar uma ferramenta para monumentar as pérolas do tipo revelado neste comentário. Não basta ter os fanboys. Agora temos lidar com “contadores das historinhas de dormir”.
P.S.: Juro que jamais ouvi um absurdo deste tamanho (e ja ouvi muitos). Provavelmente tal Coronel fugiu de Barbacena. Ai explicaria tudinho.
Um grande abraço!

Soldat
Visitante

Em relação aos Tanks eu prefiro que o Brasil compre todos os leopard Alemães que estão sendo desativados na Alemanha, prefiro velharia Alemã.

sergio ribamar ferreira
Visitante

Sr. Humberto. esqueci apenas de mencionar que estas ideias de fomentar a indústria leva tempo para médio e longo prazo em projetar um CC. adquirir conhecimento do que já dispomos se leva tempo e como disse precisamos que as empresas privadas interessadas em vender seus produtos produzam não só para nossas forças mas também para nível de exportação. Creio não seja irreal e , sim basta adquirir( como bem disse conhecimento). Impostos absurdos também são um empecilho para o empreendedorismo nesta área. décadas de sucateamento e deterioração de nossa indústria de defesa devido a governos de certa forma incompetentes(para não… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Prezado Gonçalo, em caso de guerra nuclear acredito que nem as colonias em Marte estariam seguras. Brincadeiras a parte, Russia, EUA, China, Inglaterra, Alemanha, França, Italia, Japão, Coreias, e grande parte da Europa estariam em frangalhos. Duvido que as forças restantes estariam ocupando o Brasil, muito provavelmente estariam sendo utilizadas para socorrer os sobreviventes e para recuperar as estruturas que restaram em pé. Num cenário de guerra nuclear países como o Brasil, Australia, India (que provavelmente também seria um alvo junto com o Paquistão), demais paises sulamericanos e alguns africanos que sofreriam menos danos e ganhariam uma outra relevancia, certamente… Read more »

Gonçalo Jr.
Visitante
Gonçalo Jr.

Eu? Não toquei em nada do assunto que o colega narrou acima. Acho que se confundiu.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Só para constar, o USArmy está MUITISSIMO arrependido das reduções q fez.
Estruturas que acabaram vão voltar.
O mais legal é a criação do Army Futures Command, que reunirá estruturas de outros comandos, como o TRADOC e trará novamente o USArmy para as capacidades de uma guerra em larga escala.

Serve de grande ensinamento: História e ameaças cíclicas! Não perca capacidade!
Sds

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

M 60 ?

Defendo este Upgrade:

https://www.youtube.com/watch?v=fFPuYIy3hB8

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Você repetiu o mesmo link.
Bacana esta modernização, canhão de 20mm ,eletrônica embarcada e tal. Tem vários upgrades de empresas distintas e até um com adoção da torre do Abram M1. Tem aqui no Forte um tópico onde discutimos muito sobre esta questão onde coloquei até fotos de versões do M-60 A-3 modernizado.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
colombelli
Visitante
colombelli

Eu comandei blindado. O nordeste e o contro oeste não são melhores terrenos para blindados que o Sul. Pode se operar lá, mas o melhor terreno são os pampas, e como bem disse o Agnelo tem que se operar com base no que tem do outro lado. Nestes outros TO não existe possibilidade bem remota de uso de blindados por inimigos potenciais. Aliás se concebêssemos isso o invasor seria tal que nem com 1000 carros faríamos frente. Pés no chão e menos viagem na maionese. Ainda, o fato de a Argentina estar morta hoje não significa que estará no futuro… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Perfeito

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

Muito bom Colombelli, Estava sentindo sua falta!
Gosto dessa ideia da formação de reservas. Temos que ter uma boa reserva de blindados, artilharia e armamentos portáteis.
Quando o substituto dos vetustos FAL e FAP chegar por completo, os mesmos deveriam ser revitalizados e colocados nas cias DRAM como reserva estratégica.
Grande abraço a todos!

colombelli
Visitante
colombelli

Artilharia e carros não se improvisa e não se consegue fácil. Importante ter reserva que pode ser mantida a baixo custo.
Quanto aos FAL e FAP certamente vão pra reserva e para os TG. Os FAP especialmente tem pouco uso. O que liquida com a arma é a mão do EV no serviço.

Juarez
Visitante
Juarez

Colombelli, que bom que você junto com Agnelo trouxeram a luz novamente.
Quem já operou com blindados de lavar e de rodas no inverno gaúcha na “tundra do Pampa” sabe aonde a corda aperta o sapato.Colocar um CC SL 8×8 lá seria mesma coisa que colocar um elefante no Pantanal.

Silvio RC
Visitante
Silvio RC

É muito bom ver você se fazendo presente nobre Juarez!
Sempre admirei o M1A1 mas sempre ache a operação dele pelo EB proibitiva. Mas depois de ver algumas explicações suas comecei a mudar de ideia!
Se possível, quero saber sua atual opinião sobre adotarmos o M1A1 via FMS.
Um grande abraço!

colombelli
Visitante
colombelli

Positivo, roda nos “olhos de boi” fica no primeiro. A lagarta já é dificil. Eu mesmo atolei blindado, e precisou dois pra tirar do lugar. Tinha até muçum no buraco aberto pela lagarta. E nas várzeas de arroz nem pensar. Olhe lá um CC para entrar. Então as localizações das OM estão bem e corretamente distribuidas. Eu so penso que a PQDT deveria ir para Anápolis de uma vez ( motivo melhor localização e loca para treinamento e a colocaria todo reunida em um “forte”) e a 9 Brigada ser alocada em Tocantins ou no nordeste do MT. Motivo, deixar… Read more »

CignusRJ
Visitante
CignusRJ

Duas perguntas:
Vi que Taiwan e se não me engano a Tailândia estão modificando e modernizando os M60 pra se tornarem caça tanques. Isso seria uma boa para o Brasil?

Em um site de língua espanhola que que o Japão esta propenso a uma mudança de doutrina. Abandonar o uso de MBTs nas ilhas exceto na principal e reduzir o número deles. Isto procede?
E estes tanques japoneses serviriam à realidade brasileira? Não os conheço pra fazer um paralelo com os Leopard 1A5 que temos.

colombelli
Visitante
colombelli

Pra nos M-60 tem utilidade como MBT por conta do deficit de unidades que temos. Os CC japoneses são salgados demais pra nós, sairia uma banana.

CignusRJ
Visitante
CignusRJ

Obrigado pela resposta Colombelli.
Mas fiquei apenas com uma dúvida. Os carro são salgados pq são caros? Sairia uma banana pq seria barato?

Panzer
Visitante
Panzer

Certa vez li que para manter um Meio de Emprego Militar como um Carro de Combate (CC), despende-se o equivalente a 10% (em média) de seu valor de aquisição anualmente. Supondo a veracidade dessa informação (me corrijam se necessário) e tomando como base um RCC (Regimento de Carros de Combate) quaternário (quatro esquadrões), cuja dotação padrão é de 54 CCs, tomei a liberdade e fiz uma conta de padaria obtendo os seguintes valores: O CC utilizado para o exercício será o japonês Type 10. Esse modelo custa U$$ 8,4 milhões a unidade. Um dos mais caros disponíveis no mercado. Para… Read more »