Home Defesa Nacional Exército Brasileiro apoia o III Seminário Internacional de Defesa

Exército Brasileiro apoia o III Seminário Internacional de Defesa

1182
4

Evento conta com a presença de ministros e tem programação ampliada

O APL Polo de Defesa e Segurança de Santa Maria, por meio da Agência de Desenvolvimento de Santa Maria (ADESM), promove a 3ª edição do Seminário Internacional de Defesa (III SEMINDE). O evento acontece nos dias 8, 9 e 10 de novembro de 2017, no espaço de convenções do Hotel Business Center Beira Rio, da Região de Santa Maria (RS).

O Seminário visa reunir empresários, militares, representantes do poder público e de instituições vinculadas ao setor, acadêmicos, pesquisadores e imprensa especializada, para discutir oportunidades de desenvolvimento nas áreas de Defesa e Segurança Pública.

Contará com a presença do Ministro da Defesa, Raul Jungmann, e do Ministro-Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General de Exército Sérgio Westphalen Etchegoyen. Com vagas limitadas a 300 pessoas, o III SEMINDE traz uma programação com painéis sobre Operações Interagências, Segurança Pública, Logística de Defesa, Base Industrial de Defesa, Tríplice Hélice e Agenda de Segurança e Defesa.

Para essa edição, o evento propõe-se a ampliar e aprofundar as temáticas em debate. Para tanto, contará com duas novas atividades: O SEMINDE Acadêmico, que propõe a integração de um espaço acadêmico para o debate profícuo sobre as oportunidades e os desafios estratégicos, econômicos e tecnológicos postos para a indústria de defesa internacional e nacional; e a Mostra Tecnológica, em que serão expostos produtos direcionados às áreas de Defesa e Segurança Pública.

Apoiadores
O III SEMINDE conta com os seguintes patrocinadores: AEL Sistemas, ARES Aeroespacial e Defesa, KMW do Brasil Sistemas de Defesa e AVIBRAS Indústria Aeroespacial.

É promovido pelo APL Polo de Defesa e Segurança de Santa Maria e realizado pela Agência de Desenvolvimento de Santa Maria (ADESM), com o apoio dos seguintes órgãos e empresas: Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Prefeitura Municipal de Santa Maria, COMDEFESA/FIERGS, Universidade Federal de Santa Maria, Centro Universitário Franciscano, Santa Maria Tecnoparque, Comando Militar do Sul, Comando do 5º Distrito Naval, Comando da 3ª Divisão de Exército, Base Aérea de Santa Maria e as empresas que fazem parte do APL Polo de Defesa e Segurança de Santa Maria.

O III SEMINDE conta, ainda, com os seguintes apoiadores institucionais: Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, Marinha do Brasil, Exército Brasileiro, Força Aérea Brasileira e Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança (ABIMDE); e com os apoiadores comerciais: ARTMEIO Propaganda, AVATO Soluções em TI e Hotel Business Center Beira Rio.

A mídia oficial impressa é da Revista Tecnologia & Defesa e a mídia digital é do portal especializado DefesaNet. O III SEMINDE conta, também, com a organização da Versa Agência de Eventos.

Para mais informações, acesse www.seminde.com ou entre em contato pelo e-mail contato@polodedefesa.com

FONTE: Agência Verde-Oliva/Exército Brasileiro

4 COMMENTS

  1. Alguém pode me responder?
    No hangar do Bahia pode ser possível apoio de fogo ao desembarque de tropas através de uma bateria de astro 2020 bombardeando o litoral?
    Será que o hangar suportaria?

  2. O Astro é um sistema formidável é a cada dia ele está se mostrando mais flexível graças aõs vários misseis que podem lançar.Penso que ele seria o nosso s-400 assim que for possível.Renan se for vontade dá para adaptar,pois eu também gostaria que a MB com mais misseis e misseis com mais alcance.

  3. Stélio,
    Mais recentemente o Astros se tornou um lançador de mísseis, como atesta o AV-TM 300 e o SS-40G.

    Renan,
    O apoio de fogo é mais efetivo se for feito por canhões (navais e obuseiros em terra) já que a precisão é melhor do que a de foguetes e o que se requer é uma cadência sustentada de tiro e não um grande volume de fogo.
    Um navio especializado em apoio de fogo com foguetes teria que ser enorme, do tamanho de cruzadores, haja vista a voracidade que tal sistema exige. Ou então em barcaças tipo as que foram utilizadas na SGM, mas que eram verdadeiros porcos-espinhos completamente inviáveis hoje em dia, sem falar que lançavam foguetes de curto alcance (peso e dimensões reduzidas) para bombardeiro naval maciço, coisa que já não se usa mais. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/thumb/f/fd/USS_LSM%28R%29-188_rocket_launchers-1.jpg/220px-USS_LSM%28R%29-188_rocket_launchers-1.jpg

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here