Home Blindados 15ª Bda Inf Mec realiza navegação fluvial com Viatura Guarani

15ª Bda Inf Mec realiza navegação fluvial com Viatura Guarani

2482
12

Rosário do Sul (RS) – No dia 2 de novembro, a 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada – Brigada Guarani – realizou, pela primeira vez, a navegação fluvial com uma viatura blindada de fabricação nacional, utilizando o sistema de armas UT30-BR.

Juntos, a moderna Viatura Blindada de Transporte de Pessoal Média Sobre Rodas (VBTP-MSR) Guarani e o Sistema UT30-BR pesam 18 toneladas.

A atividade, ocorrida no açude Tuiuti, fez parte do processo de experimentação doutrinária da Infantaria Mecanizada, em curso de 29 de outubro a 10 de novembro, no Campo de Instrução Barão de São Borja, em Rosário do Sul (RS).

FONTE: Agência Verde-Oliva/Exército Brasileiro

12 COMMENTS

  1. Alguém entendido do assunto sabe informar se os flutuadores laterais utilizados tem dupla função incluindo blindagem extra?

  2. Porque o Corpo de Fuzileiros Navais não compram alguns Guaranis para o seu inventário de armamentos??

  3. Bom dia Zé e Joel
    Acredito não haver impedimentos para atirar em condição de flutuação.
    Mas dificilmente (salvo situação desesperadora) um comandante exporia seus blindados em uma travessia que exigisse apoio de fogo, pois este é um momento onde os carros estão muito limitados em sua mobilidade.
    De qualquer maneira, em uma situação mais favorável, o apoio de fogo deve ser previsto por elementos que não estejam envolvidos na travessia, ancorados na margem oposta.

    saudações

  4. Dada a posição da arma não dá pra atirar nestas condições de forma eficaz, e se for fogo continuo poderia adernar. Alguns veiculos como o BMP3 conseguem disparar o canhão na água, mas a eficácia concreta é duvidosa.

    Em caso de uma travessia destas é obrigatória no minimo uma ampla cobertura de apoio de fogo da margem amiga com áreas que não sejam desenfiadas na margem oposta. Mas uma transposição direta como esta sem tropa nossa do outro lado dando cobertura somente deve ser feita em casos excepcionais. A regra é passar alguns elementos para o outro lado por botes ou até usando a “pelota”, se fixarem e tomarem posição lá para so então, com uma sumária posição de cabeça de ponte, se permitir a passagem de blindados no setor.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here